P. 1
As Pragas Divinas e as Propostas Farao

As Pragas Divinas e as Propostas Farao

|Views: 32|Likes:
Publicado porrsmauro

More info:

Published by: rsmauro on Jan 15, 2014
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as TXT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

04/15/2014

pdf

text

original

I

INTRODUÇÃO:

As palavras hebraicas traduzidas na bíblia por (1) - MAGGEPA (2) (3) NEGA NEGEP

pragas têm os seguintes sentidos:

- Ex 9:14 = GOLPE SEVERO ou PESADO;

- Ex 11:1 = UM TOQUE ou UM GOLPE PESADO; (Ex 12:13) = UM GOLPE SEVERO

As dez pragas foram dez pesados golpes desferidos por Deus contra satanás, contra fa raó (com sua pretensão de ser um deus), contra os deuses do Egito e todo o sistema r eligioso, e contra os sacerdotes-magos ou bruxos. Revelaram o conflito ou batalh a que se travou entre Deus (por meio de Moisés) e o diabo (operando por meio de Fa raó e suas hostes). II - A PRIMEIRA PRAGA: AS ÁGUAS DO EGITO TORNAM-SE EM SANGUE : Ex 17:19-25 - O Nilo era considerado sagrado pelos egípcios. Muitos de seus deuses eram associados direta ou indiretamente àquele rio e à sua produtividade. Por exemp lo: Khnum guardião do Nilo ; - acreditavam que ele se manifestava alg

Hapi - espírito do Nilo e sua essência dinâmica umas vezes nos crocodilos do Nilo;

Osíris - deus do submundo ou mundo inferior ; o Rio Nilo era a sua corrente sanguínea; Neith - deusa guerreira que protegia o maior peixe (lates) do Rio Nilo ; Hathor - era protetor dos peixes pequenos (chromis) ; Sobek deus-crocodilo, muito venerado no Baixo Egito, próximo às margens do Nilo .

O rio Nilo era um deus para os egípcios e suas águas eram consideradas águas da vida, em virtude de fertilizarem o solo. Agora, esse deus vai se transformar numa abom inação simbolizadora da morte. Quando isso aconteceu, os egípcios começaram a cavar poços perto do rio, à procura de água boa, porquanto todas as águas do Egito tornaram-se san gue: todas as nascentes, todos os rios, lagoas, águas empoçadas, até mesmo as águas dos recipientes domésticos. De repente, o doador da vida se transformara numa grande a meaça de morte. A incredulidade culta gosta de tentar destruir os milagres da bíblia. A respeito d essa primeira praga, intérpretes dizem tratar-se de um fenômeno natural que aconteci a no Nilo todos os anos, um avermelhamento das águas, em virtude de grande quantid ade de certo microorganismo, ou diluição de certos minerais. Pura tolice!!! A bíblia registra que: (1º) - O fenômeno ocorreu repentinamente, obedecendo à ordem de Moisés: e (2º) - O fenômeno atingiu todas as águas do Egito, até mesmo as águas que as famílias mantin ham em recipientes domésticos, que de modo algum poderiam ter sido alcançadas pelas causas naturais aludidas. De acordo com Êxodo 25, esta praga durou sete dias.

Is 51:8). que d eixava muitas piscinas e poças habitadas por rãs. mas não conseguira m desfazê-las.TERCEIRA PRAGA: INVASÃO DE PIOLHOS Ex 8:16-19 A palavra 31. após o período de inundação.Mt 24:24. as rãs morreram. Há quem diga que os magos fizeram truques. O poder deles foi ul trapassado pelos representantes de Jeová. No Egito também era adorado o deus Thoth (o deus da sabedoria e do mistério).A palavra hebraica AROBH. transmitindo a impressão de terem produzido as duas primeiras pragas. Os bruxos conseguiram realizar apenas as duas primeiras pragas. mas nem mesmo este deus pode ajudar os sace rdotes-magos a imitar a terceira praga. Essas associações levaram os egípcios a deificar a rã e fazer a teofania da deusa Heqt deusa rã -. por meio de suas artes secretas (Ex 8:16 a 19). registra-se que esta praga ir ritava não só os homens. mas não a mais do que isso na reprodução de s inais e maravilhas . para que pudessem completar o seu trabalho. e símbolo de ressurreição e emblema de fertilidade.Na mitologia egípcia. Em larga escala. empregando ilusionismo. Atribuíam a ela a invenção da magia ou das artes secretas. Era cr ido como o deus escrevente. deixando nela uma coceira intolerável. de Alexandria.III . o que é um sinal a mais da limitação dos poderes das trevas diante de Deu s. Depois que faraó chamou Moisés e Arão e eles oraram. traduzida por moscas tem o sentido de ves pas e escaravelhos. piolhos (ken) aparece apenas no presente contexto (cf Sl 105: O filósofo Filo. V . fazendo com que a terra ficasse fértil. cuja sabedoria e autoridade eram marcantes s obre todos os outros deuses. Em Êxodo 17. Os agricultores acreditavam que o som das rãs era uma evidência de que os deuses estav am controlando o Nilo (principalmente o deus Hapi . Na septuaginta essa palavra foi traduzida por KUNÓIMA. Os magos reconheceram a derrota quando se viram incapazes de transformar o pó em b orrachudos. Ele não deixou nenhum resquício de pó para os magos conseguir imitar o milag re da terceira praga. a Bíblia diz clar amente que eles FIZERAM O MESMO QUE MOISÉS (Ex 7:22. 8:7). mas picava a pel e. representavam fartura. com o fim de dissuadir o Faraó da ideia de permitir a saída do povo. as rãs eram a corporificação do poder vivificador. o juiz. Entretanto. bênção e a certeza de boa colheita. Também pudera! Todo o pó da terra foi usado por Deus. o maior judeu escritor da diáspora. Ele anotava todos os pensamentos. palavras e ações dos homens durante a sua vida e as pesava na balança da justiça divina. Deus permite que o diabo vá até certo ponto.espírito do Nilo). esposa do deus Khnum.SEGUNDA PRAGA: MULTIPLICAÇÃO DE RÃS Ex 8:1-15 . mas a todos os animais. IV . Satanás realizou através de seus ministros dois sinais.QUARTA PRAGA: AS MOSCAS: Ex 8:20-32 . Este conceito decorria do retorno do Rio Nilo ao seu leito normal. Estas podiam ser ouvidas em coro n os campos egípcios. indicou que era um inseto pequeno que não apenas penetrava nos ouvidos e narinas. que não é a .

