Você está na página 1de 13

ANAC - AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL Estatística de Questões

CCT:

INSTRUTOR DE VÔO AVIÃO

Matéria:

CONHECIMENTOS AERONÁUTICOS/PEDAGÓGICOS

01 - AO PLANEJAR E PREPARAR UMA EXPOSIÇÃO ORAL, O INSTRUTOR DEVE TER EM MENTE QUE A FINALIDADE BÁSICA DE PREPARÁ-LA É

TORNAR A MENSAGEM MAIS OBJETIVA,

*(d)

ADEQUADA E COMPREENSIVA

02 - A CONCLUSÃO É UMA SÍNTESE DO TRABALHO, COM A PREOCUPAÇÃO DE NÃO SE APRESENTAR DADOS NOVOS. TODO O ASSUNTO

DEVE SER ESGOTADO NO(A):

*(d) DESENVOLVIMENTO

03 - COM RELAÇÃO À INSTRUÇÃO MINISTRADA, A CONCLUSÃO DE UM DETERMINADO ASSUNTO ENGLOBA:

*(b)

REMOTIVAÇÃO E FECHO

04 - A FASE, NA QUAL O INSTRUTOR SELECIONA AS FONTES DE CONSULTA E OS APOIOS, SEM GRANDES PREOCUPAÇÕES DE ORDEM

ESTÉTICA OU DE DESENVOLVIMENTO DO ASSUNTO É O(A):

*(c)

ESBOÇO INICIAL

05 - A FASE DE UMA AULA, EM QUE O INSTRUTOR CONSEGUE DESPERTAR O INTERESSE DO ALUNO PARA SI, É CHAMADA DE:

*(a)

ATENÇÃO

06 - UM INSTRUTOR FOI ENCARREGADO DE PREPARAR UMA EXPOSIÇÃO ORAL, A RESPEITO DE UMA ATIVIDADE DE INSTRUÇÃO PELAS

NORMAS APRENDIDAS NO CURSO DE INVA, INEVITAVELMENTE, ELE:

*(b)

PREPAROU APOIO PARA CADA IDÉIA PRINCIPAL

07 - A MAIOR VIRTUDE DE UM BOM INSTRUTOR É:

*(d)

TER CREDIBILIDADE

08 - A SEQUÊNCIA CORRETA QUE DEVE SER LISTADA NO SUMÁRIO, QUE SERVIRÁ DE BASE PARA A REALIZAÇÃO DO TRABALHO ESCOLAR

É: ASSUNTO,

*(d)

OBJETIVO, INTRODUÇÃO, DESENVOLVIMENTO E CONCLUSÃO

09 - OS FATORES QUE FAZEM PARTE DA FASE DE CONCLUSÃO DE UMA AULA SÃO:

*(a)

REORIENTAÇÃO, REMOTIVAÇÃO E FECHO

10 - DURANTE AS AULAS DO CURSO DE INSTRUTOR DE VÔO, OS INSTRUTORES DESENVOLVEM AS MESMAS, ATRAVÉS DO MÉTODO DE

PREPARAÇÃO, DENOMINADO:

*(b)

SUMÁRIO

11

- COMO ATRIBUTO PRINCIPAL, O INSTRUTOR DE VÔO DEVE TER O OBJETIVO DE CONQUISTAR A CONFIANÇA DO ALUNO. A ESSE

ATRIBUTO DÁ-SE O NOME DE:

*(a) CREDIBILIDADE

12 - O INSTRUTOR, INDEPENDENTEMENTE PREPARO CUIDADO DE SUA TAREFA, DEVE POSSUIR:

*(c)

CREDIBILIDADE

13 - NA CONCLUSÃO DE UMA AULA, DEVE-SE TER A PREOCUPAÇÃO DE

*(a)

NÃO SE APRESENTAR DADOS NOVOS

14 - DURANTE UMA EXPOSIÇÃO ORAL, O INSTRUTOR FALOU A RESPEITO DE UM ASSUNTO QUE FERIU SUSCETIBILIDADE, MUDANDO O

ESTADO DE ÂNIMO DA AUDIÊNCIA. NESTE CASO, ELE DEVERÁ:

*(c)

REFORMULAR A COLOCAÇÃO FEITA, DE IMEDIATO

15 - NO QUE TANGE À EXPOSIÇÃO ORAL, O SUCESSO DA COMUNICAÇÃO COMEÇA NO EXPOSITOR, A PARTIR DE UMA POSTURA INTERNA

CHAMADA DE:

*(d)

ATRIBUTOS

16

- PARA A PREPARAÇÃO DE UMA EXPOSIÇÃO ORAL, TORNA-SE IMPRESCINDÍVEL CONSIDERAR ALGUNS ASPECTOS IMPORTANTES.

APRESENTA-SE ABAIXO UM DESSES ASPECTOS. IDENTIFIQUE-O *(c) DETALHAMENTO

17 - AS FONTES DE CONSULTA E OS APOIOS SÃO DOIS ITENS PRESENTES EM UM:

*(d)

ESBOÇO INICIAL

18 - A SÍNTESE DO TRABALHO É TAMBÉM CHAMADA DE

*(b)

CONCLUSÃO

19 - AO SE PREPARAR UMA AULA, DENTRO DA TÉCNICA APRENDIDA NO CURSO DE INSTRUTOR DE VÔO, DEVE-SE RELACIONAR, NA FASE

DE INTRODUÇÃO, OS SEGUINTES TÓPICOS:

*(c)

ATENÇÃO, MOTIVAÇÃO E DEFINIÇÃO

20 - O INSTRUTOR É VISTO, OUVIDO E COMPREENDIDO. BASEADO NESTA PREMISSA, DURANTE UMA EXPOSIÇÃO:

*(a)

A SELEÇÃO DAS PALAVRAS A SEREM UTILIZADAS É IMPORTANTE

21 - O MÉTODO DE APRESENTAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DE IDÉIAS, UTILIZADO NO CURSO DE INVA, É CHAMADO TÉCNICA DE:

*(b)

SUMÁRIO

22 - O SENTIDO MAIS APURADO, NO PROCESSO DE COMUNICAÇÃO, É O(A):

*(b)

VISÃO

23 - DENTRE OS PRINCÍPIOS DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS AUDIVISUAIS CITADOS ABAIXO, AQUELE QUE SE REFERE A UM OBJETIVO

DETERMINADO, OU SEJA, INDISPENSÁVEL PARA A FIXAÇÃO DA MENSAGEM, É O DE:

*(a) VALIDADE

24 - NA UTILZIAÇÃO DE UM RECURSO AUDIOVISUAL, DEVE-SE:

*(d)

MOSTRAR OS DETALHES COM UMA PONTEIRA

25 - O RECURSO AUDIOVISUAL ESTÁTICO, DE GRANDE UTILIDADE, QUE DEVE SER EMPREGADO SEMPRE QUE FOR NECESSÁRIO MOSTRAR

ALGO QUE DEVA FICAR EXPOSTO DURANTE TODA A AULA, É O:

*(a) MURAL

26 - O RECURSO AUDIOVISUAL EMPREGADO SOMENTE PARA PEQUENOS GRUPOS, E MUITO UTILIZADO DURANTE OS BRIFINS PARA A

INSTRUÇÃO AÉREA, É O:

*(b) MODELO

27 - SEGUNDO PESQUISAS DIDÁTICAS, O EMPREGO ADEQUADO DOS RECURSOS SENSORIAIS PODE FAZER COM QUE A ASSIMILAÇÃO DA

MENSAGEM SEJA AUMENTADA EM ATÉ 35%, COM A COMBINAÇÃO, PRINCIPALMENTEM, DE DOIS SENTIDOS, QUE SÃO:

*(c)

AUDIÇÃO E VISÃO

28

- QUANDO DA UTILIZAÇÃO DE UM RECURSO AUDIOVISUAL, EM QUE O OBJETIVO PRIMORDIAL SEJA RELACIONÁ-LO COM O TEMA DO

ASSUNTO, O NÍVEL E O TAMANHO DA AUDIÊNCIA, ESTARÁ SENDO SEGUIDO O PRINCÍPIO DE:

*(d) ADEQUABILIDADE

29 - O ALUNO APRENDE ATRAVÉS DOS CINCO SENTIDOS, VISÃO, AUDIÇÃO, TATO,PALADAR E OLFATO, QUE SÃO CHAMADOS DE:

*(d)

CANAIS DE COMUNICAÇÃO

30

- O PRINCÍPIO EMPREGADO, QUANDO DA UTILIZAÇÃO DE UM RECURSO AUDIOVISUAL, COM O OBJETIVO CERTO, OU SEJA, SUA

UTILIZAÇÃO EM MOMENTO OPORTUNO, É O DA:

*(c) OPORTUNIDADE

31 - UMA DAS NORMAS QUE DEVE SER SEGUIDA NA UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS AUDIOVISUAIS É:

*(a)

DAR SUPORTE À INSTRUÇÃO

32 - O RECURSO AUDIOVISUAL QUE APRESENTA COMO DESVANTAGEM A NECESSIDADE DE ESCURECIMENTO DO AMBIENTE, LEVANDO ÀS

VEZES A AUDIÊNCIA À SONOLÊNCIA, É O(A):

*(d)

PROJETOR DE SLIDES

33 - DENTRE AS ALTERNATIVAS ABAIXO, INDIQUE A QUE CORRESPONDE AOS PRINCÍPIOS DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS AUDIOVISUAIS:

*(d)

VALIDADE, ADEQUABILIDADE, OPORTUNIDADE E SIMPLICIDADE

34 - O RECURSO AUDIOVISUAL QUE APRESENTA COMO UMA DAS DESVANTAGENS A NECESSIDADE DE ESCURECIMENTO DO AMBIENTE,

PODENDO LEVAR OS ALUNOS À SONOLÊNCIA, É O:

*(d)

PROJETOR DE SLIDES

35

- O RECURSO AUDIOVISUAL QUE APRESENTA COMO UMA DAS DESVANTAGENS A NECESSIDADE DE ESCURECIMENTO DO AMBIENTE É

O:

*(d)

PROJETOR DE SLIDES

36 - UMA AUDIÊNCIA TROCOU O INTERESSE NO ASSUNTO, POR UM RECURSO AUDIOVISUAL AGRADÁVEL À VISTA. DIANTE DISTO E COM

BASE NOS PRINCÍPIOS DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS, PODE-SE AFIRMAR QUE FOI FERIDO O PRINCÍPIO DA:

*(b) SIMPLICIDADE

37 - QUANDO SE USA UM RECURSO AUDIO-VISUAL QUE CONTÉM O ESSENCIAL PARA A FIXAÇÃO DA MENSAGEM, ESTÁ SE UTILIZANDO O

PRINCÍPIO DA:

*(a)

VALIDADE

38 - O CANAL DE PERCEPÇÃO QUE RETÉM A MAIOR PORCENTAGEM DA COMUNICAÇÃO É O(A):

*(a)

VISÃO

39 - O RECURSO SENSORIAL SIMPLES E DURÁVEL, QUE APRESENTA A DESVANTAGEM DE SER SUJO E POUCO DINÂMICO, PERDENDO-SE O

CONTATO VISUAL COM A AUDIÊNCIA, É O:

*(c) QUADRO-DE-GIZ

40 - O PRINCÍPIO UTILIZADO QUANDO DA APLICAÇÃO DE UM RECURSO AUDIOVISUAL, COM OBJETIVO DETERMINADO, CONTENDO O

INDISPENSÁVEL PARA A FIXAÇÃO DA MENSAGEM, É O PRINCÍPIO DA:

