Você está na página 1de 61

Olá, meus amigos! Eu sou o Alberto e estou aqui para vos acompanhar ao longo deste trabalho! Eu sou o maestro desta equipa e cada vez que apareço, já sabem que podem ficar descansados que eu explico todas as questões ~~IIIIII'!::iiii~ teóricas mais importantes em cada sessão!

Deixem-me, para já, apresentar-vos a nossa companhia artística! Esta é a Flautuga, grande flautista, que tem por função ...

\

\ 11

Ah, e não se iludam, porque eu sou muito simpática mas sei ser muito exigente!

...ajudar

o vosso

professor a ensinar-vos a tocar flauta de bisei! Quando A~~~ eu apareço, ficam a saber que é hora de pegar na flauta!

Não se assustem. É claro que tocar flauta exige muito trabalho, mas com as canções e peças instrumentais que temos neste livro, será muito divertido!

E agora apresento-vos a Tixa, a bailarina da companhia ...

---...

Quando eu estiver presente, está na hora de dançar!

3

E que ninguém me

apresenta: eu sou o Danilo ...

..'

---'-

....L...

"

..,0

grilo ú:mtor! Calma, Danilo,

tu vais aparecer muitas vezes

em palco. Na'o tenhas pressa!

,~-

~

. Sim, srml Sou um \

E oquí está a nossa

querida Mélinha! Esta

linda obelhinhc é a

~ossa cctrlz..

.

\ :~''7"-'_1 '

Estarei convoSco nos

momentos dedicados à

grande canto r e

expressão dramátical

aqui vamos

cantar todos os

dias. Por isso,

preparem -se..,

aqueçam-me essa

voz!

Grande equipa esta

...

e tu

Picau, que tens? Estás triste?

Na'o, estou apetlas à

espera da minha vez!

E queres dizer aos

nossos amigos, em

que vais ajudá-los?

Bem, a única coisa que eu

sei fazer é

tocar percussão!

/'.

I Pois é, o Picou é um grande

\ ~

percussionista. Tem este ar \

descontente porque acha que "-

deveríamos tocar ainda mais com a

percussão, mas verão que teremos

muitas oportunidades para tocarl

4

Etu, Formigão,

já estás com os auscultadores

postos?! "" _,

..

Ya, AI ertão! b I 'T I la-Se em. Sempre com os
Ya, AI ertão!
b
I
'T I
la-Se em.
Sempre com os

p ones poro não faltar musiea 00 pessoo I, yo!

r".

-',

Sem, como viram, é uma

equipa bem diversificado e

que nos vai dar muito boa disposição durante as oukrs,

Agora, vamos 00 trabalho!

Letra: António Castro Músico: J cão Atanósio

Canta a canção.

Pinta o desenho

a teu gosto.

6

l.De manhã acordo eu,

Tenho a cara por lavar,

Visto o que a mãe escolheu,

Tenho horas para entrar.

Refrão

Ir à escola é ser crescido,

Pode até ser tentador.

Tenho as lições no ouvido,

Faz-me tão bem o amor!

2.Está na hora de sair,

Há trabalhos a fazer.

Étão bom a mãe sentir

Como estou a crescer.

Faixa 1

do CD

do

Aluno

-

Poema Tradicional Música: Jorge. Salgue.iro

1.

 

2.

Tantas folhas, tantas De tantos feitios

De tantos

tamanhos.

 

3.

Umas amarelas Outras encarnadas Ou em tom castanho.

7

Sessão 2

Lê as frases com vocábulos (ex.: pam, plim, tum, etc.) e palmas, respeitando o tamanho das folhas.

Revê as notas

aprendidas no ano

anterior.

Interpreta na flauta as

seguintes canções.

Letra e Música: Natalina Santos

,

,

Letra e Música: Noémi Reis

8

Letra e Música: Neli Silva e Rubina Fernandes

Aprende estas

novas posições!

Interpreta

na flauta as

frases

escritas ao

lado!

Toca novamente as

frases que aprendeste

com a seguinte ordem:

[sessão 31

,

,

Hoje vais interpretar, com acompanhamento instrumental, a canção Folhas de Outono, que aprendeste na aula anterior.

Observa com

atenção as

notas que

vais tocar

em cada

instrumento.

11

Letra e Música: Lígia Brazão

  • 1. É tempo de Outono Há ventos, há chuvas Abundam os frutos Apanham-se as uvas.

 

2.

Há pêros e pêras

--

Há mangos, romãs

~tanhas

e nozes

/'

E muitas maçãs.

1- Observa o exemplo;

2- Divide por sílabas o nome de cada fruto;

3- Lê o nome dos frutos, executando o seu ritmo;

4- Regista a duração das sílabas com traços longos e curtos:

Exemplo:

 

A -

ba -

ca

-

te

  • 3. Pelo Pão-por-Deus Se me apetecer Alguns destes frutos Eu hei-de comer.

  • 4. É tempo de Outono Eu faço um magusto Estalam castanhas Mas eu não me assusto.

12

Faixa 3

do CD

do

Aluno

-

Letra: Irene Lucília Música: Carlos Gonçalves

 

__

2.

 

_

3.

 

_

Lê as frases rítmicas, utilizando as palavras

CURTO (_

) e LONGO ( __

).

A gotinha cai na uva Coitadinho do baguinho. A gotinha cai na uva Quem lhe empresta o guarda-chuva.

Se a chuva não parar O baguinho vai chorar. Se a chuva não parar O baguinho vai chorar.

Lê as frases com o nome dos frutos. Coloca nos quadrados os números correspondentes aos ritmos que leste.

A -

BA - CA - TE FI - GOS

PÊ - RA RO - MÃ

U - VAS

MA - çÃ

PÊ - RO U - MÃO

PÊ - RA LA - RAN - JA CAS - TA - NHA

NOZ

13

Observa o exemplo. Lê o ritmo escrito!

nnn

nn

--------------------

Aprende a desenhar as semínimas e colcheias:

Desenha as figuras rítmicas que aprendeste (semínima e colcheia), de acordo com o tamanho

-----

dos traços ~

e ~~

correspondentes.

14

Sessão 6

Lê a lengalenga e descobre as

sílabas curtas e longas.

Regista a sua duração com traços

curtos ( _ ) e longos (

).

VAI NA MÃO

EU NÃO SEI SE CAIOU NÃO , A Semínima SEMINIMA COLCHEIA DUAS COLCHEIAS é uma figura
EU NÃO SEI
SE CAIOU
NÃO
,
A Semínima
SEMINIMA
COLCHEIA
DUAS COLCHEIAS
é uma figura
rítmica que
tem a duração
de um tempo.
A Colcheia
é uma figura
rítmica que
, ..
tem a duração
Le-se TA ,
Lê-se TI
Lêem-se TI-TI
de
--
meio tempo.

15

Relembra as posições aprendidas.

Letra: Natalina Santos Música: Neli Silva e Rubina Fernandes

Canta a

canção!

Pelo São Martinho Eu quero provar Castanhas assadas No lume a estalar.

É um gosto ver Todas a saltar Pelo menos uma Eu quero apanhar.

  • -- - -- -- -- -

-- - - -

16

a

Sessão 7

c IJTI.J .J IIJTI.J .J IIJTI.J .J IIJTI.J .J :11

DÓ DÓ

DÓ DÓ

DÓ DÓ

DÓ DÓ

11IJTI : .J

.J IIJTI.J .J IIJTI.J .J IIJTI.J .J :11

FÁ FÁ FÁ FÁ FÁ

RÉ RÉ RÉ RÉ RÉ RÉ

DÓ DÓ DÓ DÓ DÓ DÓ

IJTn .J

IJTn .J

1I

Revê e

interpreta,

na flauta, a

melodia da

canção Folhas

de Outono.

17

I

1S

-

essao

87

I

Para relembrar!

SEMÍNIMA

.J

-se TÁ

COLCHEIA DUAS COLCHEIAS

)

n

-se TI

Lêem-se TI-TI

A Pausa de Semínima é um silêncio com uma duração correspondente a uma semínima, ou seja, um tempo!

Lê o seguinte ritmo com os respectivos vocábulos.

Interpreta-o

com os

instrumentos

da sala de aula.

Vocábulos:

18

PAUSA

DE SEMÍNIMA

Letra: Rui Gonçalves Silva Música: Carmelita Lucas e Miguel Travassos

  • 1. m cQvolinhod

pau

Qu foi do m u Vivoa ntures too lin

Ond qu q

I

Meu cQvolinhode pau T m coraçõo Q 1 r

Bat t o d

901","ho

Qu só u posso nt der.

  • 2. o se ccnse d corr I"

Qu r ir s mpl" mais al~m Es acaso fecho os olhos

E v -lo voar tamb m

.

.

Monta o o cavalinho É co o nd p lo v nto Êu galop s v

Âo

ber do p nsa nto

3. No m u qu rte . um festa Como cavalinho a saltar

L va c

1 os brinqu dos

Num carroc I d ncantar.