não. e tumo res arrebentaram em úlceras nos homens e nos animais. Mas. propôs a Moisés que oferecesse sacrifícios ao seu Deus ali mesmo. Iniciou-se através do lançamento simbólico de cinzas da fornalha por Moisés e Arão. bodes e bois encheria aquele povo de ódio.Deviam orar por ele.simples mosca caseira. Faraó. A distinção entre o gado dos egípcios e o dos hebreus aumenta o elemento de miraculosi dade da praga. VII . eram conscientes da possibilidade de doenças infecciosas e cha no fato de Sekhmet (a deusa cabeça de leão. A praga das moscas não alcançou a terra onde estavam os hebreus. Isto era refletido tinha o poder de criar derados com habilidades ado Sunu. este último um dos principais deuses do Egit o: Era um bezerro que vivia num palácio. Moisés alegou que os sacrifícios a Deus eram. A matança de ovelhas. É que os animais que haveriam de ser sacri ficados eram sagrados para os egípcios. no Egito. A recusa de Faraó em não libertar o povo de Israel trouxe a sexta praga. Faraó deu permissão para a partida da terra. Era o poder de Deus que. que supostamente e extinguir epidemias) e os deuses Tot. Ainda mais que o gado dos hebreus nada s ofreu. e isto deu um aspec to especial à manifestação de Deus. aos olhos dos egípcios. exasperado. sendo esta a terceira vinda sem anúncio. mas uma espécie conhecida como MOSCA CANINA.As pragas no gado eram comuns no Egito e essa pestilência deve ter dest ruído não apenas a propriedade egípcia necessária para a vida. foi um pesado golpe no prestígio de Ísis e Ápis. por toda a terra do Egito. Deus não apenas julgou Faraó e os deuses do Eg ito. Moisés cumpriu a sua parte no acordo.QUINTA PRAGA: A MORTE DO GADO: Ex 9:1-7 . mas Faraó. e que constitui uma terrível aflição no Egito. mas a santidade dos anima is na teologia egípcia e a impotência de Faraó em intervir.SEXTA PRAGA: ÚLCERA: Ex 9:8-12 Os egípcios gas. mas fez duas exigências: (1ª) . Moisés usou essa alegação como um meio diplomático de rejeitar a prop osta do rei. Uma vez livre da humilhação da praga . e is so os levaria a apedrejarem os hebreus. . cham Amuletos e outros objetos eram empregados pelos egípcios contra males em suas vida s. significando Sua providência em proteger Seu povo. endureceu seu coração e mais uma vez proibiu que o povo de Israel partisse. Um sacerdócio especial era devotado a ela. e (2ª) . uma abominação.Não deviam ir muito longe. As vacas eram sagradas à deusa Ísis e Ápis. A morte repentina do gado que estava no campo por ordem do Deus dos hebreus. espécie que ata ca principalmente os seres humanos. em última análise. Ísis e Ptah. mas também poupou o Seu povo ao mesmo tempo. se responsabilizava pela diferença entre os hebreus e os egípcios. em verdade. consi curativas. ele não podia negociar. VI . precisava cumprir uma ordem expressa de Deus: TIRAR O POVO DO EGITO. alimentado com aveia perfumada que era co mida em pratos de ouro e ao som de música.

Através da obstinação do Faraó e das pragas. A inabilidade desses deuses em agir em favor dos egípcios certamente p roporcionou profundo desespero e frustração. em cujas mãos os homens são como barro nas mãos do oleiro. buscavam ajuda dos muitos deuses responsáveis por curas. era mortal. e sugerem que as pústul as malignas são características do antraz. mas a tragédia de tempesta des e violência. Mágicos. havia ainda os deuses Serafi e Imhotep (o deus da medicina e o guardião da ciênci a da cura). re colhessem seu gado do campo. fazendo-os saber q ue o Deus dos hebreus era o Deus Todo Poderoso e superior a todos os ídolos feitos por mãos de homens. (2) . desprot egidos de seus deuses dentro do palácio. os príncipes. todos se viram.A palavra ÚLCERA significa PÚSTULA.Ele podia ser facilmente destruído por Deus. O arrogante Faraó (que se considera va divino). As grandes chuvas trouxeram prejuízos e desespero àqueles. lá fora.As pragas tinham o fim de levá-lo. Os egípcios também acreditavam que o deus Reshpu controlava os raios. o que podemos vislumbrar é o poder ilimitado do Senhor Deus. cheios de úlceras. Além das já citada s. todo o povo e também os animais.Faraó e seus servos poderiam evitar um grande prejuízo. mas eles também foram feridos. com toda a proba bilidade. Deus mandou mensagem ao Faraó: (1) . bem como a todo o seu povo a compreendere m que nenhum de seus deuses tinha qualquer valor. Os adoradores de Nut (deusa do céu) avistaram não as bênçãos do sol rogadas a ela. príncipes e plebeus es tavam todos igualmente afetados pelas dores deste julgamento. El a não era leprosa ou maligna. e. FURÚNCULO. de repente. os hebreus nada sofreram. se cressem em Deus. e mbaixador de Jeová. Os representantes de Faraó não apenas foram incapazes de duplicar os atos de Moisés. Saraiva é o mesmo que chuva de pedras de gelo.A sua vida estava sendo mantida pelo próprio Deus. (3) . nenhum poderia comparar-se a J eová. A forte saraivada envergonhou também os deuses considerados como tendo con trole sobre os elementos naturais.SÉTIMA PRAGA: SARAIVA: Ex 9:13-35 Antes de desferir mais este duro golpe. Enquanto não traz ia mortes. para que não morresse com a saraiva. e. mas devia ser igualmente temida. Desta forma. Esta praga culminou com grandes implicações teológicas para os egípcios. e o deus Tot p ossuía poder sobre a chuva e os trovões. (4) . Essa enfermidade feriu tanto os homens quanto os animais. sacerdotes. (5) . Deus estava mostrando Seu poder e anu nciando Seu nome a toda a terra. VIII . A terminologia usada para descrever a doe nça identificada com a sexta praga sugere uma erupção da pele de natureza violenta. os sacerdotes-magos. Os dicionários definem uma pústula com um furúnculo ou borbulha. Entretanto. A promessa dizia que no dia seguinte o Senhor traria uma grande tempestade sobre . (deuses responsáveis pelas colheitas na agricu ltura). A vida e a economia do povo egípcio estavam diretamente ligadas ao sucesso nas col heitas. Esta praga também humilhou Ísis e Seth.

