Você está na página 1de 28
Il Os PRoBLEMAS FuNDAMENTAIS DO DiREITO NO PENSAMENTO DE KANT 1 Nora Prey A tna hs eve dos ts 1D conhecer alguns momentos fundamentals da Formasio do Estado liberal e democritico, do qual a doutina jr dca de Kant é uma das manifestages mais alas e signi- Ficativas; 2) fxar alguns conceitos fundamentals da teoria politica & juridica dos jusnaturalistas, euja compreensto € impres- Cinelvel para entender o discurso politico e juridico de Kant Podemos enfcentae agora com experiéneia maior os proble- ‘nas di filosofa do direto de Kant. O método da nossa exposi- lo sera essenclalmente exegético: tentaremos entender Kant saravés de uma leturastenta do texto. Daremos eno impor- tncia particular 3 escolha dos trechos relevantes que permit- lo uma exposicio que rena possivelmente os dos requisitos da claeza e da fidelidade. © objeto principal do nosso estudo seri a Metafisca dos costumes (1797, obra dividida em duas partes intituladas res- pectivamente "Doutrina do direito”e “Doutrina da vitude", xa ‘minaremos mais detidamente a primeira dessas duas partes COutras das obras de Kant podem ser consideradss, a primeira como inroducao, a segunda como apéndice. Como introdusio ‘necessirio 0 conhecimento da Fundamentagdo da metafsica ~79- dos costumes (1785), na qual Kant expoe sua famosa teorla da oral do dever, como apendice € necessirio o conhecimento do ensaio, mo menos notivel, Sobrea paz perpétua (1795), em {que Kant expe seu projeto para a solusio das controvérsias incernacionals. Enire as outs obras menores que pensamos Gtels para 0s fins de lustrar 0 pensamento politico ¢jurdico de Kant, € 35, ‘quis iemos entio nos refere principalmente na dima parte, {sto 05 escitos chamados de Filosofia da Histria, porque neles Kant expe suas iléias sobre as leis de desenvolvimento, da hhumanidade e sobre a diregio do progresso humano. Sao eles: 1) deta cle uma bistéria universal do ponto de vista cosmo polta C784); 2) resposta a questda: 0 que 60 Muminiomo? 780); 13) comjecturas sobre a origem da Histéria (1786); 4) sobre o dito comum: iso pode estar certo em toria, mas no vale na pratica (1793), 5) se 0 género bumano se encontra em progress continuo fem diregao ao melbor (1798). 2 O Que E a Metaristca pos Costumes Par entender 0 que Kan quer at com nt dot comune, srt opomun sali brevereteo sign de inet ede cones ‘Como ‘costume’ geal Kant ntende toda ae comm pleiade de reps de conta cu de le (ro semido a fel da pli) que dcitinan 0 do homer com er Ive O heme cto serail do poto de vata enome- nologico entra ds leis da natueza, qe gua 4 Wid de toss ton sees nats ar como sr Ie, pertencnte a mun nti, mem fog das eis ate fis apa vs ace ua oa erent de lepsapo: 4 Tele mora que enigma mundo dos Cosme, em onmpodeo a0 mundo natal como mundo ds Nari mana ou ds cz ou dacs (oo we la oj) em Contapesio no mand da nares, A pala tose Cem Slants Go, incur, conesponde so im mare 40 ego ttios tos quae dervar tanto mond quanto dca, que ind. Gam de fa doin da cons hana em connpoiao 2 uta da rates, ou fen, Tratamente no nto da Fundamentag, Kant acca a iano lise da soa cm igi on esto dsl oes merece formals ete ov ete aon eno dot haces rare fe, ou edo do undo natal © le que orp -al-