*(a) VALIDADE

41 - DENTRE OS RECURSOS AUDIOVISUAIS, O MAIS ÚTIL, VERSÁTIL, DINÂMICO, DE MANUSEIO SIMPLES, LARGAMENTE UTILIZADO, E QUE

DISPENSA O ESCURECIMENTO DO AMBIENTE, É O(A):

*(c) RETROPROJETOR

42 - O TATO, O PALADAR, O OLFATO, A VISÃO E A AUDIÇÃO TÊM, RESPECTIVAMENTE, AS SEGUINTES PORCENTAGENS DA COMUNICAÇÃO

TOTAL:

*(d)

6/3/3/75/13

43 - O PRINCÍPIO QUE CONSIDERA QUE OS RECURSOS AUDIOVISUAIS DEVEM SER COERENTES COM A MENSAGEM, O RECEBEDOR E O

LOCAL, É O DE:

*(d) ADEQUABILIDADE

44 - UM DOS RECURSOS AUDIOVISUAIS MAIS SOFISTICADOS, MAS QUE APRESENTA COMO UMA DAS DESVANTAGENS O ESCURECIMENTO

DO AMBIENTE, QUANDO UTILIZADO, É O:

*(d)

PROJETOR DE SLIDES

45 - A TÉCNICA QUE SE EFETIVA, ATRAVÉS DA DEFESA DE PONTOS DE VISTA, ENTRE EXPOSITORES OU ENTRE UM OU MAIS EXPOSITORES

E ALUNOS, É A:

*(a)

DE DEBATE

46 - NO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM, O TIPO DE DEMONSTRAÇÃO QUE UTILIZA ANALOGIAS E RACIOCÍNIO INDUTIVO E DEDUTIVO, É

A DEMONSTRAÇÃO

*(b)

INTELECTUAL

47 - A FASE DE PREPARAÇÃO PARA O VÔO É CARACTERIZADA COMO SENDO A FASE DO BRIFIM, EM QUE O ALUNO:

*(a)

SENTE SEGURANÇA PARA O VÔO

49 - COMO E QUANDO FAZER A CRÍTICA, REFERE-SE AO CONCEITO DE

*(c)

OPORTUNIDADE

48

-

A TÉCNICA MUITO PRÓPRIA À ATIVIDADE AÉREA, ONDE O INSTRUTOR ESBOÇA TODOS OS PROCEDIMENTOS A SEREM FEITOS

DURANTE A INSTRUÇÃO, COMENTANDO OS ERROS POSSÍVEIS E AS ATIVIDADES DO ALUNO, É O(A):

*(a)

BRIFIM

50 - A TÉCNICA EM QUE OS PRÓPRIOS ALUNOS, ORIENTADOS PELO INSTRUTOR E DIVIDIDOS EM GRUPOS, EXECUTAM UM TRABALHO DE

PESQUISA SOBRE O ASSUNTO PREDETERMINADO É A:

*(d) DE SEMINÁRIO 51 - A TÉCNICA DE DEMONSTRAÇÃO UTILIZADA NO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM PODE SER
*(d)
DE SEMINÁRIO
51
- A TÉCNICA DE DEMONSTRAÇÃO UTILIZADA NO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM PODE SER DIVIDIDA EM QUATRO TIPOS

DIFERENTES, QUE SÃO: INTELECTUAL

*(c)

EXPERIMENTAL, DOCUMENTÁRIA E OPERACIONAL

52

*(d)

- NA FASE DE DESENVOLVIMENTO DE UM BRIFIM, DEVE-SE DESCREVER TODOS OS PROCEDIMENTOS DA INSTRUÇÃO AÉREA

53 - A FASE DA PREPARAÇÃO PARA O VÔO ESTÁ CARACTERIZADA QUANDO O ALUNO

*(b)

TEM REDUZIDA SUA TENSÃO E ANSIEDADE

54 - AS FASES DE UM DEBRIFIM SÃO:

*(d)

INTRODUÇÃO, DESENVOLVIMENTO E CONCLUSÃO

55 - A TÉCNICA QUE SERVE COMO AUXÍLIO À VERIFICAÇÃO DA APRENDIZAGEM E QUE PODE SER UTILIZADA COMO PREPARATÓRIA DE UMA

INSTRUÇÃO AÉREA, É A:

*(d)

DE INTERROGATÓRIO

56 - A TÉCNICA MAIS UTILIZADA EM QUALQUER CURSO, QUE CONSISTE NA APRESENTAÇÃO ORAL DE UM DETERMINADO ASSUNTO PELO

INSTRUTOR, É A:

*(d) EXPOSITIVA

57

DEMONSTRAÇÃO

*(a)

- A TÉCNICA QUE UTILIZA NORMALMENTE APARELHOS, MÁQUINAS E INSTRUMENTOS EM FUNCIONAMENTO É A TÉCNICA DE

OPERACIONAL

58 - A FASE DO BRIFIM ONDE COMEÇA A TÂO NECESSÁRIA INTERAÇÃO ENTRE O INSTRUTOR E O ALUNO É A FASE DO(A):

*(b)

ACOLHIMENTO

59 - ESTIMULAR A CONFIANÇA E A CAPACIDADE DE AUTO-CRÍTICA DO ALUNO, SÃO CARACTERÍSTICAS DO:

*(b)

DEBRIFIM

60 - O BRIFIM TORNA-SE NECESSÁRIO:

*(c)

ANTES DE CADA VÔO

61 - A CONCEPÇÃO INICIAL DA EDUCAÇÃO SUGERIA O ALUNO COMO UM SER

*(b)

PASSIVO

62 - O TERMO APRENDIZAGEM SIGNIFICA:

*(c)

ABSORÇÃO DE CONHECIMENTOS

63 - A FASE DO BRIFIM, NA QUAL O INSTRUTOR DEVE CRIAR UM CLIMA DE CONFIANÇA MÚTUA, DE SERIEDADE, TORNANDO O ALUNO MAIS

CONFIANTE EM SI E NA INSTRUÇÃO, DENOMINA-SE:

*(b) ACOLHIMENTO

64 - A FASE DO BRIFIM, NA QUAL O INSTRUTOR DEVE TRANSMITIR SEGURANÇA PARA O VÔO, É DENOMINADA:

*(d)

PREPARAÇÃO PARA O VÔO

65 - A TÉCNICA QUE TEM COMO OBJETIVO PROVAR OU MOSTRAR, DE MANEIRA PRÁTICA, O QUE JÁ HAVERIA SIDO EXPOSTO DE MANEIRA

TEÓRICA, É A DE:

*(c) DEMONSTRAÇÃO

66

- A FASE DO BRIFIM, EM QUE DEVE SER UTILIZADO, PREFERENCIALMENTE, UM MODELO PARA A DEMONSTRAÇÃO DAS MANOBRAS, É A

DE:

*(d)

DESENVOLVIMENTO

67

*(d)

- AS TRÊS FASES BÁSICAS DO BRIEFING SÃO ACOLHIMENTO, DESENVOLVIMENTO E PREPARAÇÃO PARA O VÔO

68

TREINAMENTO PRÉVIO PARA SE EVITAR DISTORÇÕES NO TRABALHO É A DE:

- A TÉCNICA QUE EXIGE HOMOGENEIDADE DOS PARTICIPANTES, UM ALTO GRAU DE COESÃO, CONHECIMENTOS TEÓRICOS E

*(d)

TRABALHO EM GRUPO

69

- DENTRO DO PENSAMENTO DIDÁTICO CONTEMPORÂNEO UTILIZADO NA FORMAÇÃO PROFISSIONAL DE NOVOS PILOTOS, PODE-SE

AFIRMAR QUE O(A):

*(d)

FIGURA CENTRAL É O ALUNO E O VALOR DE UMA ESCOLA ESTÁ NO ENSINO-APRENDIZAGEM

70 - A TÉCNICA QUE UTILIZA ANALOGIAS E RACIOCÍNIO INDUTIVO E DEDUTIVO, COMO BASE, É A TÉCNICA DE:

*(c)

DEMONSTRAÇÃO

71 - A TÉCNICA QUE CONSISTE NA FALA PAUSADA DO INSTRUTOR, ENQUANTO OS ALUNOS TOMAM NOTA DE SUAS PALAVRAS, APESAR DE

BASTANTE UTILIZADA E POUCO PROVEITO TRÁZ A QUEM É DIRIGIDA, É A:

*(a)

DO DITADO

72

PERMITINDO AMPLA TROCA DE IDÉIAS ENTRE OS COMPONENTES DO GRUPO, É A TÉCNICA

- A TÉCNICA QUE CONSISTE NA DISCUSSÃO DE UM PROBLEMA POR GRUPOS DE ATÉ 08 ALUNOS, LIDERADOS POR UM DELES,

*(d)

DE TRABALHO EM GRUPO

73 - A FASE DO BRIFIM, NA QUAL O INSTRUTOR DEVE TRANSMITIR SEGURANÇA PARA O VÔO, É DENOMINADA:

*(d)

PREPARAÇÃO PARA O VÔO

74

- A FASE DO BRIFIM, ONDE O ALUNO ACREDITA QUE RECEBERÁ UMA BOA INSTRUÇÃO, SENDO MERECEDOR DA CONFIANÇA DO

INSTRUTOR, É A DE:

*(b) ACOLHIMENTO

75 - A FASE DO BRIFIM, NA QUAL O INSTRUTOR DEVE SEGUIR O QUE ESTÁ PREVISTO NO MANUAL DE INSTRUÇÃO E, ENTRE OUTROS,

DESCREVER OS ERROS MAIS COMUNS E COMO CORRIGI-LOS, DENOMINA-SE:

*(d) DESENVOLVIMENTO

76 - O TERMO APRENDIZAGEM SIGNIFICA:

*(c)

MUDANÇA DE COMPORTAMENTO

77 - A FASE DO BRIFIM, ONDE O INSTRUTOR DEVE SEGUIR O MANUAL PARA A INSTRUÇÃO NA AERONAVE, É A DE:

*(c)

DESENVOLVIMENTO

78 - AS ENTIDADES VOLTADAS PARA A ATIVIDADE DE LAZER, COMO OS AEROCLUBES E AS ESCOLAS ESPECÍFICAS PARA TAL FIM, SÃO

CONSIDERADAS COMO ENTIDADES *(c) AERODESPORTIVAS

79 - O INSTITUTO DE AVIAÇÃO CIVIL ESTÁ DIRETAMENTE SUBORDINADO AO(A):

*(a)

DAC

80

- GARANTIR O DESENVOLVIMENTO SEGURO E ORDENADO DA AVIAÇÃO CIVIL INTERNACIONAL É UM DOS OBJETIVOS DA CONVENÇÃO

DE:

*(c)

CHICAGO

81 - O SERVIÇO PRESTADO PARA NOTIFICAR ÓRGÃOS APROPRIADOS, A RESPEITO DE AERONAVES QUE NECESSITAM DO SERVIÇO DE

BUSCA E SALVAMENTO E PARA AUXILIAR TAIS ÓRGÃOS NO QUE FOR NECESSÁRIO, DENOMINA-SE SERVIÇO DE:

*(a) ALERTA

82 - O SERVIÇO QUE TEM POR FINALIDADE PREVENIR COLISÕES ENTRE AERONAVES, E ENTRE ESTAS E OBSTÀCULOS NA ÁREA DE

MANOBRAS E, AINDA, ACELERAR E MANTER ORDENADO O FLUXO DE TRÁFEGO AÉREO, É O DE:

*(c)

CONTROLE DE TRÁFEGO AÉREO

83 - GARANTIR O DESENVOLVIMENTO SEGURO E ORDENADO DA AVIAÇÃO CIVIL INTERNACIONAL É UM DOS OBJETIVOS DA:

*(b)

OACI

84 - A CONVENÇÃO QUE SE DESTACOU PELO CUMPRIMENTO DO OBJETIVO DE SE ASSEGURAR UM TRANSPORTE ORDENADO, EFICIENTE E

SEGURO FOI A DE:

*(c) CHICAGO

85 - O SERAC ESTÁ SUBORDINADO ADMINISTRATIVAMENTE AO(A):

*(a)

DAC

86 - UMA DAS ATRIBUIÇÕES DO SUBDEPARTAMENTO TÉCNICO DO DAC É TRATAR ASSUNTOS RELACIONADOS A:

*(c)

HABILITAÇÃO TÉCNICA

87 - O SERVIÇO QUE COMPREENDE O DE CONTROLE DE ÁREA, O DE APROXIMAÇÃO E O DE AERÓDROMO, DENOMINA-SE:

*(c)

CONTROLE DE TRÁFEGO AÉREO

88 - ESTIMULAR O DESENVOLVIMENTO DE AEROPORTOS E FACILIDADES À NAVEGAÇÃO AÉREA NA AVIAÇÃO CIVIL INTERNACIONAL É UM

DOS OBJETIVOS DO(A):

*(c) OACI

89 - O SUBDEPARTAMENTO DO DAC, QUE TRATA DOS REGULAMENTOS BRASILEIROS DE HOMOLOGAÇÃO AERONÁUTICA, CERTIFICADOS

DE HABILITAÇÃO TÉCNICA PARA AERONAUTAS E AEROVIÁRIOS É O:

*(d) STE

90 - NA PRÁTICA DAS RELAÇÕES INTERPESSOAIS, O INSTRUTOR DE VÔO DEVERÁ ESTAR CONDICIONADO A MANTER ATITUDES QUE O

AJUDEM A COMPREENDER AS OUTRAS PESSOAS, RESPEITANDO A SUA PERSONALIDADE E NUNCA SE ESQUECENDO DOS(AS):

*(c)

DIFERENÇAS INDIVIDUAIS

91 - NUMA RELAÇÃO INTERPESSOAL, A SITUAÇÃO DE INTERDEPENDÊNCIA ENVOLVE UM COMPORTAMENTO RECÍPROCO. NESTA SITUAÇÃO,

DOIS COMPORTAMENTOS SE MANIFESTAM NATURALMENTE, QUE SÃO OS DE

*(c)

COLABORAÇÃO E COMPETIÇÃO

92 - O PRINCIPAL ELO DE LIGAÇÃO ENTRE O INDIVÍDUO E SEUS SEMELHANTES, ASSIM COMO ENTRE O INSTRUTOR E SEU ALUNO, É A:

*(a)

PERCEPÇÃO

93 - ALÉM DE REFERÊNCIAS E EXPERIÊNCIAS INDIVIDUAIS, OUTROS FATORES COLABORAM PARA INFLUENCIAR NO PROCESSO PERCEPTIVO. O BLOQUEIO NA CONSCIENTIZAÇÃO DE ESTÍMULOS EMOCIONANTES PERTURBADORES, QUE CAUSA A PARALIZAÇÃO DO PENSAMENTO E DE ATITUDES, DENOMINA-SE:

*(b) DEFESA PERCEPTIVA

94 - O INSTRUTOR DE VÔO, NA PRÁTICA DAS RELAÇÕES INTERPESSOAIS, DEVERÁ CONDICIONAR-SE A MANTER ATITUDES QUE AJUDEM A

COMPREENDER AS OUTRAS PESSOAS, RESPEITANDO A SUA:

*(a)

PERSONALIDADE E DIFERENÇAS INDIVIDUAIS

95 - O PLANEJAMENTO, A ORIENTAÇÃO, A COORDENAÇÃO E A SUPERVISÃO DAS ATIVIDADES RELACIONADAS À FORMAÇÃO, AO APERFEIÇOAMENTO E À ESPECIALIZAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS DO SISTEMA DE AVIAÇÃO CIVIL SÃO ALGUMAS DAS ATRIBUIÇÕES DO(A):

*(a) IAC

96 - O ÓRGÃO QUE TEM COMO FINALIDADE EXECUTAR DIRETAMENTE OU ASSEGURAR A EXECUÇÃO DAS ATIVIDADES RELACIONADAS COM

A AVIAÇÃO CIVIL, NA ÁREA DE JURISDIÇÃO DOS COMAR, É O

*(b)

SERAC

97 - GARANTIR O DESENVOLVIMENTO SEGURO E ORDENADO DA AVIAÇÃO CIVIL INTERNACIONAL COMO UM TODO, NO MUNDO, É UM DOS

OBJETIVOS DA:

*(a)

OACI

98 - O SUBDEPARTAMENTO DO DAC, QUE TEM COMO UMA DE SUAS ATRIBUIÇÕES ESPECÍFICAS TRATAR DOS REGULAMENTOS

BRASILEIROS DE HOMOLOGAÇÃO AERONÁUTICA, É O *(d) STE

99 - O BLOQUEIO NA CONSCIENTIZAÇÃO DE ESTÍMULOS EMOCIONANTES PERTURBADORES, QUE CAUSA A PARALIZAÇÃO DO PENSAMENTO

E DE ATITUDES, DENOMINA-SE:

*(b)

DEFESA PERCEPTIVA

100

- CONTRIBUIR PARA A SEGURANÇA DOS VÔOS NA NAVEGAÇÃO AÉREA INTERNACIONAL É UM DOS OBJETIVOS DO(A):

*(c)

OACI

101 - O SUBDEPARTAMENTO DO DAC, QUE TEM COMO UMA DE SUAS ATRIBUIÇÕES O TRATO DE ASSUNTOS COMO A CONCESSÃO DOS

SERVIÇOS AÉREOS, É O:

*(a) SPL

102 - O INSTRUTOR DE VÔO DEVE PROCURAR CRIAR, EM TODOS OS MOMENTOS, UM CLIMA QUE FAVOREÇA A AUTO-REALIZAÇÃO DOS

SEUS ALUNOS, EVITANDO A DEPENDÊNCIA E A REJEIÇÃO. ASSIM, CABE AO MESMO TER SEMPRE UM COMPORTAMENTO

*(b)

PROFISSIONAL E ALTRUÍSTA

103

- NUMA RELAÇÃO INTERPESSOAL, A INFLUÊNCIA QUE UMA PESSOA EXERCE SOBRE OUTRA OU OUTRAS PESSOAS, SEM QUE ESTAS

ÚLTIMAS EXERÇAM SOBRE ELA, É DENOMINADA

*(c) DEPENDÊNCIA

104 - O PLANEJAMENTO E A ELABORAÇÃO

DESEMPENHO DAS ATIVIDADES DA AVIAÇÃO CIVIL SÃO RESPONSABILIDADES DO:

*(c) DAC

DAS PROPOSTAS

PARA ORÇAMENTOS

DOS

PROGRAMAS ANUAIS NECESSÁRIOS

AO

105 - O ESTUDO DA PERCEPÇÇAO É FUNDAMENTAL PARA O DESENVOLVIMENTO DA INSTRUÇÃO AÉREA. ASSIM SENDO, NECESSITA-SE

SABER QUE ELA É INFLUENCIADA, DENTRE OUTROS FATORES, POR:

*(b)

EXPERIÊNCIA PRÉVIA E DEFESA PERCEPTIVA

106

- O SERVIÇO PRESTADO PARA INFORMAR AOS ÓRGÃOS APROPRIADOS, SOBRE AERONAVES QUE, POR EXEMPLO, ESTEJAM

ACIDENTADAS, EM FUNÇÃO DE UM POUSO FORÇADO, É O DE:

*(a) ALERTA

107

- O DAC, ALÉM DO SUBDEPARTAMENTO DE INFRA-ESTRUTURA, É TAMBÉM COMPOSTO DE TRÊS OUTROS SUBDEPARTAMENTOS, QUE

SÃO:

*(a)

SOP, STE, SPL

108 - POR VEZES, TENDÊNCIAS A IDENTIFICAR ERROS EM QUEM NÃO SE GOSTA ACONTECEM, FICANDO OS ASPECTOS FAVORÁVEIS,

APENAS, PARA QUEM SE ADMIRA. TAIS TENDÊNCIAS PODERIAM SER MINIMIZADAS ATRAVÉS DO ESTUDO DA:

*(b) PERCEPÇAO

109 - O ÓRGÃO QUE TEM POR ATRIBUIÇÃO BÁSICA O TRATO DOS ASSUNTOS RELACIONADOS COM A FISCALIZAÇÃO DA AVIAÇÃO CIVIL NO

AEROPORTO ONDE É ESTABELECIDO, É A:

*(c)

SEÇÃO DE AVIAÇÃO CIVIL

110

- A ORGANIZAÇÃO QUE TEM POR FINALIDADE SUPERINTENDER, COORDENAR E CONTROLAR AS ATIVIDADES DE PROTEÇÃO AO VÔO E

AS DE TELECOMUNICAÇÕES, DO COMANDO DA AERONÁUTICA, DENOMINA-SE:

*(c) DECEA

111 - A INDÚSTRIA AERONÁUTICA, AS EMPRESAS DE TRANSPORTE AÉREO, AS EMPRESAS DE MANUTENÇÃO, DENTRE OUTRAS, SÃO

IDENTIFICADAS COMO ÓRGÃOS INTERVENIENTES E ELOS EXECUTIVOS DO:

*(c)

SISTEMA DE AVIAÇÃO CIVIL

112

- EM SE TRATANDO DE AUXÍLIO À TOMADA DE DECISÃO, IDENTIFIQUE ABAIXO UM DOS ESTÍMULOS REALISTAS IMPORTANTE, COM

BASE NA ANTECIPAÇÃO DE UM ACONTECIMENTO QUE PODERÁ SER, OU NÃO, POSTERIORMENTE CONFIRMADO.

