Robinson Crusoe – Guião de leitura

Páginas 5 a 14
o Quando surgir a primeira oportunidade de Robinson viajar por mar? A primeira oportunidade de Robinson viajar por mar surgiu quando visitou Hull, uma grande cidade no Norte de Inglaterra à beira-mar, para se despedir de um amigo que ia para Londres. (p.6) o Como terminou a primeira viagem? Que fez? O navio afunda-se e seguiu para Londres por terra. o Por que razão não voltou para casa? Robinson não voltou para casa porque “(…) se agora voltasse a casa, todos ririam à sua custa.”. o Qual foi o motivo que levou Robinson à sua segunda viagem a África? Partiu numa segunda viagem a África para fazer fortuna visto que na primeira viagem conseguiu uma boa quantia de pó de ouro em troca de algumas contas e quinquilharias. o De que modo viveu Robinson nos dois anos seguintes? Durante a segunda viagem a África é feito prisioneiro por um navio pirata. Durante os dois anos seguintes vive como criado do capitão do navio pirata. Ao largo de Cabo Verde encontraram um navio português. Como é que os Portugueses ajudaram Robinson? Para onde se dirigiu? Os Portugueses recolheram Robinson e Xury a bordo, depois compraram tudo o que tinha consigo – o barco, as espingardas e até o próprio Xury (escravo negro). Dirigiu-se para o Brasil e com o dinheiro que recebeu comprou uma fazenda e plantou açúcar e tabaco. o

Páginas 17 a 26
Qual o objetivo que permitiu a Robinson preparar uma grande vara para se defender na primeira noite? Robinson cortou uma vara, com a faca que ainda tinha na algibeira, para se defender, durante a primeira noite, dos animais ferozes que o poderiam atacar. o o Onde dormiu nessa noite? Na primeira noite dormiu numa árvore de espessa folhagem. o Como conseguiu trepara para bordo do navio naufragado? Depois de nadar algumas vezes em volta do navio, descobriu uma corda pendurada na proa e subiu a bordo. o O que comeu e bebeu logo que entrou no navio? Logo que entrou no navio comeu uns biscoitos e bebeu um largo trago de aguardente. o De tudo o que retirou do navio, o que lhe veio a ser mais útil? De tudo o que tirou do navio foi a caixa de ferramentas do carpinteiro que lhe foi mais útil. o Que armas levou ele do navio? Do navio trouxe: espingardas, pistolas, pólvora, balas e dois sabres ferrugentos.

Page 1 of 3

Robinson Crusoe – Guião de leitura
Páginas 39 a 44
Como é que Robinson ocupou o tempo durante os cinco anos que se seguiram ao abandono do primeiro navio? Nos 5 anos seguintes ao abandono do primeiro barco, Robinson ocupou-se com a sementeira, colheita das suas novidades e com a secagem das passas. Fez ainda vestuário com a pele dos animais que matara. o o Explica por que razão Robinson obteve melhores resultados com a segunda canoa. Na construção da segunda canoa Robinson decidiu construir uma embarcação mais pequena que utilizou unicamente para percorrer a costa da ilha. Fixou-lhe um pequeno mastro, com bocados de vela do velho navio construiu uma vela e usava um remo para governar bem o barco. Instalou ainda o chapéu de sol que tinha feito com peles de animais. o Quanto tempo gastou na construção da segunda canoa? Demorou dois anos a construir a segunda canoa.

