P. 1
Toxicologia Social

Toxicologia Social

|Views: 9|Likes:
Publicado porFlavia Ferreira

More info:

Published by: Flavia Ferreira on Jan 06, 2014
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

01/06/2014

pdf

text

original

Toxicologia forense: Análise de drogas lícitas e ilícitas

Toxicologia social
Flavia Ferreira Farmacêutica Doutoranda do programa de Pós-graduação em Toxicologia Orientadora: Profa Dra Regina Helena Costa Queiroz Email: flaviasf@fcfrp.usp.br

Abuso de drogas  Importância como problema de Saúde Pública  Aspectos da Farmacodependência .

. funcionais e filogenéticas.Circuito de recompensa cerebral • Divisões: anatômicas.

liberação ou inibição da recaptação de dopamina. . aumentando a produção. direta ou indiretamente. aumentando agudamente a quantidade de dopamina da fenda sináptica.Circuito de recompensa cerebral • Neurônios dopaminérgicos s • Todas as drogas de abuso atuam nesse circuito.

epm.br/material/depquim/4flash.Circuito de recompensa cerebral • http://www.virtual.htm .

Drogas lícitas e ilícitas Padrões e formas de uso Farmacocinética Farmacodinâmica Metabolismo e biotransformação .

5 a 3.THC Carboxi .Cannabis sativa Cinética: Via Oral Pulmonar Efeitos subjetivos Início 30 a 60 minutos imediato Máximo 2.THC Excretado na urina e fezes .5 horas 8 a 15 minutos Duração 4 a 6 horas 2 a 3 horas Dinâmica: age nos receptores canabinóides do cérebro Metabolismo: THC Hidroxi .

Vaporizador usado para o consumo de vapor de maconha .  Haxixe: resina retirada das flores e das inflorescências .Formas de uso da Cannabis sativa  Maconha: folhas e flores secas das plantas femininas. ex: brigadeiro e bolos.  Ingestão via oral: misturado a alimentos. Fumado ou ingerido.  Skank ou Maconha hidropônica: Cannabis cultivada de maneira a potencializar o efeito entorpecente da planta. Alta concentração de THC.

5 a 1 minuto > 3 horas 0.5 horas .25 a 0.Cocaína Absorção Via intravascular Via intranasal Cloridrato de cocaína F=100% Cloridrato de cocaína F=20-60% Pasta de coca Cocaína base livre Crack Dinâmica: inibe a recaptação de norepinefrina. dopamina e serotonina. Via pulmonar F=60% Via oral Cloridrato de cocaína F=20-30% Folhas de coca Via Intranasal Efeitos Absorção máxima 30 minutos Cinética: Duração 1 a 2 horas Gastrointestinal Fumada 60 a 90 minutos 0.

Cocaína Metabolismo: .

Uso de cocaína e dependência Via pulmonar: crack ou pó Via intravenosa: injetável .

• Paco: sobra do refino da cocaína misturada a solventes e ácido. não refinada. Cocaína impura. Contém hidrocloreto de cocaína. • Injetável: hidrocloreto de cocaína solubilizado. • Pó: a pasta base de cocaína refinada.Formas de uso da cocaína  Crack: pasta base de cocaína misturada a bicarbonato de sódio. .

anestésicos e benzodiazepínicos . Intoxicação por etanol: dificuldade de caminhar. • Sistema GABAérgico e sistema opióide/dopamina  Ação semelhante a barbitúricos. percepção de eventos e reação. habilidade de tomar decisões. Redução das capacidades físicas e mentais antes da aparência de embriaguez.Etanol – Toxicodinâmica  Depressor do SNC  Efeito inicial estimulante devido à inibição de processos inibitórios.  Próximas inibições: Julgamento. falar e manter o equilíbrio.

letargia.0 3. comprometimento da circulação e respiração. incontinência.Intoxicação aguda por etanol Etanol (g/L sangue) 0. compreensão.8 – 3. danos de julgamento. diminuição da inibição. resposta sensorial. acentuada falta de coordenação muscular (falar e andar) e resposta a estímulos . apatia.5 + Excitação Confusão Estupor Coma Morte Desorientação. memória.0 2.5 – 4. exacerbação emocional. menor velocidade de pensamento Instabilidade emocional. Inércia.5 – 5.5 1. . 0.3 – 1.5 0. aumento de auto-confiança. Inconsciência. julgamento. aumento do tempo de reação. percepção. atenção.9 – 2.2 Estágio da influência alcoólica Subclínica Euforia Efeitos Efeitos não aparentes Sociabilidade. início do comprometimento motor.1 – 0. hipotermia. falta de reflexos. enjôo. vômito. Depressão respiratória. aumento no limiar de dor. tontura. confusão mental.0 4.

Etanol  Metabolismo .

Heroína  Alcalóides do Ópio .

9-20 min 6 – Monoacetilmorfina (~4x mais potente que a morfina) t ½ = 40 min Morfina Morfina – 3 – glicuronídeo Detectado em urina ou sangue Excretado na urina .Heroína – Biotransformação Desacetilação Heroína Sangue t ½ .

 Liberação de Dopamina na fenda sináptica e aumento da produção de serotonina  As mais comumente usadas são:      Anfetamina Metanfetamina MDMA (Ecstasy) MDA (metabólito do MDMA) Efedrina .Anfetaminas  Mimetizam a ação de neurotransmissores endógenos que estimulam o sistema nervoso simpático.

 LSD  Ketamina e PCP (anestésicos dissociativos)  Substâncias não alucinógenas podem causar alucinações em certas condições (e.Alucinógenos  Drogas capazes de alterar a percepção da realidade.g. altas doses) ..

tricloroetileno  “Lança perfume”  Cloreto de etila  Fluidos de isqueiro e de aerossóis  Butano .Inalantes e solventes  Depressores do SNC  Tolueno  Ácido benzóico  Cola  Hidrocarbonetos halogenados  Tetracloreto de carbono. clorofórmio.

(Março 2007). King LA. "Development of a rational scale to assess the harm of drugs of potential misuse".Relação entre dependência e dano físico  Nutt D. . Saulsbury W. Blakemore C. Lancet 369 (9566): 1047–53.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->