P. 1
A pipoca - Rubem Alves - Texto Para Leitura e Interpretação

A pipoca - Rubem Alves - Texto Para Leitura e Interpretação

4.5

|Views: 54.390|Likes:
Texto Para Leitura e Interpretação para 8º e 9º anos
Texto Para Leitura e Interpretação para 8º e 9º anos

More info:

Published by: Colégio Comunitário Cenecista on Aug 18, 2009
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/07/2014

pdf

text

original

Texto Para Leitura e Interpretação

Nome________________________________________________________Série/Anos: 8º e 9º anos
Professora:_________________________________________________
Competência de área 5 - Analisar, interpretar e aplicar recursos expressivos das linguagens, relacionando textos com
seus contextos, mediante a natureza, função, organização, estrutura das manifestações, de acordo com as condições de
produção e recepção.
!5 - "sta#elecer relações entre o texto literário e o momento de sua produção, situando aspectos do contexto $ist%rico,
social e pol&tico.
Competência de área ' - Confrontar opiniões e pontos de vista so#re as diferentes linguagens e suas manifestações
espec&ficas.
(( - )elacionar, em diferentes textos, opiniões, temas, assuntos e recursos lingu&sticos.
(* - +nferir em um texto ,uais são os o#-etivos de seu produtor e ,uem . seu p/#lico alvo.
A pipoca
Rubem Alves
A culinária me fascina. De vez em quando eu até me até atrevo a cozinhar. Mas o fato é que sou mais
competente com as palavras do que com as panelas.
Por isso tenho mais escrito sobre comidas que cozinhado. Dedico-me a algo que poderia ter o nome de "culinária
literária". á escrevi sobre as mais variadas entidades do mundo da cozinha! cebolas" ora-pro-nobis" picadinho de carne
com tomate fei#$o e arroz" bacalhoada" sufl%s" sopas" churrascos.
As comidas" para mim" s$o entidades on&ricas.
Provocam a minha capacidade de sonhar. &unca imaginei" entretanto" que chegaria um dia em que a pipoca iria
me fazer sonhar. Pois foi precisamente isso que aconteceu.
A pipoca" milho mirrado" gr$os redondos e duros" me pareceu uma simples molecagem" brincadeira deliciosa"
sem dimens'es metaf(sicas ou psicanal(ticas. )ntretanto" dias atrás" conversando com uma paciente" ela mencionou a
pipoca. ) algo inesperado na minha mente aconteceu. Minhas idéias come*aram a estourar como pipoca. Percebi" ent$o"
a rela*$o metaf%rica entre a pipoca e o ato de pensar. +m bom pensamento nasce como uma pipoca que estoura" de
forma inesperada e imprevis(vel.
A pipoca se revelou a mim" ent$o" como um e,traordinário ob#eto poético. Poético porque" ao pensar nelas" as
pipocas" meu pensamento se p-s a dar estouros e pulos como aqueles das pipocas dentro de uma panela. .embrei-me do
sentido religioso da pipoca. A pipoca tem sentido religioso/ Pois tem.
Para os crist$os" religiosos s$o o p$o e o vinho" que simbolizam o corpo e o sangue de 0risto" a mistura de vida e
alegria 1porque vida" s2 vida" sem alegria" n$o é vida...3. P$o e vinho devem ser bebidos #untos. 4ida e alegria devem
e,istir #untas.
.embrei-me" ent$o" de li*$o que aprendi com a M$e 5tella" sábia poderosa do 0andomblé baiano! que a pipoca é
a comida sagrada do 0andomblé...
A pipoca é um milho mirrado" subdesenvolvido.
6osse eu agricultor ignorante" e se no meio dos meus milhos gra7dos aparecessem aquelas espigas nanicas" eu ficaria
bravo e trataria de me livrar delas. Pois o fato é que" sob o ponto de vista de tamanho" os milhos da pipoca n$o podem
competir com os milhos normais. &$o sei como isso aconteceu" mas o fato é que houve alguém que teve a idéia de
debulhar as espigas e colocá-las numa panela sobre o fogo" esperando que assim os gr$os amolecessem e pudessem ser
comidos.
8avendo fracassado a e,peri%ncia com água" tentou a gordura. 9 que aconteceu" ninguém #amais poderia ter
imaginado.
:epentinamente os gr$os come*aram a estourar" saltavam da panela com uma enorme barulheira. Mas o
e,traordinário era o que acontecia com eles! os gr$os duros quebra-dentes se transformavam em flores brancas e macias
que até as crian*as podiam comer. 9 estouro das pipocas se transformou" ent$o" de uma simples opera*$o culinária" em
uma festa" brincadeira" molecagem" para os risos de todos" especialmente as crian*as. ; muito divertido ver o estouro das
pipocas<
) o que é que isso tem a ver com o 0andomblé/ ; que a transforma*$o do milho duro em pipoca macia é s(mbolo da
grande transforma*$o porque devem passar os homens para que eles venham a ser o que devem ser. 9 milho da pipoca
n$o é o que deve ser. )le deve ser aquilo que acontece depois do estouro. 9 milho da pipoca somos n2s! duros" quebra-
dentes" impr2prios para comer" pelo poder do fogo podemos" repentinamente" nos transformar em outra coisa = voltar a
ser crian*as< Mas a transforma*$o s2 acontece pelo poder do fogo.
Milho de pipoca que n$o passa pelo fogo continua a ser milho de pipoca" para sempre.

Assim acontece com a gente. As grandes transforma*'es acontecem quando passamos pelo fogo. >uem n$o
passa pelo fogo fica do mesmo #eito" a vida inteira. 5$o pessoas de uma mesmice e dureza assombrosa. 52 que elas n$o
percebem. Acham que o seu #eito de ser é o melhor #eito de ser.
Mas" de repente" vem o fogo. 9 fogo é quando a vida nos lan*a numa situa*$o que nunca imaginamos. Dor.
Pode ser fogo de fora! perder um amor" perder um filho" ficar doente" perder um emprego" ficar pobre. Pode ser fogo de
dentro. P?nico" medo" ansiedade" depress$o = sofrimentos cu#as causas ignoramos. 8á sempre o recurso aos remédios.
Apagar o fogo. 5em fogo o sofrimento diminui. ) com isso a possibilidade da grande transforma*$o.
@magino que a pobre pipoca" fechada dentro da panela" lá dentro ficando cada vez mais quente" pense que sua
hora chegou! vai morrer. De dentro de sua casca dura" fechada em si mesma" ela n$o pode imaginar destino diferente.
&$o pode imaginar a transforma*$o que está sendo preparada. A pipoca n$o imagina aquilo de que ela é capaz. A(" sem
aviso prévio" pelo poder do fogo" a grande transforma*$o acontece! P+6<< = e ela aparece como outra coisa"
completamente diferente" que ela mesma nunca havia sonhado. ; a lagarta raste#ante e feia que surge do casulo como
borboleta voante.
&a simbologia crist$ o milagre do milho de pipoca está representado pela morte e ressurrei*$o de 0risto! a
ressurrei*$o é o estouro do milho de pipoca. ; preciso dei,ar de ser de um #eito para ser de outro.
)m Minas" todo mundo sabe o que é piruá. 6alando sobre os piruás com os paulistas" descobri que eles ignoram
o que se#a. Alguns" inclusive" acharam que era goza*$o minha" que piruá é palavra ine,istente. 0heguei a ser for*ado a
me valer do Aurélio para confirmar o meu conhecimento da l(ngua. Piruá é o milho de pipoca que se recusa a estourar.
Meu amigo Ailliam" e,traordinário professor pesquisador da +nicamp" especializou-se em milhos" e desvendou
cientificamente o assombro do estouro da pipoca. 0om certeza ele tem uma e,plica*$o cient(fica para os piruás. Mas" no
mundo da poesia" as e,plica*'es cient(ficas n$o valem.
Por e,emplo! em Minas "piruá" é o nome que se dá Bs mulheres que n$o conseguiram casar. Minha prima"
passada dos quarenta" lamentava! "6iquei piruá<" Mas acho que o poder metaf2rico dos piruás é maior.
Piruás s$o aquelas pessoas que" por mais que o fogo esquente" se recusam a mudar. )las acham que n$o pode e,istir
coisa mais maravilhosa do que o #eito delas serem.
@gnoram o dito de esus! ">uem preservar a sua vida perd%-la-á".A sua presunção e o seu medo s$o a dura casca
do milho que n$o estoura. 9 destino delas é triste. 4$o ficar duras a vida inteira. &$o v$o se transformar na flor branca
macia. &$o v$o dar alegria para ninguém. Cerminado o estouro alegre da pipoca" no fundo a panela ficam os piruás que
n$o servem para nada. 5eu destino é o li,o.
>uanto Bs pipocas que estouraram" s$o adultos que voltaram a ser crian*as e que sabem que a vida é uma grande
brincadeira...
"&unca imaginei que chegaria um dia em que a pipoca iria me fazer sonhar. Pois foi precisamente isso que aconteceu".
0iga os comandos e procure fazer da mel$or forma ,ue puder. 1om tra#al$o2
3eia o texto silenciosamente para compreender de ,ue se trata.
4#serve ,ue algumas palavras estão em negrito, são palavras ,ue para entender mel$or o texto você precisa do
dicionário. 5ão vale colocar ,ual,uer sin6nimo. 7eve ser um ,ue ten$a o mesmo sentido da palavra no texto.
8ascina99999999999999999999999999999999999999999999999999999
on&rica999999999999999999999999999999999999999999999999999999
:irrado99999999999999999999999999999999999999999999999999999
:etaf%rica999999999999999999999999999999999999999999999999999
;resunção999999999999999999999999999999999999999999999999999
8aça agora uma segunda leitura trocando as palavras em negrito pelo sin6nimo encontrado. "ntendeu mel$or< = >
sim = > não
?amos então ao tra#al$o de +nterpretação do @exto. 3em#re-se ,ue você vai interpretar as id.ias do autor e não a sua
opinião so#re o texto.
D- 9 te,to é uma metáfora entre o milho de pipoca e o homem. 4á ao dicionário ou internet e procure uma defini*$o para
metáfora dentro das figuras de linguagem da l(ngua portuguesa.
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
F-De acordo com o te,to coloque 4 ou 6 nas afirmativas abai,o!
1 3 9 autor do te,to é um chef de cozinha apreciador das palavras.
1 3 Por ter mais escrito que cozinhado deu o nome de Gculinária literáriaH.
1 3 A pipoca é um s(mbolo para os crist$os religiosos e também para o candomblé.
1 3 6oi uma paciente que mencionou a pipoca e fez algo inesperado surgir na cabe*a do autor.
I-&a simbologia" o que significa a pipoca!
Para os crist$os religiososEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
&o candombléEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
J- 0omo a pipoca se revelou para o autor/EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
K-5egundo o autor" em que se transformou o estouro das pipocas/
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
L- Milho de pipoca que n$o passa pelo fogo continua a ser milho de pipoca" para sempre. ) assim acontece com a
genteEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
M-&a vis$o do autor" o que é o fogo/
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
N-9 que é fogo de dentro/EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
9 que é fogo de fora/EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
O- 0opie o parágrafo em que o autor retrata o sentimento da pipoca dentro da panela
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
DP- &a simbologia crist$ como está representado o milagre do milho/
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
DD- &a linguagem metaf2rica" defina os piruás!
)m Minas QeraisEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
5$o aquelas pessoasEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
DF- Agora é a sua vez de colocar a sua opini$o sobre o te,to. ),plique o que voc% achou dele e que li*'es voc% tira para a sua
vida.
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
6rase é todo enunciado de sentido completo" podendo ser formada por uma s2 palavra ou por várias" podendo ter verbos ou
n$o. A frase e,prime" através da fala ou da escrita!
ideias emoções ordens apelos
0omo se chama a frase que n$o possui verbos/EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
Cipos de 6rases
De acordo com os tipos de frases " numere a segunda coluna de acordo com a primeira.
D-6rases @nterrogativas 1 3 Deus te acompanhe<
F- 6rases @mperativas 1 3 )la n$o está em casa.
I-6rases e,clamativas 1 3 4oc% aceita um copo de suco/
J-6rases declarativas 1 3 >ue prova dif(cil<
K-6rases optativas 1 3 6a*a-o entrar no carro
;er&odo
;er&odo é a frase constitu(da de uma ou mais ora*'es" formando um todo" com sentido completo. 9 per(odo pode ser simples
ou composto.
;er&odo 0implesA é aquele constitu(do por apenas uma oração" que recebe o nome de oração a#soluta. ;er&odo CompostoA é
aquele constitu(do por duas ou mais oraçõesA
)screva P5 para per(odo simples e P0 para per(odo composto
1 3 9 amor é eterno 1 3 As plantas necessitam de cuidados especiais.
1 3 >uando voc% partiu minha vida ficou sem alegrias.
1 3 9 tempo é o melhor remédio.
1 3 0heguei em casa" #antei e fui dormir.
Assinatura dos Pais!EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->