P. 1
Normas Sala de Informática

Normas Sala de Informática

|Views: 2.966|Likes:
Publicado porClarabelandrade
Este é o documento que normatiza a utilização do laboratório de informática.
Este é o documento que normatiza a utilização do laboratório de informática.

More info:

Published by: Clarabelandrade on Sep 09, 2009
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/10/2013

pdf

text

original

NORMAS DE USO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA CAPÍTULO I DO USO ÉTICO E PEDAGÓGICO DO LABORATÓRIO E EQUIPAMENTOS O uso do laboratório de informática destina-se aos

alunos e professores desta unidade escolar com prioridade de utilização aos alunos. Sua utilização deve ser condizente com as normas estabelecidas pela escola respeitando os padrões de segurança estabelecidos, estando sujeito às regras estabelecidas a seguir. Constitui uso devido: Art.1º. O funcionamento da sala de informática siga o horário da escola; Art.2º. As aulas da Sala de Informática devem ser estabelecidas pelos/as professores/as coordenadores/as, professores/as regentes de sala de aula e pela equipe pedagógica; Art.3º. As atividades serão desenvolvidas sob a coordenação do professor da disciplina, que as planejará previamente, com a participação do professor coordenador no tocante à utilização dos recursos disponíveis na sala de informática; Art.4º. Os conteúdos devem ser trabalhados através de projetos de aprendizagem ou atividades direcionadas com o uso dos aplicativos disponíveis, como as ferramentas computacionais, os recursos da Internet (sites educacionais, pesquisas, trocas de correspondências, blogs) e softwares educacionais e outros. Art. 5º - Ao término dos trabalhos, o professor responsável deve solicitar aos alunos que recoloquem as cadeiras em seus devidos lugares, desliguem os equipamentos corretamente, retornando-os à posição de origem e cobrindo, e que mantenham o ambiente limpo. Art. 6º - A utilização de forma individual do Laboratório é permitida fora dos horários de aulas regulares, com a autorização do responsável pelo Laboratório de Informática. a – Para fazer uso dos equipamentos do Laboratório, o aluno deverá inicialmente identificar-se ao responsável pelo Laboratório com a respectiva carteirinha do aluno. Em caso de esquecimento, deve apresentar documento que contenha o número do RA (registro acadêmico). b – Será destinado a cada aluno o tempo de trinta minutos para pesquisas e construção de trabalhos. Havendo vacância poderá ser prorrogado por mais trinta minutos. Art. 7º - Para a utilização dos equipamentos, os alunos deverão observar os procedimentos e recomendações afixadas no Laboratório para a utilização e o manuseio dos mesmos.

CAPÍTULO II DA UTILIZAÇÃO INDEVIDA DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA Constitui uso indevido passível de penalidade, conforme previsto no item IV: Art.9º Praticar atividades que afetem ou coloquem em risco as instalações (exemplos: roubo, incêndio, inundação, etc.), bem como, atividades ou práticas que promovam o desperdício de recursos; Art.10º Facilitar o acesso aos laboratórios de pessoas estranhas e/ou pessoas não autorizadas ou facilitar a prática de qualquer atividade alheia aos interesses da sala de informática, e contrária ao ensino, à diversão, ao aprendizado, à pesquisa e extensão de serviços às comunidades (ex.: empréstimo de chaves, cópias de chaves, abertura de portas, senhas, etc.); Art.11º Exercer atividades que coloquem em risco a integridade física das instalações e/ou equipamentos e das pessoas que ali trabalham. Como: Comer, Beber, Fumar, etc.); Art.12º Perturbar o ambiente com brincadeiras, algazarras e/ou qualquer outra atividade alheia às atividades da sala; Art.13º Usar qualquer equipamento de forma danosa ou agressiva; Art.14º Divulgação das senhas restritas ao laboratório; Art.15º Usar abusiva e indevidamente o material de consumo disponível (ex.: papel, toner); Art.16º Utilizar os serviços e recursos da instituição para fins comerciais, políticos, religiosos ou outros, tais como mala direta, propaganda política ou para ganho pessoal; Art.17º Usar as instalações da sala para atividades eticamente impróprias; a – Desmontar quaisquer equipamentos ou acessórios do laboratório, sob qualquer pretexto, assim como remover equipamentos do local a eles destinados (mesmo dentro do recinto); b – Alterar a configuração de qualquer equipamento, Instalar ou remover programas/software, a menos que autorizado e devidamente assistido; c – Desenvolver e/ou disseminar programas de vírus nos equipamentos do laboratório e praticar ou facilitar a prática de pirataria de software/dados de qualquer espécie; d – Praticar intrusão de qualquer espécie, tal como quebrar privacidade, utilizar a conta alheia, tentar quebrar sigilo e/ou senha, ganhar acesso ao sistema operacional, obter senhas de outros usuários, causar prejuízo de operação do sistema em detrimento dos demais usuários, utilizar programas para burlar o sistema, bloquear as ferramentas de auditoria automática e/ou outras ações semelhantes; e – Usar indevidamente os recursos disponíveis na Internet como: sites pornográficos; Jogos. É proibido instalar qualquer tipo de jogo. Exceto jogos educacionais e interativos autorizados. f – Downloads (baixar músicas, programas, etc);

Outros serviços e aplicativos que congestionem os acessos e a transmissão de dados. g – Divulgar coletivamente, pela rede, mensagens de interesse particular ou reduzido, com conteúdos indecorosos, ofensivos ou pretensamente humorísticos; Art.18º Utilizar os serviços e recursos da instituição para intimidar, assediar, difamar ou aborrecer pessoas; Art.19º Utilizar os serviços e recursos da instituição para armazenar, divulgar ou transmitir material ofensivo e abusivo, ou de gosto discutível fora dos círculos apropriados; Art.20º Distribuir voluntária ou despercebidamente mensagens não desejadas, como circulares, correntes de cartas ou outros esquemas que possam prejudicar o trabalho de terceiros, causar excessivo tráfego na rede ou sobrecarregar os sistemas; VI – RESERVAS DO LABORATÓRIO Art.21º Os alunos que desejarem fazer uso do laboratório e seus recursos, fora do horário normal de aulas, deverão entrar em contato com a secretaria para verificação de datas e horários; Art.22º As prioridades de uso dos laboratórios e de seus recursos são para as disciplinas em que as atividades de laboratório constam obrigatoriamente no planejamento de ensino. As disciplinas que não são diretamente ligadas à informática, serão atendidas de acordo com a disponibilidade de horário; Art.23º Caso algum curso necessite de mais recursos, do que os disponíveis, ou de utilização em data já reservada, haverá a necessidade de comunicação prévia, bem como acerto com o professor ou com o usuário que anteriormente já tenha planejado e solicitado à utilização do laboratório; Art.24º Os laboratórios poderão entrar em manutenção preventiva e/ou corretiva para que possamos assegurar sempre a qualidade do serviço prestado, conforme necessidades que por ventura venham a acontecer. CAPÍTULO IV DAS PENALIDADES PREVISTAS Art.25º Além do que é previsto pela legislação em vigor e pelo Estatuto da Escola, o não cumprimento das normas acima estabelecidas acarretará em penalidades estipuladas e impostas pela direção da escola, conforme sua gravidade, podendo implicar em: a –Advertência oral e/ou escrita; b –Suspensão do usuário por prazo determinado; c –Proibição de acesso às instalações de forma definitiva; d –Responsabilidades civis ou pessoais cabíveis dentro da lei; e –Outras penalidades, conforme decisão da direção da escola.

VI - DISPOSIÇÕES GERAIS Art.26º O laboratório de informática funcionará de segunda-feira à sexta para atividades da escola e extraordinariamente aos sábados e domingos, no horário de atendimento do programa Portas Abertas; Art.27º O professor da disciplina, quando ministrada nos laboratórios de informática, é o responsável por todos os atos dos alunos; Art.28º Os alunos poderão utilizar o laboratório de informática livremente, desde que fora do horário de aulas práticas, para a realização de trabalhos escolares e pesquisas escola; Art.29º Caso seja observada qualquer irregularidade, tanto com o equipamento tanto com os softwares, o aluno deverá comunicar imediatamente à secretaria da escola; Art.30º Não será permitida a utilização do laboratório de informática para atividades que não estejam diretamente ligadas ao ensino da instituição e que não tenham sido previamente comunicadas; Art.31º Os casos não cobertos detalhadamente por estas Normas deverão ser apreciados pela direção da escola. Art.32º Não é dado o direito ao aluno, em alegar o desconhecimento das normas aqui dispostas, para se livrar de quaisquer penalidades impostas pela instituição. Art.33º A instituição não se responsabiliza por nenhum tipo de arquivo que esteja guardado em áreas destinadas ao uso dos alunos.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->