Você está na página 1de 31

FORMAÇÃO DO SISTEMA

SOLAR
Planetas e pequenos corpos do Sistema Solar
Sumário
2

 Pequenos corpos do Sistema Solar:


 Cometas

Nuno Correia 08/09


Cometas
3

 Os cometas sempre provocaram medos, respeito e


superstições. Na Antiguidade, eram interpretados
como um prenúncio de desgraça.

Nuno Correia 08/09


4

 Mas afinal, o que são estes "vagabundos" do


espaço, assim chamados muitas vezes?

Nuno Correia 08/09


5 Nuno Correia 08/09
6

 Estes astros são pequenos corpos celestes


esferoidais, constituídos essencialmente por água,
gases congelados e poeiras rochosas, com diâmetro
compreendido entre l km e 10 km;
Os cometas são constituídos por água, gases nobres, assim bem como um
cocktail de outros produtos químicos tais como silicatos, carbono e poeira
interestelar.
Um dos componentes mais intrigantes dos cometas são, os aminoácidos.

Link

Nuno Correia 08/09


7

 Estão estruturados em
três partes, sempre que
a sua órbita se
aproxima do Sol:
 umnúcleo brilhante;
 uma cabeleira;

 uma comprida cauda;

Nuno Correia 08/09


Aerogel para
apanhar poeiras
dos cometas

8 Nuno Correia 08/09


9 Importância da missão
There are many other comets some that are new visitors to our part of the Solar
System. One of them is Comet Wild 2, which did not pass close to Earth until
1974, when the power of Jupiter's gravity changed its orbit. It now travels much
closer to the sun, between Jupiter and the Earth. Because it has not been exposed
to the Sun at close range, its composition has not been altered much from its
original condition. By the time Stardust encounters it, Comet Wild 2 will have
made only five trips around the sun. By contrast, Comet Halley has passed the sun
more than 100 times, coming close enough to have been greatly altered from its
original condition.

Nuno Correia 08/09


Origem dos Cometas
10

 Em 1951, o astrónomo Gerard Kuiper sugeriu que


durante a formação do Sistema Solar teria ficado
no exterior um disco constituído por pequenos
corpos no plano do Sistema Solar e que ficou
conhecido por cintura de Kuiper. A cintura de
Kuiper situa-se de 30 a 50 UA do Sol e pode
conter mais de 500 000 objectos com mais de
30km de diâmetro.

Nuno Correia 08/09


Chuva de Estrelas
11

 Em cada passagem nas


proximidades do Sol os cometas
perdem um pouco do material
que os forma; consequentemente,
os cometas não podem resistir
indefinidamente às suas
passagens pela proximidade do
Sol, acabando por se
desagregar numa infinidade de
partículas que podem intersectar
a órbita da Terra e originar as
chamadas chuvas de estrelas.

Nuno Correia 08/09


Chuva de Estrelas

12 Nuno Correia 08/09


Sumário
13

 Pequenos corpos do Sistema Solar:


 Meteoróides

Nuno Correia 08/09


14

 Desde os tempos remotos da


Antiguidade que os homens
observam a estranha queda de
"pedras" vindas do Espaço, que,
riscando o céu de vivas cores e
luzes, chocam com o solo, partindo-
se em mil bocados e cavando
depressões chamadas crateras de
impacto.

Nuno Correia 08/09


15

 Os corpos de
dimensões variáveis
vindos do Espaço têm
o nome de
meteoróides.

Hoba West Farm in Grootfontein,


Namibia

Nuno Correia 08/09


Meteoro
16

 Durante a entrada na
atmosfera terrestre, o
meteoróide sofre
aquecimento devido
ao atrito, torna-se
incandescente e deixa
um rasto luminoso
chamado meteoro ou
estrela cadente

Nuno Correia 08/09


17 Nuno Correia 08/09
18

 Alguns dos meteoróides


que resistem ao atrito
provocado pela entrada
na atmosfera terrestre,
vaporizam-se
parcialmente e colidem
com a superfície
terrestre, formando
desta forma meteoritos.
Meteorito do Alandroal. Pt

Nuno Correia 08/09


Cratera de impacto
19

Nuno Correia 08/09


20

Nuno Correia 08/09


21

 Os efeitos luminosos e sonoros que acompanham a


queda de um meteorito podem ser espectaculares
e impressionantes. A luz é, geralmente, branca,
podendo variar para tons esverdeados,
amarelados ou avermelhados.

Nuno Correia 08/09


Classificação
22

Nuno Correia 08/09


Tipo: Férreos
Composição: Principalmente
ferro e níquel, semelhante a
alguns asteróides (tipo M).

23 Nuno Correia 08/09


Tipo: Petroférreos
Composição: Misturas de ferro e
material rochoso, como em alguns
tipos de asteróides (tipo S).

24 Nuno Correia 08/09


Tipo: Condritos
Composição: São de longe os
meteoritos mais abundantes; a
sua composição é semelhante à
do manto terrestre.

25 Nuno Correia 08/09


Tipo: Condritos-carbonáceas
Composição: Similar à dos
asteróides do tipo C.

26 Nuno Correia 08/09


Tipo: Acondritos
Composição: Semelhante aos basaltos terrestres. Quase todos os
meteoritos que se julgam originários da Lua ou de Marte são acondritos.

27 Nuno Correia 08/09


Bibliografia e Imagens
28

 http://www.ccvalg.pt/astronomia/publicacoes/met
eoros_meteoritos.htm
 DIAS, A.G e outros (2007) – Geologia 10/11.
Porto. Areal Editores

Nuno Correia 08/09


Sumário
29

 Importância do estudo dos Meteoritos

Nuno Correia 08/09


Classificação dos meteoritos
30

Nuno Correia 08/09


31 Nuno Correia 08/09

Você também pode gostar