Você está na página 1de 10

1

Módulo 1
Mecânica Técnica

Cinemática

Cinemática é uma das partes da Mecânica que estuda o movimento em si, classifica-o e descreve-o
matematicamente, sem levar em conta as causas e seus efeitos.

Dizemos que um corpo esta em movimento quando em tempos sucessivos varia de posição. Se
ocupar constantemente a mesma posição, dizemos que ele esta em equilíbrio ou em repouso.

Para sabermos se um corpo muda ou não de lugar, é necessário comparar sua posição com a dos
outros objetos que o cercam. Logo, o movimento é relativo. Uma pessoa, sentada no interior de um
carro, está em repouso em relação ao móvel, porém, em movimento em relação à estrada.

Imaginemos um carro em movimento. Com o decorrer do tempo, diferentes posições são ocupadas.
Estas posições sucessivas recebem o nome de trajetória.

0s 1s 3s 5s

10m 25m 45m

Em relação ao tempo o movimento poderá ser uniforme ou variado. Em relação à trajetória poderá
ser em linha reta ou curva.

Profº Magri - Mecânica Técnica - Curso Técnico em Automação e Mecatrônica


2

Movimento Retilíneo Uniforme

Dizemos que o movimento de um móvel é retilíneo e uniforme quando sua trajetória é uma reta e
percorre distâncias iguais em tempos iguais.

À distância percorrida na unidade de tempo é a velocidade.


No movimento em estudo a velocidade é sempre constante. É medida em m/seg, Km/h, m/min,
pés/seg, etc.

Fórmula:

S=VxT

S = espaço; T = tempo e V= velocidade.

Exemplo1

1- Qual a distância percorrida por um carro em 5 horas, com a velocidade de 80 Km/h.

S=VxT S = 80 x 5 = 400 km

2 – Um automóvel percorre 150 km em 3 horas. Qual é a sua velocidade?

S=VxT 150 = V x 3 V = 150 / 3 = 50 Km/h

3 – Se a distância entre São Paulo e Santos é 90 km, calcular o tempo gasto por um trem que fez
este percurso com a velocidade de 30 Km/h.

S=VxT 90 = 30 x T  T = 90 / 30 = 3 h

4 – Transformar 72 Km/h em m/seg.

72 Km/h = 72 x 1000m / 3600seg = 20 m/seg.

Representação Gráfica do movimento Linear

A fórmula s = vxt recebe o nome de equação horária, pois ela relaciona o espaço percorrido
com o tempo decorrido. Para representarmos graficamente basta tomar os espaços em ordenadas e
os tempos em abscissas. O gráfico obtido chama se gráfico horário.

Exemplo: Desenhar o gráfico horário do movimento de um carro com a velocidade de 50 Km/h.

S = 50 x T

T (h) 0 1 2 3 4
S (Km) 0 50 100 150 200

Profº Magri - Mecânica Técnica - Curso Técnico em Automação e Mecatrônica


3

Gráfico Horário

250
200
150
100
50
0
s (km) 1 2 3 4

t (h)

Movimento Uniforme

S = S0 + VxT
 Equação horária do movimento uniforme

Obs: A equação horária de um movimento uniforme é sempre do 1º Grau.

Lembrete:
V = ∆S  S – S0  V= S – S0  VxT = S – S0  S-S0 = VxT  S = S0 + VxT
∆T T – T0 T

S  Espaço do móvel num instante qualquer;


S0  Espaço inicial do móvel;
V  Velocidade constante no decorrer do tempo.

 T=0 T +

S0

Profº Magri - Mecânica Técnica - Curso Técnico em Automação e Mecatrônica


4

Exemplo:

V = - 15m/s
Ponto de origem  +

S0=90m
 T=0

T=0 S = S0 + VxT
V=15m/s S = 90 + (-15)xT
S = 90 -15xT
Após 4s de partida S=90-15x4
S=90-60  S= 30 metros

Exercício

Ir para a página 36 do livro de Física

Gráfico do Movimento Uniforme

Ir para a página 46 do livro de Física


Ir para a página 50 do livro de Física

Velocidade Escalar Média

Uma das principais preocupações, na cinemática, é estabelecer a relação entre a posição (P) de uma
partícula e o instante (t) em que a partícula ocupa aquela posição.

