Dicionário da Construção

A Abaular Dar forma curva, arqueada, a uma superfície, a fim de proporcionar melhor escoamento da água ou acabamento estético. Abertura Termo genérico que resumo todo e qualquer rasgo na construção, seja para dar lugar a portas e janelas, seja para criar frestas ou vãos. bertura de vala cto de fa!er valas. Abóbada Todo o tecto c"ncavo pode#se chamar ab$bada. %obertura encurvada. Do ponto de vista geométrico, a ab$bada tem origem num arco que se desloca e gira sobre o pr$prio ei&o, cobrindo toda a superfície do tecto. s ab$badas variam de acordo com a forma do arco de origem. b$bada ogival, também chamada g$tica, cujo arco tem forma de ogiva, é uma marca da arquitectura árabe. b$bada aviajada tem origem num arco cujas e&tremidades estão em desníveis. 'á ainda a ab$bada de lunetas. De menor altura, esse tipo está presente nas casas de estilo colonial americano e facilita a iluminação interior. Abrasão Desgaste causado nas superfícies pelo movimento de pessoas ou objectos. Abrigo (ugar onde o homem pode#se proteger das intempéries. )o uso corrente, indica locais como garagem, também chamada abrigo de carro. Acabamento *emate final da estrutura e dos ambientes da casa, feito com os diversos revestimentos de pisos, paredes e telhados. Acetinado Todo o material tratado para ter te&tura semelhante ao cetim. Acesso *ampa, escada, corredor ou qualquer meio de entrar e sair de um ambiente, uma casa ou um terreno.

Aço-carbono (iga de aço e carbono que resulta num material leve e de grande resist+ncia. Adam ,stilo iniciado com o arquitecto ingl+s *obert dam, que teve grande influ+ncia nas construç-es do colonial americano dos séculos ./000 e .0.. s casas desse estilo são altas, com detalhes leves e p$rticos elaborados a partir de elementos da arquitectura clássica. sua maior marca é a luneta, espécie de ab$bada feita de vidro sobre a porta principal. Adega Também conhecida como cave. palavra, provavelmente, tem origem no termo franc+s cave1 lugar especial da casa, em geral no subsolo, onde se guardam vinhos e a!eites. adega precisa de ter condiç-es climáticas controladas, para melhor conservar os vinhos. Adobo (ou Adobe) Tijolo feito com uma mistura de barro cru, areia em pequena quantidade, estrume e fibra vegetal. Deve ser revestido com massa de cal e areia. 2 termo adobe vem do árabe attobi e designa, também, sei&os rolados dos leitos de rios. Afagar )ivelar, aplainar, desbastar sali+ncias ou alisar madeiras. Afastamento (ou Recuo) *efere#se 3s dist4ncias entre as faces da construção e os limites do terreno. Aglomerado (ou Contraplacado) 5laca prensada, composta de serragem compactada com cola e fechada com duas l4minas de madeira. Agregado 6 o material mineral 7areia, brita, etc.8 ou industrial que entra na preparação do betão. Água do telhado %ada uma das superfícies inclinadas da cobertura, que principia no espigão hori!ontal 7cumeeira8 e segue até 3 beirada. Água-furtada /ão entre as tesouras do telhado. 9ngulo do telhado por onde correm as água pluviais. :$tão com janelas que se abrem sobre as águas do telhado. Água-mestra

)os telhados rectangulares de quatro águas, é o nome que se dá 3s duas águas de forma trape!oidal. s duas águas triangulares chamam#se tacaniças. Alambrado cerca feita com fios de arame que delimita um terreno. Alçapão 5ortinhola no piso ou no forro que dá acesso a caves ou s$tãos. Alçar (evantar a parede, construir. Aldrava (ou Aldraba) rgola que fica do lado de fora da porta e serve de instrumento para bater 3 porta. Alicerce /er ;undação. Almofada )a marcenaria e carpintaria, peça com sali+ncia sobreposta 3 superfície. Alpendre %obertura suspensa por si s$ ou apoiada em colunas sobre portas ou vãos. <eralmente, fica locali!ada na entrada da casa. os alpendres maiores dá#se o nome de varanda. Alto-relevo :ali+ncia criada e definida numa superfície plana. Alvará de construção Documento emitido pela autoridade municipal onde a construção está locali!ada, que licencia a e&ecução da obra. Alvenaria %onjunto de pedras, de tijolos ou de blocos # com argamassa ou não # que forma paredes, muros e alicerces. =uando esse conjunto sustenta a casa, ele chama#se alvenaria estrutural. 2 pr$prio trabalho do pedreiro. Amianto Tem origem num mineral chamado asbesto e é composto por filamentos delicados, fle&íveis e incombustíveis. 6 usado na construção de refractários e na composição do fibrocimento. Andaime 5lataforma usada para alcançar pavimentos superiores das construç-es.

