Você está na página 1de 1

Um vaso qualquer

Elisabeth Alves do Nascimento (Elisabeth Lorena Alves) Quando era criana ouvia uma cano que dizia: Faz-me um vaso de beno Senhor, vaso que leve a Palavra de Amor, Eis-me submisso, ao seu servio, tudo lhe agora Senhor e sempre que se ouvia este louvor, algum afirmava que era necessrio que este vaso no fosse um recipiente qualquer, mas de honra. S que eu me perguntava o que era ser um vaso de honra. J que entendia que honrar algum era respeitar e no entendia muito o que esta expresso significava nas palavras dos pastores que a repetia constantemente. Hoje entendo que honrar a Deus vai muito alm de fazer algo na Igreja que mostre a todos nossa comunho com Deus como pregar, cantar, evangelizar, pastorear e afins. Honrar a Deus no servi-lo dia e noite, sermos exemplos vivos de pessoas que vivem uma vida de louvor e respeito quele que deu Sua vida para que fossemos salvos. Sendo assim, no posso aceitar ser um vaso qualquer, mas algum disposto a ser usado por Deus em todas as situaes, sabendo que SERVIR a Deus antes de tudo ESTENDER a Mo ao meu irmo, amando-o em todo o tempo e se preciso for, anular minha vontade para que este seja alcanado pelo AMOR de Deus que habita em mim.

Orao de hoje
Senhor, hoje, minha orao de amor, pois afirmo com certeza que rejeito a ideia de ser um vaso qualquer e proponho-me a ser um vaso de honra. Para isto, proponho-me a mudar de atitude e procurar ser uma pessoa melhor, que tenha respeito e amor pelo prximo e ame sempre ao Senhor Deus. Esta a parte que me cabe, fazer o que est ao meu alcance para ser algum digno de ser usado pelo Senhor. Reconheo que fazendo minha parte, estando pronto para ser usado, no tempo certo o Senhor me usar, pois sei que tenho um dono e sou totalmente entregue Sua Vontade. Amm.