até mesmo a posição dos inimigos de Deus é obrigada a contribu ir para Seu plano redentor. O aspec to miraculoso deste evento pode ser notado em Ex 9. De acordo com inscrições. o maior exemplo natural de força coletiva destrutiva de u ma espécie. talvez. em decorrência das doenças trazidas pelas pragas. mas interessado em alívio imediato desta praga. o Deus de Israel. Faraó propôs a Moisés e Arão um terceiro acordo: Liberar os adultos para partirem. Um gafanhoto adulto pesa. irritando o rei do Egito. que soprou durante todo o dia e toda a noite. Esta recomendação foi obedecida por vários servos e seguidores de Faraó. Buscando manter seu orgulho e dignidade e não aparentar ser cego e obstinado quant o aos problemas em suas mãos. A oração de Moisés pode abrir e fechar os céus. e não permanecereis mais aqui .nem mesmo os de uses do Egito. Jeová. dois gramas e sua força destrutiva po de levar milhares de pessoas a passarem fome por anos. esta oferta não foi aceita por Moisés. mas que deixassem as crianças (Ex 10:10 e 11). Moisés tornou da corte real e orou pedindo o fim da praga. . além das plantações. como Síria e Líbia. Os gafanhotos são. que estavam no campo. árvores frutíferas e de outras e spécies. onde encontramos que some nte na terra de Gósen não choveu. Faraó convocou Moisés e Arão novamente à corte.28-32). IX . nota-se a natureza miraculosa do evento. Moisés não creu em sua declaração (Ex 9. A despeito de Faraó demonstrar obst inação e desonestidade. Mais uma vez ficou demonstrado que não é Faraó quem controla a terra . Os gafanhotos destruíram. Seus recursos agrícolas eram co nsiderados limitados e já tinham sofrido outras destruições causadas pelas pragas ante riores. devendo todos os animais.o Egito. Talvez. que se findou com um forte vento ocidental. Os trovões e relâmpagos foram tão violentos que o fogo destruiu muitas plantações. gafanhotos foram trazidos do norte da Arábia em grande número. mas não o coração de um homem voluntarioso. serem recolhidos para proteção. Seus rebanhos tinham sido esgotados e muitos dos homens estavam incapaze s de trabalhar. Obviamente. a infrequência desse fenômeno no Egito e a sincronização da chuva de pedras em relação à advertência de Moisés combinaram para criar a reação de Faraó 27. é o Senhor da criação . concordou com uma liberação incondicional dos hebreus: Eu vos d eixarei ir. que saiu da presença de Faraó. não por profunda convicção espiritual.OITAVA PRAGA: OS GAFANHOTOS: Ex 10:1-20 A praga de gafanhotos era muito temida no Egito. após a quinta praga. pois nunca se viu nada igual na terra do Egito (Ex 10:14). tanto que os campone ses tinham o hábito de orar a um deus gafanhoto e ao deus Min. O horror e o desespero assolaram o coração dos egípcios quando o restante de suas lavo uras foi destruído por milhões de gafanhotos voadores. Não obstante.26. Através de um forte vento oriental. Entretanto. levantou as mãos para o céu e a saraiva cessou. que era encarado co mo protetor das colheitas. e.Sl 24:1. estes animais foram trazidos de países vizinhos. A severidade da tempestade. Mais uma vez. Faraó também apelou para Moisés para rogar ao Senhor pedindo o fim da tempestade. a qual exterminou todo o rebanho egípcio. o que é mais importante. no máximo.

Inúmeras outras deidades eram associadas ao sol.Harakhte. por exemplo. Em desespero de causa. os israelitas tinham luz e continuavam suas vidas normalmente. Amon-Rá era comumente representado por animais sagrados. (C) . venerada particularmente em Denderah. assim como a terceira e a sexta. adorado principalmente em Heliópolis. pois nada podiam ver de tão escuro.Outro muito importante deus era Hórus. Enquanto os egípcios não podiam deixar suas casas.Entre as várias deidades afetadas por esta trágica escuridão estava Hathor. E ra o deus do pôr-do-sol e usualmente descrito em forma humana. como. que sempre aparecia na forma de um besouro.O prestígio do próprio Faraó também foi afetado. pois. dia após dia. parte da trindade de deuses que incluía Amon-Rá. o divino sol-disco. Aten. e era representado por um falcão. c omo a ovelha e o ganso. e seu filha Khons. Ante a insistência de Moisés. a saber. a maior divindade de Tebas e um deus-sol. era uma das for mas do deus-sol Rá. Faraó. Animais sagrados as sociados com este deus eram a cobra e o leão. No período do Novo Reinado. a cidade do sol. além de deusa do amor e da alegria. sua esposa Mut. (B) .Atum era também outro importante deus. Era considerado ser filho de Osíris e Isis. (I) . a morte de todos os primogênitos. sempre simbolizado por um disco de so l alado. À luz da teologia e prática egípcia. (E) . outra forma de Hórus e identificado com o sol. Era a divindade titular da necrópole de Tebas. e retratada com chifres de vaca ou como uma figura humana com chifres de vaca na cabeça. era venerado princi palmente em Heliópolis.X . Faraó propôs que saíssem deixando todo o gado.E o que dizer do prestígio de Thoth. Existe uma enorme lista do grande número de outras deidades relacionadas com o sol .O deus-sol Rá era considerado um dos maiores deuses do Egito. ele era representante de Rá. (D) . esta praga foi muito significativa: (A) . uma deusa do céu.Outro significado importante com respeito a esta praga era o prestígio do de us Amon-Rá. (F) . céu e lua. (G) . O deus RÁ (o sol) havia sido derrotado pelo Deu s dos hebreus.NONA PRAGA: AS TREVAS: Ex 10:21-29 A nona praga. um deus-lua em Hermópolis? Ele também era o deus que escrevia e computava o tempo. (K) . ardendo em ira. mas também o filho de Rá e o irmão de Seth. o protestou de morte. dentre seus atributos divin os. Tinham grande alegria e prazer pela fé que possuíam a este deus que provia. o calor e a luz do sol. veio sem aviso prévio. estrelas e luz. Este deus foi proclamado ser o único deus. Moisés estendeu sua mão ao céu e as trevas cobriram a terra por três dias (Ex 10:21 e 22 ). Foi o prenúncio am edrontador do juízo de Deus que se abateria sobre Faraó e seu povo. es te era o deus nacional. se novamente viesse perante .O deus Khepre.A deusa do céu Nut também estava envolvida na humilhação desta praga. (J) . mas a relação acima é suficiente para indicar a tremenda importância d o sol e de sua luz para os egípcios. sem falhar . (H) .

