Você está na página 1de 10

Sociedade secreta

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

(Redirecionado de Sociedades secretas)


Ir para: navegação, pesquisa

Sociedades secretas são grupos de pessoas que se reúnem em segredo com um propósito em
comum. Visam objetivos secretos que vão desde o combate a tirania ou desenvolvimento de
valores éticos e morais. São perseguidas e difamadas pelo seu empenho no combate a corrupção
e aos valores imorais da sociedade. Geralmente combatem a exploração política e religiosa,
tornando-se por isso vítimas da calúnia. Seus membros nem sempre são anônimos.

Índice
[mostrar]

[editar] Clubes primitivos e sociedades secretas da Pré-


História
[editar] Auto-seleção - o Princípio

As associações em segredo começaram, nos primeiros tempos, com a consangüinidade, esta


determinou os primeiros grupos sociais; os clãs de parentescos aumentaram por associação. Os
casamentos inter tribais foram o próximo passo para a amplificação dos grupos, e a tribo
complexa resultante foi o primeiro verdadeiro corpo político. O próximo avanço, no
desenvolvimento social, foi a evolução dos cultos religiosos e dos clubes políticos. Estes,
inicialmente, surgiram como sociedades secretas, e originalmente, eram integralmente
religiosos; posteriormente, eles tornaram-se reguladores. A princípio, eles eram clubes de
homens; mais tarde, grupos femininos apareceram. E, em breve, eles dividiram-se em duas
classes: a político-social e a místico-religiosa.

[editar] Motivos para o secretismo

Havia muitas razões para que essas primeiras sociedades fossem secretas, tais como:

• O medo de cair no desagrado dos governantes, por causa da violação de algum tabu.
• A finalidade de praticarem ritos religiosos minoritários.
• O propósito de preservar valiosos segredos do “espírito” ou do comércio.
• O desfrute de algum talismã ou magia especial.

O fato em si, de serem secretas essas sociedades, conferia a todos os seus membros o poder do
mistério sobre o resto da tribo. Os iniciados eram a aristocracia social da sua época. Depois da
iniciação, os meninos caçavam com os homens; enquanto antes eles colhiam plantas com as
mulheres. E era a humilhação suprema, uma desgraça tribal, fracassar nas provas da puberdade
e, assim, ser obrigado a permanecer fora da morada dos homens, ficando com as mulheres e as
crianças, e ser considerado afeminado. Além disso, aos não iniciados não era permitido casar.

[editar] Controle Sexual

Os povos primitivos ensinavam muito cedo aos seus adolescentes o controle sexual. Tornou-se
costume levar os meninos para longe dos pais, desde a puberdade até o casamento; a educação e
o aperfeiçoamento deles eram confiados às sociedades secretas dos homens. E uma das funções
primordiais desses clubes era manter o controle dos jovens adolescentes, impedindo, assim,
filhos ilegítimos.

A prostituição comercializada começou quando esses clubes de homens pagavam dinheiro pelo
uso de mulheres de outras tribos. Contudo, os grupos mais antigos eram notavelmente isentos de
licenciosidades sexuais.

A cerimónia de iniciação, na puberdade, em geral durava um período de cinco anos. Muita auto-
tortura e incisões dolorosas faziam parte dessas cerimónias. A circuncisão foi praticada,
inicialmente, como um rito de iniciação de uma dessas fraternidades secretas. As marcas tribais
eram feitas no corpo como uma parte da iniciação da puberdade; a tatuagem teve a sua origem
com essas insígnias de membro da sociedade. Essas torturas, junto com muita privação, tinham o
intuito de endurecer esses jovens, de impressioná-los com a realidade da vida e das suas
inevitáveis dificuldades. Esse propósito foi mais bem alcançado com os jogos atléticos e as
disputas físicas que surgiram posteriormente.

[editar] A moral e disciplina

No entanto, as sociedades secretas de fato visavam o aperfeiçoamento da moral do adolescente;


um dos propósitos principais das cerimónias da puberdade era fazer os rapazes compreenderem
que eles deviam deixar as mulheres dos outros homens em paz.