usada em pisos e&ternos.nfeite fi&ado em paredes ou muros. A"uecimento central :istema provido de resist+ncias eléctricas ou de serpentinas 7se o aquecimento for feito a gás8 que centrali!a o aquecimento da água de todas as torneiras de uma casa. Argamassa >istura de materiais inertes 7areia8 com materiais aglomerantes 7cimento e?ou cal8 e água. anti#derrapante. Arcada :ucessão de arcos. .&. Arco :emicircunfer+ncia que cobre um vão. Aprumar certar a verticalidade de paredes e colunas por meio do prumo. o arenito normalmente recebe polimento e rejunte de granilite. Aá a argamassa gorda tem o aglomerante em abund4ncia. argamassa magra ou mole é a mistura com menor quantidade de aglomerante 7cal e?ou cimento8. Armadura estrutural %onjunto de ferros que ficam dentro do betão e dão rigide! 3 obra. Apicoado :uperfície submetida a desbastamento do qual resulta uma te&tura rugosa. usada para unir ou revestir pedras. tijolos ou blocos. Apli"ue 2rnamento. . Arenito *ocha composta de pequenos grãos de quart!o. )ome dado 3 construção que dá origem 3s ab$badas. )ormalmente feito de pedras. responsável pela aglutinação. calcário ou feldspato.1 argamassa de cal 7cal@areia@água8. Ante-pro!ecto 5rimeiras linhas traçadas pelo arquitecto em busca de uma ideia ou concepção para desenvolver um projecto.Anodi ação Tratamento químico no alumínio que lhe confere apar+ncia fosca e cores variadas. que forma conjuntos de alvenaria. . )os pisos internos.

projectou a :agrada . a realidade social e o sentido plástico da época em que se vive. agora assumem função estrutural e passam a ser denominadas pilotis. pastilhas e outros acabamentos.m Iarcelona. se apoia em colunas. com torres g$ticas e adornos barrocos. blocos. misturou#se a elementos regionais. influenciando os primeiros trabalhos do arquitecto franco#suíço (e %orbusier. encostar. 5ossui a arte da composição.amília. :urge em oposição aos e&cessos do rt )ouveau e marca a arquitectura com linhas geométricas e tons pastel. . s colunas.le tornou ainda mais despojadas as formas desse estilo. escorar. 2 movimento concilia a produção industrial e as artes. o conhecimento dos materiais e suas técnicas e a e&peri+ncia na e&ecução de obras. o metro de 5aris 7. Assentar %olocar e ajustar tijolos. >ais tarde.. . criando as bases da arquitectura funcional ou moderna. Bma das artes mais antigas. foi buscar inspiração 3s tradiç-es medievais do seu país para erguer obras dentro do novo estilo. esquadrias. antes ornamentadas.Ar"uitecto 5rofissional que ideali!a e projecta uma construção. um dos mais brilhantes arquitectos espanh$is. e o começo do . nas suas e&tremidades. ganhando diversas vers-es.rança8. . primeira construção art nouveau foi projectada pelo arquitecto belga /ictor 'orta. que tra!iam formas sinuosas. uma alusão ao arquitecto do universo. 2 estilo art nouveau começou a perder força pouco antes da 5rimeira <uerra >undial 7FHFE#FG8. ..scritos medievais são ilustrados com Deus segurando compasso e esquadro. pisos. ntonio <audi. recebeu port-es projectados por 'ector <uimard. )a . 2s projectos enfati!am vãos e grandes espaços envidraçados. Art #$co >ovimento que atinge o seu apogeu entre os anos CD e ED. em Iru&elas. Art %ouveau rte )ova refere#se ao estilo arquitect$nico e de arte decorativa que marcou o final do século . Ar"uitrave /iga de sustentação que. catedral que começou a ser construída em FGGJ.0. tendo em vista o conforto humano. Ar"uitectura rte de compor e construir edifícios para qualquer finalidade. os edifícios mostram ornatos como ninfas com flores nos cabelos. >uitos dos seus elementos retomam o *ococ$ e o <$tico. ssim. em FGHC. Arrimar poiar.uropa.

&andeira .abricado pela utodesL. alinhada lado a lado. Tem origem no latim balaustium. oferecendo ferramentas essenciais para reali!ar projectos em computador. sem estrutura de sustentação aparente. &aldrame Designação genérica dos alicerces de alvenaria. 6 protegido com grades ou peitoril. 2riginalmente. . &alanço :ali+ncia ou corpo que se projecta para além da prumada de uma construção. cercado por telhados pelos quatro lados. marcando fortemente a arquitectura moura na 5enínsula 0bérica. %onjunto de vigas de betão armado que corre sobre qualquer tipo de fundação. & &ai'o-relevo Trabalho de escultura em que as figuras sobressaem muito pouco em relação 3 superfície que lhes serve de fundo. AutoCA# :oftKare que facilita a confecção de plantas e croquis. 5laca de cer4mica polida e vidrada de diversas cores.lemento em balanço. nome da flor de romã. &ala(stre 5equena coluna ou pilar que. 5eças de madeira que se apoiam nos alicerces de alvenaria e que recebem o vigamento do soalho. os a!ulejos ganharam maior difusão. cuja forma inspirou os primeiros balaMstres. característica que sobrevive até hoje. %om os árabes. A ule!o (adrilho. disposto diante de portas e janelas. na altura de pisos elevados. os a!ulejos apresentavam relevos. origem do a!ulejo remonta aos povos babil$nicos. Átrio 5átio de entrada das casas romanas. &alcão .Aterro %olocação de terra ou entulho para nivelar uma superfície irregular. 'oje o termo identifica um pátio de entrada de uma habitação. sustenta corrimãos e guarda#corpos. porém descoberto.