*(c) SUPOSIÇÃO

113 - A CONVENÇÃO QUE TEVE COMO OBJETIVO ASSEGURAR O TRANSPORTE AÉREO ORDENADO, EFICIENTE E SEGURO FOI A DE:

*(c)

CHICAGO

114 - O SUBDEPARTAMENTO DO DAC, QUE TRATA DE ASSUNTOS COMO CERTIFICAÇÃO DE AERONAVEGABILIDADE, MANUTENÇÃO DE

AERONAVES E SEUS EQUIPAMENTOS, REGULAMENTOS BRASILEIROS DE HOMOLOGAÇÃO AERONÁUTICA, DENTRE OUTROS, É O

SUBDEPARTAMENTO

*(a) TÉCNICO

115 - EM SE TRATANDO DE AUXÍLIO À TOMADA DE DECISÃO, IDENTIFIQUE ABAIXO UM DOS ESTÍMULOS REALISTAS IMPORTANTE, COM

BASE NA ANTECIPAÇÃO OU UM ACONTECIMENTO QUE PODERÁ SER, OU NÃO, POSTERIORMENTE CONFIRMADO. *(c) SUPOSIÇÃO

116 - EXECUTAR DIRETAMENTE AS ATIVIDADES RELACIONADAS COM A AVIAÇÃO CIVIL, NAS AÉREAS DE JURISDIÇÃO DO RESPECTIVO

COMAR, É A FINALIDADE DO(A):

*(b) SERAC

117 - O ÓRGÃO DE DIREÇÃO SETORIAL DO COMANDO DA AERONÁUTICA, QUE TEM POR FINALIDADE A CONSECUÇÃO DOS OBJETIVOS DA

POLÍTICA AEROESPACIAL NACIONAL, NO SETOR DA AVIAÇÃO CIVIL, É O DEPARTAMENTO DE

*(a)

AVIAÇÃO CIVIL

118 - O SUBDEPARTAMENTO DO DAC, QUE TRATA SOBRE ASSUNTOS COMO A INVESTIGAÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS, DENTRE

OUTROS, É O

*(b)

DE OPERAÇÕES

119

- UM INSTRUTOR, A TODO MOMENTO, DEVE PREOCUPAR-SE EM MANTER UM CLIMA FAVORÁVEL À AUTO-REALIZAÇÃO DE SEUS

ALUNOS. PARA TANTO, DEVERÁ TER UM COMPORTAMENTO:

*(d)

PROFISSIONAL E ALTUÍSTA

120

- O SUBDEPARTAMENTO DO DAC, QUE TRATA SOBRE ASSUNTOS COMO CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL E HABILITAÇÃO TÉCNICA,

DENTRE OUTROS, É O:

*(b) STE

121

- O SERAC, QUE É SUBORDINADO AO DAC, DISPÕE DE TRÊS DIVISÕES, QUE SÃO:

*(a)

TÉCNICA, DE OPERAÇÕES E ADMINISTRATIVA

122

- UM DETERMINADO INSTRUTOR, TODA VEZ QUE DEMONSTRA AS MANOBRAS DE VÔO PARA OS SEUS ALUNOS, APRESENTA-SE

APREENSIVO E SEMPRE PROCURA MOSTRAR QUE É CAPAZ DE FAZER MELHOR. PELO ESTUDO DAS RELAÇÕES INTERPESSOAIS, PODE-SE DIZER QUE:

*(d)

ESTÁ CARACTERIZADA UMA RELAÇÃO DE DEPENDÊNCIA INSTRUTOR-ALUNO, NO ASPECTO DA COMPETIÇÃO

123

- O COMPORTAMENTO QUE RECEBE MENOS ATENÇÃO E SENSACIONALISMO QUE OS DE AGRESSÃO E VIOLÊNCIA, CUJA FINALIDADE É

CAUSAR BEM AO OUTRO, SEM EXPECTATIVA DE RETRIBUIÇÃO, É DENOMINADO COMPORTAMENTO *(c) ALTRUÍSTA

124 - A MAIOR VIRTUDE DE UM BOM INSTRUTOR É:

*(d)

TER CREDIBILIDADE

125 - NA ESTRUTURA DO SISTEMA DE AVIAÇÃO CIVIL, A INDÚSTRIA AERONÁUTICA E AS EMPRESAS DE TRANSPORTE AÉREO ESTÃO

RELACIONADAS COMO:

*(a)

ELOS EXECUTIVOS

126

- UMA DAS FINALIDADES DOS SERVIÇOS REGIONAIS DE AVIAÇÃO CIVIL É:

*(c)

EXECUTAR AS ATIVIDADES DA AVIAÇÃO CIVIL SOB SUA JURISDIÇÃO

127

- O ÓRGÃO CENTRAL DO SISTEMA DE AVIAÇÃO CIVIL É O:

*(a)

DAC

128 - A INSTRUÇÃO AÉREA DEPENDE, EM ALTO GRAU, DA INTERAÇÃO INSTRUTOR-ALUNO E DA PERCEPÇÃO CORRETA DOS COMPORTAMENTOS ESPERADOS. ESTES FATORES COMPORTAMENTAIS DEVERÃO SER LEVADOS EM CONSIDERAÇÃO POR PARTE DO INSTRUTOR, PARA QUE O MESMO *(d) BUSQUE A AUTO-REALIZAÇÃO DO ALUNO, VERIFICANDO O ATENDIMENTO DOS OBJETIVOS, RESPEITANDO SUAS DIFERENÇAS INDIVIDUAIS

129 - A ORGANIZAÇÃO DO COMANDO DA AERONÁUTICA QUE TEM COMO FINALIDADE CONSECUÇÃO DOS OBJETIVOS DA POLÍTICA

AEROESPACIAL NACIONAL, NO SETOR DA AVIAÇÃO CIVIL, É O(A):

*(b) DAC

130 - PARA ELIMINAR OS EFEITOS DA SUBJETIVIDADE DA PERCEPÇÃO, O INSTRUTOR DEVERÁ: CONHECER SEU PADRÃO DE JULGAMENTO,

OUVIR PESSOAS PARA COMPARAR OPINIÕES, EXPRESSAR-SE SEM FORTES REAÇÕES EMOCIONAIS, TREINAR A CAPACIDADE DE OBSERVAR OBJETIVAMENTE E SER FLEXÍVEL, O QUE SEGNIFICA:

*(d)

PODER ALTERAR O PENSAMENTO E A OPINIÃO DIANTE DE FATOS NOVOS QUE OS CONTRADIZEM

131

- O DOCUMENTO QUE RELATA FATOS PERIGOSOS OU POTENCIALMENTE PERIGOSOS A ATIVIDADE AÉREA, PERMITINDO QUE AS

AUTORIDADES TOMEM CONHECIMENTO DAS SITUAÇÕES, É DENOMINADO *(d) RELPER

132

- DOS TIPOS DE MANUTENÇÃO, ABAIXO, INDIQUE A CONSIDERADA COMO MAIS IMPORTANTE, DO PONTO DE VISTA DO SIPAER.

*(b)

PREVENTIVA

133

- O COMPORTAMENTO, CUJA FINALIDADE É CAUSAR O BEM A OUTRO, SEM EXPECTATIVA DE RETRIBUIÇÃO, É DENOMINADO

COMPORTAMENTO

*(b)

ALTRUÍSTA

134

- O COMPORTAMENTO QUE TEM COMO FINALIDADE FAZER O BEM A OUTRA PESSOA, SEM ESPERAR NADA EM TROCA É DENOMINADO

*(b)

ALTRUÍSMO

135

- UMA DAS FORMAS DE SE PARTICIPAR DA PREVENÇÃO É COMUNICAR QUALQUER ANORMALIDADE QUE POSSA VIR A PROVOCAR UM

ACIDENTE/INCIDENTE AERONÁUTICO ESSA COMUNICAÇÃO DEVERÁ SER FEITA ATRAVÉS DE UM(A):

*(a)

RELATÓRIO DE PERIGO

136

- UM GRUPO DE PESSOAS, CONSTITUÍDO PARA A INVESTIGAÇÃO DE UM ACIDENTE AERONÁUTICO, VEM A SER UM(A):

*(d)

COMISSÃO DE INVESTIGAÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS

137

- COM BASE NA ESTRUTURA DO SIPAER, INDIQUE A ALTERNATIVA RELACIONADA À ORGANIZAÇÃO DO SERAC

*(c)

SIPAA

138

- NO SISTEMA EDUCACIONAL, A AVALIAÇÃO É UM PROCESSO

*(b)

CONTÍNUO, QUE SE INICIA COM OS OBJETIVOS A SEREM ATINGIDOS

139

- UMA DAS MEDIDAS DE SEGURANÇA OPERACIONAL, REFERENTE A PREVENÇÃO CONTRA A FORMAÇÃO DE VAPORES, COIBINDO O

PERIGO DE FOGO, É:

*(c)

EVITAR DERRAMES, DURANTE O REABASTECIMENTO

140

- A PESSOA NÃO MILITAR DA ATIVA, COM CURSO DO SIPAER E EXERCENDO AS ATIVIDADES INERENTES À SEGURANÇA DE VÔO, É

DESIGNADA

*(a)

ASV

141 - QUANDO UM TESTE APRESENTA RESULTADOS PERSISTENTES EM DIVERSAS OCASIÕES, DIZ-SE QUE O MESMO POSSUI:

*(b)

CONFIANÇA

142

- QUANDO UM INSTRUTOR TENDE A SUPERESTIMAR OU SUBESTIMAR O DESEMPENHO DE UM ALUNO, COMETE O ERRO CHAMADO:

*(b)

PADRÃO

143

- NO CASO DE UMA AERONAVE DURANTE O TÁXI PARA A DECOLAGEM SOFRER DANO ESTRUTURAL OU FALHA ESTRUTURAL QUE

AFETE ADVERSAMENTE A SUA RESISTÊNCIA, O SEU DESEMPENHO OU SUAS CARACTERÍSTICAS DE VÔO, E EXIJA SUBSTITUIÇÃO OU REPAROS IMPORTANTES DO COMPONENTE AFETADO CONFIGURA-SE UM(A):

*(a) ACIDENTE AERONÁUTICO

144 - O ÓRGÃO, DO DAC, RESPONSÁVEL PELA INVESTIGAÇÃO DOS ACIDENTES AERONÁUTICOS OCORRIDOS COM AERONAVES CIVIS DE

TRANSPORTE AÉREO REGULAR EM TODO O TERRITÓRIO NACIONAL, É A:

*(b) DIPAA

145

- PARA SE FACILITAR A ACEITAÇÃO DE UMA CRÍTICA, DEVE-SE:

*(d)

APONTAR INICIALMENTE OS MÉRITOS DO ALUNO

146

- A RESPONSABILIDADE DE REMOVER OS DESTROÇOS DE UMA AERONAVE ACIDENTADA É DO(A):

*(c)

OPERADOR DA AERONAVE

147

- A AVALIAÇÃO É PARTE INTEGRANTE DO PROCESSO EDUCACIONAL E SE BASEIA

*(a)

NOS OBJETIVOS DO CURSO

148

- OS ACIDENTES AERONÁUTICOS RESULTAM DE UMA SEQUÊNCIA DE ACONTECIMENTOS QUE SE ORIGINAM SEMPRE DE DEFICIÊNCIAS

ATRIBUÍDAS A ALGUNS DOS 3 FATORES CONTRIBUIENTES, QUE SÃO:

*(a)

HUMANO, MATERIAL E OPERACIONAL

149

- A INVESTIGAÇÃO DE ACIDENTE AERONÁUTICO OCORRIDO COM AERONAVES DA AVIAÇÃO GERAL É ATRIBUIÇÃO DO:

*(d)

SERAC

150

- PARA QUE UM TESTE EDUCACIONAL SEJA UM EFICIENTE INSTRUMENTO DE MEDIDA, PROPORCIONANDO AMOSTRAS ADEQUADAS E

REPRESENTATIVAS DOS OBJETIVOS PREVISTOS NO CURSO, ESTE PRECISA PREENCHER OS REQUISITOS, QUE SÃO: CONFIANÇA, VALIDADE,

*(c)

OBJETIVIDADE, ABRANGÊNCIA E DIFERENCIAÇÃO

151

- QUANDO UM INSTRUTOR SENTE SIMPATIA OU ANTIPATIA POR UM ALUNO QUE ESTÁ SENDO AVALIADO, PROVALVEMENTE, IRÁ

COMETER UMA FALHA DE AVALIAÇÃO, CHAMADA ERRO DE:

*(a) HALO

152

- APÓS OCORRER UM ACIDENTE AERONÁUTICO, O CCF DA TRIPULAÇÃO FICARÁ

*(b)

SUSPENSO

153

- A ARTE DE APRECIAR MÉRITOS E DEMÉRITOS DE UM DESEMPENHO, COM O OBJETIVO DE APRIMORÁ-LO FUTURAMENTE, DENOMINA-

SE

*(b)