Seguindo esses anos de disciplina rigorosa e aperfeiçoamento, um pouco antes do casamento, os


rapazes em geral eram libertados por um curto período de lazer e liberdade, depois do que
voltavam para casar e aceitar toda uma vida de sujeição aos tabus tribais. E esse rito antigo
continuou até os tempos modernos, sob a tola desculpa de uma despedida das “loucuras da
juventude”.

[editar] Primeiras sociedades femininas

Muitas tribos posteriores aprovaram a formação de clubes secretos femininos, e o propósito


deles era preparar as adolescentes para serem esposas e para a maternidade. Depois da iniciação,
as meninas tornavam-se aptas para o casamento e lhes era permitido comparecer à “festa das
noivas”, a festa das debutantes daqueles dias. Os grupos femininos contra o casamento logo
passaram a existir.

Em breve, os clubes não secretos apareceram, quando grupos de homens solteiros e de mulheres
celibatárias formaram as suas organizações separadas. Essas associações realmente foram as
primeiras escolas. E, conquanto os clubes de homens e de mulheres fossem frequentemente
dados a perseguir-se uns aos outros, algumas tribos avançadas, depois do contato com os
instrutores de mais experientes, experimentaram a educação mista, tendo escolas para ambos os
sexos.

[editar] Fomento da evolução social

As sociedades secretas contribuíram para a instauração das castas sociais, principalmente por
causa do carácter misterioso das suas iniciações. Os membros dessas sociedades usavam
máscaras, inicialmente, para afastar os curiosos dos seus rituais de luto – o culto dos ancestrais.
Mais tarde, esse ritual transformou-se em pseudo-sessões espíritas, nas quais, segundo se dizia,
apareciam fantasmas. As antigas sociedades de “renascimento” usavam emblemas e
empregavam uma linguagem secreta especial; e também renegavam certas comidas e bebidas.
Atuavam como uma polícia noturna e, assim funcionavam numa ampla gama de atividades
sociais.

[editar] Juramento e rituais de iniciação

Todas as associações secretas impunham um juramento, o guardar do silêncio, e ensinavam a


guardar os segredos. Essas ordens impressionavam e controlavam as multidões; e também
atuavam como sociedades de vigilância, praticando, assim, a lei do linchamento. Elas foram os
primeiros espiões, quando as tribos estavam em guerra, e a primeira polícia secreta, durante os
tempos de paz. E, melhor ainda, mantinham os reis inescrupulosos em estado de insegurança.
Para contrabalançar, os reis criaram a sua própria milícia secreta.

[editar] Evolução e início dos partidos políticos

Essas sociedades deram nascimento aos primeiros partidos políticos. O primeiro governo
partidário foi “o forte” versus “o fraco”. Nos tempos antigos, uma mudança na administração só
ocorria depois de uma guerra civil, dando, assim, prova abundante de que os fracos se haviam
transformado em fortes.

Esses clubes eram utilizados pelos mercadores para cobrar os seus débitos, e pelos governantes,
para coletar os impostos. A tributação tem sido uma longa luta, uma das suas primeiras formas
foi o dízimo, um décimo da caçada, ou dos espólios. As taxas, originalmente, eram cobradas
para manter a casa do rei, mas concluiu-se que eram mais fáceis de ser colectadas se disfarçadas
em oferendas para sustentar o serviço do templo.

[editar] Evolução para organizações de caridade e religiões

Pouco a pouco, essas associações secretas transformaram-se nas primeiras organizações de


caridade e, posteriormente, nas primeiras sociedades religiosas – as precursoras das igrejas.
Finalmente, algumas dessas sociedades tornaram-se inter-tribais, formando as primeiras
fraternidades internacionais.

[editar] Sociedades secretas e semi-secretas mais conhecidas


• Maçonaria - Originária de uma ordem secreta, face a sua existência numa constituição e
por questões que envolvem a ilegalidade, compreende-se que a Maçonaria é apenas uma
associação sem fins lucrativos com alvará de funcionamento e devidamente reconhecida
pela sociedade.

