Você está na página 1de 1

Quem sou eu?

A decifrao do enigma do ser

Poeta plural
(encontra a sua unidade na diversidade/pluralidade de seres) conduz

Heternimos

dor de pensar. ao autoquestionamento para satisfazer uma razo exigente. Toda a sua obra exprime a interrogao ou as respostas possveis para essa interrogao, ou a melancolia de saber que no h resposta. d origem

a uma poesia de carter reflexivo, porque procura incessantemente uma resposta para um mistrio indecifrvel.

Fragmentao do eu
(identidade perdida)

conduz

obsesso da anlise angstia existencial ao desalento inquietao ao tdio

superando

por uma fuga realidade refugiando-se no sonho pela recordao de infncia pela inconscincia/conscincia (ex.: ceifeira)