Você está na página 1de 2

Revele seu potencial

por Claudia Costa

Imagem: Re de Castro
Querer surpreender, com idéias simples
porém funcionais, ou se destacar num
mundo que a cada minuto te bombardeia
com diversas informações e dita novas
modas e hábitos não são tarefas que estão
na lista das mais fáceis de se cumprir. No
entanto, este pode ser o caminho para quem
deseja crescer no mercado de trabalho,
cada vez mais competitivo e exigente, e ser
considerada, dentro de sua empresa, uma figura indispensável para o alcance do sucesso e
de resultados positivos. E os desafios são muitos. Acontecer depende muito mais de sua
própria vontade, do que de qualquer outra coisa.

Jaqueline Bayer, sócia da companhia de auditoria Lopes & Machado e formada no curso de
Serviço Social, tirou proveito de sua sorte e talento, combinados com perseverança e
dedicação, para vencer num mundo empresarial habitado quase que exclusivamente pela ala
masculina. "Nunca tive medo de encarar desafios, minha vida sempre foi assim. Procuro
coisas que me darão satisfação pessoal e estou aberta a sugestões que me farão crescer na
vida e profissionalmente", avalia. Atualmente, Jaqueline é a única mulher a participar das
freqüentes reuniões de sócios da empresa e encara isso como um desafio natural para quem
faz o que realmente gosta.

A história da empresária é parecida com a de dezenas de mulheres que interrompem a


carreira por causa de casamento e filhos e, num determinado período da vida, precisam
voltar ao trabalho. Jaqueline conta que precisou recomeçar sua vida numa área que não
tinha muito a ver com o que realmente pretendia - vendas para uma grande companhia de
publicações e informações jurídicas, até que seu verdadeiro potencial foi descoberto por um
dos chefes de departamento da companhia. "Sempre fui muito comunicativa e achava a área
de vendas muito impessoal. Considero essa pessoa como meu mestre, que acabou me
levando para a área de treinamento da empresa", revela.

Hoje, numa posição inversa, a empresária aconselha seus funcionários a nunca ter medo de
decidir, de trocar opiniões e a ser humilde para aprender com um outro colega. "É
fundamental não deixar de repassar para frente seus conhecimentos", afirma Jaqueline.
Psicóloga e diretora da Associação Brasileira de Recursos Humanos do Rio de Janeiro
(ABRH-Rio), Tânia Cabral também pensa dessa forma. De acordo com ela, para que seu
chefe consiga perceber seu potencial, é preciso identificar as idéias que podem contribuir
diretamente com os resultados da companhia.

A diretora da ABRH-Rio classifica o desenvolvimento de competências em três aspectos –


o profissional, o interpessoal e o pessoal. No primeiro, ela explica que a pessoa precisa
estar sempre se aprimorando com novas técnicas, participando de cursos, palestras e
seminários ligados a sua profissão; o segundo ponto refere-se a desenvolver habilidades
para lidar com os diversos níveis hierárquicos, que vão desde o servente ao presidente da
empresa. "Demonstrar educação, discrição e seriedade são aspectos que contribuem para o
destaque profissional", orienta. A terceira questão trata de uma reavaliação permanente de
suas atitudes, que estarão sempre refletindo no comportamento dos colegas. "Esse é o
grande diferencial. Não basta apenas ter um ótimo curso feito em universidade. A
inteligência tem que atuar também sobre as emoções, para que você saiba demonstrá-las e
controlá-las", completa.

Ser autocrítica para reconhecer e assumir seus próprios erros, estar sempre de bom humor –
afinal ninguém tem nada a ver com seus problemas domésticos e pessoais –, ser
transparente e, principalmente, vestir a camisa da empresa, fazem parte das indicações
dadas por Eliane Teixeira, que trabalha na Ápice Consultoria de Recursos Humanos. Para
que o sucesso venha, Eliane acredita que a pessoa, acima de tudo, precisa querer crescer. "É
necessário deixar de lado a acomodação, a insegurança e ter cumplicidade com o que se
faz", acrescenta. Eliane diz também que é preciso estar no lugar certo, na hora certa. "Não
adianta querer ser bailarino dentro de uma padaria. O ser humano precisa se encontrar e
saber o que realmente quer", afirma.

Fazer, acontecer, querer, ser, estar, acreditar... São muitos os verbos para serem conjugados
e a fórmula ideal ainda está para ser descoberta. No entanto, tudo fica mais fácil se você
procura estar feliz consigo mesma. Isto reflete no seu próprio ambiente de trabalho. Rosely
Máximo, sócio da Formato, uma empresa de comunicação, aposta que ganhar rios de
dinheiro não é a questão principal se você não se sente bem na empresa a qual dedica quase
metade de todo seu dia. "Está provado que apenas salário não estimula a vida de um
trabalhador. Estar num lugar que te traga satisfação pode ser muito mais positivo". O
segredo do sucesso, talvez, possa estar aí.

Para a empresária, a dificuldade maior para crescer e se sobressair como uma profissional
competente e indispensável no mercado de trabalho está mais na acomodação das pessoas,
que se satisfazem com pouco. "Trazer novas idéias, ter iniciativa e apresentar um projeto
próprio de organização para o funcionamento da empresa faz com que qualquer pessoa se
destaque entre tantas outras", ressalta. De acordo com ela, é preciso que cada um descubra
qual a melhor forma de se trabalhar, e que essa forma traga resultados positivos tanto para a
empresa quanto para o funcionário. "Ninguém precisa ficar enfurnado num lugar para
apenas cumprir horário. É preferível que a pessoa trabalhe e produza bem em quatro ou
cinco horas do que ficar enrolando nas oitos horas".

Para a mulher, que precisa dar conta do recado em tantas frentes – ser mãe dedicada,
profissional exemplar e ainda, esposa apaixonada –, Tânia Cabral faz questão de passar um
alerta especial: "É preciso saber conciliar e administrar bem as atividades profissionais com
as de casa. Se assumir um compromisso e optar em trabalhar fora, assuma isto sem que
prejudique a família ou o trabalho". Está dado o recado.