- (negativo) 0 + (positivo)

r
Exemplificando

-2 -1 0 1 2 3 cm

Resumindo T 

Profº Magri - Mecânica Técnica - Curso Técnico em Automação e Mecatrônica


5

Espaço Percorrido (∆S)

0  T1=2s  T2=5s

S1=2 m

S2 = 5 m

∆S = S2-S1 e ∆ T = T2 –T1

Velocidade Escalar Média

Vm = ∆S ou Vm = S2 – S1
∆T T2 –T1

Exercício

1-

0  T1=2h  T2=6h +

S1=30Km

S2 = 70Km

T1 = 2 horas  S1 = 30 Km
T2 = 5 horas  S2 = 70 Km

Vm = S2 – S1 Vm = 70 – 30 = 40 = 10 Km/h (positiva)
T2 –T1 6 – 2 4

2–
- S2 = -40 Km S1 = 30 Km +

 T2 = 7 h  T1 = 2 h

T1 = 2 horas  S1 = 30 Km
T2 = 7 horas  S2 = -40 Km

Profº Magri - Mecânica Técnica - Curso Técnico em Automação e Mecatrônica


6

Vm = S2 – S1 Vm = - 40 – 30 = -70 = - 14 Km/h (negativo)


T2 –T1 7 – 2 5

Fato importante : Baseado nos exercícios, o fato da Vm ser positiva ou negativa nos indica para
onde vai o móvel, isto é, se o móvel se desloca no sentido concordante com a orientação atribuída a
trajetória ou no sentido discordante.

- Movimento progressivo V>0 +


(Concordante)

-

- Movimento Retrogrado V<0 +


(Discordante)

-

Profº Magri - Mecânica Técnica - Curso Técnico em Automação e Mecatrônica


7

Sistemas de Padronização

SI  Sistema Internacional de Unidades


MKS  Metro (m) Kilo (Kg) Segundo (s)  (comprimento, massa e tempo)
CGS  Centímetro (cm) Grama (g) Segundo (S)  (comprimento, massa e tempo)

Transformação

Km/h em m/s

1 Km = 1000 metros
1 Hora = 60 minutos 1 h = 3600 segundos logo 1 Km/h = 1000 m = 1 m/s
1 Minuto = 60 segundos 3600 s 3,6

Ou

1 Km/h = 1 m/s  Km/h para m/s  dividir por 3,6


3,6

1 m/s = 3,6 Km/h  m/s para Km/h  multiplicar 3,6

Exemplo:

1 – 36 Km/h = 36/3,6 = 10 m/s

2 – 20 m/s = 20 x 3,6 = 72 Km/h

Exercício
Transformar em m/s

1- 108 Km/h ____________m/s 4 – 72 Km/h ____________m/s


2- 54 Km/h ____________m/s 5 – 288 Km/h ____________m/s
3- 3,6 Km/h ____________m/s 6 – 15,4 Km/h ____________m/s

Transformar em Km/h

1- 2 m/s ____________ Km/h 4 – 15 m/s ____________ Km/h


2- 20 m/s ____________ Km/h 5 – 30 m/s ____________ Km/h
3- 100m/s ____________ Km/h 6– 80 m/s ____________ Km/h

Profº Magri - Mecânica Técnica - Curso Técnico em Automação e Mecatrônica


8

Aceleração Média

A maioria dos movimentos apresenta uma velocidade variável, como por exemplo, o movimento de
um automóvel por uma rua da cidade. Esse automóvel pode encontrar-se inicialmente parado diante
de um semáforo; em seguida pode começar a movimentar-se, ganhando velocidade cada vez maior.
Mais tarde, por motivo qualquer, pode ser obrigado a frear, de modo que sua velocidade diminua.

Podemos tomar um outro exemplo, como uma pedra lançada para o alto, que em um determinado
tempo perderá velocidade, até atingir o ponto mais alto da trajetória. A partir daí, cai com
velocidade crescente.

Sempre que a velocidade do corpo variar no decorrer do tempo, dizemos que este corpo tem
aceleração.
Esta é definida como sendo o quociente entre a variação da velocidade (∆V) e o intervalo de tempo
(∆T) considerado.

Am = ∆V
∆T
Observe que uma unidade de aceleração é o resultado da divisão de uma unidade de velocidade
por unidade de tempo.

Exemplificando:

m/s , Km/h cm/s , etc....


s h s

Porém tal notação costuma sofrer uma alteração matemática que é a seguinte:

m/s  m/s  mx1  m  m/s2


s s/1 sxs s2

Exemplo:
1- Um veículo parte do estado de repouso e ao fim de 5s sua velocidade é de 20 m/s. O valor
de sua aceleração média, nesse intervalo de tempo, corresponde a:

∆T = 5s e ∆V = 20 m/s

Am = ∆V  20 m/s  4 m/s2
∆T 5

Ir para Pg 65 livro de Física

Profº Magri - Mecânica Técnica - Curso Técnico em Automação e Mecatrônica


9

Movimento Uniformemente Variado

Um corpo tem aceleração desde que sua velocidade varie. Mas, essa velocidade pode variar
arbitrariamente ou uniformemente com o tempo, o que implica numa aceleração variável ou
constante.
Veja a tabela abaixo, que mostra a variação da velocidade de um corpo em função do tempo:

V(m/s 0 2 3 6 10 12 14 16 18 20 20 20 20 15 10 5 0
T(s) 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16

Observe que de T = 0s a T = 4s a velocidade variou às vezes mais rapidamente, às vezes menos


rapidamente, o que significa que o corpo tem aceleração variável, ora maior, ora menor.

No tempo compreendido entre T = 4s e T = 9s, a velocidade continuou variando, mas varia


uniformemente com o tempo.

Conclusão
O fato de um corpo ter aceleração constante significa que sua velocidade varia com o tempo.

Definição
Movimento uniformemente variado é o movimento efetuado por um corpo cuja aceleração é
constante e diferente de zero.

M.U.V.  acte ≠ 0

Equação das velocidades

Denominamos de equação das velocidades aquela que nos permite calcular a velocidade V do corpo
num instante T qualquer.

V = V0 + aT

Exemplo
Um corpo está animado de uma velocidade de 10 m/s no instante T = 0s, quando adquire uma
aceleração constante de 2 m/s2. Para esse movimento, temos a seguinte equação das velocidades:

Resolução
V0 = 10 m/s V = V0 + aT  V = 10 + 2T  essa equação nos permite determinar a
a = 2 m/s2 velocidade V do corpo em qualquer instante T

para T = 0s, temos V = 10 + 2 x 0  V = 10 m/s


para T = 1s, temos V = 10 + 2 x 1  V = 12 m/s
para T = 2s, temos V = 10 + 2 x 2  V = 14 m/s

Profº Magri - Mecânica Técnica - Curso Técnico em Automação e Mecatrônica


10

para T = 3s, temos V = 10 + 2 x 3  V = 16 m/s


para T = 4s, temos V = 10 + 2 x 4  V = 18 m/s
para T = 5s, temos V = 10 + 2 x 5  V = 20 m/s
Tabelando os resultados obtidos, temos:

T(s) 0 1 2 3 4 5
V(m/s) 10 12 14 16 18 20

Gráfico

V(m/s)

20

10

T(s)
0 1 2 3 4 5

Pg 72 livro de Física - exercícios

Profº Magri - Mecânica Técnica - Curso Técnico em Automação e Mecatrônica