Você está na página 1de 16

Centro Universitário Augusto Motta – Unisuam

Curso: Licenciatura Plena em Ciências Biológicas


Turno: Noite
Matéria: Biogeografia
Docente: Otavio Miguez

Trabalho sobre o Bioma Desértico do Saara

ALUNOS: Reinaldo Ribeiro Júnior

Trabalho apresentado para


avaliação na disciplina de
Biogeografia, do curso de
Licenciatura Plena em Ciências
Biológicas, turno noturno, do
Centro Universitário Augusto Motta
ministrado pelo professor Otavio
Miguez.

03 de Junho de 2009
Centro Universitário Augusto Motta – Unisuam
Curso: Licenciatura Plena em Ciências Biológicas
Turno: Noite
Matéria: Biogeografia
Docente: Otavio Miguez

Tema:
O Bioma Desértico do Saara

Aluno: Reinaldo Ribeiro Júnior

03 de Junho de 2009
SUMÁRIO

INTRODUÇÃO ............................................................................................................4

INFORMAÇÕES TÉCNICAS SOBRE O DESERTO DO SAARA .................................................5

Conhecendo o Saara.................................................................................................6

GEOLOGIA DA REGIÃO ...................................................................................................6

A Fauna do Deserto do Saara ................................................................................11

A Flora do Deserto do Saara ..................................................................................11

Conhecendo o Saara...............................................................................................10

O Rio Nilo .................................................................................................................12

OS OÁSIS DO DESERTO ...............................................................................................13

Outros Desertos ......................................................................................................13

Desertos Quentes....................................................................................................15

Desertos Frios .........................................................................................................15

Bibliografia ..............................................................................................................16
Introdução

Trabalho elaborado com a intenção de esclarecer o funcionamento geral do Bioma

Desértico e o deserto escolhido foi o Saara localizado ao norte da áfrica. E

comentando sobre o Bioma Desértico de outras regiões do mundo.


Informações Técnicas Sobre o Deserto do Saara:

O Deserto do Saara é o maior deserto quente do mundo .

Sua superfície é de 9.065.000 km².

O Ar possui uma grande falta de umidade.

E ela está localizado no norte do continente africano, separando em duas regiões:

a África mediterrânea, situada ao norte e a África sub-saariana, localizada ao sul.

este faz fronteira com o Mar Vermelho, ao oeste com o Oceano Atlântico e ao

norte com as montanhas Atlas e o mar mediterrâneo.

O deserto tem mais de 2,5 milhões de anos.

e se estende pelo território dos seguintes países: Tunísia, Argélia, Marrocos,

Saara Ocidental, Mauritânia, Mali, Nigéria, Líbia, Chade, Egito e Sudão.

O deserto do Saara se expande e contrai em ciclos regulares, de tal maneira que

suas fronteiras com tais países são pouco constantes.


Os desertos apresentam localização muito variada e se caracterizam por

apresentar vegetação muito esparsa.

Conhecendo o Saara

A palavra Saara deriva da palavra “tenere” que na língua tuaregue significa

deserto, o Saara está, quase por inteiro, numa região de planalto (em média 300

metros de altitude) com presença de cadeias montanhosas encontramos algumas

regiões com rochas, porém grande parte do Saara é composta por areia. As

dunas do deserto são formadas pelas perigosas tempestades de areia. Existem

também os oásis, pequenas áreas com presença de água e vegetação.

As chuvas são extremamente raras e as temperaturas podem chegar a 50º C

durante o dia e –5º C à noite. estas condições climáticas e geográficas é

praticamente impossível viver no Saara. Poucos povos, entre eles os tuaregues e

os beduínos, habitam esta região.

O deserto faz fronteira com quase todos os países do norte da África, onde

predomina a cultura árabe. As dunas começam perto do Alto Atlas e se estendem

até zonas mais tropicais mais ao sul. No Alto Atlas, só existe vegetação (de verde

intenso que contrasta com a areia em volta) próxima aos cursos dos pobres rios

da região. Nos oásis abundam as palmeiras de tâmaras e a água destes é, em

certas ocasiões, canalizada para garantir a irrigação das plantações. Muitas vezes

a água consumida nesta localidade vem de aqüíferos aos quais se tem acesso

através de poços.
Neste deserto há várias regiões ecológicas que, devido a suas diferenças de

temperatura, precipitações, altitude e geologia, abrigam plantas e animais

diferentes.

Em grande parte, o Saara é um enorme depósito de areia e pedras, cujo subsolo

é rico em ferro, petróleo, gás natural e fosfato, fósseis de dinossauros foram

também encontrados. A origem desse deserto é explicada pelo fato de que ao

longo do trópico de Câncer, que corta o Saara, existe uma zona de permanente

alta pressão atmosférica. Esse fato da origem à dispersão de ventos, em vez de

atraí-los.

Geologia da Região:

O solo é muito árido

Três quartos do deserto são constituídos de cascalho, O restante é feito de areia e

dunas.

Pluviosidade baixa e irregular, abaixo de 250 mm de água anuais.

Durante o dia a temperatura é alta, mas à noite ocorre perda rápida de calor, que

se irradia para a atmosfera e a temperatura torna-se excessivamente baixa.


Fauna:

A fauna é basicamente formada por animais que conseguem reter muita água no

seu organismo ou animais que se alimentam do liquido corpóreo das suas caças

Dentre os poucos animais que habitam a região podemos citar:

Camelos; Dromedários:

Escorpiões
Aranhas
Serpentes A Raposa Feneco

Antílopes Roedores

Os consumidores são predominantemente roedores, obtendo água do próprio

alimento que ingerem ou do orvalho. No hemisfério norte é muito comum

encontrarem-se, nos desertos, arbustos distribuídos uniformemente, como se

tivessem sido plantados em espaços regulares. Este fato explica-se como um

caso de amensalismo, isto é, os vegetais produzem substâncias que eliminam

outros indivíduos que crescem ao seu redor.