CRÍTICA

154 - A MANUTENÇÃO CONSIDERADA COMO MAIS IMPORTANTE, QUE MINIMIZA A OCORRÊNCIA DE PANES, ATRAVÉS DE REVISÕES PERIÓDICAS, COMO LIMPEZA, LUBRIFICAÇÃO E PEQUENOS AJUSTES, É A:

*(b) PREVENTIVA

155

- COM RELAÇÃO À PREVENÇÃO DE ACIDENTES, PODE-SE DIZER QUE A SEGURANÇA COLETIVA É UM SOMATÓRIO DO(A):

*(b)

SEGURANÇA INDIVIDUAL

156

- NA INSTRUÇÃO AÉREA, O INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO MAIS COMUM É O(A):

*(b)

FICHA DE VÔO

157

- A MANUTENÇÃO QUE OBJETIVA EVITAR O APARECIMENTO DE DEFEITOS, ATRAVÉS DE INSPEÇÕES PERIÓDICAS, INCLUINDO TAREFAS

DE LIMPEZA, LUBRIFICAÇÃO E PEQUENOS AJUSTES, É A:

*(b) PREVENTIVA

158 - PODE-SE AFIRMAR QUE, QUANDO OCORRE UM ACIDENTE AERONÁUTICO, OS FATOS RELACIONADOS AO MESMO ATINGIRAM O

PONTO DE:

*(d)

INEVITABILIDADE

159

- DURANTE UMA CRÍTICA, AO APONTAREM-SE OS DEMÉRITOS, DEVE-SE TER A PREOCUPAÇÃO DE:

*(a)

SUGERIR AS CORREÇÕES

160

- UM DOS PRINCÍPIOS FILOSÓFICOS DO SIPAER É:

*(b)

"REPORTAR INCIDENTES É PREVENIR ACIDENTES"

161

- SEGUNDO O SIPAER, EM RELAÇÃO AOS ACIDENTES, TODOS RESULTAM DE UM(A):

*(d)

SEQUÊNCIA DE EVENTOS

162

- A ÁREA DE ABORDAGEM DA SEGURANÇA DE VÔO, QUE SE REFERE À AERONAVE, NOS SEUS ASPECTOS DE PROJETO, FABRICAÇÃO E

OUTROS, É DENOMINADO FATOR:

*(b) MATERIAL

163 - UM TESTE, QUANDO MEDE TÃO SOMENTE TUDO O QUE É PREVISTO MEDIR, DE ACORDO COM OS OBJETIVOS ESTABELECIDOS, É

CONSIDERADO:

*(a)

VÁLIDO

164

- EM UM ACIDENTE EXISTEM VÁRIOS FATORES, TECNICAMENTE CHAMADOS

*(c)

CONTRIBUINTES

165

- QUANDO DUAS OU MAIS CARACTERÍSTICAS ESTÃO SENDO APRECIADAS POR UM INSTRUTOR, E ELE TENDE A DAR APRECIAÇÕES

SEMELHANTES A CARACTERÍSTICAS QUE NEM SEMPRE SE RELACIONAM, O MESMO COMETE UM ERRO, DENOMINADO:

*(a)

LÓGICO

166

- O PROPÓSITO DA PREVENÇÃO DE ACIDENTES É:

*(d)

ESTIMULAR O DESENVOLVIMENTO DA ATIVIDADE AÉREA, COM SEGURANÇA

167

- NA CRÍTICA AO SEREM APONTADOS OS DEMÉRITOS, DEVE-SE TER A PREOCUPAÇÃO DE:

*(b)

SUGERIR AS CORREÇÕES

169

- O GRUPO EVENTUALMENTE DESIGNADO PARA REALIZAR A INVESTIGAÇÃO DE UM ACIDENTE AERONAÚTICO É O(A):

*(b)

CIAA

170 - A FASE DA CRÍTICA, EM QUE O ALUNO É MOTIVADO A RECEBÊ-LA, REALÇANDO A IMPORTÂNCIA DESSA TAREFA PARA A SUA

FORMAÇÃO PROFISSIONAL, É A DE:

*(b) INTRODUÇÃO

171 - A MANUTENÇÃO QUE CONSISTE EM AÇÕES PARA DEVOLVER UM ITEM DE EQUIPAMENTO AO SERVIÇO, ATRAVÉS DE REPAROS,

SUBSTITUIÇÕES OU RECONSTRUÇÕES DE SUAS PARTES, É A:

*(a) CORRETIVA

175

- PARA SE PRODUZIR FOGO SÃO NECESSÁRIOS TRÊS ELEMENTOS, QUE PODEM SER:

*(b)

OXIGÊNIO, IGNIÇÃO E COMBUSTÍVEL

176

- A MANUTENÇÃO MAIS IMPORTANTE, QUE CONSISTE EM DESENVOLVER AÇÕES PARA CUIDAR DO EQUIPAMENTO E EVITAR FALHA OU

MAU FUNCIONAMENTO, É A:

*(b) PREVENTIVA

177

- OS REQUISITOS NECESSÁRIOS PARA QUE UMA AVALIAÇÃO SEJA FEITA CORRETAMENTE SÃO:

*(d)

CONFIANÇA, VALIDADE, OBJETIVIDADE, ABRANGÊNCIA E DIFERENCIAÇÃO

178

- O COMANDO INVESTIGADOR DE ACIDENTES OCORRIDOS COM AERONAVES BRASILEIRAS DE TRANSPORTE AÉREOS REGULAR ESTÁ

CARGO DO:

*(a)

DAC

179

- A FIGURA CENTRAL DO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM É O(A):

*(a)

ALUNO

182

- A CARACTERÍSTICA MAIS DIFÍCIL DE SER OBTIDA NA AVALIAÇÃO POR APRECIAÇÃO, QUE CONSISTE NA "NÃO" INTERFERÊNCIA DA

OPINIÃO DO AVALIADOR, É A:

*(c) OBJETIVIDADE

184 - QUANDO O INSTRUTOR APRESENTA A CARACTERÍSTICA DE NÃO ATRIBUIR GRAUS DIVERSIFICADOS, TEDENDO A GRUPAR SUAS

APRECIAÇÕES PRÓXIMO AO MEIO DA ESCALA, ELE COMETE O ERRO

*(d)

DE TENDÊNCIA CENTRAL

185

- O INSTRUTOR DO AEROCLUBE "X", ANTES DE ATRIBUIR O GRAU NA FICHA DE VÔO DE SEUS ALUNOS, DEIXA-SE INFLUENCIAR POR

OPINIÕES E PRECONCEITOS. ESTE PROCEDIMENTO É DENOMINADO ERRO DE *(a) HALO

186

- APRECIAR AS VIRTUDES E DEFEITOS DE UM DESEMPENHO, VISANDO UM APRIMORAMENTO FUTURO, É A DEFINIÇÃO DE:

*(b)

CRÍTICA

187

- NA FASE DE CONCLUSÃO DE UMA CRÍTICA, É ACONSELHÁVEL QUE SE:

*(a)

TIREM AS DÚVIDAS EXISTENTES

188

- QUANDO UM TESTE EXPRESSA O CONHECIMENTO REAL DEMONSTRADO PELO ALUNO, SEM SOFRER A INFLUÊNCIA DAS PESSOAS

QUE O CORRIGEM, É CLASSIFICADO COMO ALTAMENTE:

*(b) OBJETIVO

189

- UM TESTE, QUE POSSUI AMOSTRAS REPRESENTATIVAS DO TODO A SER MEDIDO ATENDE AO PRINCÍPIO DE:

*(b)

ABRANGÊNCIA

190

- UM INSTRUTOR VERIFICOU QUE TODAS AS AVALIAÇÕES DOS CURSOS DE TEORIA DE SEU AEROCLUBE APRESENTAVAM RESULTADOS

ENTRE 60 E 62 POR CENTO DE APROVEITAMENTO. ASSIM DOS REQUISITOS DE AVALIAÇÃO ABAIXO, AQUELE QUE NÃO ESTÁ SENDO CONSIDERADO É O DE:

*(d) DIFERENCIAÇÃO

191

- NUMA AVALIAÇÃO POR APRECIAÇÃO, A VALIDADE DESTAS APRECIAÇÕES SERÁ MEDIDA PELA SUA:

*(a)

CONFIANÇA

192

- OS SERVIÇOS AÉREOS SÃO CLASSIFICADOS EM:

*(b)

PÚBLICOS E PRIVADOS

193

- NA LEGISLAÇÃO BRASILEIRA, A AERONAVE É UM BEM PASSIVO DE REGISTRO PARA EFEITO DE SUA CONDIÇÃO JURÍDICA. O SETOR

COMPETENTE PARA EFETUAR ESSE ATO É O(A):

*(a) RAB

194

- SEGUNDO O CBA, DURANTE A VIAGEM, NO QUE SE REFERE À TRIPULAÇÃO, O RESPONSÁVEL PELO FORNECIMENTO DE ALIMENTOS É

O:

*(a)

COMANDANTE

195

- NENHUMA AERONAVE PODERÁ SER AUTORIZADA PARA O VÔO, SEM A PRÉVIA EXPEDIÇÃO DO CORRESPONDENTE CERTIFICADO DE:

*(d)

AERONAVEGABILIDADE

196 - SEMPRE QUE O TITULAR DE UMA LICENÇA APRESENTAR INDÍCIO COMPROMETEDOR DE SUA APTIDÃO TÉCNICA OU DE SUAS CONDIÇÕES FÍSICAS, PODERÁ SER SUBMETIDO A NOVOS EXAMES TÉCNICOS OU FÍSICOS, *(d) MESMO QUE SEUS CERTIFICADOS ESTEJAM VÁLIDOS

197 - A EXPLORAÇÃO DO TRANSPORTE AÉREO REGULAR, NÃO-REGULAR OU DE SERVIÇOS ESPECIALIZADOS, SÃO CONSIDERADOS COMO

SERVIÇOS AÉREOS

*(a)

PÚBLICOS

198

- O SISTEMA QUE VISA A REGULARIDADE, SEGURANÇA E EFICIÊNCIA DO FLUXO DE TRÁFEGO NO ESPAÇO AÉREO, ABRANGENDO AS

ATIVIADADES REFERENTES À METEOROLOGIA E À BUSCA E SALVAMENTO, DENTRE OUTRAS, É O SISTEMA DE:

*(c)

PROTEÇÃO AO VÔO

199

- COM RELAÇÃO À OACI E AOS DOCUMENTOS LIGADOS À MESMA, PODE-SE AFIRMAR QUE O ANEXO 1 REFERE-SE A:

*(c)

LICENÇAS DE PESSOAL

200

- O SISTEMA QUE VISA A REGULARIDADE, SEGURANÇA E EFICIÊNCIA DO FLUXO DE TRÁFEGO AÉREO NO ESPAÇO AÉREO,

ABRANGENDO ATIVIDADES COMO METEOROLOGIA AERONÁUTICA, BUSCA E SALVAMENTO, DENTRE OUTRAS, É O SISTEMA DE

*(b)

PROTEÇÃO AO VÔO

201

- OCORRENDO UM ACIDENTE AERONÁUTICO, ENVOLVENDO AERONAVE DE EMPRESA AÉREA REGULAR, COM VÍTIMAS FATAIS, OS

FAMILIARES DAS VÍTIMAS DEVERÃO SER NOTIFICADOS PELO

*(c)