• Ordem DeMolay - A Ordem DeMolay é uma fraternidade para garotos entre 12 e 21


anos. Estabelece aos jovens a prática de moral pessoal, em torno dos elevados ideais
típicos das Sete Virtudes Cardeais da Coroa da Juventude. São elas:
o Amor Filial: O amor entre pais e filhos;
o Reverência pelas Coisa Sagradas: O respeito pelo que é sagrado. Principalmente
o amor que temos pelo nosso Pai Celestial;
o Cortesia: O que ilumina a nossa vida. A nossa Educação;
o Companheirismo: O amor que temos por nossos irmãos e amigos, que mantêm
vivos os ideais de nossa Ordem;
o Fidelidade: Cumprir, conscientemente seus compromissos junto a seus ideais, a
seus irmãos e amigos e ao Pai Celestial;
o Pureza: De pensamentos, palavra e ações;
o Patriotismo: Amor e respeito por sua pátria, seu povo, suas origens. É a busca de
ser sempre um bom cidadão, respeitando as leis de seu País.

São reconhecidas apenas como associações devidamente registradas e reconhecidas pelas


autoridades de cada país.

Porém ambas possuem reuniões regidas por rituais secretos. Apesar de serem conhecidas por
praticarem a formação do caráter de seus membros, seus rituais e sua filosofia são restritas,
presando pela tradição de séculos. Os modos de reconhecimento são revelados apenas para os
membros iniciados, como: palavras, gestos, apertos de mão, imagens, anagramas e códigos.
Comumente ouve-se falar de algum meio de reconhecimento usado pelos membros, mas a
quantidade deles listada leva a crêr que eles são alterados de tempo em tempo.

• AMORC - A Antiga e Mística Ordem Rosacruz (AMORC) é uma fraternidade


formada por homens e mulheres, sem distinção de crença ou etnia, não religiosa, não
dogmática, apartidária, que tem como objetivo o estudo das leis místicas universais, para
o aperfeiçoamento da humanidade e de cada indivíduo. Fundada nos EUA, em 1915, por
Harvey Spencer Lewis, ela também é conhecida por seu nome em Latim, Antiquus
Mysticusque Ordo Rosæ Crucis. A AMORC é a maior fraternidade rosacruz existente,
em número de membros e de países em que possui membros ativos. Esta denominação é
a simplificação de Antiga e Arcana Ordem da Rosa Vermelha e da Cruz Dourada.

• Illuminati - Sociedade secreta fundada para combater a tirania. Influiu de modo decisivo
nas revoluções francesa e russa.[carece de fontes?] A maçonaria, para sobreviver no pós
revolução francesa, obrigou-se a adotar seus princípios iluministas.[carece de fontes?]

• S.S.C - Sociedade secreta usada em algumas situações por cristãos que de certo modo
dariam suas vidas para que a Igreja triunfasse. Atualmente se envolveram em questões
políticas e sociais e não ganhou o apoio do Vaticano. A questão política abordada aqui se
diz respeito à eleição francesa apoiando a candidata Ségolène Royal.
• Ku Klux Klan - organização que apoiava e fomentava o racismo, o apartheid e a
abolição dos direitos da população negra, utilizando métodos pouco ortodoxos para
dispersar protestos de direitos humanos.

Illuminati
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Ir para: navegação, pesquisa


Para outros usos deste termo, veja Illuminati (desambiguação).

Illuminati, no latim arcaico Illvminati, plural do latim Illuminatus (aquele que é iluminado), é o
nome dado a diversos grupos, alguns históricos outros modernos, poucos verdadeiros e muitos
fictícios. Mais comumente, contudo, o termo Illuminati tem sido empregado especificamente
para referir-se aos Illuminati da Baviera. Usos alegados e fictícios do termo referem-se a uma
organização conspiracional que controlaria os assuntos mundiais secretamente, normalmente
como versão moderna ou como continuação dos Illuminati bávaros. O nome Illuminati é
algumas vezes empregado como sinónimo de Nova Ordem Mundial.

Índice
[mostrar]

[editar] Origens do nome


Dado que Illuminati significa literalmente “os iluminados” em latim, é natural que diversos
grupos históricos, não relacionados entre si, se tenham autodenominados de Illuminati.
Frequentemente, faziam isso alegando possuir textos gnósticos ou outras informações arcanas
(secretas) não disponíveis ao grande público. A designação Illuminati esteve em uso também
desde o século XIV pelos Brethren of the Free Spirit (Irmãos do Espírito Livre), e no século XV
o título foi assumido por outros entusiastas que argumentavam que a luz da iluminação
provinha, não de uma fonte autorizada mas secreta, mas de dentro, como resultado de um estado
alterado de consciência, ou “iluminismo”, ou seja, esclarecimento espiritual e psíquico.
Sociedade secreta tambem referida no Livro do autor Dan Brown "Anjos e Demónios"
[editar] Os alumbrados na Espanha
Os alumbrados da Espanha pertencem ao último grupo mencionado. O historiador Marcelino
Menéndez y Pelayo encontrou registro do nome já em 1492 (na forma iluminados, 1498), mas
ligou-os a uma origem gnóstica, e julgou que seus ensinamentos eram promovidos na Espanha
por influências vindas da Itália. Um de seus mais antigos líderes, nascido em Salamanca, foi a
filha de um trabalhador conhecida como a “Beata de Piedrahita”, que chamou a atenção da
Inquisição em 1511, por afirmar que mantinha diálogos com Jesus Cristo e a Virgem Maria. Foi
salva de uma investigação rigorosa por padrinhos poderosos (fato citado pelo mencionado
historiador espanhol em seu livro “Los Heterodoxos Españoles", 1881, Vol. V).

Inácio de Loyola, o fundador da Companhia de Jesus, ordem religiosa da Igreja Católica cujos
membros são conhecidos como jesuítas, na época em que estudava em Salamanca em 1527, foi
trazido perante uma comissão eclesiástica acusado de simpatia com os alumbrados, mas escapou
apenas com uma advertência. Outros não tiveram tanta sorte. Em 1529, uma congregação de
ingênuos simpatizantes em Toledo foi submetida a chicoteamento e prisão. Maior rigor foi a
conseqüência e por cerca de um século muitos alumbrados foram vítimas da Inquisição,
especialmente em Córdoba.

[editar] Os Illuminés em França


O movimento com o nome de Illuminés parece ter alcançado a França em 1623, proveniente de
Sevilha, Espanha, e teve início na região da Picardie francesa, quando Pierce Guérin, pároco de
Saint-Georges de Roye, juntou-se em 1634 ao movimento. Seus seguidores, conhecidos por
Gurinets, foram suprimidos em 1635. Um século mais tarde, outro grupo de Illuminés, mais
obscuro, contudo, apareceu no sul da França em 1722 e parece ter atuado até 1794, tendo
afinidades com o grupo conhecimento contemporaneamente no Reino Unido como French
Prophets (Profetas Franceses), um ramo dos Camisards.

[editar] Rosacruzes
Ver artigo principal: Rosa-cruz

Uma classe diferente formam os Rosacruzes, que alegam ter origem em 1422, mas cujo primeiro
registro data de 1537. Constituem uma sociedade secreta, que afirma combinar com os mistérios
da alquimia a posse de princípios esotéricos de religião. Suas posições estão incorporadas em
três tratados anónimos de 1614, mencionados no “Dictionnaire Universel des Sciences
Ecclésiastiques”, de Richard and Giraud, Paris 1825. Os Rosacruzes também alegam serem
herdeiros dos Cavaleiros do Templo, ou Templários. Dentro da Filosofia Rosa Cruz Illuminati é
o estágio de plenitude atingido depois de alguns anos de estudo.

[editar] Martinistas
Mais tarde, o título Illuminati foi aplicado aos Martinistas Franceses, cuja fundação data de
1754, por Martinez Pasqualis, e a seus imitadores, os Martinistas Russos, chefiados por volta de
1790 pelo Professor Schwartz, de Moscovo. Ambos os grupos eram cabalistas ocultistas e
alegoristas, absorvendo idéias de Jakob Boehme e Emanuel Swedenborg.

[editar] Os Illuminati da Baviera


[editar] História

Um movimento de curta duração de republicanos livre-pensadores, o ramo mais radical do


Iluminismo – a cujos seguidores foi atribuído o nome de Illuminati (mas que a si mesmos
chamavam de “perfectibilistas” ou "perfeccionistas") – foi fundado a 1 de Maio de 1776 pelo
professor de lei canónica Adam Weishaupt, falecido em 1830, e pelo barão Adolph von Knigge,
na cidade de Ingolstadt, Baviera, actual Alemanha. O grupo foi fundado com o nome de Antigos
e Iluminados Profetas da Baviera (Ancient and Illuminated Seers of Bavaria, AISB), mas tem
sido chamado de Ordem Illuminati, a Ordem dos Illuminati e os Illuminati bávaros. Na
conservadora Baviera, onde o progressista e esclarecido Eleitor Maximiliano José III de
Wittelsbach foi sucedido em 1777 pelo seu conservador herdeiro Carl Theodor, e que era
dominada pela Igreja Católica Romana e pela aristocracia, tal tipo de organização não durou
muito até ser suprimida pelo poder político. Em 1784, o governo bávaro baniu todas as
sociedades secretas incluindo os Illuminati e os maçons. A estrutura dos Illuminati desmoronou
logo, mas enquanto existiu, muitos intelectuais influentes e políticos progressistas se contaram
entre os seus membros. Eles eram recrutados principalmente dentre os maçons e ex-maçons,
juravam obediência a seus superiores e estavam divididos em três classes principais: a primeira,
conhecida como Berçário, compreendia os graus ascendentes ou ofícios de Preparação,
Noviciado, Minerval e Illuminatus Minor; a segunda, conhecida como a Maçonaria, consistia
dos graus ascendentes de Illuminatus Major e Illuminatus dirigens, esse último algumas vezes
chamado de Cavaleiro Escocês; a terceira, designada de Mistérios, estava subdividida nos graus
de Mistérios Menores (Presbítero e Regente) e Mistérios Maiores (Magus e Rex). Relações com
as lojas maçônicas foram estabelecidas em Munique e Freising, em 1780. A ordem tinha ramos
na maior parte dos países europeus, mas o número total de membros parece nunca ter sido
superior a 2.000. O esquema teve a sua atração para os literatos, como Goethe e Herder, e
mesmo para os duques reinantes de Gotha e Weimar. Rupturas internas precederam o
desmoronamento da organização, que foi efetivado por um édito do governo bávaro em 1785. A
ordem foi encerrada em 1788.

[editar] Doutrina

Diz-se que sua doutrina está baseada numa mistura de misticismo islâmico (sufistas), dos
segredos maçónicos e da disciplina mental do Hatha Yoga.

[editar] Efeito Cultural

Apesar de sua curta duração, os Illuminati da Baviera lançaram uma longa sombra na história
popular, graças aos escritos de seus opositores. As sinistras alegações de teorias conspiratórias
que têm colorido a imagem dos maçons-livres têm praticamente ofuscado a dos Illuminati. Em
1797, o Abade Augustin Barruél publicou o livro “Memórias ilustrativas da história do
Jacobinismo”, delineando uma vívida teoria conspiratória envolvendo os Cavaleiros Templários,
os Rosacruzes, os Jacobinos e os Illuminati. Simultânea e independentemente, um maçom
escocês e professor de História Natural, chamado John Robison, começou a publicar “Provas de
uma conspiração contra todas as religiões e governos da Europa”, em 1798. Quando viu o livro
sobre semelhante tema escrito por Barruél, incluiu extensas citações dele em seu próprio livro.
Robinson alegava apresentar evidências de que uma conspiração dos Illuminati estava dedicada
a substituir todas as religiões e nações com o humanismo e um governo único mundial,
respectivamente.

Mais recentemente, Antony C. Sutton sugeriu que a sociedade secreta Skull and Bones foi
fundada como o ramo norte-americano dos Illuminati. Outros pensam que a Scroll and Key
também tem origem nos Illuminati. Robert Gillete defende que esses Illuminati pretendem, em
última instância, estabelecer um governo mundial por meio de assassinatos, corrupção,
chantagem, controle dos bancos e outras entidades financeiras, infiltração nos governos, e
causando guerras e revoluções, com a finalidade de colocar seus próprios membros em posições
cada vez mais altas da hierarquia política. Thomas Jefferson, por outro lado, defendeu que eles
pretendiam espalhar informação e os princípios da verdadeira moralidade. Ele atribuiu o caráter
secreto dos Illuminati ao que chamou de “a tirania de um déspota e dos sacerdotes”. Ambos
parecem concordar que os inimigos dos Illuminati foram os monarcas da Europa e a Igreja.
Barruél afirmou que a Revolução Francesa (1789) foi planeada e controlada pelos Illuminati
através dos jacobinos, e mais tarde os adeptos de teorias conspiratórias também alegaram a
responsabilidade deles na Revolução Russa (1917), embora a Ordem tenha sido oficialmente
extinta em 1790.

[editar] Illuminati depois de 1790


Diversas fontes sugerem que os Illuminati da Baviera sobreviveram, e talvez existam mesmo até
hoje. Os teóricos de conspirações ressaltam a relação entre os Illuminati e a Franco-Maçonaria.
Também sugerem que os fundadores dos Estados Unidos da América – sendo alguns deles
franco-maçons – estavam “influenciados” por corrupção pelos Illuminati. Frequentemente o
símbolo da pirâmide que tudo vê no Selo de Armas dos Estados Unidos é citado como exemplo
do olho sempre presente dos Illuminati sobre os americanos. e usam nas notas a escrita Novus
Ordo Secularum que significa 'New Deal ou Nova Ordem Secular,novo ideal, desmentindo a
escrita do lado,que diz Em Deus Confiamos

Bem pouca evidência confiável pode ser encontrada para apoiar a hipótese de que o grupo de
Weishaupt tenha sobrevivido até o século XIX. Contudo, diversos grupos têm usado a fama dos
Illuminati desde então para criar seus próprios ritos, alegando serem os Illuminati, incluindo a
Ordo Illuminatorum, Die Alten Erleuchteten Seher Bayerns, The Illuminati Order, e outros.

