P. 1
RACIOCÍNIO LÓGICO

RACIOCÍNIO LÓGICO

4.5

|Views: 20.781|Likes:
Publicado porRodrigo
Resumo Esquemático da disciplina de Raciocínio Lógico que cobre grande parte dos editais das organizadoras.

1. Tabela Verdade
2. Equivalência Lógica
3. Diagrama de Venn
4. Diagrama Lógico
5. Lógica da Argumentação
6. Estruturas Lógicas
7. Contagem

Você não aprenderá a partir desse texto, ele serve apenas como fonte de memorização dos conceitos, fórmulas e formas de resolução das questões.
Resumo Esquemático da disciplina de Raciocínio Lógico que cobre grande parte dos editais das organizadoras.

1. Tabela Verdade
2. Equivalência Lógica
3. Diagrama de Venn
4. Diagrama Lógico
5. Lógica da Argumentação
6. Estruturas Lógicas
7. Contagem

Você não aprenderá a partir desse texto, ele serve apenas como fonte de memorização dos conceitos, fórmulas e formas de resolução das questões.

More info:

Published by: Rodrigo on Jul 31, 2009
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF or read online from Scribd
See more
See less

07/29/2013

pdf

RACIOCÍNIO LÓGICO © rocope9002@gmail.

com (julho/09)

1

1. TABELA VERDADE
Conjunção ... e ... [ ^ ] Disjunção ... ou ... [ v ] Condicional Se... então ... [ → ] Disj. Exclusiva Ou ... ou [ v ] Bicondicional Se e somente se [↔] V apenas se ambas forem verdadeiras F demais casos V houve no mínimo uma V F apenas se ambas forem F “Condição suficiente gera resultado necessário” F somente quando V → F (uma condição suficiente não pode gerar um resultado falso) “Mutuamente Excludentes” V valores lógicos diferentes F nunca poderão ser V ou F ao mesmo tempo V ambas tiverem os mesmos valores lógicos F tiverem os valores lógicos diferentes
se.. .então... (→ ) se e somente se (↔ )

2. EQUIVALÊNCIA LÓGICA
PeQ=QeP P e P = P ou P = P P e (P ou Q) = P P ou (P e Q) = P Nenhum A é B = Todo A é não B P → Q = ~Q → ~P P → Q = ~P ou Q P↔Q=Q↔P P ↔ Q = (P → Q) e (Q → P) Todo A é B = Nenhum A é não B

3. DIAGRAMAS DE VENN
COM NÚMEROS
3º 2º 2º 1º 2º 3º 3º

(TIPO 1A) TODO ... É ...

B A

Todo A é B Nem todo B é A Algum B não é A

e(^)

ou ( v )

ou...ou... ( v )

V V F F

V F V F

V F F F

V V V F

V F V V
Última coluna da Tabela Verdade

F V V F

V F F V

começar a montar o diagrama a partir das interseções (de dentro para fora), sempre subtraindo os valores (TIPO 1B) ALGUM ... É ...

(TIPO 1C) NENHUM ... É ...

A
Algum A não é B

B
Algum Algum B A é B não é A

A

B

TAUTOLOGIA CONTRADIÇÃO CONTINGÊNCIA

V F há valores V e F

Nenhum A é B

Nenhum B é A

NEGAÇÃO
Conjunção Disjunção Condicional Bicondicional Todo A é B Algum A é B ~ (p ^ q) ~ (p v q) ~ (p → q) ~ (p ↔ q) ~p v ~q ~p ^ ~q p ^ ~q (p ^ ~q) v (q ^ ~p) Algum A não é B Nenhum A é B

(TIPO 2) JOGO DE PALAVRAS feio ≡ não feio / não feio ≠ bonito todo ≡ não todo / não todo ≠ nada alto ≡ não alto / não alto ≠ baixo (TIPO 4) NÃO É VERDADE QUE - o conjunto proposto é falso - pode ser dos três tipos anteriores - o conjunto complementar é V

(TIPO 3) CONTRADIÇÕES duas frases, ver se há contradição entre elas Ex: Todo espião é não vegetariano e algum vegetariano é espião (TIPO 5) 2 FRASES, 3 CONJUNTOS - relação de 2 em 2 conjuntos. - montam-se três alternativas: algum, nenhum ou total contato entre eles.

RACIOCÍNIO LÓGICO © rocope9002@gmail.com (julho/09)

2

4. DIAGRAMA LÓGICO
- relação entre pessoas e objetos: “a quem pertence o que”

Resolução: (1º) Diagramas (de Venn): Todo (tipo 1A); algum (tipo 1B); nenhum (tipo 1C). (2º) Tabela-Verdade: a) Montar a Tabela Verdade com todas as premissas e adicionar uma coluna para a conclusão b) Verificar quais são as linhas em que os valores lógicos das premissas são verdadeiros. Destacá-las. c) Se nas linhas em que VL(Pi)=V, VL(C)=V, o argumento é válido; Se em ao menos numa linha o VL(C)=F, o argumento é inválido
P V V F F Q V F V F P1: P→Q V F V V P2: ~P F F V V C: ~Q F V F V

SEMPRE MONTAR TABELA: pessoas → linhas; objetos → colunas TIPO 1: “Artur, Bernardo e César; Brasília, Parati e Santana; Cores cinza, verde e azul. Carro Artur: cinza; Carro César: Santana. Carro Bernardo: não é verde e não é Brasília. As cores dos carros são:”  Após descobrir o que pertence a quem, cancelar outras linhas/colunas. TIPO 2: há quem diz a verdade, mente e quem diz os 2. “Ana, Maria e Cláudia; Vestidos: azul, branco e preto; A de azul: “Ana está de Branco”; Branco: “Eu sou Maria”; Preto: “Cláudia está de Branco”; Ana sempre diz a verdade; Maria, às vezes; Cláudia, mente.”  A partir da pessoa que diz a verdade, monta a tabela como se ela estivesse falando as frases e ver se tem sentido. TIPO 3: duas frases; uma verdadeira, outra falsa “Qual a classificação de André, Beto, Caio e Dênis? 1 – André foi 1º, Beto foi 2º; 2 – André foi 2º, Denis foi 3º; 3 – Caio foi 2º, Denis o 4º” a) julgar qual é V e qual é F; ver se tem sentido. b) atribuir as frases às pessoas.

Contradição!

Há contradição! Portanto, o argumento “P→Q e ~P” é inválido! (3º) Premissas verdadeiras (testar conclusão V) a) considerar VL(Pi)=V. b) utilizar o valor lógico das premissas através das operações lógicas dos conectivos para descobrir o VL das proposições. c) Se VL(C)=V, o argumento é válido
(a) P1: P v Q = V P2: ~P = V C: Q (b) se VL(~P) = V, então VL(P) = F se VL(P v Q) = V e VL(P) = V, então VL(Q) = V (c) como VL(Q) = V, então VL(C)=V : argumento válido

5. LÓGICA DA ARGUMENTAÇÃO
Utilizado quando (observar nas premissas): 1º Diagramas 2º Tabela-Verdade 3º premissas = V
testar conclusão= V

todo, nenhum e algum No máximo duas proposições simples (deve-se sempre preferir esse método) Há proposição simples ou uma conjunção (e) conclusão: proposição simples ou disjunção (ou) ou condicional (se...então)

4º premissas = V conclusão = F

(4º) Premissas verdadeiras e conclusão falsa - mesma lógica do método anterior, só que se verifica se a conclusão apresenta um argumento inválido, ou seja, supõe-se que VL(C) = F. - se aparecer alguma contradição nas premissas, indicando um valor lógico não falso para a conclusão, então o argumento é válido.

RACIOCÍNIO LÓGICO © rocope9002@gmail.com (julho/09)

3

6. ESTRUTURAS LÓGICAS
Utilizado quando a questão dá as premissas e a conclusão é uma das alternativas.

Se não durmo, bebo. Se estou furioso, durmo. Se durmo, não estou furioso. Se não estou furioso, não bebo. Logo: P1: ~D→B ≡ ~B→D P2: Fu→D P3: D→~Fu P4: ~Fu→~B Encadeamento: Fu → D → ~Fu → ~B → D (P2 / P3 / P4 / P1) 1ª 2ª 3ª 4ª 5ª 6ª Fu V F F F F F D V V F F F F ~Fu V V V F F F ~B V V V V F F D V V V V V F Contradição! → Fu e ~Fu OK! Contradição! → D, Fu e ~Fu Contradição! → D, Fu e ~Fu Contradição! → D, Fu e ~Fu Contradição! → Fu e ~Fu

[1º TIPO] Uma das premissas apresenta somente uma forma de ser verdadeira [proposição simples ou composta tipo conjunção (P1 e P2)] Resolução: 3º Método de Validação de Argumentos a) considerar VL(Pi)=V, e descobrir os VLs das proposições simples. b) a partir dos VLs das proposições simples, encontrar qual a alternativa que traz uma proposição com VL verdadeiro. [2º TIPO] Todas as premissas possuem mais de uma forma de ser verdadeira. Há dois métodos para sua resolução 1º método: semelhante ao tipo anterior com uma especificidade. 1. considerar todas as premissas verdadeiras;

Conclusão: Não estou furioso (Fu:F), não bebo (~B:V) e dirijo (D:V)

7. CONTAGEM
(A) PERMUTAÇÃO: n elementos em n posições diferentes.

2. atribuir um valor lógico (V ou F) para uma das proposições simples; 3. substituir este valor lógico (escolhido do 2º passo) nas premissas e
verificar se está correto, ou seja, não há alguma contradição entre os resultados obtidos. 2º método: encadeamento lógico das premissas 1. modificar a segunda parte da condicional de uma premissa para que ela seja igual à primeira parte da condicional da premissa seguinte 2. feita por tentativa e erro até que se encaixe uma premissa a outra 3. montar uma tabela com tudo V e a partir da 2ª linha, adicionar um F até chegar a todas as colunas F 4. verificar se há alguma linha em que não haja contradição entre os valores lógicos das premissas (tipo P = V e ~P = V) dica: ocorre freqüentemente o encadeamento do tipo (p→q)=(~q→~p). para memorizar: “inverte e troca” (inverte a ordem e troca o sinal)

P n = n.( n − 1).(n − 2)...2.1 = n!
(B) ARRANJO: grupos de r elementos a partir de n elementos, onde a ordem importa.

Arn =

n! (n − r )!

(C) COMBINAÇÃO: grupos de r elementos a partir de n elementos, onde a ordem não é importante. Simples: cada elemento pode ser contado apenas uma vez Com Repetição: cada elemento pode ser contado + de uma vez.

C rn =

n! r!.(n − r )!

C rn =

(n + r − 1)! r!.(n − 1)!

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->