Cavalinho' d mad ira

T m a vida qu u Ih d

Para mim'

rdadeiro

Porqu faz o qu u quis r.

R f

Observa os cavalinhos. Lê os grafismos do chão, respeitando o ritmo.

Cria a tua melodia, escolhendo as notas musicais para cada figura e interprete-e.

19

~

fJJeJczewsk~

foi liI'/ c~sitor

po/Qco~&rI 1600. foi WAJsico ~

~R~de

'hS6.liq, cidqcJe

&ri que f~

~.

&ri

Agora que sabes tocar. experimenta acompanhar Canzona a 2. que ouviste no início da aula. Atenção às indicações do teu professor!

Sou mecânico

A segunda-feira:

~ou bombeiro

~ terça-feira:

A qUarta-feira

pirata

Com uma espada De lata.

~i/oto de primeira ~ o que sou

~~~~

~ qUinta-feira:

A sexta-feira

Sou marinheiro

No lago

Da Quinta Azul'

Ao sábado

'

Sou Vaqueiro

E ao domingo I Sou o Rau/,

C..)

Sou um

.

Faixas 7 e do CD do

--

Aluno

20

Letra: Neli Silva. Noémi Reis e Teresa SantoS ues Música: Ricar do Rodrig

Desenha o que

costumas fazer

durante o

fim_de-semana.

  • 1. No Domingo eu descanso

Para Segunda traba'har.

Na Terça eu acordo com vontade de brincar.

Refrão:

Sete dias na semana A aprender e a brincar.

Cinco dias são de estudo Ficam doiS para descansar·

2. E na Quarta estarnos luntoS

Na esco'a a aprender.

Quinta-feira é mais um dia

Tenho tanto que fazer.

Refrão

3. sexta-feira lá cá estcí.

A semana a terminar.

Amanhã lá é Sábado Ai que bom. poSSobrincar'

21

c·'''''', ..'UI;t

Letra e Música: Lígia Brazão

ouço O sininho a tocar

para dizer

ouço o sininho a tocar

para dizer

Que Jesus nosso bem Nasceu um dia lá em Belém Nasceu um dia lá em Belém.

Dlim, dlim, dlim Dlim,dlim, dlão Está alegre Meu coração. Dlim, dlim, dlão Dlão,dlão, dlim É o sininho A chamar por mim.

Dlim,dlim, dlim,dlim.

r

[SeSSão 111

A'I't.,.~, ,

Letra e Músico:LígiaBra6

1. Uma estrela no céu apareceu

Canta a

canção!

E um botão na terra floriu

Nasceu o Menino Jesus

E a todo o mundo sorriu

  • 2. Em cada criança, eu vejo

Jesus de Belém pequen°

Cantando, rindo, brincando

Em todas, vejo o Menino

  • 3. Natal é de novo nascer

É de novo caminhar

De mãos dadas com amor

É haver Paz, em cada lar.

23

É meia-noite. As chaminés encheram-se de alegria e de

Livro - Então, Então? Não façamos troça! No reino dos

movimento.

homens, também há muita gente que não sabe

o que é o

Uma luz estranha, vinda, imaginem!, da montra de uma

Natal. E pior ainda! Há os que julgam saber mas não

loja de brinquedos, arrumada - ou melhor, desarrumada - ilumina a rara ocasião em que ganham vida esses amigos das crianças - os brinquedos. Boneca - Ora esta! Não me dirão o que fazemos nós aqui? Urso - Calma, Boneca! É melhor perguntarmos ao oficial

compreendem toda a ternura e toda a grandeza daquela palavra. Boneca - Explique-nos então, senhor Livro, senhor doutor, o que é o Natal? Livro - O melhor é abrir-vos as minhas páginas. Ora prestem atenção! Tenho aqui três folhas completas e

dos soldadinhos. Ele deve saber!

uma que ainda ninguém teve tempo para concluir (o que

Oficial dos soldadinhos - Meus amigos, eu acho que o

é

Podia ser tão bela!...

brinquedo mais indicado para dar essa informação é

Urso

- Mostre lá então a primeira página.

aqui o "nosso colegaMdoutor, quer dizer, o Livro.

Livro - Vejam, meus amigos. É o Natal do Menino Jesus.

Uvro - Ora, amigos! É bem fácil adivinhar o motivo

(Mostra a primeira estampa)

 

desta

reunião,

basta

saber

em que mês nos

 

encontramos. Urso - Em que mês?

(põe-se

a pensar) ...Em

Há muitos, muitos anos Nasceu este Menino

