NOME: PROFESSOR: Fernanda Gomes DATA: SÉRIE: CONTEÚDOS: texto dirigido

NOTA: TURNO: Noturno

Trabalho de língua portuguesa – 2013
RESPONDER EM UMA FOLHA A PARTE. O futuro do gerúndio Você já se irritou hoje? Não? Parabéns: você não deve ter telefonado para o seu banco até o momento. Porque qualquer operação bancária que você faça ao telefone com um ser humano do outro lado da linha vai necessariamente envolver uma resposta no odioso futuro do gerúndio. Sim, você conhece esse novo tempo verbal – só não sabia que ele se chamava assim. “Nós vamos estar creditando 500 reais na sua conta”, “os talões vão estar sendo enviados para a sua casa”, “vai estar sendo debitado da poupança” – frases que a gente ouve mais do que “bom dia”, não é mesmo? Pois bem. Até quando você e eu vamos estar sendo submetidos a esse martírio? Por que temos que estar obrigados a estar tendo que ouvir frases que vão estar contaminado nosso cérebro a longo prazo? Quanto tempo vamos estar demorando para passar a estar falando desse jeito na vida real? FREIRE, Ricardo. The best of Xongas. São Paulo: Mandarim, 2001. Questão 1- Ricardo Freire, no texto transcrito, trata da inadequação de uma determinada construção gramatical. • Qual é a inadequação? • Explique, do ponto de vista gramatical, em que consiste esta inadequação. • Qual seria a construção gramatical correta a ser utilizada em lugar do “futuro do gerúndio”? Questão 2- O autor manifesta a sua preocupação com o fato de, daqui a algum tempo, os falantes passarem a utilizar esse tipo de construção inadequada em função da frequência com que a ouvem. De que recurso se vale o autor para comprovar essa possibilidade? Questão 8- Reescreva o trecho a seguir, eliminando o futuro do gerúndio. Por que temos que estar obrigados a estar tendo que ouvir frases que vão estar contaminando nosso cérebro no longo prazo? Quanto tempo vamos estar demorando para passar a estar falando desse jeito na vida real? Questão 9- Fui abandonado por Flora (e que a humildade dessa voz passiva pulverize os que sempre me pintaram como bastião do porco-chauvinismo1) no meio de uma mononucleose.
RODRIGUES, Sérgio. O homem que matou o escritor. Rio de Janeiro: Objetiva, 2000.

• Explique por que o narrador se refere à “humildade da voz passiva” como comprovação para o fato de não poder ser considerado chauvinista. • Se o narrador correspondesse à imagem de “bastião do porco-chauvinismo”, que estrutura sintática seria utilizada por ele? Justifique sua resposta. Sinais dos Tempos (Verbais) O futuro do deslocamento. O que aconteceu com o futuro do Brasil? Antigamente ele era róseo e promissor. Hoje ele se mostra feio e carregado de vícios. É só você abrir um jornal — qualquer jornal — para ler: “O ministro da Fazenda irá anunciar a nova taxa de juros”. Irá anunciar? Por que não o velho e coloquial “vai anunciar”, ou o sintético “anunciará”? Por que diabos o ministro precisa “ir” para “anunciar”? Até onde eu entendo, “o ministro irá anunciar” significa que o pobre coitado vai acordar, chamar um táxi, percorrer toda a distância
1

Chauvinismo: nacionalismo exagerado.

GRAMÁTICA – 2013

GRAMÁTICA – 2013 . revela uma atitude mais normativa ou mais condescendente com fenômenos que estão ocorrendo na linguagem coloquial? Cite trechos em que o autor revela seu ponto de vista sobre esta questão.entre sua casa no Lago Sul e a Esplanada dos Ministérios. aparecendo em textos que você mesmo escreveu. Assim como o talher de peixe. por que a postura adotada pelo autor ao comentar o mais-que-perfeito não é compatível com a postura que revela ao tratar do futuro do deslocamento? Questão 14. É o cúmulo da arrogância: se a perfeição já é uma coisa inatingível.Ricardo Freire aborda. Mas se o jogo é no Parque Antártica contra a Matonense. vira ou merecera.O autor. em seu texto. e só então revelar a nova taxa de juros à imprensa. que eu falara ou que eu levara já vai uma grande distância. por se tratar de um arcaísmo. o mais-queperfeito vai estar acabando a partir de segunda-feira que vem”. Questão 10. quem me dera. por exemplo. FREIRE. The best of Xongas. Já perdi a conta das vezes em que um singelo “tinha recusado” escrito por mim apareceu publicado como “recusara”. segundo ele? Questão 12.. O que o autor chama de futuro do deslocamento ocorre em. (Fragmento). Questão 13. Se você vir que eu beijara. Anhanguera e Guanabara. 2001. pela Libertadores.] Dicionário eletrônico Houaiss da língua portuguesa 1. E quando se diz que o “governo irá combater o desperdício”? Já vejo centenas de aviões sendo fretados para o governo ir até o desperdício que precisa tanto ser combatido — e só aí já se jogou fora todo o dinheiro que ele queria economizar. • Isto significa que o que é arcaico hoje não o foi sempre. trata-se de um arcaísmo que teima em não desaparecer. “O Palmeiras irá jogar com seu time completo” até faz algum sentido quando a partida é em La Paz. pode apartar que é briga! Fica combinado assim: o Ministério da Educação irá anunciar que. quem me dera. mas daí a dizer que eu fora. construção sintática ou acepção que deixou de ser usada na norma atual de uma língua [. imagine um estado mais-que-perfeito! E o mais incrível é que o mais-que-perfeito brota do nada. O dicionário traz a seguinte explicação para o verbete Arcaísmo: 1. expressão. Descreva como é composta esta estrutura verbal. pudera. Ricardo. meritíssimo! Quero deixar claro que eu não fumo. numa mágica que só os revisores são capazes de operar. Anhanguera e Guanabara. nunca uso drogas e. palavra. São Paulo: Mandarim. me desculpem. Tenho cá meus defeitos. mas o time completo não tem que ir a lugar nenhum.Ricardo Freire propõe que se deixe de usar a forma sintética do mais-que-perfeito. jamais estivera. Qual(is) seria(m) a(s) maneira(s) “correta (s)”. irá anunciar. o mais-que-perfeito vai estar acabando a partir de segunda-feira que vem. Pelo fim de tantas indas e vindas inúteis! Abaixo o futuro do deslocamento! O mais-que-perfeito. (Fragmento).O que há de curioso no trecho: “Fica combinado assim: o Ministério da Educação irá anunciar que. Eu fico cansado só de pensar. em seu texto. Levando-se isso em conta. pudera. sobretudo. um fenômeno que envolve o tempo futuro. com exceção de tomara..O jornalista considera essa estrutura verbal equivocada. Recusara? Eu? São calúnias.0. com exceção de tomara. Questão 11.