cimento. &arrado (ambris.%ai&ilho fi&o ou m$vel. areia e pedra britada. &arrote 5equena peça de madeira. abrindo vãos para ventilação. designa as casa de campo construídas na Nndia. s telhas dos beirais podem ser sustentadas por mãos#francesas. principalmente. 'ist$ricamente. protegendo# a da acção das chuvas. na portas ou janela. Tem de J a O centímetros de comprimento e de C. de tempo e. &atente *ebai&o onde a porta ou a janela encai&am#se ao fechar. )a arquitectura. 5ode ser fi&o ou m$vel. foi uma reacção 3 austeridade do período artístico anterior. Ietão aparente é aquele que não recebe revestimentos. situado na parte superior de portas e janelas. favorecendo a iluminação e a ventilação dos ambientes. térreas e com grandes varandas cobertas. introdu!iu novas concepç-es de espaço. folha que &eiral 5rolongamento do telhado para além da parede e&terna. de movimento. &etão >istura de água. fecha primeiro. ssim. as construç-es e&ibem um vasto nMmero de ornatos. o %lássico. &asculante :istema empregado em portas e janelas. Ietão armado1 na sua massa disp-em#se armaduras de metal para aumentar a resist+ncia. &arroco . de grão fino e cor escura. apliques e pingentes que parecem flutuar em fachadas e paredes. que permite fi&ar o piso de tábua. usada na pavimentação de estradas e na construção.stilo marcado pelo e&cesso de detalhes e de rebuscamentos. em proporç-es prefi&adas.O a J. que forma uma massa compacta e endurece com o tempo. revestimento colocado nas partes inferiores das paredes. chumbada com massa na laje. &asalto *ocha muito dura.O centímetros de altura. Ietão cicl$pico tem pedras aparentese e de . &angal) Do ingl+s bungaloK. onde as peças giram em torno de um ei&o até atingir a posição perpendicular em relação ao batente ou 3 esquadria.

&loco Designa edifícios que constituem uma s$ massa construída. )o soalho. &loco de betão . nas terças e nos frechais. Tem função estrutural ou decorativa.ragmentos de pedra usados na betonagem. em paredes. . apoia#se nos barrotes.formas irregulares.edra britada) 5edra fragmentada.staca broca C Caiar 5intar com cal diluída em água. plástico ou metal. &oleado cabamento abaulado no contorno da superfície de madeira. segura as vigas ou tesouras do madeiramento. &loco cer*mico . &loco de vidro .lemento de vedação que ajuda a iluminar o ambiente. pedra. &etoneira >áquina que prepara o betão ou mistura as argamassas. como tubos. normalmente. Também fi&a peças. conferindo#lhe grande leve!a.lemento de vedação com medida#padrão. &rita (. Caibro 5eça de madeira que sustenta as ripas de telhados ou de soalhos. Ietão celular é uma variável que substitui a pedra britada por microcélulas de ar. o caibro assenta nas cumeeiras. &loco s+lico-calcário >istura de areia silicosa e cal virgem. . 5ode ter função estrutural ou não.lemento de dimens-es padroni!adas. )os telhados. &roca /er . &raçadeira 5eça metálica que. Tem função estrutural.

Canteiro de obra (ocal da construção onde se arma!enam os materiais 7cimento. Carpinteiro .Cai'a-d-água Dep$sito de água confeccionado em materiais como betão armado. 6 obtida a partir do aquecimento da pedra calcária a temperaturas pr$&imas dos FDDD graus %elsius. pouco ornamentados.8 Cantoneira 5eça em forma de ( que remata quinas ou 4ngulos de paredes. Capitel 5arte superior. como os j$nicos.8 e se reali!am os serviços au&iliares durante a obra 7preparação da argamassa. %amada de betão aplicada sobre a pedra que impermeabili!a a superfície. Também serve de apoio a pequenas prateleiras. cobre. Cai'a de escada . dobragem de ferro. Duto de alumínio. aço ou plástico. em sentido vertical. lguns capitéis são simples. de uma coluna. Canali ador 5rofissional que e&ecuta o projecto hidráulico do engenheiro. processo que resulta no aparecimento do mon$&ido de cálcio 7%a28 e ganha o nome de cal virgem. Capa Demão de tinta. Calafetar /edar fendas e pequenos buracos surgidos durante a obra. destinado 3 escada.spaço. Calha %anal. Cálculo estrutural %álculo que estabelece a dimensão e a capacidade de sustentação dos elementos básicos de uma estrutura. madeira. 5/% ou latão que recebe as águas das chuvas e as leva aos condutores verticais. ferro galvani!ado. ferro. 2utros. são rematados com volutas. em geral esculpida. Cal >aterial indispensável 3 preparação das argamassas. a e&emplo dos d$ricos. etc. fibrocimento. Cai'ilho 5arte da esquadria que sustenta e guarnece os vidros de portas e janelas. etc.

>isturado com água. por um fabricante ingl+s de cal. Tem formato cilíndrico#c$nico. Chanfrar %ortar em diagonal os 4ngulos rectos de uma peça. com uma cabeça numa das e&tremidades e uma abertura na outra. Chamin$ Duto de metal ou de alvenaria que condu! o fumo da lareira e do fogão para o e&terior da casa. cujas características são resist+ncia e solidificação em tempo curto. forma um composto que endurece em contacto com o ar. que dá uma cor esbranquiçada ao material. como o cimento com p$ de mármore. Chapiscar (ançar argamassa de cimento e areia grossa contra a superfície para torná#la áspera e facilitar a ader+ncia da primeira camada de argamassa. Cer*mica rte de fabricação de objectos de argila. Cimento glomerante obtido a partir do co!imento de calcários naturais ou artificiais. . telhas e vasos. 2utros tipos surgem na mistura desse cimento com diversos compostos ou elementos. Cave 5equeno espaço situado entre o solo e o primeiro pavimento de uma casa.5rofissional que trabalha o madeiramento de uma obra. tais como tijolos. as estruturas de alvenaria. 2 cimento de uso mais frequente hoje é o 5ortland. ganhou esse nome porque a sua coloração era semelhante 3 da terra de 5ortland. Chumbar . Também refere#se 3s lajotas usadas em pisos ou como revestimento de paredes. Cascalho (asca de pedra. que completa a junção. Desenvolvido em FGCE. Caulino rgila branca. 6 usado com a cal e a areia na composição das argamassas. onde se encai&a a chaveta # um tipo de trava #. rica em carbonato de cálcio. etc. Cavilha 5eça de fi&ação que serve para manter juntas as peças de madeira.i&ar com cimento. base de e&tracção de cal.