Dezembro! Livro - Exactamente. E isso não lhes diz nada? Oficial dos soldadinhos - Ah! É tempo de Natal!

 

Em 5eIém da Galileía É. o Deus feito criança Que veio ao Mundo

Boneca

- Natal?! Desculpem, mas não percebo ...

Trazer o Amor

Também não admira, nasci há tão pouco tempo ... (Gargalhadas de todos os brinquedos)

E a Esperança

24

(Todos se debruçam, curiosos sobre o livro) Boneca - Que bonito! Oficial dos soldadinhos - Senhor Livro, mostre-nos a

segunda página. Livro - Dêem muita atenção! Já viram o Natal do

Menino Jesus,

na sua simplicidade. Vão ver agora o

Natal do Menino Rico. (Mostra a segunda gravura)

Nesta casa há muita fartura, E a ele não lhe falta nada, Apenas não tem temura Nesta noite estrelada!

Urso - Mas porque chora ele, se tem

tantas coisas com

que brincar? Livro - É que não se contenta com o muito que tem. Ainda desejava a bicicleta que deram ao seu primo Carlitos. Oficial dos soldadinhos - Mas nem todos os meninos ricos passam assim o Natal.

Livro - Felizmente.

Urso - Mostre a última página! Estou tão curioso ...

Livro

- Vou mostrar-lhes

agora a terceira

página.

Depois do Natal do menino Jesus e do natal do Menino

Rico, vão ver o natal do Menino Pobre. (Mostra a terceira gravura)

25

Natal é também noite escura Faz frio todo o dia

Este menino procura Um pouco de alegria!

Boneca - Que está ele a fazer ali? Livro - Está à espera que chova.

Oficial dos soldadinhos Livro - É que se chover,

- Que chova? Mas para quê? a água correrá para a valeta da

rua e ele poderá então brincar com o barquinho de

papel que fez na escola

...O

seu único brinquedo ....

Urso - Mas havia outra página?! Livro - Exactamente, é verdade. Se querem vê-Ia, posso mostrá-Ia. Boneca - É a tal que está por acabar, não é? Como se

chama? Livro - Éo Natal de todos os meninos. Oficial dos soldadinhos - De todos os meninos?! Livro - Sim, de todos. Urso - Já percebi! Em vez de ficarmos aqui parados, vamos todos pintar a página. Depois, cada um vai para o seu lado levar alegria e felicidade a um menino pobre ou a um menino rico ... Todos - Muito bem! Boneca - Dancemos com alegria nesta quadra de Natal. Todos - Vamos...Dancemos!l!

--......

Tradicional

26

Eu hei-de ir ao presépio E sentar-me no cantinho E ver como Deus Meni no Nasceu lá tão pobrezinho.

Refrão Ó meu Menino Jesus Que tendes porque chorais Deu-me minha mãe um beijo Choro por quem me dê mais.

Faixa 11

do CD

do

Aluno

Sessão 13

FICHA DE AVALIAÇÃO

-

Ouve com atenção o exemplo que o teu professor vai tocar.
I

E

O

::

I

__

_

_

__

I~gora. regista a sequências dos srni_:_u_e_v_ai_s_o_u_vi_r:

  • 13 li_li __

_

Relembra:

1.l.lJJ

.lI

Agora, associa as frases rítmicas às frases registadas anteriomente:

If

I1 2

I

1 3

I

Iq

I

27

p

Preenche os orifícios de cada FLAUTA, de acordo com as posições que aprendeste.

Q

Identifica auditivamente e desenha o movimento sonoro que vais ouvir.

Exemplo:

1/--- 1

I'·

1

11,----2.

W·

28

_W

W

Relembra as

posições

aprendidas:

Lê a lengalenga! Representa cada frase

com o ritmo correspondente e substitui

por semínimas e colcheias (

en ).

Um, dois e dep .

D

OIS t "

.

o~,

. li ,,' res, outra vezl

ree, quatro.

.

~~"-l

"''<'~tJ~--Quando vais' Ctnco,seis,

cantar os R eIs? .

I

n jl

Aprende

uma

nova: o

Sol

(agudo)

Toma atenção que nesta nota 50/, tens de tirar o polegar do furinho de trás!

Escreve nas linhas de

baixo o nome das notas

musicais e interpreta-as

na flauta!

30

Letra: Noémi Reis Música: Carlos Gonçalves

Numa noite especial

E interpreta, na flauta,

esta melodia para

Uma estrela brilhou

Canta a

acompanhar a canção

 

Encheu de luz e cor

canção!

Guiados pela Estrela.

Todo o céu iluminou.

Gaspar e Baltazar

E Belchior também

J

U

J

De olhos postos no céu

Lá foram até Belém.

Sol Sol

Ré Ré Sol

Sol Sol

 

Ré Ré Sol

Sol

Sol

Levaram os seus presentes

J

~

 

IJ

 

IJ

J

Ij

 

Ij

~ ~ Ij

 

II

~

~

~

 

j

 

j

Puseram-se a caminho

 

Ouro, incenso e mirra

Sol

Sol

Sol

Sol

Sol

Para oferecer ao Menino.

E chegados ao presépio

Lá estava aquela luz

De joelhos ofereceram

Os presentes a Jesus.

31

Sessão 15

A TRADIÇÃO DE:SANTOAMARa

Para os madeirenses, a solenidade de Santo Amaro

assinala o hm das celebrações do Natal, sendo o dia 15

de Janeiro considerado como o "dia de varrer os

armários», ou seja, de "limpar» tudo o

9 ue hcou do

tempo do Natal. É: a despedida das grandes

animações,

9 ue durante o mês de Dezembro e parte do mês de

Janeiro, envolveram toda uma população 9 ue não

descura as suas tradições.

E:moutros tempos era comum,na véspera ou no próprio

dia à noite, visitar as casas de familiarese amigos com o

o~ectivo de "acabar» com as iguarias 9 ue tinham sido

prep~radas para a época natahcía. Heje, em algumas

localidades da Ilha a tradição mantém-se, e aos

folguedos do hm do Nataljunta-se também a devoção.

No Paúl do Mar e em Santa Cruz, fazem-se grandes

testas religiosas para venerar o Santo Amaro milagreiro.

E:m muitas casas aproveitava-se o dia para dar por

concluída a "Festa» e para "varrer» os armários das

casas da famíliae dos amigos. Reuniam-se em grupos

"aparelhados» com uma chupeta, uma vassoura e um

espanador, símbolos das limpezas domésticas, e

assaltavam as despensas e adegas refastelando- se nas

casas visitadas até de manhã.

Letra: Noémi Reis Música: Rui Pereira

No sótão da minha avó Eu gosto de lá entrar Coisas velhas e engraçadas Tantas coisas para brincar.

Umursinho de peluche Outros brinquedos também. Uma boneca de trapos Que já foi da minha mãe.

Refrão:

O sótão da minha avó

Refrão

Tem segredos para contar

E no fundo

do baú

No sotão da minha avó Eu gosto de lá entrar.

Roupas velhas, não faz mal, Até já tenho disfarce Para brincar ao Carnaval.

Encontrei lá num cantinho Livros cheinhos de pó Histórias com muito encanto Que contou a minha avó.

Refrao

Faixa 13

do CD

do

32

Aluno

lSessão 16 1

Letra: Naémi Reis Música: Carlas Gonçalves

Doze meses cada ano

Janeiro, Janeiro

Doze meses cada ano

Janeiro.

Doze meses cada ano

Fevereiro, Fevereiro

Doze meses cada ano

Fevereiro.

NOTA: A canção continua

até serem entoados todos

os meses, pela ordem

correcta dos meses do ano.

Executa o ritmo

com os vocábulos Ti- Ti e Tá.

Executa o ritmo com o nome das notas.

LÁLÁ DÓ DÓ

LÁ LÁ DÓ DÓ

LÁ LÁ DÓ DÓ LÁ LÁ DÓ DÓ

RÉ

FÁ FÁ

Interpreta esta melodia na flauta, para

acompanhares a canção Doze meses cada ano.

33

Faixa 14 __

do CD

do

Aluno ~K"

lsessão 17 1

o Movimento

Sonoro é o

Observa os

movimento de

diferentes

subida (do grave

movimentos

para o agudo), de

sonoros e

descida (do agudo

interpreta-os.

para o grave) ou

de permanência

da altura dos

sons.

~

•••

•••

-----

 

•••••

Subida

Sons descontínuos

Descida

•••••

descontínua

iguais em altura

descontínua

Subida

Som contínuo I

contínua

que não varia

Interpreta o seguinte

movimento sonoro:

"'----~-