[editar] Os Illuminati na cultura popular


Os Illuminati históricos tiveram variadas influências na cultura popular, muitas delas de forma
satírica, humorística ou simplesmente de pura ficção. Alguns exemplos de obras:
• Illuminatus! de Robert Shea e Robert Anton Wilson é uma trilogia de ficção científica
publicada na década de 1970, que é considerada um clássico cult pela comunidade
hacker.
• Dois jogos de Steve Jackson Games são baseados no mito: Illuminati e sua versão como
jogo de cartões Illuminati: New World Order.
• O livro de Umberto Eco, O Pêndulo de Foucault é uma novela labiríntica sobre todo tipo
de sociedades secretas, incluindo os Illuminati e os Rosacruzes.
• Deus Ex, um video game considerado revolucionário na época de seu lançamento,
apresenta os Illuminati como a facção que invisivelmente deteve poder sobre a
humanidade até o início do século XXI(o jogo se passa na década de 2050). Sua
sequência, Deus Ex: Invisible War, apresenta os Illuminati num papel mais ativo, tendo
ganho o poder novamente após o colapso mundial que é um dos três finais possíveis no
primeiro jogo.
• O livro de Dan Brown, Anjos e Demônios (título em inglês: Angels and Demons, título
em alemão: Illuminati, em holandês: Het Bernini Mysterie), é sobre uma ordem dos
Illuminati que planeja um golpe contra a Igreja Católica Romana. O livro cita o
movimento dos Illuminati como tendo sido fundado por Galileo Galilei e outros, como
uma reação do Iluminismo contra suposta perseguição da Igreja Católica.
• Os Illuminati foram apresentados em alguns episódios da série Gargoyles, dos Estúdios
Walt Disney, nos quais desempenham um papel secundário.
• O Principia Discordia, o infame livro sagrado do discordianismo, inclui os Illuminati
como uma das forças Greyface que se opoem aos discordianos.
• Um pequeno grupo de crentes acredita que os Illuminati são um grupo de alienígenas que
mantém a humanidade sob controle, dirigindo absolutamente todas as coisas. Esse
movimento assemelha-se muito a uma novela de ficção científica e provavelmente deriva
de uma.
• o filme de Simon West "Lara Croft: Tomb Raider" (2001) apresenta um grupo de maus
elementos da alta sociedade que se intitulam Illuminati e que desenvolveram um plano
para governar o mundo. Eles e o pai de Lara Croft afirmam que os Illuminati existiram
por milénios com essa finalidade.
• a trama de Street Fighter III gira em torno de uma organização que se auto-intitula
Illuminati e que pretende criar uma nova utopia.
• Nos quadrinhos da DC Comics, o vilão Vandal Savage é dito ser o fundador dos
Illuminati.
• Nos Quadrinhos da Marvel, os principais líderes de grupos de heróis (Homem de Ferro,
Professor X, Doutor Estranho, Namor, Reed Richards e Raio Negro formam um grupo
secreto chamado Illuminati, destinado a controlar o destino dos superseres.

• A banda alemã de Heavy Metal "Gamma Ray" lança em 2001 o álbum "No World
Order" com referencias explicítas à Ordem dos Illuminati

• A banda de Heavy Metal americana Agent Steel lança o álbum "Order of the Iluminatti"

[editar] Os Aquisitores
Os Aquisitores é o nome genérico dado a alguns grupos dissidentes que surgiram com a atuação
dos Illuminati no Brasil. Sua origem está quase sempre relacionada a renuncia de Jânio Quadros,
o presidente que renunciou por não aguentar o peso das "forças terríveis" ("forças ocultas") e a
instauração do Regime Militar em 1964.

Durante a ditadura militar, até pouco depois de 1985, os membros brasileiros dos illuminati se
organizaram em dois grupos inimigos e teoricamente independentes dos Illuminati da Baviera.
Estes capítulos isolados passaram a ser conhecidos como Os Aquisitores dada a prosperidade
financeira e a atuação de seus membros na economia do país, especialmente na região de São
Bernardo do Campo, no ABC Paulista onde a atuação dos membros resultou na próspera fase
pela qual passou a região na década de 70. Os teóricos da conspiração se esforçam desde então
para ligar todos os escandalos políticos que ocorreram no pais a estes dois grupos e seus jogos
de poder.

[editar] Referências
• 1911 Encyclopædia Britannica: "Illuminati"
• America's Secret Establishment: An Introduction to the Order of Skull & Bones —
Antony C. Sutton (Trine Day, LLC, 2003)
• Die Korrespondenz des Illuminatenordens. vol. 1, 1776-81, ed. Reinhard Markner,
Monika Neugebauer-Wölk e Hermann Schüttler. - Tübingen, Max Niemeyer, 2005. -
ISBN 3-484-10881-9
• Proof of a Conspiracy Against all the Religions and Governments of Europe —
Robinson, John A.M. (New York, 1798)
• Grand Acquisitors - John L. Hess - ISBN 0395180139
• alt.illuminati FAQ (http://anti-masonry.info/alt.illuminati_FAQ.html)
• Os Iluminados da Baviera - (Texto de Carlos Raposo em
http://www.artemagicka.com/artigos/lluminati.htm)

Você também pode gostar