sempre tratado com carinho. O filho nascido era. ou talvez providenciar sati sfatória racionalização delas. temos que nos mostrar sem . condições ou exigências. Assim. subjugando o s primogênitos na terra do Egito. Tanto o primogênito de Faraó. sem depender de mediação de Moisés ou de Arão. sua corte e seu povo: em cada casa o filho mais velho morreria. para uma grande preocupação. Faraó não queria ter conhecimento que a praga das trevas é derro tada pela luz de Jeová e que a praga da morte é anulada pelo sangue do Cordeiro. Faraó pode encontrar escape para as pragas anteriores. O coração e o desejo de Faraó estavam quebrantados. Omitindo Moisés e Arão da narrativa. a morte do primogênito de Faraó realmente significava a morte de um deus (Ex 12:29). agora jazia na cama. Mas não havia o que fazer agora. (C) . Importante também é a citação da morte dos primogênitos dos animais. a morte dos primogênitos causaria tristeza e lu to como nunca se vira no Egito (Ex 11:6). nascido dos deus es . Todos os homens que quiserem endurecer seus c orações contra o Todo-Poderoso serão implacavelmente abatidos. portanto. Se agirmos como o Faraó desta lição. Seu espírito agora mudou daquela arr ogância e resistência. Não houve respeito à classe social ou status civil n esta praga. O reconhecimento do poderio do Senhor pode ser concluído com o pedido de Faraó a Moi sés. deusa-abutre. A morte dos primogênitos resultou na maior humilhação para os deuses egípcios: (A) . mas dá graça aos humildes. nos termos de Moisés. o escritor sugere que a situação ha via alcançado um ponto tão extremo que o próprio Senhor interveio mais diretamente na praga. pois o Senhor não se deix a escarnecer. sem discussão ou diálogo. quanto o de qualquer homem na prisão.Afirmava-se que Rá ou Amon-Rá tinham relações sexuais com rainha. considerado como um deus encarnado e era dedicado a Rá ou a Amon-Rá e m seus templos. sem imposições. simplesmente declarou que os filhos de Israel deve riam partir. De acordo com as palavras de Moisés. Seu filho.Os governantes do Egito realmente chamavam a si mesmos de deuses e filhos de Rá ou Amon-Rá. 27). Por este motivo. Esta é a grande lição que aprendemos no s episódios das Dez Pragas do Egito. à meia-noite o Senhor completou o que tinha prometido. A completa incap acidade de todas as deidades se evidenciou em seres incapazes de impedir que tod os os primogênitos do Egito morressem de uma só vez. chamou Moisés e Arão no meio da n oite e.sua face. 12:29-42 A última praga se baseia na ação de Deus. Como apontado. (B) . não haja qualquer esperança de cura. O próprio Senhor iria atravessar a terra como Anjo da morte (Ex 11:4 cf 12: 23. contida na última frase do verso 32 do capítulo 12 de Êxodo: abençoai-me também a mim. Seus efeitos e implicações e ram perfeitamente claros. tal vez. pálido e sem vida. Deus cuja existência e poder foram diversas vezes questionadas (Ex 5:2) ele agora rogava que o abençoasse. morrer am. Assim.Nekhbet. com certeza seremos abatidos e. XI . Somente este fato já teria sido um duro golpe na religião do Egito. XII CONSIDERAÇÕES FINAIS: Deus abate os soberbos. Faraó decretara a sentença para si mesmo. protegia com suas asas os soberanos do Alto Egito.DÉCIMA PRAGA: A MORTE DOS PRIMOGÊNITOS: Ex 11:1-10.

fazendo com eles uma aliança. Êx 8:1-15). (b) somente Jeová é o úni co e verdadeiro Deus. como o rio Nilo.5. AS PRAGAS ENVIADAS E A PRIMEIRA PROPOSTA DE FARAÓ As dez pragas foram todas de caráter judicial. Pragas atingem o Egito (Êx 7:19-12:33). tanto israelitas quanto egípcios precisaram reconhecer três ve rdades fundamentais: (a) todos os ídolos do Egito eram falsos. tornan do-os seus servos. as pragas foram a re sposta de Deus à pergunta de Faraó: Quem é o SENHOR. I.11. o Sol. não apenas da terra e do povo hebreu. em sua pretensão de ser deus. um desafio aos deuses egípcios e uma censura à idolat ria. Segundo Paul Hoff.25.7:4. 32). Deus poderia simplesmente retirar Ele mesmo o povo da escravidão. A partir da ocorrência da segunda praga (a das rãs. Elas eram autênticos derramamento s da ira de um soberano Deus que desejou mostrar. examinaremos duas situações que ocorreram por ocasião da presença dos hebreu s no Egito: as pragas enviadas por Deus e as propostas ardilosas e destruidoras de Faraó no sentido de manter os hebreus cativos. a Terra.24 Revesti-vos de toda a armadura de Deus. . que atingiu até mesmo a própria família do Faraó.20. o touro e muitos outros animais.pre humildes e.Fala. quando o Senhor falar conosco. mas preferi u usar Moisés como instrumento para aquela obra. e contra todo sistema religioso dos egípcios. A última dessas pragas foi a morte d os primogênitos. respondamos como o menino Samuel: . Os egípcios prestavam culto às forças da natureza tais como o rio Nilo. prefere se valer de instrumentos humanos para executar sua vontade. Faraó rendeu-se e permitiu que Moisés e seu povo partissem (Ex 12:31. Cada praga era uma afir mação da superioridade de Jeová sobre a divindade (ou deuses) responsável pela área da nat ureza que estava sendo particularmente atingida. Ao fim dessa s manifestações de poder. mas ainda assim. Quando sobreveio a última praga. C ada praga foi. FONTES DE CONSULTA: Lições Bíblicas CPAD 4º Trimestre de 1991 Comentarista: Elinaldo Renovato de Lima A Bíblia Livro por Livro JUERP Delcyr de Souza Lima Estudo Bíblico As Dez Pragas do Egito de Lídia Pereira Gonçalves Correia e Marcellus G nçalves Correia ***************************** Texto Básico: Êxodo 3:19.10:8. que Ele é o Senhor de toda Terra e Céu. as divindades egípcias davam evidente demonstração de sua impotência perante o Senhor. Nesta Aula. Senhor. mas de todo o universo e de todos os povos. não podendo proteger os egípcios nem intervir a favor de ninguém. o Sol e também os animais. para que possais estar firmes contra as a stutas ciladas do diabo (Ef 6:11) INTRODUÇÃO Israel foi libertado do cativeiro mediante atos miraculosos do Senhor (Êx cap. Os relatos bíblicos descrevem as dez pragas enviadas contra Faraó. a Lua. Faraó passa a fazer uma série de propostas ardilosas e des truidoras a Moisés e Arão. Abateram-se sobre o Egito após cada r ecusa do Faraó em permitir a partida de Israel. Precisamos de discernimento a fim de não cairmos nos ardis de Satanás. (c) Jeová é Deus tremendo. em muitas situações. 1.8:8. por outro lado. Isso nos deve fazer lembrar de qu e Deus tem todo o poder. o único perfeitamente capaz de res gatar o seu povo da penosa escravidão no Egito. havendo Jeová destruído toda autoc onfiança humana. que o Teu servo ouve .7-11 ). cuja adoração voltava-se a os elementos da natureza. cuja voz eu ouvirei? (veja 7:17). paro todo o Egito e também para o seu povo. e pode fazer o que desejar. Com o juízo de Deus sobre o Egito.

