Você está na página 1de 2

ublicado no D, o. E.

:m, )1) I () ',,=, I '4) C)


o

Processo Te N° 02578/06
Prestação de Contas Anuais da Prefeitura
Municipal de Araçagi, exercício de 2005, sob a
responsabilidade do Senhor José Alexandrino
Primo. Recurso de Reconsideração. Conhecimento
do recurso, dando-se-Ihe provimento integral.
Emissão de Parecer Favorável à aprovação das
contas

II PARECER PPL TC ~ I
Vistos, relatados e discutidos, os presentes autos do Processo TC N° 02578/06, referente ao
recurso de reconsideração, impetrado contra o Parecer PPL TC 221/07, contrário à aprovação das contas
do Senhor José Alexandrino Primo, Prefeito do Município de Araçagi e contra o Acórdão APL TC
954/07 que aplicou multa de R$2.805, 1O ao gestor, DECIDEM os Conselheiros integrantes do Tribunal
de Contas do Estado da Paraíba, por deliberação unânime, em sessão plenária hoje realizada, emitir
Parecer favorável à aprovação das Contas do Senhor José Alexandrino Primo, Prefeito do Município de
Araçagi, exercício de 2005 com a ressalva do parágrafo único do artigo 124 do Regimento Interno do
Tribunal, encaminhando-o à consideração da Egrégia Câmara de Vereadores do Município.
Assim fazem, tendo em vista que foram afastadas as irregularidades referentes à insuficiência
de aplicação do percentual exigido na remuneração e valorização do Magistério e à ausência de
comprovação de despesas, permanecendo como irregular apenas a ausência de um processo licitatório
para despesa no valor de R$29.800,00. Tal, porém, é relevada por ser a única e também porque à época,
o Tribunal não havia regulamentado a questão da contratação de bandas usicais, o que fez recentemente
através de Resolução.
Publique-se, registre-se e cumpra-se.
TC - PLENÁRIO JOÃO AGRIPINO, em de

/: 1';.] ,~'L~7 /
Conselheiro.José Marques Mariz

!
, 7~;-'-----

Conselheiro Fá~'fúlio Filgueiras Nogueira

i.L ~ '. ~...~_. "-


iAnã Terêsa Nóbrega
. Procuradora Geral
Processo Te N° 02578/06
I
~
TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

RELATÓRIO

O presente processo trata da Prestação de Contas, relativa ao exercício de 2005, do


Senhor José Alexandrino Primo, Prefeito do Município de Araçagi.
Em 28 de novembro de 2007, o Tribunal emitiu o Parecer PPL TC 221/2007, contrário
à aprovação da Prestação de Contas, tendo em vista a aplicação das despesas provenientes de
recursos do FUNDEF em percentual inferior ao previsto legalmente, despesas não comprovadas
e licitação não realizada para contratação de uma banda musical no valor de R$ 29.800,00,
representando 0,25% do total das despesas. Na mesma data, através do Acórdão APL TC
954/2007, esta Corte imputou débito de R$ 179.173,91 em virtude de despesas não comprovadas
e aplicou multa de R$ 2.805,10 ao gestor.
Alegando omissão na análise das despesas do FUNDEF por parte da Auditoria, o
interessado apresentou embargo de declaração, cujo conhecimento foi negado pelo Tribunal
através do Acórdão APL TC 405/2008.
Agora o interessado interpõe o presente recurso de reconsideração acompanhado de
documentos.
Ao analisar a matéria, a Auditoria considerou comprovadas as despesas e recalculou as
despesas com recursos do FUNDEF no magistério, considerando sanadas as falhas.
Instada a se pronunciar a Procuradoria em parecer da lavra da Procuradora Geral Ana
Terêsa Nóbrega opina pelo conhecimento do recurso e, no mérito, pelo seu provimento, para
modificar o Acórdão APL - TC 954/2007, especificamente nos pontos relativos ao FUNDEF,
mantendo-se os demais termos.
É o relatório.

VOTO

De acordo com o Parecer PPL TC n° 22112007 os motivos que levaram a emissão de


parecer contrário à aprovação das contas foram a não aplicação do percentual mínimo dos
recursos do FUNDEF em remuneração do magistério, despesas insuficientemente comprovadas
com recursos do Fundo e ausência de licitação para contratação de uma banda musical no valor
de R$ 29.800,00.
Ao analisar os documentos encaminhados juntamente com o recurso, a Auditoria
considerou sanadas as irregularidades relativas ao FUNDEF, permanecendo como irregular
apenas a ausência de um processo licitatório para despesa no valor já mencionado.
O Relator entende que a falha pode ser relevada por ser a única e também porque à
época, o Tribunal não havia regulamentado a questão da contratação de bandas musicais, o que
fez recentemente, com edição da Resolução RPL n" 03/2009.
Diante do exposto VOTO no sentido de que este Tribunal conheça do recurso, por sua
tempestividade e, no mérito, lhe dê provimento integral, para, reformando as decisões recorridas,
emitir novo Parecer, desta vez favorável à aprova - as Contas do Senhor José Alexandrino
Primo, Prefeito do Município de Araçagi, exe Ici 05, retirando o débito imputado e a
aplicação da multa, mantendo, a declaraçã a m)Ato integral às exigências da Lei de
Responsabilidade Fiscal, não atacada peJ&Cí:e.cott~~

Interesses relacionados