P. 1
ginkgo_biloba.pdf

ginkgo_biloba.pdf

|Views: 3|Likes:
Publicado porMarcio Campiao

More info:

Published by: Marcio Campiao on Oct 14, 2013
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/18/2015

pdf

text

original

GINKGO BILOBA

Ginkgo biloba (L.) - GINKGOACEAE SINONÍMIA HOMEOPÁTICA Ginkgo. DESCRIÇÃO DA PLANTA As folhas de Ginkgo biloba L. são verdes claras, de 6 cm a 8 cm de comprimento por 10 a 12 cm de largura, em forma de leque flabeliforme apresentando uma chanfradura mais ou menos profunda na parte superior dando-lhes aspecto de serem bilobadas. Os bordos são ligeiramente crenulados e o limbo é de consistência coriácea. As nervuras divergem do ponto de fixação do pecíolo que é comprido. São inodoras e de sabor ligeiramente amargo. PARTE EMPREGADA Folhas secas. DESCRIÇÃO DA DROGA A droga é constituída pelas folhas secas. PREPARAÇÃO DA TINTURA-MÃE A tintura-mãe de Ginkgo biloba é preparada com etanol a 65% (V/V), por maceração, segundo técnica geral de preparação de tinturas-mãe. (X.1.1.). Farm. Hom. Bras. IV. CARACTERÍSTICAS DA TINTURA-MÃE Líquido de cor castanha esverdeada, com odor herbáceo e sabor fraco. IDENTIFICAÇÃO A. A 1 ml de tintura-mãe, adicionar 1 gota de solução de cloreto férrico a 1% (p/V). Desenvolvese cor verde escura. B. A 1 ml de tintura-mãe, adicionar 2 gotas de reagente de Tollens (nitrato de prata amoniacal). Observa-se redução a frio com formação de precipitado cinza escuro ou negro. C. A 2 ml de tintura-mãe, adicionar 2 gotas de reagente de Fehling (cupro-tartarato). Observa-se redução a frio com desenvolvimento de coloração verde-amarelada. Por aquecimento em banhomaria fervente a coloração passa a verde escuro. D. A 1 ml de tintura-mãe, adicionar 2 gotas de solução de ninidrina a 1% (p/V) em etanol a 96% (V/V). Aquecer em banho-maria fervente, por 2 minutos. Desenvolve-se coloração violeta. E. A 1 ml de tintura-mãe, adicionar 2 gotas de solução de nitrato de prata a 1% (p/V). Forma-se precipitado castanho-avermelhado que, por aquecimento em banho-maria fervente, por um minuto, passa a castanho-escuro.

Resíduo seco. adicionar 2 gotas de mistura preparada no momento do uso. Examinada à luz ultravioleta de onda longa (365 nm). Examinar à luz ultravioleta de onda longa (365 nm). com Rf próximo a 0. Desenvolver a cromatografia por um percurso de 10 cm. Desenvolver cromatografia empregando camada de sílica-gel G. Observa-se a presença de duas manchas com fluorescência laranja com Rfs próximos àqueles dos padrões de rutina (0. A tintura-mãe apresenta. duas manchas acastanhadas com Rfs próximos a 0. 40 μl da tintura-mãe e 5 μl de cada uma das soluções -padrão. observa-se mancha com fluorescência intensa amarela e com Rf próximo a 0. CONSERVAÇÃO Em frasco de vidro neutro. com fluorescência amarelo-esverdeado com Rf próximo a 0.17. correspondendo. nebulizar a placa com reagente difenil-borato de amino-etanol. geralmente.50% (p. Cromatografia em camada delgada (V.35 e 0. b) dissolver 10 mg de isoquercetina em etanol a 96% (V/V). com fluorescência amarelo esverdeada e Rf 0. Desenvolve-se coloração castanho-alaranjada. A tintura-mãe apresenta duas manchas com fluorescência amarela e Rfs próximos a 0. Deixar a placa secar ao ar. respectivamente à rutina e à isoquercetina. âmbar.V). vermelha. Desenvolve-se coloração verde escura. Examinar à luz ultravioleta de onda longa (365 nm). com fluorescência laranja (isoquercetina) e uma última.55. hermeticamente fechado.95. Depositar na placa.45. ENSAIOS Título etanólico. em pontos isolados. Deixar a placa secar ao ar. A 1 ml de tintura-mãe. vizinha à frente atingida pela fase móvel.1) F.15 e 0.60.35 (rutina) e 0. A 1 ml de tintura-mãe.35) e isoquercetina (0. FORMA DERIVADA . com fluorescência amarela e Rf próximo a 0. formada por partes iguais de solução de cloreto férrico a 1% (p/V) e solução de ferricianeto de potássio a 1% (p/V). adicionar fragmentos de magnésio metálico e 1 ml de ácido clorídrico concentrado.65 (isoquercetina) e uma última. Desenvolve-se coloração vermelho escura.65.35 (rutina).65). H. aquecer a placa a 120 °C por 30 minutos e observar à luz ultravioleta de onda longa (365 nm). uma outra com fluorescência laranja e Rf próximo a 0.20. G. Desenvolver cromatografia nas mesmas condições anteriores nebulizando a placa com hidróxido de amônia concentrado.F. Deve estar compreendido entre 60 e 70% (V/V). seguindo-se-lhes outras com Rf a 0. Desenvolver a cromatografia num percurso de 10 cm. Como Solução Padrão empregar: a) solução de 10 mg de rutina em etanol a 60% (V/V). Desenvolver a cromatografia empregando como fase móvel a mistura de tolueno-acetona (7:3). IV. uma outra rosa-clara e fluorescente. ao abrigo da luz e do calor. Em seguida. Deve ser igual ou superior a 1. Como solução-padrão empregar 1 mg de ginkgolido A-C dissolvido em 1 ml de metanol.65. A 1 ml de tintura-mãe. Desenvolver cromatografia empregando camada delgada de sílica-gel G.2.60. Bras. As soluções-padrão apresentam-se como duas manchas com fluorescência castanha com Rfs próximos a 0.5. Observa-se a presença de uma mancha com fluorescência azul-esverdeada com Rf próximo a 0. Nebulizar a placa com ácido acético. adicionar 50 mg de resorcinol e 1 ml de ácido clorídrico concentrado. outra. Desenvolver a cromatografia empregando como fase móvel a mistura de acetato de etila-(metil-etil-cetona)-ácido fórmico anidro-água (50:30:10:10).

Hahnemanniano (XI. gota a gota. Em seguida. adicionar 5 ml de solução de hidróxido de sódio a 10%(p/V). Em frasco de vidro neutro. . Insumo inerte. Reagente de Fehling Solução (A): Dissolver 35. utilizar teor alcoólico igual ao teor da tintura-mãe.I). âmbar. Caso reapareça o precipitado. Farmacopéia Homeopática Brasileira II. com tampa esmerilhada e.Ponto de partida. acrescentar 70 g de hidróxido de sódio.6 g de sulfato de cobre em quantidade suficiente de água purificada. Dispensação. preferentemente. Solução (B): Dissolver 173 g de tartarato duplo de sódio e potássio (Sal de Seignette) em quantidade suficiente de água purificada. ao abrigo da luz e do calor. Método. subseqüente dissolução do mesmo. Tintura-mãe. REAGENTES E SOLUÇÕES REAGENTES Reagentes de Tollens A 10 ml de solução aquosa de nitrato de prata a 5% (p/V) adicionar quantidade suficiente de hidróxido de amônio até formação de precipitado castanho e. 1997. bem fechado.III). juntar partes iguais das soluções (A) e (B). Guardar em frasco escuro. completar o volume para 500 ml. completar o volume para 500 ml.II). nova quantidade de hidróxido de amônio até o desaparecimento do mesmo. No momento do uso. sob refrigeração. Nas primeiras três dinamizações centesimais e seis primeiras decimais. Korsakoviano (XI. Fluxo Contínuo (XI. A partir de 1 CH e da 1 DH Conservação. adicionar.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->