5ode ser de pedra.ssas formas. Contraverga /iga de betão usada sob a janela para evitar a fissuração da parede. Contraplacado %hapa de madeira sobreposta e colada sob forte pressão. Cobertura %onjunto de madeiramentos e de telhas que serve de protecção 3 casa. 2s ingleses dei&aram a sua herança na mérica do )orte. maior resist+ncia e homogeneidade. com cerca de J centímetros de cimento e areia. assumiu as formas mais variadas e diversos ornamentos. sobretudo na região das %araíbas. Colonial Tipo de arquitectura praticada nos países que foram col$nias. colunas e front-es. o longo da hist$ria da arquitectura. quase sempre vertical. 5eríodo marcado por construç-es de planta rectangular. Aá elementos da arquitectura holandesa e francesa aparecem na mérica %entral. porém. as influ+ncias portuguesas estão presentes já nas primeiras construç-es brasileiras e as espanholas marcam alguns países da mérica do :ul. de maneira mais s$bria. Tem as mesmas características da madeira em relação 3 elasticidade e ao peso. e nas fachadas pouco ornamentadas. . inicialmente presentes nos templos. .lemento estrutural de sustentação. madeira ou metal e consta de tr+s partes1 base. ainda na primeira metade deste século. djectivo para tudo o que se torna modelo ou padrão em arquitectura. alvenaria. as colunas passaram a ser chamadas internacionalmente de pilotis e ganharam formas limpas. Coluna . passaram a repetir#se nas casas. para iluminar o interior. fechada por cai&ilho com vidro ou outro material transparente. que nivela o piso antes da aplicação do revestimento. o que permite o fabrico de peças de grandes dimens-es. fuste e capitel.sses elementos aparecem inicialmente nas colunas d$ricas e j$nicas dos templos gregos. Clássico *elativo 3 arte e 3 cultura dos antigos povos gregos e romanos. . Contra-piso %amada.Clarabóia bertura no tecto da construção. partir da visão funcionalista do arquitecto suíço (e %orbusier. %entral e do )orte. ssim. presenta.

scoamento de águas por meio de tubos ou valas subterr4neas. #ilatação umento de dimensão. grande viga de madeira que une os vértices da tesoura e onde se apoiam os caibros do madeiramento da cobertura. #emão %ada camada de tinta aplicada sobre uma superfície qualquer. Também chamada espigão hori!ontal. 2s projectos de engenharia e arquitectura trabalham com previs-es de dilatação dos materiais e dos elementos envolvidos numa estrutura de construção. duro. #esgaste /er brasão. =uando o terreno se apresenta em subida em relação 3 rua. Cromado >etal que recebe uma camada de cromo. chamados de drenos. biombos.Corrimão poio para a mão colocado ao longo das escadas. #renagem . que dá brilho semelhante ao aço ino&idável. principalmente a partir da acção do calor. Cro"ui 5rimeiro esboço de um projecto arquitect$nico. umento do volume dos corpos. . . # #eclive (adeira. C(pula /er b$bada. /er Aunta de dilatação.lemento metálico. #ivisória 5aredes que separam compartimentos de uma construção. Cumeeira 5arte mais alta do telhado. onde se encontram as superfícies inclinadas 7águas8. Tapumes.

levação *epresentação gráfica das fachadas em plano ortogonal. fios 7condutas8 ou ar.lectricista 5rofissional encarregado de fa!er a instalação eléctrica projectada pelo engenheiro. paredes e fachadas..moldurar.ncai'ilhar . embutido. . . . cer4mica ou vidro.mpreitada Bm ou mais profissionais contratados para e&ecutar qualquer tipo de obra ou serviço. %omum em muros. construção.ncai&ado. .ngenharia %i+ncia técnica e arte das construç-es civis.lemento va ado 5eça produ!ida em betão. . . dotada de aberturas que possibilitam a passagem do ar e lu! para o interior da casa. respectivamente. ou seja.#uto Tubo que condu! líquidos 7canos8. colocar o cai&ilho.. pilares e lajes.ngenheiro el$ctrico e hidráulico %alcula e projecta as instalaç-es eléctricas e hidráulicas. . de uma construção.ncastrado .8 . tais como fundaç-es. .ngenheiro . vigas. 7.dificação 2bra.a! os cálculos dos elementos da estrutura da obra. . . . . sem profundidade ou perspectiva.mpena %ada uma das duas paredes laterais onde se apoia a cumeeira nos telhados de duas águas.

