Você está na página 1de 186

DT34/SLIM /MCS

202.1510.36-5
Este documento é um original da DIGITEL S.A - Indústria Eletrônica. De acordo com a política de contínuo
desenvolvimento de seus produtos, a DIGITEL reserva-se o direito de efetuar, sem notificação prévia, modificações no
equipamento que este documento descreve.

A DIGITEL não aceita responsabilidade por eventuais perdas ou prejuízos decorrentes de erros ou omissões deste
documento. As especificações apresentadas neste documento não podem ser entendidas como um contrato.

A DIGITEL agradece a todos as colaborações que possam tornar este documento mais claro, assim como críticas
que auxiliem o perfeito entendimento do produto que ele descreve.

1999 - DIGITEL S.A. INDÚSTRIA ELETRÔNICA


Rua Dr. João Inácio, 1165
Porto Alegre - RS - Brasil
CEP 90230-181
Telefone: 51 337-1999
Fax: 51 337-1923
http://www.digitel.com.br
e-mail: info@digitel.com.br

Este manual foi desenvolvido pela EDITARE - Desenvolvimento de Manuais Técnicos


Rua João Abott, 473 cj. 404 • CEP: 90460-150 • Porto Alegre • RS • Brasil • e-mail: editare@ez-poa.com.br
Orientações
Assistência Técnica

Em caso de problemas durante a instalação ou operação do seu equipamento, procure o Centro de Assistência
Técnica Digitel mais próximo ou ligue para o Tele Suporte Digitel.

Tele Suporte Digitel 51 800-2205

São Paulo Digitel S.A. Indústria Eletrônica


Rua Fidêncio Ramos, 100 - 14º andar
Vila Olímpia - CEP 04551-010
São Paulo - SP
Fone: 11 866-1518
Fax: 11 866-0159
C.N.P.J.: 89.547.269/0002-87
Insc. Estadual: 111381483117

Porto Alegre Digitel S.A. Indústria Eletrônica


Rua Dr. João Inácio, 1165
Navegantes - CEP 90230-181
Porto Alegre - RS
Fone: 51 337-1999
Fax: 51 337-1923
C.N.P.J.: 89.547.269/0001-04
Insc. Estadual: 0960602577
Orientações
Avisos e Precauções
1) Leia atentamente as informações gerais e as instruções de instalação constantes no manual, antes de operar
o equipamento.
2) Para limpar o equipamento desligue-o da alimentação. Não use produtos de limpeza líquidos, em pasta,
aerosol ou abrasivos. Use um pano seco ou levemente umedecido.
3) Não exponha o equipamento à chuva ou à umidade além da especificada pelo manual.
4) Não exponha o equipamento a variações de temperatura não especificadas no manual.
5) Selecione a tensão em que o equipamento deve operar de acordo com a tensão da rede elétrica utilizada.
6) Não sobrecarregue as tomadas de alimentação de tensão. Caso necessite usar uma extensão, utilize fio e
tomada compatíveis com as utilizadas no equipamento. Certifique-se que as lâminas do plugue estejam
totalmente inseridas.
7) Nunca deixe que nada caia para dentro do seu equipamento através das aberturas. Não derrame líquido
de qualquer tipo sobre o equipamento.
8) É de importância fundamental que todos os reparos, mesmo fora do período de garantia, sejam confiados a
um Centro de Assistência Técnica Digitel.
9) Durante o período de garantia, consertos ou alterações efetuados fora dos Centros de Assistência Técnica
Digitel cancelam totalmente nossas responsabilidades.
10) Não substitua peças do equipamento por outras não originais. Em caso de dúvidas procure sempre orientação
do Centro de Assistência Técnica Digitel mais próximo.
11) O equipamento deve ser instalado em ambiente ventilado. As frestas e aberturas do gabinete se destinam
a evitar superaquecimento. Por isso, estas aberturas não devem ser bloqueadas ou cobertas. Assegure-se de
garantir uma área livre de no mínimo 3,5 cm sobre o gabinete e nunca instale o equipamento empilhado.
Orientações
Garantia

Durante o período de garantia do equipamento (especificado na nota fiscal) a Digitel assegura seu perfeito
funcionamento, de acordo com as características e especificações existentes em seu manual de instalação e operação.
Caso seja constatado algum problema no produto, entre em contato com um dos Centros de Assistência Técnica
Digitel, relatando o tipo de defeito.
Esta garantia inclui apenas o conserto e substituição dos componentes ou partes defeituosas sem ônus para o
cliente. Não estão cobertos defeitos ocasionados por: utilização do equipamento em condições inadequadas, falhas
na rede elétrica ou telefônica, fenômenos da natureza, falha em equipamento conectado a este produto, funcionamento
em desacordo com as instruções ou consertos efetuados por estabelecimentos não credenciados pela Digitel.
A garantia não cobre reparo em campo.
Os produtos deverão ser remetidos para a Digitel com frete pago pelo cliente. O frete da devolução dos
equipamentos será pago pela Digitel.
Orientações

(Esta página foi deixada intencionalmente em branco)


Índice
Apresentação do Produto ................................................................................. 1
1. 1.1. Descrição Geral .................................................................................................................... 1
1.2. Descrição Física .................................................................................................................... 3
1.2.1. Modelo Básico ........................................................................................................ 3
1.2.2. Modelos /SLIM e /MCS ............................................................................................ 5
1.3. Características Técnicas .......................................................................................................8

Instalação ......................................................................................................... 11
2. 2.1. Inspeção Visual ..................................................................................................................
2.2. Configuração das Dip-Switches e Estrapes .......................................................................
2.3. Conexão à Linha ...............................................................................................................
11
11
13
2.3.1. Linha Comutada .................................................................................................. 13
2.3.2. Linha Privativa a 2 fios sem Dial Backup .............................................................. 14
2.3.3. Linha Privativa a 4 fios sem Dial Backup .............................................................. 14
2.3.4. Linha Privativa a 2 fios com Dial Backup ............................................................. 14
2.3.5. Linha Privativa a 4 fios com Dial Backup ............................................................. 15
2.4. Conexão ao Equipamento Terminal de dados (ETD) ......................................................... 15
2.5. Conexão ao Sistema de Gerenciamento (opcional) ........................................................ 17

Controle do Modem ........................................................................................ 19


3. 3.1. Estados de Operação do Modem .....................................................................................
3.1.1. Estado Comando ................................................................................................
3.1.2. Estado On-Line .....................................................................................................
19
19
19
3.1.3. Estado de Teste .................................................................................................... 20
3.1.4. Estado de Configuração ..................................................................................... 20
3.2. Controle pelo Painel (modelo básico) ............................................................................... 20
3.2.1. Edição de Números Telefônicos e Passwords ...................................................... 27

I
Índice
3.3. Controle pelo Painel de Led’s (modelo /SLIM e /MCS) ....................................................... 27
3.3.1. Edição de Passwords e Números Telefônicos ...................................................... 33
3.3.2. Configuração Remota pelo Painel de Led’s ........................................................ 36
3.4. Controle por Comandos .................................................................................................... 39
3.4.1. Conceitos ............................................................................................................ 39
Buffer de Comandos ........................................................................................... 39
Caracteres Espaço .............................................................................................. 39
Paridade .............................................................................................................. 39
Seqüência de Escape (+ + +) ........................................................................... 40
Registradores S ..................................................................................................... 40
3.4.2. Controle por Comandos AT ................................................................................. 41
Código de Atenção e Auto Baud ........................................................................ 42
Sintaxe ................................................................................................................. 42
Repetição de Comandos .................................................................................... 43
3.4.3. Controle por Comandos V.25bis .......................................................................... 43
Configurações Básicas ........................................................................................ 44
Sintaxe ................................................................................................................. 44
3.5. Controle do Modem pelo Gerenciador (opcional) ........................................................... 45
3.6. Atualização de Software para Modens com “Flash Memory” (Modelo /MCS)) .................. 46
3.6.1. Atualização Local ................................................................................................ 46
3.6.2. Atualização Remota ............................................................................................. 47

Configuração ................................................................................................... 49
4. 4.1. Parâmetros de Configuração ............................................................................................
Reset de Configuração .....................................................................................................
Perfil Ativo ...........................................................................................................................
51
51
51
Perfis de Fábrica ................................................................................................................ 52
Habilitação de Laço Remoto ............................................................................................. 52

II
Índice
Configuração Remota ....................................................................................................... 52
Dial com Password ............................................................................................................. 53
4.2. Parâmetros de Interface com o ETD .................................................................................. 54
Modo de Operação Síncrono/Assíncrono ......................................................................... 54
Relógio de Transmissão ...................................................................................................... 55
Velocidade do ETD ............................................................................................................ 55
Tolerância na Velocidade dos Dados Assíncronos ............................................................ 56
Tamanho de Caracter Assíncrono ..................................................................................... 56
Sinal CTS ............................................................................................................................. 57
Sinal DCD ........................................................................................................................... 57
Sinal DSR ............................................................................................................................ 58
Função do Sinal DTR .......................................................................................................... 58
Seleção de Velocidade pelo CT111 ................................................................................. 59
Acionamento de Laços pela Interface .............................................................................. 59
Portadora Pseudo-Controlada ........................................................................................... 60
Busy Mode ......................................................................................................................... 61
4.3. Parâmetros de Modem e de Linha .................................................................................... 61
Velocidade do Modem e Fallback .................................................................................... 61
Potência de Transmissão .................................................................................................... 62
Canal de Transmissão ........................................................................................................ 62
Tipo de Linha ..................................................................................................................... 63
Desconexão Automática da Linha .................................................................................... 64
Limiar de Detecção de Portadora ..................................................................................... 64
4.4. Parâmetros de V.34 ............................................................................................................ 65
Velocidade para Operação V.34 ...................................................................................... 65
Habilitação de Velocidades Assimétricas .......................................................................... 66
4.5. Parâmetros de Protocolo .................................................................................................... 67
Protocolo de Correção de Erros ........................................................................................ 67
Compressão de Dados ...................................................................................................... 68

III
Índice
Opções de Modo Automático ........................................................................................... 69
Retransmissão Seletiva ....................................................................................................... 70
Controle de Fluxo ............................................................................................................... 70
Tratamento de Break .......................................................................................................... 72
4.6. Parâmetros de Discagem/Resposta Automática ................................................................ 72
Memória de Números Telefônicos ..................................................................................... 72
Discagem por Pulso/Tom .................................................................................................... 73
Monitoração da Linha em Auto-Dial .................................................................................. 73
Controle do Alto-Falante .................................................................................................... 75
Tempo de Espera pela Portadora ...................................................................................... 75
Tempo de Espera Definido pela Vírgula ............................................................................ 75
Resposta Automática/Manual ............................................................................................ 76
Discagem na Conexão Manual ........................................................................................ 76
Call Back ........................................................................................................................... 76
4.7. Parâmetros de Controle do Estado Comando .................................................................. 77
Seleção de Modo Comando e Paridade .......................................................................... 77
Habilitação do Eco dos Comandos .................................................................................. 77
Seleção do Tipo de Mensagens ........................................................................................ 78
Programação de Caracteres de Estado Comando .......................................................... 78
Habilitação de Autobaud .................................................................................................. 79
4.8. Parâmetros de Dial Backup ............................................................................................... 80
Seleção de Dial Backup .................................................................................................... 80
4.9. Parâmetros de Gerenciamento ......................................................................................... 82
Habilitação da Comunicação com o Gerenciador .......................................................... 82
Endereço da Linha ............................................................................................................ 82
Velocidade da Barra .......................................................................................................... 82
4.10. Fim de Configuração ......................................................................................................... 82
Fim de Configuração ......................................................................................................... 82

IV
Índice
Operação ......................................................................................................... 83
5. 5.1. Operação em Linha Comutada com Discagem Automática ...........................................
5.1.1. Discagem pelo Painel ..........................................................................................
5.1.2. Discagem por Comandos ...................................................................................
83
83
83
5.1.3. Caracteres de Condicionamento de Discagem ................................................. 84
5.2. Operação em Linha Privativa ............................................................................................ 85
5.2.1. Configurando pelo Painel ................................................................................... 85
5.2.2. Configurando por Comandos ............................................................................. 85
5.3. Operação em Linha Comutada com Conexão Manual ................................................... 86
5.3.1. Conexão pelo Painel ........................................................................................... 86
5.3.2. Conexão por Comandos .................................................................................... 86
5.4. Acionamento de Laços ...................................................................................................... 87
5.4.1. Laço Digital Local (LDL) ........................................................................................ 87
5.4.2. Laço Analógico Local (LAL) ................................................................................. 88
5.4.3. Laço Digital Remoto (RDL) .................................................................................... 88
5.4.4. Gerador de Padrão de Auto-Teste (SAL, SRL) ........................................................ 89
5.4.5. Acionamento de Laços pelo Painel ..................................................................... 90
5.4.6. Acionamento de Laços por Comandos .............................................................. 90
5.5. Operação com Dial Backup .............................................................................................. 92
5.5.1. Dial Backup Automático ...................................................................................... 92
5.5.2. Dial Backup Manual ............................................................................................ 93
5.6. Configuração Remota ....................................................................................................... 95
5.6.1. Configuração Remota pelo ETD .......................................................................... 95
5.6.2. Configuração Remota pelo Painel ...................................................................... 96
5.6.3. Configuração Remota pelo Display (LCD) ........................................................... 98
5.7. Monitoração da Qualidade do Sinal ................................................................................. 98
5.8. Operação com Password, Identidade e Call Back ........................................................... 99
5.8.1. Dial com Password ............................................................................................... 99

V
Índice
5.8.2. Dial com Password e Identificação ................................................................... 100
5.8.3. Call Back ........................................................................................................... 100

Possíveis Problemas ....................................................................................... 103


6. 6.1.
6.2.
6.3.
Modem não Liga Indicadores e nem Display do Painel Frontal ......................................
Modem não Responde aos Comandos do ETD ..............................................................
Modem não Responde a uma Chamada Externa ..........................................................
103
103
103
6.4. Modem não Disca ........................................................................................................... 104
6.5. Modens Conectados mas não Trafega Dados ................................................................ 104
6.6. Modens Conectados mas com Erros nos Dados ............................................................. 105
6.7. Modem não Opera com Portadora Pseudo-Controlada ................................................ 105
6.8. Outros Problemas... .......................................................................................................... 105

Apêndice A. Perfis de Fábrica ...................................................................... 107


A. A.1.
A.2.
A.3.
Perfil
Perfil
Perfil
de
de
de
Fábrica
Fábrica
Fábrica
0: Linha Comutada, Modo Assíncrono ................................................. 107
1: Linha Comutada, Modo Síncrono ....................................................... 10
2: Linha Privativa 2 Fios, Modo Assíncrono .............................................. 10
A.4. Perfil de Fábrica 3: Linha Privativa 2 Fios, Modo Síncrono ................................................. 10
A.5. Perfil de Fábrica 4: Linha Privativa 2 Fios com Dial Backup, Modo Síncrono .................... 10

Apêndice B. Resumo dos Comandos AT ..................................................... 113


B. B.1. Comandos ....................................................................................................................... 113
B2. Resposta aos Comandos AT ............................................................................................. 124

VI
Índice
Apêndice C. Resumo dos Comandos V.25bis ............................................ 131
C. C.1. Comandos V.25bis ........................................................................................................... 131
C.2. Resumo dos Comandos V.25bis ....................................................................................... 132

Apêndice D. Registradores S ........................................................................ 133


D.
Apêndice E. Mapa de Operação ................................................................ 149
E. E.1. Mapa de Operação do Painel Frontal DT34 (LCD) .......................................................... 149

Apêndice F. Painel de Leds........................................................................... 157


F. F.1.
F2.
Tabela para Edição de Passwords e Números Telefônicos .............................................. 157
Tabelas de Configuração ................................................................................................ 158

VII
Índice

(Esta página foi deixada intencionalmente em branco)

VIII
1.
1. Apresentação do Produto
1.1. Descrição Geral

O DT34 é um modem analógico compatível com as recomendações V.34, V.32bis, V.32, V.22bis e V.22 do UIT-T
(União Internacional de Telecomunicações). Opera ponto-a-ponto em linhas privativas ou comutadas, a 2 ou 4 fios,
nos modos duplex ou semi-duplex, síncrono ou assíncrono, com velocidades na linha de 1200 a 33600 bps e velocidades
na interface com o ETD de até 115200 bps no modo assíncrono e 33600 bps no modo síncrono.
O DT34 é um modem extremamente versátil quanto a suas aplicações. Além de atender as principais
características padronizadas a nível internacional ele incorpora características proprietárias que possibilitam soluções
diferenciadas para cada aplicação do usuário, conforme é apresentado a seguir:

Características padronizadas:
• Correção de erros (MNP e V.42)
• Retransmissão seletiva de blocos (V.42)
• Compressão de dados (MNP5 e V.42bis)
• Fallback e fall-forward automáticos
• Reconhecimento automático do modem remoto (auto-mode)
• Testes locais e remotos com geração de padrão interno
• Chamada e resposta automáticas
• Portadora pseudo controlada (V.13)
• Conversor síncrono/assíncrono (V.14)
• Conjunto de comandos compatível com AT (Hayes) e V.25bis (assíncrono, síncrono orientado a bit e
síncrono orientado a byte).

1
1.
1. Apresentação do Produto
Características proprietárias:
• Dial com password
• Configuração em memória não volátil
• Configuração por painel de cristal líquido com iluminação interna (Back Light LCD)
• Configuração remota
• 5 perfis de fábrica e 2 perfis de usuário
• Auto-baud de 1200 a 115200 bps
• Dial backup automático ou manual
• Busy Mode (Make Busy)
• Capacidade de gerenciamento
• Call Back
• Armazenamento do software em memória “flash” (modelo /MCS).

O DT34 incorpora as mais recentes tecnologias voltadas a agregar o máximo desempenho aos equipamentos
dedicados à operação na linha telefônica. Estas técnicas permitem que no início de cada conexão as condições de
tráfego da linha sejam analisadas para definição dos principais parâmetros de comunicação como: freqüência da
portadora, taxa de sinalização (symbol-rate), nível de potência de transmissão, trellis-code multi dimensional, pré-
coding, pré-ênfase, codificação não linear, shell mapping e shaping. A combinação desses processos após rigorosa
análise das condições da linha permite selecionar de forma independente a maior velocidade de transmissão e a
maior velocidade de recepção que o modem poderá atingir de forma a maximizar a taxa efetiva de dados trocados
entre os modens.

2
1.
1. Apresentação do Produto
1.2. Descrição Física

O DT34 é apresentado em cartão de circuito impresso padrão TELEBRÁS que permite sua utilização em gabinete
GB8000 ou em sub-bastidor DTSMP.
A fixação da placa tanto no gabinete quanto no sub-bastidor é feita através de parafusos localizados no painel
frontal. Para acessar internamente o modem, basta afrouxar os parafusos e puxar a placa.
Para descrições detalhadas sobre o painel traseiro do modem e suas conexões, consulte o capítulo de instalação
do DT34 e os guias do usuário específicos do GB8000 ou do DTSMP.

1.2.1. Modelo Básico

O painel frontal do DT34, modelo básico, contém led’s indicadores de estado da alimentação do modem e
circuitos da interface digital, display de cristal líquido e chaves de controle do display, como mostra a figura a seguir:

Figura 1.1 - Painel Frontal do DT34 Modelo Básico

3
1.
1. Apresentação do Produto
As funções dos led’s e chaves são descritas a seguir:

Leds/Chaves Função
ALIM Indica que a fonte de alimentação está fornecendo todas as tensões necessárias
para o funcionamento do modem (+5 V, +12 V e -12 V).
TESTE Indica que o modem está em estado de teste
MOD Indica que o modem está conectado à linha telefônica
108 Indica que o sinal DTR do ETD está ativo na interface (+V)
107 Indica que o sinal DSR do modem está ativo na interface (+V)
103 Indica a presença de bits de polaridade espaço (+V) nos dados vindos do ETD.
104 Indica a presença de bits de polaridade espaço (+V) nos dados enviados para o
ETD.
106 Indica que o sinal CTS do modem está ativo na interface (+V)
109 Indica que sinal DCD do modem está ativo na interface (+V)
Anda para cima no display.
Anda para baixo no display
SEL Seleciona a função mostrada no display

Tabela 1.1 - Descrição dos Leds e Chaves

4
1.
1. Apresentação do Produto
1.2.2. Modelos /SLIM e /MCS

O painel frontal do DT34, modelo /SLIM e /MCS, contém led’s indicadores de estado de alimentação, dos
circuitos da interface digital e da operação do modem, bem como chaves para controle de operação, como mostra
a figura a seguir:

Figura 1.2 - Painel Frontal do DT34 Modelos /SLIM e/MCS

5
1.
1. Apresentação do Produto
As funções normais dos led’s e chaves são descritas a seguir:

Led Função
ALIM Indica que a fonte de alimentação está fornecendo todas as tensões necessárias para o
funcionamento do modem (+5 V, +12 V e -12 V).
TESTE Indica que o modem está em estado de teste.
MOD Indica que o modem está conectado à linha telefônica.
108 Indica que o sinal DTR do ETD está ativo na interface (+V).
107 Indica que o sinal DSR do modem está ativo na interface (+V).
103 Indica a presença de bits de polaridade espaço (+V) nos dados vindos do ETD.
104 Indica a presença de bits de polaridade espaço (+V) nos dados enviados para o ETD.
106 Indica que o sinal CTS do modem está ativo na interface (+V).
109 Indica que sinal DCD do modem está ativo na interface (+V).
ERR Indica erro na recepção de dados quando o modem estiver operando com geração de
padrão de auto-teste.
110 Indica que a qualidade do sinal recebido está boa.
CORR Indica que o modem está operando com protocolo de correção de erros. Quando
piscando, indica operação com compressão.
DBU Indica que o modem está operando em Dial Backup.

Tabela 1.2 - Descrição dos Leds

6
1.
1. Apresentação do Produto
Chaves Função
MOD Chave para conexão/desconexão do modem à linha comutada
AUT Chave para habilitação da resposta automática
GER Gerador de padrão de teste
ATX Seleção de canal de transmissão (ATX, chave pressionada)
LAL Chave de execução de Laço Analógico Local (LAL)
LDR Chave de execução de Laço Digital Remoto (RDL)
LDL Chave de execução de Laço Digital Local (LDL)

Tabela 1.3 - Descrição das Chaves

As funções dos led’s e chaves no modo configuração são descritas no item 3.3.

7
1.
1. Apresentação do Produto
1.3. Características Técnicas
Compatibilidade
UIT-T V.34, V.32bis, V.32, V.22bis, V.22 (1200), V.8, V.13, V.14, V.24, V.25,
V.25bis, V.28, V.42, V.42bis.
Práticas Telebrás 705-540
705-540-706, 718, 721, 724, 730, 736, 739, 749, 751 (1200),
752, 755, 769, 771, 780 e 781.
Modulação
DPSK à 1200 bps (V.22) e 4800 bps (V.32bis)
QAM à 2400 bps (V.22bis)
QAM com Trellis Bidimensional 7200 a 14.400 bps (V.32bis)
QAM com Trellis Multidimensional 2400 a 33600 bps (V.34)

Configuração
Por Painel (LCD) Local e Remota
Por Comandos AT (Local e Remota), V.25bis (Local)

Gerenciamento Sistema de Gerenciamento de Modens Digitel MCS (Opcional).

Perfis de Fábrica 0 - Assíncrono, Linha Comutada,


1 - Síncrono, Linha Comutada,
2 - Assíncrono, Linha Privativa,
3 - Síncrono, Linha Privativa,
4 - Síncrono, LP com Dial Backup

8
1.
1. Apresentação do Produto
Interface Digital
Velocidades ETD Assíncrono de 1200 a 115200 bps
Velocidades ETD Síncrono de 1200 a 33600 bps
Auto Baud de 1200 a 115200 bps

Tipo de Linha
Linha Comutada 2 fios
Linha Privativa 2 ou 4 fios
Dial Backup Para LP a 2 ou 4 fios

Diagnóstico
Laços Digital Local, Digital Remoto, Analógico Local
Gerador e Detector de Padrão de Testes Padrão Marca (V.34, V.32bis, V.32) ou 1x1 (V.22, V.22bis)
Gerador de Padrão Olho Opcional
Diagnóstico de Linha Qualidade do Sinal

Interface Analógica
Velocidades de Modem 1k2 (V.22); 2k4 (V.22bis); 4k8, 9k6 (V.32); 4k8, 7k2, 9k6, 12k0,
14k4 (V.32bis); 2k4, 4k8, 7k2, 9k6, 12k0, 14k4, 16k8, 19k2, 21k6,
24k0, 26k4, 28k8, 31k2, 33k6 (V.34)
Nível de Potência de TX LC de -6 a -21dBm em passos de 1dB
Nível de Potência de TX LP de -6 a -21dBm em passos de 1dB
Faixa de Potência na Recepção de -6 a -43 dBm
Proteção Elétrica na Linha Diodos zener no secundário do transformador de linha e
supressor de transientes

Segurança Call Back


Dial com password
Lacre de proteção (Modelo Mesa)

9
1.
1. Apresentação do Produto
Outras Características Flash Memory (modelo /MCS)
Discagem por pulso e por tom
Fallback, Fall-forward
Correção de Erros
Compressão de Dados (Assíncrono)
Retransmissão Seletiva
Busy Mode
Portadora Pseudo-Controlada
Retardo de CTS (0 a 2550 ms)
Alto-falante
Condições Ambientais
Temperatura de Transporte de -40 ºC a +70 ºC
Temperatura de Armazenamento de -5 ºC a + 45 ºC
Temperatura de Operação de 0 ºC a +45 ºC
Umidade Relativa de 10 a 95%

Consumo
+12v 170 mA
-12v 200 mA
+5V 500 mA
Consumo aproximado 7W

Características Físicas
Altura 177,0 mm
Largura 33,5 mm
Profundidade 316,6 mm
Peso Aproximado 500 g

10
2.
2. Instalação
2.1. Inspeção Visual

Antes de proceder a instalação, é recomendável fazer uma inspeção visual cuidadosa do equipamento
verificando se não há danos causados no mesmo. Qualquer problema detectado deve ser informado à companhia
transportadora e ao representante DIGITEL mais próximo que providenciarão a substituição ou o reparo do mesmo.

2.2. Configuração das Dip-Switches e Estrapes

Antes de configurar o DT34, o usuário deve certificar-se de que as dip-switches e os estrapes internos ao
equipamento estão de acordo com a sua aplicação.

Aplicação Estrape S2 Dip SW2 Serigrafia


Linha Comutada LC posição 1 - esquerda 4W
posição 2, 3, 4 - direita 2W, 2W, 2W
Linha Privativa 2 Fios LP posição 1 - esquerda 4W
posição 2, 3, 4 - direita 2W, 2W, 2W
Linha Privativa 4 Fios LP posição 1 - direita 4W
posição 2, 3, 4 - esquerda 2W, 2W, 2W

Tabela 2.1 - Configuração da Dip SW2 e Estrape S2

11
2.
2. Instalação
Função Dip SW1 Serigrafia
Habilita configuraçãopelo painel posição 1 - esquerda PANEL
Habilita acesso a passwords posição 2 - esquerda PASSWORDS
Desabilita configuração por comandos AT posição 3 - esquerda AT DISABL

Tabela 2.2 - Configuração da Dip SW1

A figura abaixo apresenta a localização das dip-switches e estrapes com a indicação da configuração ao sair
de fábrica.

Figura 2.1 - Localização das Dip-Switches e Estrapes

12
2.
2. Instalação
2.3. Conexão à Linha

Abaixo são descritas as conexões necessárias para a instalação do modem na linha telefônica. Deve ser
observado que para cada condição de linha há uma configuração adequada que deve ser seguida para a correta
operação do equipamento (Ver configuração do tipo de linha no item “Parâmetros de Modem e de Linha”).

Figura 2.2 - Conector de Linha

2.3.1. Linha Comutada

Conecte a linha telefônica nos terminais TX e o telefone nos terminais RX do conector de linha.

Obs.:
• A instalação do telefone não é obrigatória, servindo apenas para manter o uso normal do aparelho
telefônico quando o modem não está conectado.
• Se o modem for retirado do gabinete ou sub-bastidor a conexão da linha ao aparelho telefônico será
interrompida.

13
2.
2. Instalação
2.3.2. Linha Privativa a 2 Fios sem Dial Backup

Conecte a linha privativa ligando os terminais TX do modem local aos terminais TX do modem remoto.

2.3.3. Linha Privativa a 4 Fios sem Dial Backup

Conecte um par de fios da linha privativa ligando os terminais TX do modem local aos terminais RX do modem
remoto e o outro par de fios ligando os terminais RX do modem local aos terminais TX do modem remoto.

2.3.4. Linha Privativa a 2 Fios com Dial Backup

Conecte a linha privativa ligando os terminais TXLP do modem local aos terminais TXLP do modem remoto.
Conecte a linha telefônica de Dial Backup nos terminais TX e o telefone nos terminais RX do conector de linha.

Obs.:
• A instalação do telefone não é obrigatória, servindo apenas para manter o uso normal do aparelho
telefônico quando o modem não está conectado.
• Se o modem for retirado do gabinete ou sub-bastidor a conexão da linha ao aparelho telefônico será
interrompida.

14
2.
2. Instalação
2.3.5. Linha Privativa a 4 Fios com Dial Backup

Conecte um par de fios da linha privativa ligando os terminais TXLP do modem local aos terminais RXLP do
modem remoto e o outro par de fios ligando os terminais RXLP do modem local aos terminais TXLP do modem remoto.
Conecte a linha telefônica de Dial Backup nos terminais TX e o telefone nos terminais RX do conector de linha.

Obs.:
• A instalação do telefone não é obrigatória, servindo apenas para manter o uso normal do aparelho
telefônico quando o modem não está conectado.
• Se o modem for retirado do gabinete ou sub-bastidor a conexão da linha ao aparelho telefônico será
interrompida.

2.4. Conexão ao Equipamento Terminal de Dados (ETD)

Figura 2.3 - Conector ETD

15
2.
2. Instalação
O conector ETD (figura 2.3) localizado no painel traseiro do GB8000 ou sub-bastidor DTSMP é um conector tipo
D, padrão ISO2110-1980, fêmea, de 25 pinos.
Conecte o Equipamento Terminal de Dados ao conector ETD através de um cabo terminado em um conector
macho de 25 pinos.
A tabela a seguir apresenta a designação dos pinos do conector ETD:

Pino UIT-T RS232 Interno Descrição


1 101 AA Terra de proteção
2 103 BA TD Dados a transmitir
3 104 BB RD Dados recebidos
4 105 CA RTS Solicitação para transmitir (ou CT133)
5 106 CB CTS Pronto para transmitir
6 107 CC DSR Modem pronto
7 102 AB GND Terra de sinal
8 109 CF DCD Portadora detectada
9 — — +12VCC +12 volts
10 — — -12VCC -12 volts
11 126 — — Seletor de canal de transmissão
12 112 — — Indicador de velocidade alta
Cont ...

16
2.
2. Instalação
Pino UIT-T RS232 Interno Descrição
15 114 DB RET Relógio de transmissão
17 115 DD RER Relógio de recepção
18 141 — LAL Laço analógico local
19 110 — SQ Qualidade de sinal
20 108/1-/2 CD DTR Terminal pronto
21 140 — LDR Laço digital remoto
22 125 CE RING Indicador de chamada
23 111 CH DRS Seleção de velocidade de transmissão pelo ETD
24 113 DA REX Relógio de transmissão externo
25 142 T TST Indicador de Teste (ou Busy Mode)

Tabela 2.3 - Interface Digital

2.5. Conexão ao Sistema de Gerenciamento (opcional)

O conector NMS (figura 2.4) no painel traseiro do GB8000/NMS ou sub-bastidor SMP e SMP20 é um conector tipo
D, macho de 9 pinos.
O sistema de gerenciamento de modens Digitel MCS deve ser ligado ao conector NMS através de cabo específico
fornecido como acessório.

17
2.
2. Instalação
A conexão do gerenciador ao sub-bastidor DTSMP é feita com apenas um conector NMS para todos os modens.

Figura 2.4 - Conector NMS

A interface de conexão do modem ao gerenciador é compatível com o padrão EIA - RS485, conforme a tabela
a seguir:

Pino RS 485
3 A
5 GND
8 B

Tabela 2.4 Interface NMS

18
3.
3. Controle do Modem
O DT34 pode ser controlado de várias formas. Todas elas podem estar ativas simultaneamente, sendo prioritária
a que entrar primeiro a cada evento de controle, seja painel, comando ou gerenciamento.
O usuário deve cuidar para que as programações das dip-switches e dos estrapes estejam de acordo com a
sua aplicação, pois estes parâmetros não podem ser alterados por outra forma de configuração (Ver item Instalação).

3.1. Estados de Operação do Modem

O DT34 possui 4 estados de operação distintos, conforme descrição a seguir.

3.1.1. Estado Comando

É o estado em que o modem está apto a receber, interpretar e executar comandos vindos do ETD. Para cada
comando ou “string” de comandos recebidos haverá uma resposta de acordo com o resultado da execução do(s)
mesmo(s). O estado comando pode ser “off-line” (modem desconectado da linha) ou interativo (em comunicação
com o modem remoto).

3.1.2. Estado On-Line

É o estado em que o modem está trocando dados com o modem remoto. Incluem-se neste estado os períodos
de handshake (início da conexão) e retreinamento (adaptação às condições de linha).

19
3.
3. Controle do Modem
3.1.3. Estado de Teste

Execução de algum dos laços de teste do modem. Tanto pode ser acionado local como remotamente.

3.1.4. Estado de Configuração

Qualquer forma de acesso à configuração do DT34 seja via comandos, painel ou gerenciador, caracteriza o
Estado de Configuração.
O Estado de Configuração não afeta a operação normal do equipamento porém, na saída do mesmo, se
algum parâmetro tiver sido alterado, distúrbios poderão ocorrer devido à adaptação da nova configuração.
Em configuração remota, pequenos distúrbios são causados na entrada e na saída do Estado de Configuração
devido à carga e descarga do perfil do modem remoto.

3.2. Controle pelo Painel (modelo básico)

O painel de configuração do modem permite o controle, monitoração e configuração tanto do modem local
quanto do remoto. Se necessário, pode-se desabilitar o acesso às passwords ou o acesso à alteração de configuração
através das dip-switches localizadas na placa (Ver item Instalação).
O mapa de operação do painel frontal é apresentado no apêndice E.
Uma vez familiarizado com a filosofia de operação do painel, o usuário terá acesso a praticamente todos os
recursos do equipamento de forma bastante simplificada.

20
3.
3. Controle do Modem
O controle do painel frontal é feito a partir de 3 chaves:

Chave Descrição
Chave de movimento para cima. Permite o usuário andar na árvore no mesmo nível até
encontrar a função desejada.
Chave de movimento para baixo. Permite o usuário andar na árvore no mesmo nível até
encontrar a função desejada.
SEL Chave SEL. É utilizada para selecionar a função apresentada no display, permitindo o
acesso as suas opções, ou seja, entrando um nível na árvore de programação.

Tabela 3.1 - Descrição das Chaves

Figura 3.1 - Tela Inicial e Tela de Operação

O nível é representado pelo número à esquerda do painel e a opção, pela letra que acompanha o número.
Com as chaves e , selecione a função ou opção desejada dentro do nível em que se encontra. Ao encontrar
a função, pressione SEL para entrar um nível na árvore. Encontre a opção desejada com as chaves e e pressione
SEL para selecionar a opção. Para retornar ao nível anterior, o usuário pode ir até o fim das opções do nível atual para
retorno automático de nível ou, de onde estiver, pressionar a chave SEL por um tempo superior a 2 segundos.

21
3.
3. Controle do Modem
Para visualizar a configuração o usuário deve entrar na janela de configuração, selecionar os parâmetros que
deseja verificar e sair sem salvar a configuração (opção Abandon
Abandon).
O Status de operação do modem pode ser visualizado pressionando-se a chave SEL na tela inicial.
A primeira tela que aparece refere-se ao Status de modem (DCE status) e a segunda ao Status de interface com
o ETD (DTE status).

Figura 3.2 - DCE Status

22
3.
3. Controle do Modem

Figura 3.3 - DTE Status

O mapa de operação do painel é dividido em 3 níveis:

Nível 1
É o nível de operação do equipamento. Permite o controle de conexão do modem à linha, seleção de
resposta automática, seleção de canal, acionamento de testes, entrada no nível de configuração, diagnóstico e
reinicialização.
Com as chaves e selecione a operação desejada e com a chave SEL execute a operação. O painel
apresenta o estado atual de operação (connect OFF, por exemplo). Ao pressionar a chave SEL, a operação é executada
e o painel apresenta o novo estado de operação (connect ORIG, por exemplo).

23
3.
3. Controle do Modem

Figura 3.3 - DTE Status

O mapa de operação do painel é dividido em 3 níveis:

Nível 1
É o nível de operação do equipamento. Permite o controle de conexão do modem à linha, seleção de
resposta automática, seleção de canal, acionamento de testes, entrada no nível de configuração, diagnóstico e
reinicialização.
Com as chaves e selecione a operação desejada e com a chave SEL execute a operação. O painel
apresenta o estado atual de operação (connect OFF, por exemplo). Ao pressionar a chave SEL, a operação é executada
e o painel apresenta o novo estado de operação (connect ORIG, por exemplo).

24
3.
3. Controle do Modem

Figura 3.3 - DTE Status

O mapa de operação do painel é dividido em 3 níveis:

Nível 1
É o nível de operação do equipamento. Permite o controle de conexão do modem à linha, seleção de
resposta automática, seleção de canal, acionamento de testes, entrada no nível de configuração, diagnóstico e
reinicialização.
Com as chaves e selecione a operação desejada e com a chave SEL execute a operação. O painel
apresenta o estado atual de operação (connect OFF, por exemplo). Ao pressionar a chave SEL, a operação é executada
e o painel apresenta o novo estado de operação (connect ORIG, por exemplo).

25
3.
3. Controle do Modem

Figura 3.5 - Controle do Painel

26
3.
3. Controle do Modem
3.2.1. Edição de Números Telefônicos e Passwords

A seleção das opções é feita posicionando-se a opção desejada no display (teclas e ) e selecionando-
a (tecla SEL). Algumas opções devem ser editadas caracter a caracter como os números telefônicos e as passwords.
A edição da opção é feita selecionando-se o caracter desejado em cada posição permitida. Os caracteres possíveis
são números (0 0 ... 9 A ... Z
9), letras (A Z) e caracteres especiais (!! @ # % & * ( ) - : ; , ..). Os caracteres de edição são:

Backspace. Anda para a esquerda apagando o caracter.

Enter. Encerra a edição.

Obs.:
Na edição de números telefônicos (janela PhoneNumbers) pode-se usar os condicionadores de discagem e
comentários como se fosse um comando de discagem (ver item Operação na linha comutada com discagem
automática).
Para apagar uma password ou número telefônico, selecione o caracter na primeira posição de edição.

3.3. Controle Pelo Painel de Led's (modelo /SLIM e /MCS)

O controle do modem pode ser exercido diretamente através das chaves do painel frontal do modem para
conexão/desconexão (MOD) habilitação de resposta automática (AUT), geração de padrão de auto-teste (GER), seleção
de canal de transmissão (ATX) e acionamento de laços (LAL, LDR ou LDL).
Pode-se também proceder a configuração local e remota via painel conforme descrito a seguir:
A configuração pelo painel frontal se faz via leds e chaves que permitem o controle e configuração tanto do
modem local quanto do modem remoto. Se necessário, pode-se desabilitar o acesso às passwords e à configuração
do modem local através da dip SW1 localizada na placa (ver item 2.2).

27
3.
3. Controle do Modem
O acesso ao estado de configuração pelo painel é ativado pressionando-se a chave SEL por um tempo superior
a 2 segundos. O estado de configuração é indicado pelo led C piscando. Nesta condição os leds e chaves do painel
frontal trocam de função mas o modem segue operando normalmente na linha. Durante a configuração por led’s os
circuitos CT142 (teste), CT109 (DCD), CT104 (RD), CT106 (CTS), CT107 (DSR) e CT110 (SQ) da interface digital são
forçados à condição Off (-V) e os circuitos CT103 (TD) e CT108 (DTR) são ignorados.
A partir deste instante os leds passam a representar, conforme a figura abaixo, qual registro está sendo selecionado
e o seu conteúdo, de acordo com o quadro dos registros de configuração e controle apresentado no Apêndice F.

C - a) Piscando indica estado de configuração pelo painel.


b) Piscando numa freqüência menor indica estado de configuração remota pelo painel.
E - Piscando indica estado de Edição de Passwords ou de Números Telefônicos.
R - Não utilizado.
REG P (16...1) - Representam qual dos registros de Configuração pelo Painel está selecionado (Ex. led 4 e led 1
acesos indicam registrador P5).
BIT (3...0) - Representam o conteúdo do registro selecionado (mapeamento a bit).

28
3.
3. Controle do Modem
As chaves por sua vez terão a função de selecionar e alterar os registros.

SEL - Seleciona os registros para programação pelo painel (pressionada por mais de um segundo dispara o
avanço rápido). Inicia também, as funções selecionadas pelos registros P0, P20 e P31.
D - Seleciona o sentido do movimento da chave SEL:
Solta - incrementa
Pressionada - decrementa
SAV - Acessa instantaneamente o registro de saída P31 (salva, abandona ou grava), quando é pressionada e
solta.
BIT (3...0) -Possibilitam a troca do estado correspondente aos leds 3...0. Tal alteração acontece quando
pressionamos e soltamos a chave correspondente ao led que desejamos trocar o estado.

A saída do estado de configuração é feita através da chave SAV, que permite acessar o registrador de SAÍDA
P31 (leds 1, 2, 4, 8, 16 acesos). Uma vez selecionado o P31 o operador seleciona a saída desejada (registrador P31)
para efetivar as alterações. A partir deste instante o modem passa a operar com a nova configuração.

Atenção: Os registros P0, P20 e P31 são utilizados para seleção de funções, como carga de perfil de fábrica,
início de configuração remota, reset, edição de passwords e números telefônicos. Uma vez selecionada
a função desejada, deve-se pressionar a chave SEL para disparar a execução da mesma.

29
3.
3. Controle do Modem
EXEMPLO: ALTERAÇÃO DOS PARÂMETROS DE CONFIGURAÇÃO

a) Partindo do estado de operação normal dos leds e chaves, pressione a chave SEL, por mais de 2 segundos.
Assim que o led C (TESTE) começar a piscar solte a chave SEL. Neste momento o perfil ativo foi carregado
para o perfil de painel e os leds REG P (16...1) estarão indicando o registro P0 (carga de perfil), bem como
os leds BIT (3...0) estarão mostrando o seu conteúdo:

b) Notamos então, que o conteúdo do registro P0 está zerado, isto se deve ao fato dos registros P0, P20 e P31
serem registros que selecionam funções e não configurações. Para carregar o perfil de fábrica 0, por
exemplo, primeiro alteramos o estado do bit 0 (Apêndice F) pressionando e soltando a chave BIT 0.

30
3.
3. Controle do Modem

c) Para executar a carga do perfil de fábrica 0 pressione e solte a chave SEL. Neste instante o perfil de fábrica
0 é carregado ao perfil de painel e o conteúdo do registro P0 volta a ser zerado.

d) Querendo, por exemplo, alterar o tamanho de caracter assíncrono, o mesmo pode ser programado através
do registro P4, (Apêndice F) bits 1 e 2. Observe se a chave D está solta para termos um avanço no incremento
do registro.

e) Agora pressione e solte a chave SEL novamente. Os leds estarão mostrando o registro P1 e o seu conteúdo.

f) Pressione e solte a chave SEL outra vez. Os leds estarão mostrando o registro P2 e o seu conteúdo e assim
por diante até chegar ao registro P4. O registro apontado pelos leds é facilmente identificado somando-se
os números representados pelos leds acesos. No caso 4+0=4, portanto registro P4. O conteúdo de cada
registro é formado pelo mapeamento de 4 bits, cada um representando os estados: 0 (apagado) e 1
(aceso). No caso bit3 (0), bit2(1), bit1(0), e bit0(0).

31
3.
3. Controle do Modem

g) Observando então o registro P4 e de posse do quadro de registros de configuração e controle (Apêndice F),
concluímos que o modem está configurado para tamanho de caracter assíncrono com 10 bits, CTS controlado
e velocidade de ETD normal (+1%). Para alterar a programação de tamanho de caracter assíncrono para
9 bits basta simplesmente alterar o valor do bit1 e do bit2 (representados pelos leds BIT 1 e BIT 2) do registro
P4. Isto é realizado pressionando e logo a seguir soltando as chaves correspondentes aos leds que desejamos
alterar.
h) Pressione e solte a chave BIT1 e observe que o led BIT1 troca seu estado.
i) Faça o mesmo com a chave BIT2 e observe a troca de estado do led BIT2. Temos então P4 configurado
como na figura abaixo:

j) Após ter efetuado todas as alterações necessárias, é preciso salvá-las e sair do estado de configuração, o
qual é feito unicamente através do registro P31. Para se ter acesso ao registro P31 basta pressionar e soltar
a chave SAV.

32
3.
3. Controle do Modem
k) Com o registro P31 selecionado pode-se simplesmente abandonar o estado de configuração ou salvar no
perfil ativo com ou sem armazenamento nos perfis de usuário 0 ou 1. Supondo que se queira salvar no perfil
ativo e gravar no perfil de usuário 0. De posse do quadro de registros de configuração (Apêndice F)
observamos que temos que alterar o estado do led BIT1 e isso se faz, como já vimos, pressionando e soltando
a chave BIT1:

l) Pressionando e soltando a chave SEL, voltamos ao estado de operação. Assim o led C e todos os leds antes
utilizados no estado de configuração voltam a ter sua função original.
m) O operador deve observar para, no retorno da configuração, deixar as chaves do painel nas mesmas
posições anteriores, de forma a restaurar a operação normal do modem.

3.3.1. Edição de Passwords e Números Telefônicos

a) Como no exemplo 1, entramos no estado de configuração, deslocamos os registros de configuração até o


registro P0 (Passwords) ou registro P20 (Números Telefônicos).
b) Selecionamos, através do led referente, o item a ser editado (pressionando e soltando a chave
correspondente). Suponhamos a edição do número telefônico 356 8964 na posição 0 da memória de
números telefônicos (P20).

33
3.
3. Controle do Modem

c) Pressionando a chave SEL e soltando-a a seguir entramos no estado de edição, o qual pode ser observado
pelo led E piscando juntamente com o led C.

d) O procedimento de edição é semelhante ao de configuração com as seguintes diferenças:


1.No tamanho dos registros disponíveis (números de dígitos): 5 para passwords e 30 para números telefônicos,
ou seja , enquanto no processo de configuração o valor de P varia de 0 a 31, na edição de passwords P
varia de 1 a 5 e na edição de números telefônicos de 1 a 30. No processo de edição P indica a posição
do dígito que está sendo editado.
2.Na tabela para edição de passwords e números telefônicos (Apêndice F).

Caso exista um número telefônico já gravado nesta posição, o mesmo poderá ser apagado (Veja tabela
Edição de Password e Números Telefônicos no Apêndice F) ou apenas verificado, sem edição do mesmo.
Como podemos notar, no nosso exemplo, na posição 0 do número 0 não há nenhum número já gravado,
portanto começaremos editando o primeiro dígito (3), alterando o estado dos leds BIT0 e BIT1.

34
3.
3. Controle do Modem

e) Selecionando a próxima posição pela chave SEL e editando o segundo dígito (5):

f) A edição continua até editarmos todos os dígitos correspondentes ao número telefônico. A saída do estado
de edição, assim como no estado de configuração, é através da chave SAV, que possui a mesma concepção
de operação. A memória de números telefônicos é independente da memória dos perfis de usuários
portanto, qualquer opção de salvamento irá gravar o número telefônico editado.

35
3.
3. Controle do Modem
g) Utilizando agora a chave SEL, efetuamos a função especificada (gravar) e voltamos ao estado principal de
configuração. O led E apaga e nota-se que este é o estado imediatamente anterior à entrada no estado de
edição

h) Podemos continuar normalmente o estado de configuração ou sair pela chave SAV e registro P31.

Obs.: no item “f” foi realizada a gravação apenas do número telefônico na saída da edição. Para salvar
alterações no perfil de usuário, deve-se proceder o salvamento na saída da configuração.

3.3.2. Configuração Remota pelo Painel de Led’s

Para proceder-se à configuração remota através do painel de leds, deve-se primeiramente entrar no estado de
configuração pressionando-se a chave MOD por mais de dois segundos (led C piscando).
Durante o processo de configuração remota, o fluxo de dados entre os ETD’s é interrompido.
Se necessário, editar a password de acesso do modem remoto: registrador P0, 1010 (ver item 3.3.1).
A seguir é apresentado um exemplo passo-a-passo para a execução da configuração remota pelo painel.

36
3.
3. Controle do Modem
a) Tem-se como condição básica para a realização da configuração remota pelo painel que os modens
estejam conectados e sincronizados. No estado de configuração, observe os leds registradores, selecione
P0 conforme figura a seguir.

Antes de ativar a configuração remota é necessário editar a password do modem remoto.

b) Configuramos agora o registrador P0 para ativação da configuração remota (1100 - ver Apêndice F).

c) Utilizando a chave SEL para disparar o processo notamos que neste instante o led C piscará numa freqüência
menor e caso a configuração remota se estabeleça corretamente, os leds REG P (16...1) mostrarão o registro
P0 do modem remoto e a configuração do mesmo passa a ser feita como numa configuração local normal.
Se por ventura a configuração remota não se estabelecer, o modem sairá do estado de configuração (led
C apagado).

37
3.
3. Controle do Modem

d) Através da chave SEL selecionamos, por exemplo, o registro P2 do modem remoto;

e) Observando o registro P2 do modem remoto, indicado pela figura anterior e de posse do quadro do Apêndice
F, concluimos que o modem remoto está com o modo de operação assíncrono, com relógio de transmissão
regenerado e com seleção de tabela 0 para o registrador P3. Verificando os demais registros (através da
chave SEL) temos a possibilidade de verificar e alterar a configuração do modem remoto da mesma maneira
que se estivéssemos configurando o modem local. Após realizarmos todas as alterações necessárias, damos
saída da configuração remota normalmente através da chave SAV e registrador P31.
f) O modem sai do estado de configuração, retornando os leds e as chaves às suas funções de operação
normal.

38
3.
3. Controle do Modem
3.4. Controle por Comandos

3.4.1. Conceitos

O controle do DT34 pode ser exercido por comandos AT ou V.25bis (síncrono ou assíncrono). Pode-se alternar
diretamente de comandos AT para comandos V.25bis (ATG) e vice-versa (GAT) sempre que for necessário.
Alguns conceitos são comuns aos dois padrões de comandos:

Buffer de Comandos
Cada caracter recebido é armazenado no “buffer de comandos” do modem. Somente após receber o caracter
<CR> é que o modem analisa e executa o comando ou string de comandos.
O “buffer de comandos” tem capacidade máxima de 60 caracteres. Se este limite for ultrapassado o modem
começa a executar os comandos armazenados automaticamente.

Caracteres Espaço
Os caracteres de espaço (código ASCII = 020h) são ignorados pelo modem.

Paridade
A paridade dos caracteres de comando não é verificada pelo modem. O modem considera a paridade
apenas para enviar as respostas aos comandos corretamente.
Em operação com comandos AT a paridade dos dados é detectada a partir do Código de Atenção (AT).
Quando operando com V.25bis a paridade deve ser configurada ou por painel ou pelo comando PAR (paridade
par: PAR0, espaço: PAR1, ímpar: PAR2 e marca: PAR3).

39
3.
3. Controle do Modem
Seqüência de Escape ( + + + )
É a seqüência de caracteres que força o modem a sair do modo dados (On-Line) para o estado comando
interativo. A seqüência de escape consiste em uma pausa nos dados vindos do ETD (tempo programado no registrador
S12, default é 1s, valor 50) e três caracteres de escape (caracter programado no registrador S2, default é “ + “, valor
43). Esta seqüência evita que o modem detecte como seqüência de escape caracteres vindos do ETD no meio dos
dados.
O modem responde com “OK” quando detecta uma seqüência de escape, ficando apto a receber comandos
do ETD.
A conexão com o modem remoto não é desfeita. Se o usuário desejar retornar ao modo dados, basta enviar o
comando de retorno para o “On-Line” (ATO) e, se desejar desconectar, o comando de desconexão (ATH).
Para desabilitar a seqüência de escape, programe como caracter de escape um valor entre 128 e 255
(ATS2=200, por exemplo).

Registradores S
Toda a configuração do modem (perfil ativo) está armazenada em registradores (S0 a S96). Quando o modem
recebe um comando do ETD ele identifica o parâmetro e armazena a configuração do mesmo no registrador
correspondente. Alguns parâmetros são acessíveis apenas por registradores, como o número de rings para atender a
uma chamada (ATS0=2, por exemplo), retardo para começar uma discagem (ATS6=4), etc..
Pode-se entrar com os valores em decimal (ATS0=10) ou em hexadecimal (ATS0=0ah).
A sintaxe de programação dos registradores S com comandos AT é ATSn=m e de verificação ATSn? para um
registrador específico, ou AT%R para observação de todos os regitradores. Se o modem receber um comando sem a
indicação do registrador S ele assumirá o último registrador selecionado (n).

40
3.
3. Controle do Modem
Exemplos:
ATS0=4 Aponta para o S0 e programa para atender a chamada no quarto ring.
AT=3 S0 já apontado. Programa para atender a chamada no terceiro ring.
AT? S0 já apontado. Verifica o conteúdo atual do S0.
ATS2? Verifica o conteúdo atual do registrador S2.
AT%R Verifica o conteúdo de todos os registradores.

Quando operando com estado comando V25bis, pode-se acessar estes registradores através do comando “PRPn;m”
programando o valor “m” no registrador “n” permitindo o acesso a toda a configuração do modem. O comando RLPn
permite visualizar o conteúdo de um registrador específico (n).
Exemplos:
PRP6;6 Programa 6s no registrador S6.
RLP6 Verifica o conteúdo do registrador S6.

A configuração por painel só altera os registradores quando, terminada a fase de configuração, o usuário seleciona
uma das opções de armazenamento de configuração: Store to ... para salvá-la no perfil ativo ou nos perfis de usuário.
Alguns registradores são mapeados a bit, ou seja, cada bit tem uma função específica. Para programá-los o
usuário deve cuidar para carregar valor adequado em todos os bits. Ver resumo dos registradores no apêndice D.

3.4.2. Controle por Comandos AT

O DT34 possui um set de comandos AT (Hayes) estendido que permite o acesso a todas as funções do modem a
partir de comandos enviados pelo ETD.
O modo comando compatível com AT suporta apenas dados assíncronos com 10 bits (incluindo start, paridade e
stop bit). Se for programado modo síncrono, com estado comando AT, o modem irá operar no modo assíncrono durante
o modo comando e no modo síncrono durante o “ON-LINE”.

41
3.
3. Controle do Modem
Código de Atenção e Auto Baud
Quando operando com comandos AT, o modem detecta automaticamente a velocidade e a paridade dos
dados na interface com ETD (Auto Baud). O Auto Baud é feito a cada código “AT” que o modem recebe, definindo a
velocidade e a paridade do ETD.
O código de atenção deve ser digitado em letras maiúsculas (AT) ou minúsculas (at). O envio do código de
atenção com mistura de letras (At ou aT) causará operação imprópria do modo comando.
O Auto Baud não é executado quando o modem está operando em modo comando interativo, ou seja,
conectado a um modem remoto. Nesta condição ele assume a velocidade dos dados do ETD antes de entrar em
modo comando.

Sintaxe
Os comandos AT atendem a seguinte sintaxe:
AT<comando 1> <comando 2>...<comando n> <CR>
Onde:
AT é o código de atenção que identifica o início de um string de comandos.
<comando 1> <comando 2 >...<comando n> String de comandos: é o conjunto de comandos
enviados pelo ETD para serem executados pelo modem.
<CR> (código ASCII = 0Dh) caracter de finalização de string. Dispara a execução dos comandos.
Exemplo:
ATE1Q0&V<CR>
Onde:
E1 é comando para habilitação do eco dos comandos para o ETD, Q0 habilita o envio de resposta
aos comandos e &V o modem envia o perfil ativo para o ETD.

42
3.
3. Controle do Modem
Repetição de Comandos
Para repetir a execução do último comando enviado pelo ETD, basta enviar a seqüência A/ para o modem,
sem a necessidade do caracter <CR>.

Exemplo:
Se após enviar o comando ATD222222<CR> aparecer a mensagem BUSY, significa que o número discado
está ocupado. Repita a discagem enviando A/ para o modem.
Pode-se repetir o último comando de discagem através do comando ATDL<CR>, mesmo que o último comando
recebido não seja um comando de discagem.

Exemplo:
Se após enviar o comando ATD333333<CR> aparecer a mensagem NO DIALTONE, significa que o
modem não recebeu o tom de discar da linha telefônica. Desabilite a detecção do tom de discar com
o comando ATX3 <CR> e repita a discagem com o comando ATDL <CR> .

3.4.3. Controle por Comandos V.25bis

O modo comando compatível com V.25bis suporta dados síncronos (orientado a bit ou a caracter) ou assíncronos
(10 bits).
O set de comandos do DT34, além dos comandos compatíveis com a recomendação V.25bis, inclui comandos
adicionais que permitem maior controle do modem. Para configuração, pode-se usar o comando PRPn;m que acessa
diretamente os registradores S do perfil ativo (Ver item registradores S).

43
3.
3. Controle do Modem
Configurações básicas
Para a correta operação do modo comando compatível com V.25bis, são necessárias algumas configurações
básicas de acordo com as caracterírsticas do ETD conectado ao modem:
Velocidade do ETD
Paridade dos dados
- Paridade Par (comando PAR0)
- Paridade Espaço (comando PAR1)
- Paridade Ímpar (comando PAR2)
- Paridade Marca (comando PAR3)
Modo síncrono ou assíncrono
- Se síncrono, protocolo orientado a bit (HDLC, SDLC) ou a caracter (BSC).
- Se assíncrono, tamanho de caracter 10 bits (incluindo start, paridade e stop bits).

Sintaxe
Os comandos V25bis atendem à seguinte sintaxe:
<comando 1> ; <comando 2> ; ... ; <comando n> <CR>
Onde:
<comando1>, <comando 2>,..., <comando n> é o string de comandos V25 bis
( ; ) é o caracter delimitador ou separador de comandos
<CR> (código ASCII = 0Dh) é o caracter de finalização de string. O recebimento deste caracter
dispara a execução dos comandos.

44
3.
3. Controle do Modem
Exemplo:
CIC;RLN<CR>
onde :
CIC habilita a resposta automática e RLN envia a lista de números telefônicos armazenados para
o ETD.

3.5. Controle do Modem pelo Gerenciador (opcional)

O DT34 é um modem gerenciável pelo Sistema de Gerenciamento de Modens da Digitel.


Antes de conectar o sistema de gerenciamento ao DT34 o usuário deve configurar o endereço da linha (0 a 31)
e a velocidade dos dados na barra de acesso ao modem (600 a 9600 bps) na janela “2h.NMS parameters” do painel
frontal.
Uma vez configurado, o gerenciador fica habilitado a acessar o modem para controle e configuração. Os
acessos por comandos e por painel permanecem ativos.
Maiores detalhes sobre o gerenciamento são fornecidos no manual de operação do Sistema de Gerenciamento
de Modens da Digitel.

45
3.
3. Controle do Modem
3.6. Atualização de Software para Modens
com “Flash Memory” (Modelo /MCS)

3.6.1. Atualização Local

Se o modem DT34 possui o software armazenado em “Flash Memory” (Modelo /MCS), é possível realizar a
atualização via RS232. Para isso, conectar o modem a uma porta serial de um microcomputador IBM-PC ou compatível
e rodar, em ambiente DOS, o software de transferência fornecido pela Digitel em disquete.
Siga os procedimentos a seguir para a atualização da versão de seu modem:
1 - Inicialmente, configure o DT34 para o perfil de fábrica 0. Crie um diretório qualquer em seu PC: exemplo,
C:\>md DT34 <ENTER>.
2 - Entre no diretório criado: C:\> cd DT34 <ENTER>.
3 - Copiar para este diretório o arquivo executável DT34LOAD.EXE e a nova versão do modem arquivo
MODEM.DAT:
C:\DT34>copy a:dt34load.exe <ENTER>
C:\DT34>copy a:modem.dat <ENTER>
4 - Executar o aplicativo com a seguinte sintaxe:
C:\DT34>dt34load<COM><VELOCIDADE><ENTER>
Onde: COM = 1 a 4 (porta serial)
VELOCIDADE = 2400, 4800, 9600, 19200 ou 38400.
Exemplo:
C:\DT34>dt34load 2 19200 (a porta serial 2 e a velocidade de 19200 bps).

46
3.
3. Controle do Modem
5 - O programa apresentará na tela a contagem de blocos transmitidos.
6 - No final da transmissão/gravação na “Flash Memory” aparecerá a mensagem “FIM”.
7 - Se durante a gravação houver cancelamento pelo usuário <ESC>, desligar e ligar o modem para poder
utilizá-lo novamente.

3.6.2. Atualização Remota

Modelo com Display de Cristal Líquido


Se o modem remoto também for um DT34 e possui o software armazenado em “Flash Memory” (Modelo /MCS),
é possível atualizá-lo remotamente. Para isso, após verificar a possibilidade de conexão com o modem remoto, proceda
como descrito a seguir:
1 - Conectar o modem origem ao modem destino da atualização remota;
2 - Entrar na tela de configuração remota no painel frontal;
3 - Editar a password “FLASH”;
4 - Pressionar a seta para baixo;
5 - No display aparecerá escrito “Flash Writing” e a contagem do número de blocos transmitidos. Isto significa
que o software já esta sendo transmitido para o modem remoto.
6 - Notar que, em alguns momentos, o display fica parado por alguns segundos. Isto significa que o modem
local está aguardando que o modem remoto grave na respectiva “Flash Memory”os blocos transferidos,
para somente então prosseguir o envio de blocos. São normais, portanto, as paradas temporárias da
transferência de blocos.
7 - Após finalizada a transferência e a gravação remotas, o modem remoto será reinicializado automaticamente,
desfazendo a conexão. A duração típica de uma transferência completa, em uma conexão à 14400 bps,
é de aproximadamente 10 minutos.

47
3.
3. Controle do Modem
Modelo /MCS
Se o modem remoto também for um DT34 e possui o software armazenado em “Flash Memory” (Modelo /MCS),
é possível atualizá-lo remotamente. Para isso, após verificar a possibilidade de conexão com o modem remoto, proceda
como descrito a seguir:
1 - Retirar o modem do sub-bastidor ou gabinete e colocar a “dip-switch” 7 para a esquerda;
2 - Recolocar o modem no sub-bastidor ou gabinete e conectar ao modem destino da atualização remota;
3 - Editar a “password” (ver configuração remota) e salvar. A “dip-switch” fará com que seja gravada a password
padrão “FLASH”;
4 - Acionar a configuração remota. Iniciar-se-á uma contagem de blocos do modem origem, apresentada
através dos leds de indicação de registrador P. Da mesma forma que o modem com display, o contador faz
paradas temporárias durante a transferência para a gravação dos blocos transmitidos na “Flash Memory”
do modem remoto;
5 - Após finalizada a transferência e a gravação remotas, o modem remoto será reinicializado automaticamente,
desfazendo a conexão. A duração típica de uma transferência completa, em uma conexão à 14400 bps,
é de aproximadamente 10 minutos.

48
4.
4. Configuração
A estrutura de configuração do DT34 inclui 2 perfis de usuário, 5 perfis de fábrica, um perfil de painel e o perfil
ativo.
O perfil ativo é a configuração corrente do modem armazenada nos registradores S.
Os perfis de usuário 0 e 1 são configurações customizadas para a aplicação do usuário e gravados na memória
não volátil do modem (E2PROM). O usuário pode selecionar qual dos perfis de usuário será o perfil de inicialização do
modem (comando AT&Yn ou janela PowerUp USERn no painel), ou seja, aquele que o modem carregará quando for
ligado ou resetado . Os Perfis de Usuário 0 e 1 saem de fábrica com a configuração dos Perfis de Fábrica 0 e 1,
respectivamente.
Os perfis de fábrica são configurações típicas das aplicações mais comuns para o modem. Estes perfis são
armazenados em memória não volátil e não podem ser alterados. O usuário pode, a qualquer instante, carregar o
perfil de fábrica que mais se aproxima da sua aplicação para configurar o modem tanto por comandos (AT&Fn)
quanto pelo painel (3a.FactProf n).
O perfil de painel é a configuração que está sendo alterada no painel do modem, ele não afeta diretamente
os registradores S ou a configuração do modem. Na saída da janela de configuração o usuário tem a opção de
carregar o perfil de painel no perfil ativo (Store to ACTIVE), nos perfis de usuário (Store to USERn) ou ignorá-lo (Abandon).
Quando é selecionada a função de configuração (local ou remota) o perfil de painel é carregado com a
configuração ativa do modem (local ou remoto, respectivamente).
A visualização do perfil ativo pode ser feita pelo comando (AT&V) ou pelo painel, entrando-se na janela de
configuração e selecionando os parâmetros a serem visualizados. Na saída selecionar a opção “Abandon”.
A saída da janela de configuração tanto local quanto remota reinicializa os parâmetros do modem. Em alguns
casos, pode ocorrer a inconsistência de configuração do modem local com o modem remoto (troca de velocidade
de 9.600 para 1.200 bps, por exemplo) causando interrupção na comunicação. A comunicação pode ser restaurada
fazendo-se uma nova conexão, reinicializando-se os modens (reset) ou, ainda, reconfigurando-se os modens para
corrigir a inconsistência.
Verifique as dip-switches de habilitação/desabilitação de acesso à configuração no item 2.2 - Configuração
das dip-switches e estrapes.

49
4.
4. Configuração

Figura 4.1 - Perfis do DT34

A seguir são apresentados os parâmetros configuráveis do modem, incluindo a descrição do parâmetro, os


comandos AT para configuiração via ETD, os registradores S associados ao parâmetro e a janela para configuração
através do painel de cristal líquido. E os registradores P para configuração através do painel de led’s.

50
4.
4. Configuração
4.1. Parâmetros de Configuração
(Profile & Access)

Reset de Configuração, Perfil Ativo P0, P1


ATZ,AT&Yn, AT&Vn, AT&Wn
S---
1h. Reset - 2a/3b. PowerUp - 2a/3d. Load Local

O DT34 ao ser ligado (POWER-UP) ou resetado (ATZ), reinicializa todos os seus parâmetros de operação e
configuração.
O reset de configuração carrega o perfil ativo do modem com o perfil de inicialização indicado pelo último
comando AT&Yn ou pelo painel (PowerUp USERn), podendo ser o perfil de usuário 0 (AT&Y0) ou o perfil de usuário 1
(AT&Y1).
O perfil ativo pode ser observado tanto no painel frontal do modem como na tela do ETD (AT&V0). Os perfis de
usuário podem ser visualizados na tela do ETD (AT&V1). O perfil ativo pode ser gravado na memória não volátil do
modem como perfil de usuário 0 (AT&W0) ou como perfil de usuário 1 (AT&W1), permitindo ao usuário armazenar
configurações distintas para diferentes aplicações.
O comando V.25bis correspondente ao reset de configuração é o “RES”.
Ver o item “Fim de Configuração”.

51
4.
4. Configuração
Perfis de Fábrica P0
AT&Fn

2a/3a. FactProf

O DT34 possui 5 perfis de fábrica. Cada perfil corresponde a uma aplicação típica que pode ser carregada
diretamente para o perfil ativo do modem (comando AT&Fn, n= 0,1,2,3 ou 4). Ver apêndice “A” sobre os perfis de
fábrica disponíveis.

Habilitação de Laço Remoto P1


AT&T4, AT&T5
S23
2a/3c. EnableRDL

Habilita o modem a entrar em laço acionado remotamente (AT&T4) ou ignora o acionamento de laço remoto
(AT&T5).

Configuração Remota P0
AT%P, AT%T, AT&Wn, AT&Yn, ATZ, ATO, ATH

1g. Remote Config 2a/3e. Passwords

O DT34 permite que se configure um outro DT34 via linha sem a intervenção de operador remoto.
Este acesso pode ser feito tanto pelo painel frontal quanto pelo ETD.

52
4.
4. Configuração
Os requisitos operacionais necessários para a configuração remota são a compatibilização da senha de acesso
entre os equipamentos e que os modens estejam conectados e sincronizados.
Para habilitar a configuração remota, deve-se programar previamente a senha de acesso no modem a ser
configurado remotamente (AT%P=senha <CR>). A senha pode conter até 5 dígitos alfa numéricos. Pode-se visualizar
a senha programada com o comando AT%P?<CR> . O acesso à senha também pode ser feito pelo painel frontal na
janela “Passwords”, opção “RemConf”.
Para desabilitar esta função, basta desprogramar a senha com o comando AT%P=<CR> ou pelo painel
selecionando o caracter na opção Remote Config.
Quando operando sem protocolo, o laço remoto deve estar habilitado no modem a ser configurado remotamente.

Dial com Password P0


AT%PD,ATDn%p, AT%PI

2a/3e. Passwords

O usuário pode proteger o modem de receber chamadas indesejáveis através da programação de password
para acesso ao sistema.
Para habilitar esta função, basta programar a password no modem resposta (AT%PD=Passw <CR> ou pelo
painel na janela “Passwords” opção DialAns). A password pode ter até 5 dígitos alfanuméricos e pode ser observada
tanto no painel frontal (janela de passwords, opção Answer) quanto na tela do ETD (AT%PD?<CR>).
Para discar para um modem protegido por password deve-se enviar junto com o número telefônico a ser
discado a password de acesso ao sistema remoto (ATDnúmero%passwd<CR>).
Para apagar a password de acesso ao sistema basta limpar a password anterior (AT%PD=<CR>) no modem
resposta.

53
4.
4. Configuração
Nas discagens com passwords, o modem chamador pode enviar uma identificação ao modem remoto
juntamente com a password de acesso. Esta identificação permite que o operador remoto saiba qual a origem da
chamada (AT%PI=identit<CR>, onde “identit” pode conter até 5 dígitos alfanuméricos). O usuário pode visualizar a
identidade do modem local e a identidade da última chamada que o modem atendeu, através do comando AT%PI?
A identidade não aparece no comando de discagem, ela é enviada sempre que for disparada uma discagem
com password e tiver alguma coisa configurada em “identit”. Para apagar a identidade do modem envie “AT%PI=<CR>”
para o modem.
Para edição da identidade via painel, verifique o item “Edição de Passwords e Números Telefônicos” no
capítulo 3.

4.2. Parâmetros de Interface com o ETD


(2b. DTE Parameters)

Modo de Operação Síncrono/Assíncrono P2


AT&Mn
S27
2b/3a. Mode

Seleciona modo de transmissão assíncrono (AT&M0) ou síncrono (AT&M1). Quando selecionado modo síncrono
e estado comando AT, o modem executa o estado comando no modo assíncrono e passa para síncrono no estado
on-line.
Este parâmetro deve ser configurado de acordo com as características do ETD ao qual o modem está conectado.

54
4.
4. Configuração
Relógio de Transmissão P2
AT&Xn
S27
2b/3b. TxClock

Seleciona a fonte de sincronismo para a transmissão dos dados para a linha.


O relógio pode ser interno (AT&X0), externo (AT&X1) ou regenerado (AT&X2).
A opção de relógio externo é válida apenas para operação Síncrona. Se for utlizada quando o modem estiver
programado para assíncrono, este assumirá como relógio interno.

Velocidade do ETD P2, P3


AT-Un
S29
2b/3c. DTEspeed

O comando AT-Un deve ser utilizado apenas quando se quer salvar a velocidade de ETD em um perfil de
usuário. O comando de gravação deve ser dado no mesmo string de comando AT-U19200 &W0 pois, se o
terminal estiver a 9600 e digitarmos o comando AT-U19200 o “OK” virá a 19200 e no próximo “AT” (AT&W) a velocidade
retornará a 9600 via Auto Baud.
Obs.: o Auto Baud tem prioridade sobre o comando AT-Un.
Se for programada velocidade fixa para o ETD, deve ser programado algum tipo de controle de fluxo para
evitar perda de dados.

55
4.
4. Configuração
Tolerância na Velocidade dos Dados Assíncronos P4
AT%On
S80
2b/3d. OverRate

Seleciona o desvio máximo admitido na sobretaxa de transmissão dos dados assíncronos.

Velocidade Tolerância Comando


Normal -2.5% a +1.0% AT%O0
Estendida -2.5% a +2.3% AT%O1

Tamanho de Caracter Assíncrono P4


AT-Bn
S80
2b/ 3e. CharFormat

Seleciona o tamanho de caracter assíncrono, incluindo o START-BIT, os bits de dados, paridade e o(s) STOP-BIT(s).

Tamanho de Caracter Comando


8 bits AT-B0
9 bits AT-B1
10 bits AT-B2
11 bits AT-B3

56
4.
4. Configuração
Restrições:
1. Quando operando com velocidade de ETD fixa ou com protocolo de correção de erros e tamanho de
caracter igual a 11 bits, deve-se selecionar a paridade dos dados.
2. Quando operando no Estado Comando com padrão AT, o modem só aceita caracteres de 10 bits,
assumindo a configuração deste parâmetro somente após entrar para o estado ON-LINE.

Sinal CTS P4, P5


AT&Rn
S21, S26
2b/3g. CTS. 2b/3f. CTSdel

O sinal CTS (CT106) pode ser configurado para seguir a condição do sinal RTS (AT&R0) ou forçado à
condição “ON” (AT&R1).
O tempo de retardo entre a transição do sinal RTS (CT105) e a transição do CTS é programado no registrador
S26 (ATS26=1 corresponde a 10ms, por exemplo), podendo ir de 0 a 2550 ms.

Sinal DCD P6
AT&Cn
S21
2b/3h. DCD

O sinal DCD (CT109) pode ser forçado à condição “ON” (AT&C0), usado para indicar a presença da portadora
do modem remoto na linha (AT&C1) , forçado à condição “ON” com ligeira interrupção no instante da desconexão
(AT&C2) ou, ainda, operar de acordo com a recomendação V25bis, ou seja, seguindo o CT106 no modo comando,
“OFF” durante o handshake, seguindo a portadora do modem remoto durante a troca de dados e fazendo ligeira
transição no instante da desconexão (AT&C3).

57
4.
4. Configuração
Sinal DSR P6
AT&Sn
S21
2b/3i. DSR

O sinal DSR (CT107) pode ser usado para indicar ao ETD que o modem está pronto para operar em resposta ao
sinal DTR (AT&S1) ou forçado à condição “ON” (AT&S0).

Função do Sinal DTR P7


AT:Dn, AT&Dn, AT%Dn
S21, S25, S85, S87
2b/3k DTR-2b/3j. CT108 2b/3l. DTRdetec

Seleciona a função do sinal DTR (CT108) na interface.


O comportamento do modem na ocorrência de transição negativa do sinal DTR pode ser programado para:
• Ignorar o DTR (AT&D0).
• Ir para o Estado Comando sem desconectar (AT&D1).
• Desconectar da linha e ir para o Estado Comando (AT&D2).
• Desconectar da linha, reinicializar o modem e ir para o Estado Comando (AT&D3).
O sinal DTR pode ser usado para indicar a condição de ETD pronto para operar (CT108/2) (AT:D0) ou para
controle de chaveamento do relé na linha (CT108/1) (AT:D1). Pode-se, também, disparar a discagem do número telefônico
armazenado na posição zero de memória quando o modem detectar a transição de OFF para ON do sinal DTR (AT%D1).
Quando o modem estiver programado para comandos AT e modo síncrono no ON-LINE, pode ser necessário a
programação de um atraso na detecção de queda do sinal DTR para permitir a troca de cabos do terminal assíncrono
para o terminal síncrono após a discagem. Este tempo é determinado pelo registrador S25 (ATS25=5 corresponde a 5s).

58
4.
4. Configuração
Seleção de Velocidade pelo CT11 P1
AT-Vn
S85
2b/3m. CT111

O ETD pode selecionar a velocidade de operação do modem a partir do sinal CT111 da interface (pino 23).
Estando habilitada esta função (AT-V1), a condição “ON” (+V) no CT111 selecionará a velocidade mais alta
programada e a condição “OFF” (-V), a velocidade mais baixa.
Para a correta operação desta função, pelo menos duas velocidades de ECD devem estar habilitadas.
No caso de mais de duas velocidades habilitadas, será considerada velocidade baixa aquela mais próxima da
velocidade alta.

Acionamento de Laços pela Interface P8


AT-In
S83
2b/3n. CT140,- 2b/3o.CT141

O ETD pode proceder o acionamento de laços no modem a partir dos pinos 18 (CT141) e 21 (CT140) da
interface conforme tabela a seguir.

59
4.
4. Configuração
Laço pela interface Circuito Comando
Desabilitado — AT-I0
Laço Analógico Local - LAL CT141 AT-I1
Laço Digital Remoto - LDR CT140 AT-I2
LAL e LDR CT140 e CT141 AT-I3
LDR com polaridade invertida CT140/ AT-I4
LAL e LDR invertido CT141 e CT140/ AT-I5

Portadora Pseudo-Controlada P6
AT-Sn
S84
2b/3p. V13

O DT34 opera sempre com portadora constante na linha. Em função das características do sistema do usuário
(aplicações com UDD, por exemplo), pode ser necessária a simulação de portadora controlada na interface digital
do modem (AT-S1). Esta característica é definida na recomendação V.13 do UIT-T e consiste no envio de um padrão
indicando quando o RTS local está na condição “OFF” para que o modem remoto coloque o sinal DCD na posição
OFF também. Na transição de “OFF” para “ON” do RTS local o modem envia um padrão de ativação da DCD do
modem remoto seguido dos dados.
Se o modem receber um padrão diferente da indicação de RTS “OFF” por um tempo superior a 1s ele ligará a
DCD na interface com o ETD.

60
4.
4. Configuração
Busy Mode P8
AT:Un
S85
2b/3q BusyMode

Permite usar o pino 20 da interface para forçar a condição de linha ocupada (AT:U1). Com este pino em “ON”
(+V) o modem conecta-se à linha e, em “OFF” (-V) o modem permanece em operação normal.

4.3. Parâmetros de Modem e de Linha


(2c. DCE/Line Parameters)

Velocidade do Modem e Fallback P9, P10, P11, P12


AT%Bn, AT:Bn
S90, S91
2c/3a. DCE speeds

Seleciona a maior velocidade que o modem poderá assumir na negociação com o modem remoto (AT%B28800,
por exemplo) e as velocidades de fallback (AT:B9600:B4800).
Exemplo para habilitar apenas 28800 e 9600.
AT%B28800 seleciona todas as velocidades
AT:B desabilita todas as velocidades abaixo de 28800
AT:B9600 seleciona apenas fallback para 9600
Durante o treino os modems avaliarão as condições das linhas e irão operar na maior velocidade comum aos
dois. Se houver deterioração abrupta da linha, já em modo online, o fallback será efetuado por retreino, porém, se a
deterioração for gradativa, o fallback será efetuado por renegociação de velocidade.

61
4.
4. Configuração
Na linha comutada, durante o handshake, o modem escolherá a norma conforme a configuração do remoto,
porém, depois de estabelecida a conexão, o modem não permite a renegociação de velocidade entre normas (V.34,
V.32B e V.22B). Em linha privativa a seleção da norma deve ser feita previamente pois não há renegociação entre
normas.
Ver item 4.4. Parâmetros de V.34.

Potência de Transmissão P13, P14, P27


AT-Tn, AT-Kn
S84, S15
2c/3b. TxLevel

Seleciona a potência máxima de transmissão do modem (AT-T6, programa para -6dBm por exemplo). No
treinamento de V.34 é feito um ajuste fino da potência de transmissão, podendo chegar até 7 dB abaixo do valor
selecionado.
A potência pode ser programada de -0dBm a -21dBm em passos de 1dBm. Se for programado um valor fora
desses limites, o modem assumirá o valor válido mais próximo.
O comando AT-Tn programa o nível de transmissão na linha comutada.
O comando AT-Kn programa o nível de transmissão na linha privativa.

Canal de Transmissão P15


ATD, ATA, AT-An, AT-Xn
S84
2c/3c. Channel

Seleciona o canal de transmissão do modem. Para efetivar a comunicação, o modem local deve transmitir em
um canal e o modem remoto no outro.

62
4.
4. Configuração
Na linha comutada, o canal é definido durante a conexão, sendo que o modem chamador (ATDn) transmite no
canal B e o modem resposta (ATA ou em resposta automática) no canal A.
Na linha privativa, como não há evento de conexão, os canais de transmissão devem ser selecionados
previamente: Um modem deve ficar no canal A (AT-A0) e o outro no canal B (AT-A1).
O canal de transmissão também pode ser selecionado pelo circuito CT126 (pino 11) da interface digital (AT-Xn).
Com esta característica habilitada (AT-X1), a condição “ON” (+V) neste circuito seleciona canal A na transmissão e a
condição “OFF” (-V), canal B na transmissão.
No painel, pode-se selecionar o canal de transmissão diretamente na janela “Channel”, tanto na linha comutada
para conectar o modem como chamado ou chamador como em linhas privativas para selecionar ATX (equivale a
modem chamado) ou BTX (modem chamador).
Com comandos V.25bis, o comando de conexão à linha como chamador é o CRNn.

Tipo de Linha P15


AT&Ln
S27
2c/3d. Line

O DT34 pode operar em linhas comutadas, linhas privativas a 2 fios ou em linhas privativas a 4 fios.

A programação deste parâmetro deve estar de acordo com o estrape S2 e a dip-switch


SW2 localizados na placa do modem. Ver item 2.2 Conexão à Linha.

63
4.
4. Configuração
Desconexão Automática da Linha P16
AT-Hn, AT-Fn, AT-Pn
S83
2c/3e.DCD disc-2c/3f.Data disc-2c/3g.Cleardown

Quando operando na linha comutada, pode-se habilitar a desconexão da linha a partir dos seguintes eventos:
• Ausência de portadora do modem remoto (AT-H1).
• Ausência de dados na recepção do modem (CT104) por 4 minutos (AT-H2).
• Ausência de portadora e/ou dados (AT-H3).
• Negociação para desconexão (Cleardown) (AT-F1).
A negociação para desconexão nos modos V.34 e V.32bis é feita sem necessidade de retreino, enquanto no
modo V.32 os modens negociam a desconexão após uma seqüência de treinamento. Nas velocidades de V.22bis
(1200 e 2400 bps) não há negociação para desconexão.
O tempo para que o modem desconecte-se da linha por perda de portadora pode ser curto (AT-P0) ou longo
(AT-P). O tempo curto é da ordem de 8s e o tempo longo da ordem de 45s (conforme a norma V.32bis). Em V.34 o
tempo para desconexão é da ordem de 6s.
De acordo com aplicação, pode-se desabilitar a desconexão automática da linha (AT-H0 e AT-F0).

Limiar de Detecção de Portadora P12


AT-Cn
S83
2c/3h.DCD det

No modo V.22bis o operador pode ajustar o limiar de detecção da portadora para -33dBm (AT-C0) ou -43dBm
(AT-C1) de acordo com sua aplicação. A efetivação do ajuste de limiar de recepção só ocorre mediante a reinicialização
do modem (RESET).

64
4.
4. Configuração
No modo V.32bis este parâmetro é ignorado, sendo a detecção de portadora associado ao tempo de tentativa
de retreino e não ao nível do sinal recebido visto que os sinais de transmissão e recepção do modem ocupam a
mesma faixa do canal de comunicação. O modem em V.32bis opera com sinais entre -6 e -43dBm na recepção.

4.4. Parâmetros de V.34


(2d. V.34 Parameters)

Velocidades para Operação V.34 P13


AT-Nn
S96
2d./3a. V34 LowSpd

Em linha comutada o modem pode estar configurado para operação em uma norma específica (V.34, V.32B,
V.22B), ou para operação no modo multinorma, onde a norma será definida pelo modem remoto. Em linha privativa,
se o modem estiver configurado para o modo multinorma, equivale à operar em V.34.
As velocidades de 4800, 7200, 9600, 12000 e 14400 bps são comuns tanto para a norma V.34 como para a
V.32/V.32B e a velocidade de 2400 bps é comum para V.34 e V.22B. Para tornar possível a configuração de normas
distintas foi criado o parâmetro V34LowSpeed. Quando V34LowSpeed em ON (AT-N1) faz com que as velocidades,
habilitadas em DCE Speeds, comuns entre normas, sejam V.34. Se V34LowSpeed em OFF (AT-N0) faz com que as
velocidades, habilitadas em DCE Speeds, comuns entre normas, sejam V.32/V.32B ou V.22B. Abaixo seguem alguns
exemplos de configuração.

Multinorma completo Habilitar todas as velocidades e V34LowSpeed on.


Multinorma V.32/V32B e V.22/V22B Habilitar todas as velocidades abaixo de 14400 bps e V34LowSpd off.
Apenas V.32B Habilitar no mínimo uma velocidade de V.32B e V34LowSpd off.
Ver item 4.3. Velocidade do Modem e Fallback.

65
4.
4. Configuração
Habilitação de Velocidades Assimétricas P13
AT-Wn
S96
2d./3b. AsymSpeed

No modo V.34, durante o treinamento, o modem pode definir em função das condições da linha, velocidade
de transmissão diferente da velocidade de recepção (AT-W1), visto que as características da linha não são simétricas.
Esta característica permite que o modem selecione a maior velocidade possível em ambos os sentidos de forma
independente.
Dependendo da configuração do modem, a assimetria das velocidades poderá ser repassada para o ETD,
sendo necessário que o mesmo suporte essa diferença, caso contrário, será necessário desabilitar esta opção (AT-W0).
Os casos típicos de utilização desta característica são:
• Operação com correção de erros (MNP4 ou V.42)
• Operação com compressão de dados (MNP5 ou V.42bis)
• Operação em modo normal
• Operação com compressão síncrona
Casos em que o usuário deve observar as características do ETD:
• Operação em assíncrono modo direto
• Operação em modo síncrono sem compressão
Casos em que esta característica não funciona:
• Operação com Laço Digital Remoto (RDL)
• Operação com relógio regenerado (síncrono ou assíncrono)

66
4.
4. Configuração
4.5. Parâmetros de Protocolo
(2e. Protocol Parameters )

Protocolo de Correção de Erros P17


AT\Nn, AT\An
S81, S87
2e/3a (Protocol), 2e/3b BlockSize

O DT34 pode operar de várias modos, obedecendo a necessidade do usuário e/ou as características do
modem remoto.
No MODO DIRETO, a velocidade do modem vai determinar a velocidade dos dados na interface com o ETD.
Não há correção de erros neste modo.
O MODO NORMAL permite que o modem opere com uma velocidade na linha mantendo velocidade fixa para
o ETD. A compensação de velocidade se dá por controle de fluxo e buffers. Não há correção de erros neste modo.
O protocolo de correção de erros pode ser compatível com o MNP classe 4 ou com a recomendação V.42 do
UIT-T(compatível com LAPM).
No início da conexão os modens negociam o protocolo de comunicação que será adotado para a troca de
dados. Para isso, o usuário deve selecionar o(s) protocolo(s) que ficarão habilitados no seu modem de acordo com a
tabela a seguir.

67
4.
4. Configuração
Protocolos Habilitados Comando
Modo Normal AT\N0
Modo Direto AT\N1
Modo MNP ( reliable ) AT\N2
Modo MNP e Normal ( Auto-reliable ) AT\N3
Modo V.42 AT\N4
Modo V.42 e Normal AT\N5
Modo V.42 e MNP AT\N6
Modo V.42, MNP e Normal AT\N7

No modo MNP, pode-se selecionar o tamanho máximo de bloco para 64 (AT\A0), 128 (AT\A1), 192 (AT\A2) ou 256
(AT\A3) caracteres. Normalmente, é usado o tamanho máximo de bloco, mas em condições adversas de linha, onde
há alto índice de retransmissão, o uso de blocos menores permite maximizar a taxa efetiva de dados entre os ETD’s.

Compressão de Dados P18


AT%Cn
S82
2e/3c Compress

A compressão de dados permite um aumento da taxa efetiva de dados trocados entre os ETD’s. Deve-se
selecionar a compressão de dados em conjunto com a correção de erros.

68
4.
4. Configuração
O DT34 pode operar com compressão de dados na transmissão e na recepção (AT%C1), só na
transmissão (AT%C2) ou só na recepção (AT%C3). Isto vale somente quando no modo V.42bis. No modo MNP, a
compressão será sempre bidirecional (transmissão e recepção).

Opções de Modo Automático P-


AT\Cn, AT%An, AT\Mn
S81, S88
2e/3d AutoRelBuf, 2e/3e AutoChar, 2e/3f DetPhase

Se um dos modens estiver com o protocolo de correção de erros habilitado e o outro desabilitado, aquele que
estiver desabilitado começa a enviar diretamente os dados do ETD para a linha, enquanto o outro fica tentando
estabelecer um enlace no protocolo selecionado. O tratamento dos dados recebidos pelo modem durante a
negociação do protocolo é configurável de acordo com a aplicação do usuário.
Pode-se configurar o modem em modo automático em 3 formas:
1 - Modem despreza dados recebidos do modem remoto durante a tentativa de conexão do protocolo (AT\C0).
O fallback para modo normal será efetuado após esgotado o tempo de tentativas de estabelecimento do
enlace no(s) protocolo(s) selecionados.
2 - Modem armazena os dados recebidos (até 200 caracteres) em um buffer (Auto Reliable Buffer),
descarregando-os para o ETD se houver fallback para o modo normal, o que também será executado após
esgotado o tempo de tentativas do(s) protocolo(s) (AT\C1).
3 - Modem efetua fallback para modo normal se receber um determinado caracter (Auto Reliable Char),
programável com o comando AT%An (AT%A20H ou AT%32 correspondem ao <ESPAÇO>, por exemplo).
Este procedimento acelera o processo fallback, sem armazenamento de outros dados que venham a ser
recebidos anteriormente ao caracter programado (AT\C2).
Quando os dois modens suportam o modo V.42, pode-se acelerar o processo de negociação de protocolo
habilitando-se a fase de transmissão da sequência de detecção de protocolo LAPM (AT\M1).

69
4.
4. Configuração
Retransmissão Seletiva
Nos protocolos de correção de erro, em caso de detecção de erro em um pacote de informação, este pacote
é retransmitido, recuperando-se desta forma os dados originais corrompidos. Normalmente, todos os pacotes seguintes
que já tiverem sido enviados, mesmo que estes tenham sido recebidos sem erro, são também retransmitidos, provocando
perda de eficiência e demora no restabelecimento do fluxo normal dos dados. Na retransmissão seletiva, apenas os
pacotes com erro são retransmitidos, aumentando significativamente a performance do protocolo em linhas ruidosas.
A retransmissão seletiva é opcional na recomendação V.42 do UIT-T e é uma característica negociada durante
o estabelecimento do enlace do protocolo, sendo acionada apenas se os dois modens tiverem esta característica
disponível. Assim, não há necessidade de configuração pelo usuário.

Controle de Fluxo P19


AT\Qn, AT\Xn, AT\Gn
S82, S84
2e/3g Flow, 2e/3h ModPortFC, 2e/3iPassThr

O controle de fluxo é a técnica que permite a suspensão e o restabelecimento do fluxo de dados entre os
equipamentos envolvidos na comunicação. Isso se faz necessário para prevenir a perda de dados nos buffers dos
equipamentos quando operando com correção de erros, compressão de dados ou no modo normal.
O controle de fluxo pode ser por hardware (RTS/CTS) ou por software (XON/XOFF), unidirecional (do modem para
o ETD) ou bidirecional (do modem para o ETD e do ETD para o modem), conforme a tabela a seguir.

70
4.
4. Configuração
Controle de Fluxo Comando
Desabilitado AT\Q0
Por XON/XOFF Bidirecional AT\Q1
Por RTS/CTS Unidirecional AT\Q2
Por RTS/CTS Bidirecional AT\Q3
Por XON/XOFF Unidirecional AT\Q4

No controle de fluxo unidirecional por hardware, o modem usa o CTS para solicitar ao ETD que suspenda a
transmissão e o sinal RTS do ETD é ignorado.
No controle de fluxo por hardware bidirecional, o modem usa o CTS para solicitar ao ETD que suspenda a
transmissão e o ETD usa o sinal RTS para solicitar ao modem que suspenda os dados recebidos pelo CT104 (RD). Neste
caso, o sinal RTS tem a função conforme o circuito CT133 da UIT-T (Ready for receive).
Quando operando no modo normal, pode ser necessária a habilitação do controle de fluxo entre os modens
(AT\G1) para o caso em que a velocidade dos dados na porta serial seja inferior à velocidade dos dados entre os
modens. Este modo de controle é exclusivamente XON/XOFF bidirecional.
Pode ser desejável que o controle de fluxo ativado pelo ETD local seja repassado ao ETD remoto (sem interferência
do modem local) (AT\X1). Essa característica (PASS-THROUGH) pode ocasionar perda de dados quando houver conflito
entre o controle de fluxo do modem remoto para o ETD remoto e aquele gerado pelo ETD local para o ETD remoto.
Não é aconselhável o uso do controle de fluxo na porta modem simultaneamente com PASS-THROUGH.

71
4.
4. Configuração
Tratamento de Break P-
AT\K
S81
2e/3j. Break

A sinalização de “Break” vinda do ETD pode ser enviada imediatamente para o sistema remoto destruindo os
dados presentes no buffer com a reinicialização de buffers e protocolo (AT\K1), pode ser enviada imediatamente para
o sistema remoto com o posterior envio dos dados armazenados no buffer (AT\K3) ou ainda ser enviada após o
esvaziamento do buffer de dados do modem (AT\K5), de acordo com a necessidade da aplicação do usuário.

4.6. Parâmetros de Discagem / Resposta Automática


(2f. Dial/Answ Parameters)

Memória de Números Telefônicos P20


AT&Zn=m,AT\F,ATDS=n
S
2f/3a PhoneNumbers

O modem comporta até 8 números telefônicos (n= 0 à 7) de 30 dígitos alfanuméricos em sua memória. Podem
ser armazenados, além do próprio número telefônico, os caracteres de controle de discagem (Ver item Linha Comutada
com Discagem Automática) e caracteres de identificação do número armazenado (Por ex.: AT&Z3=0W3371999 -
DIGITEL, corresponde a PRN3;0W3371999-DIGITEL em V.25bis).
As posições 0, 1 e 2, dependendo da configuração do modem, têm funções especiais associadas. A posição
0 é associada à discagem na subida do DTR ou na conexão manual. As posições 0, 1 e 2 armazenam os números
telefônicos para Dial Backup.

72
4.
4. Configuração
A discagem dos números armazenados na memória pode ser feita pelo painel frontal (posição 0 de memória)
ou pelo comando ATDS=n (em V.25bis, comando CRSn).
A visualização dos números armazenados é feita através do comando AT\F (ou RLN em V.25bis).
A configuração remota tem acesso restrito à posição 0 da memória de números telefônicos do modem remoto.

Discagem por Pulso/Tom P21


ATP,ATT, AT&Pn
S14, S22
2f/3b Dialing, 2e/3c PulseRatio

Seleciona a forma de discagem do número telefônico, que pode ser por pulsos (ATP) ou por combinação de
tons (DTMF) (ATT). A discagem por tom é mais rápida, porém nem todas as centrais a aceitam.
Quando operando com discagem por pulso, pode-se selecionar a razão dos pulsos de discagem (tempo de
aberura / tempo de fechamento da linha) para compatibilizar com a central à qual está conectado o modem. A razão
dos pulsos pode ser 39ms/61ms, que é o padrão americano (AT&P0) ou 33ms/67ms (AT&P1). O padrão brasileiro
recomenda 28 a 40ms de tempo de abertura da linha e 33 a 67ms de tempo de fechamento, desde que a soma seja
de 100ms, suportando, portanto, as duas opções atendem esses requisitos.
Este parâmetro deve estar de acordo com as carcterísticas da central à qual está conectado o modem.

Monitoração da Linha em Auto-Dial P21


ATXn, AT-E1
S6, S7, S22
2e/3d. BusyTone, 2e/3e. DialTone, 2e/3f. Pause

73
4.
4. Configuração
O modem incorpora a capacidade de monitoração automática dos sinais de linha (TOM DE DISCAR e TOM DE
OCUPADO) durante o procedimento de discagem. Como algumas centrais apresentam características diferentes do
padrão, é necessário, em algumas situações, desabilitar a monitoração desses tons.
O comando ATXn, além de selecionar os tons a serem monitorados, também afeta na mensagem de conexão
enviado pelo modem para o ETD quando operando com o Estado Comando AT. A mensagem pode vir com ou sem a
indicação de velocidade de conexão (CONNECT 14400 ou CONNECT, por exemplo), conforme tabela a seguir.

Tom de Discar Tom de Ocupado Mensagem de Conexão Comando


ignora ignora sem velocidade ATX0
ignora ignora com velocidade ATX1
monitora ignora com velocidade ATX2
ignora monitora com velocidade ATX3
monitora monitora com velocidade ATX4

O tempo de espera pelo tom de discar é definido pelo registrador S6.


Quando a detecção do tom de discar está desabilitada, o modem espera o tempo definido pelo registrador S8
entre a conexão à linha e o início da discagem.
O comando AT-E1 permite ao usuário acompanhar o andamento da chamada via mensagens no terminal
(apenas via AT).

74
4.
4. Configuração
Controle do Alto-Falante P22
ATMn, ATLn
S22
2f/3g. Spker, 2f/3h. Volume

O DT34 incorpora um alto-falante para monitoração audível dos tons de linha propiciando ao usuário o
acompanhamento de uma discagem e o resultado da mesma.
O alto-falante pode ser desligado (ATM0), ligado até o estabelecimento da conexão com o modem remoto
(ATM1), sempre ligado (ATM2) ou desligado durante o processo de discagem e religado até o estabelecimento da
conexão com o modem remoto (ATM3).
O volume do alto-falante é configurável para 4 níveis: mínimo (ATL0), baixo (ATL1), médio (ATL2) ou alto (ATL3).

Tempo de Espera pela Portadora P-


ATS7=n
S7
2f/3i Wait DCD

É o tempo que o modem fica esperando pela resposta do modem remoto após uma discagem (ATS7=30
corresponde a 30s, por exemplo).

Tempo de Espera Definido pela Vírgula P-


ATS8=n
S8
2f/3j. Comma

É a pausa que o modem faz na discagem quando encontra uma vírgula no meio do número telefônico (ATS8=2
corresponde a 2s, por exemplo).

75
4.
4. Configuração
Resposta Automática/ Manual P-
ATA, ATS0=n
S0
2e/3k. AnswRing, 1c. Autoansw

A chave AUT no led’s e AUTOANSW no display equivale a ATS0=2.


Para o modem responder a uma chamada, basta programar o número de rings no qual ele deve conectar-se
à linha (ATS0=2, por exemplo). Se o número de rings for igual a zero (ATS0=0), a resposta automática ficará desabilitada.
Através do comando ATA, força-se a conexão imediata do modem à linha no modo resposta.
Em V.25bis, o comando de habilitação de resposta automática é CIC e o de desabilitação, DIC.

Discagem na Conexão Manual P21


AT%Mn
S27
2f/3l DialConn

Esta função habilita a discagem pelo painel frontal (AT%M1), ou seja, dispara a discagem do número telefônico
armazenado na posição 0 de memória quando for realizada uma conexão através do painel frontal na condição de
modem chamador (BTX ou ORIG).

Call Back P1
AT\Sn
S95
2f/3m Call Back

Habilita a função de Call Back do modem (AT\S1). Este parâmetro necessita da correta configuração das
passwords para operar adequadamente (Ver item 5.9.3. Operação com Call Back)

76
4.
4. Configuração
4.7. Parâmetros de Controle do Estado Comando
(2g. Command Parameters)

Seleção de Modo Comando e Paridade


AT:Mn, AT:On, AT:Sn, ATG
S80, S87
2g/3a. Command, 2g/3b. Parity

O modo comando pode ser habilitado (AT:M1) ou desabilitado (AT:M0), compatível com os comandos AT (AT:S0)
ou V.25bis (AT:S1) e, se selecionado modo comando síncrono compatível com V.25bis, orientado a byte (BSC) (AT:O0)
ou a bit (HDLC, SDLC) (AT:O1).
Utilize o comando AT&W no mesmo string de configuração (Ex.: AT:M1:S1&W).
A programação destes parâmetros só se torna ativa após uma reinicialização do modem (ATZ, Power-On ou
pelo painel).
Para passar imediatamente de comandos AT para comandos V.25bis basta enviar o comando ATG. O comando
GAT retorna de comandos V.25bis para comandos AT.
Quando operando com modo comando V.25bis assincrono ou síncrono orientado a byte, o usuário deve
configurar a paridade dos dados (comando PARn ou painel). Em modo comando síncrono orientado a bit a paridade
será sempre espaço.
Habilitação do Eco dos Comandos P-
ATEn
S14
2g/3c. Echo

Os comandos assíncronos enviados para o modem podem ser ecoados para o ETD (ATE1) ou não (ATE0),
conforme a necessidade da aplicação.
77
4.
4. Configuração
Seleção do Tipo de Mensagens P-
ATQn,ATVn, ATXn, ATCn, AT\Vn, AT:En
S14, S22, S82
2g/3d.AT Messg, 2g/3e. SpeedCode, 2g/3f.PtcolCode

As mensagens que o modem envia para o ETD em resposta aos comandos podem ser habilitadas (ATQ0) ou
inibidas (ATQ1) e podem ser numéricas (ATV0) ou literais (ATV1).
Quando operando com mensagens numéricas, o usuário deve selecionar o grupo mais adequado à sua
aplicação. A diferença está nas mensagens de conexão das velocidades 4800, 9600 e 14400 bps sem protocolo. O
grupo 0 (ATC0) usa 11, 12 e 14 , enquanto o grupo 1 (ATC1) usa 30, 32 e 42, respectivamente.
O comando ATXn de monitoração dos tons de linha permite habilitar ou não a informação de velocidade na
mensagem de conexão.
Para compatibilizar com seu software de comunicação pode ser conveniente o usuário inibir a informação de
conexão com protocolo (/REL ou /LAPM) (AT\V0). O comando AT\V1 habilita esta informação.
O comando AT:En seleciona a velocidade do ECD (AT:E0) ou a velocidade de ETD (AT:E1) para a mensagem de
“CONNECT XXXX”.
As tabelas de mensagens do modem para o ETD são apresentadas no item “Respostas aos Comandos” no
apêndice B.

Programação de Caracteres de Estado Comando P-


ATSn=m
S2, S3, S4, S5, S12
2g/3g. ESC char, 2g/3h. ESCdel, 2g/3i. CR char, 2g/3j. LFchar, 2g/3k. BS
char

Para compatibilizar com algum software ou ETD, o usuário pode necessitar reconfigurar alguns caracteres
referentes ao estado comando.
78
4.
4. Configuração
Os caracteres configuráveis são:

Caracter Comando Default (decimal)


Seqüência de Escape ATS2=m 43
Carriage Return ATS3=m 13
Line Feed ATS4=m 10
Backspace ATS5=m 8

Obs.: “m” pode assumir valores de 0 a 127, conforme a tabela de caracteres ASCII.
A seqüência de escape pode ser desabilitada programando-se um valor entre 128 e 255 no registrador S2.
Para que o modem interprete uma seqüência de escape é necessário um intervalo de tempo entre os dados e
os caracteres de escape. Este tempo é programável no registrador S12 (ATS12=50 corresponde a 1s).

Habilitação de Autobaud P17


AT:Fn
S95,
2g/3l. Autobaud

A detecção automática de velocidade na recepção de comandos AT pode ser habilitada (AT:F1) ou não
(AT:F0).

79
4.
4. Configuração
4.8. Parâmetros de Dial Backup
(2h. Dial Backup Parameters)

Seleção de Dial Backup P25, P26


AT:Cn, AT:Rn, AT-An, AT-On, AT&Zn=m,AT:Pn, AT:Tn
S80, S83, S95
2h/3a. DialBackp, 2h/3b. LLrest, 2h/3c. RetrainDBU

O DT34 permite a utilização de uma linha comutada como backup de uma linha privativa no caso do modem
detectar baixa qualidade de sinal ou mesmo ausência de sinal na linha, permitindo continuidade da aplicação do
usuário até que seja restaurada a linha privativa.
O Dial Backup pode ocorrer de forma automática ou manual.
No modo automático tanto o processo de discagem do número telefônico (modem BTX) como o de resposta ao
RING (modem ATX) ocorrem a partir de parâmetros previamente programados no modem, não necessitando a
intervenção de operador. Neste modo, o modem tenta estabelecer a conexão com o modem remoto através da
discagem dos números telefônicos armazenados nas posições 0, 1 e 2 de memória.
No modo manual, os processos de discagem ou conexão são disparadas pelo operador (via painel, por exemplo).
Neste modo, somente a posição 0 de memória é utilizada para tentar a conexão disparada com o modem remoto.
Quando não houver número telefônico armazenado na posição de memória em uso, o modem se conectará
à linha a espera do tom de resposta do modem remoto permitindo, neste caso, a utilização de discagem manual pelo
operador.

80
4.
4. Configuração
As condições para a utilização desta característica são:
• Os dois modens devem estar com o Dial Backup habilitado (AT:C1).
• Configurar o intervalo de tempo para que o modem monitore a L.P. no caso do retorno automático estar
habilitado (AT:Tn).
AT:T0 5 minutos
AT:T1 15 minutos
AT:T2 30 minutos
AT:T3 60 minutos

• Selecionar a condição de retreinos no intervalo 4 minutos que levam o modem a entrar em DIAL-BACKUP
(AT:Rn).
AT:R0 5 retreinos em 4 minutos
AT:R1 10 retreinos em 4 minutos
AT:R2 15 retreinos em 4 minutos

• Um dos modens deve estar como chamador (AT-A1) e o outro como resposta (AT-A0).
• No modem chamador deve ser configurado o(s) número(s) telefônico(s) do modem chamado nas posições
0, 1 e 2 de memória (AT&Zn=m).
• Habilitar, se desejado, o retorno automático à L.P. no caso de restabelecimento da linha (AT:P1).
Opcionalmente, pode-se deixar apenas o modem origem com Dial-Backup habilitado e gravar números
telefônicos de, por exemplo, um banco de modens com resposta automática habilitada para restabelecer a conexão
com o sistema.
A configuração dos estrapes e dip-switches internas ao modem deve ser direcionada para linha comutada, ou
seja, S1 em 1-2 e S4 em 1-2, SW10 (1) em ON e SW10 (2,3,4) em OFF. Ver item “Instalação” para detalhes sobre a
conexão do modem à linha.

81
4.
4. Configuração
4.9. Parâmetros de Gerenciamento
(2i. NMS Parameters)

Habilitação da Comunicação com o Gerenciador, Endereço da Linha P28, P29


e Velocidade da Barra
S94
2i.3a NMS enable
2i/3b NMSspeed, 2i/3c NMSaddr

Habilita a comunicação com o gerenciador e configura o endereço da linha (de 0 a 31) e a velocidade da
barra para a comunicação entre o modem e o gerenciador NETMAN II (1200, 2400, 4800 ou 9600).

4.10. Fim de Configuração


(2j. End Config)

Fim de Configuração P31


2j/3a. Store to Active 2j/3b. Store to USER0
2j/3c. Store to USER1 2j/3d Abandon

Seleciona a opção de saída de configuração local ou remota do modem, permitindo ao usuário salvar no perfil
ativo (Store to Active), carregar no perfil de usuário 0 ou 1 (Store to USER 0 ou Store to USER 1) ou sair da configuração
ignorando as alterações feitas (Abandon).
Sempre que o operador entrar na janela de configuração, seja para modificar ou simplesmente verificar a
configuração corrente, terá como saída a janela de fim de configuração.

82
5.
5. Operação
Este capítulo descreve as aplicações mais usuais e os modos de operação apropriados para cada situação.

5.1. Operação Linha Comutada com Discagem Automática


Em linha comutada, o modem está normalmente desconectado da linha.
Para operar com conexão automática o modem chamado deverá estar com a resposta automática habilitada
(Autoanswer).
O modem chamador, ao receber o comando de conexão, conecta-se à linha espera o tom de discar, disca o
número telefônico indicado pelo operador e fica esperando o tom de resposta (2100 Hz) do modem remoto para
iniciarem o treinamento e posteriormente a troca de dados.

5.1.1. Discagem pelo Painel

A opção Dial on connect (2f/3l) habilita o modem a discar o número telefônico previamente armazenado na
posição 0 da memória de números telefônicos do modem.
Para gravar o número telefônico na memória entra-se nas janelas “Local Config”, “ Dial/Answer”, “Phone Numbers”,
seleciona-se a posição 0 e grava-se o número desejado.
A discagem é disparada quando o operador seleciona a operação “Connect” no modo “ORIG” (channel BTX).
A desconexão da linha é feita na janela “Connect”, opção “OFF”.

5.1.2. Discagem por Comandos

Comando ATDn disca o número telefônico “n” e espera a resposta do modem remoto. Pode-se também discar
números previamente armazenados na memória com o comando ATDS=n, onde “n” é a posição de memória onde
está armazenado o número a ser discado (n = 0...7).

83
5.
5. Operação
Grava-se os números telefônicos com o comando AT&Zn=m, onde n é a posição de memória onde será
gravado o número telefônico m.
A desconexão da linha é feita enviando-se uma seqüência de escape (+++) seguida do comando de
desconexão (ATH).

5.1.3. Caracteres de Condicionamento de Discagem

O número telefônico pode conter caracteres de condicionamento de discagem conforme a tabela a seguir:

Condicionador Descrição
. (ponto) Indica o início de um comentário no string de discagem.
Ex.: ATD3244534.BANCO<CR>.
, (vírgula) Faz uma pausa na discagem por um tempo definido no registrador S8.
Ex.: ATD0,3371999<CR>.
: (dois pontos) Equivale ao condicionador W.
L Repete a discagem do útimo número discado.Ex.: ATDL<CR>.
R Força o modem a entrar como resposta após a discagem, enviando o tom de
2100Hz. Ex.: ATD232422R<CR>.
S Disca o número armazenado na posição 0 de memória. Equivale a ATDS=0.
Ex.: ATDS<CR>.
W Faz o modem esperar pelo tom de discagem o tempo definido no registrador S7.
Ex.: ATD0W3371999<CR>.
#m Repete a discagem do número telefônico m vezes ou até concluir a conexão
com o modem remoto. Ex.: ATD3371999#3<CR>.
Tabela 5.1 - Caracteres de Condicionamemto de Discagem

84
5.
5. Operação
5.2. Operação em Linha Privativa

Configurados os modens local e remoto para linha privativa eles se conectarão à linha e ficarão esperando
uma seqüência de treinamento para adaptarem os processos de recepção. Para que se efetive a comunicação, é
necessário que um modem esteja com o canal ATX e o outro com o canal BTX na transmissão, e quando operar com
norma V.32/32B e V.22/22B programar de acordo com o item 4.4 - Parâmetros de V.34 (ver página 4-15).

5.2.1. Configurando pelo Painel

• Janela “Channel”, opção “ATX” (Chave ATX pressionada).


• Janela “Channel”, opção “BTX” (Chave ATX solta).

Em configuração remota, deve-se entrar nas janelas “Remote Config”, “DCE/Line”, “TX Channel” e selecionar a
opção desejada (ATX ou BTX ).

5.2.2. Configurando por Comandos

A configuração por comandos AT em linha privativa somente é possível se os modens estiverem em modo
assíncrono e com todos os parâmetros de ETD compatíveis com o terminal. Além disso, os modens devem estar em
modo Dados e “sincronizados”, ou seja, durante treino ou retreino o modem não monitora seqüência de escape
(+++).
Envie uma seqüência de escape para o modem entrar no modo comando interativo. Envie o comando AT-A0
ou AT-A1 para ATX ou BTX na transmissão, respectivamente. Envie o comando ATO para o modem retornar para o On-
Line.

85
5.
5. Operação
5.3. Operação em Linha Comutada com Conexão Manual

Em linha comutada, o modem está normalmente desconectado da linha.


Na chamada manual, o operador estabelece o contato telefônico com o usuário remoto e estes negociam o
instante da conexão dos modens. Um modem é conectado como chamador o outro como chamado.
A designação de modem chamado/chamador não precisa corresponder a quem originou ou atendeu a
chamada telefônica.
Para restabelecer o contato telefônico após a troca de dados, desconecta-se os modens da linha assegurando-
se que os telefones já estejam fora do gancho.

5.3.1. Conexão pelo Painel

Selecione canal ATX para o modem resposta e canal BTX para o modem chamador (com LCD, janela “Channel”
opção “ATX” ou “BTX”).
Conecte os modens à linha através da chave “MOD” (com LCD, janela “Connect”).
Para desconectar da linha telefônica, use a chave “MOD” (com LCD, janela “Connect”).

5.3.2. Conexão por Comandos

• Comando ATD para modem chamador.


• Comando ATA para modem chamado.

A desconexão da linha é feita enviando-se uma seqüência de escape (+++) seguida do comando de des
conexão (ATH).

86
5.
5. Operação
5.4. Acionamento de Laços

O DT34 incorpora um conjunto de testes que auxiliam o usuário a diagnosticar algum problema detectado em
uma conexão.

5.4.1. Laço Digital Local (LDL)

O Laço Digital Local (LDL) permite ao operador certificar-se sobre a conexão do modem ao ETD e da integridade
dos circuitos de interface de ambos os equipamentos. Os dados recebidos da linha são retornados para o modem
remoto.

Figura 5.1 - Laço Digital Local

87
5.
5. Operação
5.4.2. Laço Analógico Local (LAL)

O Laço Analógico Local (LAL) permite testar, além da interface e conexão com o ETD, a operação do modem.
O LAL certifica que o modem está operando adequadamente.

Figura 5.2 - Laço Analógico Local

5.4.3. Laço Digital Remoto (RDL)

O Laço Digital Remoto (RDL) testa, a interface e a conexão do modem local com o ETD, a interface com a linha
tanto do modem local quanto do modem remoto, o modem local e o modem remoto. O modem remoto retorna os
dados recebidos da linha e fecha um Laço Digital Local para o ETD remoto.

O modem quando operando com protocolo LAPM ou MNP não executa o laço digital remoto.

88
5.
5. Operação

Figura 5.3 - Laço Digital Remoto

O usuário deve verificar se o modem que será colocado em teste remotamente está com a recepção de laço
remoto habilitado.

5.4.4. Gerador de Padrão de Auto-teste (GER, SAL, SRL)

O modem incorpora um gerador de padrão de auto-teste (GER) que permite ao usuário que não possua software
de teste no seu ETD ou Test-Set, avaliar a condição de operação do seu modem. O auto-teste pode ser usado
simultaneamente com o LAL (opção SAL) ou com o RDL (opção SRL).
Quando operando com auto-teste, o modem ignora os dados do ETD e transmite um padrão interno (padrão
marca scrambleado). Na recepção o modem analisa se os dados recebidos coincidem com o padrão transmitido e,
no caso de erros, estes são sinalizados ao usuário no painel ou pelo ETD.

89
5.
5. Operação
5.4.5. Acionamento de Laços Pelo Painel

O acionamento de laços pelo painel de leds é feito através das chaves LAL, LDR e LDL.
A chave GER em conjunto com o teste LAL ou LDR permite a execução do teste com geração do padrão de
auto-teste. Em auto-teste, o led ERR aceso indica ocorrência de erro nos dados recebidos.
No painel com LCD, seleciona-se a opção de teste desejado (LDL, LAL, SAL, RDL ou SRL), dentro da janela Test.
Para desativar o teste o operador deve ir até a janela Test em andamento e selecionar a opção OFF.
A habilitação da recepção de laço remoto é feita dentro da janela “Profiles&Access”, opção EnableRDL, junto
aos parâmetros de configuração.

5.4.6. Acionamento de Laços por Comandos

O tempo de duração do teste é programado no registrador S18 (ATS18=10 corresponde a 10 s, por exemplo).
Após decorrido este tempo o modem interrompe automaticamente a execução do teste e retorna ao estado comando.
Para desabilitar a contagem deste tempo, programa-se 0 no registrador S18 (ATS18=0).
Para ativar um teste quando dois modens já estiverem conectados o operador deve colocar o modem em
modo comando interativo enviando a seqüência de escape e, após, enviar o comando de teste correspondente.
Os laços LDL, SAL e SRL (AT&T3, AT&T8 e AT&T7) quando efetivados não permitem que o modem monitore seqüência
de escape. Para exemplificar o Teste, nesse caso, é necessário programar, antes do início do teste, o tempo de
duração do mesmo (S18 = ns). O mais prático é digitar todos os comandos no mesmo string.

90
5.
5. Operação
Exemplos para modo comando “off-line”:

1º) ATS18 = 10 &T3 <CR> 2º) ATS18 = 15 &T8 <CR>

após 10 seg. inicia finaliza após 15 seg. inicia finaliza


retornará do LDL string retornará do SAL string
LDL(S18=10) SAL(S18=15)
Para acionamentos de laços a partir do modo interativo é necessário que, após o comando de laço (AT&Tn),
seja enviado um “ATO” a fim de ir para on-line em laço.

Exemplos para modo comando interativo:

1º) ATS18 = 10 &T6 O <CR> 2º) ATS18 = 12 &T7 O <CR>

10 seg. de ativa vai p/ finaliza 15 seg. de ativa vai p/ finaliza


teste RDL RDL RDL string RDL com SRL SRL string
on line auto teste on line
Obs.: nos testes com padrão de teste interno
(SRL e SAL) os erros monitorados estarão em
um buffer no modem. Para acessá-lo basta ir
par modo interativo logo após o final do teste.
“+++” — 0 erros

O LAL é acionado pelo comando AT&T1 e pode ser disparado do modo comando “off-line” ou do modo
comando interativo. Para selecionar LAL com padrão de autoteste (SAL) use o comando AT&T8. Os erros podem ser
visualizados na tela do ETD ao final do teste.

91
5.
5. Operação
O RDL é acionado pelo comando AT&T6 só pode ser ativado do modo comando interativo. Para selecionar RDL
com padrão de autoteste (SRL) use o comando AT&T7.
O comando AT&T4 habilita a recepção de laço remoto e o comando AT&T5 desabilita.
Para finalizar um teste, digite a seqüência de escape seguida do comando AT&T0.

5.5. Operação com Dial Backup

5.5.1. Dial Backup Automático

O modem operando com Dial Backup habilitado fica permanentemente analisando a condição da linha
privativa. Caso esta degrade a ponto de não haver condições de tráfego, seja por queda de portadora ou por
qualidade do sinal, o modem configurado como chamador (canal BTX na transmissão) tentará operar na linha comutada
discando o número telefônico armazenado na posição 0 de memória. Se não tiver sucesso na conexão, o modem
tentará o número da posição 1 e, se necessário, o da posição 2 de memória. Se não obtiver sucesso na conexão via
linha comutada, o DT34 tenta retornar à linha privativa. O modem segue neste processo até conseguir restabelecer a
conexão com o sistema remoto, seja pela linha privativa ou pela linha comutada.
Dependendo da aplicação, pode ser conveniente o usuário programar o mesmo número nas posições 0, 1 e
2 de memória.
Por sua vez, o modem configurado como resposta (canal ATX na transmissão) fica constantemente monitorando
o sinal de “RING” da linha comutada. Se no instante da ocorrência deste, o contato com o modem remoto pela linha
privativa não estiver satisfatório, ele atenderá a chamada e tentará operar na linha comutada. Se não tiver sucesso no
treinamento ele volta a tentar a comunicação na linha privativa.

92
5.
5. Operação
Para efeito de Dial Backup, são consideradas condições insatisfatórias de linha quando o modem deixa de
receber a portadora do modem remoto e quando o número de retreinos no intervalo de 4 minutos superar o valor
programado pelo usuário (comando AT:Rn). Uma vez estabelecido o contato pela linha comutada, o modem pode
tentar voltar à linha privativa se não houver condição de tráfego na linha comutada ou após ter decorrido o tempo
para monitoração para a linha privativa (AT:Tn) se o retorno à linha privativa estiver habilitado (comando AT:Pn).
Quando operando adequadamente na linha privativa, a linha telefônica de Dial Backup está liberada para uso
normal do operador, bastando instalar o aparelho telefônico nos terminais RX do modem.
Os números telefônicos de Dial Backup devem ser previamente configurados nas posições 0, 1 e 2 da memória
do modem através do comando AT&Zn=m.
A configuração dos parâmetros de Dial Backup pelo painel é feita dentro da janela “Dial Backup Parameters”
(2h) e a programação dos números telefônicos na janela “Dial/Answer Parameters” opção “Phone Numbers” (2f/3a).

5.5.2. Dial Backup Manual

Com Dial Backup, o modem fica tentando operar na linha privativa mesmo que esta não apresente condições
satisfatórias para o tráfego de dados. O operador percebendo queda de portadora, modem em retreino ou interrupção
da comunicação entre es EDT’s pode, a qualquer momento, disparar a conexão via linha comutada.
Em Dial Backup manual apenas o número armazenado na posição 0 de memória é discado.

93
5.
5. Operação
Os exemplos a seguir apresentam algumas formas de utilização desta característica:
• Dial Backup totalmente manual:
Configurar ambos os modens para Dial Backup manual, retorno à linha privativa desabilitado e número
telefônico na posição 0 da memória do modem BTX apagado.
O operador (modem ATX ou BTX), ao perceber falha na comunicação,liga para o operador remoto e,
após conversarem, ambos conectam os modens à linha restabelecendo a conexão via linha
comutada.
Para retornar a operação na Linha Privativa, basta desconectar os modens da linha comutada (via
painel, por exemplo).

• Dial Backup manual com discagem automática:


Configurar o modem BTX para Dial Backup manual e o modem ATX para Dial Backup automático.
Configurar o retorno à linha privativa conforme a necessidade da aplicação. Gravar o número
telefônico a ser discado na posição 0 da memória do modem BTX.
O operador do modem BTX, ao perceber falha na comunicação, conecta o modem à linha. O
modem executa a discagem e fica aguardando tom de resposta do modem remoto. O modem ATX,
por estar com Dial Backup automático e percebendo falha na comunicação na linha privativa,
passa a monitorar RING na linha comutada e, na ocorrência deste, atende à chamada restabelecendo
a conexão entre os modens.
Em Dial Backup manual, somente o número armazenado na posição 0 da memória é discado.

94
5.
5. Operação
5.6. Configuração Remota

5.6.1. Configuração Remota pelo ETD

Através de comandos, o ETD local coloca o modem remoto em estado de configuração remota. A partir daí, os
comandos enviados pelo ETD local serão enviados para o modem remoto executar, interrompendo tráfego de dados
entre os ETD’s até a finalização da configuração remota.
• Estabeleça a conexão entre os modens.
• Envie a seqüência de escape para o modem local (+++).
• Envie o comando de acesso ao modem remoto com a senha previamente programada no modem
remoto (AT%T=senha<CR>).
• Se o precedimento estiver correto, o modem responderá com a mensagem”Remote Access Enable”,
caso contrário, “Remote Access Fail”.
• Configure os parâmetros desejados.
• Durante a configuração remota as mensagens de resposta aos comandos virão sempre precedidas da
indicação “REM” (REM OK, REM ERROR, por exemplo).
• Grave o perfil ativo em um dos perfis de usuário do modem remoto (AT&Wn), observando para
que seja o mesmo perfil de inicialização (AT&Yn).
• Digite ATO <CR> para que o modem remoto saia de configuração remota.
• Saia da configuração remota digitando uma nova seqüência de escape (+++).
• Retorne para o On-Line (comando ATO) ou desconecte da linha (comando ATH).
• Se algum parâmetro de linha ou protocolo for alterado, poderá haver desconexão dos modens.

95
5.
5. Operação
5.6.2. Configuração Remota pelo Painel de Led’s

Para proceder-se à configuração remota através do painel de leds, deve-se primeiramente entrar no estado de
configuração pressionando-se a chave “MOD” por mais de dois segundos (led C piscando).
Durante o processo de configuração remota, o fluxo de dados entre os ETD’s é interrompido.
Se necessário, editar a password de acesso do modem remoto: registrador P0, 1010 (ver item 3.2.1. Edição de
Números Telefônicos e Passwords).
A seguir é apresentado um exemplo passo-a-passo para a execução da configuração remota pelo painel.
a) Tem-se como condição básica para a realização da configuração remota pelo painel que os modens
estejam conectados e sincronizados. No estado de configuração, observe os leds registradores, selecione
P0 conforme figura a seguir.

Antes de ativar a configuração remota é necessário editar a password domodem remoto.


b) Configuramos agora o registrador P0 para ativação da configuração remota (1100 - ver apêndice F).

96
5.
5. Operação
c) utilizando a chave SEL para disparar o processo notamos que neste instante o led C piscará numa freqüência
menor e caso a configuração remota se estabeleça corretamente, os leds REG P (16...1) mostrarão o registro
P0 do modem remoto e a configuração do mesmo passa a ser feita como numa configuração local normal.
Se por ventura a configuração remota não se estabelecer, o modem sairá do estado de configuração (led
C apagado).

d) Através da chave SEL selecionamos, por exemplo, o registro P2 do modem remoto;

e) Observando o registro P2 do modem remoto, indicado pela figura anterior e de posse do quadro do apêndice
F, concluimos que o modem remoto está com o modo de operação assíncrono, com relógio de transmissão
regenerado e com Tabela 0 selecionada em P3. Verificando os demais registros (através da chave SEL)
temos a possibilidade de verificar e alterar a configuração do modem remoto da mesma maneira que se
estivéssemos configurando o modem local. Após realizarmos todas as alterações necessárias, damos saída
da configuração remota normalmente através da chave SAV e registrador P31.
f) O modem sai do estado de configuração, retornando os leds e as chaves às suas funções de operação
normal.

97
5.
5. Operação
5.6.3. Configuração Remota pelo Display (LCD)

Ao entrar na janela “Remote Config”, o painel apresenta uma tela de edição da senha para acessar o modem
remoto (ver item 3.2.1 para edição de passwords). Definida a senha, pressione ou o modem local acessa o
modem remoto interrompendo brevemente o fluxo de dados para carregar para o seu painel a configuração do
modem remoto. O operador pode realizar as alterações desejadas no painel do modem local e, no final quando
quiser atualizar o modem remoto, selecionar uma das opções “Store To ...” para carregar a configuração do painel
local no perfil ativo do modem remoto, interrompendo temporariamente o fluxo de dados entre os ETD’s.
• Estabeleça a conexão entre os modens.
• Entre na janela de Configuração remota (Remote Config).
• Edite a password “RemotPass” de acordo com a senha do modem a ser programado remotamente.
• Selecione o grupo de parâmetros a configurar. Neste instante a configuração ativa do modem remoto é
carregada para o painel do modem local. Opcionalmente, pode-se carregar um dos perfis de fábrica
ou a configuração do modem local (janela Profile & Access).
• Altere os parâmetros desejados. Os parâmetros são acompanhados pela indicação REMOT, indicando o
estado de configuração remota.
• Na saída da configuração remota selecione uma das opções de salvamento de configuração (opções
StoreTo...) para o modem local descarregar o perfil do painel do modem local para o modem remoto.

5.7. Monitoração da Qualidade do Sinal

A qualidade do sinal recebido pode ser monitorado tanto pelo circuito CT110 da interface digital (+V indica
qualidade de sinal boa) como pelo painel frontal (“poor” indica má qualidade, “good” indica boa qualidade e
“training” indica qua o modem está treinando para adaptar-se às condições da linha).

98
5.
5. Operação
5.8. Operação com Password, Identidade e Call Back

5.8.1. Dial com Password

Com esta função habilitada, o modem ao receber uma chamada conecta-se à linha, negocia a velocidade
de operação com o modem remoto e entra no estado de espera por password de acesso. Se receber a password
correta, a conexão é efetivada. Se receber a password errada ou não receber password a conexão é desfeita.

Configuração
Programar a password de acesso no modem chamado através do painel de cristal líquido (opção 2a.3f. Password/
Answer) ou através de comandos (AT%PD=passw<CR>). A função Dial com password ficará automaticamente habilitada
quando houver alguma password armazenada na memória do modem.

Operação
Uma vez configurada a password no modem resposta, basta o modem chamador enviar a password
correspondente dentro do comando de discagem. Ex.: ATD 3371999 % passw<CR>.
Opcionalmente o usuário pode armazenar as passwords na memória de números telefônicos do modem. Ex.:
AT&Z0=3371999%passw<CR> armazena o número 3371999 e a password correspondente na posição 0 de memória
do modem. Depois de armazenado, basta enviar o comando ATDS=0<CR>.
A discagem também pode ser disparada a partir do painel frontal na opção CONNECT ORIG com a opção DIAL
ON CONNECT habilitada ou, ainda, na subida do DTR com a opção CT108 DIAL habilitada.

99
5.
5. Operação
5.8.2. Dial com Password e Identificação

Em conjunto com a password de acesso ao modem, o usuário pode enviar um código de identificação para o
modem remoto com o objetivo de indicar o modem que está chamando. Esta característica é importante quando se
tem vários modens habilitados a acessar um sistema protegido por password. A password de acesso é igual para todos
os modens chamadores correspondendo à password de acesso do modem resposta, porém cada modem chamador
terá uma identificação de forma que o sistema chamado consiga identificar o usuário que originou a chamada.

Configuração
Programar a password de acesso no modem resposta (AT%PD=passw<CR>).
Programar a identidade do modem origem (AT%PI=ident<CR>).
O envio da identidade ocorrerá automaticamente quando a identidade estiver programada no modem origem
e for realizada uma discagem com password.

Operação
Semelhante à operação de Dial com password.
A Identificação do modem origem é feita pelo modem resposta através do comando AT%PI?<CR>. A resposta
será a identificação do último modem que acessou o modem resposta.

5.8.3. Call Back

A opção de Call Back permite que o modem resposta, ao reconhecer a password e a identificação do modem
que originou a chamada, desconecte-se da linha e disque o número previamente armazenado na sua memória
correspondente à identificação recebida.

100
5.
5. Operação
Configuração
Modem origem:
• Configurar a password de acesso igual à identidade.
Ex.: AT%PD=teste<CR> e AT%PI=teste<CR>

Modem resposta:
• Configurar a password de acesso remoto. Ex.: AT%PD=callb<CR>.
• Programar o(s) número(s) telefônico(s) junto com a password do modem a ser chamado no call back..
Ex.: AT&Z3=3414567%teste<CR>.
• Habilitar o Call Back (AT\S1<CR>).

Operação
O modem origem chama o modem resposta enviando a password de acesso (ATD3371999%callb<CR>).
O modem resposta recebe a chamada, negocia a velocidade de operação e confere a password de acesso
(callb).
Se a password estiver errada ou não houver password, o modem desconecta-se da linha e termina o processo.
Se a password estiver correta ele lê a identificação do modem que chamou e compara com as passwords
armazenadas na sua memória de números telefônicos. Se encontrar alguma correspondente, o modem envia a
mensagem CALLING BACK e desconecta-se da linha para discar o núnero associado àquela password (no exemplo,
disca para o número 3414567 e envia a password “teste”) efetivando a conexão entre os modens.
Se a identificação recebida não corresponder a nenhuma daquelas armazenadas na memória de números
telefônicos, a conexão será desfeita.
O DT34 prevê em até 8 posições de 30 dígitos para armazenamento de números telefônicos e password. As
passwords são de no máximo 5 dígitos mais o “%”, sobrando 24 dígitos para a programação do número.

101
5.
5. Operação

(Esta página foi deixada intencionalmente em branco)

102
6.
6. Possíveis Problemas
Uma vez instalado o DT34, se este não estiver operando adequadamente, sugere-se verificar os itens a seguir
antes de contactar a assistência técnica:

6.1. Modem não Liga Indicadores nem Display do Painel Frontal

• Verifique se a tensão da rede está correta.


• Verifique a conexão à rede elétrica.
• Verifique o fusível no painel traseiro do gabinete ou da fonte do sub-bastidor.

6.2. Modem não Responde aos Comandos do ETD

• Verifique a conexão do modem ao ETD.


• Execute o teste LDL para testar a interface entre o modem e o ETD.
• Verifique se o Modo Comando está habilitado e compatível com os comandos enviados pelo ETD
(2g. Command Parameters, opção 3a. Command Mode).
• Verifique a velocidade e o formato dos dados do ETD.
• Se modo comando compatível com V.25bis, verificar o tamanho de caracter do ETD (10bits) e a paridade
dos comandos (2g. Command Parameters, opção 3b. Parity).
• Verifique se o modem não está com a resposta aos comandos desabilitada (comando ATQn)

6.3. Modem não Responde a uma Chamada Externa

• Verifique a conexão com a linha telefônica (item 2.2).


• Verifique se a resposta automática está habilitada (1c.Autoanswer ON).
• Verifique se o ETD está fornecendo o sinal CT108 (DTR). Se não estiver, force o sinal DTR para ON
(2b.DTE parameters, opção 3k.DTR forced ON).

103
6.
6. Possíveis Problemas
6.4. Modem não Disca

• Verifique a conexão com a linha telefônica (item 2.2).


• Verifique se o ETD está fornecendo o sinal CT108 (DTR). Se não estiver, force o sinal DTR para ON
(2b.DTE parameters, opção 3k.DTR forced ON).
• Verifique se a central está fornecendo tom de discar contínuo. Se não, desabilite a detecção do tom de
discar (2f.Dial/Answ Parameters, opção 3e. Dial tone OFF).

6.5. Modens Conectados mas não Trafegam Dados

• Execute LAL em ambos os modens para certificar-se da correta configuração dos mesmos.
• Verifique se o tipo de linha selecionado está correto (item 2.2 e janela DCE status).
• Verifique a configuração de velocidades em ambos os modens: Em LC os modens devem ter pelo
menos uma velocidade habilitada em comum. Em LP, a negociação de velocidade só ocorre entre as
velocidades de V.34 (2400 a 33600 bps) ou de V.32bis (4800 a 14400 bps). Se a aplicação requer
operação à 2400 bps (V.22bis) ou 1200 bps (V.22), os dois modens devem estar com a mesma velocidade
programada.
• Verifique a configuração de protocolos em ambos os modens.
• Verifique a janela “Diagnostic”. Se ficar oscilando entre Trainning e Poor, significa que o modem não está
conseguindo equalizar com o modem remoto, podendo ser por incompatibilidade de configuração
entre os modens ou por má qualidade da linha.
• Verifique o canal de operação dos modens. Um deve estar em origem (BTX) e o outro em resposta (ATX).

104
6.
6. Possíveis Problemas
6.6. Modens Conectados mas com Erros nos Dados
• Verifique o modo de operação (2b.DTE parameters, opção 3a.Mode SYNC/ASYNC).
• Tamanho de caracter diferente entre os modens (janela Status DTE).
• Se operando em modo normal, LAPM ou MNP, verifique se o controle de fluxo está habilitado e de acordo
com o ETD (2d.Protocol Parameters, opção 3g.Flow).
• Verifique se o relógio de transmissão dos modens (2b.DTE parameters, opção 3b.TxClock) está de acordo
com a aplicação.
• Observe o indicador de qualidade de sinal para certificar as condições de linha.

6.7. Modem não Opera com Portadora Pseudo-Controlada


• Verifique se os sinais de interface CTS e DCD não estão forçados para ON (2b.DTE parameters, opções
3f.CTSoption e 3h.DCDoption).
• Verifique se o modem está programado para modo direto (2d.Protocol Parameters, opção 3a.Direct Mode).

6.8. Outros Problemas...


• Se o modem estiver sempre com o indicador de teste aceso, verifique se os testes pela interface não estão
habilitados (2b.DTE parameters, opções 3n.CT140 e 3o.CT141).
• Por definição, o modem não executa Laço Digital Remoto (RDL) quando operando com protocolo LAPM ou
MNP.
• Instale um software de comunicação no ETD local e execute os testes LDL, LAL e LDR verificando o retorno
correto dos dados digitados de forma a isolar o problema: O LDL testa a interface com o ETD local, o LAL
testa a operação do modem local e o LDR testa a conexão e a comunicação com o modem remoto.
• Verifique as telas de status DCE e status DTE do painel do modem e verifique se corresponde à sua aplicação.
• Observe a tela de diagnóstico do painel do modem para monitorar a qualidade do sinal recebido. Quando
conectado ao modem remoto, deve permanecer na condição “GOOD”.

105
6.
6. Possíveis Problemas

(Esta página foi deixada intencionalmente em branco)

106
Apêndice A.
A. Perfis de Fábrica
A.1. Perfil de Fábrica 0: Linha Comutada, Modo Assíncrono

Este perfil destina-se àquele usuário que opera na linha comutada acessando vários tipos de serviços com
características diferentes ou no lado central de serviços que tem usuários diversos acessando o sistema.

Características
• Modo assíncrono, 10 bits por caracter, relógio interno.
• Estado comando compatível com AT.
• Discagem por pulso.
• Todas as velocidades do modem habilitadas.
• Velocidade inicial de ETD 57600 bps. Esta velocidade pode ser alterada pelo auto-baud dos
comandos AT.
• Correção de erros habilitada (MNP4 e V42).
• Compressão de dados habilitada (MNP5 e V42bis).
• Modo automático habilitado para operar sem protocolo caso o modem remoto não tenha esta
capacidade.
• Controle de fluxo por hardware (RTS/CTS).
• Operação na linha comutada.
• Potência de transmissão -12 dBm.
• Eco dos comandos AT habilitado.
• Desconexão da linha na transição de DTR para OFF.
• Velocidade do gerenciador de 9600 bps.

107
Apêndice A.
A. Perfis de Fábrica
Comandos e registradores associados ao perfil de fábrica 0

&C1 &D2 &L0 &M0 &P0 &R0 &S1 &T4 &X0 &Y0 C0 E1 L1 M1 Q0 V1 X4
-A1 -B2 -E0 -F1 -H1 -I0 -L2 -N1-O0 -P0 -S0 -T12 -K09 -V0 -W1 -X0
\A3 \C0 \G0 \K1 \M1 \N7 \Q3 \S0 \V1 \X0 :C0 :D0 :E0 :F1 :M1 :O0 :P0 :R1 :S0 :T1
:U0 %A000 %C1 %D0 %M0 %O0 DTE Speed: 57600 DCE Speed: 33K6 31K2
28K8 26K4 24K0 21K6 19K2 16K8 14K4 12K0 9K6 7K2 4K8 2K4 1K2
S00=002 S01=000 S02=2BH S03=0DH S04=0AH S05=08H S06=002 S07=060 S08=002 S11=070
S12=050 S14=AAH S15=86H S16=00H S18=000 S21=70H S22=75H S23=1BH S24=1BH S25=000
S26=001 S27=00H S29=08H S80=82H S81=93H S82=2BH S83=09H S84=20H S85=00H S86=FBH
S87=87H S88=00H S90=F8H S91=FFH S92=03H S93=015 S94=60H S95=40H S96=05H

108
Apêndice A.
A. Perfis de Fábrica
A.2. Perfil de Fábrica 1: Linha Comutada, Modo Síncrono

Este perfil destina-se àquele usuário que opera com serviços síncronos na linha comutada.

Características
• Modo síncrono, relógio interno.
• Estado comando compatível com V.25bis síncrono orientado a bit.
• Discagem por pulso.
• Todas as velocidades do modem habilitadas.
• Operação na linha comutada.
• Potência de transmissão -12dBm.

Comandos e registradores associados ao perfil de fábrica 1

&C1 &D3 &L0 &M1 &P0 &R0 &S1 &T4 &X0 &Y0 C0 E1 L1 M1 Q0 V1 X1
-A1 -B0 -E0 -F1 -H1 -I0 -L0 -N1-O0 -P0 -S0 -T12 -K09 -V0 -W0 -X0
\A3 \C0 \G0 \K1 \M0 \N1 \Q2 \S0 \V1 \X0 :C0 :D0 :E0 :F1 :M1 :O1 :P0 :R1 :S1 :T1
:U0 %A000 %C0 %D0 %M0 %O0 DTE Speed: 0 DCE Speed: 33K6 31K2
28K8 26K4 24K0 21K6 19K2 16K8 14K4 12K0 9K6 7K2 4K8 2K4 1K2
S00=002 S01=000 S02=2BH S03=0DH S04=0AH S05=08H S06=002 S07=060 S08=002 S11=070
S12=050 S14=AAH S15=46H S16=00H S18=000 S21=78H S22=45H S23=1BH S24=1BH S25=000
S26=001 S27=01H S29=00H S80=22H S81=13H S82=0AH S83=09H S84=20H S85=00H S86=FBH
S87=C1H S88=00H S90=F8H S91=FFH S92=03H S93=015 S94=60H S95=40H S96=01H

109
Apêndice A.
A. Perfis de Fábrica
A.3. Perfil de Fábrica 2: Linha Privativa 2 Fios, Modo Assíncrono

Este perfil destina-se àquele usuário que opera com serviços assíncronos dedicados na linha privativa.

Características
• Modo assíncrono, 10 bits por caracter, relógio interno.
• Estado comando desabilitado.
• Operação em linha privativa.
• Todas velocidades de modem para V.34 habilitadas (2400 a 33600 bps).
• Controle de fluxo por hardware (RTS/CTS).
• Velocidade de ETD de 57600 bps.
• Potência de transmissão -6dBm.
Comandos e registradores associados ao perfil de fábrica 2

&C1 &D0 &L1 &M0 &P0 &R0 &S1 &T4 &X0 &Y0 C0 E1 L0 M0 Q0 V1 X1
-A1 -B2 -E0 -F0 -H0 -I3 -L2 -N1-O0 -P0 -S0 -T06 -K09 -V0 -W1 -X0
\A3 \C0 \G0 \K1 \M0 \N0 \Q3 \S0 \V1 \X0 :C0 :D0 :E0 :F1 :M0 :O0 :P0 :R1 :S0 :T1
:U0 %A000 %C0 %D0 %M0 %O0 DTE Speed: 57600 DCE Speed: 33K6 31K2
28K8 26K4 24K0 21K6 19K2 16K8 14K4 12K0 9K6 7K2 4K8
S00=000 S01=000 S02=2BH S03=0DH S04=0AH S05=08H S06=002 S07=030 S08=002 S11=070
S12=050 S14=AAH S15=86H S16=00H S18=000 S21=60H S22=40H S23=1BH S24=1BH S25=000
S26=001 S27=04H S29=18H S80=82H S81=13H S82=0BH S83=61H S84=10H S85=40H S86=FAH
S87=00H S88=00H S90=E0H S91=FFH S92=03H S93=015 S94=60H S95=40H S96=05H

Atenção: O perfil de fábrica carrega o canal BTX na transmissão dos dois modens. Para efetivar a
conexão, um dos modens deve ser reconfigurado para canal ATX na transmissão.

110
Apêndice A.
A. Perfis de Fábrica
A.4. Perfil de Fábrica 3: Linha Privativa 2 Fios, Modo Síncrono

Este perfil destina-se àquele usuário que opera com serviços síncronos dedicado na linha privativa.

Características
• Modo síncrono, relógio interno.
• Estado comando desabilitado.
• Operação na linha privativa.
• Potência de transmissão -6dBm.
• Todas as velocidades de modem para V.34 habilitadas (2400 a 33600 bps).
Comandos e registradores associados ao perfil de fábrica 3

&C1 &D0 &L1 &M1 &P0 &R0 &S1 &T4 &X0 &Y0 C0 E1 L0 M0 Q0 V1 X4
-A1 -B0 -E0 -F0 -H0 -I3 -L0 -N1-O0 -P1 -S0 -T06 -K09 -V0 -W0 -X0
\A3 \C0 \G0 \K1 \M0 \N1 \Q2 \S0 \V1 \X0 :C0 :D0 :E0 :F1 :M0 :O0 :P0 :R1 :S0 :T1
:U0 %A000 %C0 %D0 %M0 %O0 DTE Speed: 0 DCE Speed: 33K6 31K2
28K8 26K4 24K0 21K6 19K2 16K8 14K4 12K0 9K6 7K2 4K8
S00=000 S01=000 S02=2BH S03=0DH S04=0AH S05=08H S06=002 S07=030 S08=002 S11=070
S12=050 S14=AAH S15=86H S16=00H S18=000 S21=60H S22=70H S23=1BH S24=1BH S25=000
S26=001 S27=05H S29=00H S80=02H S81=13H S82=0AH S83=61H S84=10H S85=40H S86=FAH
S87=01H S88=00H S90=E0H S91=FFH S92=03H S93=015 S94=60H S95=40H S96=01H

Atenção: O perfil de fábrica carrega o canal BTX na transmissão dos dois modens. Para efetivar a
conexão, um dos modens deve ser reconfigurado para canal ATX na transmissão.

111
Apêndice A.
A. Perfis de Fábrica
A.5. Perfil de Fábrica 4: Linha Privativa 2 Fios com Dial Backup, Modo Síncrono
Este perfil destina-se àquele usuário que opera com serviços síncronos dedicados na linha privativa. Inclui opção
de dial backup automático em linha discada no caso de falha de comunicação na linha privativa, retornando
automaticamente a esta após a correção do defeito.
Características
• Modo síncrono, relógio interno.
• Estado comando desabilitado.
• Operação na linha privativa com dial backup automático habilitado.
• Discagem por pulsos (números de dial backup previamente armazenados nas posições 0, 1, 2 de memória).
• Retorno à linha privativa habilitado.
• Intervalo de monitoração da linha privativa: 15 em 15 minutos.
• Condição para entrar em dial backup: 10 retreinos em 4 minutos.
• Potência de transmissão -9dBm (na linha privativa e na linha comutada).
• Todas velocidades de modem para V.34 habilitadas (2400 a 33600 bps).
Comandos e registradores associados ao perfil de fábrica 4
&C1 &D0 &L1 &M1 &P0 &R0 &S0 &T4 &X0 &Y0 C0 E1 L0 M1 Q0 V1 X4
-A1 -B2 -E0 -F1 -H1 -I0 -L2 -N1-O0 -P1 -S0 -T09 -K09 -V0 -W1 -X0
\A3 \C0 \G0 \K1 \M0 \N1 \Q2 \S0 \V1 \X0 :C1 :D0 :E0 :F1 :M0 :O0 :P1 :R1 :S0 :T1
:U0 %A000 %C0 %D0 %M0 %O0 DTE Speed: 0 DCE Speed: 33K6 31K2
28K8 26K4 24K0 21K6 19K2 16K8 14K4 12K0 9K6 7K2 4K8 2K4
S00=002 S01=000 S02=2BH S03=0DH S04=0AH S05=08H S06=002 S07=030 S08=002 S11=070
S12=050 S14=AAH S15=86H S16=00H S18=000 S21=20H S22=74H S23=1BH S24=1BH S25=005
S26=000 S27=05H S29=00H S80=93H S81=13H S82=0AH S83=09H S84=18H S85=40H S86=FBH
S87=01H S88=00H S90=F0H S91=FFH S92=03H S93=015 S94=60H S95=40H S96=05H
Atenção: O perfil de fábrica carrega o canal BTX na transmissão dos dois modens. Para efetivar a
conexão, um dos modens deve ser reconfigurado para canal ATX na transmissão.
112
Apêndice B.
B. Resumo dos Comando AT
B.1. Comandos

Abaixo é apresentado o resumo dos comandos AT em ordem alfabética para consulta rápida.

COMANDO FUNÇÃO
AT Código atenção (Prefixo)
A/ Repete o comando anterior
+++ Seqüência de escape
A Conecta o modem à linha como resposta
C0 Código 11, 12 e 14 para conexão a 4k8, 9k6 e 14k4 bps
C1 Código 30, 32 e 42 para conexão a 4k8, 9k6 e 14k4 bps
D Conecta o modem à linha como chamador
Dn Conecta o modem à linha como chamador e disca o número n
Dn%passwd Disca o número n e envia a password para resposta protegida
E0 Desabilita eco dos comandos
E1 Habilita eco dos comandos
G Muda para modo comando V.25bis
H Desconecta da linha
I Identificação do produto
Cont ...

113
Apêndice B.
B. Resumo dos Comando AT
COMANDO FUNÇÃO
I6 Qualidade do sinal recebido
L0 Volume do alto-falante baixo 1
L1 Volume do alto-falante baixo 2
L2 Volume do alto-falante médio
L3 Volume do alto-falante alto
M0 Alto-falante sempre desligado
M1 Alto-falante ligado até receber portadora remota
M2 Alto-falante sempre ligado
M3 Igual a M1 mas desligado durante o processo de discagem
O Sai do estado comando interativo para o On-Line
P Seleciona discagem por pulso
Q0 Habilita envio de mensagens para o ETD
Q1 Desabilita mensagens para o ETD
Sn=m Atribui o valor m ao registrador n
Sn? Verifica o conteúdo do registrador n
T Seleciona discagem por tom
V0 Seleciona mensagens por códigos (0,1....)
V1 Seleciona mensagens por extenso (OK, ERROR,...)
Cont ...

114
Apêndice B.
B. Resumo dos Comando AT
COMANDO FUNÇÃO
Xn Detecção dos tons de linha e mensagem de conexão
n=0, Ignora tons e mensagem sem indicação de velocidade
n=1, Ignora tons e mensagem com indicação de velocidade
n=2, Detecta tom de discagem com indicação de velocidade
n=3, Detecta tom de ocupado com indicação de velocidade
n=4, Detecta tons e mensagem com indicação de velocidade
Z Reseta a configuração do modem
&C0 DCD sempre ON na interface digital
&C1 DCD segue a portadora do modem remoto
&C2 Igual a &C0, porém com transição momentânea na desconexão
&C3 De acordo com a recomendação V.25bis
&D0 Considera DTR sempre ON
&D1 Vai para estado comando na transição do DTR para OFF
&D2 Desconecta da linha na transição para OFF
&D3 Reinicializa o modem na transição para OFF
&Fn Carrega perfil de fábrica (0 a 4) no perfil ativo do modem
&L0 Seleciona linha discada, 2 fios
&L1 Seleciona linha privativa, 2 fios
&L3 Seleciona linha privativa, 4 fios
&M0 Modo de operação assíncrono
&M1 Modo de operação síncrono
Cont ...

115
Apêndice B.
B. Resumo dos Comando AT
COMANDO FUNÇÃO
&P0 Razão dos pulsos de discagem 61/39 (USA)
&P1 Razão dos pulsos de discagem 67/33 (UK)
&R0 CTS segue RTS com atraso dado por S26
&R1 CTS sempre ON
&S0 DSR Sempre ON
&S1 DSR Controlado
&T0 Finaliza um teste em andamento
&T1 Aciona laço analógico local (LAL)
&T3 Aciona laço digital local (LDL)
&T4 Habilita o modem a receber laço digital remoto
&T5 Desabilita resposta a laço digital remoto
&T6 Aciona laço digital remoto (RDL)
&T7 Aciona laço digital remoto com padrão de autoteste (SRL)
&T8 Aciona laço analógico local com padrão de autoteste (SAL)
&V0 Modem envia perfil ativo para o ETD
&V1 Modem envia perfis de usuário para o ETD
&W0 Grava perfil ativo no perfil de usuário 0
&W1 Grava perfil ativo no perfil de usuário 1
&X0 Relógio de transmissão interno
&X1 Relógio externo
&X2 Relógio regenerado
Cont ...

116
Apêndice B.
B. Resumo dos Comando AT
COMANDO FUNÇÃO
&Y0 Carrega perfil de usuário 0 no power-on ou reset
&Y1 Carrega perfil de usuário 1 no power-on ou reset
&Zn=m Grava o número telefônico m na posição de memória n
%An Define o caracter de auto-fallback (n= código ASCII)
%Bn Seleciona a máxima velocidade do modem (n=1200 a 33600)
%C0 Desabilita compressão de dados
%C1 Habilita compressão de dados V.42bis ou MNP5 bilateral
%C2 Habilita compressão V.42bis só na transmissão
%C3 Habilita compressão V.42bis só na recepção
%D0 Desabilita discagem na transição do DTR
%D1 Habilita discagem do número armazenado na posição 0 de memória na transição de
OFF para ON do DTR
%M0 Conexão normal à linha pelo painel frontal
%M1 Conecta à linha e disca o número armazenado na posição 0 de memória
%O0 Velocidade normal dos dados assíncronos (-2.5% a +1% )
%O1 Velocidade estendida (-2.5% a +2.3%)
%P=passw Programa password de acesso para configuração remota
%P= Desprograma password de acesso para configuração remota
%P? Verifica a password de configuração remota
Cont ...

117
Apêndice B.
B. Resumo dos Comando AT
COMANDO FUNÇÃO
%PD=passw Programa password de acesso para resposta protegida
%PD= Desabilita resposta protegida
%PD? Verifica a password de resposta protegida
%PI=ident Programa identidade do modem local
%PI= Desprograma a identidade do modem local
%PI? Verifica a identidade do modem local
%R Envia para o ETD os registradores e seus conteúdos atuais
%T=passw Início da configuração do modem remoto
%V Envia para o ETD a versão atual de software do DT34
\A0 Tamanho dos blocos do protocolo = 64 caracteres
\A1 Tamanho dos blocos do protocolo = 128 caracteres
\A2 Tamanho dos blocos do protocolo = 192 caracteres
\A3 Tamanho dos blocos do protocolo = 256 caracteres
\C0 Desabilita o Auto reliable buffer
\C1 Habilita o Auto reliable buffer na negociação do protocolo
\C2 Habilita a detecção do caracter de auto-fallback
\F Apresenta os números telefônicos armazenados
Cont ...

118
Apêndice B.
B. Resumo dos Comando AT
COMANDO FUNÇÃO
\G0 Desabilita o controle de fluxo entre modens
\G1 Habilita o controle de fluxo na “modem port”
\K1 Envia break destruindo os buffers de dados
\K3 Envia break imediatamente, e depois os dados dos buffers
\K5 Envia os dados dos buffers e depois o break
\M0 Desabilita a fase de detecção de LAPM
\M1 Habilita a fase de detecção de LAPM
\N0 Modo normal (velocidade do ETD fixa)
\N1 Modo direto (velocidade do ETD = velocidade do modem)
\N2 Protocolo MNP
\N3 Protocolo MNP ou modo normal
\N4 Protocolo LAPM
\N5 Protocolo LAPM ou modo normal
\N6 Protocolo LAPM ou MNP
\N7 Protocolo LAPM, MNP ou modo normal
\Q0 Controle de fluxo desabilitado
\Q1 Controle de fluxo por Xon/Xoff bidirecional (software)
\Q2 Controle de fluxo por CTS unidirecional (hardware)
\Q3 Controle de fluxo por RTS/CTS bidirecional (hardware)
\Q4 Controle de fluxo por Xon/Xoff unidirecional (software)
\S0 Desabilita Call Back
\S1 Habilita Call Back
Cont ...

119
Apêndice B.
B. Resumo dos Comando AT
COMANDO FUNÇÃO
\V0 Mensagem de conexão sem informação de protocolo
\V1 Informa protocolo na mensagem de conexão
\X0 Desabilita pass-through
\X1 Habilita pass-through
-A0 Seleciona canal ATX na transmissão em linha privativa
-A1 Seleciona canal BTX na transmissão em linha privativa
-B0 Seleciona 8 bits por caracter assíncrono
-B1 Seleciona 9 bits por caracter assíncrono
-B2 Seleciona 10 bits por caracter assíncrono
-B3 Seleciona 11 bits por caracter assíncrono
-Dn Discagem repetida do número n. Até 10 vezes
-E0 Mensagens normais durante a seqüência de discagem
-E1 Habilita mensagens de acompanhamento da seqüência de discagem
-F0 Desabilita desconexão por cleardown
-F1 Habilita desconexão por cleardown
-H0 Desabilita desconexão por ausência de DCD e dados
-H1 Habilita desconexão por perda de portadora
-H2 Habilita desconexão por ausência de dados por 4 min
-H3 Habilita desconexão por ausêcia de DCD e dados
Cont ...

120
Apêndice B.
B. Resumo dos Comando AT
COMANDO FUNÇÃO
-I0 Desabilita laços pela interface
-I1 Habilita CT141 - LAL
-I2 Habilita CT140 - RDL
-I3 Habilita CT140 e CT141
-I4 Habilita CT140 com polaridade invertida (CT140/)
-I5 Habilita CT140/ e CT141
-Kn Nível de potência de transmissão em linha privativa (n=6 a 21)
-N0 Habilita só as velocidades altas para operação V.34
-N1 Habilita todas as velocidades para operação V.34
-O0 Seleciona dial backup automático
-O1 Seleciona dial backup manual
-P0 Desconexão por ausência de portadora rápida (~ 8s)
-P1 Desconexão por ausência de portadora normal (~ 45s)
-S0 Desabilita portadora pseudo-controlada
-S1 Habilita portadora pseudo-controlada
-Tn Nível de potência de transmissão em linha comutada (n= 6 a 21)
-Un Velocidade do ETD (n=0 a 115200)
-V0 Desabilita seleção de velocidade pela interface
-V1 Habilita seleção de velocidade pela interface (CT111)
Cont ...

121
Apêndice B.
B. Resumo dos Comando AT
COMANDO FUNÇÃO
-W0 Desabilita operação V.34 com velocidade assimétrica
-W1 Habilita operação V.34 com velocidade assimétrica
-X0 Desabilita seleção de canal pela interface
-X1 Habilita seleção de canal de transmissão pela interface (CT126)
:Bn Seleciona velocidades de fallback (n=1200 a 31200)
:C0 Desabilita dial-backup
:C1 Habilita dial-backup
:D0 Seleciona função do DTR CT108/2
:D1 Seleciona CT108/1
:E0 Seleciona velocidades de ECD para mensagem de “CONNECT xxxxx”
:E1 Seleciona velocidades de ETD para mensagem de “CONNECT xxxxx”
:F0 Desabilita autobaud para modo comando
:F1 Habilita autobaud para modo comando
:M0 Desabilita modo comando
:M1 Habilita modo comando
:O0 Protocolo síncrono orentado a byte para V.25bis
:O1 Protocolo síncrono orientado a bit para V.25bis
:P0 Desabilita retorno à linha privativa
:P1 Habilita retorno à linha privativa, após dial backup
Cont ...

122
Apêndice B.
B. Resumo dos Comando AT
COMANDO FUNÇÃO
:R0 5 retreinos em 4 min para dial backup
:R1 10 retreinos em 4 min para dial backup
:R2 15 retreinos em 4 min para dial backup
:S0 Modo comando compatível com AT após o reset
:S1 Modo comando compatível com V.25bis após o reset
:T0 Monitora a linha privativa de 5 em 5 minutos
:T1 Monitora a linha privativa de 15 em 15 minutos
:T2 Monitora a linha privativa de 30 em 30 minutos
:T3 Monitora a linha privativa de 60 em 60 minutos
:U0 Desabilita opção Busy Mode
:U1 Habilita opção Busy Mode

Tabela B.1- Comandos AT

123
Apêndice B.
B. Resumo dos Comando AT
B.2. Respostas aos Comandos AT

Abaixo são relacionadas as respostas aos comandos, os códigos numéricos correspondentes e as situações em
que ocorrem.

Literais C0 C1 Descrição
OK 0 0 Comando executado. Modem pronto para receber outro
comando.
CONNECT 1 1 Mensagem de conexão estabelecida com o modem remoto
sem indicação de velocidade e protocolo.
RING 2 2 Indica a presença de ring na linha telefônica, ou seja, que o
modem está recebendo uma chamada.
NO CARRIER 3 3 Indica falha na comunicação depois de estabelecida a
conexão.
ERROR 4 4 Indica erro de sintaxe ou comando inválido.
NO DIALTONE 6 6 Modem não detectou tom de discar para proceder a discagem.
BUSY 7 7 Modem detectou tom de ocupado na linha.
CONNECT 1200 5 5 Conexão estabelecida a 1200 bps sem protocolo ou com
mensagem de protocolo inibida.
CONNECT 2400 10 10 Conexão estabelecida a 2400 bps sem protocolo ou com
mensagem de protocolo inibida.
Cont ...

124
Apêndice B.
B. Resumo dos Comando AT
Literais C0 C1 Descrição
CONNECT 4800 11 30 Conexão estabelecida a 4800 bps sem protocolo ou com
mensagem de protocolo inibida.
CONNECT 7200 40 40 Conexão estabelecida a 7200 bps sem protocolo ou com
mensagem de protocolo inibida.
CONNECT 9600 12 32 Conexão estabelecida a 9600 bps sem protocolo ou com
mensagem de protocolo inibida.
CONNECT 12000 41 41 Conexão estabelecida a 12000 bps sem protocolo ou com
mensagem de protocolo inibida.
CONNECT 14400 14 42 Conexão estabelecida a 14400 bps sem protocolo ou com
mensagem de protocolo inibida.
CONNECT 16800 46 46 Conexão estabelecida a 16800 bps sem protocolo ou com
mensagem de protocolo inibida.
CONNECT 19200 47 47 Conexão estabelecida a 19200 bps sem protocolo ou com
mensagem de protocolo inibida.
CONNECT 21600 48 48 Conexão estabelecida a 21600 bps sem protocolo ou com
mensagem de protocolo inibida.
CONNECT 24000 49 49 Conexão estabelecida a 24000 bps sem protocolo ou com
mensagem de protocolo inibida.
CONNECT 26400 51 51 Conexão estabelecida a 24400 bps sem protocolo ou com
mensagem de protocolo inibida.
Cont ...

125
Apêndice B.
B. Resumo dos Comando AT
Literais C0 C1 Descrição
CONNECT 28800 52 52 Conexão estabelecida a 28800 bps sem protocolo ou com
mensagem de protocolo inibida.
CONNECT 31200 150 150 Conexão estabelecida a 31200 bps sem protocolo ou com
mensagem de protocolo inibida.
CONNECT 33600 152 152 Conexão estabelecida a 33600 bps sem protocolo ou com
mensagem de protocolo inibida.
CONNECT 38400 153 153 Conexão estabelecida a 38400 bps sem protocolo ou com
mensagem de protocolo inibida.
CONNECT 57600 157 157 Conexão estabelecida a 57600 bps sem protocolo ou com
mensagem de protocolo inibida.
CONNECT 115200 164 164 Conexão estabelecida a 115200 bps sem protocolo ou com
mensagem de protocolo inibida.
CONNECT 1200/REL 22 22 Conexão estabelecida a 1200 bps com protocolo MNP.
CONNECT 2400/REL 23 23 Conexão estabelecida a 2400 bps com protocolo MNP.
CONNECT 4800/REL 29 29 Conexão estabelecida a 4800 bps com protocolo MNP.
CONNECT 7200/REL 31 31 Conexão estabelecida a 7200 bps com protocolo MNP.
CONNECT 9600/REL 33 33 Conexão estabelecida a 9600 bps com protocolo MNP.
CONNECT 12000/REL 34 34 Conexão estabelecida a 12000 bps com protocolo MNP.
CONNECT 14400/REL 35 35 Conexão estabelecida a 14400 bps com protocolo MNP.
Cont...

126
Apêndice B.
B. Resumo dos Comando AT
Literais C0 C1 Descrição
CONNECT 16800/REL 55 55 Conexão estabelecida a 16800 bps com protocolo MNP.
CONNECT 19200/REL 56 56 Conexão estabelecida a 19200 bps com protocolo MNP.
CONNECT 21600/REL 57 57 Conexão estabelecida a 21600 bps com protocolo MNP.
CONNECT 24000/REL 58 58 Conexão estabelecida a 24000 bps com protocolo MNP.
CONNECT 26400/REL 59 59 Conexão estabelecida a 26400 bps com protocolo MNP.
CONNECT 28800/REL 60 60 Conexão estabelecida a 28800 bps com protocolo MNP.
CONNECT 31200/REL 170 170 Conexão estabelecida a 31200 bps com protocolo MNP.
CONNECT 33600/REL 172 172 Conexão estabelecida a 33600 bps com protocolo MNP.
CONNECT 38400/REL 173 173 Conexão estabelecida a 38400 bps com protocolo MNP.
CONNECT 57600/REL 177 177 Conexão estabelecida a 57600 bps com protocolo MNP.
CONNECT 115200/REL 184 184 Conexão estabelecida a 115200 bps com protocolo MNP.
CONNECT 1200/LAPM 36 36 Conexão estabelecida a 1200 bps com protocolo LAPM (V.42/
V.42bis).
CONNECT 2400/LAPM 37 37 Conexão estabelecida a 2400 bps com protocolo LAPM (V.42/
V.42bis).
CONNECT 4800/LAPM 38 38 Conexão estabelecida a 4800 bps com protocolo LAPM (V.42/
V.42bis).
Cont ...

127
Apêndice B.
B. Resumo dos Comando AT
Literais C0 C1 Descrição
CONNECT 7200/LAPM 43 43 Conexão estabelecida a 7200 bps com protocolo LAPM (V.42/
V.42bis).
CONNECT 9600/LAPM 39 39 Conexão estabelecida a 9600 bps com protocolo LAPM (V.42/
V.42bis).
CONNECT 12000/LAPM 44 44 Conexão estabelecida a 12000 bps com protocolo LAPM (V.42/
V.42bis).
CONNECT 14400/LAPM 45 45 Conexão estabelecida a 14400 bps com protocolo LAPM (V.42/
V.42bis).
CONNECT 16800/LAPM 61 61 Conexão estabelecida a 16800 bps com protocolo LAPM (V.42/
V.42bis).
CONNECT 19200/LAPM 62 62 Conexão estabelecida a 19200 bps com protocolo LAPM (V.42/
V.42bis).
CONNECT 21600/LAPM 63 63 Conexão estabelecida a 21600 bps com protocolo LAPM (V.42/
V.42bis).
CONNECT 24000/LAPM 64 64 Conexão estabelecida a 24000 bps com protocolo LAPM (V.42/
V.42bis).
CONNECT 26400/LAPM 65 65 Conexão estabelecida a 26400 bps com protocolo LAPM (V.42/
V.42bis).
CONNECT 28800/LAPM 66 66 Conexão estabelecida a 28800 bps com protocolo LAPM (V.42/
V.42bis).
Cont ...

128
Apêndice B.
B. Resumo dos Comando AT
Literais C0 C1 Descrição
CONNECT 31200/LAPM 190 190 Conexão estabelecida a 31200 bps com protocolo LAPM (V.42/
V.42bis).
CONNECT 33600/LAPM 192 192 Conexão estabelecida a 33600 bps com protocolo LAPM (V.42/
V.42bis).
CONNECT 38400/LAPM 193 193 Conexão estabelecida a 38400 bps com protocolo LAPM (V.42/
V.42bis).
CONNECT 57600/LAPM 197 197 Conexão estabelecida a 57600 bps com protocolo LAPM (V.42/
V.42bis).
CONNECT 115200/LAPM 204 204 Conexão estabelecida a 115200 bps com protocolo LAPM
(V.42/ V.42bis).
REM OK 50 50 Comando executado pelo modem remoto. Pronto para receber
novos comandos.
REM ERROR 54 54 Modem remoto detectou erro na sintaxe ou comando
inválido.
REMOTE ACCESS ENABLE 86 86 Acesso ao modem remoto habilitado.
REMOTE ACCESS FAIL 87 87 Falha no acesso ao modem remoto.
CALLING BACK 88 88 Modem executando Call Back.

Tabela B.2 - Resposta aos Comandos AT

129
Apêndice B.
B. Resumo dos Comando AT

(Esta página foi deixada intencionalmente em branco)

130
Apêndice C.
C. Resumo dos Comandos V.25bis
C.1. Comandos V.25bis

Comando Função
CIC Habilita a resposta automática
CRNn Conecta o modem à linha como chamador e disca o número n
CRSn Conecta o modem à linha como chamador e disca o número armazenado na posição
de memória n
DIC Desabilita a resposta automática
GAT Muda para modo comando AT
PAR0 Seleciona paridade par
PAR1 Seleciona paridade espaço
PAR2 Seleciona paridade ímpar
PAR3 Seleciona paridade marca
PRNn;m Grava o número telefônico m na posição de memória n
PRPn;m Atribui o valor m ao registrador n
RLN Lista os números telefônicos armazenados na memória do modem
RLPn Lista o conteúdo do registrador n
RES Reseta a configuração do modem
Tabela C.1 - Comandos V.25 bis

131
Apêndice C.
C. Resumo dos Comandos V.25bis
C.2. Resposta aos Comandos V.25bis

A seguir são apresentadas as respostas aos comandos V25bis e a situação em que ocorrem.

Comando Função
VAL Comando válido. Modem pronto para receber novo comando.
INV Sintaxe errada ou comando inválido.
CNXvel Conexão estabelecida na velocidade “vel”.
INC Indicador de ring na linha telefônica, ou seja, o modem está recebendo uma chamada.
LSN Lista de números armazenados na memória de números telefônicos em resposta ao
comando RLN.
LSPn;m Lista valor atual do registrador n em resposta ao comando RLPn.
NS Indica que a posição de memória não tem valor armazenado.
CFI Indica falha na tentativa de conexão com o modem remoto.
CFI AB Conexão abortada por time-out.
CFI ND Modem não detectou tom de discagem.
CFI ET Modem detectou tom de ocupado.
CFI NS Não há número armazenado na posição n de memória indicada pelo comando CRSn.
CFI NT Modem não detectou tom de resposta do modem remoto.
Tabela C.2 - Resposta aos Comandos V.25 bis

132
Apêndice D.
D. Registradores S
Registrador Função Range Default Comando
S0 Número de Rings para atender uma chamada. 0 - 255 2 ATS0
(0 desabilita autoanswer)
S1 Contador de Rings 0 - 255 0 —
S2 Caracter de Sequência de Escape (valor maior 0 - 255 43 ATS2
que 127 desabilita)
S3 Caracter de Carriage Return 0 - 127 13 ATS3
S4 Caracter de Line Feed 0 -127 10 ATS4
S5 Caracter de Backspace 0 - 127 8 ATS5
S6 Tempo de espera pelo tom de discar em segundos 2 - 255 2 ATS6
S7 Tempo de espera pela portadora do modem 0 - 255 30 ATS7
remoto em segundos
S8 Tempo de espera definido pela vírgula em segundos 1 - 255 2 ATS8
S9, S10 Não usados — — —
S11 Duração do tom DTMF 50 - 255 70 ATS11
S12 Tempo de espera pela seqüência de escape 0 - 255 50 ATS12
em 1/50 segundos
S13 Não usado — — —
Cont ...

133
Apêndice D.
D. Registradores S
Registrador Função Range Default Comando
S14 bit0 -
0 - Seleciona velocidades de ECD AT:E0
1 - Seleciona velocidades de ETD AT:E
bit1 -
0 - Desabilita Eco dos comandos ATE0
1 - Habilita ATE1
bit2 -
0 - Habilita resposta aos comandos ATQ0
1 - Desabilita ATQ1
bit3 -
0 - Respostas numéricas ATV0
1 - Respostas alfa-numéricas ATV1
bit4 -
0 - Código de vel. 11, 12 e 14 ATC0
1 - Código de vel. 30, 32 e 42 ATC1
bit5 -
0 - Discagem por tom ATT
1 - Discagem por pulso ATP
bit6 -
0 - Desabilita códigos de mensagem estendida AT-E0
1 - Habilita códigos de mensagem estendida AT-E1
bit7 -
0 - Indica modem resposta AT-A0
1 - Indica modem origem AT-A1
Cont ...

134
Apêndice D.
D. Registradores S
Registrador Função Range Default Comando
S15 bit3,2,1,0 - Nível de Transmissão em linha privativa 0 - 21 9 AT-K
000 - 0 dBm
001 - -3 dBm
010 - -6 dBm
011 - -9 dBm
100 - -12 dBm
101 - -15 dBm
110 - -18 dBm
111 - -21 dBm
bits5,4 - paridade V.25bis assíncrono PARn
00 - par
01 - espaço
10 - ímpar
11 - marca
bits7,6 - paridade V.25bis síncrono PARn
00 - par
01 - espaço
10 - ímpar
11 - marca
Cont ...

135
Apêndice D.
D. Registradores S
Registrador Função Range Default Comando
S16 bit0 - Laço Analógico Local (LAL) 0 - 255 0 AT&T1
bit1 - Não usado
bit2 - Laço Digital Local (LDL) AT&T3
bit3 - Recebimento de Laço Remoto
bit4 - Laço Digital Remoto (RDL) AT&T6
bit5 - RDL com GER (SRL) AT&T7
bit6 - LAL com GER (SAL) AT&T8
bit7 - Não usado
S17 Não usado
S18 Tempo de duração de teste em segundos 0 - 255 0 ATS18
(0 desabilita o controle de tempo)
S19, S20 Não usados
S21 bit0 - Reservado
bit1 -
0 - DCD depende do bit 5 AT&C
1 - DCD OFF momenteneamente na AT&C2
desconexão na desconexão.
bit2 -
0 - CTS segue RTS AT&R0
1 - CTS forçado ON AT&R1
Cont ...

136
Apêndice D.
D. Registradores S
Registrador Função Range Default Comando
bit4,3 -
00 - Modem ignora DTR AT&D0
01 - Vai para estado comando AT&D1
10 - Desconecta da linha AT&D2
11 - Reinicializa o modem AT&D3
bit5 -
0 - DCD forçado ON AT&C0
1 - DCD segue portadora na linha AT&C1
bit6 -
0 - DSR forçado ON AT&S0
1 - DSR controlado AT&S1
bit7 - Reservado
S22 Mapeado a bit 0 - 255
bit1,0 -
00 - Volume do alto-falante mínimo ATL0
01 - Volume do alto-falante baixo ATL1
10 - Volume do alto-falante médio ATL2
11 - Volume do alto-falante alto ATL3
bit3,2 -
00 - Desliga alto-falante ATM0
01 - Ligado até receber 2100Hz ATM1
10 - Sempre ligado ATM2
11 - Desligado na discagem e dados ATM3
Cont ...

137
Apêndice D.
D. Registradores S
Registrador Função Range Default Comando
bit6,5,4 - Tons de linha, mensagem de conexão
000 - Ignora tons, sem velocidade ATX0
100 - Detecta ocupado, sem velocidade ATX1
101 - Ignora tons, com velocidade ATX2
110 - Detecta ocupado, com velocidade ATX3
111 - detecta tons, com vellcidade ATX4
bit7 - Razão dos pulsos de discagem
0 - 39/61 AT&P0
1 - 33/67 AT&P1
S23 Mapeado a bit
bit0 -
0 - Inibe resposta ao laço remoto AT&T5
1 - Habilita laço remoto AT&T4
bit3,2,1 - Reservados
bit5,4 -
00 - Paridade par
01 - Paridade espaço
10 - Paridade ímpar
11 - Paridade marca
bit7,6 - Reservados
S24 Caracter de aborto de discagem 0 - 255 27 ATS24
(Valor maior que 127 desabilita)
Cont ...

138
Apêndice D.
D. Registradores S
Registrador Função Range Default Comando
S25 Atraso na detecção do DTR em 1/20s 0 - 255 ATS25
S26 Atraso entre o RTS e o CTS em 1/100s 0 - 255 ATS26
S27 bit0 -
0 - Assíncrono AT&M0
1 - Síncrono AT&M1
bit1 - Reservado
bit3,2 -
00 - Linha Comutada AT&L0
01 - Linha privativa a 2 fios AT&L1
11 - Linha privativa 4 fios AT&L3
bit5,4 -
00 - Relógio Interno AT&X0
01 - Relógio Externo AT&X1
10 - Relógio Regenerado AT&X2
bit6 - Não usado
bit7 -
0 - Desabilita discagem na conexão manual AT%M0
1 - Habilita discagem na conexão manual AT%M1
S28 Não usado
Cont ...

139
Apêndice D.
D. Registradores S
Registrador Função Range Default Comando
S29 Seleciona velocidade do ETD (0 desabilita 0 - 115200 AT-U
velocidade fixa para o ETD)
bit5,4,3,2,1,0
000000 - Desabilita velocidade do ETD AT-U0
000100 - 1200 AT-U1200
000101 - 2400 AT-U2400
000110 - 4800 AT-U4800
000111 - 7200 AT-U7200
001000 - 9600 AT-U9600
001001 - 12000 AT-U12000
001010 - 14400 AT-U14400
001011 - 16800 AT-U16800
001100 - 19200 AT-U19200
001101 - 21600 AT-U21600
001110 - 24000 AT-U24000
001111 - 26400 AT-U26400
010000 - 28800 AT-U28800
010001 - 31200 AT-U31200
010010 - 32000 AT-U32000
010011 - 33600 AT-U33600
010100 - 38400 AT-U38400
010101 - 43200 AT-U43200
010110 - 48000 AT-U48000
010111 - 52800 AT-U52800
011000 - 57600 AT-U57600
011001 - 64000 AT-U64000
Cont ...

140
Apêndice D.
D. Registradores S
Registrador Função Range Default Comando
S29 011010 - 67200 AT-U67200
011011 - 76800 AT-U76800
011100 - 86400 AT-U86400
011101 - 96000 AT-U96000
011110 - 105600 AT-U105600
011111 - 115200 AT-U115200
bit7,6 - Reservados
S30 a S79 Não usados
S80 bit0 - 0-255
0 - Desabilita dial backup AT:C0
1 - Habilita dial backup AT:C1
bit2,1 - Retreinos para dial backup
00 - 5 em 4 minutos AT:R0
01 - 10 em 4 minutos AT:R1
10 - 15 em 4 minutos AT:R2
bit3 -
0 - Velocidade Normal (+1%) AT%O0
1 - Velocidade Estendida (+2.3%) AT%O1
bit4 - Retorno para linha privativa
0 - Desabilita AT:P0
1 - Habilita AT:P1
bit5 - Estado comando V.25bis síncrono
0 - Orientado a byte AT:O0
1 - Orientado a bit AT:O1
Cont ...

141
Apêndice D.
D. Registradores S
Registrador Função Range Default Comando
S80 bit7,6 - Tamanho de caracter assíncrono
00 - 8 bits AT-B0
01 - 9 bits AT-B1
10 - 10 bits AT-B2
11 - 11 bits AT-B3
S81 bit1,0 - Tamanho de bloco de dados 0 - 255
00 - 64 caracteres AT\A0
01 - 128 caracteres AT\A1
10 - 192 caracteres AT\A2
11 - 256 caracteres AT\A3
bit3,2 - Buffer de modo normal
00 - Desabilita AT\C0
01 - Buffer para 200 caracteres AT\C1
10 - Habilita caracter de Fallback AT\C2
bit6,5,4 - Tratamento de Break
001 - Após esvaziar os Buffers AT\K1
011 - Envia imediatamente AT\K3
101 - Envia Break e, após, os dados AT\K5
bit7 - Fase de detecção de V.42
0 - Desabilita AT\M0
1 - Habilita AT\M1
S82 bit2,1,0 - Controle de Fluxo
000 - Desabilitado AT\Q0
001 - XON/XOFF bidirecional AT\Q1
010 - CTS unidirecional AT\Q2
Cont ...

142
Apêndice D.
D. Registradores S
Registrador Função Range Default Comando
S82 011 - RTS/CTS bidirecional AT\Q3
100 - XON/XOFF bidirecional AT\Q4
bit3 - Mensagem de conexão.
0 - Sem indicação de protocolo AT\V0
1 - Indica protocolo MNP ou LAPM AT\V1
bit4 -
0 - Desabilita Pass-Through AT\X0
1 - Habilita Pass-Through AT\X1
bit6,5 - Compressão de dados
00 - Desabilitada AT%C0
01 - Habilitada TX e RX AT%C1
10 - Habilitada só TX (V.42bis) AT%C2
11 - Habilitada só RX (V.42bis) AT%C3
bit7 - Reservado
S83 bit1,0 - Tempo para retorno à L.P. (DBU)
00 - 5 minutos AT:T0
01 - 15 minutos AT:T1
10 - 30 minutos AT:T2
11 - 60 minutos AT:T3
bit2 - Reservado
bit4,3 - Desconexão da linha comutada
00 - Desabilitada AT-H0
01 - Por perda de portadora AT-H1
10 - Por ausência de dados AT-H2
11 - Por portadora e dados AT-H3
Cont ...

143
Apêndice D.
D. Registradores S
Registrador Função Range Default Comando
S83 bit7,6,5 - Laços pela interface digital
000 - Desabilitados AT-I0
001 - Habilita CT141 - LAL AT-I1
010 - Habilita CT140 - RDL AT-I2
011 - CT140 e CT141 AT-I3
100 - CT140/ (polaridade negativa) AT-I4
101 - CT140/ e CT141 AT-I5
S84 bit0 - Portadora Pseudo Controlada
0 - Desabilita AT-S0
1 - Habilita AT-S1
bit2,1 - reservados
bit5,4,3 - Potência de Transmissão para linha comutada
000 - 0 dBm AT-T0
001 - -3 dBm AT-T3
010 - -6 dBm AT-T6
011 - -9 dBm AT-T9
100 - -12 dBm AT-T12
101 - -15 dBm AT-T15
110 - -18 dBm AT-T18
111 - -21 dBm AT-T21
bit6 - Controle de Fluxo entre modens
0 - Desabilita AT\G0
1 - Habilita AT\G1
bit7 - Seleção de canal pela interface
0 - Desabilita AT-X0
1 - Habilita (CT126) AT-X1
Cont ...

144
Apêndice D.
D. Registradores S
Registrador Função Range Default Comando
S85 bit3,2,1,0 - Reservados
bit4 - Velocidade pela interface
0 - Desabilita CT111 AT-V0
1 - Habilita CT111 AT-V1
bit5 - Função do CT108 (DTR)
0 - CT108/2 AT:D0
1 - CT108/1 AT:D1
bit6 - Desconexão por perda de DCD
0 - Fast (aproximadamente 8s) AT-P0
1- Normal (aproximadamente 45s) AT-P1
bit7 -
0 - Desabilita Busy Mode AT:U0
1 - Habilita Busy Mode AT:U1
S86 bit0 - Desconexão remota 0-1
0 - Desabilitada AT-F0
1 - Por Cleardown AT-F1
S87 bit2,1,0 - Seleção de Protocolo
000 - Modo normal AT\N0
001 - Modo direto AT\N1
010 - MNP AT\N2
011 - MNP ou normal AT\N3
100 - LAPM AT\N4
101 - LAPM ou normal AT\N5
110 - LAPM ou MNP AT\N6
111 - LAPM, MNP ou normal AT\N7
Cont ...

145
Apêndice D.
D. Registradores S
Registrador Função Range Default Comando
S87 bit3 - Discagem por DTR
0 - Desabilita AT%D0
1 - Habilita AT%D1
bit5,4 - Reservados
bit6 - Seleção de Modo Comando
0 - Modo comando AT AT:S0
1 - Modo comando V.25bis AT:S1
bit7 -
0 - Desabilita Modo comando AT:M0
1 - Habilita Modo comando AT:M1
S88 Caracter de Fallback para modo normal 0 - 127 AT%A
S89 Reservado
S90 Habilita velocidades do modem 8 - 255 AT:B
bit2,1,0 - Reservados AT%B
bit3 - 1200 bps
bit4 - 2400 bps
bit5 - 4800 bps
bit6 - 7200 bps
bit7 - 9600 bps
Cont ...

146
Apêndice D.
D. Registradores S
Registrador Função Range Default Comando
S91 Habilita velocidades do modem 0 - 255 AT:B
bit0 - 12000 bps AT%B
bit1 - 14400 bps
bit2 - 16800 bps
bit3 - 19200 bps
bit4 - 21600 bps
bit5 - 24000 bps
bit6 - 26400 bps
bit7 - 28800 bps
S92 Habilita velocidades do modem 0-3 AT:B
bit0 - 31200 bps AT%B
bit1 - 33600 bps
S93 Intervalo entre monitorações de linha privativa 0 - 255 30 AS93
S94 Parâmetros de Gerenciamento
bit4,3,2,1,0 - Endereço de linha (0 a 31)
bit6,5 - Velocidade da barra
00 - 600 bps
01 - 2400 bps
10 - 4800 bps
11 - 9600 bps
bit7 - Habilita comunicação com o gerenciador
0 - Desabilita
1 - Habilita
Cont ...

147
Apêndice D.
D. Registradores S
Registrador Função Range Default Comando
S95 bits 1,0 - Reservados
bit2 - Seleção do tipo de dial backup
0 - Dial backup automático AT-O0
1 - Dial backup via operador AT-O1
bit7 - não usado
bit6 - Habilitação do Auto Baud
0 - Desabilita Auto Baud para modo comando AT:F0
1 - Habilita Auto Baud para modo comando AT:F1
bits5,4, - não usados
bit3 - Habilitação do Call Back
0 - Desabilita Call Back AT\S0
1 - Habilita Call Back AT\S1
S96 bit0 - Habilitação de velocidades para V.34
0 - Habilita somente velocidades altas para AT-N0
operação V.34 (maior que 14400 bps)
1 - Habilita todas as velocidades AT-N1
velocidades para operação V.34
bit1 - Operação em V.34
0 - Full-Duplex AT-L0
1 - Half-Duplex AT-L1
bit2 - Seleção de velocidade assimétrica para V.34
0 - Desabilitada AT-W0
1 - Habilitada AT-W1
bits7,6,5,4,3 - não usados

Tabela D.1 - Registradores S

148
Apêndice E.
E. Mapa de Operação
E.1. Mapa de Operação do Painel Frontal DT34 (LCD)

Figura E.1 - Mapa de Operação do Painel Frontal DT34 (LCD)

149
Apêndice E.
E. Mapa de Operação
Observações

1. No nível de configuração de parâmetros (nível 3) o modem indica no canto inferior esquerdo a mensagem
Local ou Remote para configuração local ou remota, respectivamente.

2. O evento final de configuração por painel é sempre a janela “EndConfig”, que permite salvar a
configuração perfil ativo do modem (Store to Active), Gravar no perfil de usuário 0 ou 1 (Store to USER0
ou Store to USER1) ou sair da configuração desprezando as alterações feitas no painel (Abandon).

A tabela a seguir apresenta os grupos (nível 2), os parâmetros (nível 3) e as opções de programação associados
ao mapa de configuração do modem.

150
Apêndice E.
E. Mapa de Operação
GRUPO
PARÂMETRO DESCRIÇÃO DO PARÂMETRO OPÇÕES
2a. Profiles & Access
3a. FactProf Carrega Perfil de Fábrica NO / 0 / 1 / 2 / 3 / 4
3b. PowerUp Aponta para Perfil de Usuário de inicialização USER0 / USER1
3c. EnableRDL Habilita recepção de Loop Digital Remoto ON / OFF
3d. LoadLocal Carrega Configuração Local Ativa no Perfil de Painel NO / YES
3e. Passwords Configura Passwords de acesso remoto RemConf / DialAns / Identit

2b. DTE parameters

3a. Mode Modo de Operação Síncrono ou Assíncrono Async / Sync


3b. TX clock Relógio de Transmissão int / ext / slave
3c. DTEspeed Velocidade do ETD none / 1k2 / 2k4 / ... / 128k0
3d. OverRate Tolerância na sobre velocidade dos dados assíncronos +1% / +2.3%
3e. CharFormat Tamanho de Caracter assíncrono 8 / 9 / 10 / 11
3f. CTS Controle do sinal CTS na interface Forced ON / Controled
3g. CTSdel Atraso RTS/CTS em “ms” 0 / 10 / ... / 2550
3h. DCD Controle do sinal DCD na interface ON / RxCarrier / OFF disc /ACC.V25B
3i. DSR Controle do sinal DSR na interface Forced ON / Controled
3j. CT108 Função do Circuito CT108 (DTR) -1 / -2 / DIAL
3k. DTR Efeito da transição para OFF do sinal DTR na interface Forced ON / OFF Commd /OFF Disc / OFF Reset
3l. DTRdetec Tempo para que o modem observe o DTR 0 / 1 / ... / 255
3m. CT111 Seleção de Velocidade pela interface OFF / ON
3n. CT140 Habilita LDR pela interface OFF / ON / ONinvert
3o. CT141 Habilita LAL pela interface OFF / ON
3p. V13 Portadora Pseuco Controlada OFF / ON
3q. BusyMode Habilita função Busy Mode OFF / ON

Cont ...

151
Apêndice E.
E. Mapa de Operação
GRUPO
PARÂMETRO DESCRIÇÃO DO PARÂMETRO OPÇÕES
2c. DCE/Line parameters

3a. DCE Speeds Habilita velocidades para o modem 1k2 / 2k4 / ... / 28k8 / Clear / Set
3b. TxLC Nível do sinal de transmissão em LC em dBm -6 / -7 / ... / -21 dBm
3c. TxLP Nível do sinal de transmissão em LP em dBm -6 / -7 / ... / -21 dBm
3d. Channel Seleção do Canal de Transmissão ATX / BTX / CT126
3e. Line Tipo de Linha DIAL / LEASED-2 / LEASED-4
3f. DCD disc Desconexão por queda de DCD OFF / NORM / FAST
3g. Data disc Desconexão por ausência de dados OFF / ON
3h. Cleardown Desconexão por negociação OFF / ON
3i. DCD Det Limiar de Dtteção de Portadora -43 dB / -33 dB

2d. V34 parameters

3a. V34 LowSpd Seleciona velocidades para operação V34 ON / OFF


3b. AsymSpeed Habilita operação com velocidade assimétrica ON / OFF
(veloc.tx diferente da veloc.rx)

Cont ...

152
Apêndice E.
E. Mapa de Operação
GRUPO
PARÂMETRO DESCRIÇÃO DO PARÂMETRO OPÇÕES
2e. Protocol parameters

3a. Protocol Seleção de protocolo Normal / Direct / MNP / LAPM


3b. BlockSize Tamanho de Bloco 64 / 128 / 192 / 256
3c. Compress Compressão de dados OFF / TxRx / Tx / Rx
3d. AutoRelBuf Buffer de armazenamento dos dados durante a
negociação de protocolo OFF / ON / CHR
3e. AutoChar Caracter de fall-back automático para modo normal durante a negociação 0 / 1 / ... / 127
3f. DetPhase Habilita fase de detecção de modo lapm durante a negociação ON / OFF
3g. Flow Seleciona Controle de Fluxo OFF / Soft / Hard / Bidi / Uni
3h. ModPortFC Seleciona controle de fluxo entre os modens OFF / ON
3i. PassThr Seleciona opção Pass Through ON / OFF
3j. Break Seleciona o instante de envio do Break em relação aos dados no buffer DESTRUC / BK + DATA / DATA + BK

2f. Dial/Answ parameters


3a. PhoneNumber Grava Números Telefônicos 0 / 1 / ... / 7
3b. Dialing Seleciona discagem por pulso ou por tom Tone / Pulse
3c. PulseRatio Relação de Abertura/Fechamento do relé em discagens por pulso US / UK
3d. Busy Tone Detecção do tom de ocupado OFF / Det
3e. Dial Tone Detecção do tom de discar OFF / Det
3f. Pause Pausa antes de começar a discagem sem detecção de tom de discar 2 / 3 / ... / 255
3g. Spker Hablitação do alto-falante OFF / Carrier / ON / OFFdial
3h. Volume Volume do alto-falante Low1 / Low2 / Medium / High
3i. WaitDCD Tempo de espera por sinal do modem remoto após a discagem 0 / 1 / ... / 255
3j. Comma Tempo de espera definido pela Vírgula no string de discagem 1 / ... / 255
3k. AnswRing Número de Ring’s para atender a uma chamada. (0) desabilita o autoanswer 0 / 1 / ... / 255
3l. DialConn Disca o número da posição 0 de memória na conexão à linha OFF/ON
3m. Call Back Habilitação do Call Back OFF/ON

Cont ...

153
Apêndice E.
E. Mapa de Operação
GRUPO
PARÂMETRO DESCRIÇÃO DO PARÂMETRO OPÇÕES
2g. Command parameters
3a. Command Seleciona o Estado Comando Dumb / AT / V25bis / Bit / Byte
3b. Parity Paridade para comandos V.25bis Even / Space / Odd / Mark
3c. Echo Habilita eco dos comandos ON / OFF
3d. AT Messg Seleciona Tipo de Mensagens do Modem OFF / Code / Word
3e. Speed Code Informa Velocidade na Mensagem de Conexão DCE/DTE/OFF
3f. PtcolCode Informa Protocolo na Mensagem de Conexão ON / OFF
3g.ESC Char Seleciona o caracter de Sequência de Escape (ASCII) 0 / 1 / ... / 127/ .../ 255
(maior que 128, desabilita)
3h.ESCdel Tempo mínimo entre os dados e a seqüência de Escape 1 / ... / 255
3i. CR Char Caracter Carriage Return ( ASCII ) 0 / 1 / ... / 127
3j. LF Char Caracter de Line Feed ( ASCII ) 0 / 1 / ... / 127
3k.BS Char Caracter de Back Space ( ASCII ) 0 / 1 / ... / 127
3l.Autobaud Habilitação de Autobaud OFF/ON

2h. Dial Backup parameters


3a. Dial Backup Habilita o dial backup OFF / Automatic / Manual
3b. LLrest Habilita o retorno à linha privativa OFF/05/15/30/60 min
3c. Retrain DBU Número de retreinos para fazer dial backup 05/10/15
3d. TxDBU Potência de transmissão na linha de dial backup -6/-7/-8/ ... -21 dBm

2i. NMS parameters


3a. NMS enable Habilita a comunicação com o gerenciador Enable / Disable
3b. NMS speed Seleciona velocidade da barra de gerenciamento 600 / 2K4 / ... / 9K6
3c. NMS address Programa endereço da linha de gerenciamento 0 / 1 / ... / 31

Cont ...

154
Apêndice E.
E. Mapa de Operação
GRUPO
PARÂMETRO DESCRIÇÃO DO PARÂMETRO OPÇÕES
2j. End Config
3a. Store to Active Salva a configuração no perfil ativo do modem local ou remoto
3b. Store to USER0 Grava a configuração no perfil ativo e no perfil de usuário 0
3c. Store to USER1 Grava a configuração no perfil ativo e no perfil de usuário 1
3d. Abandon Sai da configuração ignorando as alterações feitas no painel

Remot Pass: Passw

Password Edit? Edita a senha para acesso ao modem remoto NO / YES / QUIT

Tabela E.1 - Mapa de Configuração do Modem

155
Apêndice E.
E. Mapa de Operação

(Esta página foi deixada intencionalmente em branco)

156
Apêndice F.
F. Painel de Leds
F.1. Tabela para Edição de Passwords e Números Telefônicos

Bit 3,2,1,0 Caracter ou função


0000 Caracter não programado
0001 1
0010 2
0011 3
0100 4
0101 5
0110 6
0111 7
1000 8
1001 9
1010 0
1011 , (tempo de espera na discagem)
1100 W (espera por tom de discar)
1101 apaga todo o número ou password (CLEAR) e recomeça a edição do primeiro dígito.

Tebela F.1 - Edição de Passwords e Números Telefônicos

157
Apêndice F.
F. Painel de Leds
F.2. Tabelas de Configuração

Legenda  Led Apagado


 Led Aceso
 Independe

Descrição Registrador Bit Função


(P) 3210
Perfis e Acesso P0  Sem função
 Carrega perfil de fábrica 0
      Carrega perfil de fábrica 1
16 8 4 2 1  Carrega perfil de fábrica 2
 Carrega perfil de fábrica 3
 Carrega perfil de fábrica 4
 Carrega perfil ativo do modem local
 Edita password de conexão para Dial com password
 Edita Identificação para Dial com password
 Edita password para ser configurado remotamente
 Edita password de acesso para configurar modem
remoto
 Acessa e configura modem remoto
 Reinicializa o modem (Reset)
Cont...

158
Apêndice F.
F. Painel de Leds
Descrição Registrador Bit Função
(P) 3210
P1  Seleciona perfil de usuário 0 na inicialização
 Seleciona perfil de usuário 1 na inicialização
        Desabilita recepção de laço remoto
16 8 4 2 1    Habilita recepção de laço remoto
   Desabilita Call Back
   Habilita Call Back
   Desabilita seleção de velocidade pela interface
(CT111)
   Habilita seleção de velocidade pela interface (CT111)
P2  Modo de operação assíncrono
 Modo de operação síncrono
      
 Relógio de transmissão interno
16 8 4 2 1    Relógio de transmissão externo
   Relógio de transmissão regenerado
   Seleciona tabela 1 de P3
   Seleciona tabela 2 de P3
Cont...

159
Apêndice F.
F. Painel de Leds
Descrição Registrador Bit Função
(P) 3210
Velocidade P3 TABELA 1 TABELA 2
de ETD  Nu 31K2
(registrador       Nu 32K0
P2 seleciona 16 8 4 2 1  Nu 33K6
tabela 1 ou    1K2 38K4
tabela 2)  2K4 43K2
 4K8 48K0
 7K2 52K8
 9K6 57K6
 12K0 64K0
 14K4 67K8
 16K8 76K8
 19K2 86K4
 21K6 96K0
 24K0 115K2
 26K4 128K0
 28K8
P4  Tolerância na velocidade +1%
 Tolerância na velocidade +2,3%
       Tamanho do caracter assíncrono = 8 bits
16 8 4 2 1   Tamanho do caracter assíncrono = 9 bits
  Tamanho do caracter assíncrono = 10 bits
  Tamanho do caracter assíncrono = 11 bits
   CTS Controlado
   CTS forçado ON
Cont...

160
Apêndice F.
F. Painel de Leds
Descrição Registrador Bit Função
(P) 3210
Atraso RTS/CTS P5    Atraso RTS/CTS = + 10 ms
   Atraso RTS/CTS = + 20 ms
        Atraso RTS/CTS = + 40 ms
16 8 4 2 1    Atraso RTS/CTS = + 80 ms
DCD P6    Sinal DCD forçado ON
DSR Portadora    Sinal DCD segue portadora
        Sinal DCD OFF na desconexão
16 8 4 2 1    Sinal DCD de acordo com a V25B
   Sinal DSR forçado ON
   Sinal DSR controlado
   Desabilita Portadora Pseudo-controlada
   Habilita Portadora Pseudo-controlada
DCD P7    Seleciona CT108/2
DTR    Seleciona CT108/1
        Habilita CT108 DIAL (Discagem por DTR)
16 8 4 2 1    Sinal DTR forçado ON
   Sinal DTR em OFF vai para estado comando
   Sinal DTR em OFF desconecta
   Sinal DTR em OFF reinicializa o modem
Cont...

161
Apêndice F.
F. Painel de Leds
Descrição Registrador Bit Função
(P) 3210
Laços P8   Desabilita Laços
Busy Mode   Habilita CT141 (LAL)
       Habilita CT140 (LDL)
16 8 4 2 1   Habilita CT140 e CT141
  Habilita CT140/ (polaridade negativa)
  Habilita CT140/ e CT141
   Desabilita Busy Mode
   Habilita Busy Mode
Velocidade P9  1200 bps
do Modem ,  2400 bps
Fall-Back       4800 bps
Limiar de DCD 16 8 4 2 1  7200 bps
P10  9600 bps
 12000 bps
      14400 bps
16 8 4 2 1  16800 bps
Velocidade P11  19200 bps
do Modem e  21600 bps
Nível de       24000 bps
Transmissão 16 8 4 2 1  26400 bps
P12  28000 bps
 31200 bps
      33600 bps
16 8 4 2 1    0 a -33 dBm
   0 a -43 dBm
Cont...

162
Apêndice F.
F. Painel de Leds
Descrição Registrador Bit Função
(P) 3210
P13  V.34 LowSpd OFF
 V.34 LowSpd ON
        Simétricas
16 8 4 2 1    Assimétricas
   Tabela 1 (faixa de -6 a -15 dBm)
   Tabela 2 (faixa de -6 a -21 dBm)
Nível de P14 TABELA 1 TABELA 2
Potência    -6 dBm -6 dBm
para Linha         -6 dBm -7 dBm
Comutada 16 8 4 2 1    -6 dBm -8 dBm
(registrador    -6 dBm -9 dBm
P13 seleciona    -6 dBm -10 dBm
tabela 1 ou    -6 dBm -11 dBm
tabela 2)    -6 dBm -12 dBm
   -7 dBm -13 dBm
   -8 dBm -14 dBm
   -9 dBm -15 dBm
   -10 dBm -16 dBm
   -11 dBm -17 dBm
   -12 dBm -18 dBm
   -13 dBm -19 dBm
   -14 dBm -20 dBm
   -15 dBm -21 dBm
Cont...

163
Apêndice F.
F. Painel de Leds
Descrição Registrador Bit Função
(P) 3210
Seleção do P15    Seleção de canal pela chave
Canal de    Canal de Transmissão ATX
Transmissão         Canal de Transmissão BTX
e Tipo de 16 8 4 2 1    Seleção de Canal pela Interface
Ligação   Linha Comutada
  Linha Privativa 2 Fios
  Linha Privativa 4 Fios
Desconexão P16    Desabilita desconexão da linha comutada
   Desconexão por perda de portadora
        Desconexão por ausência de dados no CT104
16 8 4 2 1    Desconexão por perda de portadora e dados
   Desconexão por perda de portadora Fast
   Desconexão por perda de portadora normal
   Desabilita CLEAR DOWN
   Desconexão remota por CLEAR DOWN
Seleção do P17  Modo Normal
Protocolo  Modo Direto
      MNP
16 8 4 2 1  MNP ou Normal
 LAPM
 LAPM ou Normal
 LAPM ou MNP
 LAPM, MNP ou Normal
   Autobaud OFF
   Autobaud ON
Cont...

164
Apêndice F.
F. Painel de Leds
Descrição Registrador Bit Função
(P) 3210
Compressão P18    Compressão desabilitada
de Dados    Compressão TX e RX
        Apenas em TX (V.42bis)
16 8 4 2 1    Apenas em RX (V.42bis)
Controle P19    Controle de fluxo OFF
de Fluxo e    XON/XOFF bidirecional
Pass-Through         CTS unidirecional
16 8 4 2 1    RTS/CTS bidirecional
   XON/XOFF unidirecional
   Pass-Through desabilitado
   Pass-Through habilitado
Edição de P20    Sem função
Números    Edita número telefônico 0
Telefônicos         Edita número telefônico 1
16 8 4 2 1    Edita número telefônico 2
   Edita número telefônico 3
   Edita número telefônico 4
   Edita número telefônico 5
   Edita número telefônico 6
   Edita número telefônico 7
Cont...

165
Apêndice F.
F. Painel de Leds
Descrição Registrador Bit Função
(P) 3210
Tons e P 21  Ignora Tom de Ocupado
Discagem  Detecta Tom de Ocupado
        Ignora Tom de Discagem
16 8 4 2 1    Detecta Tom de Discagem
   Desabilita Discagem na Conexão Manual
   Habilita Discagem na Conexão Manual
   Discagem por Pulso
   Discagem por Tom
Alto-Falante P22    Alto-falante desligado
   Alto-falante ligado até receber portadora remota
        Alto-falante ligado
16 8 4 2 1    Alto-falante desligado na discagem e dados
  Volume baixo 1
  Volume baixo 2
  Volume médio
  Volume alto
Modo P23  Desabilitado
Comando  Comandos AT
      V.25bis Assíncrono
16 8 4 2 1  V.25bis síncrono orientado a byte
 V.25 síncrono orientado a bit
   Desabilta Eco para ETD
   Habilta Eco para ETD
Cont...

166
Apêndice F.
F. Painel de Leds
Descrição Registrador Bit Função
(P) 3210
Paridade P24    Par
   Espaço
        Ímpar
16 8 4 2 1    Marca
Dial-Backup P25    Dial Backup desabilitado
e Número    Dial Backup Automático
de Retreinos         Dial Backup Manual
16 8 4 2 1    5 retreinos
   10 retreinos
   15 retreinos
Retorno P26  Retorno a LP desabilitado
à Linha  Retorno a LP habilitado
Privativa         Retorno LP - 5 minutos
16 8 4 2 1    Retornno LP - 15 minutos
   Retorno LP - 30 minutos
   Retorno LP - 60 minutos
   Tabela 1 ( faixa de -6 a 15 dBm)
   Tabela 2 ( faixa de -6 a 21 dBm)
Nível de P27 Conforme tabelas 1 e 2 do registrador P14
Potência
para Linha     
Privativa 16 8 4 2 1
Cont...

167
Apêndice F.
F. Painel de Leds
Descrição Registrador Bit Função
(P) 3210
Gerenciamento P28  Desabilita gerenciamento
 Habilita gerenciamento
       Velocidade 600 bps p/gerenciamento
16 8 4 2 1   Velocidade 2400 bps p/gerenciamento
  Velocicade 4800 bps p/gerenciamento
  Velocidade 9600 bps p/gerenciamento
   Tabela 1 registrador P29
   Tabela 2 registrador P29
Endereços P29 TABELA 1 TABELA 2
para Gerenci-  END = 0 END = 16
amento       END = 1 END = 17
(registrador 16 8 4 2 1  END = 2 END = 18
P28 seleciona    END = 3 END = 19
tabela 1 ou  END = 4 END = 20
tabela 2)  END = 5 END = 21
 END = 6 END = 22
 END = 7 END = 23
 END = 8 END = 24
 END = 9 END = 25
 END = 10 END = 26
 END = 11 END = 27
 END = 12 END = 28
 END = 13 END = 29
 END = 14 END = 30
 END = 15 END = 31
Cont...

168
Apêndice F.
F. Painel de Leds
Descrição Registrador Bit Função
(P) 3210
Registrador P31    Sem função
de Saída de    Salva perfil ativo
Configuração         Salva perfil ativo e armazena no perfil de usuário 0
16 8 4 2 1    Salva perfil ativo e armazena no perfil do usuário 1
   Abandona

Tabela F.2 - Configuração do Modem

169
Apêndice F.
F. Painel de Leds

(Esta página foi deixada intencionalmente em branco)

170
Controle
MANUAL: Manual de Instalação e Operação do DT34 /SLIM /MCS
CÓDIGO: 202.1510.36-5

Descrição Nº páginas
Capa 2
Orientações 4
Índice 8
Capítulo 1 10
Capítulo 2 8
Capítulo 3 30
Capítulo 4 34
Capítulo 5 20
Capítulo 6 4
Apêndice A 6
Apêndice B 18
Apêndice C 2
Apêndice D 16
Apêndice E 8
Apêndice F 14
Controle 2

TOTAL 186

Aprovação: Vandersílvio
Data: 16/10/98
Controle

(Esta página foi deixada intencionalmente em branco)