---------- /-----~

--

34

p

1.

o vento é maluco

Mas é bom rapaz

Vejam lá meninos

O que o vento faz.

Refrão:

VU...uu...vu...uu...vu!

Varre, varre vento

Com a vassourinha

Varre a minha casa

E a da avozinha

VU...uu...vu...uu...vu!

2.

Despenteia as flores

Quando está zangado

E arranca as telhas

Do noss telhado.

Refrão

3.

Mas, se está contente

Empurra os barquinhos

Espalha as sementes

E move os moinhos.

Letra: Bernardete Falcão Música: Corlos Gonçalves

35

IromfXl

l/'O npte

••••

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

••••••••~

,

  • 21 26

22

23

24

25

27

28

29

30

31

32

33

34

35

36

37

38

39

40

  • 41 46

42

43

44

45

47

48

49

50

51

52

53

54

55

56

57

58

59

60

 

Faíxa16 __

do CD

 

do

  • 61 66

62

63

64

65

67

68

69

70

71

72

73

74

75

Aluno~~~

36

lSessão 19]

@

Era uma vez um passarinho muito simpático que vivia dentro de uma gaiola.

A gaiola

do Fidélio quedava-se à janela de uma casa, por onde todos os dias

passava um menino que gostava muito dele e que o cumprimentava sempre

com um grande sorriso.

Certo dia, após o saudar logo de manhã, o menino amigo do Fidélio, agora já

um pouco mais crescido, questionou: "Porque será que o Fidélio vive preso

numa gaiola, se nunca fez mal a ninguém?" Ao descer a rua observou

então

que todos os passarinhos lá do bairro viviam da mesma forma, prisioneiros

dentro de gaiolas. Como durante todo o dia ninguém pareceu incomodado

com o facto, voltou para casa muito triste. Nessa noite

escrever às autoridades a pedir para libertarem todos

devolverem-nos ao céu.

o menino decidiu

os passarinhos e

Após esta decisão, nem dormiu com a excitação e mal amanheceu apressou-

se a acordar o Fidélio para lhe contar a novidade ...

37

 

LUdwig van B

n asceu em B

eethoven

1~

.

ona, em

O. FOIPianista e

comPOsitor Q

 

tinh

. Uando

a qUase30 anos

ensurdeceu s

 
 

, em ' no

entant

O,

ter deixad

 

d

e comp

v.

oro Iveu at'

o

182

7.

e

 

Acordar!

Acordar, acordar, espreguiçar ...

 

Que eu vou

te

tirar da gaiola,

te

tirar da gaiola,

gaiola!

Acordar!

Acordar, acordar, espreguiçar ...

 

Que Vamos

te

tirar da gaiola,

te

tirar da gaiola,

gaiola!

Vou escrever

uma carta

ao senhor

Governador

Vamos pedir o céu

de volta para os passarinhos.

Vou dizer-lhe umas verdades ...

Vamos dizer-lhe umas verdades:

Que

os passarinhos nada fizeram .

Nada fizeram para estarem presos .

FIDÉLIO! FIDÉLIO! DE VOLTA AO CÉU!

Puxem as orelhas a quem não deixa voar...

deixa voar, deixa voar!

pera FIDÉUO de Ludwig VGII lIecthown (Marcha)

F~:

A. A. B.C. A. B.C

Audição Musical Activa: Miguel Nabois Pernes

38

[sessão 201

Música: Jorge Salgueiro

Acompanha o

andamento da peça, a

tempo, conforme te

vai ensinar o teu

professor!

I T T T D T T TD T TD ~ ~ ~ ~ J. J.
I
T
T
T
D T
T
TD T
TD
~
~
~
~
J.
J.
J.
J.
T D T
T D TD
T
T
T D T
T
T
T
T D T
T
T
TD
......••
.....
.,..
T D T
D T
D T
D
f
,
.'"
."rlrI~
~
~
~
~
J.
J.
~
~
.....,'"
~" ....
T
T
'rI~"';
~
~
~
~
J.
J.
~
J.
J.
J.
1'1'••
T D T
T
TD
T'" T '" T D T '" T D T '"
J.
~
T D T
D TD
T D T D T D T D T D T D TD
T D T D T D T D T
TD
Faixa19 _
EE
doCD {~
do
_ L
Aluno
~_
~~
~7
~~2-

39

[Sessão 21]

Letra: Noémi Reis Música: Juan Freitas

  • I. Vou Qrl'QYÚQrum disfQrce E diverti/me QvQlerJ Vou de Zorro ou e>ruxQmó? be PQlhqço. podes crer.

~efrelo:

~ CQ/'YlQVQI.é QleariQ. ~ CQ/'YlQVQI.é fQrttQsiQ.

e>is

... 2

