P. 1
Métodos e técnicas de solfejo

Métodos e técnicas de solfejo

|Views: 45|Likes:
Publicado porhenryprajat001

More info:

Published by: henryprajat001 on Nov 29, 2013
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/23/2014

pdf

text

original

Métodos e técnicas de solfejo

O canto coral, enquanto atividade educativa, configura-se como o espaço ideal para o desenvolvimento de habilidades, dentre as quais a aprendizagem do solfejo, uma atividade prática que, quando associado ao repertório coral, torna o ensaio mais eficaz, contribuindo para o processo de ensino-aprendizagem de conteúdos teóricos musicais. sta revis!o bibliográfica, publicada nos "nais do #$ ncontro %egional da "& ', tem como objetivo discutir os pressupostos metodológicos do ensaio coral, ( luz da educaç!o contempor)nea, contribuindo para o desenvolvimento desta prática pedagógico-musical, propondo estrat*gias dirigidas para a aprendizagem do solfejo e teoria musical, por meio da abordagem do repertório. " meta * descrever os principais sistemas e m*todos de solfejo, bem como compará-los, apresentando suas vantagens e desvantagens, reforçando a import)ncia do solfejo para o canto coletivo. +os m*todos de solfejo fi,o, as s-labas especificam o nome das notas, independente da funç!o que e,ercem. " notaç!o musical * a refer.ncia, e as notas s!o sempre designadas pelo mesmo nome. O solfejo por intervalos * uma boa estrat*gia para resolver problemas espec-ficos, como, por e,emplo, saltos intervalares muito grandes. /ma das limitaç0es do m*todo * o seu caráter fragmentário, visto que os intervalos s!o abordados de forma isolada, fora do conte,to melódico, r-tmico e harm1nico no qual se inserem. O solfejo por números pode gerar certa confus!o conceitual, já que os números s!o usados para definir altura e duraç!o. 2e, por um lado, o uso do m*todo móvel mostra-se eficiente porque permite que o cantor solfeje, em qualquer tom e modo, em pouco tempo, por outro, ele tamb*m apresenta certas restriç0es. /ma delas diz respeito ao repertório, pois o m*todo funciona muito bem com música tonal e modal, que n!o apresenta passagens cromáticas e mudanças de tom e modo. " adequaç!o das s-labas ao novo conte,to harm1nio e melódico pode comprometer o n-vel de aproveitamento do ensaio. Os m*todos móveis tamb*m podem ser um problema para músicos que tocam com instrumentos que n!o s!o transpositores. 3á alguns anos, %icardo 4reire apresentou o 2istema 4i,o-"mpliado, elaborado a partir da análise dos elementos de interfer.ncia identificados em vários sistemas de solfejo, tanto fi,os quanto móveis, propondo uma s-ntese entre os focos de aprendizagem de cada um deles. "s propostas apresentadas servem como refer.ncia para a elaboraç!o de uma rotina de trabalho que contemple a prática do solfejo e da leitura ( primeira vista no ensaio coral. sta inclus!o contribuirá para a melhoria do ensaio coral e isto só pode ser feito por meio de uma aç!o programada, utilizando as diferentes metodologias, transformando cada ensaio num momento de construç!o de saberes por meio de uma prá,is criteriosa e sistemática. 5ladimir 2ilva 6silvladimir7gmail.com8

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->