Foi um golpe contra Hapi. A terra ficou infestada de rãs. destruiu as colheita s de cevada e de linho e matou os animais do Egito (Ex 9:13-35). Foi um juízo de Deus sobre o deus kheper . A deu sa Íris. As primeir as três pragas . tanto o pov o hebreu como os egípcios foram atingidos. raios e saraiva devastou a vegetação. Deus estava avisando os egípcios de que S eus julgamentos não tinham limites. quando o Egito foi ferido de piolhos. Em resumo. c) A praga dos piolhos (talvez mosquitos. Os egípcios que esc . de bode ou de touro. Enormes enxames de moscas encheram o Egito. rainha dos deuses. muito menos a todo o Egito. As cinzas que os sacerdotes egípcios espalhavam como sinal de bênção causaram úlceras dolorosas. O termo trovão em hebraico significa liter almente vozes de Deus . o deus do Nilo. Em Êxodo 12:12. Não puderam livrar a si mesmos dos terríveis juízos. Ele era representado por uma figura masculina com ca beça de carneiro ou como carneiro com uma tríplice coroa.19). Amom. pois Deus quis ensinar a ambos os povos quem era o Senhor. Este deus egípcio tinha a forma de um besouro.sangue. considerado sa grado no Egito. Hapi . . caíram em todo o Egito. Deve ter sido um tormento para os egípcios. d) Praga das moscas (Êx 8:20-32). Hek t . vemos o Senhor dizendo: e sobre todos os deuses do Egito farei juízos . Tanto os israelitas como os egípcios souberam quem era o Senhor. e ra adorado em todo o Egito.Castigaram os egípcios por haverem oprimido aos israelitas e por lhes haverem am argado tanto a vida. 9:14).Calcula-se que o período das pragas tenha durado pouco menos de um ano. e aqui se insinua que Deus falava em juízo. rei dos deuses e protetor de faraós. No Baixo Egito eram adorad as diversas divindades cujas formas eram de carneiro. ou seja. . As pragas foram progressivamente mais severas até que quase destruíram o Egito (Ex 10:7).Derrotaram as divindades do Egito. as pragas cumpriram os seguintes propósitos: . portador da fertilidade. b) A praga das rãs (Êx 8:1-15).Efetuaram o livramento de Israel e o prepararam para conduzir-se em obediência e fé. o d eus das inundações do Nilo. Os egípcios relacionavam as rãs com os deuses Hapi e Ekte. a deusa da fecundidade com cabeça de sapo. f) A praga das úlceras (Ex 9:8-12). era representada com chifres de carneiro ou vaca na ca beça. Mas as sete seguintes castigaram somente os egípcios. g) A tempestade de trovões. mas. Os feiticeiros egípcios imitaram as duas primeiras pragas.Demonstraram que o Senhor é o Deus supremo e soberano. converteu-se em insetos muito importunadores. A ordem das pragas é a seguinte: a) A água do Nilo converteu-se em sangue (Êx 7:14-25). . para que soubessem que o Deus que cuidava de Israel era também o soberano do Egito e mais forte do que seus deuses (Ex 8:22. Êx 8:16-19). e) Morte do gado dos egípcios (Êx 9:1-7). rãs e piolhos -. Esse tipo de te mpestade era quase desconhecido no Egito. O pó da terra. Os magos não poderiam reproduz ir a praga de úlceras porque eles próprios estavam cheios delas desde os pés até a cabeça. confessaram que o poder de Deus era superior ao deles e que essa praga era realmente sobrenatural (Ex 8:18.

Quando o homem se recusa a ouvir. Êx 9:26). Os deuses Isis eSeráfis foram impotentes. h) A praga dos gafanhotos (Ex 10:1-6). Ao que parece. salvaram seu gado (Ex 9:20). Mas esse não era o plano de Deus.utaram a advertência misericordiosa de Deus. como sendo um só povo. não nos apedrejariam ele s? (Ex 8:26). vosso Deus. não a Deu s. Moisés indica que o local adequado à adoração seria a três di as de distância do Egito. o Sen hor sou santo. o bjetos de culto. Mas es sa contraproposta exigia que Israel cultuasse a Deus no próprio Egito. Os hebre us não foram atingidos (cf. porque o sacrifício de animais sagradas aos egípcios lhes seria uma abominação (8:26). Faraó estava tão angustiado e humilhado pela praga das moscas que começou a negociar o s termos de sua rendição. Com a incidência das pragas dos piolhos e das moscas. suposto filho do Sol. Na primeira proposta. 11 e 12:29-36). Faraó foi convencido pe los piolhos e moscas enviados por Deus. para que sacrifiqueis ao SENHOR. Mas. Foram três dias de densas trevas. porque sacrificaríamos ao SENHOR. a vida dos egípcios se tornou um inferno. Um povo separado por Deus e para Deus. Faraó chama Moisés e Arão e lhes faz a seguinte proposta : Ide e sacrificai ao vosso Deus nesta terra . Ele concordou em deix . e separei-vos dos povos. ele fez uma oferta para que Israel a dorasse dentro das fronteiras do Egito (8:25). O Egito havia oprimido o primogêni to do Senhor e agora eles próprios sofriam a perda de todos os seus primogênitos. O primogênito era a esperança. A adoração pretendida por Deus não foi planejada para ser feita em terras egípcias. rei dos deuses e pai da humanidade. e ao m esmo tempo misturado com os ímpios egípcios. quando Deus ordena. Faraó reconheceu que Moisés tinha razão. porque eu. Há segurança e Jesus Cristo. se sacrificássemos a abominação dos egípcios perante os seus olhos. Naquelas terras muitos israelitas morreram em sofrimento. Naqu elas terras os filhos de Deus haviam perdido sua liberdade. A segunda proposta de Faraó (Êx 8:28). 2. disse Faraó: Deixar-vos-ei ir. por isso fez essa contraproposta. Deus pretendia receb er culto e dar de presente aos filhos de Abraão uma nova terra pra viverem. Foi a graça da redenção que fez a diferença. Deus exige santidade do seu povo: E ser-me-eis santos. Com essas pragas. II. Então. Moisés tinha a resposta na ponta da língua: Não convém que façamos ass im. no deserto. personificação do sol. FARAÓ NÃO DESISTE 1. seria uma abominação a o Senhor. i) As trevas (Ex 10:21-29). eles que supostamente protegiam o Egito dos gafanhotos. eram incapazes de penetrar a densa escuridão. Faraó barganha fraudulosamente. para serdes meus (Lv 20:26). somente que indo. Os hebreus foram uma figura de todos aqueles que foram comprados pelo sangue de Cristo em todas as épocas. força e herdeiro da família. não há lugar para barganhas c om homens perversos. especialmente contra Rá. Os luminares celestes. orai também por mim . j) A morte dos primogênitos (cap. Nenhuma família do Egito estaria isenta. a abominação dos egípcios. eis que. não vades longe. A praga dos gafanhotos trazida por um ven to oriental consumiu a vegetação que havia sobrado da tempestade de saraiva (Ex 10:1 -20). Muitos bebês men inos foram lançados ao Nilo para morrerem afogados ou comidos por crocodilos. nosso Deus. As trevas que caíram s obre o Egito foram o grande golpe contra todos os deuses. mas Moisés tinha a resposta na pont a da língua: não conviria aos israelitas sacrificarem no Egito. chamou Faraó a Moisés e a Arão e disse: Ide e sacrificai a dos limites do Egito o vosso Deus nesta terra (Êx 8:25). A primeira proposta: permitiu que os israelitas oferecessem sacrifícios dentro Então. levando-os provavelment e a apedrejar os israelitas. em meio aos falsos deuses. Foi um golpe direto contra o próprio Faraó. Veja que a escolha do local do sacrifício pertencia a Faraó. Nenhum israelita morreu. Deus sabe como falar de maneira que e le ouça.

Isso pode acontecer com qualquer um que se conforma com o mundo. pois obrigaria os israelitas a separarem-se de s eus filhos para que Deus fosse adorado. pois isso é o que pedistes.varões. Ele permiti ria a ida dos homens se deixassem suas famílias e rebanhos. Então. Somente alguém convencido pelo Espírito Santo pode mudar de direção. Concordo com Alexandre Coelho quando diz que Deus não nos chama para que O sirvamo s sem que nossas famílias estejam incluídas tanto na adoração quanto na recepção de bênçãos. . Podemos ver no Faraó uma ilustração do fato de que o temor. Moisés deu crédito na proposta de Faraó (talvez. E os servos de Faraó disseram-lhe: Até quando este nos dá de ser por laço? Deixa ir os homens. somente os homens . Por que Faraó estava tão preocupado em não permitir que os hebreus fossem para longe d os termos do Egito.26. ainda não sabes que o Egito está destruído? . Faraó manda lançar fora de sua presença Moisés e Arão. Por causa das pragas anteriores. muitos já aceitaram esta proposta e querem viver um cristianis mo sem compromisso com Deus e sem a cruz. Mas Faraó não pareceu entender assim. nunca produz o ve rdadeiro arrependimento. os egípcios sofreriam terrivelmente as consequências. que e stava dando a ele oportunidades para que voltasse atrás em suas atitudes e deliber ações e liberasse Israel. o propósito de Faraó era vigiar e controlar os passos do povo de Israel. mas somente a curta distância deserto a dentro . Com esta proposta. não vades longe significa para o crente hoje o rompimento parcial com o pecado e com o mundo. Observe a mulher de Ló: saiu de Sodoma. E os la nçaram da face de Faraó . Certamente. sozinho. e servi ao SENHOR.2. mas não parece um daqueles pedidos sinceros d e oração. para que sirvam ao SENHOR. 2. ele lhes disse: Seja o SENHOR assim convosco. como eu vos deixarei ir a vós e a vossos filhos. Deus enviaria outra praga ao Egito: a praga dos gafanhotos. Segundo o pr. A terceira proposta de Faraó (Êx 10:7). e sim a finalização de um discurso que não tem por objetivo ser realizado. Faraó cedeu antes do início da praga. haveria uma miscigenação dev astadora: as jovens deixadas no Egito se casariam com os incrédulos egípcios. Para ambos os casos as consequências seriam devastadoras aos descendentes de Abraão.ar Israel ir. que é o mesmo desejo de Satanás. mas tentou fazer outro acordo. sem precedent es na história do Egito. Eles p erceberam que enquanto o Deus de Moisés não recebesse seu culto. Deus. sem expressão e por isso sempre vu lnerável. e perdeu-se (Gn 19:17. Faraó garantiria a próxima geração de escravos n Egito. retirou as moscas e não ficou uma só (Ex 8:31). olhai que há mal diante da vossa face. Segundo ele. El e não entendeu que estava lidando com um poder pessoal sobrenatural. o Egito estava severamente arruinado em todos os seus segmentos. Veja o bom co nselho de Paulo em Rm 12:1.não vades longe . Antônio Gilber to. Apesar de tão grande apresentação do poder de Deus sobre os deuses egípcios. A completa suspensão desta praga fez com que o rei ficasse mais inflexível e não deixou o povo ir ( Ex 8:32). Faraó ch ega a pedir que Moisés ore por ele também. andai agora vós. Por esta razão. para mantê-los no Egito e impedir-lhes a liberdade. Atualmente. a vontade de Faraó estava cada vez mais renitente contra Deus e seu povo. Os prejuízos materiais estavam se avolumando. con forme a palavra de Moisés. poi s haveria perda de identidade dos hebreus como povo do Senhor. É uma vida cristã sem profundidade. Com esta proposta. ec onômicos e sociais. entendendo as palavras não vades longe co mo referência aos três dias de viagem) e prometeu rogar ao Senhor (Êx 8:29). Não se rá assim. seu Deus .Então.Lc 17:32) . Deu permissão para os israelitas partirem. por su a vez. tornando insuportáve l a permanência dos israelitas em solo egípcio. Moisés e Arão foram levados outra vez à p resença de Faraó (Ex 10:8). Pela primeira vez. mas não tirou Sodoma do seu coração e da sua mente. se arrepender de verdade. mudar de vida. os seus servos decidiram envolver-se na questão. a proposta de faraó era uma proposta cruel. os jovens hebreus a caminho de Canaã se casariam com moças pagãs. Ele não entendeu que estava lidando com o próprio Deus. tendo em vista que era apenas um grupo de escravos? Certamen te. idólatras. e deixa claro que as crianças não iria .

