P. 1
Conceit o

Conceit o

|Views: 3|Likes:
Publicado porDouglas Veiga

More info:

Published by: Douglas Veiga on Nov 15, 2013
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/18/2014

pdf

text

original

Sections

  • 1) Conceito
  • 2) Terminologia
  • 4) O conceito de cidadania e sua origem
  • 5) Evolução Histórica
  • 5.1) Direitos Humanos ou Direitos Fundamentais?
  • 5.2) Classificação tradicional
  • 5.2.1) Primeira geração
  • 5.2.2) Segunda geração
  • 5.2.3) Terceira geração
  • 5.2.4) Quarta geração
  • 5.2.5) O porvir dos direitos humanos
  • 6) Características
  • 7) Questões comentadas

Direitos Humanos para Polícia Rodoviária Federal Teoria & Exercícios Rafael Fernandez – Aula 00

AULA 00 Conceito, evolução histórica e características dos Direitos Humanos

Curso de Direitos Humanos e Cidadania

Rafael Fernandez
SUMÁRIO 1 Conceito 2 Terminologia A dignidade da pessoa humana e os valores da 3 liberdade, da igualdade e da solidariedade 4 O conceito de cidadania e sua origem 5 Evolução histórica 5.1 Direitos Humanos ou Direitos Fundamentais? 5.2 Classificação tradicional 5.2.1 Primeira geração 5.2.2 Segunda geração 5.2.3 Terceira geração 5.2.4 Quarta geração 5.2.5 O porvir dos direitos humanos 6 Características 7 Questões Comentadas 8 Questões de Fixação 9 Gabarito das questões de fixação PÁGINA 3 4 8 11 12 14 15 16 20 21 23 25 26 33 37 41

Rafael Fernandez

Página 1 de 41

Direitos Humanos para Polícia Rodoviária Federal Teoria & Exercícios Rafael Fernandez – Aula 00

Aula 00

Conceito, características e evolução histórica dos Direitos Humanos. Princípios Básicos para utilização da força e armas de fogo, adotado pela ONU em 07/07/1990. Código de conduta para os encarregados da aplicação da lei, adotado pela ONU pela Resolução 34/169 de 17/12/1979.

Aula 01

Aula 02

Olá caro amigo(a), seja bem-vindo(a) ao Curso de Direitos Humanos e Cidadania que vai te ajudar a garantir uma das 1.500 vagas para o próximo concurso de Agente da Polícia Rodoviária Federal. Antes de começar a estudar este agradável assunto chamado Direitos Humanos, vou aproveitar para falar um pouco sobre mim: Sou Rafael Fernandez, Oficial das Forças Armadas há 15 anos, Bacharel em Ciências Navais pela Escola Naval e pós-graduado em Direito Constitucional pela Universidade Cândido Mendes, no Rio de Janeiro. Leciono Direito Constitucional e Direitos Humanos em diversos cursos preparatórios presenciais e on-line no Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Bahia etc. Já fui aprovado em diversos concursos públicos desde que decidi entrar para a carreira pública, entre eles: Escola Naval (35º classificado para 64 vagas, 1997); Academia da Força Aérea (4º classificado para 30 vagas, 1997); Escola de Formação de Oficiais da Marinha Mercante (3º classificado de 60 vagas, 1997); Escrivão da Polícia Civil do DF (118º classificado para 120 vagas, 2008); Polícia Rodoviária Federal, MT (6º classificado na prova objetiva para 146 vagas, 2008); Oficial de Inteligência da ABIN (59º classificado na prova objetiva para

Rafael Fernandez

Página 2 de 41

Direitos Humanos para Polícia Rodoviária Federal Teoria & Exercícios Rafael Fernandez – Aula 00 160 vagas, 2008); Polícia Rodoviária Federal, RJ (7º classificado na prova objetiva para 30 vagas, 2009)... Logo, conte comigo! Um professor “concurseiro”! São 1.500 vagas e você terá a sua! Estamos juntos nessa! Este material abordará todo o conteúdo de Direitos Humanos e Cidadania previsto no edital publicado pela organizadora do último concurso da PRF, utilizando linguagem acessível e de fácil entendimento. Nosso curso mistura teoria com exercícios de diversas bancas organizadoras e ao final de cada capítulo apresentarei exercícios comentados ou gabaritados, com o objetivo de fixar os conhecimentos adquiridos durante cada aula. Também agradeço, inicialmente, a forte colaboração da Dra. Sabrina Guimarães, estudiosa das leis e profissional do Direito Privado e Empresarial, sem contudo perder sua paixão pela seara pública onde escreve em Direito Constitucional e Direitos Humanos. 1) Conceito De maneira bastante abrangente, os direitos humanos são o somatório de valores, atitudes e regras, representado por um conjunto mínimo de direitos e garantias necessárias para assegurar uma existência livre e digna a todos os seres humanos. A materialização de tais direitos acaba consolidando normas jurídicas externas e internas que representam verdadeiros instrumentos e mecanismos de proteção da pessoa humana, tais como tratados, declarações, Constituições cartas, dos convenções, e suas acordos, respectivas protocolos, legislações pactos pátrias internacionais, estatutos, regulamentos, bem como as Cartas Políticas e Estados infraconstitucionais.

Rafael Fernandez

Página 3 de 41

Direitos Humanos para Polícia Rodoviária Federal Teoria & Exercícios Rafael Fernandez – Aula 00 Por fim, resumimos como direitos inerentes à pessoa humana, independentemente de normas regulamentadoras, entre estes: vida, igualdade, liberdade e segurança pessoal. São direitos universais e indivisíveis. 2) Terminologia
Direitos do Homem: direitos inerentes a todos os seres humanos (Ex.: vida, igualdade, liberdade, segurança pessoal...).

Direitos Individuais

Direitos Fundamentais: direitos positivados em uma Constituição ou Carta Política.

Direitos Humanos: direitos positivados em tratados de direitos humanos.

Quanto à terminologia dos direitos humanos, o professor Norberto Bobbio retrata que a especificação se produz em relação aos titulares dos direitos e também com o conteúdo dos mesmos, tendo uma conexão indiscutível com sua consideração como um conceito histórico, ou seja, está inserto na cultura política e jurídica moderna. E podem alcançar o sentido do consenso que integra a moralidade tradicional do direito. Diante desta terminologia destaca-se que o referido professor italiano demonstra a impossibilidade de lidar com os direitos humanos de forma absoluta e suprema, pelo menos no que diz respeito a sua definição, ressaltando algumas dificuldades: ser um fenômeno heterogêneo e a terminologia dos direitos humanos ser extremamente vaga e uma antinomia entre os direitos invocados pelas pessoas. Logo, essa contribuição torna-se base para a democracia e para a cidadania. A questão fundamental sobre os direitos do homem, atualmente, não é justificar sua aplicação, mas protegê-los. Trata-se de um problema basicamente político.

Rafael Fernandez

Página 4 de 41

doutor da Igreja Católica. O cristianismo fortalece o ensino da igualdade quando afirma que nenhum ser humano detém mais dignidade que seus pares. os direitos humanos buscam a eficácia para a realização de objetivos. A terminologia dos direitos humanos tem seu começo na 2ª Guerra Mundial e. e limitado por este. preconizado por Norberto Bobbio. tendo como foco a tese do bem comum e de uma vida digna para todos os homens. e que ao mesmo tempo dá ênfase à dignidade do trabalho e do trabalhador. adotada pela Igreja Católica Apostólica Romana. c) Segurança Pessoal. sendo o método mais adequado o das necessidades básicas. mas que é capaz de assumir estes valores de apoio moral a ideia de direitos. Rafael Fernandez Página 5 de 41 . b) Igualdade. estando todas as pessoas em um mesmo nível. foi criada num contexto a trazer os países para uma nova concepção de relacionamento interestatal. que não a quantidade ou a qualidade da necessidade demonstrada nesta ou naquela atividade ou trabalho realizado nesta ou naquela obra”. Tal é uma das contribuições do Cristianismo para a criação de uma definição dos direitos humanos. importante estudioso para a elaboração do conceito de direitos humanos estabeleceu a definição Boeciana de pessoa. e convertê-los em valores políticos. os direitos humanos ratificam o desenvolvimento da dignidade da pessoa humana consistindo no principal direito fundamental fixado em quatro valores interdependentes: a) Liberdade. “a necessidade é um critério que satisfaz melhor que a capacidade e a qualidade das necessidades. Fruto de uma realidade cultural da vida social. metas e ações para conduzir e orientar a vida em uma dada sociedade. São Tomás de Aquino. sem quaisquer discriminações.Direitos Humanos para Polícia Rodoviária Federal Teoria & Exercícios Rafael Fernandez – Aula 00 Para a identificação desta liberdade identificamos a liberdade promocional. e d) Solidariedade ou Fraternidade. Historicamente. Relacionando-os com a realidade do poder político do Estado.

mas quando uma coisa está cima de todo o preço e. a que conhecemos nos dias atuais. é que a dignidade da pessoa humana era uma qualidade intrínseca do indivíduo irrenunciável e inalienável. sendo esta uma das principais características dos direitos humanos já em sua concepção contemporânea.Direitos Humanos para Polícia Rodoviária Federal Teoria & Exercícios Rafael Fernandez – Aula 00 Estes quatro valores supracitados prolongam a vida social dos indivíduos dando verdadeira dignidade à pessoa humana. constituindo elemento que qualifica o ser humano como tal e dele não pode ser separado. A dignidade é algo inerente a todo ser humano e dele não se desprende em nenhuma situação ou hipótese. portanto. Quando uma coisa tem preço. como qualidade integrante e irrenunciável da própria condição humana. este é o caminho da dignidade da pessoa humana. ou seja. a noção de direitos humanos expandiu-se historicamente. Caso exista universalidade em relação à terminologia dos direitos humanos. sempre dotada de universalidade e indivisibilidade. Como já estudado na aula anterior. O conceito de direitos humanos teve seu crescimento histórico de maneira sucessiva e gradual. até mesmo no pensamento clássico. portanto não permite equivalente. A ideia base que já se tinha. portanto. de tal sorte que não se pode cogitar na possibilidade de determinada pessoa ser titular de uma pretensão a que lhe seja concedida dignidade. Kant ensina que o ser humano está acima de tudo e que nele se centra o sentido de todo o sentido da existência e afirmando a qualidade peculiar e insubstituível deste ser. pode pôr-se em vez dela qualquer outra coisa equivalente. é possível entender os direitos humanos em dimensões ou gerações sucessivas que foram se Rafael Fernandez Página 6 de 41 . é dotada de universalidade. diz-nos também que no reino dos fins tudo tem um preço ou uma dignidade. Pode-se dizer que esta dignidade não se diferencia em nenhum lugar do mundo e. Esta. Em verdade. então ela tem dignidade.

não deve se restringir à competência nacional exclusiva ou à jurisdição doméstica exclusiva. Os direitos humanos não são uma informação ou um dado. à paz e à autodeterminação dos povos. o Pós-Guerra deveria significar a sua reconstrução. sucedendo-se de outra relacionada à igualdade (direitos sociais.Direitos Humanos para Polícia Rodoviária Federal Teoria & Exercícios Rafael Fernandez – Aula 00 acumulando e aglutinado umas às outras. porque revela tema de legítimo interesse internacional. vinculada à solidariedade ou fraternidade (direito ao desenvolvimento. por exemplo). mas uma invenção. A Era dos Direitos. uma construção humana. em permanente processo de construção e reconstrução. para finalmente encontrarem sua plena realização como direitos positivos universais”. “os direitos humanos nascem como direitos naturais universais. Este processo de internacionalização dos direitos humanos constitui um movimento muito recente na história. isto é. sendo a primeira tratando sobre direitos referentes às liberdade públicas (direitos civis e políticos). Fortalece-se a ideia de que a proteção dos direitos humanos não deve se reduzir ao domínio reservado do Estado.” Rafael Fernandez Página 7 de 41 . “Se a 2ª Guerra significou a ruptura com os direitos humanos. como paradigma e referencial ético a orientar a ordem internacional contemporânea. Consoante a lição do excelso mestre italiano Norberto Bobbio. econômicos e culturais) e uma terceira. como resposta dos povos aos crimes. Nas palavras de Flávia Piovesan. desenvolvem-se como direitos positivos particulares (quando cada Constituição incorpora Declarações de Direitos). É neste cenário que se desenha o esforço de reconstrução dos direitos humanos. atrocidades e horrores praticados pelo nazismo. na obra. emergindo no pós 2ª Guerra Mundial.

não pode ser tratado como objeto nem usado como meio de obtenção de qualquer objetivo. conflitando fortemente com o pensamento predominante da época. Francisco defendeu em suas obras a universalidade da dignidade. ainda hoje. essa concepção evoluiu. por isso. Todavia. propôs a teoria do imperativo categórico: o homem é um fim em si mesmo e. deverá ter o entendimento que seus súditos e cidadãos têm o direito de agir livremente e determinar-se conforme sua razão e entendimento. a dignidade é tema que serviu de reflexão para diversos pensadores em todo o mundo. Vejamos as contribuições de alguns filósofos e pensadores ao longo da história: Pensador São Tomás de Aquino Pico Della Mirandola Contribuição Fixou-se na abordagem teológica e ainda na Idade Média foi o principal pensador a dedicar-se ao assunto. Pensador alemão. escreveu Oratio hominis dignitate (Discurso sobre a Dignidade do Homem) desenvolvendo o princípio da dignidade fora da visão teológica. pois os escravos (geralmente indivíduos de povos derrotados em guerras ou batalhas) não eram considerados titulares ou destinatários do princípio da dignidade. Contudo. que no século XVII.Direitos Humanos para Polícia Rodoviária Federal Teoria & Exercícios Rafael Fernandez – Aula 00 3) A dignidade da pessoa humana e os valores da liberdade. que no século XVIII. até então predominante. De nacionalidade espanhola e quase contemporâneo Mirandola. é um dos livros mais importantes para a definição de conceitos jurídicos modernos. Filósofo alemão. Florentino. Francisco de Vitória Samuel Pufendorf Immanuel Kant Rafael Fernandez Página 8 de 41 . Sua principal obra foi Os Índios e o Direito da Guerra. que. como a servidão . ou seja. na Grécia antiga. inclusive um monarca. defendeu que todos devem respeitar a dignidade da pessoa humana. o conceito de dignidade era relativo. Entre suas obras mais importantes está a Crítica da Razão Pura. todos os seres humanos seriam dotados e teriam direito à dignidade decorrendo. que a escravidão era um crime. mesmo os mais pobres e hipossuficientes. da igualdade e da solidariedade. que aproximadamente em 1490. Desde Aristóteles. consequentemente.

na Carta. (. sociais e culturais indispensáveis à sua dignidade e ao livre desenvolvimento da sua personalidade. 1948) Rafael Fernandez Página 9 de 41 .. foram os nazistas com as barbáries cometidas durante a 2ª Guerra Mundial. tem direito à segurança social e à realização. e a que se acrescentarão. da justiça e da paz no mundo. como membro da sociedade.. pela cooperação internacional e de acordo com a organização e recursos de cada Estado. em 10 de dezembro de 1948. dos direitos econômicos. assim como à sua família.) Artigo XXII Toda pessoa. sua fé nos direitos humanos fundamentais.. se necessário. da Declaração Universal dos Direitos Humanos.) Artigo I Todas as pessoas nascem livres e iguais em dignidade e direitos.. em Paris. os responsáveis diretos pela promulgação.) Artigo XXIII (. “Preâmbulo Considerando que o reconhecimento da dignidade inerente a todos os membros da família humana e de seus direitos iguais e inalienáveis é o fundamento da liberdade.Direitos Humanos para Polícia Rodoviária Federal Teoria & Exercícios Rafael Fernandez – Aula 00 Ironicamente.. pela Organização das Nações Unidas. uma existência compatível com a dignidade humana.. (. que lhe assegure.) 3. (.. São dotadas de razão e consciência e devem agir em relação umas às outras com espírito de fraternidade.. ” (Declaração Universal dos Direitos Humanos.. e que decidiram promover o progresso social e melhores condições de vida em uma liberdade mais ampla.) Considerando que os povos das Nações Unidas reafirmaram. (. que estudaremos adiante em momento oportuno. Toda pessoa que trabalhe tem direito a uma remuneração justa e satisfatória.. outros meios de proteção social. pelo esforço nacional. na dignidade e no valor da pessoa humana e na igualdade de direitos dos homens e das mulheres.

Etimologicamente. ou seja.o pluralismo político. tal princípio. em 1215. que por sua vez.)” Por fim.a dignidade da pessoa humana. dignidade vem do latim dignitate. cabe ressaltar que alguns autores. defendem 1 Magna Carta Libertatum Concordiam inter regem Johannen at barones pro concessione libertatum ecclesiae et regni angliae (Carta magna das liberdades ou Concórdia entre o Rei João e os Barões para a outorga das liberdades da Igreja e do rei inglês).a cidadania III . que quer dizer honra ou virtude. os jusfilósofos e juristas começaram a consolidar o princípio da dignidade da pessoa humana. enquanto Poder Público. formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal.Direitos Humanos para Polícia Rodoviária Federal Teoria & Exercícios Rafael Fernandez – Aula 00 Após breve retrospectiva histórica. IV .a soberania.. entre eles Paulo Hamilton Siqueira Júnior e Miguel Augusto Machado de Oliveira. é objeto de estudo da Filosofia do Direito.os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa. estes na concepção conforme já vista anteriormente. A partir da Magna Carta1 inglesa. constitui-se em Estado Democrático de Direito e tem como fundamentos: I . tal valor está gravado constitucionalmente como princípio fundamental já no artigo 1º do Texto Magno de 1988. II . sendo a dignidade um valor ou bem em si mesma. em que é obrigação do Estado. No caso brasileiro. V . in verbis: “Art. tem-se que a dignidade da pessoa humana nada mais é do que um dos princípios que constituem um grande conjunto de princípios formadores dos Direitos Humanos. 1º A República Federativa do Brasil.. Rafael Fernandez Página 10 de 41 . garantir através de meios efetivos e condições mínimas de existência uma vida digna para todo indivíduo. (. são direitos naturais não positivados em Constituições ou ordenamentos pátrios embora já possam estar presentes em tratados ou convenções internacionais firmados entre Estados diversos.

não excluindo. e também cria obrigações para ele em relação à sociedade em que vive. “a cidadania expressa um conjunto de direitos que dá à pessoa a possibilidade de participar ativamente da vida e do governo de seu povo. Conforme Dalmo Dallari. na democracia. a contrapartida de deveres. A concepção de cidadania sempre esteve vinculada à ideia de direitos e garantias. submetendo-o ao poder de império do Estado. e que na Roma antiga indicava a condição política de uma pessoa (excetuando mulheres. Quem não tem cidadania está marginalizado ou excluído da vida social e da tomada de decisões. que no nosso caso convencionamos denominar “povo”. os direitos de determinado indivíduo são assegurados a partir da execução dos deveres dos demais componentes desta “massa cidadã”. a destinação de direitos pressupõe. através do sufrágio ou de inúmeros instrumentos diretos de democracia colocados à disposição do cidadão. Etimologicamente. escravos. de ter acesso a cargos e funções públicas por concurso público ou aqueles de livre nomeação. 4) O conceito de cidadania e sua origem Cidadania seria o conjunto de direitos e deveres que permite que o indivíduo tome parte na gestão pública.Direitos Humanos para Polícia Rodoviária Federal Teoria & Exercícios Rafael Fernandez – Aula 00 que a dignidade da pessoa humana é o mais importante fundamento constitucional do Estado brasileiro. a possibilidade. automaticamente. também. “cidadania” é uma expressão originária do latim civitas . crianças e outros) e seus direitos e deveres para com o Império Romano. Rafael Fernandez Página 11 de 41 . gerir politicamente seu país. por exemplo. Contudo. ficando numa posição de inferioridade dentro do grupo social”. ou seja. que permitem ao indivíduo participar direta e/ou indiretamente da coisa pública. uma vez que em uma coletividade. fazendo referência ao homem habitante da cidade. especialmente dos direitos políticos (1ª geração).

Logo. 5) Evolução Histórica Podemos apontar a origem dos direitos individuais do homem na antiguidade. previa comumente a todos os homens. o Código de Hammurabi (1690 a. Exemplificando o parágrafo anterior.. Futuramente. passando a compreender o rol de valores sociais que pressupõem todos os direitos e deveres do cidadão. mas ainda na Grécia antiga. No decorrer da história. abdicou de sua realeza. esta concepção foi estendida. o direito a vida.C. por conseguinte. e propagou a mensagem de igualdade entre todos os homens. Buda (500 a. a defesa de um direito natural superior e anterior às leis escritas e estabelecidas pela sociedade e pelo Estado. onde surgiram instrumentos de proteção individual em relação ao poder político do Estado. a partir do momento que o homem resolveu se organizar como tal. emergiram diversos estudos sobre a necessidade da liberdade e igualdade do ser humano.C. reconhecido por alguns historiadores como a primeira codificação a estabelecer um rol de direitos humanos. como o príncipe Siddhartha Gautama. aquele que habitava na cidade e tomava parte das questões políticas.C. dignidade. estabelecendo inclusive. Rafael Fernandez Página 12 de 41 .Direitos Humanos para Polícia Rodoviária Federal Teoria & Exercícios Rafael Fernandez – Aula 00 O conceito de cidadania originou-se na Grécia clássica. honra. cidadania pressupunha as implicações originadas da vida em grupo. A cidadania sempre esteve em constante desenvolvimento e é um dos parâmetros de referência das conquistas feitas pela humanidade desde a antiguidade até agora. precisamente entre 1000 e 2000 anos a. destacando a importância conferida à participação política dos cidadãos (democracia direta de Péricles). até então aplicado para indicar os direitos inerentes ao cidadão. família.). a supremacia das normas em relação ao Estado e seus governantes. na Mesopotâmia e no antigo Egito. propriedade.).

assinada pelo rei “João Sem Terra”. A positivação dos direitos humanos iniciou-se ao final do século XVIII. em um primeiro instante. 421 ou 422 a. em relação às Rafael Fernandez Página 13 de 41 . exigiu-se do Estado a omissão. marcado indelevelmente pela Revolução Francesa. O surgimento dos direitos humanos ocorre pela necessidade de limitar o poder e autoridade do Estado. na tragédia grega Antígona (Sófocles. ou seja. E foi no Direito Romano que nasceram instrumentos capazes de tutelar os direitos do indivíduo em sua relação vertical com o Estado. limitando os poderes monárquicos. sendo esta última uma das declarações de direitos feitas pelos Estados estadunidenses. que podemos nominar como liberdades negativas. Resumindo. emergindo como uma tutela às liberdades individuais frente aos abusos e ilegalidades perpetrados pelo poder estatal e sua ingerência abusiva na esfera particular. Logo. em muito patrocinado pelo avanço e domínio dos romanos. que propagou o pensamento de igualdade entre os homens. ao assumirem sua independência frente à coroa britânica.Direitos Humanos para Polícia Rodoviária Federal Teoria & Exercícios Rafael Fernandez – Aula 00 defendida por sofistas e estoicos. e a Virginia Bill of Rights de 1776 (Declaração de Direitos da Virgínia). Contudo. originando a Déclaration dês Droits de l’Homme et du Citoyen (Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão) de 1789. em que consideramos a Lei das Doze Tábuas a gênese escrita onde se consagra a liberdade. garantiu poder político aos barões e homens livres. um não fazer (abstenção) em relação às liberdades individuais. independentemente de suas diferenças. como por exemplo. Não se esquecendo do papel do Cristianismo e sua influência direta. que mesmo não visando criar um campo irredutível de liberdades individuais. a propriedade e a proteção dos direitos do cidadão. alguns autores indicam como marco inicial dos direitos humanos a Magna Cartha Libertatum inglesa de 1215.). a necessidade de obrigar o Estado a criar um comportamento de abstenção (não fazer). direitos negativos ou direitos de defesa.C.

1) Direitos Humanos ou Direitos Fundamentais? Embora direitos humanos e direitos fundamentais sejam expressões utilizadas. a segurança. prestações positivas do poder público em benefício do indivíduo. a previdência social. 5.Direitos Humanos para Polícia Rodoviária Federal Teoria & Exercícios Rafael Fernandez – Aula 00 liberdades individuais. positivação esta que seria característica marcante dos direitos fundamentais. a assistência aos desamparados. ou seja. fez nascer os direitos humanos. na forma desta Constituição. quando o indivíduo e a coletividade passaram a exigir uma atuação comissiva do poder estatal. econômicos e culturais -. porque são garantidos na proporção em que Rafael Fernandez Página 14 de 41 . na maioria das vezes. a proteção à maternidade e à infância. a alimentação. e já materializados pelo Direito de cada Estado. a moradia. conforme noticia o artigo 6º da Constituição Federal. O termo direitos humanos deve ser resguardado para as reinvindicações e direitos primários do homem. observou-se uma mudança de ângulo nos direitos humanos. como sinônimas. o lazer. baseados no jusnaturalismo e possuidores de caráter filosófico. com o reconhecimento da sua segunda dimensão ou “geração” – direitos sociais. desprovidos de positivação num ordenamento jurídico específico. no século XX. Já o termo direitos fundamentais é indicado para referenciar os direitos e garantias relacionadas às pessoas. nos seguintes termos: São direitos sociais a educação. Tal termo também é utilizado para indicar pretensões de reconhecimento da dignidade da pessoa humana. contidas em instrumentos e mecanismos de direito internacional. há diferenças entre elas e cabe-nos aqui fazer esta distinção. aumentando o domínio da autonomia do indivíduo em sua relação vertical com o Estado. a saúde. o trabalho. Adiante. Seriam direitos que já produzem efeitos em um ordenamento jurídico específico e já são assegurados tanto na ordem espacial quanto temporal.

Contudo. o que importaria o fim de uma linhagem em benefício do surgimento de outra. em sua maioria.2) Classificação tradicional Há classificações e mais classificações dos direitos humanos. Curso de Direito Constitucional Positivo. como por exemplo. uma parcela dos autores não distingue direitos humanos de direitos fundamentais. esta classificação tradicional em “gerações de direitos” tem sido objeto de recentes críticas. regido pelo Direito Internacional Público. 5. Rafael Fernandez Página 15 de 41 . sob os mais variados critérios2. considerando-se o momento de seu surgimento e reconhecimento pelos ordenamentos constitucionais. reconheceram. a doutrina tradicional costuma classificar os direitos humanos em “gerações”. Como dito anteriormente. primeiramente.Direitos Humanos para Polícia Rodoviária Federal Teoria & Exercícios Rafael Fernandez – Aula 00 cada Estado os normatiza internamente. é fácil imaginarmos o porquê da predileção moderna por “dimensões de direitos” uma vez que a realidade histórica dos direitos humanos indica a simultaneidade ou concomitância do surgimento de documentos jurídicos referentes a direitos humanos. seja de primeira ou segunda dimensão. de uma ou outra espécie. o surgimento da Organização Internacional 2 José Afonso da Silva. tratando-os como sinônimos e semelhantes. os direitos civis e políticos (primeira dimensão) para ulteriormente constitucionalizarem os direitos sociais (segunda dimensão) enquanto que no campo internacional. principalmente por intermédio de Cartas Políticas e Constituições. Se as gerações traduzem o conceito de sucessão. diz-nos José Afonso da Silva. Todavia a doutrina moderna optou pela nomenclatura “dimensão de direitos”. Entre os mais diversos critérios. pois as Constituições nacionais. haja vista o termo “geração” torna-se impróprio quando analisamos todo o processo histórico de surgimento e desenvolvimento dos direitos humanos. a falta de sincronia existente entre os ordenamentos jurídicos internos dos países e o Direito Internacional Público.

são liberdades negativas onde o Estado deve permanecer no campo do não fazer ou da não interferência (omissão). 5. à segurança. Tratam-se de direitos de oposição diante da abusividade do poder estatal. e preencheram todo o século XIX. criou bases para o surgimento de diversos tratados e convenções normatizando os direitos sociais dos trabalhadores (segunda dimensão). Como exemplos de direitos de primeira dimensão: vida. a partir da urgência da não intervenção opressora do Estado absoluto no campo particular do indivíduo. são direitos humanos de primeira dimensão aqueles inspirados nas doutrinas iluministas e do jusnaturalismo racional. liberdades negativas ou direitos de defesa do particular contra o poder político estatal. São as liberdades públicas. Surgiram no final do século XVIII. em 1919. liberdade de expressar o pensamento. cujo pensamento influenciou as revoluções burguesas dos séculos XVII e XVIII. Denominam-se direitos negativos. como os direitos políticos e civis. ou seja. preocupando-se em delimitar fronteiras para as ações dos poderes públicos em benefício do indivíduo. haja vista os direitos de segunda dimensão somente vieram a se desenvolver no século XX. os direitos civis e políticos (primeira dimensão) foram internacionalizados. liberdade. propriedade. Materializam os instrumentos de defesa das liberdades individuais. reconhecidos na Revolução Francesa e Estadunidense. à propriedade e à liberdade. como oposição do liberalismo ao absolutismo.Direitos Humanos para Polícia Rodoviária Federal Teoria & Exercícios Rafael Fernandez – Aula 00 do Trabalho (OIT). segurança. por exemplo. e só. tornando sua matéria um privilégio para o ser humano abstrato ou descontextualizado.1) Primeira geração Traduzindo o valor de liberdade.2. circunscrevendo uma área de não intervenção do Estado perante a independência e autonomia do indivíduo. o direito à vida. posteriormente. e as liberdades clássicas como. liberdade Rafael Fernandez Página 16 de 41 .

podemos citar: a) Magna Cartha Libertatum (15 de junho de 1215). instituído no reinado de Carlos II na Inglaterra. os privilégios dos barões e os direitos dos homens livres. tal mecanismo já se encontrasse existente no Direito romano (interdictum de libero homine exhibendo). liberdade de reunião. empréstimo ou benevolência e a pagar qualquer taxa ou imposto. liberdade para entrar e sair do país e livre acesso à Justiça. Entre diversos outros direitos e garantias. inviolabilidade de domicílio. requeria o reconhecimento de direitos e liberdades para os súditos e previa. Entre os documentos históricos que mais contribuíram para o surgimento e a configuração dos direitos humanos de primeira dimensão. b) Petition of Rights3 (1628). O Habeas Corpus Amendment Act normatizou o referido remédio que já existia na common law e entre outras previsões de 3 4 Petição dos Direitos. foi uma das maiores conquistas da liberdade individual em face do Estado como remédio judicial destinado a evitar ou a fazer cessar violência ou a coação na liberdade de locomoção. firmada pelo rei inglês “João Sem-Terra”. proporcionalidade entre o delito cometido e a sanção a ser aplicada pelo poder público. liberdade da Igreja da Inglaterra. c) Habeas Corpus Amendment Act4 (1679). a Magna Cartha estabelecia: limitações tributárias para o Estado. que nenhum homem livre ficasse sob prisão ou detido ilegalmente e que ninguém seria obrigado a contribuir com qualquer dádiva. foi feita para proteger. entre outros direitos. sem o consentimento de todos. manifestado por ato do Parlamento. essencialmente. mesmo embora.Direitos Humanos para Polícia Rodoviária Federal Teoria & Exercícios Rafael Fernandez – Aula 00 de crença religiosa. liberdade de locomoção. previsão do devido processo legal. Emenda de Habeas Corpus Rafael Fernandez Página 17 de 41 . por ilegalidade ou abuso de poder. liberdade de locomoção etc. associação política.

tal qual defendeu Charles Louis de Secondat Montesquieu em L’Esprit des lois (1748). eleição Parlamento. um enorme avanço no que tange à declaração de direitos. o cidadão que já tivesse obtido a ordem de soltura. criação do direito de petição. Temia-se a subordinação de um Poder ao outro e visava reforçar a separação dos poderes. d) Bill of Rights5 (13 de fevereiro de 1689). esta. o fortalecimento do princípio da legalidade. e) Act of Settlement6 (12 de junho de 1701). membros prevendo. em seu item de número IX. imunidades parlamentares. constituiu um importante documento histórico na 5 6 Declaração de Direitos Ato de Regulamentação Rafael Fernandez Página 18 de 41 . cerceava a liberdade de crença religiosa e promovia indiretamente uma “perseguição” protestante em detrimento dos cidadãos católicos. indubitavelmente. vedação à aplicação de penas cruéis e convocação periódica do Parlamento. Basicamente. do por exemplo. decorrente da abdicação do rei Jaime II e outorgada pelo Príncipe de Orange. Apesar da Bill of Rights ter constituído. submetendo enormemente a autoridade liberdade real de à soberania dos popular. foi um ato regulamentador que reafirmou o princípio da legalidade e da responsabilização política dos agentes públicos. efetivou o surgimento da Monarquia Constitucional na Inglaterra. inclusive prevendo a possibilidade de impeachment dos magistrados. proibia que fosse escolhido pela Câmara dos Comuns (Poder Legislativo) algum indicado que tivesse cargo ou recebesse proventos do monarca (rei ou rainha) ou que fosse pensionista da coroa. f) Virginia Bill of Rights (16 de junho de 1776). estabelecia até multa de £500 para o indivíduo que tornasse a prender. juntamente com a Declaração de Independência dos Estados Unidos da América e a sua primeira Constituição.Direitos Humanos para Polícia Rodoviária Federal Teoria & Exercícios Rafael Fernandez – Aula 00 direitos e garantias. pelo mesmo fato.

influenciando todo o movimento de positivação de tais direitos. Rafael Fernandez Página 19 de 41 . esta última na Seção XVI da declaração. declarou a limitação do poder político do Estado frente as liberdades individuais. propriedade. que aconteceu nas democracias do Ocidente. à liberdade. vedação à aplicação de penas cruéis ou aberrantes e inviolabilidade de domicílio. liberdade de crença religiosa. o princípio do juiz natural e a liberdade religiosa. entre os direitos e garantias mais importantes declarados estão: princípio da legalidade. o júri popular. inegavelmente. associação política. h) Constituição dos Estados Unidos da América e suas emendas (17 de setembro de 1787). e à propriedade. júri popular. Objetivou proteger o homem em face do Estado. devido processo legal. princípio da presunção de inocência. segurança. produzida quase que inteiramente por Thomas Jefferson. i) Déclaration dês Droits de l’Homme et du Citoyen7 (26 de agosto de 1789). o mais importante estatuto de reconhecimento dos Direitos Humanos. livre manifestação do pensamento e o direito de resistência à opressão e tem como pressuposto o conceito de cidadão. promulgada pela Assembleia Nacional com dezessete artigos. bem como na Declaração Universal dos Direitos Humanos de 1948. princípio da igualdade. Outros direitos humanos foram expressos na declaração. 7 Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão. liberdade de crença religiosa. a liberdade de imprensa. Objetivou proclamar o direito à vida. g) Declaração de Independência dos Estados Unidos da América (4 de julho de 1776).Direitos Humanos para Polícia Rodoviária Federal Teoria & Exercícios Rafael Fernandez – Aula 00 evolução dos direitos humanos. apresenta verdadeiro breviário do Constitucionalismo. princípio da reserva legal e anterioridade em matéria penal. visou limitar o Estado consagrando a separação dos poderes e direitos humanos: ampla defesa. Representa. liberdade. o devido processo legal. como o princípio da legalidade.

como os sociais.Direitos Humanos para Polícia Rodoviária Federal Teoria & Exercícios Rafael Fernandez – Aula 00 5. na Alemanha. decorrentes das péssimas e precárias condições trabalhistas e humanitárias em que se encontrava o proletariado. que buscaram reivindicações de cunho trabalhista e assistencial. referentes aos direitos de igualdade. através da intervenção positiva do Estado. próprios dos seres humanos.2) Segunda geração A segunda dimensão trata dos direitos referentes à igualdade. ao contrário do estabelecimento da igualdade formal. concretas e objetivas. observamos o início do século XX ser marcado pela Primeira Guerra Mundial e pelo reconhecimento dos direitos sociais. além de outros textos. Comprovamos essa forte presença de direitos sociais no Tratado de Versalhes (1919) e na Constituição de Weimar (1919). Tais condições de trabalho contribuíram para a eclosão de movimentos como o Cartista na Inglaterra.2. Tal dimensão. que surgiram impulsionados e inspirados pelos movimentos sociais e pela primeira Revolução Industrial na Europa do século XIX. São liberdades positivas. Correspondem estatal. assegurados são pela implementação de serviços e políticas públicas. aos direitos de participação Logo. e a Comuna de Paris (1848). para sua efetiva concretização. em prol do indivíduo concreto e situado. pois conduzem indivíduos materialmente desiguais aos conteúdos dos direitos através de instrumentos do Estado presente e intervencionista. Logo após. Realçou a lenta passagem do Estado liberal (individualista) para o Estado social. relacionada ao século XX. voltado para a tutela de direitos e garantias dos hipossuficientes e na busca da igualdade material entre os indivíduos. reais. Reclamam a igualdade material. econômicos e culturais. comporta direitos coletivos. como se garantiu no Liberalismo. exigindo-se do poder prestações sociais positivas. denominados Rafael Fernandez Página 20 de 41 . que são o cerne da segunda dimensão.

proteção à maternidade e à infância etc. trabalho. 5. positivo (atuação) ou negativo (omissão). previstos nos artigos 8º e 9º da Constituição Federal de 1988. Entre alguns exemplos de direitos de segunda dimensão. direitos do bem-estar ou direitos dos desamparados. há que se destacar: saúde. impedindo a interferência autoritária e abusiva do poder estatal no campo individual. fazendo-se necessário avaliar a essência da finalidade do mecanismo ou instituto que estabeleceu determinado direito social. assistência social. os direitos sociais (negativos ou positivos) têm em seu cerne a urgência da promoção de igualdade material ou substantiva. os difusos e os coletivos. enquanto os direitos individuais são aqueles que tutelam as liberdades públicas. Os direitos de terceira dimensão consagram o princípio da solidariedade ou fraternidade e emergem no instante em que a sociedade necessita fortalecer seus conceitos de preservação ambiental Rafael Fernandez Página 21 de 41 . Temos como melhores exemplos desses direitos. Há também direitos sociais negativos. Logo. respectivamente. Então. lazer. ou seja.2. moradia.3) Terceira geração dos denominados contempla “direitos direitos humanos globais”. habitação. direitos positivos. como o direito à liberdade sindical e de greve. a e Cuidando terceira dimensão metaindividuais supraindividuais materializando poderes de titularidade coletiva atribuídos genericamente a todas as formações sociais. Todavia. alimentação.Direitos Humanos para Polícia Rodoviária Federal Teoria & Exercícios Rafael Fernandez – Aula 00 liberdades positivas. nem todos os direitos humanos de segunda dimensão são liberdades ou direitos positivos. educação. através da interferência do Estado em defesa dos hipossuficientes. poderemos ser levados a erro. se utilizarmos o critério de natureza do Estado. previdência social.

busca atingir valores e princípios universais. consumo de massa. Rafael Fernandez Página 22 de 41 . O indivíduo e a coletividade começam a reclamar para si e para as gerações futuras o direito a um meio ambiente sadio8. A sociedade encontra-se marcada por grandes mudanças e novas preocupações na ordem mundial. pois não se destina apenas à proteção de interesses individuais. crescente desenvolvimento científico e tecnológico. mas reflete temas destinados à coletividade como um todo. à busca pela paz.Direitos Humanos para Polícia Rodoviária Federal Teoria & Exercícios Rafael Fernandez – Aula 00 e das dificuldades que envolvem a proteção do mercado consumidor. A terceira dimensão. ao progresso. a uma qualidade de vida saudável. além de fortemente humanizada. 9 Liberdade. 225 da CF/1988 (Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado. ao desenvolvimento econômico sustentável. Igualdade e Fraternidade. sustentabilidade etc. à proteção do consumidor e a outros direitos difusos que são os interesses de classes menos determinadas de indivíduos. a normatização das regras de mercado. por exemplo. crise econômica internacional. como globalização. sendo que entre eles não existe vínculo jurídico ou fático. Egalité e Fraternité9. segunda e terceira dimensões: Liberté. impondose ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações) prevê um direito tipicamente de terceira dimensão. não poluído e equilibrado. bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida. 8 O caput do art. É muito interessante notar a presença da tríade iluminista como núcleo da esfera de proteção dos direitos humanos de primeira. englobando tanto a atual sociedade quanto as gerações futuras. nem de grupos específicos ou de um espaço temporal fixo e determinado. à autodeterminação dos povos.

a defesa do consumidor. trabalho. ao progresso. Reais ou Concretas Estado Social Direitos Sociais. este tema ainda é desprovido de consenso entre os principais autores de Direito Constitucional e Direitos Humanos no que diz respeito aos direitos e garantias tutelados com exatidão por essas duas novas dimensões de direitos humanos. segurança pessoal. a comunicação.4) Quarta geração Atualmente. Clássicas ou Formais Estado Liberal Direitos Civis e Políticos Direito a vida. ao desenvolvimento.. lazer.. liberdade.Direitos Humanos para Polícia Rodoviária Federal Teoria & Exercícios Rafael Fernandez – Aula 00 Classificação Tradicional dos Direitos Humanos 1a Geração ou Dimensão 2a Geração ou Dimensão Princípio da Igualdade Princípio da Liberdade Liberdades Negativas. muito se debate sobre o reconhecimento da 4ª e da 5ª dimensão de direitos humanos em complemento as três primeiras e tradicionais dimensões supracitadas. previdência social. 3a Geração ou Dimensão Princípio da Fraternidade ou Solidariedade Direitos universais de titularidade coletiva Direitos Coletivos Difusos e Direito a um meio ambiente sadio e equilibrado. a 4ª dimensão advém dos avanços tecnológicos alcançados na Rafael Fernandez Página 23 de 41 . propriedade. 5. alimentação. a paz. Econômicos e Culturais Direito a saúde... educação. Contudo. assistência aos desamparados. moradia.. De acordo com uma visão conservadora de Norberto Bobbio.. Liberdades Positivas.2.

10 Norberto Bobbio. para que a sociedade aberta ao futuro seja materializada. maximizando a universalização.10 A 4ª dimensão também trataria de direitos relativos à biossegurança. referentes aos efeitos cada vez mais traumáticos da pesquisa biológica.Direitos Humanos para Polícia Rodoviária Federal Teoria & Exercícios Rafael Fernandez – Aula 00 engenharia genética.. em função da manipulação do patrimônio genético. já se apresentam novas exigências que só poderiam chamar-se de direitos de quarta geração. por exemplo. à biotecnologia e à bioengenharia. e deliberando sobre vida e morte. sempre pressupondo um debate ético-prévio a exemplo do julgamento da ADI-3510/DF proposta pelo Procurador-Geral da República sobre a inconstitucionalidade do artigo 5º da Lei de Biossegurança (Lei 11. Rafael Fernandez Página 24 de 41 . A era dos direitos. ensina que a 4ª dimensão tutela o direito à democracia. A consolidação desta dimensão faz-se de extrema necessidade e irreversibilidade para que se estabeleçam as bases jurídicas dos avanços tecnológicos no campo da engenharia genética e suas fronteiras constitucionais. Já Paulo Bonavides.105/2005). o direito à informação e o direito ao pluralismo jurídico.. quando coloca em risco a própria existência humana. Conforme Bobbio: “. que permitirá manipulações do patrimônio genético de cada indivíduo”.

2008) que o jurista e constitucionalista Paulo Bonavides fez alusões expressas à 5ª dimensão dos direitos humanos fundamentais colocando-os no campo do direito à paz embora suas doutrinas já tivessem situado a busca pela paz na seara dos direitos de 3ª dimensão.Direitos Humanos para Polícia Rodoviária Federal Teoria & Exercícios Rafael Fernandez – Aula 00 4a Geração ou Dimensão dos Direitos Humanos Norberto Bobbio Paulo Bonavides A 4a dimensão advém dos avanços tecnológicos alcançados na engenharia genética. em função da manipulação do patrimônio genético. 5. para que a sociedade aberta ao futuro seja materializada. haja vista alguns têm associado os direitos de 5ª dimensão aos direitos provenientes da realidade virtual. já se apresentam novas exigências que só poderiam chamar-se de direitos de quarta geração. o direito à informação e o direito ao pluralismo jurídico. Bonavides difere de outros autores.2. quando coloca em risco a própria existência humana. Rafael Fernandez Página 25 de 41 . “. maximizando a universalização..5) O porvir dos direitos humanos Não obstante já se falar na recente e polêmica 4ª dimensão dos direitos fundamentais. 2006) além do 2º Congresso Latino-Americano de Estudos Constitucionais (Fortaleza/CE. A 4a dimensão tutela o direito à democracia.. que permitirá manipulações do patrimônio genético de cada indivíduo”. presenciou-se no 9º Congresso Ibero-Americano e no 7º Simpósio Nacional de Direito Constitucional (Curitiba/PR. Neste aspecto. referentes aos efeitos cada vez mais traumáticos da pesquisa biológica.

ainda que não individualistas. Inalienabilidade Tanto a título gratuito quanto oneroso. Direitos humanos não desaparecem pelo decurso do tempo e o exercício de grande parte dos direitos do homem ocorre só no fato de existirem reconhecidos na ordem jurídica. Rafael Fernandez Página 26 de 41 . 6) Características Imprescritibilidade Somente os direitos de caráter econômico-patrimonial poderiam ser atingidos pelo instituto jurídico da prescrição e não a exigibilidade dos direitos personalíssimos.Direitos Humanos para Polícia Rodoviária Federal Teoria & Exercícios Rafael Fernandez – Aula 00 Longe de haver consenso. como é o caso dos direitos do homem. a maioria dos tradicionais constitucionalistas ainda não aborda a 4ª nem a 5ª dimensão em suas obras. Se a ordem constitucional os confere a todos. Considerando que. se são sempre exercíveis e exercidos. deles não se pode desfazer. não há intercorrência temporal de não exercício que fundamente a perda da exigibilidade pela prescrição. porque são indisponíveis. conforme os apontamentos de José Afonso da Silva. tais direitos são intransferíveis e inegociáveis. porque não possuem conteúdo econômico-patrimonial. o que nos faz pensar que tais matérias ainda necessitam de tempo para amadurecer até que se tornem temas pacíficos.

Historicidade Direitos humanos são históricos como quaisquer direitos. o que nos conduz a debates doutrinários polêmicos e importantes como a renúncia ao direito à vida e a eutanásia. os direitos humanos são muito anteriores a era cristã. Eles apareceram na antiguidade. civil e Rafael Fernandez Página 27 de 41 . porque enquanto esta protege o direito contra o seu próprio titular aquela consiste na violação de direitos por parte de terceiros. Inviolabilidade Trata-se desrespeitados administrativa. sob pena de responsabilização penal.Direitos Humanos para Polícia Rodoviária Federal Teoria & Exercícios Rafael Fernandez – Aula 00 Irrenunciabilidade Os direitos humanos são irrenunciáveis. contudo alguns deles podem deixar de ser exercidos. com o decorrer das eras e gerações até a chegada aos dias atuais. da pela impossibilidade legislação de não serem ou observados por atos ou das infraconstitucional autoridades públicas. A banca CESPE/UnB considera que direitos humanos ou direitos fundamentais podem ser renunciados ou autolimitados desde que tal renúncia ou autolimitação não lese ou ameace de lesão a dignidade da pessoa humana. mas na verdade. Alguns autores defendem que eles surgiram com o cristianismo. evoluindo e sempre se ampliando. Faz-se importante registrar que a inviolabilidade não se confunde com a irrenunciabilidade. Nascem. passando pelas diversas revoluções. modificam-se e desaparecem. mas seria inadmissível sua renúncia. o suicídio e o aborto.

deverão ser conjugados levando em consideração a regra da máxima observância dos direitos humanos fundamentais envolvidos com a mínima restrição possível. Limitabilidade ou Relatividade Desprovidos de caráter absoluto (relatividade). por exemplo. pesquisar e divulgar o pensamento. Direitos humanos não são absolutos!!! Concorrência Podem ser exercidos cumulativamente. a arte e o saber ). nacionalidade ou quaisquer outras formas de discriminação. da Constituição Federal de 1988 (O ensino será ministrado com base nos seguintes princípios: (. procedência nacional. sexo.. 206. Os maneira indiscriminada. etnia.: direito de propriedade versus desapropriação). 11 O poder de cátedra do docente compreende a liberdade para expressar sua opinião acerca do conteúdo transmitido consoante o art.Direitos Humanos para Polícia Rodoviária Federal Teoria & Exercícios Rafael Fernandez – Aula 00 Universalidade Destinam-se. o professor. certo de que a solução já não venha discriminada na própria Constituição (ex. convicção política ou filosófica. crença religiosa.. direitos humanos independentemente de orientação sexual. devem a todos os seres alcançar a todos. cor. emite uma opinião (direito de opinião). pelo intérprete ou magistrado. idade. envolvidos num caso concreto em que haja confronto ou conflito de interesses.) liberdade de aprender. Rafael Fernandez Página 28 de 41 . II. transmite um conteúdo (direito de informação) e juntamente. origem. no exercício de seu poder de cátedra11. os direitos humanos. de humanos. raça. ensinar. quando.

Complementaridade Os direitos do homem não devem ser interpretados de maneira isolada. embora autônomas. logo. a promoção e garantia da dignidade da pessoa humana. a liberdade de locomoção está fortemente ligada ao habeas corpus tal qual a liberdade de expressão artística está vinculada à vedação a censura prévia. sejam sociais. Rafael Fernandez Página 29 de 41 . econômico e culturais. possuem inúmeras intersecções para atingirem seus objetivos. Indivisibilidade A indivisibilidade dos direitos humanos está associada ao maior objetivo do sistema internacional de direitos humanos. com instrumentos e mecanismos coercitivos que viabilizem seu exercício por todos os seus destinatários. pois somente há vida digna se todos os direitos materializados em uma Constituição. de forma conjunta para alcançar as finalidades do constituinte e atender os objetivos almejados. mas sempre que possível. Afirmando-se que tais direitos são indivisíveis. sejam civis e políticos. Interdependência As previsões constitucionais.Direitos Humanos para Polícia Rodoviária Federal Teoria & Exercícios Rafael Fernandez – Aula 00 Efetividade A atuação do Estado deverá ser no sentido de assegurar a efetivação dos direitos humanos. uma vez que a Carta Magna não se basta tão somente com o reconhecimento abstrato dos direitos humanos fundamentais. por exemplo. e assim por diante. diz-se que não há o meio-termo. estiverem sendo providos de efetividade.

coletivo ou geral. pois exigem uma postura positiva do poder público na sua consecução mediante a implementação de políticas sociais. entendeu pela não-recepção da Lei de Imprensa. de 1967. da justiça e da paz no mundo”. como o acesso à informação13 e a democracia participativa. 6º da Constituição Federal de 1988 (São direitos sociais a educação. a previdência social. pela atual Carta Magna. a proteção à maternidade e à infância. Inerência O primeiro parágrafo do preâmbulo da Declaração Universal dos Direitos Humanos (1948) traz que “a dignidade inerente a todos os membros da família humana e seus direitos iguais e inalienáveis é o fundamento da liberdade. a saúde. o Supremo Tribunal Federal. XIV. a alimentação. como o direito à alimentação e à moradia12 e doutra pertencem a toda coletividade. garantindo a todo indivíduo o direito público subjetivo de requerer a órgãos e entidades públicas informações de seu interesse particular. a segurança. na forma desta Constituição) traz direitos prestacionais ou de promoção para o indivíduo. 13 A garantia constitucional da liberdade de informação trazida pelo art.Direitos Humanos para Polícia Rodoviária Federal Teoria & Exercícios Rafael Fernandez – Aula 00 Individualidade e/ou Coletividade Os direitos humanos possuem a peculiaridade da individualidade e/ou coletividade e vice-versa. da Constituição Federal de 1988 (é assegurado a todos o acesso à informação e resguardado o sigilo da fonte. o lazer. uma vez que são individuais porque são portados pelo indivíduo. a moradia. quando necessário ao exercício profissional ) abrange o direito de informar. Como expressão deste direito. 5º. Rafael Fernandez Página 30 de 41 . no julgamento da Arguição por Descumprimento de Preceito Fundamental n o 130/DF. a assistência aos desamparados. visando à eliminação ou redução das desigualdades regionais e nacionais no território brasileiro. de se informar e de ser informado. e decorre do fundamento jusnaturalista de base racional adotado pelo direito internacional dos direitos humanos estabelecendo a ideia de que os 12 O art. o trabalho.

Irrenunciabilidade. mesmo que haja diferenças quanto à sua enumeração e ao modo de tutelá-los. Tais direitos independem da nacionalidade ou cidadania e são garantidos a qualquer indivíduo. Dentre as principais características apresentadas.Direitos Humanos para Polícia Rodoviária Federal Teoria & Exercícios Rafael Fernandez – Aula 00 direitos humanos são inerentes a cada indivíduo. Rafael Fernandez Página 31 de 41 . Interdependência. Transnacionalidade Os direitos humanos são reconhecidos e tutelados em todos os Estados. Indivisibilidade e Inerência. pelo simples fato de existir como ser humano. as mais cobradas pela banca Cespe são: Imprescritibilidade. Universalidade.

não se perdem com o decurso do tempo. Alguns deles podem deixar de ser exercidos. São individuais porque são portados pelo indivíduo e doutra pertencem a toda coletividade.Direitos Humanos para Polícia Rodoviária Federal Teoria & Exercícios Rafael Fernandez – Aula 00 Por fim. Os Direitos Humanos destinam-se. a todos os seres humanos. A indivisibilidade dos direitos humanos está associada a promoção e garantia da dignidade da pessoa humana. possuem inúmeras intersecções para atingirem seus objetivos. As previsões constitucionais. Os Direitos Humanos não devem ser interpretados de maneira isolada. Trata-se da impossibilidade de não serem observados ou desrespeitados pela legislação infraconstitucional ou por atos das autoridades públicas Os Direitos humanos são históricos como quaisquer direitos. mas seria inadmissível sua renúncia. Os direitos humanos são reconhecidos e tutelados em todos os Estados independem da nacionalidade ou cidadania e são garantidos a qualquer indivíduo. de forma conjunta. ou seja. Os Direitos Humanos são inerentes a cada indivíduo. de maneira indiscriminada. embora autônomas. Os Direitos Humanos são intransferíveis e inegociáveis. porque não possuem conteúdo econômicopatrimonial. INALIENABILIDADE IRRENUNCIABILIDADE INVIOLABILIDADE HISTORICIDADE UNIVERSALIDADE INTERDEPENDÊNCIA INDIVISIBILIDADE COMPLEMENTARIDADE INDIVIDUALIDADE e/ou COLETIVIDADE INERÊNCIA TRANSNACIONALIDADE Rafael Fernandez Página 32 de 41 . Os direitos humanos são irrenunciáveis. mas sempre que possível. vamos resumir as características apresentadas? CARACTERÍSTICAS IMPRESCRITIBILIDADE COMENTÁRIOS Os Direitos Humanos não prescrevem. pelo simples fato de existir como ser humano.

de 1215.DPE-MA .2011 .DPE-MA . de 1679.Defensor Público) Os direitos fundamentais podem ser restringidos tanto por expressa disposição constitucional quanto por norma infraconstitucional com fundamento na CF. como o próprio nome indica.2011 . logo não está entre os direitos humanos. (CESPE/2007/TSE/Técnico Judiciário . (CESPE .Defensor Público) A Magna Carta. (CESPE/2007/TSE/Técnico Judiciário) Os direitos e garantias individuais só podem ser invocados contra o Estado. não figuram entre os direitos humanos. um órgão que visa defender os súditos perante o rei. 3. (CESPE/2007/TSE/Técnico Judiciário .Defensor Público) A Constituição de Weimar foi o primeiro documento a afirmar os princípios democráticos na história política moderna.Adaptada) A propriedade é um direito social.2011 . serviu de modelo para a criação de outras formas de proteção das liberdades fundamentais.2011 . 6. não pode estar sujeito ao arbítrio deste. 4.Adaptada) Os direitos sociais. Rafael Fernandez Página 33 de 41 . (CESPE . como o juicio de amparo. consiste no fato de que essa garantia judicial. instituída na Inglaterra para proteger a liberdade de locomoção. (CESPE .Direitos Humanos para Polícia Rodoviária Federal Teoria & Exercícios Rafael Fernandez – Aula 00 7) Questões comentadas 1.DPE-MA . 7. (CESPE .Defensor Público) A importância histórica do habeas corpus.DPE-MA . instituiu a separação dos poderes ao declarar que o funcionamento do parlamento. 2. pois foram concebidos em relação a ele. 5. na América Latina.

(CESPE/2007/TJ-DFT/Analista Judiciário Adaptada) Os direitos humanos de segunda geração se caracterizam por impor ao Estado uma obrigação positiva de atuação em favor dos administrados. (CESPE/2008/Hemobrás/Advogado . 10. previstos na CF/88 na forma de direitos fundamentais. 9. os direitos sociais integram os denominados direitos humanos de segunda geração. reais ou concretas – acentuam o princípio da igualdade.Adaptada) De acordo com o posicionamento majoritário na doutrina. entende-se que o direito de propriedade é um direito de primeira geração. não são imputáveis aos estrangeiros que estejam em território brasileiro em viagem de turismo. (CESPE/2007/Prefeitura de Rio Branco-AC/Técnico de Gestão Pública . sociais e culturais) – que se identificam com as liberdades positivas. os direitos de 2ª geração (econômicos. 11. (CESPE/2009/SEGER/Contador Adaptada) Na evolução histórica dos direitos humanos em gerações. 13. Rafael Fernandez Página 34 de 41 . Um exemplo dessa limitação é a previsão constitucional da desapropriação por interesse social. com vistas a diminuir as diferenças materiais existentes entre eles. negativas ou formais – realçam o princípio da liberdade.Direitos Humanos para Polícia Rodoviária Federal Teoria & Exercícios Rafael Fernandez – Aula 00 8. 12. (CESPE/2008/STF/Analista Judiciário . (CESPE/2009/SEGER/Contador) O direito de propriedade é limitado.Adaptada) Os direitos humanos. 14.Adaptada) Os direitos humanos não podem ser reconhecidos e aplicados aos estrangeiros em trânsito pelo território nacional. (CESPE/2007/Oficial do CBM-DF) Enquanto os direitos de 1ª geração são (civis e políticos) – que compreendem as liberdades clássicas.

engloba mais que direitos humanos. no continente europeu. tal como regulado pela lei inglesa de 1679.PC-BA . mais tarde. por seguinte. b) contribui. para que a noção da cidadania ultrapasse a clássica concepção que a restringia tão-somente ao exercício dos direitos políticos. c) restringe o entendimento da cidadania ao exercício dos direitos de primeira geração – especialmente quanto à igualdade. A importância histórica do habeas-corpus. consistiu no fato de que essa garantia judicial. J. J. Correto. abrange. COMENTÁRIOS 1. ao focar somente o caráter educacional da cidadania plena na Grécia. Errado. A Magna Carta de 1215 estabeleceu o princípio constitucional de que o rei governa de acordo com a lei. tornou-se a Rafael Fernandez Página 35 de 41 . raça e idade.Direitos Humanos para Polícia Rodoviária Federal Teoria & Exercícios Rafael Fernandez – Aula 00 15. Certo.Delegado de Polícia) “Cidadania. d) promove reflexão crítica em torno dos interditos proibitivos à construção de uma sociedade respeitosa para com as nuanças de sexo. Primeiramente na GrãBretanha e. falar-se numa dimensão política. os direitos políticos.2008 . 2. portanto. além de incluir os direitos que a todos são atribuídos (em virtude da sua condição humana). ainda. o prof. porque. A Carta Magna foi o documento que criou as condições para que liberdades e direitos civis pudessem cada vez mais se estabelecer. Calmon de Passos). (CEFET-BA . Ao alargar a compreensão da cidadania para as três dimensões suprareferidas. doutrinariamente. e) contradiz a noção fundamental de extensão da cidadania a todos sem distinção – mulheres especialmente. (Prof. criada para proteger a liberdade de locomoção. Calmon de Passos: a) inova. gênero. numa dimensão civil e numa dimensão social da cidadania”.

inciso IV. para a proteção de outras liberdades fundamentais. ocorreu pela necessidade de limitar o poder e autoridade do Estado.” 4. 6. econômicos e culturais) enquanto ela é um direito de 1ª geração. na história política moderna. Um exemplo de restrição de direito fundamental é o art. 7 ed. emergindo como uma tutela às liberdades individuais frente aos abusos e ilegalidades perpetrados pelo poder estatal e sua ingerência abusiva na esfera particular. 5º. 2010). A proibição do anonimato na referida disposição de direito fundamental constitui uma restrição porque limita a proteção constitucional da manifestação do pensamento àquelas hipóteses em que o titular do direito não omite a sua idade. quando uma propriedade rural não cumpre sua função social (Ex. O surgimento dos direitos humanos. entre eles os direitos e garantias individuais. (COMPARATO. Por isso. 3. sendo vedado o anonimato) alcança todas as hipóteses práticas de se manifestar o pensamento. poderá o Estado desapropriá-la para fins de Rafael Fernandez Página 36 de 41 . Fabio Konder. Devido à posição que ocupam no sistema jurídico. quando o próprio texto constitucional assim autorizar de forma expressa a restrição. como já dito.Direitos Humanos para Polícia Rodoviária Federal Teoria & Exercícios Rafael Fernandez – Aula 00 matriz de todas as que vieram a ser criadas posteriormente. as restrições de direitos fundamentais só podem ser diretamente constitucionais ou indiretamente constitucionais. Errado. todavia em determinados casos essa situação poderá se inverter. da Constituição Federal em vigor (é livre a manifestação do pensamento. “A afirmação história dos direitos humanos. Comparato a respeito dela ensina: “A característica mais notável da Declaração de Independência dos Estados Unidos reside no fato de ser ela o primeiro documento a afirmar os princípios democráticos. antes mesmo da independência das treze colônias inglesas da América do Norte. Outro erro da questão é inserir a propriedade entre os direitos sociais que são direitos de 2ª geração (sociais. Errado. Errado. Certo. A propriedade é um direito individual que figura entre os direitos humanos de 1ª geração (civis e políticos). Conforme salienta Rolim: “A restrição de um direito fundamental é uma limitação do âmbito de proteção desse direito fundamental.” 5. os direitos fundamentais somente podem ser restringidos por normas de hierarquia constitucional ou por normas infraconstitucionais. rev e atual.: latifúndio improdutivo). – São Paulo: Saraiva. como por exemplo. Destaque-se a Declaração dos Direitos editada pela Virgínia em 2/06/1776.

segunda e terceira gerações. Dê uma revisada no esquema demonstrativo sobre a Classificação Tradicional dos Direitos Humanos. Fruto da UNIVERSALIDADE. Lembre-se que os direitos humanos não são absolutos e gozam de limitabilidade ou relatividade! 7. direitos humanos são imputáveis a brasileiros e estrangeiros. econômicos e culturais) conduzem indivíduos materialmente desiguais aos conteúdos Rafael Fernandez Página 37 de 41 . Errado. 11. 10. fazendo referência às duas primeiras gerações (das três tradicionais) dos direitos humanos presente na tríade iluminista como núcleo da esfera de proteção dos direitos humanos de primeira. Errado. Os direitos de 2ª geração (sociais. sejam estes brasileiros natos ou naturalizados e os estrangeiros residentes ou não. concretas e objetivas. pois conduzem indivíduos materialmente desiguais aos conteúdos dos direitos através de instrumentos do Estado Social. econômicos e culturais. próprios dos seres humanos. 9. Certo. A questão está perfeita. como os sociais. Certo. referentes aos direitos de igualdade. 8. São liberdades positivas. reais. sendo que a esta última categoria pertence turistas e estrangeiros em trânsito no território nacional. 12. Certo.Direitos Humanos para Polícia Rodoviária Federal Teoria & Exercícios Rafael Fernandez – Aula 00 reforma agrária. Os direitos sociais são direitos humanos de 2ª geração ou dimensão (sociais. Uma das características dos direitos humanos é a UNIVERSALIDADE. econômicos e culturais) que representam as prestações positivas e assistenciais do Estado. Errado. logo tais direitos são aplicáveis a todos os seres humanos sem quaisquer formas de discriminação. respectivamente: Liberté. A segunda geração carrega direitos coletivos. Egalité e Fraternité.

da Constituição Federal. ressalvados os casos previstos no próprio texto constitucional. entre eles: vida. participando de modo direto ou indireto na formação do governo e na sua administração. liberdade. A 1ª geração ou dimensão dos direitos humanos trata dos direitos civis e políticos. Realçaram a lenta passagem do Estado Liberal (individualista) para o Estado Social. Pela concepção clássica Cidadania é a condição da pessoa natural que. mediante justa e prévia indenização em dinheiro. seja ao votar (direto). Certo. LETRA B. através da intervenção positiva do Estado. ou por interesse social. o conjunto dos direitos políticos de que goza um indivíduo e que lhe permitem intervir na direção dos negócios públicos do Estado. voltado para a tutela de direitos e garantias dos hipossuficientes e na busca da igualdade material entre os indivíduos. Certo. 15. Os direitos humanos são desprovidos de caráter absoluto logos são limitáveis e se ponderados num caso concreto em que haja confronto ou conflito de interesses poderão ser restringidos conforme o art. onde se lê que a lei estabelecerá o procedimento para desapropriação por necessidade ou utilidade pública. Tais direitos reclamam a igualdade material. propriedade. segundo essa noção. Também correspondem aos direitos de participação assegurados pela implementação de serviços e políticas públicas. XXIV. portanto. 14. prestações sociais positivas. seja ao concorrer a cargo público (indireto). como membro de um Estado. segurança etc. exigindo-se do poder estatal. para sua efetiva concretização. A cidadania é. 5º. 13. se acha no gozo dos direitos qe lhe permitem participar da vida política. Rafael Fernandez Página 38 de 41 .Direitos Humanos para Polícia Rodoviária Federal Teoria & Exercícios Rafael Fernandez – Aula 00 dos direitos através de instrumentos do Estado presente e intervencionista.

entre os quais não há qualquer relação hierárquica.PC-CE .2011 . como normas programáticas do direito internacional humanitário. 8. à educação.DPE-PI .Civil) O direito internacional dos direitos humanos. diferentemente do que ocorre com os direitos civis e políticos. juntamente com os direitos civis e políticos.Exame de Ordem Unificado) Direitos econômicos.Promotor de Justiça) Os direitos humanos de segunda geração ainda não foram incorporados à legislação nacional. (FGV .Inspetor de Polícia . como os direitos à sindicalização e à previdência social.Promotor de Justiça) Os direitos humanos de primeira geração referem-se às reivindicações de condições dignas de trabalho e originam-se das lutas sociais desencadeadas com a Revolução Industrial. pode ser conceituado como uma construção consciente vocacionada a assegurar a dignidade humana. Rafael Fernandez Página 39 de 41 . 5. sociais e culturais ) incluem o direito à participação no processo eleitoral.DPE-PI . sociais e culturais são direitos humanos de segunda geração. (CESPE . 9.OAB . (CESPE . permanecendo.Exame de Ordem Unificado) Direitos econômicos.Defensor Público) Não há uma correlação entre o surgimento do cristianismo e o respeito à dignidade da pessoa humana.Exame de Ordem Unificado) Direitos econômicos. (CESPE . (FGV .Direitos Humanos para Polícia Rodoviária Federal Teoria & Exercícios Rafael Fernandez – Aula 00 8) Questões de fixação 1.2012 .OAB . 3. o que significa que não são juridicamente exigíveis. um conjunto indivisível de direitos fundamentais.2009 . e são considerados direitos humanos de terceira geração.2010 .2010 . (FGV . 6. à alimentação e à previdência social.2011 . sociais e culturais formam.MPE-RO . (CESPE . pois. (CESPE .OAB .2010 .2009 .Defensor Público) Os direitos fundamentais surgem todos de uma vez.Inspetor de Polícia . (CESPE .PC-CE .Promotor de Justiça) Os direitos transindividuais ou difusos não podem ser exercidos senão por coletividades. 7.2012 . 4.2011 .Civil) A dignidade da pessoa humana é um fundamento da República Federativa do Brasil.MPE-RO . 2. não se originam de processo histórico paulatino.MPE-RO . fenômeno que antecedeu à Primeira Guerra Mundial. (CESPE . 10.

(CESPE . em alguns casos. 13. ( CEFET-BA . incluindo espancamento. Rafael Fernandez Página 40 de 41 .Defensor Público) A proteção dos direitos fundamentais é objeto também do direito internacional. com traços hierárquicos fortes (como o da segurança pública). a boa condução de investigações e a própria elucidação de autores de assassinatos que vitimam homossexuais.PC-BA .Defensor Público) A ONU é o órgão responsável pela UDHR e pela Declaração Americana de Direitos.2009 . O Estado da Bahia foi.2009 . repulsa ou medo irracional quanto à homossexualidade e suas manifestações. 14. porque odeio gay.DPE-PI . 12. cujas vítimas são pessoas homossexuais têm como lastro de motivação o sentimento de ódio. tortura.GGB). (CESPE .2008 .Delegado de Polícia) “126 gays. (CESPE . muitas facadas e diversas declarações dos assassinos. A maior parte destes homicídios foram cometidos com requintes de crueldade. inclusive nos mais conservadores ou de tradição ideológica. o campeão com 20 mortes. travestis e lésbicas foram assassinados no Brasil em 2002. pela primeira vez. é verdadeiro o que se afirma em: a) O sentimento denominado de homofobia está presente em todos os setores da sociedade. o que acaba dificultando.DPE-PI .Direitos Humanos para Polícia Rodoviária Federal Teoria & Exercícios Rafael Fernandez – Aula 00 11. Com base nessas informações.2009 . aversão. Muitos homicídios.Defensor Público) As gerações de direitos humanos mais recentes substituem as gerações de direitos fundamentais mais antigas.” (Informações do Grupo da Bahia. que confirmam a sua condição de crimes homofóbicos: “matei.DPE-PI .

c) Os reflexos da violência anti-homossexual têm como única motivação a homofobia evidenciada no comportamento imediatista de agressores e de cientistas “militantes”. Errado 14. antes composto apenas de direitos de liberdade. Errado 8. Errado 9. Errado 4. uma vez que eles compõem uma das minorias mais privilegiadas no reconhecimento dos seus atributos especiais. d) A luta histórica pela afirmação dos direitos humanos passa pela conquista dos chamados direitos de cidadania por parte dos homossexuais. os direitos do homem passaram a constituir uma categoria homogênea. Errado 3. o que lhes inclui no âmbito de uma convivência social harmoniosa. Errado 10. e) A homofobia é único sentimento que se faz presente em matéria de desrespeito a minorias no Brasil. f) Com a inclusão dos direitos sociais no rol dos direitos do homem. Errado 7. Certo 13. 9) GABARITO 1. Errado 12. Certo 2.Direitos Humanos para Polícia Rodoviária Federal Teoria & Exercícios Rafael Fernandez – Aula 00 b) A prática da homofobia corresponde às posturas tidas como tolerantes para com as pessoas de orientação afetiva homossexual. Errado 11. Letra A Rafael Fernandez Página 41 de 41 . Errado 6. Certo 5.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->