Você está na página 1de 2

Romance

O Romance uma narrativa longa, porm mais curta que a novela, e caracteriza-se por conter: Enredo complexo. Um ou vrios conflitos das personagens. empo e espa!o ampliados. "rios personagens.

Envolve a narra!#o de um acontecimento fict$cio, porm veross$mil, ou se%a, coerente com o universo real em que se espel&a. '(orda os mais variados assuntos. 'ssim, podem ser &ist)ricos, psicol)gicos, experimentais, cient$ficos, policiais etc. *#o exemplos de romances: Iracema, de +os de 'lencar, Quincas Borba, de -ac&ado de 'ssis, O mulato, de 'lu$sio 'zevedo, Corpo vivo, de 'don$as .il&o etc. / ainda romances que s#o classificados como verdadeiras epopias em prosa. Entre eles est#o: Os sertes, de Euclides da 0un&a e Grande serto: veredas, de 1uimar#es Rosa.

2ovela
2arra!#o longa. 0om(ina a parte narrativa com a descritiva e os dilogos. 0ria um mundo fict$cio: Representa uma realidade imaginria, que sempre tem elementos do mundo real mas n#o prende-se a ele. 3 sempre muito su(%etiva, ou se%a, expressa direta ou indiretamente o posicionamento do autor diante do mundo. 4ossui um grande n5mero de personagens cu%as &ist)rias se entrela!am. /ist)rias simult6neas: mais de um conflito

0onto
7. 3 (reve e de narrativa simples. 8. 'presenta apenas uma clula dramtica, 9. 4oucos personagens, :. 0enrio limitado, espa!o restrito,

;.

<ntervalo de tempo curto,

=. >ilogos sugestivos que permitem mostrar os conflitos entre as personagens, ?. ' a!#o reduzida ao essencial, & um s) conflito, @. 2arrativa o(%etiva, por vezes, a descri!#o n#o aparece. *e o romance vida, o conto o caso, a anedota. alguns exemplos de contos clssicos: O alienista, de -ac&ado de 'ssis, Aplogo brasileiro sem vu de alegor a, de 'ntAnio de 'lc6ntara -ac&ado, O negrin!o do pastoreio, de +o#o *imBes Copes 2eto, O peru de "atal, de -rio de 'ndrade.

0rAnica
exto curto geralmente narrado em primeira pessoa. 3 primordialmente dirigida para pu(lica!#o no %ornal, acontecimentos dirios, cotidianos e por isso tem vida curta. trata de

4ode-se dizer que a crAnica intermediria entre um texto %ornal$stico e um literrio, pois a (ase do cronista s#o fatos recentes, atuais, mas, ap)s cercar-se desses acontecimentos dirios, o cronista d-l&es um toque pr)prio, incluindo em seu texto elementos como fic!#o, fantasia e criticismo, elementos que o texto essencialmente informativo n#o contm. 'presenta linguagem simples, espont6nea, situada entre a linguagem oral e a literria.