~ de novo CQ/'YlQVQI Que QleariQ. vou CQrttQt. Selo diQS de brincQdeirQ Muito -tenho pciQ dqnçQt.

~efrelO

  • 3. VOQ;f)j6 QS serperriinQs E cometis pelo Qr. J6 es-tou bem WlQSCQrQdo E fXltQ rUQ vou brincQr.

40

Neli SilvQ e Rubinc Fernondes

Pinta os orifícios

de cada flauta

com a cor

correspondente,

respeitando a

posição do som

indicado.

RÉ RÉ

FÁFÁ

RÉRÉ

41

Os adultos são gente muito estranha

Sujam e matam tudo em redor,

E até acreditam na patranha

Que assim vamos viver muito melhor.

Não sabem quando matam a floresta

Que acabarão também por se matar

Desculpa mas não vamos nessa festa.

A Terra não é nossa para estragar.

42

Porque os crescidos estão muito divertidos

Estão divertidos, distraídos com o dinheiro

E nem sequer reparam no que fizeram

Neste deserto, b'lhacc!!, neste mau cheiro!

lSessão 22/

HINO I>

Letra: João Aguiar Música: Jorge Salgueiro

CRI.

Interpreta

esta melodia

na flauta!

cll:- ri n ri r» J nu n n nu '-----' DÓDÓ DÓ RÉ SOL SOL
cll:-
ri n
ri r» J
nu
n n nu '-----'
DÓDÓ
DÓ RÉ
SOL SOL DÓRÉ
F
SOL SOL
DÓDÓ F
RÉRÉ
FA
j ri n r», .,
n n IJ
s
nl
ri ri
------
------
FA F FÁSOLSO
ÁSOL
DÓ RE
DÓ FA
DÓ RÉ

I

I

J

J

DÓ

I

2

:IIJ s n I )1 )1n nus

DÓ

n u

n n IJ j

FA

II

43

lsessão 23 1

1- Cria a tua própria interpretação, utilizando as

diferentes intensidades Forte (f); Piano (p);

Meio-forte (mf). Depois de completares as indicações

de dinâmica, canta o que escreveste com os teus

colegas.

Os adultos são gente muito estranha...

Sujam e matam tudo em redor

...

E até acreditam na patranha...

Que assim vamos viver muito

melhor...

D

D

D

D

Não sabem quando matam a

floresta...

D

Que acabarão também por se matar

...

D

Desculpem mas não vamos nessa festa

...

D

A terra não é nossa para estragar ...

D

r

  • 2- Depoisde completares os espaçosem branco, utilizando

"a" para agudo, "m" para médio e "g" para grave, interpreta a

versão coma tua novamelodia!

A terra é verde...

D

É flores é crianças...

D

Só podemos...

D

Viver

...

D

Sem a sujar...

D

Vamos ter de mudar estas

D

Somos...

D

Nós que temos...

D

De a salvar...

D

44

JseSSão 24 1

t

J

Letra: Rui Gonçalves Silva Música: CorJos Gonçalves

1. Tenho um grande amigo

2. Joga comigo à bola

Amigo do coração,

Ensina-me a viver.

É o meu papá querido

Leva-me sempre à escola

Como ele não há, não.

Para eu tudo aprender.

Gosta tanto de mim

o papá é meu amigo

Como eu gosto também,

Amigo de verdade,

É tão bom ter assim

Com ele eu consigo

Um papá como ninguém.

Sentir felicidade.

Refrão:

Refrão

Um papá nosso amigo

Que nos ama a valer

É o tesouro mais querido

Que um filho pode ter.

  • 3. É tão bom ter um papá Que nos leve pela mão. Melhor coisa não há Para alegrar o coração. Quando à noite me abraça Faz-me sentir tão contente,

Sabendo que me ama

Canta a

Sonho um mundo diferente.

canção!!

Refrão

45

 

Para relembrar!

 

SEMÍNIMA COLCHEIA

DUAS COLCHEIAS

PAUSA

.J

 

,

)

n

DA SEMINIMA

"

Le-se TA '

Lê-se TI

Lêem-se TI-TI

--

MÍNIMA

r

Le-se TA-A

,.,

,

A Mínima

é uma figura

rítmica que

tem a duração

de dois tempos.

Lê o seguinte ritmo,

utilizando os vocábulos

"Tá", "Ti_ Ti" e "Tá-á".

Copia o seguinte ritmo:

46

Poema tradicional Música: Jorge Salgueiro

Relembra as

posições

aprendidas:

A Primavera já chegou,

U'1lJl'll J)

Toda a terra

vai florir,

Frutos novos em botão

 

Aprende

Canta a canção!

Interpreta a melodia

 

Estão a abrir.

uma

 

na flauta de bisei

 
 

nova: o

Olha os ninhos já com vida,

 

Sol:

para acompanhar a

 

Olha os campos já em flor,

 

canção A Primavera.

A Primavera é

A festa da cor.

 

Faixa 25

doCD

--

 

~

1J

~ :11

do

 

SOL

SOL LÁ LÁ SOL

SOL

SOL

Aluno

~~

...

47

SEMÍNIMA

 

COLCHEIA DUAS COLCHEIAS

PAUSA

 

j

)

n

DE SEMÍNIMA

, ..

Le-se TA

,

Lê-se TI

Lêem-se TI-TI

--

Revê na flauta a

canção A

Primavera.

Aprende o

restante

acompanhamento

instrumental.

48

Sessão 26

Certo dia, um grupo de meninos foi passear à ~oresta (tamborim). Pelo caminho, apeteceu-lhes cantarolar (triângulo). De repente, pararam (prato) PO'"9ueouviramo cantar (guizos) de um pássaro. Correram (tamborim) até ele, mas o pobre pássaro, com receio, escondeu-se (reco-reco) num buraquinho, Coitadinho, ~cou assustado e tremia (pandeíreta) de medo. Os meninos decidiram andar calmamente, pé ante pé (bloco de dois sons), para não assustarem os amiguinhos da ~oresta.

~ui e ali, como era Primavera, os passarinhos voavam (maracas) de galho em galho e chilreavam animadamente (guizos). O vento soprava de mansinho (reco-reco), as árvores abanavam levemente (triângulo) e as ~ores silvestres enchiam de perfume as redondezas. Que bela é a Natureza!, pensavam os meninos. Decidiram correr (clavas) até um P9ueno campo, colheram (triângulo) algumas ~ores e cheiraram-nas (triângulo) com satisfação. Dançaram (pandeireta) às voltas, cheios de alegria por entre as ~ores e borboletas. De repente, ouviram (pratos) um ruído. Olharam à volta (caixa chinesa) e nada viram. Pararam assustados (rnaracas) , a respiração tomou-se maisrápida, choramingaram (guizos) e gritaram (prato) de a~ição.

Resolveram então fugir. Tropeçaram e caíram (prato) no chão. Ali bem perto estava uma muitas abelhas 9ue tentaram picá-los (caixa chinesa) em diferentes partes do corpo.

colmeia...

apareceram

Tentaram fugir delas mas não podiam pisar as ~ores

com toda aquela confusão e desespero caíram ao chão

... (prato), a tremerem cheios de medo (coroa de guizos). Finalmente, as abelhas foram-se embora ... Os meninos felizes deram altas gargalhadas e pularam (pandeíreta) de tanta alegria. Foram procurar uma clareira para descansar e lanchar (maracas). Sentaram-se, comeram e beberam (reco-reco). Estavam fatigados, deitaram-se (triângulo) sobre a relva e fecharam os olhinhos (bloco de dois sons). Acordaram calmamente (triângulo) e aperceberam-se de 9ue, a~nal, tinham sonhado ...

49

Letra e Música: Luzia da Gama Santos

Diz a seguinte lengalenga,

respeitando o ritmo.

  • 1. Tanta amêndoa saborosa Que na Páscoa vou provar. Sejam brancas Ou cor-de-rosa, De certeza vou gostar.

  • 2. Tantos torrões bem docinhos

Experimenta

di-Ia

com

Que na Páscoa vou provar.

diferentes

intensidades

e

dinâmicas.

De chocolate

Ou de baunilha,

Tempo, tempo

Leva frio e faz calor.

Isso não, ISSO não,

De certeza vou gostar.

  • 3. Tantos ovos coloridos

Diz-me as horas por

Que na Páscoa vou provar.

Sejam grandes

Tempo, tempo

Ou pequeninos,

Faça sol e chuva não,

De certeza vou gostar.

Isso não, isso não,

Diz-me tu que horas são.

i J J IJ J IJ:JJ:JIJ:JJIJ:JJIJ:JJInnlnJ II

Tem - IX) tem - IX)

le-va frio

faz ca- lor

i$- $0 000

i$- $0 niJo diz-m' as ho-ras Dorfa-vor

50

lsessão 27J

Relembra as

posições

aprendidas:

Aprende

uma

nova: o

Sib

(Sibemol)

E interpreta na

flauta a seguinte

melodia!

U-'UUVJ)

DÓ

SIb

DÓ

SOL

SIb

51

~Sessão 28

j

Escreve uma

mensagem

para a tua

mãe.

Letro: Rui Gonçalves Silva Música: Virgílio Caldeiro

Canta a