Você está na página 1de 1

Poema

A Palavra
por Thiago Calixto Umuarama, domingo, 26 de julho de 2009 15
Na palavra
O resgate da subjetividade
Medicada na contemporaneidade
Ensurdecida pela “obviedade”

A escuta faz presença


Em um gesto, uma crença Coraline:
um filme que traz assuntos
Aposta na diferença
Pela palavra

que permeiam a vida adulta


Crônica Por Caroline Guimarães Gil

Umuarama é eleita
a Capital da Massagem.

Capital da Amizade é coisa do passado. Essa se-


mana Umuarama ganhou o titulo de Capital da
Massagem. E não tem nada a ver com a fama de
“Mulherama” ou pelo fato de sermos uma cidade
universitária. O tão honroso título nos foi concedi-
do pelo Conselho Internacional de Massagistas, o
CIMA. Na hora que eu soube, à boca pequena, de
tão inusitado fato, entrei em contato com Juruelson
Mancebo, representante do CIMA para o Brasil e Para quem desconfiava que Coraline era apenas mais um fil- tante, que se esquece do mundo verdadeiro, e passa a desejar
apurei mais detalhes sobre o assunto. me infantil, se enganou! Esta obra foi baseada no livro de Neil viver para sempre do outro lado. Mas eis que, tudo desaba. Os
Por telefone, o Sr. Juruelson me disse que tudo Gaiman, escritor de romances e quadrinhos, alguns em desta- agrados e mimos eram apenas um jogo de sedução, para atraí-
começou numa visita dele à nossa Universidade que como, “Sandman”, uma história cujo personagem princi- la para um desastre.
Paranaense – UNIPAR, aqui em Umuarama. Ele pal é um governante do mundo dos sonhos; possui também no E é neste instante que eu gostaria de abordar. Quantos de nós
veio afim de averiguar a faculdade de Fisioterapia, currículo o filme “Stardust – O mistério da estrela” como his- no início de relacionamentos – sejam eles laços de amizades ou
da qual gostou muito, mas não pôde se furtar de no- tória baseada em uma de suas obras. laços amorosos – nos sentimos especial por sermos aceitos da
tar o balanço, o remelexo, a trepidação incessante Coraline Jones é uma garota que acaba de forma que somos? E derrepente, com o passar
do automóvel enquanto rodava sobre o tão peculiar se mudar para uma imensa casa. Seus pais do tempo, querem nos transtornar, nos reti-
asfalto de nossas ruas e avenidas. “Vocês não sa- sempre ocupados, e devido à monotonia da rar de nosso mundo, de nosso eixo e de quem
bem o tesouro fisioterapêutico que tem aí” – excla- vida real, decide se aventurar pelos cantos da realmente somos. Cautela! Já dizia meu avô
mava ele no carro. nova e desconhecida casa. Numa dessas em- “ninguém bate na porta de casa oferecendo
De acordo com Mancebo, não existem regis- preitadas descobre uma pequena porta que dá coisas boas”. Assim, aconteceu com Corali-
tros, no mundo inteiro, de alguma cidade onde se para outra realidade de sua própria vida. ne, cujo sedutor, aproveitando-se da fraque-
consiga ser massageado durante tanto tempo as- Esta história me lembra muito “Alice no za do instante da personagem desvendou seus
sim. “São mais de 90% da malha viária da cidade País das Maravilhas”, quando Alice se vê maiores desejos e sonhos e se utilizando dis-
trabalhando pela saúde da população”. Afirmou entediada com aquele mundo particularmente so, o fez torná-los superficialmente “reais”.
também que, de acordo com estudos avançados na sem graça, passa a buscar novos mundos para Mas, as cartas da manga de um “sedutor”,
área, ser massageado pelo tremelique viário duran- serem despertos. O mesmo ocorre com a Co- não duram muito, e logo a máscara da graça
te a ida, a volta do trabalho, ou durante qualquer raline, mas de uma forma diferenciada, já que cai, e nota-se a realidade nua e crua.
atividade no volante ou nos guidões das motos, re- esta última diz respeito aos desejos particula- Será mesmo mais feliz, vivermos num
duz muito o nível de estresse e, conseqüentemente, res da personagem principal, que seria um lu- mundo perfeito? Convivendo com pessoas da
os acidentes no trânsito. E melhor! Os resultados gar onde os seus pais fossem mais amáveis e forma que queremos que elas sejam? Uma re-
não se notam apenas no trânsito: diminui-se tam- atenciosos, assim como o restante das pessoas o fossem como flexão que Neil Gaiman, esclarece impecavelmente no final da
bém a violência domestica, além de outros tipos de ela os desejasse. história. E como diz Lenine na canção “O que é bonito”: “eu
violência e vandalismo. “Nada é mais valioso para É como se antes de criar o mundo, nos fosse perguntado: gosto é do inacabado, o imperfeito (...) eu quero tudo que se
uma cidade do que uma população mais relaxada e como você gostaria de ser? Como gostaria que fosse sua casa? despe (...) que se despedaça (...) e o que é bonito?”
de bem com a vida. É algo sem precedentes na his- O que melhoraria naquela pessoa? O que você excluiria na-
tória fisioterapêutica mundial. É uma maravilha a quele sujeito? É simplesmente difícil lidar com o que nos é di-
contrapartida social que se pode ter com um asfal- ferente, é mais cômodo tentar mudar o mundo do que mudar- Crédito
to desses” – completou. mos a nós mesmos? “A foto utilizada na reportagem “O Pó da Estrada”, de
Mancebo também pediu desculpas, pois era pra Inicialmente Coraline se espanta com tamanho agrado com 12.07.09, com a banda Nevilton, é de autoria da fotógrafa
homenagem ter sido entregue às autoridades umua- que é o “novo mundo”, cheio de presentes! Desconfiada, pas- curitibana Larissa Figueiredo. Obrigado Larissa!”
ramenses no dia 25 de Maio, Dia Nacional do Mas- sa a entrar com cautela naquela nova realidade. Não demora
sagista. Mas ele voltou tão relaxado de sua visita muito para sentir-se aparentemente mais especial, mais impor-
que só conseguiu voltar ao pique e rapidez habi-
tual no mês passado e só então pode dar seqüên-
cia aos devidos trâmites das documentações neces-
sárias. Disse que está renovado e muito energético,
graças à Massagem Viária de Umuarama. Quem lê escreve:
A Câmara de Vereadores e o Poder Executivo
da cidade receberam a notícia com muita felicida- Sabe de alguma história, lenda, acontecimento curioso
de, pois finalmente o mundo os compreendeu. Um com personagens reais ou fictícios de Umuarama ou
dos vereadores que consultei sobre o fato salientou qualquer outra cidade da região? Envie sua história
que a intenção do Município sempre foi essa e, por pelo e-mail do Cultura & Arte (culturaearte.ilustrado@
isso, há anos vem mantendo e desenvolvendo, com gmail.com) ou pelo correio, para o endereço da reda-
muito afinco, o nosso asfalto terapêutico. E com-
pletou “Foram anos de estudos e investimento pú- ção do Umuarama Ilustrado. As histórias serão todas
blico. Uma hora o reconhecimento tinha que che- lidas e, se aprovadas, publicadas nesta página com a
gar”. Pois é, antes tarde do que nunca, mas sempre autorização do remetente. Não existe prazo final para o
com categoria! envio. Ajude a preservar nossa memória!
Na mesma conversa, alguns vereadores me
adiantaram que já está na fase final de acertos uma
parceria do Município com o CIMA, através da
qual será construído na cidade um centro de exce-
lência no estudo de massagens e terapias alterna-
tivas. O local escolhido para abrigar o empreen-
dimento provavelmente será, o antigo batalhão da
policia militar, no Largo do Triunfo, esquina da Av.
São Paulo com a Av. Apucarana. Só estão aguar-
dando a concordância da Companhia Melhoramen-
tos Norte do Paraná, proprietária do terreno, para se
fechar o acordo e se iniciarem a licitação e as obras.
Em tempo, dizem nas rodas de conversa que tal
notícia também foi muito bem aceita pelo setor de
peças e serviços automotivos e revendedoras de
pneus da cidade. Mas até o fechamento da edição
não conseguimos colher depoimentos de nenhum
representante do setor.