Você está na página 1de 1

O duplo e a dinmica do fantstico na narrativa de Jos Saramago O presente trabalho tem como objetivo apresentar a temtica do duplo (ROSSET,

1939) em duas obras de Jos Saramago, A Jangada de Pedra (1986) e O Homem Duplicado (2002). No primeiro, o duplo surge atravs da relao entre o real e o fantstico. Com o intuito de demonstrar a sua insatisfao quanto ao contexto poltico da poca, Saramago cria um romance, no qual a soluo para uma questo histrica evidenciada atravs do dilogo entre as dimenses do real e do fantstico (BRAVO, 1985) criadas na obra em estudo. nesse sentido, analisaremos o duplo do mundo (isso est estranho, melhor tirar). Em O Homem Duplicado, analisaremos o duplo em relao ao personagem Tertuliano, cuja dinmica fantstica se realiza da seguinte forma: ora ele se desdobra em outra pessoa, identificando-se com ela de tal forma, que chega a duvidar de si mesmo, de seu eu (self), vivendo entre este e um estranho (FREUD, 1919); ora deixase confundir pelo senso comum, pelos cdigos e normas vigentes, os quais desempenham uma atividade especial de resistncia, reguladora, de observar e criticar o eu (self). Assim, Saramago emprega o tema do duplo nos dois textos com a finalidade de criticar a conjuntura social em que se encontrava seu pas: em A Jangada de Pedra, mostra sua insatisfao com as naes ibricas no momento em que passam a integrar o MCE, enquanto que em O Homem Duplicado, expe as fragilidades na construo do sujeito e da identidade na contemporaneidade.