Páginas 45 a 53
Robinson encontrou uma pegada. De que maneira aquela pegada influenciou o seu comportamento? Robinson ficou aterrorizado e estava em constantes sobressaltos. “Nessa noite não dormiu nada, tendo os nervos tão abalados que um grito de uma ave noturna ou até os ruídos produzidos por um insecto ou uma rã o faziam estremecer de medo, e lhe cobriam a testa de suores.” (p.46) Passados alguns dias, e visto que nada aconteceu, Robinson voltou ao seu ritmo habitual, mas reforçou a estacada que rodeava a sua casa, carregou mosquetes, plantou novas estacas que em pouco tempo se transformaram numa mata de arbustos que escondia qualquer sinal da sua habitação. o o Anos depois, Robinson fez uma descoberta que o horrorizou. Que descoberta foi essa? Após alguns anos Robinson descobriu crânios, ossos humanos e pedaços de carne queimada dispersos perto de uma grande fogueira. Tinha descoberto o local onde os canibais matavam e comiam as suas vítimas. o Refere dois projetos que ele fez para pôr em prática quando os canibais aparecessem. 1. Primeiro pensou em colocar pólvora sob o sítio onde fosse provável fazerem a fogueira. (não lhe pareceu ser boa solução pois não queria desperdiçar a pólvora que tinha) 2. Procurou um lugar onde se esconder, perto das ossadas. Decidiu esconder-se e esperar ver os selvagens para poder disparar assim que os visse. Este parecia o plano perfeito e durante algum tempo percorria todos os dias as 3 milhas até ao seu esconderijo e observar através do seu óculo eventuais canoas que pudessem ter as vítimas dos canibais.

Páginas 63 a 75
o Qual foi a tensão sentida por Robinson logo que o fez o tempo voltou a estar a calmo. Assim que o tempo voltou a estar calmo, Robinson aventurou-se ao navio naufragado. Contudo, assim que chegou perto do banco da areia e perante a força da corrente da água decidiu voltar para trás. No dia seguinte decide arriscar depois de ter observado as correntes e as marés do alto de um penhasco.
Page 2 of 3

Robinson Crusoe – Guião de leitura
o Além dos dois baús, o que levou para dentro do bote? Para além dos 2 baús, também levou para dentro de um bote um barril pequeno de licor, um polvorinho cheio de pólvora, uma pá de fogão e tenazes, duas caldeirinhas, uma panela de cobre e uma grelha. Já em terra repara que nos baús havia: camisas de linho, lenços, gravatas de cor, potes de doces, uma caixa de garrafas de licores, 3 grandes sacos com objetos de oiro, dobrões e barras de oiro. (mas o ouro não tinha utilidade nenhuma na ilha) o O que arrecadou Robinson na caverna? Decidiu armazenar na caverna pólvora, mosquetes, espingardas e chumbo para fabricar os cartuchos. (p. 57 -58) o Que decisão tomou para arranjar um criado? Robinson concluiu que a única forma de alguma vez sair daquela ilha seria salvar um prisioneiro dos canibais para que o pudesse ajudar

Páginas 77 a 86
o Nome dado ao indígena. Robinson começava a chamar o homem de Sexta-feira, pois “(fora o dia da semana em que Robinson o salvara de uma morte horrível)” (p.77) o Forma como andavam os habitantes daquelas regiões quentes. “(…) naquelas regiões quentes do globo os indígenas não usam fato, andando sempre mais ou menos nus.”. Quando chove cobrem o corpo com óleo de coco e a chuva corre pelo corpo sem os esfriar. Fazem tangas de folhas de bananeira e, como ornamento, usam flores vermelhas atrás das orelhas ou penduram-nas à roda do pescoço. o Hábitos de agir peculiar dos indígenas daquelas regiões. Os indígenas daquelas regiões não comiam sal e sempre que necessitavam bebiam água do mar. Por esse motivo preferiam comer carne humana das gentes das tribos inimigas do que carne de pessoas brancas. Consideravam a carne dos indígenas mais doce do que a dos brancos, que consideravam salgada. Contudo, apenas comiam aqueles capturados durante a guerra e nunca pessoa que poderiam salvar do mar. - Esfregavam o nariz uns dos outros em vez de se beijarem (p.95) o Objeto que atingiu Sexta-feira. (??????)

Páginas 89 a 112
o Que acontece dentro veio até projetos de Robinson? (?????????) o Dos homens que chegaram à ilha, três tinham sido prisioneiros dos restantes. Porquê? Os prisioneiros eram o capitão, o piloto e um passageiro que tinham sido feitos prisioneiros depois dos restantes marinheiros terem feito um motim. Foram a terra para lá os abandonarem à morte. o Qual combinação que Robinson e o capitão fizeram. Assim que tomasse o navio, o capitão disparou 7 tiros, pois fora o sinal que combinou com Robinson.
Page 3 of 3

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful