Você está na página 1de 2

Bom dia Mari, Estou bastante preocupado com relao ao trfego de veculos e pedestres na entrada e sada da empresa.

Como j previmos em outra conversa, ficaria bastante conturbado e no teramos estrutura para tal situao. Nesta uarta feira !"#!!#$%!% fi& alguns registros fotogrficos, e presenciei em menos de "% minutos, situa'es bastante complicadas em relao a passagem de pedestres, ciclistas, moto ueiros, m uinas, carros e camin('es, disputando um lugar em menos de " metros de pista. ) ue * mais preocupante * ue na medida ue a obra avana, os problemas tendem a aumentar e causar mais transtornos. +ntes j tn(amos, sem este problema, registros de funcionrios acidentados na estrada de acesso, agora ficamos mais vulnerveis ainda. ,esta contar com a sorte e torcer muito para no acontecer o pior. -eja as .otos.

/ugesto de Mel(oria0 Considerando ue temos disponvel um espao ue no vem sendo utili&ado, ue corresponde 1 calada 1 es uerda da estrada. 2oderamos otimi&ar este espao e demarcar para ue os pedestres e ciclistas possam passar. 3uando falo em otimi&ar, uero di&er, dei45lo livre de obstculos , e ao menos, fa&er um piso com cimento bruto, ou acrescentar lajotas, bem colocadas, e retirar a diferena de nvel da calada e da rua para evitar uedas. E4igir ue os funcionrios desam da bicicleta para ir at* a sada da empresa ou vice5 versa. /ei ue estamos em momento de conteno de gastos e isso seria um acr*scimo nas despesas. Mas poderemos evitar outras despesas ue podem ser geradas por um eventual acidente, sem contar com o desconforto junto aos colaboradores.

6esmanc(ar a diferena de nvel7 +umentar o espao da calada7 ,evitali&ar o acesso o espao, com novas lajotas ou cimento bruto.