Nenhum a cordo com Satanás jamais resultará em vitória total ou liberdade completa para os filh os de Deus. Iss o foi grandiosamente caótico e deprimente ao povo e ao seu rei. Como se não bastasse os anos de escravidão. sem dúvida. O que esta proposta representava? A falta de sacrifícios. As pragas anteriores não ensinaram o Egito e seu monarca . depois. Toda a atividade comercial e empresarial cessou e a população egípcia ficou em casa. Deus exige santidade do seu po vo: E ser-me-eis santos. O milagre estava em que veio segundo a Palavra de Deus (Ex 10:21). a nossa adoração não t erá nenhum valor (vide Mt 6:24-34).Um po vo separado por Deus e para Deus. e ao mesmo tempo misturado com os ímpios egípcios. Coc. mas não muito longe (Êx 8:28). As trevas eram tão densas que os homens não se viam uns aos outros . Faraó queria impedi r que aquilo que eles tinham conseguido com trabalho fosse negado a Deus. porém com a condição de que fossem somente os homens (Êx 10: 7). Mas. servi ao Senhor. Só havia luz na casa dos hebreus (Ex 10:21-23). permitiu que os israelitas oferecessem sacrifícios dentro dos lim ites do Egito (Ex 8:25). Moisés sabia qual era a ordem de Deu s. Por três dias os egípcios conviveram com a escuridão. o Senhor sou santo. Moisés não! Ele declarou: nem uma unha ficará (Ex 10:26). Seu arrependimento foi superficial. A quarta e última proposta. e por fim. Embora se mantivesse obstinado. seria uma abominação ao Senhor.. forte. Todavi a. uma tempestade de areia tão temida no Orien te que ocasionou estas trevas. Pense nisso! Muitas pessoas sucumbem às sugestões malignas e aceitam as suas propostas. no sentido de que ela seja salva. embora ainda não dispusesse de todas as razões. Despojai-vos também de tudo (Cl 3:8). Oremos pelas famílias! III. A situação caótica do Egito. Segundo Leo G. transitório e motivado apenas pelo medo. Primeiro. porque eu. como sendo um só povo. desta vez foram chamados com a seguinte proposta: Ide. distante. somente fiquem ovelhas e vossas va cas (Ex 10:24). não pelo reconhecimento d a necessidade que tinha de Deus.eseja ser adorado por toda a família. A PROPOSTA FINAL DE FARAÓ Faraó destaca-se por sua teimosia ao enfrentar os juízos de Deus. fora do Egito. e por isso Deus mandou outra praga: as trevas. Deus queria ser adorado com tudo o que o povo de Israel possuía. Mas a Palavra de Deus é clara: Que [ ] vos despojeis do velho homem (Ef 4:22). uma situação caótica. Todo o Egito durante três dias se guidos ficou sem luz. e isso incluía o s animais para o sacrifício. Era. feliz e saudável. permitiu que todos pudessem ir longe para sacrificar. Esperava mais instruções conforme o d esenrolar dos acontecimentos. A maioria do s estudiosos concorda que foi ohamsin. os cristãos nunca conseguirão plena vitória enquanto derem lugar a o diabo. *Banalização espiritual e moral. para serdes meus (Lv 20:26). mas deixand o seu gado no Egito (Ex 10:24). O certo é que se no úl timo encontro Moisés e Arão foram lançados da presença de Faraó. unida. Há quem insista que um pequeno pecado não faz mal. de entreg a ao Senhor e de adoração. Não deis lugar ao diabo (Ef 4:27). Evangelho sem a cruz de Cristo não é evangelho autên tico. Perda da identidade espiritual. ia cedendo mais e mais às exigências de Moisés. Ecumenismo. co esa. quebrando sua p romessa toda vez que uma praga era suspensa. e separei-vos dos povos. 2. 1. ou que sempre fica algum mal no coração. Ele deseja abençoar toda a família. Se o nosso tesouro estiver no Egito. da mesma forma que pretende abençoar toda a fa mília. Ecumenismo? Em absoluto! . AS ARDILOSAS PROPOSTAS DE FARAÓ AO POVO DE DEUS $AS PROPOSTAS =>*CONSEQUENCIAS $ Ide e sacrificai ao vosso Deus nesta terra (Êx 8:25). mais tarde no deserto.

Culto desva lioso para Deus. Evangelho sem a cruz de Cristo não é evangelho autêntico. Pret endemos. mas também para que os israelitas se dobrassem perante a palavra do Se nhor. haveria uma miscigenação devastadora: as jovens de ixadas no Egito se casariam com os incrédulos egípcios. pois ela é uma arma poderosa contra as propos tas ardilosas do Inimigo. mostrar o poder de Deus. Para ambos os casos as con sequências seriam devastadoras aos descendentes de Abraão. mas foi derrotado. e isso incluía os animais para o sacrifício. para que sirvam ao SENHOR.. Mesmo assim. Satanás vai nos tentar com muitas propostas. de entrega ao Senhor e de adoração. Que tenhamos o discernimento adequado para. alguns deles cultuados pelos israelitas. Se o nosso tesouro estiver no Egito. os descendentes de Abraão. com a doutrina autêntica. que ac abaram aderindo à fé daquele povo (Ez. faça uso da Bíblia. Faraó não considerou as palavras d o Senhor. sem consagração a Deus e ao seu serviço. pois haveria perda de ide ntidade dos hebreus como povo do Senhor. somente fiquem ovelhas e vossas vacas (Ex 10:24).12). *Parcialidade com o pecado. Conforme estudaremos na lição de hoje.Deus queria ser adorado com tudo o que o povo de Israel possuía. ordenando para que deixasse o povo ir. Isaque e Jacó não atentaram para as mara . CONCLUSÃO Cada proposta de Faraó foi rejeitada. orai também por mim (Êx 8:28). Faraó garantiria a próxima geração de escravos no Egito.Co m esta proposta. da mesma forma..perda de identidade dos hebreus como povo do Senhor.Ausência de sacrifícios.Um pé na igr eja outro no mundo . Jesus derrotou o Diabo utilizando a Palavra de Deus. seu Deus (Êx 10:7) *Miscigenação devastadora . com esta aula. 1.. Portanto . apresentou alguma s propostas ardilosas. rejeitar aquilo que o mundo tenta nos impor como correto. com a igreja. e demonstrar o Seu poder. a nossa adoração não terá nenhum valor (vide Mt 6:24-34).$ somente que indo. mas essa não seria u ma tarefa fácil. FARAÓ DESCONSIDERA OS MILAGRES A nação egípcia adorava muitos deuses. servi ao Senhor. sem compromisso com Deus. os jovens hebre us a caminho de Canaã se casariam com moças pagãs. Com esta propo sta. que é o mesmo desejo de Satanás. Esse foi um dos motivos pelos quais D eus precisou intervir. Ele tentou o Filho de Deus. idólatras. 12. Elaboração: Luciano de Paula Lourenço ****************** INTRODUÇÃO Moisés finalmente aceitou a missão e assumiu a posição de libertador. não apenas para que os egípcios rec onhecessem.não vades longe significa para o crente hojeo rompimento parcial com o pecado e com o mundo. Mas a rejeição de Faraó servi u para que o povo israelita atestasse o poder do Deus de Abraão. $ Deixa ir os homens. Qualquer acordo com Satanás jamais resultará em vitória total ou liberdade completa para os filhos de Deus. é uma vida superfici al. Pelo contrário. é uma vida cristã sem expressão e por isso semp re vulnerável. com a santidade. *Incompletude . sem santidade . a fim de enganar o líder do Senhor. a Palavra de Deus. Isaque e Jacó. Façamos o mesmo. não vades longe. a desmascarar as sutilizas do Inimigo. por sua vez. Vida cristã sem compromisso. e ao mesmo tempo. É uma vida cristã sem profundidade. $ Ide.

7). ele se negou a temer a Palavra de Deus. 28 .2). 9. substituindo-a pelo engano (II Tm. no entanto. Isso mostra que desde muito tempo Satanás tem o poder de realizar s inais e prodígios da mentira (II Ts. 106. 9.13-15). Os m agos do Egito fizeram o mesmo utilizando água de um poço. Faraó mandou chamar Moisés e Arão.1-7). Alguns deles. tratou-as com desdém. 9. granizo e raios. e a plan tação destruída. Ap. As consequências foram drásticas. como sempre. em virtude da destruição da sua terra (Ex. estava apenas tirando proveito da situação. Essa é uma lição para a qual devemos atentar. Diante da relutância de Faraó. e os caracterizam entre aqueles que resistem à verda de.18). ao invés de se dobrar d ante daquelas maravilhas. Essa tem sido uma prática evidente no cristianismo contemporâneo.6). mostrando que Ele.26). 5. Dentre essas maravilhas. 2.12). tenta desvencilhar o s servos de Deus do plano do Senhor. não têm compromisso com o povo de Deus. A praga seguinte não teve qualquer aviso. que vivi am na terra de Gósen.vilhas de Deus (Sl. uma chuva grande de pedras. Paulo nomei a esses magos. Mesmo assim Faraó não permitiu que o povo seguisse adiante. Posteriormente. incitando seus magos a reproduzire m tais feitos. tudo para causarem boa imp ressão. 26. é a verdade e a vida.10. A transformação da águ a em sangue foi a primeira praga que Deus enviou sobre os egípcios. Mt. 2. Mas o Deus de Israe l não divide a sua glória com outros deuses. querem demonstrar identificação com os evangélicos. mas há apenas um que conduz ao céu. principalmente nos dias que antecedem as eleições . Tais propostas também revelam a astúcia dos gov ernantes a fim de manter o povo cativo em seus interesses. Isso mostra como Satanás. Como qualquer governante ardiloso.28).30). leem trechos das Escrituras. foi o mal (Pv. Os discursos de muito s políticos da atualidade ecoam as falas daquele líder egípcio.17). 1. 3. somente em Jesus (At. transformando-as em úlceras. . 105. Mas Faraó mostrava-se insensível ao sofrimento do povo. e não Hecate. principalmente depois que o s magos imitaram os sinais (Ex. 14. Jesus é o único caminho. destacamos os sinais da ser pente. não temem ao Senhor. 11. e a invasão das rãs.9. 8. 9. querem se eleger apenas para garantirem suas regalia s. O coração de Faraó continua endurecido. Esses. principalmente porque Ele mesmo havia s eparado aquele povo para adorá-Lo (Lv. e na manutenção do seu poder. Como diz o ditado. 24.8-12). Uma pessoa de coração endurecido se expres sa como Faraó: Quem é o Senhor para que lhe ouça eu a voz? (Ex. Janes e Jambres . a consequência. a transformação da água em sangue. os animais morreram. A mensagem profética se cumpriu e todos os a nimais morreram. Na proporção que F araó desconsiderava as calamidades elas iam se tornando cada vez mais graves.33). ning uém pode se aproximar de Deus se não for por Ele (Jo. Moisés sabi a que aquele homem não temia a Deus. mas se mostraram incapazes de reverter a praga divina. AS PROPOSTAS ARDILOSAS DE FARAÓ A fim de manter o povo de Israel cativo no Egito Faraó apresenta algumas propostas ardilosas a Moisés. o Senhor enviou abundância de rãs (Sl. e dem onstrou arrependimento. A primeira proposta de Faraó estava fundamentada em um sincretismo religioso. Em seguida. com suas astúcias. muitos líderes estão fazendo concessões em relação ao engano a fim de serem aceitos na sociedade. e jogaram cinzas no ar. Como bem lembrou Pedro. que corriam pelo chão (Ex. Moisés e Arão se dirigiram aos fornos de cal. 10. utilizando-se dos falsos mestres (II Co. o povo poderia adorar o De us de Israel. todos os caminhos levam à Roma. Satanás imita o evangelho de Cristo ( Gl.11-15).6-9). Os políticos se aproximam das igrejas. 13. a fim de agradarem os pastores. em seu discurso em Jerusalém em nenhum outro há salvação. 4.24. 3.14). os deuses egípcios (Ex. AS PRAGAS DIVINAS DIANTE DA DUREZA DE FARAÓ Diante da dureza de coração de Faraó Moisés anuncia que Deus enviaria uma grande peste s obre os animais do Egito (Ex. o deus da fertilidade egípcio. que atingiu os egípcios e seu gado (Ex. como nunca houve no Egito (Ex . saúdam como se fossem crentes. Faraó. Deus envia trovões e chuvas. e seduzir em os incautos. 8. escaparam somente os animais pertencentes aos hebreus. Deus envia uma praga mais terrível. estava no comando. e ao mesmo tempo. pe nsava apenas em suas regalias.8). nem mesmo com a comunidade.19-22).

Por fim. mesmo diante dos ataques.14-19). a menos que essa satisfaça seus interesses. E como fez Faraó. 6. Na terceira proposta Faraó sugeriu uma divisão nas famílias. e patrocinados pelos governantes. 10. é a de que não nos afastemos dos seus interesses. A quarta pro posta de Faraó tinha a ver com a aceitação da calamidade. 2. com toda. 7. os mais novos permaneceriam no Egito (Ex.4. Há aqueles que acham que quanto pior melhor. Satanás detesta mudanças sig nificativas. por isso. As famílias cristãs. 4.5.28). pois dura coisa é cair nas mãos do Deus vivo (Hb. CONCLUSÃO Faraó. devem permanecer a licerçadas dos fundamentos exarados na Palavra de Deus (Ef. e não o bem das pessoas. 6. bastante comum nessa sociedade que somente ver bens . BIBLIOGRAFIA MOTYER. mas em seu coração os prazeres daquele loca l a acompanhavam (Gn. Isso mostra que as famílias hebreias eram organizadas. despreza a Palavra de Deus. 6. I Jo. IVP. principalmente no período das eleições. 19.26. ele não admite mudanças drásticas (Tg. Essa proposta reflete o foco em merc adoria. Eles não se importam em fazer concessões. 3. 8. . Ela aband onou geograficamente a cidade de Sodoma. 10.10-18). Muitos governantes agem de ig ual modo.7). não devemos endurecer nosso coração. para cooptarem o pov o na manutenção dos seus interesses. The message of Exodus. o deus deste século. As estratégias de Satanás.24). 17.24). Mamom. Lc. A mulher de Ló é u m exemplo de alguém que sai do lugar. Satanás tem usado vários desses para seduzirem a igreja. A fragmentação familiar seria uma estratégia utilizada p or Faraó para atingir os valores daquele povo. e menos nas pessoas.32). o deus-mercado é quem determina as regras e os relacionamentos (Mt. e vivi am em harmonia (Ex. devemos permanecer firmes. como alguns governantes que conhecemos. Mas no ssa luta não é contra carne e sangue.8). antes ouvir a voz do Senhor (Hb.15). o líder egípcio admitia a tragédia . 2005. para resistir no dia mau (Ef. com suas propostas ardilosas. J. abrem mãos do supérfluo. mas não do que consideram mais importante. 10. mas não deixa que o lugar saia dela.17.10-12). Nos dias atuais as famílias têm sido so lapadas por valores satânicos que estão sendo repassados pelas mídias. mas se ficassem as ovelhas e as vacas (Ex. ao invés de socorrer o povo. Leiscester/Downers Grove. tiram van tagem da desgraça.e esse é Jesus Cristo. A segunda proposta de Faraó foi a de que o povo não fosse muit o longe (Ex. WEIRSBE. e de alguns líderes tiranos. apenas os mais velhos partiriam. substituindo a verdade pelo engano. A. 10.21-23). contanto que o povo permanecesse (Ex.31). 6. está destruindo muitas vidas. Faraó propôs a ida do povo hebreu. mas contra as potestades do Inimigo.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->