PROPRIETÁRIO OU OPERADOR DA AERONAVE

202

- A GUARDA DE VALORES, MERCADORIAS, BAGAGENS DESPACHADAS E MALA POSTAL, DESDE QUE LHE SEJAM ASSEGURADAS PELO

´PROPRIETÁRIO OU EXPLORADOR CONDIÇÕES DE VERIFICAR A QUANTIDADE E ESTADO DAS MESMAS, É, TAMBEM, RESPONSABILIDADE DO

*(a)

COMANDANTE

203 - UM DOS DOCUMENTOS QUE PERMITE, AO AERONAUTA, O EXERCÍCIO DE FUNÇÕES A BORDO DE AERONAVES É O:

*(d)

CHT

204 - O CBA, AO TRATAR DA RESPONSABILIDADE CIVIL, ESTABELECE QUE PARA GARANTIR EVENTUAL INDENIZAÇÃO DE RISCOS FUTUROS,

EM RELAÇÃO A TRANSPORTE DE CARGA, TODO EXPLORADOR É OBRIGADO A:

*(a)

CONTRATAR SEGURO

205

- EM CASO DE ALIJAMENTO, EM QUE A CARGA ESTEJA SUJEITA A CONTROLE ADUANEIRO, O COMANDAANTE TERÁ QUE COMUNICAR,

ESPECIFICAMENTE, À AUTORIDADE

*(d)

FAZENDÁRIA MAIS PRÓXIMA

206

- NO BRASIL, A LEGISLAÇÃO BÁSICA DO DIREITO AERONÁUTICO É O(A):

*(c)

CBAER

207

- EM LINHAS GERAIS, A DOUTRINA DA RESPONSABILIDADE CIVIL TEM COMO FINALIDADE BÁSICA:

*(c)

DETERMINAR DE QUEM É A OBRIGAÇÃO DE INDENIZAR, QUANDO UM DANO É PRODUZIDO

208

- ADIAR OU SUSPENDER A PARTIDA DA AERONAVE, QUANDO JULGAR INDISPENSÁVEL À SEGURANÇA DE VÔO, É UMA DAS

RESPONSABILIDADES DO(A):

*(d)

COMANDANTE

209

- O TRANSPORTE AÉREO É CONSIDERADO DOMÉSTICO SE, POR MOTIVO DE FORÇA MAIOR, A AERONAVE FAZ ESCALA EM TERRITÓRIO

ESTRANGEIRO, SENDO, PORÉM, OS SEUS PONTOS DE PARTIDA E DE DESTINO, NECESSARIAMENTE EM

*(c)

TERRITÓRIO BRASILEIRO

210

- SALVO PERMISSÃO ESPECIAL, NENHUMA AERONAVE PODERÁ VOAR NO ESPAÇO AÉREO BRASILEIRO, ATERRIZZAR NO TERRITÓRIO

SUBJACENTE OU DELE DECOLAR, A MENOS QUE TENHA

*(d)

MARCAS DE NACIONALIDADE E MATRÍCULA E TENHA A BORDO OS CERTIFICADOS DE MATRÍCULA E AERONAVEGABILIDADE

211

- OS AERÓDROMOS SÃO CLASSIFICADOS COMO:

*(b)

CIVIL E MILITARES

212

- O TÍTULO DE PROPRIEDADE DE UMA AERONAVE, SALVO PROVA EM CONTRÁRIO, É REPRESENTADO PELO CERTIFICADO DE:

*(b)

MATRÍCULA

213

- A DIRETORA QUE REALIZA, ATRAVÉS DO CEMAL (CENTRO DE MEDICINA AEROESPACIAL), A SELEÇÃO E O CONTROLE MÉDICO

PERÍODICO DO PESSOAL AERONAVEGANTE, É A:

*(c) DIRSA

214

- OS REQUISITOS PARA A CONCESSÃO DE LICENÇAS DE PILOTOS E DE INSTRUTORES DE VÔO ENCONTRAM-SE ESTABELECIDOS NO(A):

*(b)

RBHA-61

215

- OS SERVIÇOS AÉREOS CLASSIFICAM-SE, BASICAMENTE, COMO:

*(b)

PRIVADOS E PÚBLICOS

216

- OS AEROPORTOS DESTINADOS À OPERAÇÃO DE AERONAVES NACIONAIS OU ESTRANGEIRAS NA REALIZAÇÃO DE SERVIÇOS

INTERNACIONAIS, REGULARES OU NÃO REGULARES, SÃO CLASSIFICADAS COMO AEROPORTOS *(d) INTERNACIONAIS

217 - OS CERTIFICADOS DE HABILITAÇÃO TÉCNICA E DE CAPACIDADE FÍSICA VIGORAM POR UM PRAZO ESTABELECIDO, SENDO AS

LICENÇAS

*(b)

TÊM CARÁTER PERMANENTE

218

- AS PESSOAS DEVIDAMENTE HABILITADAS QUE EXERCEM FUNÇÃO A BORDO DE AERONAVES SÃO DENOMINADAS:

*(a)

TRIPULANTES

219

- O CEMAL É UM ÓRGÃO SUBORDINADO A UM DOS ELOS DO SISTEMA DE AVIAÇÃO CIVIL (DIRSA), SENDO QUE UMA DE SUAS

ATRIBUIÇÕES, JUNTO AOS AERONAVEGANTES, É REALIZAR O(A):

*(a)

SELEÇÃO E O CONTROLE MÉDICO PERIÓDICO

220

- O SERVICO AÉREO REALIZADO EM BENEFÍCIO DO PRÓPRIO OPERADOR DA AERONAVE, OU SEJA SEM REMUNERAÇÃO, É

DENOMINADO:

*(c)

PRIVADO

221 - UMA INFLAMAÇÃO TRAUMÁTICA CAUSADA PELA DIFERENÇA DE PRESSÃO ENTRE O AR DO OUVIDO MÉDIO E O DA ATMOSFERA

AMBIENTE, CARACTERIZADA POR DOR, SURDEZ, ZUMBIDO E ÀS VEZES VERTIGEM, É DENOMINADA:

*(d)

BAROTITE MÉDIA

222

- A QUEDA DA QUANTIDADE DE GÁS CARBÔNICO NO SANGUE, ABAIXO DOS NÍVEIS NORMAIS, SEM HAVER UM AUMENTO

PROPORCIONAL DE OXIGÊNIO, PODENDO OCASIONAR DELÍRIO, SONO E FRIO, É CARACTERÍSTICA DO(A):

*(d)

HIPERVENTILAÇÃO EM VÔO

223

- UMA INCLINAÇÃO BRUSCA DA AERONAVE, SOB CONDIÇÕES DE TURBULÊNCIA SEVERA E IMC, PODE DESENCADEAR NO PILOTO A

OCORRÊNCIA DE

*(d)

DESORIENTAÇÃO ESPACIAL

224

- DENTRE OS SENTIDOS RELACIONADOS ABAIXO, O CONSIDERADO COMO MAIS IMPORTANTE NA PREVENÇÃO DE ACIDENTES, É O(A):

*(a)

VISÃO

225

- RACIOCÍNIO LENTO, MOROSIDADE DOS REFLEXOS, ATAQUES DE RISOS E DIMINUIÇÃO DA ACUIDADE VISUAL SÃO SINTOMAS DE

*(a)

HIPÓXIA

226

- A DMINUIÇÃO PROGRESSIVA OU RÁPIDA DA PRESSÃO ATMOSFÉRICA EM VÔO - DESCOMPRESSÃO - COMPROMETERÁ PRINCIPALEMTE

O

*(d)

OUVIDO MÉDIO, SEIOS DA FACE E GASES DO APARELHO DIGESTIVO

227

- DENTRE AS ALTERNATIVAS ABAIXO, INDIQUE AQUELA QUE REPRESENTA UMA DAS COMPLICAÇÕES CAUSADAS PELA OBESIDADE EM

UM AERONAUTA.

*(c)

DIFICULDADE DE LOCOMOÇÃO, EM CASO DE EMERGÊNCIA

228

- EXISTEM VÁRIOS FATORES QUE INTERFEREM NO BOM DESEMPENHO DOS AERONAUTAS. DENTRE AS ALTERNATIVAS ABAIXO,

ASSINALE A AÇÃO QUE DEVE SER EVITADA, COM UMA ANTECEDÊNCIA MÍNIMA DE 8 HORAS, EM RELAÇÃO AO VÔO.

*(c)

INGERIR BEBIDAS ALCOÓLICAS

229

- DENTRE AS ALTERNATIVAS RELACIONADAS ABAIXO, INDIQUE OS FATORES QUE CONTRIBUEM PARA A SAÚDE E A APARÊNCIA

PESSOAL:

*(d)

ASSEIO CORPORAL, ALIMENTAÇÃO EQUILIBRADA E DESCANSO

230

- UM PILOTO REALIZOU NORMALMENTE O TÁXI, EM DIREÇÃO AO PONTO DE PARADA, E JÁ ESTAVA PARANDO, QUANDO OLHOU A

AERONAVE AO LADO, QUE LENTAMENTE ADIANTAVA-SE NO MESMO SENTIDO, E TEVE A SÚBITA SENSAÇÃO QUE SUA AERONAVE SE DESLOCAVA PARA TRÁS. NESTE CASO, ELE FOI ACOMETIDO DA ILUSÃO DE:

*(d) MOVIMENTO RELATIVO

231 - DURANTE UM VÔO, O INSTRUTOR NOTA QUE SEU ALUNO ESTÁ MUITO APREENSIVO AO COMANDO DA AERONAVE, A PONTO DE

RESPIRAR MUITO RÁPIDO E PROFUNDAMENTE. CASO O INSTRUTOR NÃO O ACALME, FEZENDO-O VOLTAR A UM RITMO NORMAL DE RESPIRAÇÃO, ESTE PODERÁ SENTIR ALGUNS SINTOMAS INDICATIVOS DE:

*(c) HIPERVENTILAÇÃO

232

- A FORMAÇÃO DE BOLHAS DE NITROGÊNIO, EM VÁRIAS PARTES DO ORGANISMO, RECEBE O NOME DE:

*(d)

AEROEMBOLISMO

233

- A DIMINUIÇÃO DA ACUIDADE VISUAL, ATAQUES DE RISO, MOROSIDADE DOS REFLEXOS E RACIOCÍNIO LENTO SÃO SINTOMAS DE:

*(a)

HIPERVENTILAÇÃO

234

- EM UMA INTOXICAÇÃO POR ÁLCOOL ETÍLICO, PODE OCORRER UMA HIPÓXIA:

*(d)

HISTOTÓXICA

235

- O INSTRUTOR DE VÔO, NA PRÁTICA DAS RELAÇÕES INTERPESSOAIS, DEVE ESTAR CONDICIONADO A MANTER ATITUDES QUE AJUDEM

A COMPREENDER AS OUTRAS PESSOAS, NUNCA SE ESQUECENDO DAS DIFERENÇAS INDIVIDUAIS E RESPEITANDO A SUA:

*(c) PERSONALIDADE

236

- PARA MINIMIZAR O EFEITO DA SUBJETIDADE SOBRE A PERCEPÇÃO, DENTRE OUTROS, DEVE-SE:

*(c)

TREINAR A CAPACIDADE DE OBSERVAR, OBJETIVA E SISTEMATICAMENTE

237

- PARA QUE SEJAM ESTUDADAS AS RELAÇÕES INTERPESSOAIS, DEVE-SE TER EM MENTE DOIS FATORES DE TOTAL RELEVÂNCIA, QUE

SÃO:

*(a)

ATITUDE HUMANA E INTERAÇÃO SOCIAL

238 - NUMA SITUAÇÃO DE INTERDEPENDÊNCIA ENTRE INSTRUTOR E ALUNO SÃO MANIFESTADOS NATURALMENTE DOIS COMPORTAMENTOS. IDENTIFIQUE-OS ABAIXO. *(d) COLABORAÇÃO E COMPETIÇÃO

239

- A TÉCNICA DIDÁTICA CARACTERIZADA PELA EXPOSIÇÃO ORAL DE UM DETERMINADO ASUNTO É A:

*(a)

EXPOSITIVA

240

- QUANDO, DURANTE O BRIFIM, O INSTRUTOR DESTACA OS PORQUÊS DOS PROCEDIMENTOS RELACIONADOS COM UMA POSSÍVEL

EMERGÊNCIA EM VÔO, ESTÁ CUMPRINDO A FASE CHAMADA DE:

*(b) DESENVOLVIMENTO

241

- ENTENDE-SE POR BRIFIM, O(A):

*(d)

REUNIÃO INFORMAL ONDE SERÃO DESCRITOS E ANALISADOS OS PROCEDIMENTOS DE INSTRUÇÃO AÉREA

242

- DURANTE O DEBRIFIM, O INSTRUTOR DEVE EVITAR

*(a)

DEPRECIAR O DESEMPENHO DO ALUNO

243

- UM INSTRUTOR, AO DAR UM BRIFIM PARA O SEU ALUNO, DURANTE A FASE DE ACOLHIMENTO DEVERÁ

*(d)

CRIAR UM CLIMA DE CONFIANÇA MÚTUA, TORNANDO O ALUNO MAIS CONFIANTE EM SI

244

- OS RECURSOS AUDIOVISUAIS, SE BEM EMPREGADOS PODEM BENEFICIAR O CANAL DA VISÃO, EM RELAÇÃO À APRENDIZAGEM, EM:

*(d)

75%

245

- PARA UMA MAIOR EFICIÊNCIA NA UTILIZAÇÃO DAS AJUDAS À INSTRUÇÃO, DEVE-SE:

*(c)

MANTÊ-LAS SEMPRE À MÃO, PARA PRONTA UTILIZAÇÃO

246

- O RECURSO AUDIOVISUAL QUE TEM COMO PRINCIPAL VANTAGEM MOSTRAR AS CENAS COM CLAREZA E REALISMO É O:

*(d)

PROJETOR DE SLIDES

247

- A APRESENTAÇÃO DE IDÉIAS, DE ACORDO COM O MINISTRADO NO CURSO DE INSTRUTOR DE VÔO PODE MAIS FACILMENTE SER

FEITA, BASEADA EM UM(A):

*(b) SUMÁRIO

248 - O INSTRUTOR X, APLICANDO OS CONHECIMENTOS ADQUIRIDOS NO CURSO DE INVA; FEZ A INTRODUÇÃO DE UMA AULA,

OBEDECENDO ÀS SEGUINTES FASES:

*(a)

ATENÇÃO, MOTIVAÇÃO E ORIENTAÇÃO

249

- A FUNDAMENTAÇÃO DE IDÉIAS, ATRAVÉS DE CITAÇÕES, EXPERIÊNCIAS DO EXPOSITOR, ESTATÍSTICAS E OUTROS, DURANTE UMA

AULA, DENOMINA-SE:

*(b)

APOIO

250

- UMA AVALIAÇÃO É DIGNA DE CONFIANÇA, QUANDO:

*(c)

OBTÉM UMA CERTA COINCIDÊNCIA NOS RESULTADOS

251

- A OBJETIVIDADE É UMA DAS CINCO CARACTERÍSTICAS QUE DEVE POSSUIR A AVALIAÇÃO, E ESTÁ RELACIONADA COM O(A):

*(c)

"NÃO" INTERFERÊNCIA DA OPINIÃO PESSOAL DO AVALIADOR

252

- PARA QUE A CRÍTICA DE UM TRABALHO OBTENHA A ACEITABILIDADE POR PARTE DO CRITICADO, DEVE-SE:

*(c)

EVITAR O USO DE EXPRESSÕES DE CARÁTER PESSOAL

253

- O TRATO DOS ASSUNTOS RELACIONADOS COM A FISCALIZAÇÃO DA AVIAÇÃO CIVIL NO AEROPORTO ONDE ESTÁ ESTABELECIDO(A) É

A ATRIBUIÇÃO BÁSICA DO(A):

*(a) SAC

254 - O SUBDEPARTAMENTO, DO DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL, QUE TRATA DOS ASSUNTOS RELACIONADOS COM AERONAVEGABILIDADE E AERODESPORTO É O:

*(a) STE

255

- CONTROLAR E FISCALIZAR AS ATIVIDADES DOS AERONAUTAS E A OPERAÇÃO DAS AERONAVES CIVIS SÃO OBJETIVOS BÁSICOS DO

*(c)

SICONFAC

256

- O ÓRGÃO QUE TEM COMO FINALIDADE COORDENAR AS ATIVIDADES REFERENTES À INSTRUÇÃO PROFISSIONAL E AOS ESTUDOS E

PESQUISAS RELATIVAS AO TRANSPORTE AÉREO E À INFRA-ESTRUTURA AEROPORTUÁRIA, NO ÂMBITO DO SISTEMA DE AVIAÇÃO CIVIL, É O

*(b)

INSTITUTO DE AVIAÇÃO CIVIL

257

- O SERVIÇO QUE TEM POR FINALIDADE PROPORCIONAR AVISOS E NOTIFICAÇÕES ÚTEIS PARA A REALIZAÇÃO SEGURA E EFICIENTE

DOS VÔOS É O DE:

*(b)

INFORMAÇÃO DE VÔO

258

- NO ÂMBITO DO DAC, TEM-SE COMO ORGÃO BÁSICO VOLTADO PARA A PREVENÇÃO E A INVESTIGAÇÃO DE ACIDENTES

AERONÁUTICOS O(A):

*(a)

DIPAA

259 - OCORRIDO UM INCIDENTE AERONÁUTICO, UM DOS PROCEDIMENTOS APLICÁVEIS É A ELABORAÇÃO DE UM DOCUMENTO FORMAL,

PAUTADO NA COLETA E ANÁLISE DOS FATOS E CIRCUNSTÂNCIAS RELACIONADAS ÀQUELE INCIDENTE. TAL DOCUMENTO VEM A SER O:

*(a) RELIN

260 - UMA DAS MEDIDAS DE SEGURANÇA OPERACIONAL, REFERENTE À PREVENÇÃO CONTRA A FORMAÇÃO DE VAPORES, COIBINDO O

PERIGO DE FOGO, É:

*(d)

GUARDAR O COMBUSTÍVEL EM LUGAR TÃO FRIO QUANTO POSSÍVEL

261

- A MANUTENÇÃO QUE EVITA O APARECIMENTO DE DEFEITOS, ATRAVÉS DE INSPEÇÕES OU PREVISÕES PERIÓDICAS, INCLUINDO

TAREFAS DE LIMPEZA, LUBRIFICAÇÃO E PEQUENOS AJUSTES, É A DO TIPO *(b) PREVENTIVA

262

- TODA ÁREA DESTINADA SOMENTE A POUSO, DECOLAGEM E MOVIMENTAÇÃO DE AERONAVE É DENOMINADA:

*(d)

AERÓDROMO

263

- AO VOAR SOBRE UMA CAMADA INCLINADA DE NUVENS, UM PILOTO NIVELOU INSTINTIVAMENTE SEU AVIÃO COM A MESMA. ESTA

ATITUDE PODERÁ PROVOCAR UMA ILUSÃO DE:

*(b)

FALSA HORIZONTAL

264

- O SISTEMA QUE VISA A REGULARIDADE, SEGURANÇA E EFICIÊNCIA DO FLUXO DE TRÁFEGO NO ESPAÇO AÉREO, ABRANGENDO AS

ATIVIDADES REFERENTES ÀS TELECOMUNICAÇÕES AERONÁUTICAS E À INSPEÇÃO DE VÔO, DENTRE OUTRAS, É O SISTEMA DE:

*(b)

PROTEÇÃO AO VÔO

265

- EMITIR CERTIFICADOS DE MATRÍCULA, DE AERONAVEGABILIDADE E DE NACIONALIDADE DE AERONAVES SUJEITAS À LEGISLAÇÃO

BRASILEIRA É UMA DAS ATRIBUIÇÕES DO(A) *(b) RAB

266 - SEGUNDO O CBA, DURANTE A VIAGEM, NO QUE SE REFERE À TRIPULAÇÃO, O RESPONSÁVEL PELO LIMITES DA JORNADA DE

TRABALHO E INTERVALOS DE REPOUSO É O:

*(a) COMANDANTE

267 - NO BRASIL OS REQUISITOS PARA A CONCESSÃO DE LICENÇAS DE PILOTOS E DE INSTRUTORES DE VÔO ESTÃO, ESTABELECIDOS

NO(A):

*(c)

RBHA-61

268 - Ao trinômio "homem-meio-máquina" devem ser adicionados 2 elementos que complementam as áreas a serem avaliadas em prol da

Prevenção de Acidentes Aeronáuticos, que são:

*(b)

"missão" e "organização"

270

- A UNIFORMIDADE NOS PROCEDIMENTOS ADOTADOS PELOS ESTADOS CONTRATANTES DA OACI, TEM COMO OBJETIVO PRINCIPAL

*(b)

A FACILITAÇÃO E A MELHORIA DA NAVEGAÇÃO AÉREA INTERNACIONAL E DA SEGURANÇA DE VÔO

269

- O DOCUMENTO QUE SE BASEIA EM EXPERIÊNCIAS E CONHECIMENTOS, COM A INTENÇÃO DE IDENTIFICAR, DE FORMA ORGANIZADA,

AS AMEAÇAS QUE PÕEM EM RISCO A SEGURANÇA DE VÔO É O(A)

*(d)

PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS.

271

- DENTRE OS TIPOS DE OCORRÊNCIA ABAIXO, INDIQUE A QUE NÃO REQUER A INTENÇÃO DE VÔO.

*(b)

OCORRÊNCIA DE SOLO

272

- O DOCUMENTO QUE CONTÉM O RELATO DE FATOS PERIGOSOS OU POTENCIALMENTE PERIGOSOS PARA A SEGURANÇA DE VÔO,

DENOMINA-SE RELATÓRIO

*(b)

DE PERIGO

273

- PARA SER CARACTERIZADO UM ACIDENTE AERONÁUTICO, DEVE OCORRER PELO MENOS UMA DAS SITUAÇÕES ABAIXO:

*(c)

FALHA NO DESEMPENHO DA AERONAVE CAUSADO POR DANO ESTRUTURAL

274

- TODA OCORRÊNCIA, INCLUSIVE DE TRÁFEGO AÉREO, ASSOCIADA À OPERAÇÃO DE UMA AERONAVE, HAVENDO INTENÇÃO DE VÔO,

QUE NÃO CHEGUE A SE CARACTERIZAR COMO UM ACIDENTE, MAS QUE AFETE OU POSSA AFETAR A SEGURANÇA DA OPERAÇÃO É DEFINIÇÃO DE

*(d) INCIDENTE AERONÁUTICO.

