P. 1
termos da oração

termos da oração

|Views: 14.452|Likes:
Publicado porwittembergue
sintaxe:termos essenciais, integrantes, acessorio da oração
sintaxe:termos essenciais, integrantes, acessorio da oração

More info:

Published by: wittembergue on Jul 14, 2009
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/18/2015

pdf

text

original

Termos essenciais da oração Sujeito e Predicado

Sujeito - É aquele no qual dizemos alguma coisa ex: eu quero uma bola Predicado – É tudo aquilo que se diz do sujeito ex: eu quero uma bola

TIPOS DE SUJEITOS
Sujeito simples— É aquele que designa um só ser ou um conjunto de seres. O carro é meu. As crianças gostam de praia. Sujeito composto— É aquele que designa dois ou mais seres ou conjuntos de seres, considerados independentemente. O António e a Sofia são irmãos. Para que o sujeito seja composto é necessário que os seres ou conjuntos que o constituem sejam diferenciados. O António e a Sofia são irmãos. (sujeito composto) Eles são irmãos. (sujeito simples) Sujeito oculto ou elíptico ou desinencial— É aquele que, sendo conhecido, não está expresso na oração. O António e a Sofia são irmãos e estudam juntos. A segunda oração tem o mesmo sujeito da primeira e por isso não é necessário exprimilo. Sujeito indeterminado — Trata-se de um sujeito que não podemos, ou não queremos identificar. Normalmente implica a colocação do verbo na 3ª pessoa do plural ou na 3ª do singular acompanhado do pronome se. Dizem que vai haver eleições. Diz-se que vai haver eleições. Sujeito inexistente ou oração sem sujeito – É designado por verbos que não correspondem a uma ação, como fenômenos da natureza, entre outros. Exemplos: 1- Verbos indicando Fenômeno da Natureza (chover, nevar, trovejar, etc.). Choveu na Argentina e fez sol no Brasil. 2- verbo haver, usado no sentido de "existir Houve um grave acidente na avenida principal. Há pessoas que não valorizam a vida. 3- verbo fazer indicando tempo ou clima Faz meses que não a vejo. Faz sempre frio nessa região do estado. 4- verbo ser, quando indica tempo É amanhã que fazemos o teste. 5- verbos ir, fazer e haver, quando indicam tempo decorrido Vai para quinze dias que não nos vemos.

Faz quinze dias que não nos vemos. Há quinze dias que não nos vemos. PREDICAÇÃO VERBAL Verbos Transitivos: Exigem complemento(objetos) para que tenham sentido completo. Podem ser: Transitivos diretos Transitivos indiretos Transitivos diretos e indiretos TRANSITIVOS DIRETOS Não possuem sentido completo, logo precisam de um complemento(objeto). Esses complementos(sem preposição), são chamados de objetos diretos. Ex.: Maria comprou um livro. "Um livro" é o complemento exigido pelo verbo. Ele não está acompanhado de preposição. "Um livro" é o objeto direto. Note que se disséssemos: "Maria comprou." a frase estaria incompleta, pois quem compra, compra alguma coisa. O verbo comprar é transitivo direto. TRANSITIVOS INDIRETOS Também não possuem sentido completo, logo precisam de um complemento, só que desta vez este complemento é acompanhado de uma preposição. São chamados de objetos indiretos. Ex. Gosto de filmes. "De filmes" é o complemento exigido pelo verbo gostar, e ele está acompanhado por uma preposição (de). Este complemento é chamado de objeto indireto. O verbo gostar é transitivo indireto
TIPOS DE PREPOSIÇÕES MAIS USADAS

por, para, perante, a, ante, até, após, de, desde, em, entre, com, contra, sem, sob, sobre, trás.

TRANSITIVOS DIRETOS E INDIRETOS Exigem dois complementos. Um com preposição, e outro sem. Ex. O garoto ofereceu um livro ao colega. O verbo oferecer é transitivo direto e indireto. Quem oferece, oferece alguma coisa a alguém. Ofereceu alguma coisa = Um brinquedo (sem preposição). Ofereceu para alguém = ao colega (com preposição). ao = combinação da preposição a com o artigo definido o. INTRANSITIVOS: não possuem complemento. Ou seja, os verbos intransitivos possuem sentido completo. Ex: "Ele morreu." O verbo morrer tem sentido completo. Algumas vezes o verbo intransitivo pode vir acompanhado de algum termo que indica modo, lugar, tempo, etc. Estes termos são chamados de adjuntos adverbiais.

Ex. Ele morreu dormindo. Dormindo foi a maneira, o modo que ele morreu. Dormindo é o adjunto adverbial de modo. OBSERVAÇÃO: Existem verbos intransitivos que precisam vir acompanhados de adjuntos adverbiais apenas para darem um sentido completo para a frase. Ex. Moro no Rio de Janeiro. O verbo morar é intransitivo, porém precisa do complemento "no RJ' para que a frase tenha um sentido completo. "No RJ" é o adj. adverbial de lugar.

VERBOS DE LIGAÇÃO
Os verbos de ligação não indicam ação. Estes verbos fazem a ligação entre 2 termos: o sujeito e suas características. Estas características são chamadas de predicativo do sujeito. Os principais verbos de ligação são: SER= O carro é novo. ESTAR= João está feliz. PARECER= Joice parece cansada. PERMANECER= A moça permanece aflita. FICAR= Nicole ficou triste. CONTINUAR= Diana continua feliz. ANDAR= Cláudia anda nervosa.

Ex. Maria é inteligente.
O verbo ser não indica ação, ele está ligando o sujeito (Maria) ao predicativo (inteligente).

PREDICATIVO
é o termo que modifica o sujeito. O predicativo nos informa alguma coisa a respeito do sujeito. Inteligente é uma qualidade, característica de Maria, logo é chamada de predicativo do sujeito. Novo, feliz, cansada, aflita, triste e nervosa informam algo a respeito do sujeito. Carro-novo João-feliz Joice-cansada A moça-aflita Nicole-triste Diana-feliz Cláudia-nervosa Podemos dizer que, de um modo geral, predicativo do sujeito é tudo aquilo que se fala do sujeito. O predicativo do sujeito vem acompanhado do verbo de ligação. OBSERVAÇÕES IMPORTANTES Alguns verbos podem aparecer como:

-Transitivos -Intransitivos -Ligação Para fazermos uma correta análise, é preciso verificar o contexto em que estes verbos estão inseridos. Ex. O homem anda depressa. Andar neste contexto significa modo,maneira que o homem anda.É um verbo de ação(portanto não poderá ser de ligação).Aqui andar é verbo intransitivo. O homem anda preocupado. Nesse caso andar indica o estado em que o homem se encontra.Logo,trata-se de um verbo de ligação. Ela continua feliz. Indica estado. Verbo de ligação. Ela continua sua tarefa. Indica ação. Verbo transitivo direto.

Joaquim e Ana foram para casa -VTI Eu gosto de leite com chocolate Predicado nominal; verbos que se remetem ao estado do sujeito através dos verbos de ligação. As meninas estão felizes Predicado verbo-nominal; possui como núcleo um verbo e um nome; possui predicativo do sujeito ou do objeto; e indica uma ação ou atividade do sujeito e uma atividade. Eles chegaram cansados

PREDICADO VERBAL
O predicado verbal contitui-se de um verbo ou locução verbal que expressa a idéia de ação. Este verbo pode ser transitivo ou intransitivo. O núcleo do predicado verbal é o verbo (que é chamado de significativo) pois traz em si a idéia de ação. Ex. Aquele menino brincava

Sujeito=aquele menino Núcleo do Suj.=menino Predicado=brincava com uma pipa Tipo de pred.=verbal Núcleo do pred. verbal=brincava Mais exemplos: O professor já corrigiu as provas. O Brasil foi descoberto por Cabral. O viajante caminhava pela estrada. A árvore pertence ao mundo da natureza.

PREDICADO NOMINAL
É formado por um verbo de ligação e um predicativo do sujeito.O pred. nominal nos informa algo a respeito do sujeito.Indica um estado ou uma qualidade do sujeito.

O núcleo do pred. nominal é o predicativo do sujeito. Ex. A prova era difícil. Sujeito = a prova Núcleo de sujeito=prova Predicado=era difícil Tipo de Predicado=nominal( verbo de ligação+predicativo do sujeito) verbo de lig.=era pred. do suj.=difícil Núcleo do pred. nominal=difícil. Mais exemplos: A criança ficou ferida. Aquela mulher parece uma criança.

PREDICADO VERBO-NOMINAL
É formado por um verbo significativo (ação) mais o predicativo do sujeito. O pred. verbo-nominal nos dá 2 informações: ação e estado. O núcleo do PVN é o verbo e o predicativo (nome). OBS: como aqui o verbo é de ação,logo o pvn não possui verbo de ligação. Ex.A criança brincava distraída. Suj= a criança Núcleo do suj.=criança Pred.=brincava distraída. Tipo de pred.=verbo-nominal (ação+estado) Núcleo do pred.=brincava/distraída Mais ex. A chuva caía fina. O dentista voltou sério.

TERMOS INTEGRANTES DA ORAÇÃO COMPLEMENTOS VERBAIS Objeto Direto – É o termo da oração que completa o sentido de um verbo transitivo direto.
- Comprei um carro. - Ela limpou o quarto e a sala.

Objeto indireto – É o termo da oração que completa o sentido de um verbo transitivo
indireto com auxílio da preposição. - Gostei do filme. - Concordo com você. OBSERVAÇÕES Objetos Constituídos por pronome oblíquo. Lembrando:

Pronomes oblíquos: funcionam como complementos dos verbos. São eles: Me, mim, comigo,Te, ti, contigo,O, a, lhe, se, si, consigo,Nos, conosco,Vos, convosco,Os, as, lhes, se, si, consigo. Os pronomes oblíquos o, a, os, as, lo, la, los, las, no, na, nos, nas funcionam como objeto direto. - O pai deixou-as em casa. - Chamaram-na para a reunião. - Irei vê-los mais tarde. Os pronomes oblíquos lhe, lhes funcionam como objeto indireto. - Nós lhe oferecemos um presente. Os demais pronomes podem funcionar como objeto direto ou indireto, para analisarmos corretamente basta verificar se eles completam um verbo transitivo direto ou um verbo transitivo indireto.

COMPLEMENTO NOMINAL
Completa o sentido de um nome (substantivo, adjetivo ou advérbio) sempre com o auxílio da preposição. - A confiança na justiça. - O amor ao próximo. - A lembrança do passado.

AGENTE DA PASSIVA
Numa oração com verbo na voz passiva, quem pratica a ação é o agente da passiva. - A grama foi cortada pelo jardineiro. - O Brasil foi descoberto por Cabral.

Termos acessórios da oração Adjunto adnominal
Adjunto adnominal é o termo que caracteriza o nome sem intermediação de um verbo. As classes de palavras que podem desempenhar a função de adjunto adnominal são adjetivos, locuções adjetivas, pronomes, numerais e artigos. Ele é uma expressão que acompanha um ou mais nomes conferindo-lhe um atributo. Trata-se, portanto, de um termo de valor adjetivo que modificará o nome a que se refere. Os adjuntos adnominais não determinam ou especificam o nome. Eles apenas conferem uma nova informação ao nome e por isso são chamados de modificadores.

Exemplos
• • •

No desfile, duas garotas vestiam calças e camisetas brancas. O espetáculo de dança foi suspenso até segunda ordem. O espetáculo coreográfico foi suspenso até segunda ordem.

• •

O passeio era demorado e filosófico. 'Nosso' velho mestre sempre nos voltava à mente.

Confusão com predicativo
É importante notar que o adjunto adnominal pode estar em qualquer parte da oração e dá uma característica constante ao substantivo. Já o predicativo só se encontra no predicado, e dá uma característica momentânea ao substantivo. Podemos diferenciar um do outro substituindo a estrutura sintática por -o, -os, -a, -as. Veja os exemplos: Busquei o caderno velho. --> Busquei-o. Note que a estrutura o caderno velho pode ser substituída por -o. Isso caracteriza o adjunto adnominal. Considero sua decisão triste. --> Considero-a triste Note que a estrutura sua decisão triste não pode ser substituída inteiramente, caracterizando o predicativo, que nesse caso é o predicativo do objeto, pois se refere ao substantivo decisão. a

Confusão com complemento nominal
É comum as pessoas fazerem confusão ao tentar classificar essas estruturas sintáticas. Uma dica é: sempre notar que o adjunto adnominal só trabalha para o substantivo (concreto ou abstrato), enquanto o complemento nominal pode trabalhar para o substantivo abstrato, adjetivo e advérbio. Quando uma estrutura que se está em dúvida quanto sua classificação estiver trabalhando para um adjetivo ou advérbio, certamente será complemento nominal. Quando a estrutura estiver relacionada a um substantivo, basta olhar se este substantivo "existe" sem o auxílio de um complemento. Se existir, a estrutura é classificada como adjunto adnominal, se não, complemento nominal. Vejamos exemplos:
• •

necessidade de atenção – note que necessidade não "existe" sem o complemento de "de atenção". Isso caracteriza o complemento nominal; chuva fria – note que chuva "existe" sem complemento, fria pode ser retirado, sem alterar o significado do substantivo. Isso caracteriza o adjunto adnominal.

Adjunto adverbial
O adjunto adverbial é um termo acessório da oração cuja função é complementar um verbo intransitivo, ou seja, um verbo que tem sentido pleno, completo, ou um verbo transitivo, aquele que possui um complemento. Exemplo:Choveu Ontem O termo grifado, no caso, sob uma análise sintática, é um adjunto adverbial, visto que complementa um verbo intransitivo, de sentido pleno, que no caso é o verbo "chover". Já numa análise morfológica, o termo ontem passa a ser categorizado como um advérbio composto pela própria palavra, ou seja, os adjuntos adverbiais tem que ter obrigatoriamente um verbo. São eles: 1-de Tempo 2-de Lugar 3-de Modo

Aposto

Aposto é um termo acessório da oração que se liga a um substantivo, tal como o adjunto adnominal, mas que, no entanto sempre aparecerá com a função de explicá-lo, aparecendo de forma isolada, ora entre vírgulas, ora separado por uma única vírgula no início ou no final de uma oração ou ainda por dois pontos. Existem sete tipos de aposto: O aposto explicativo, o aposto enumerativo, o aposto especificativo, o aposto distributivo, aposto oracional, aposto comparativo e o aposto recapitulativo (resumidor). Na norma culta é permitido utilizar qualquer um dos apostos também entre parênteses ou entre dois travessões e outros tipos de adjunto.

Aposto explicativo
É aquele que explica o termo anterior. Exemplo: A Wikipédia, uma enciclopédia virtual, é a mais nova ferramenta para um conhecimento irrestrito e de fácil acesso.

Aposto enumerativo
É aquele utilizado para enumerar dados relacionados ao termo anterior. Exemplo: Sergio possui 3 filhas: Carol, Stefanie e Vitória

Aposto especificativo
É aquele que especifica um lugar. Pode ser utilizado sem vírgulas. Exemplo: O melhor carnaval é o do Rio de Janeiro, cidade maravilhosa.

Aposto distributivo
É aquele que distribui as informações de termos separadamente. Geralmente, utilizado com ponto e vírgula. Exemplo: Henrique e Núbia moram no mesmo país; esta na cidade do Porto, e aquele, na cidade de Lisboa.

Aposto oracional
É o aposto que possui um verbo. Exemplo: Desejo uma única coisa: que a Wikipédia atinja 300 mil verbetes ainda este ano.

Aposto Recapitulativo (resumidor)
É o aposto que recapitula toda a oração. Trocar fraldas, amamentar, limpar o nariz, acordar de noite, tudo exige paciência.

Aposto Comparativo
É o aposto que compara.Geralmente entre vírgulas. A inflação, monstro devorador dos salários, é sempre uma ameaça à estabilidade econômica do país.

Vocativo

Dentro da sintaxe, o vocativo é um termo de natureza exclamativa, que tem como função chamar alguém ou alguma coisa personificada. É o único termo isolado dentro da oração, pois não se liga ao verbo nem ao nome. Não faz parte do sujeito nem do predicado. A função do vocativo é chamar ou interpelar o elemento a que se está dirigindo. É marcado por sinal de pontuação e admite anteposição de interjeição de chamamento.

Exemplos
• • • • •

"Tenho certeza, amigos, que isso vai acabar bem." "Ide lá, rapazes!" "Paulo, venha cá." "Sylvie, vamos logo!" "Ana, saia daí!" "Elen,olhe aqui!

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->