No leito do Rio Nilo, é encontrado os

Crocodilos.

A Flora:

As plantas que se adaptam ao deserto geralmente apresentam um ciclo de vida

curto. Durante o período favorável (chuvoso) germinam as sementes, crescem,

florescem, frutificam, dispersam as sementes e morrem.

As plantas perenes como os cactos apresentam sistemas radiculares superficiais

que cobrem grandes áreas. Estas raízes estão adaptadas para absorver as águas

das chuvas passageiras.

O armazenamento de água é muito


Tamareiras
grande (parênquimas aqüíferos). As

folhas são transformadas em espinhos

e o caule passa a realizar

fotossíntese.

A Arvore Predominante do Deserto do Saara é a tamareira.


Deserto: bioma cujas espécies vegetais estão adaptadas à escassez de água,

situação típica dos climas polares, áridos e semi-áridos. Em regiões de climas

áridos e semi-áridos desenvolvem. Se os desertos quentes, cujas espécies são

xerófilas, destacando-se as cactáceas. Algumas dessas plantas são suculentas,

armazenando água no caule, não possuem folhas ou elas evoluíram para

espinhos dificultando a perda de água pela evapotranspiração.

Hoodia gordonii
(Cacto)*

* A Hoodia gordonii é comum nos desertos Africanos, e recentemente é utilizado

como medicamento para o emagrecimento.


O Rio Nilo

O Rio Nilo é o maior rio do mundo, ele corta o deserto do Saara e a peça

fundamental para a existência

de algumas espécies na

região.

Seu solo é muito fértil, devido

à lixiviação os leitos dos rios

são muito férteis.

O Rio Nilo não seca porque

suas nascentes estão bem

longe do deserto. Não só as

nascentes, mas seu curso

atravessa outras regiões

chuvosas.
Oásis

Os oásis são ilhas de

povoamento Vegetal que

se formam junto a uma

fonte natural de água em

pleno deserto. O liquido

mais preciso das regiões

áridas aflui à superfície a

partir dos lençóis

freáticos originados da água das chuvas que penetrou nas camadas rochosas

permeáveis, acumulando-se ao encontrar uma camada impermeável.

Outros Desertos:

Deserto Saara (África O lugar mais quente do


9 000 000
planeta)

Deserto da Arábia (África) 1 300 000

Deserto de Gobi (Ásia) 1 125 000

Deserto do Kalahari (África) 580 000

Deserto de areia (Austrália) 414 000

Deserto Karakoum (Ásia) 350 000

DesertoTaklamakan shamo (Ásia) 344 000

Deserto do Namibe (África) 310 000

Deserto Thar (Ásia) 260 000


Deserto da Líbia

Deserto Arábico

Deserto de Atacama no Chile (América do Sul)

Deserto Mojave, Chi (América do Norte)

Deserto Sonora (América do Norte)

Deserto Chi (América do Norte)

Deserto da Mongólia; Taklamakan (na China)

Deserto de Kara Kum na Ásia Central.

DesertoKyzyl Kum no Casaquistão e Uzbequistão

Negev no sul de Israel

Deserto da Judéia, a leste de Israel e da

Palestina

Desertos da Austrália

Os desertos cobrem cerca de 31 milhões de km2

da superfície terrestre. a maior parte dessa área

está compreendida na região do Saara e cerca

de 2,6 milhões de km2 se acham no deserto do

centro da Austrália, que é menos conhecido,

porém maior que o deserto arábico.


Desertos quentes – Caracterizam-se pelos contrastes térmicos entre o dia,

extremamente quente, com temperatura que pode atingir mais de 50°C, e a noite,

bastante fria em virtude da baixa umidade relativa do ar e da irradiação do calor

para a atmosfera.

A maior parte dos desertos quentes do mundo, como o Saara e o Kalahari, no

sudoeste da África, concentra-se ao longo dos trópicos de Câncer, no hemisfério

norte, e de Capricórnio, no hemisfério sul. Essas regiões são propícias à aridez

porque se localizam em zonas de alta pressão, onde o ar permanentemente seco

impede a ocorrência de chuva. Já os desertos costeiros, como o da Namíbia, no

sudoeste da África, e o Atacama, no norte do Chile, se originam da presença de

correntes oceânicas frias, que inibem as precipitações. O Atacama é o recordista

mundial em aridez: durante 45 anos, entre 1919 e 1964, não recebeu uma gota de

chuva. Há também desertos próximos das cadeias montanhosas, que retêm a

umidade, impedindo as precipitações. Um exemplo é o deserto da Grande Bacia,

no sudoeste dos EUA.

Desertos frios – Apresentam temperatura média anual inferior a 18°C. Resultam

dos mesmos fatores que originam os desertos quentes, mas são frios porque se

localizam em regiões de média latitude (entre 40°C e 60°C). A aridez da Patagônia

(sul da Argentina) e do deserto de Gobi, por exemplo, decorre da existência de

cordilheiras. No caso de Gobi, a continentaliedade, ou seja, à distância dos

oceanos, também contribui para a falta de chuva.


Bibliografia

Info Escola

http://www.infoescola.com/geografia/deserto-do-saara/

Ache Tudo e Região.

http://www.achetudoeregiao.com.br/ANIMAIS/desertos.htm

Sua Pesquisa

http://www.suapesquisa.com/geografia/deserto_saara.htm