275 - TODA OCORRÊNCIA RELACIONADA COM A OPERAÇÃO DE UMA AERONAVE, HAVIDA ENTRE O PERÍODO EM QUE UMA PESSOA NELA

EMBARCA COM A INTENÇÃO DE REALIZAR UM VÔO, ATÉ O MOMENTO EM QUE TODAS AS PESSOAS TENHAM DELA DESEMBARCADO E, DURANTE O QUAL QUALQUER PESSOA SOFRA LESÃO GRAVE COMO RESULTADO DE ESTAR NA AERONAVE É UMA DAS CARACTERÍSTICAS

DO(A) *(c) ACIDENTE AERONÁUTICO.

276

- DE ACORDO COM A FILOSOFIA DO SIPAER, O OBJETIVO FUNDAMENTAL DA INVESTIGAÇÃO DE ACIDENTES OU INCIDENTES É

*(b)

A PREVENÇÃO DE OCORRÊNCIAS FUTURAS.

277

- O PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS DEVE SER ELABORADO ANUALMENTE POR TODOS OS ELOS DA

AVIAÇÃO

*(c)

CIVIL E MILITAR.

278 - OTIMIZAR A PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS ATRAVÉS DE AÇÕES PROGRAMADAS, ADEQUANDO-AS ÀS CARACTERÍSTICAS DA MISSÃO E DA ORGANIZAÇÃO É UM DOS OBJETIVOS DO(A) *(d) PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS.

279 - AS ATIVIDADES EDUCATIVAS SÃO EVENTOS QUE OBJETIVAM OTIMIZAR A CONSCIÊNCIA DA COLETIVIDADE PARA A IMPORTÂNCIA DA

PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS E ENVOLVEM, DENTRE OUTROS,

*(c)

A IMPORTÂNCIA DO REPOUSO E ALIMENTAÇÃO ADEQUADOS.

280

- A PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS EVITA CUSTOS ADICIONAIS DESNECESSÁRIOS À OPERAÇÃO DAS EMPRESAS ATRAVÉS

DA PRESERVAÇÃO DOS RECURSOS

*(a)

HUMANOS E MATERIAIS.

281

- OS ELEMENTOS QUE CONSTITUEM A BASE E O OBJETO DE TODA A ATIVIDADE DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS SÃO

DEFINIDOS NO TRINÔMIO *(b) "HOMEM-MEIO-MÁQUINA".

282 - AS ATIVIDADES DA PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS DEVEM SER PLANEJADAS E EXECUTADAS COM BASE NOS PRINCÍPIOS

DO SIPAER, QUE SÃO NO TOTAL DE *(c) OITO.

283 - "OS COMANDANTES, DIRETORES E CHEFES SÃO OS PRINCIPAIS RESPONSÁVEIS PELAS MEDIDAS DE SEGURANÇA". ESTA AFIRMAÇÃO

FAZ PARTE DOS PRINCÍPIOS BÁSICOS DO *(d) SIPAER.

284

- A ATIVIDADE DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS SE APLICA A TODAS AS ORGANIZAÇÕES

*(c)

CIVIS E MILITARES.

285

- É NECESSÁRIA, EM PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS, A DISSEMINAÇÃO DE UMA REAL MENTALIDADE DE SEGURANÇA DE

VÔO, COM ESPECIAL ATENÇÃO PARA AS ÁREAS DE

*(d)

MOTIVAÇÃO, EDUCAÇÃO E SUPERVISÃO.

286

- AO ÓRGÃO CENTRAL DO SIPAER, QUE É O CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS (CENIPA),

COMPETE A

*(d)

BUSCA PERMANENTE DO DESENVOLVIMENTO E DA ATUALIZAÇÃO DE TÉCNICOS A SEREM ADOTADAS PELO SISTEMA.

287

- O ELEMENTO MAIS IMPREVISÍVEL E DE MAIOR IMPORTÂNCIA NO CONTEXTO DA PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS É O

*(b)

"HOMEM"

288

- UMA EMPRESA RESOLVE CRIAR UM PRÊMIO PARA O FUNCIONÁRIO QUE ELABORE O MELHOR ARTIGO SOBRE A PREVENÇÃO DE

ACIDENTES AERONÁUTICOS. NESTE CASO, ESSE EVENTO FAZ PARTE DE UMA ATIVIDADE

*(d) PROMOCIONAL.

289 - OS PROCEDIMENTOS EM CASO DE ACIDENTE (AUXÍLIO PARA AS OPERAÇÕES DE BUSCA E SALVAMENTO, ETC.) DESCRITOS EM UM

PPAA FAZEM PARTE DE UMA ATIVIDADE *(b) EDUCATIVA.

290

- CABE AO CENIPA, COMO ÓRGÃO CENTRAL DO SIPAER, A DECISÃO DE PROPOR AÇÕES

*(b)

CORRETIVAS OU RECOMENDAÇÕES DE SEGURANÇA DE VÔO.

291

- O CENIPA, DE ACORDO COM OS INTERESSES DO SIPAER, PODERÁ REALIZAR, EM QUALQUER ELO SISTÊMICO,

*(a)

VISTORIAS DE SEGURANÇA DE VÔO.

292

- O PPAA ABRANGE, EM SEU CONTEÚDO, EVENTOS QUE OBJETIVAM OTIMIZAR A CONSCIÊNCIA DA COLETIVIDADE PARA A

IMPORTÂNCIA DA PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS, QUE SÃO AS ATIVIDADES

*(c)

EDUCATIVAS E PROMOCIONAIS.

293

- UMA DAS FORMAS DE SE PARTICIPAR DA PREVENÇÃO É COMUNICAR QUALQUER ANORMALIDADE QUE POSSA VIR A PROVOCAR UM

ACIDENTE/INCIDENTE AERONÁUTICO. ESSA COMUNICAÇÃO DEVERÁ SER FEITA ATRAVÉS DE UM(A)

*(a)

RELATÓRIO DE PERIGO.

296

- O GRUPO QUE GERENCIA A SEGURANÇA DE VÔO NO AERÓDROMO OU NUMA ORGANIZAÇÃO É DENOMINADO

*(d)

COMISSÃO DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS.

297

- A FILOSOFIA DA PREVENÇÃO DE ACIDENTES, OU FILOSOFIA DO SIPAER, É CONSTITUÍDA POR UM CONJUNTO DE PRINCÍPIOS, DENTRE

ELES, PODE-SE CITAR:

*(c)

TODO ACIDENTE RESULTA DE UMA SEQUÊNCIA DE EVENTOS E NUNCA DE UMA CAUSA

298

- QUANTO À SEGURANÇA DE VÔO, A RESPONSABILIDADE DOS ESTADOS CONTRATANTES DA OACI, CONSISTE EM

*(d)

COLABORAR,A FIM DE ATINGIR A MAIOR UNIFORMIDADE POSSÍVEL EM SUAS REGULAMENTAÇÕES, NORMAS E PROCEDIMENTOS DE

ACORDO COM OS PADRÕES INTERNACIONAIS.

299

- QUANDO UMA AERONAVE É CONSIDERADA DESAPARECIDA, É CORRETO AFIRMAR QUE HOUVE UM(A)

*(c)

ACIDENTE AERONÁUTICO

300

- ÓRGÃO PERMANENTE DA OACI, RESPONSÁVEL PERANTE A ASSEMBLÉIA E COMPOSTO DE 33 MEMBROS ELEITOS PELA MESMA

ASSEMBLÉIA, DENOMINA-SE

*(a)

CONSELHO.

301 - AO DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO COMPETE, DENTRE OUTRAS ATRIBUIÇÕES, CONTROLAR AS ATIVIDADES

RELACIONADAS COM A(S)

*(c)

TELECOMUNICAÇÕES AERONÁUTICAS.

 

302

-

MANTER

E

ASSEGURAR

A

OPERACIONALIDADE

DOS

EQUIPAMENTOS

DE

ELETRÔNICA

E

PROTEÇÃO

AO

VÔO

SOB

SUA

RESPONSABILIDADE COMPETE AO:

 

*(b)

SRPV

303

-

AS

RESTRIÇÕES

OU

MODIFICAÇÕES

APRESENTADAS

POR

UM

ESTADO

CONTRATANTE

ÀS

NORMAS

E

PROCEDIMENTOS

INTERNACIONAIS RECEBEM O NOME DE

*(d)

DIFERENÇAS.

304

- A ANAC ATUA COMO AUTORIDADE DE AVIAÇÃO CIVIL E CABE À MESMA, A ADOÇÃO DE MEDIDAS NECESSÁRIAS PARA O

ATENDIMENTO DO INTERESSE PÚBLICO, DENTRE ELAS PODEMOS CITAR O(A)

*(d)

REGULAÇÃO E FISCALIZAÇÃO DOS SERVIÇOS AÉREOS, PRODUTOS E PROCESSOS AERONÁUTICOS.

305

- PROPOR A APROVAÇÃO E FISCALIZAR A CONSTRUÇÃO, A REFORMA, A MODERNIZAÇÃO E A AMPLIAÇÃO DE AERÓDROMOS E SUA

ABERTURA AO TRÁFEGO É FUNÇÃO DA SUPERINTENDÊNCIA DE

*(a)

SERVIÇOS AÉREOS.

306

- A OACI, A FIM DE FACILITAR A NAVEGAÇÃO AÉREA, ADOTA NORMAS E PROCESSOS INTERNACIONAIS RELATIVOS À

*(a)

MAPAS E CARTAS.

307

- O ÓRGÃO QUE TEM COMO MISSÃO A VIGILÂNCIA E O CONROLE DA CIRCULAÇÃO AÉREA GERAL, NA ÁREA SOB A SUA

RESPONSABILIDADE, É O

*(d) CINDACTA.

308

- O SISTEMA DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO BRASILEIRO TEM COMO ÓRGÃO CENTRAL O

*(c)

DECEA.

309

- A UNIDADE DA ANAC QUE TEM POR UMA DE SUAS FINALIDADES O ESTABELECIMENTO DE RELAÇÕES COM ENTIDADES E ÓRGÃOS

PÚBLICOS FEDERAIS, ESTADUAIS E MUNICIPAIS, NA SUA ÁREA DE JURISDIÇÃO É A

*(a)

GERÊNCIA REGIONAL.

310

- CABE À ANAC, REGULAR E FISCALIZAR AS ATIVIDADES DE

*(c)

AVIAÇÃO CIVIL E DE INFRA-ESTRUTURA AERONÁUTICA E AEROPORTUÁRIA.

311

- O INTERESSE PELO AVIÃO AUMENTOU MUITO APÓS O FIM DA PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL. NESSE CENÁRIO, ALGUNS ESTADOS

RESOLVERAM SE REUNIR EM CONVENÇÕES E CONFERÊNCIAS, DAS QUAIS PODEMOS CITAR AS CONVENÇÕES DE

*(a)

PARIS E VARSÓVIA.

312

- COMPETE AOS CENTROS INTEGRADOS DE DEFESA AÉREA E CONTROLE DO TRÁFEGO A VIGILÂNCIA E O CONTROLE DAS ATIVIDADES

RELACIONADAS COM A(S)

*(b)

CIRCULAÇÃO AÉREA GERAL.

313

- SE UM ESTADO CONTRATANTE ESTÁ IMPOSSIBILITADO DE CUMPRIR CERTAS NORMAS OU PROCESSOS INTERNACIONAIS OU ADOTAR

PRÁTICAS E REGULAMENTOS DIFERENTES DOS ESTABELECIDOS PELA OACI, DEVERÁ EFETUAR UM(A)

*(d)

NOTIFICAÇÃO DE DIFERENÇAS.

314

- O ANEXO À CONVENÇÃO DA OACI QUE TRATA DE LICENÇAS DE PESSOAL É O DE NÚMERO

*(a)

1.

Total de questões: 314

Interesses relacionados