A participação do jovem na sociedade Os protestos no Brasil em 2013, que surgiram inicialmente para contestar os aumentos nas tarifas de transporte

público, ganharam força com a participação dos jovens e servem como mote para a redação no Enem. Espera-se que o aluno mostre argumentos que apontem o jovem como agente transformador que, além de ter consciência cidadã, intervém com ações práticas. Além da questão dos protestos, a professora Marina Loureiro, do Curso Miguel Couto, recomenda que o candidato cite outras ações, como a participação do jovem como eleitor e a importância do voto consciente. Outro caminho possível é mostrar ações concretas de grupos voluntários formados por jovens, que prestam solidariedade a outros grupos. Marina ressalta que, nos dois ou três parágrafos de desenvolvimento, entre a introdução e a conclusão, é necessário apresentar mais de um argumento concreto que mostre o jovem como agente transformador da sociedade.
O esporte como ferramenta de inclusão social Motivado pela Copa das Confederações neste ano, pela Copa do Mundo em 2014 e pela Olimpíada em 2016 no Brasil, se o esporte aparecer como tema, é importante que o aluno o defenda como uma forma de incluir minorias na sociedade. Vale mostrar o esporte como um meio para obter saúde física e mental, falar em pessoas portadoras de deficiência que conseguem se incluir em um grupo estimuladas pelo esporte e contar histórias de jovens carentes que, por meio do esporte, tiveram acesso aos estudos. No entanto, histórias particulares ou de pessoas próximas não são válidas como argumento: ao citar alguém em particular, é preciso dar nome a entidades ou pessoas famosas, para que o corretor tenha certeza de que o aluno não está inventando uma história.

A valorização da saúde pública Em 2013, motivado pelas manifestações populares que se espalharam pelo País, o governo brasileiro anunciou uma série de medidas relacionadas à questão da saúde pública. Entre as principais, o Brasil vai importar médicos estrangeiros para amenizar a escassez de profissionais nas regiões mais carentes, e estudantes de medicina de faculdades públicas e privadas terão que trabalhar dois anos no SUS para ter o diploma. Na redação do Enem, espera-se que o aluno faça uma reflexão a respeito da importância de priorizar a saúde, e que ele proponha possíveis soluções com base em sua realidade. A professora Talita Aguiar, do Curso Progressão Autêntico, alerta que é preciso tomar cuidado com os argumentos usados em eventuais críticas a medidas do governo. "O aluno não é obrigado a falar bem do governo, mas as críticas devem ser bem fundamentadas e é preciso trazer exemplos concretos positivos, para não unilateralizar a argumentação", explica. Para isso, é bom estar a par de setores da saúde que funcionam, como o programa de vacinação. Alternativas para o transporte público urbano Estopim para a explosão das manifestações no Brasil, que desde o início protestavam contra o aumento das tarifas de ônibus e metrô, a questão da mobilidade urbana pode requerer soluções de candidatos na redação do Enem. Primeiro, é importante que o aluno mostre como essa questão interfere na vida dos cidadãos brasileiros. Além disso, é fundamental propor soluções sustentáveis e que não exijam gastos públicos exagerados.

que concordem com o enunciado do tema". A tecnologia como meio para a educação Escolas particulares e públicas estão cada vez mais preocupadas em incluir tecnologias digitais na educação. do Sistema Elite de Ensino. o ideal é citar exemplos de países onde o transporte público é eficiente. Se o tema da redação do Enem envolver tecnologia e educação. o Ministério da Educação investiu em tablets para professores da rede pública. espera-se que o aluno aponte ações práticas que vêm sendo realizadas pelo governo ou por instituições privadas. . Além de novas ferramentas.Mais do que apontar os problemas. como Inglaterra e Holanda. Outro caminho para sair do senso comum é citar meios de transporte alternativos. mas também estimular uma nova forma de educar. ressalta a professora Marina Loureiro. a prova exige do aluno uma proposta de solução. quando o aluno compara gerações diferentes. Neste ano. que podem não só ser um material didático. um positivo e um negativo. mas é preciso que haja mais argumentos positivos. e usar um artifício chamado argumento analógico. só funcionam se estiverem muito bem embasados e se o aluno fizer um contraponto com outros argumentos positivos. dizer que há aspectos positivos e negativos. outro caminho possível é ressaltar os cursos de educação a distância. "É possível fazer uma defesa parcial. Argumentos contra o uso da tecnologia. como bicicletas ou grupos de caronas organizados por meio de redes sociais. que vem crescendo. neste caso. Apenas dois argumentos. não apenas expositiva. Como sugere a professora Ana Paula Anghinoni Ramos. não são suficientes. pois o Enem exige que o aluno escreva uma dissertação opinativa.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful