P. 1
A Borboleta e o Casulo - 7ªsérie - Atividade de Interpretação

A Borboleta e o Casulo - 7ªsérie - Atividade de Interpretação

3.0

|Views: 134.381|Likes:
Atividade de Interpretação para 7ª Série
Atividade de Interpretação para 7ª Série

More info:

Published by: Colégio Comunitário Cenecista on Aug 18, 2009
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/11/2014

pdf

text

original

Atividade de Leitura Analítica- Português Professora: 8º ano/ 7ª série

Nome___________________________________________________________________

Competência de área 5 - Analisar, interpretar e aplicar recursos expressivos das linguagens, relacionando textos com seus contextos, mediante a natureza, função, organização, estrutura das manifestações, de acordo com as condições de produção e recepção. H15 - Estabelecer relações entre o texto literário e o momento de sua produção, situando aspectos do contexto histórico, social e político. Competência de área 7 - Confrontar opiniões e pontos de vista sobre as diferentes linguagens e suas manifestações específicas. H22 - Relacionar, em diferentes textos, opiniões, temas, assuntos e recursos linguísticos. H23 - Inferir em um texto quais são os objetivos de seu produtor e quem é seu público alvo.
A Borboleta e o Casulo Texto 1 Quando a lagarta, tornada crisálida, concluiu praticamente a sua transformação em lepidóptero, resta-lhe passar uma prova para se tornar verdadeiramente borboleta. Tem de conseguir romper o casulo no seio do qual se operou a transformação, a fim de se libertar dele e iniciar o seu vôo. Se a lagarta teceu o seu casulo pouco a pouco, progressivamente, a futura borboleta em compensação não pode libertar-se dele da mesma forma, procedendo progressivamente. Desta vez tem de congregar força suficiente nas asas para conseguir romper, de uma assentada, a sua gola de seda. É precisamente graças a esta última prova e à força que ela exige que a borboleta acumule nas suas jovens asas, que esta desenvolve a musculatura de que terá necessidade depois para voar. Quem ignorar este dado importante e, imaginando ‘ajudar’ uma borboleta a nascer, romper o casulo em seu lugar, assistirá ao nascimento de um lepidóptero totalmente incapaz de voar. Esta não terá conseguido utilizar a resistência da sua sedosa prisão para construir a força de que teria necessidade para subtrair-se àquela ganga e lançar-se seguidamente no céu.

A lição da borboleta

Texto 2

Um dia, uma pequena abertura apareceu num casulo e um homem ficou observando o esforço da borboleta para fazer com que o seu corpo passasse por ali e ganhasse a liberdade. Por um instante, ela parou, parecendo que tinha perdido as forças para continuar. Então, o homem decidiu ajudar e, com uma tesoura, cortou delicadamente o casulo. A borboleta saiu facilmente. Mas, seu corpo era pequeno e tinha as asas amassadas. O homem continuou a observar a borboleta porque esperava que, a qualquer momento, as asas dela se abrissem e ela saísse voando. Nada disso aconteceu. A borboleta ficou ali rastejando, como corpo murcho e as asas encolhidas e nunca foi capaz de voar! O homem, que em sua gentileza e vontade de ajudar, não compreendeu que o casulo apertado e o esforço eram necessários para a borboleta vencer essa barreira. Era o desafio da natureza para mantê-la viva. O seu corpo se fortaleceria e ela estaria pronta para voar assim que se libertasse do casulo. Algumas vezes, o esforço é tudo o que precisamos na vida. Se Deus nos permitisse passar pela vida sem obstáculos, não seríamos como somos hoje. A força vem das dificuldades, a sabedoria, dos problemas que temos que resolver. A prosperidade, do cérebro e músculos para trabalhar. A coragem vem do perigo para

superar e, às vezes, a gente se pergunta: não recebi nada do que pedi a Deus. Mas, na verdade, recebemos tudo o que precisamos. E nem percebemos. Atividade Interpretativa Nesse trabalho, de forma especial, vamos trabalhar com dois textos. Um complementa e dá sentido ao outro. Leia silenciosamente os textos por duas vezes. 1_ O texto 1 é um texto científico. ( ) concordo ( ) discordo

O que faz você afirmar e concordar com isso? Retire do texto os argumentos que comprovam. Se discorda, apresente também os argumentos retirados do texto . 2_ O texto fala da transformação da borboleta que você aprendeu nas aulas de ciências. Cientificamente, como se chama esse processo? 3_O autor utiliza-se do texto para orientar sobre o processo de transformação. Qual é a grande lição que ele quer passar com o texto? 4_Agora, vamos analisar o texto 2. Ele é uma crônica.( ) concordo ( ) discordo. Por quê o texto é uma crônica? Explique e justifique com argumentos do próprio texto. Se discorda, faça o mesmo. 5_ O que fez o homem decidir a ajudar a borboleta? 6_ Qual era a grande expectativa do homem em relação à borboleta? 7_ A expectativa aconteceu? Justifique 8_ O que faltou ao homem para que pudesse entender o processo 9_Como no texto anterior, a grande lição está no último parágrafo. Vamos interpretá-lo? A força vem A sabedoria vem A prosperidade vem A coragem vem 10_ Você tirou outra lição do texto, qual?

11_Você conhece metamorfose de outros animais ou insetos? Fale sobre 12_ Separe as sílabas da palavra metamorfose. Ela possui . Retire dos textos mais três palavras assim classificadas Para resolver os exercícios de gramática você deverá rever seus estudos.Não vale deixar em branco, chutar ou dizer que não sabe. 14- Classifique em: (PS) Período Simples ou (PC) Período Composto. Grife os verbos. 01 – ( 02 – ( 03 – ( 04 – ( 05 – ( 06 – ( ) A política é a higiene sadia. ) Politiqueiros agiam com corrupção. ) O mundo é governado pelos sábios. ) É preciso que obedeçamos aos dirigentes do país. ) Os políticos deveriam falar menos e agir mais. ) Os políticos ganham muito e o povo ganha pouco. sílabas. As palavras com esse ou mais número de sílabas são chamadas de

15- Aponte a opção em que muito é pronome indefinido: a) O soldado amarelo falava muito bem. b) Havia muito bichinho ruim. c) Fabiano era muito desconfiado. d) Fabiano vacilava muito para tomar decisão. e) Muito eficiente era o soldado amarelo. 16- O substantivo composto que está indevidamente escrito no plural é: a) mulas-sem-cabeça. b) cavalos-vapor. c) abaixos-assinados. d) quebra-mares. e) pães-de-ló

17- Observe a concordância verbal: 1 – Algum de vós conseguirei a bolsa de estudo? 2 – Sei que pelo menos um terço dos jogadores estavam dentro do campo naquela hora. 3 – Os Estados Unidos são um país muito rico. 4 – No relógio do Largo da Matriz bateu cinco horas: era o sinal esperado. a) Somente a frase 1 está errada. b) Somente a frase 2 está errada. c) As frases 2 e 3 estão erradas. d) As frases 1 e 4 estão erradas. e) As frases 2 e 4 estão erradas. 18- Assinale a única alternativa incorreta quanto à regência do verbo.

a) Perdoou nosso atraso no imposto. b) Lembrou ao amigo que já era tarde. c) Moraram na rua da Paz. d) Meu amigo perdoou ao pai. e) Lembrou de todos os momentos felizes. Atribua uma nota de 0 a 10 para você nesse trabalho Assinatura dos pais:

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->