ace vertical do degrau de uma escada. .spigão 5onto culminante de um telhado. cer4micas e porcelanas. janelas. . . que serão preenchidos com betão . Tinta oleosa usada especialmente nas esquadrias e nos cai&ilhos de metal. com o au&ílio de um instrumento chamado trado. Transmite o peso da construção para as partes subterr4neas # e mais resistentes. . .. . de modo a adquirir a apar+ncia lisa e cristalina do espelho. . etc. como portas. . .spelhado :uperfície polida. estaca do tipo broca é cravada em pequena profundidade. em terrenos que suportam pouco peso e quando a perfuração do solo é feita manualmente.ntablamento %onjunto de molduras usadas para ornamentar a parte superior das fachadas. (inha que divide as águas de uma cobertura.s"uadria =ualquer tipo de cai&ilho usado numa obra. que é cravado nos terrenos.staca broca Bsada em fundaç-es de casas simples.staca strauss =uando a perfuração é feita com um aparelho chamado strauss # daí o nome da estaca.spelho .scora 5eça metálica ou de madeira que sustenta ou serve de trava a um elemento construtivo quando este não suporta a carga e&igida. . no má&imo até E metros. . geralmente de betão armado.sse tipo de estaca deve ser cravado numa profundidade de até G metros.staca 5eça longa.scavação cto de retirar um volume de terra de um local. .scada :érie de degraus por onde se sobe ou se desce.smalte :ubst4ncia vítrea aplicada sobre metais. 5laca que veda e decora o interruptor de lu! de um ambiente. /er %umeeira.

pilares.. . friso. telhados ou forros. gesso. . que irão compor a estrutura da construção. Toda a argamassa de revestimento. de betão armado. cimento e água. lajes. . /erreiro 5rofissional responsável pelo corte e pela armação dos ferros de uma construção. . /orma . /ilete >oldura estreita.studo preliminar =uando se verifica a viabilidade de uma solução que dá directri!es ou orientaç-es ao ante#projecto. /ibrocimento >aterial que resulta da união do cimento comum com fibras de qualquer nature!a # a mais frequente é a fibra do amianto.stu"ue >assa 3 base de cal.m geral. geralmente acrescida de gesso ou p$ de mármore.lemento montado na obra para fundir o betão. areia. /iada .strutura %onjunto de elementos que forma o esqueleto de uma obra e sustenta paredes. etc.. usada no revestimento de paredes e de forros.ileira hori!ontal de pedras ou de tijolos de mesma altura que entram na formação de uma parede. são de madeira ou de metal. / /achada %ada uma das faces de qualquer construção. Também usada para fa!er forros e ornatos. /issura %orte superficial no betão ou na alvenaria. dando formas definitivas a vigas.

placas fibrosas. tecidos. /resco Técnica de pintura usada na *enascença 0taliana. Trabalha o revestimento ainda hMmido de paredes e tectos. feita de cimento ou de alvenaria. sendo posteriormente encaminhados a uma nova fossa ou 3 rede de esgotos. *ecobrir uma superfície com metal para preservá# lo da corrosão. ambas indicadas para terrenos firmes1 a sapata isolada. /uste 5arte intermédia de uma coluna. /undação (ou Alicerce) %onjunto de estacas e sapatas responsável pela sustentação da obra. 0 0abarito >arcação feita com fios nos limites da construção antes do início das obras. /iga que assenta sobre o topo da parede. constituída por pequenas lajes armadas. servindo de apoio 3 tesoura./orro >aterial que reveste o tecto. que se estendem sob a alvenaria e recebem o peso das paredes. permitindo a absorção da tinta. construídos nos pontos que recebem a carga dos pilares e interligados por baldramesP e a sapata corrida. entre a base e o capitel. /ossa s$ptica %avidade subterr4nea. 5ara terrenos mais difíceis. 0eminada . que é composta por elementos de betão de forma piramidal. promove o isolamento térmico entre o telhado e o piso. estuque. 0alvani ar Dourar ou pratear. /rechal %omponente do telhado. onde os esgotos são acumulados. 5ode ser de madeira. e&istem as fundaç-es profundas. 'á dois tipo de fundação rasa. distribuindo#o por uma fai&a maior do terreno. como as estacas tipo broca ou tipo strauss. gesso. 2 encontro de dois fios demarca o lugar dos pilares. etc.

&istem diversas cores de granito e.00. e marca as construç-es com ab$badas ogivais e motivos tirados da nature!a. usada para revestir paredes e pisos. 0uia 5eça de pedra ou de betão que delimita a calçada da rua. 0ranito *ocha cristalina formada por quart!o. . 0ótico :urgiu em . sacados ou varandas. p$ de mármore e rochas minMsculas. >uito usado para revestir pisos. usada no acabamento de tectos e paredes. ' 1all de entrada 5atamar de acesso ao interior da casa. 2mpermeabili ação . na segunda metade do século . muitas ve!es. como as rosáceas. 0esso 5$ de sulfato de cálcio que misturado 3 água forma uma pasta compacta. 0uarda-corpo <rade ou balaustrada de protecção usada em balc-es. 5eça que direcciona o sentido de movimento das peças m$veis. 2 2luminação rte de distribuir lu! artificial ou natural num espaço. como as portas de correr. 0ranilite >istura de cimento 7geralmente branco8. o seu nome deriva da sua cor ou do local onde fica a ja!ida. 2 g$tico varia de país para país e culmina com estruturas finas de pedra demarcando grandes janelas com vidro. e&ige o uso de juntas de dilatação. janelas.rança.*efer+ncia a duas casas unidas por uma mesma parede.&ecutado no pr$prio local da aplicação. feldspato e mica. .

3unta rticulação. quando a construção sofre os efeitos de va!amentos ou problemas no sistema hidráulico. 2nclinação 9ngulo formado pelo plano com a linha hori!ontal. 3 3anela bertura destinada a iluminar e ventilar os ambientes internos. escadas. do som e da humidade. 2ncrustação dorno que destaca composiç-es com elementos embutidos ou incrustados. 3unta de dilatação . /er <abarito. para compor coberturas. (inha ou fenda que separa dois elementos diferentes mas justapostos.&istem dois tipos básicos1 de fora para dentro. rampas ou outro elemento inclinado. 2nsolação =uantidade de energia térmica proveniente dos raios solares recebida por uma construção. 2nfiltração cção de líquidos no interior das estruturas construídas. além de facilitar a visão do e&terior.%onjunto de provid+ncias que impede a infiltração de água na estrutura construída. . 2mplantação %riação de traços no terreno para demarcar a locali!ação e&acta de cada parte da construção. 2no'idável *efere#se aos metais submetidos a processos que impedem a o&idação ou a ferrugem. 2solamento *ecurso para resguardar um ambiente do calor. quando se refere aos danos causados pelas chuvas ou pelo lençol freáticoP e de dentro para fora.

arenito ou metal. /er dam. barro co!ido. metal ou plástico que criam o espaço necessário para que os materiais como betão. envidraçada.ai&as inferiores das paredes 7rodapés8. 5ongarina /iga de sustentação em que se apoiam os degraus de uma escada ou uma série de estacas. com pouca espessura.*ecurso que impede rachaduras ou fendas. 5evantamento topográfico *efere#se 3 análise e descrição topográfica de um terreno. de cer4mica. se e&pandam sem danificar a superfície. 5ote /er Terreno.strutura plana e hori!ontal de pedra ou betão armado. 5uneta bertura de forma circular. cimento. cimento. mármore. colocada no topo de janelas e portas. 5a!e . pedra. 4 5 5adrilho 5eça quadrada ou rectangular. Também é um tipo de ab$bada. :ão réguas muito finas de madeira. etc. 5ambris . apoiado em vigas e pilares. que divide os pavimentos da construção. 5ençol freático %amada onde se acumulam as águas subterr4neas. 6 6ão-francesa .

aberta lateralmente. 6osaico . divide as folhas da janela. diminuindo o vão livre no pavimento inferior. 6arcação 5rimeira fiada de bloco ou tijolo para marcar o alinhamento das paredes. 6assa rgamassa usada no assentamento ou revestimento de tijolos. 6eia-parede 5arede que não fecha totalmente o ambiente.:érie de tesouras. 6ármore *ocha cristalina e compacta. 6a"uete *eprodução tridimensional. janelas. 6ar"uise 5equena cobertura que protege a porta de entrada. usada como divis$ria.scora. 5eça vertical que. etc. *eveste pisos e paredes e também guarnece bancas de co!inha e casas#de#banho. %obertura. em miniatura. da fundação ao acabamento. de um projecto arquitect$nico. 6estre-de-obras 5rofissional que dirige os operários numa obra. . 6arceneiro 5rofissional que reali!a o trabalho da madeira na obra ou na confecção de m$veis. . 6arco 5arte fi&a das portas ou janelas que guarnece o vão e recebe as dobradiças.lemento estrutural inclinado que liga um componente em balanço 3 parede. 6emória descritiva Descrição de todas as características de um projecto arquitect$nico. especificando os materiais que serão necessários 3 obra. 6ontante >oldura de portas. no cai&ilho. que se projecta para além da parede da construção. Tem bom polimento e pouca resist+ncia ao calor.

7'idação .ibra t+&til sintética. 7 7giva . 5rocesso em que se perde o brilho pelo efeito do ar ou por processos industriais. %ivelar *egulari!ar um terreno por meio de aterro ou escavação. .Trabalho e&ecutado com caquinhos de vidro ou pequenos pedaços de pedras e de cer4micas incrustados em base de argamassa. 7rnato dorno. estuque ou cola. elástica e resistente a agentes atmosféricos. 7mbreira (ou 8mbral) %ada uma das peças verticais de portas e janelas responsáveis pela sustentação das vergas superiores. 6uro de contenção Bsado para contenção de terras e de pedras de encostas.errugem.lemento com função decorativa. . %orma t$cnica *egra que orienta e normali!a a produção de materiais de construção. 7rientação 5osição da casa em relação aos pontos cardeais. % %ailon . %+vel 0nstrumento que verifica a hori!ontalidade de uma superfície. a fim de evitar ondulaç-es em pisos e contra#pisos.orma característica das ab$badas g$ticas.

porcelanas ou cer4micas.assadiço %orredor. >arco de pedra.arede .atine .adrão >odelo. porcelana ou vidro.ar"uet 5iso feito da composição de tacos. quadrada ou he&agonal.ainel <rande superfície decorada.lemento de vedação ou separação de ambientes. . geralmente construído em alvenaria. . . . etc. terraços. . . . feita de cer4mica. )esse sentido. tanto no interior como no e&terior da construção.alafita %onjunto de estacas que sustenta a construção acima do solo nas habitaç-es lacustres. 5rotecção que atinge a altura do peito. . patamares. que dá aspecto antigo 3s superfícies.feito o&idado.átio . sem grades ou balaMstres. pastilhas. obtido artificialmente por meio de pintura ou pela acção do tempo. apresenta composiç-es de mosaicos. . . que formam desenhos a partir da mistura de tonalidades de várias madeiras.spaço descoberto no interior das casas e cercado pelos elementos da construção. galeria ou ponte que liga dois sectores ou alas de uma construção. . sacados. Diferencia#se do guarda#corpo por se tratar de um elemento inteiro. presente em janelas.astilha 5equena peça de revestimento.atamar 5iso que separa os lances de uma escada. .arapeito 5eitoril..

hori!ontais e m$veis para ventilar e regular a entrada de raios solares. etc. . recebe o nome de coluna. . resinosa. que se emprega na construção de edifícios.. que apoia vasos e esculturas. .lemento estrutural vertical de betão. . . betão.eitoril Iase inferior das janelas que se projecta além da parede e funciona como parapeito. %onjunto de depend+ncias de um edifício situadas num mesmo nível.edra %orpo s$lido e&traído da terra. =uando é circular.ersiana %ai&ilho formado por tábuas de madeira. no revestimento de pisos e em peças de acabamento.scala que mede o grau de acide! de diversas subst4ncias. . .$-direito ltura entre o piso e o tecto. apoiada em colunas ou em balanço.1 .ilar .edreiro 5rofissional encarregado de preparar a alvenaria. em balanço em relação 3 parede. alvenaria. . . /er 5iso.erspectiva Desenho tridimensional de fachadas e ambientes. composta por elementos paralelos feitos de madeira.iche :ubst4ncia negra. madeira. pedra ou alvenaria. . . tiras plásticas. .eanha 5equeno pedestal. ou patido de rochedo. obtida da destilação do alcatrão ou da terebintina. :erve para impermeabili!ar superfícies. pegajosa. :ão estreitas.$rgola 5rotecção va!ada.avimento ndar. metálicas ou t+&teis.

ilotis %onjunto de colunas de sustentação do prédio que dei&a livre o pavimento térreo.lano #irector 6unicipal %onjunto de leis municipais que controlam o uso do solo urbano. >uito usada para mostrar instalaç-es hidráulicas. ndar. . sem o telhado. . 5avimento.ostigo . com pontos de fuga. transparente. que substitui o vidro no fecho de estruturas. 2nde se apoia o contra#piso.orta bertura feita nas paredes. nos muros ou em painéis envidraçados. . de alta resist+ncia.olir (ustrar uma superfície.iso Iase de qualquer construção.olicarbonato >aterial sintético. . rasgada até ao nível do pavimento. ..intor 5rofissional encarregado de preparar e aplicar a tinta nas superfícies que vão receber pintura. que serve de vedação ou acesso a um ambiente. . . inquebrável. . .lanta *epresentação gráfica de uma construção onde cada ambiente é visto de cima. . <arante luminosidade natural ao ambiente. .laina 0nstrumento usado para desbastar.lanta isom$trica Tipo de perspectiva em que o desenho reprodu! todos os elementos do projecto. :ão comuns os polimentos das pedras usadas nos revestimentos de paredes e pisos.oço artesiano 5erfuração feita no solo para encontrar o veio de água subterr4neo. aplainar ou tirar irregularidades da madeira.

rumada 5osição vertical da linha do prumo. 9 R Reboco *evestimento de parede feito com massa fina. R$gua 5rancha estreita e comprida de madeira.5equena abertura ou fresta.rumo )ome do aparelho que se resumo a um fio provido de um peso numa das e&tremidades. 5equeno vão feito a meia altura de uma parede que permite a passagem de objectos de uma divisão para outra. Também denomina a linha das paredes de uma construção. elevaç-es. 5erfil quadrado de alumínio que nivela pisos e paredes. reunindo plantas. . 5ortinhola aberta sobre a folha de uma porta maior. previsão de paisagismo e acabamentos. pormenori!ação de instalaç-es hidráulicas e eléctricas. Revestimento Designação genérica dos materiais que são aplicados sobre as superfícies toscas e que são responsáveis pelo acabamento. 5ermite verificar por paralelismo a verticalidade de paredes e colunas.r$-fabricado =ualquer elemento produ!ido ou moldado industrialmente. enquanto a massa ainda está mole. . . . podendo receber pintura directamente ou ser recoberto com massa corrida. . Remate . 2 seu uso tem como objectivo redu!ir o tempo de trabalho e racionali!ar os métodos construtivos.ro!ecto 5lano geral de uma construção. de dimens-es padroni!adas.inali!ar um serviço na fase de acabamento da obra. Refractário =ualidade dos materiais que apresentam resist+ncia a grandes temperaturas. cortes.

junto ao piso. :apatas 5arte mais larga e inferior do alicerce.8 que e&ija protecção contra infiltraç-es de água. 'á dois tipos básicos1 a isolada e a corrida. distribuindo#o por uma fai&a maior de terreno. bloco.O e C. pedra. cer4mica. de onde é retirada. mármore. com largura entre O e CD centímetros e espessura entre D. mbos os elementos são indicados para a composição de fundaç-es assentes em terrenos firmes. essas sapatas são interligadas pelo baldrame. cer4mica. :ervente u&iliar dos profissionais que trabalham nas obras.Rodap$ . /er Ialcão. madeira. . 5ode ser usada na composição de argamassas. :ifão 5eça formada por um compartimento que retém água. 2s rodapés podem ser de madeira. :arrafo *ipa de madeira.&istem também sei&os obtidos artificialmente. características dadas pelas águas dos rios. a!ulejo. etc. %omo ficam isoladas. etc. encontrada em ja!idas pr$prias. encontrado na saída das bacias sanitárias. Ialcão de janela rasgada até ao chão com peitoril saliente. :ei'o rolado 5edra de formato arredondado e superfície lisa.O centímetros. primeira é um elemento de betão de forma piramidal construído nos pontos que recebem a carga dos pilares.ai&a de protecção ao longo das bases das paredes. de cor avermelhada ou amarelo#escura. . na adesão e no isolamento de qualquer superfície 7cimento. nos ralos sifonados e em cai&as de inspecção nas redes de esgotos. Aá a sapata corrida é uma pequena laje armada colocada ao longo da alvenaria que recebe o peso das paredes. :aibro reia grossa. : :acado 5equena varanda. :ilicone >aterial usado na vedação. rolados em máquinas. vidro. =ualquer espaço construído que fa! uma sali+ncia sobre o paramento da parede.

cer4mica. . madeira.elhado %obertura de uma edificação. .alude *ampa. . francesa. .elha %ada uma das peças usadas para cobrir as construç-es. vã. vidro.ábua corrida 5iso de tábuas encai&adas em geral largas e contínuas. pr$pria para pisos.ábua 5eça de madeira plana e delgada. cimento#amianto. ferro. . formando um degrau na parte de fora. alumínio.:oleira parte inferior do vão da porta no solo. mantendo o mesmo nível. 5eça paralela 3 cumeeira e ao frechal. chumbo. . . Também designa o remate na mudança de acabamento de pisos. pedra.erraço . . %ada inclinação de telhado requer um tipo de telha. . s telhas t+m formas variadas e podem ser de barro.erça /iga de madeira que sustenta os caibros do telhado. etc. etc. e nas portas e&ternas. :oalho 5iso de madeira de tábuas corridas. policarbonato. /er :oalho. colonial. . 0nclinação de um terreno em consequ+ncia de uma escavação. manta asfáltica. :ótão Divisão que surge dos desníveis do telhado no Mltimo pavimento de uma construção. .aco %ada uma das pequenas peças de madeira que formam o parquet.&1 %apa#canal.apume /edação provis$ria feita de tábuas que separa a obra da rua.

spaço de terra sobre a qual vai assentar a construção. ou qualquer material empregado para revestir uma superfície. .e'tura .opógrafo 5rofissional que estuda os níveis e as características do terreno para ajudar o arquitecto e o engenheiro no seu trabalho. 8 8rbanismo . sem o au&ílio de paredes internas. por sua ve!. metal ou alumínio. usada em telhados que cobrem grandes vãos. tinta.irante /iga hori!ontal 7tensor8 que. . <aleria descoberta.i!olo 5eça de barro co!ido usada na alvenaria.esoura rmação de madeira triangular. 2s tijolos laminados são produ!idos industrialmente. dei&ando#a áspera. . . =uando tem função estrutural. .%obertura plana. está sujeita aos esforços de tracção. Também designa nuances do marron que lembram a cor da terra.erreno (ote. >assa. /er 0mplantação. chama#se viga treliça e pode ser de madeira.feito plástico. . nas tesouras. que.spaço aberto ao nível do solo ou em balanço. Iarra de ferro. Tem forma de paralelepípedo rectangular com espessura igual a metade da largura. . é igual a metade do comprimento. . .opografia nálise e representação gráfica detalhada de um terreno que direcciona toda a implantação da construção.erraplanagem 5reparação do terreno para receber a construção. .erracota rgila modelada e co!ida. .reliça rmação formada pelo cru!amento de ripas de madeira. . cabo de aço ou qualquer outro elemento que se presta aos esforços de tracção.

<edação cto de vedar.echar. <iga . <aranda lpendre grande e profundo. portas. viga transfere o peso das lajes e dos demais elementos 7paredes.scavação estreita e longa feita no solo para escoar águas residuais ou pluviais e também para a e&ecução de baldrames e de instalaç-es hidráulicas ou eléctricas.Técnica de organi!ar as cidades com o objectivo de criar condiç-es satisfat$rias de vida nos centros urbanos. /er :acado.8 para as colunas. < <ala . <erni :olução composta de resinas sintéticas ou naturais que trata e protege a madeira e o betão armado. . <idro aramado quele que tem uma trama de arame no seu interior para torná#lo mais resistente. <idro temperado quele que passa por um tratamento especial de aquecimento e rápido arrefecimento para torná#lo mais resistente a impactos. <inil Tipo de plástico apropriado para revestir pisos e paredes. ferro ou betão armado responsável pela sustentação das lajes. 8sucapião 0nstrumento legal que possibilita o acesso 3 propriedade da terra pela posse. <igota 5equena viga. .lemento estrutural de madeira. etc. <ão bertura ou rasgo numa parede para a colocação de janelas ou portas.

dos agregados. . com pouca inclinação. ################################################################################ . etc. @incado >aterial que foi revestido de !inco. = > ? @ @arcão :ubproduto do chumbo. <oluta 2rnato em forma de espiral que aparece nos capiteis de colunas clássicas. 2 revestimento de chapas de ferro dá origem 3s telhas de !inco usadas em coberturas ou telhados quase planos. especialmente nas j$nicas. >uitas ve!es.vita a ferrugem. da terra retirada ou colocada no terreno.<itrificado >aterial que assume a apar+ncia do vidro. de cor alaranjada. resulta da aplicação de uma camada de vidro sobre outro material. <olumetria %onjunto de dimens-es que determinam o volume de uma construção.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful