P. 1
TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

|Views: 9.568|Likes:
Publicado porjoao_ferreira

More info:

Published by: joao_ferreira on Sep 25, 2009
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/01/2013

pdf

text

original

TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

Telemóveis e seus componentes
Os métodos e as tecnologias que cada indivíduo utiliza para comunicar deve-se muito a evolução do telemóvel, estes funcionam devido às ondas electromagnéticas, emitidas por radiação.

Manuel Beleza
24-09-2009

24 de Set.

TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICÃO
Índice
Introdução ..................................................................................................................................... 4 1.Uso Social do Telemóvel ............................................................................................................ 4 Análise temporal. ...................................................................................................................... 4 1.1 Crianças; .............................................................................................................................. 5 1.2 Adolescentes; ...................................................................................................................... 5 1.3 Adultos; ............................................................................................................................... 7 1.4 Idosos .................................................................................................................................. 8 2. Classe social mais baixa prefere sempre telemóveis de alto custo. ......................................... 9 3.Telemóveis do futuro vantagens e desvantagens .................................................................... 10 3.1 Benefícios. ......................................................................................................................... 10 3.2 Desvantagens .................................................................................................................... 10 4. Componentes indispensáveis ao seu uso ................................................................................ 11 4.1 Componentes interiores.................................................................................................... 11 4.2 Componentes exteriores ................................................................................................... 11 5. Os telemóveis não transmitem sinal; ...................................................................................... 12 5.1 A célula envia informação da região onde está a cobertura; ........................................... 12 5.1.1 Esclarecimento princípio de funcionamento do sistema, .......................................... 13 5.2 Maior cobertura do sinal de rede, mais potência é precisa por parte do telemóvel; ...... 13 5.3 Aumentando a potencia diminui-se o comprimento de onda; ......................................... 14 6.Tecnologias de rede: 1ª Geração, GSM/GPRS; 3G (UMTS) ...................................................... 14 7.Existência de radiação electromagnética;................................................................................ 15 7.1 Espectro Eletromagnético ................................................................................................. 16 7.2 Referencia a alguns aparelhos de radiação electromagnética. ........................................ 17 7.3 Ondas de Rádio ................................................................................................................. 17

Manuel Beleza

2

24 de Set.

TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICÃO
7.4 Ondas de TV ...................................................................................................................... 18 7.5 Microondas ....................................................................................................................... 18 7.6 Luz visível ........................................................................................................................... 19 7.7 Raios X ............................................................................................................................... 20 7.8 Raios Gama ........................................................................................................................ 21 8.Conceitos em relação as características das ondas. ................................................................ 21 8.1Velocidade de propagação de ondas electromagnéticas; ................................................. 22 8.2 Período; ............................................................................................................................. 23 8.3 Frequência de onda; .......................................................................................................... 23 Referências bibliográficas ........................................................................................................... 24

Manuel Beleza

3

24 de Set.

TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICÃO
Introdução
Os telemóveis tornaram-se parte integrante do nosso quotidiano e, hoje em dia, é difícil concebermos o mundo sem ele s. Se um indivíduo se perde, telefona a pedir indicações do caminho em vez de perguntar a alguém na rua. Manifestações são convocadas através de SMS. O impacto dos telemóveis na sociedade actual é portanto inegável. No entanto, a natureza precisa desse impacto, assim como as suas implicações em termos de transformação da vida social permanecem por identificar e analisar em profundidade.

1.Uso Social do Telemóvel
Antes de 1991 todos vivíamos sem um dispositivo que em Portugal se veio a chamar telemóvel. Decorridos apenas 18 anos, o uso de tal dispositivo tornou-se banal e, nos dias que correm, é difícil encontrar alguém que não possua pelo menos um deles. Em termos sociológicos a “revolução” do telemóvel é comparável ao surgimento de grandes “inventos” num passado mais ou menos longínquo. Casos como a energia eléctrica para uso industrial e doméstico, o automóvel e a telefonia fixa (telefone fixo) ficaram na história como grandes impulsionadores do desenvolvimento e responsáveis por alterações de

comportamentos sociais a nível mundial. As alterações sociais provocadas pela introdução do telemóvel foram, no entanto, muito mais rápidas que quaisquer uma das outras (mesmo da Internet). Tão rápidas que já todos nos esquecemos dos tempos em que apenas existiam telefones fixos. Em Portugal, a taxa de penetração das comunicações móveis e pessoais é das mais altas da Europa situando-se ao nível das taxas de penetração dos países nórdicos. Porquê? Quais foram, ou são, as causas de tais taxas num país como o nosso, com um poder de compra dos mais baixos da União Europeia?

Análise temporal.
Antes do surgimento da rede digital de comunicações móveis, existia em Portugal apenas um operador que assegurava a rede móvel analógica. Por esta altura o equipamento móvel era tudo menos portátil. As dimensões e peso tornavam quase proibitivo o seu transporte, a não ser no interior de viaturas. Passámos, assim, a ter telefone no carro. A qualidade das comunicações era, no entanto, muito inferior à qualidade a que estávamos habituados nos telefones fixos. Era frequente a necessidade de imobilização das viaturas para conseguir manter uma ligação

Manuel Beleza

4

24 de Set.

TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICÃO
1.1 Crianças;
Pois bem, dados que temos em Portugal, têm nos mostrado os telemóveis implicados nesta revolução cultural tendente, no século XXI, à indiferenciação das fases da vida. Crianças desde as bem pequenas e jovens de todas as idades têm encontrado no uso dos telemóveis um espaço de

independência do mundo adulto, historicamente construído como aquele capaz de balizar e moldar o padrão de vida infantil, bem como seus caminhos em direcção à maioridade. Em conversas com crianças, mães e professoras, soubemos que a grande maioria das crianças (portuguesas) de todas as classes sociais tem telemóveis, dos mais simples aos mais avançados tecnologicamente. Embora a justificação mais difundida para possuir ou dar telemóveis seja a do contacto entre pais e filhos, esta é a finalidade mais banal de sua utilização. A maior parte das crianças declara que não pode dispensá-los, e conta muito para a sua imagem entre colegas porque são a melhor forma de ter, e manter amigos, com os quais trocam ideias, e discutem marcas, cores, modelos e até funções, no sentido de, “o meu tira fotografias o teu não” aconselham-se, desabafam e vivem seu quotidiano. Uma grande parte delas também declarou usar telemóveis para informar-se, jogar, assistir vídeos e ouvir suas bandas favoritas, completamente resguardados de qualquer interferência (ou influência!) dos adultos. A partir dos seis anos, os meninos já usam os telemóveis para abordar temas picantes, aumentando suas informações relativamente àquele espaço privativo dos adultos e interdito à infância moderna o da sexualidade.

Como se vê, por mais controvertidas que sejam, parece que as hipóteses de Postman se confirmam, e a tecnologia tem sido central na reconfiguração da vida e dos sentimentos nesta nova era. A infância como a fase da inocência, da dependência, da insegurança e da ignorância dos segredos do mundo e da vida parece que está a desaparecer. Tudo isso merece ser reflectido não só pelos Pais mas por todas as pessoas que vêem, cada vez mais, as tecnologias embutidas em suas vidas. Os telemóveis tornaram-se parte do nosso quotidiano e, hoje em dia, já não concebemos o mundo sem eles.

1.2 Adolescentes;
A dependência dos telemóveis é uma das características que marca a sociedade actual. Em Portugal, a taxa de penetração dos telemóveis já ultrapassou os 100%, o que significa que

Manuel Beleza

5

24 de Set.

TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICÃO
existem mais aparelhos do que habitantes portugueses. A existência de valores que os adolescentes procuram sempre neste mercado, como inovação, agressividade comercial, imagem, simplicidade, com destaque para o acesso móvel à Internet através de tecnologias de terceira geração. Estas novas funcionalidades levam a que a posse de um telemóvel seja cada vez mais aliciante e atraia mais jovens para a sua aquisição. Mas um aparelho (pequeno que cabe em qualquer lado, ou seja, é fácil de transportar), e útil como este, não se pode tornar num vício diário, em que se envia especialmente MMS ou SMS de texto todos os minutos, arquivo de ficheiros, bluetooh, que serve de rádio para ouvir música, de agenda, de despertador, consola de jogos, de câmara fotográfica e de filmar, relógio, calculadora, enfim uma serie de funções que leva os jovens a usar e abusar deste pequeno aparelho. A verdade é que muitas pessoas utilizam estes meios electrónicos como modo de marcar território, marcar o seu próprio estilo e de se sobressaírem no seu meio envolvente. Quem não tem um telemóvel? Quem não tem um Mp3? Qual é o jovem que não se identifica com as marcas que usa? Para eles tem de ser cool & fashion, mas ao mesmo tempo é extremamente racional na escolha do operador pela razão óbvia de ter um orçamento limitado Não são capazes de saírem de casa sem o telemóvel, sentem-se inseguras, como aquele aparelho pudesse salvar a vida numa situação de risco. A forma como o telemóvel se introduz na vida dos adolescentes é bem patente, estes fazem em média 3,56 chamadas por dia e enviam cerca de 25,72 mensagens atreves do telemóvel. Quando não têm consigo sentem-se desconfortáveis, a sensação de estar contactável ou poder contactar alguém em qualquer lugar é reconfortante. Uma parte bastante significativa correspondente a dos jovens,

85,2%,concorda

totalmente que se sentem muito mais tranquilos quando têm o telemóvel consigo. Além disso, 74,3%

concordam que o seu telemóvel só lhes é útil se estiver constantemente ligado. No entanto, enquanto as marcas e os operadores de telemóveis não

Manuel Beleza

6

24 de Set.

TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICÃO
perceberem que também têm um papel activo a desempenhar neste aspecto, e continuar a haver operadores que promovem anúncios irresponsáveis, famílias e escolas continuarão a ter dificuldade em promover a utilização ética, responsável e segura destes dispositivos. Outro problema que ocorre com tudo isto é o tipo de linguagem utilizada no envio de mensagens, como as abreviações e a utilização de “x”em vez dos “s”,e o “k”no lugar de que etc. Mas o facto é que não podemos ser alarmistas em relação a este objecto, a verdade é que há 40anos atrás se olhava para a geração da altura com preocupação pelos possíveis danos que a TV. pudesse causar nos jovens. Mudam-se os tempos mudam-se as brincadeiras, muda a realidade em geral. Mas sabendo que os telemóveis são fontes de radiação, e sabendo que há tantos, mas tantos adolescentes que o mantém em permanente utilização até dormem com ele ligado junto à cabeceira.

1.3 Adultos;
Apesar de os telemóveis serem considerados meros instrumentos ao serviço dos donos, eles são também artefactos sociais. Mas para além disso a pratica comunicativa através deles é influenciada pelo contexto social em que ele é utilizado, passou a assumir também um papel social activo. Mas quem comunica com quem? Qual a estrutura das redes sociais criadas pela comunicação através do telemóvel? A esta análise as alterações sociais provocadas pela possibilidade de comunicação a toda a hora e em qualquer local. O telemóvel deixou de ser apenas um dispositivo que permite comunicar, para se tornar uma ferramenta da interacção social. Em poucos anos, passou de mero instrumento de trabalho a um equipamento de massas, utilizado não só para comunicar, como também para estruturar as diversas situações no quotidiano. O grupo de indivíduos que utiliza de forma activa o telemóvel como ferramenta de trabalho é uma parcela importante dos utilizadores, tendo os operadores criado um conjuntos de serviços com potencial interesse para estes, tais como pagamentos bancários, consultas de saldo, criar documentos internet, GPS, alertas e consultas da Bolsa de Valores, ou a possibilidades de aceder aos emails. O uso do telemóvel em contexto profissional não deixa de ser relevante devido às implicações que tem em termos sociais, como económicos, é de realçar que a maioria das conversas são profissionais, e pertence a um grupo etário 25-44anos (55,5%), e 44-64 anos (29,8%), sendo indivíduos em idade activa. Existe também um maior uso na parte profissional pelos Homens cerca de 76,6% contra apenas 23,5% que são mulheres. Verifica-se igualmente uma despesa efectuada mais de 50€ por mês para tratar de assuntos profissionais. Por outro lado 33,9% acreditam que o facto de ter telemóvel lhes permite ter um aumento de remuneração e reconhecem as suas vantagens em termos de instrumento para resolveram os

Manuel Beleza

7

24 de Set.

TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICÃO
negócios a qualquer altura e local, dentro desta filosofia aparece algumas citações que nunca é demais relembrar:”a vida das pessoas sem telemóvel, em geral seria muito mais feliz e tranquila” «a maioria das chamadas profissionais que recebo fora do período de trabalho são incómodas e invadem a minha privacidade individual e familiar»

1.4 Idosos
Nos países desenvolvidos verifica-se cada vez mais um envelhecimento da população, onde a proporção de pessoas com idade superior 65 anos está aumentar significativamente. Assim, em média as pessoas vive mais tempo do que viviam há um século atrás. Compreende-se portanto que esta questão da terceira idade, do ponto de vista social, é relativamente recente, os idosos são pessoas limitadas, muitas vezes comparadas com as crianças, em termos das suas limitações. No

século XX designava-se a velhice como sendo

somente e nada mais do que um período perdas de e do

doenças, negação

desenvolvimento. Com o passar dos anos, novos conceitos de velhice,

novas formas de gestão da velhice A foram velhice

aparecendo.

surge como construção histórica e sociocultural complementar à infância. A única função que os idosos dão ao telemóvel è para fazer chamadas e mensagens, é assim importante dizer que as chamadas são utilizadas por todos, as mensagens só por “alguns”.Contudo os idosos utilizam muito poucas funções em relação àquelas que o telemóvel disponibiliza, devido à dificuldade, em termos de habilitações literárias não sabem ler nem escrever encontrando resistência em relação ao rápido desenvolvimento tecnológico verificado nas últimas duas décadas. A esta utilização por parte dos idosos já representa um esforço no sentido de se integrarem na sociedade moderna (afinal não são tão dependentes como se pensa) sendo sempre ajudados por pessoas mais novas que eles, e que lhes são próximas com maior

Manuel Beleza

8

24 de Set.

TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICÃO
domínio tecnológico por parte de gerações mais novas, e familiarizá-las com as TIC, neste caso com o telemóvel.

2. Classe social mais baixa prefere sempre telemóveis de alto custo.
Considero que essa afirmação no meu entender é irrealista, uma vez que as classes sociais mais baixas, tem um poder de compra reduzido, mas… acontece que nem sempre isso se verifica, o homem é insaciável. Apesar da crise, ainda há quem não se importa de dar mais de 500 euros por um telemóvel. As classes com altos rendimentos adquirem os telemóveis mais caros (chamados topo de gama) pois vêem nelas a sua hierarquia para se mostraram a sociedade, tendo em mente que

quanto mais caro melhor é o aparelho. O telemóvel de alto custo é visto nesta faixa social mais alta como um símbolo de independência, autonomia e até proporciona um certo status social. E conta muito para a sua imagem utilizando telemóveis sofisticados, novos e de marca, estão bem cientes do seu funcionamento, ou utilidade. Mas o marketing que as empresas de venda utilizam para este público-alvo, quando os convence que a posse de determinado modelo, “mais caro”os torna automaticamente parte de uma imagem principal da sociedade. Por norma as classes com alto nível de habilitações são aquelas que mais adquirem este produto, ocupando cargos de chefia, em determinados departamentos da sociedade. A dinâmica da sociedade, a evolução cultural, as ideias as tendências leva a cada indivíduo a uma diversidade social com vários factores: económicos políticos, religiosos, culturais.

Manuel Beleza

9

24 de Set.

TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICÃO
3.Telemóveis do futuro vantagens e desvantagens
Com o aparecimento de novos equipamentos, novas tecnologias, novos serviços a qualidade das comunicações aumenta significativamente. O uso do telemóvel banaliza-se. Todos passamos a utilizar as redes móveis de comunicação. Mesmo os mais “puristas” que ao princípio não atribuíam grande utilidade a “tal dispositivo” estão hoje em dia rendidos à sua utilização. Considero que no futuro os telemóveis têm câmaras de filmar de 20 Megapixéis, a conexões Long Term Evolution, um forte candidato a sucessor do 3G, que poderá disponibilizar larguras de banda de 100Mbps, fazer filmagens em alta definição, ecrãs XGA de 1024x768 pixéis, equipadas com processadores de 1Ghz.

3.1 Benefícios.
Acredito que na próxima década um telemóvel já seja capaz de sozinho, através de um sensor, aumentar o volume do toque, quando o utilizador se encontra num local com muito ruído. O mesmo poderá acontecer numa situação inversa, quando o dono do telemóvel está num ambiente silencioso e não precisa que o aparelho faça muito alarido. Telemóvel com pouca rede ou bateria, pedir ajuda a outro que esteja perto. Mas só será possível se os outros modelos tiveram as mesmas características. O telemóvel do futuro será um equipamento que permitira combinar diversas actividades com experiências do quotidiano. Assim terá uma serie de ferramentas, de áreas tão distintas como o entretenimento, controlo remoto de segurança no lar, de finanças de produtividade, segurança das pessoas e dos seus bens sistema de reconhecimento de voz, ecrã táctil e flexível, “invólucro” sensível, reage no meio ambiente. O telemóvel pode ser usado como uma bracelete, pode ser dobrado, encolhido, pode enrolar-se ou ser pendurado nas calças como se fosse um clip. Também pode mudar de forma, consoante o contexto em que está a ser usado. Apesar de a grande mais-valia deste modelo o conceito e design, são ainda as suas especificidades técnicas. Leve, simples de usar e resistente, passando

despercebido ao público em geral.

3.2 Desvantagens
Os riscos para a saúde decorrentes do uso de telemóvel têm sido alvo de vários estudos científicos. Até ao momento, a maioria tem tido resultados inconclusivos. A preocupação surge de uma maior exposição às radiações dos telemóveis e à possibilidade de provocarem a destruição da estrutura do material biológico. Outra questão é o facto de as

Manuel Beleza

10

24 de Set.

TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICÃO
crianças serem consideradas mais sensíveis aos efeitos adversos na saúde do que os adultos. Ou seja, é possível, adiantam alguns especialistas, que os mais novos enfrentem uma maior vulnerabilidade às radiações já que o seu cérebro se encontra em desenvolvimento e a absorção de energia pelo tecido adiposo é maior. A cabeça é mais pequena mas também porque a radiação penetra mais facilmente numa caixa craniana mais fina. Há diversos investigadores internacionais que têm defendido a aplicação de restrições na utilização de telemóveis por parte das crianças. Até porque os adultos de hoje começaram a utilizar os telemóveis numa idade mais avançada e têm assim um tempo de exposição inferior ao das crianças, que começaram a usar o aparelho muito mais precocemente. A política de precaução neste domínio foi, por exemplo, defendida pela Organização de Protecção Radiológica, uma instituição britânica.

4. Componentes indispensáveis ao seu uso
Os telemóveis são dos aparelhos mais complexos e sofisticados que encontramos no dia-adia. Para comprimir e descomprimir sinais digitais codificados, têm de processar milhões de cálculos por segundo. No entanto, como máquina, são compostos apenas de alguns componentes. Sendo estes interiores e exteriores.

4.1 Componentes interiores
    Um dos componentes principais do telemóvel é a bateria sem ela a sua portabilidade não seria possível, esta é construída em material de lítio. Placa de circuitos ou memoria sequências de instruções a serem seguidas e direccionadas. Para que ocorra uma boa comunicação por telemóvel, é necessária uma antena com função de transmissão e de emissão de um sinal. Altifalantes acessório concebido para o melhor desempenho de áudio.

4.2 Componentes exteriores
 Os ecrãs são de cristais líquidos, que possuem óptimas propriedades de refracção da luz, aonde se pode visualizar as chamadas, ver as mensagens, consultar a lista do telemóvel.  Carregador recarregar os aparelhos com corrente eléctrica, está-se a estudar que ate o ano 2012 existirá um só carregador único para todas as marcas.   Capa do telemóvel Auriculares, mãos livres

Manuel Beleza

11

24 de Set.

TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICÃO
 Teclado; é um dispositivo de entrada de dados composto de um conjunto de teclas associadas aos caracteres utilizados para escrita e para controlo. Por debaixo existe uma matriz de condutores que quando pressionada, fecha o contacto entre dois dos seus condutores de forma a processala.

5. Os telemóveis não transmitem sinal;
esta afirmação é falsa, ou seja, temos encostado ao nosso cérebro uma pequena antena a emitir radiação no seu máximo de potência. Aqui os valores medidos são muito superiores aos 41.25 V/m que é limite para a exposição permanente do público em geral. Mas ao usarmos um telemóvel, deixamos de estar numa situação de exposição permanente para uma exposição pontual. Estes valores de radiação variam de modelo para modelo, existem telemóveis que emitem mais radiação que outros. O SAR (Specific absortion Rate) é uma unidade de medida que indica qual a quantidade de radiação absorvida por kilograma corporal (expresso em W/kg). Na Europa o SAR máximo permitido é de 2 W/kg. Existem muitos estudos nesta área, um dos quais é o de um Cientista George Carlo que foi contratado por um consórcio de empresas de comunicações móveis para provar que os telemóveis não interferiam na saúde pública. Este Cientista estudou durante mais de 7 anos e gastou mais 28.5 milhões de dólares até abandonar o projecto, devido a ter chegado a conclusões contrárias Mais recentemente está a decorrer um outro estudo designado

Interphone e que foi levado a cabo por Austrália, Canada, Dinamarca, Finlândia, França, Alemanha, Israel, Itália, Japão, Nova Zelândia, Noruega, Suíça e Inglaterra. No entanto os resultados deste estudo deviam ter sido divulgados em 2005 e não foi feito qualquer comunicado, Muitos afirmam que há discordância dentro do grupo, relativamente à forma como os resultados deverão ser apresentados, uma vez que existe o receio destes poderem assustar a população.

5.1 A célula envia informação da região onde está a cobertura;
Considero esta afirmação certa uma vez que, a difusão Celular é uma tecnologia disponível por várias operadoras de telecomunicações móveis, que tem sido muito explorada em diversos países do mundo, dentro de uma

Manuel Beleza

12

24 de Set.

TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICÃO
área geográfica designada mantendo-se activa em Espanha, França, Alemanha, Inglaterra, Israel, África do Sul, Roménia, Índia, China, entre outros países. Em alguns casos, é bastante extensa a lista de canais activos, sendo o serviço muito utilizado para informar o nome das localidades onde a pessoa se encontra e também para publicitar inúmeras cadeias de comércio local. Na Roménia, por exemplo, foi criado um serviço com base nesta tecnologia (Serviço 'Bússola') em que é emitido o nome do local onde o cliente se encontra e que pode ser um monumento, o nome de um bairro, ou outra informação mais específica. Através deste sistema (GSM) temos acesso a diversos canais do serviço tais como: transito local, nome de localidade, informação meteorológica, as farmácias de serviços, os hospitais mais próximos, promoções da operadora, publicidade entre outras.

5.1.1 Esclarecimento princípio de funcionamento do sistema,

trata-se de

um sistema de navegação via satélite, que se encontram em orbita ao redor da terra, através de uma rede, em formação precisa, numa altitude aproximada 21.000 km. Transmitem informações de tempo e distância continuamente. A frequência que o receptor de GPS opera é de 1.575 MHz. Receptores de satélite de navegação que usam estas informações para calcular uma localização exacta por triangulação. Como sabemos, todo ponto na Terra é identificado por dois conjuntos de números chamados coordenadas. Estas coordenadas representam o ponto exacto onde uma linha horizontal conhecida como latitude, cruza uma linha vertical conhecida como longitude. O receptor localiza pelo menos três satélites e usa as informações recebidas para determinar as coordenadas Geográficas.

Comparando o tempo em que os sinais foram transmitidos dos satélites e o tempo que eles foram registados, o receptor de GPS calcula a distância de cada satélite, sendo no mínimo computado a distância de três ou mais satélites, que resultará na sua posição na superfície da terra. Com estas distancias medidas, o receptor também poderá calcular velocidade e poderá calcular o tempo de viagem, distância, altitude, dentre outros feitos.

5.2 Maior cobertura do sinal de rede, mais potência é precisa por parte do telemóvel;
Segundo dados obtidos, a frase acima descrita é falsa; estes aparelhos comunicam por ondas electromagnéticas, cada uma delas servido por um que permite a transmissão bidireccional de voz e dados utilizáveis em uma área geográfica que se encontra dividida em células transmissor/receptor. Têm inteligência suficiente para controlarem a sua potência de transmissão, ou seja, se estivermos num local com uma boa cobertura, a antena do

Manuel Beleza

13

24 de Set.

TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICÃO
telemóvel vai estar emitir numa potência baixa. Mas se estivermos num local com fraca cobertura, o telemóvel vai tentar compensar a falta de rede transmitindo no máximo da sua potência. Estas situações acontecem particularmente quando estamos dentro de edifícios e dentro do nosso carro.

5.3 Aumentando a potencia diminui-se o comprimento de onda; Esta
frase é verdadeira. Uma onda consiste nos sucessivos baixos e altos e a distância entre dois pontos altos ou baixos é chamado de comprimento de onda

6.Tecnologias de rede: 1ª Geração, GSM/GPRS; 3G (UMTS)
Há diferentes tecnologias para a difusão das ondas electromagnéticas nos telefones moveis, baseadas na compressão das informações ou na sua distribuição á qual a indústria classifica os sistemas de telefonia móvel em gerações:  1ª Geração (1G) analógica desenvolvida no inicio dos anos 80, com os sistemas NMT e AMPS  2ª Geração (2G) digital desenvolvida no final dos anos 80, e inicio dos anos 90:com sistemas GSM, CDMA e TDMA.  2,5ª Geração (2,5G) uma evolução à 2G, com melhorias significativas em capacidade de transmissão de dados e na adopção de tecnologia de pacotes e não mais comutação de circuitos, presente nas tecnologias GPRS, EDGE, HSCSD, EVDO, E 1xRTT.  3ª Geração (3G) com um sistema digital, incluindo mais recursos, em desenvolvimento desde o final dos anos 90, com destaque para o acesso móvel á Internet ex. UTMS.  3,5ªgeração (3,5G) este aparelho tem incluído alem de outros os sistemas tais como HSDPA, HSPA e HSUPA.  4ª Geração (4G) encontra-se já em desenvolvimento.

Manuel Beleza

14

24 de Set.

TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICÃO
 O UMTS representa o sistema de telecomunicações móveis que será utilizado na Europa inserido num modelo de criar um "standard" que possa ser utilizado mundialmente, o UMTS significa uma alteração na forma como os telemóveis são utilizados actualmente, ao permitir um conjunto de serviços que fazem uso de capacidades multimédia e um acesso rápido à internet. Com os avanços tecnológicos efectuados nos últimos anos dentro da www e dos telemóveis, assiste-se agora a uma convergência quase inevitável entre estes dois meios de comunicação. O UMTS representa a união de ambos numa única plataforma móvel. Este sistema irá permitir que o utilizador possa aceder a imagens e vídeos, assim como acesso rápido à

internet, qualidade de voz quase igual à das redes inúmeras fixas e outras

funções. Um dos trunfos da tecnologia 3G sobre GSM-GRPS-WAP é a enorme diferença em termos de capacidade e de qualidade, ela permite o acesso a informação altamente móvel, personalizada e fácil de aceder.  Capacidade multimédia e uma grande mobilidade  Acesso eficiente à internet  Alta velocidade  Portabilidade entre os vários ambientes UMTS (permitindo o acesso às redes UMTS terrestres e de satélite)  Compatibilidade entre o sistema GSM e o UMTS, devendo os terminais possuir “dual band” ou poderem funcionar em ambos os sistemas.

7.Existência de radiação electromagnética;
A radiação electromagnética são ondas que se auto-propagam pelo espaço, algumas das quais são percebidas pelo olho humano como luz. A radiação electromagnética compõe-se de um campo eléctrico e um magnético, que oscilam perpendicularmente um ao outro e à direcção da propagação de energia.

Manuel Beleza

15

24 de Set.

TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICÃO
7.1 Espectro Electromagnético
A palavra espectro (do latim "spectrum", que significa fantasma ou aparição) foi usada por Isaac Newton, no século XVII, para descrever a faixa de cores que apareceu quando numa experiência a luz do Sol atravessou um prisma de vidro em sua trajetória. Chama-se espectro eletromagnético à faixa de freqüências e respectivos comprimentos de ondas que caracterizam os diversos tipos de ondas eletromagnéticas. As ondas eletromagnéticas no vácuo têm a mesma velocidade , modificando a freqüência de acordo com espécie e, conseqüentemente, o comprimento de onda. A radiação electromagnética é classificada de acordo com a frequência da onda, que em ordem crescente da duração da onda são:  Rádios;  Microondas;  Radiação infravermelha;  Luz visível;  Radiação ultravioleta,  Raio-X e Radiação Gama

Manuel Beleza

16

24 de Set.

TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICÃO

Fisicamente, não há intervalos no espectro. Podemos ter ondas de qualquer freqüências que são idênticas na sua natureza, diferenciando no modo como podemos captá-las.

7.2 Referencia a alguns aparelhos de radiação electromagnética. 7.3 Ondas de Rádio
é a denominação dada às ondas desde freqüências muito pequenas, até 1012 Hz , acima da qual estão os raios infravermelhos. As ondas de rádio são geradas por osciladores geralmente em um lugar alto, para uma maior região. Logo o nome "ondas de rádio" de TV, longas as e eletrônicos instalados atingir

inclui as microondas, as ondas ondas curtas, as ondas as próprias bandas de FM.

AM e

Estas ondas, têm a

Manuel Beleza

17

24 de Set.

TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICÃO
capacidade de contornar obstáculos como árvores, edifícios, de modo que é relativamente fácil captá-las num aparelho rádio-receptor.

7.4 Ondas de TV
As emissões de TV são feitas a partir de 5x107 Hz (50 MHz) . É costume classificar as ondas de TV em bandas de freqüência (faixa de freqüência), que são:      VHF : very high frequency (54 MHz à 216 MHZ è canal 2 à 13) UHF : ultra-high frequency (470 MHz à 890 MHz è canal 14 à 83) SHF : super-high frequency EHF : extremely high frequency VHFI : veri high frequency indeed

As ondas de TV não são refletidas pela ionosfera, de modo que para estas ondas serem captadas a distâncias superiores a 75 Km é necessário o uso de estações repetidoras.

7.5 Microondas
Microondas correspondem à faixa de mais alta freqüência produzida por osciladores eletrônicos. Freqüências mais altas que as microondas só as produzidas por oscilações moleculares e atômicas. As microondas são muito utilizadas em telecomunicações. As ligações de telefone e programas de TV recebidos "via satélite" de outros países são feitas com o emprego de microondas.

Manuel Beleza

18

24 de Set.

TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICÃO

As microondas também podem ser utilizadas para funcionamento de um radar. Uma fonte emite uma radiação que atinge um objeto e volta para o ponto onde a onda foi emitida. De acordo com a direção em que a radiação volta pode ser descoberta a localização do objeto que refletiu a onda.

7.6 Luz visível
Note que nosso olho só tem condições de perceber freqüências que vão de 4,3x1014 Hz a 7x1014 , faixa indicada pelo espectro como luz visível. Nosso olho percebe a freqüência de 4,3x1014 como a cor vermelha. Freqüências abaixo desta não são visíveis e são chamados de raios infravermelhos , que têm algumas aplicações práticas. A freqüência de 7x1014 é vista pelo olho como cor violeta. Freqüências acima desta também não são visíveis e recebem o nome de raios ultravioleta. Têm também algumas aplicações. A faixa correspondente à luz visível pode ser subdividida de acordo com o espectro a seguir.

Manuel Beleza

19

24 de Set.

TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICÃO

7.7 Raios X
Os raios X foram descobertos, em 1895, pelo físico alemão Wilhelm Röntgen. Os raios X têm freqüência alta e possuem muita energia. São capazes de atravessar muitas substâncias embora sejam detidos por outras, principalmente pelo chumbo. Esses raios são produzidos sempre que um feixe de elétrons dotados de energia incidem sobre um obstáculo material. A energia cinética do feixe incidente é parcialmente transformada em energia eletromagnética, dando origem aos raios X. Os raios X são capazes de impressionar uma chapa fotográfica e são muito utilizados em radiografias, já que conseguem atravessar a pele e os músculos da pessoa, mas são retidos pelos ossos.

Os raios X são também bastante utilizados no tratamento de doenças como o câncer. Têm ainda outras aplicações: na pesquisa da estrutura da matéria, em Química, em Mineralogia e outros ramos.

Manuel Beleza

20

24 de Set.

TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICÃO
7.8 Raios Gama
As ondas eletromagnéticas com freqüência acima da dos raios X recebe o nome de raios gama (g ). Os raios g são produzidos por desintegração natural ou artificial de elementos radioativos.

Um material radioativo pode emitir raios g durante muito tempo, até atingir uma forma mais estável. Raios g de alta energia podem ser observados também nos raios cósmicos que atingem a alta atmosfera terrestre em grande quantidade por segundo. Os raios g podem causar graves danos às células, de modo que os cientistas que trabalham em laboratório de radiação devem desenvolver métodos especiais de detecção e proteção contra doses excessivas desses raios.

8.Conceitos em relação as características das ondas.
É importante tomarmos consciência de como estamos imersos em ondas eletromagnéticas. Iniciando pelos Sol, a maior e mais importante fonte para os seres terrestres, cuja vida depende do calor e da luz recebidos através de ondas eletromagnéticas. Existe as fontes terrestes de radiaçao electromagnetica: as estaçoes de radio e de tv, o sistema de telecomunicaçoes à base de microondas, lampadas artificiais. Em 1864 fisico escocês, James Clerk Maxwel conseguiu provar teoricamente que uma perturbação eletromagnética devia se propagar no vácuo com uma velocidade igual à da luz. Em 1887, Henrich Hertz produziu ondas eletromagnéticas por meio de circuitos oscilantes e, depois, detectou-se por meio de outros circuitos sintonizados na mesma freqüência. Seu trabalho foi homenageado posteriormente colocando-se o nome "Hertz" para unidade de freqüência.

Manuel Beleza

21

24 de Set.

TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICÃO
8.1Velocidade de propagação de ondas electromagnéticas;
depende do meio em que ela se propaga. Maxwell mostrou que a velEscreva uma equação aqui.ocidade de propagação de uma onda eletromagnética, no vácuo, é dada pela expressão:

onde

é a permissividade elétrica do vácuo e e de

é a permeabilidade magnética do vácuo.

Aplicando os valores de

na expressão acima, encontra-se a velocidade:

ou

(valor exacto) que é igual a velocidade da luz. Nisso Maxwell se baseou para afirmar que a luz também é uma onda eletromagnética. Podemos resumir as características das ondas eletromagnéticas no seguinte:  São formadas por campos elétricos e campos magnéticos variáveis.  O campo elétrico é perpendicular ao campo magnético.  São ondas transversais (os campos são perpendiculares à direção de propagação).  Propagam-se no vácuo com a velocidade "c" .  Podem propagar-se num meio material com velocidade menor que a obtida no vácuo. Com isto, o campo elétrico ao redor do fio em um certo instante estará apontando num sentido e, depois, no sentido contrário. Esse campo elétrico variável (E) irá gerar um campo magnético (B) , que será também variável. Por sua vez, esse campo magnético irá gerar um campo elétrico. E assim por diante .... Cada campo varia e gera outro campo que, por ser variável, gera outro campo: e está criada a perturbação eletromagnética que se propaga através do espaço, constituída pelos dois campos em recíprocas induções.

Manuel Beleza

22

24 de Set.

TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICÃO

Note que o campo elétrico é perpendicular à direção de propagação e o campo magnético também, o que comprova que a onda eletromagnética é uma onda transversal. Além disso, o campo elétrico é perpendicular ao campo magnético, o que podemos verificar facilmente: quando um fio é percorrido por cargas em movimento, o campo elétrico num ponto próximo ao fio pertence ao plano do fio, enquanto o campo magnético está saindo ou entrando neste plano.

8.2 Período;
É o tempo em que decorre duas alternâncias consecutivas, ou seja, é o tempo gasto num ciclo. Representa-se por T e expressa-se em segundos.

8.3 Frequência de onda;
Um importante aspecto da natureza da luz é a frequência. A frequência é o número de ciclos efectuados num segundo. Representa-se por f e a sua unidade é o Hertz verifica-se que a frequência e o período estão relacionados numa proporção inversa. Um ciclo demora a realizar-se num período T; logo f ciclos demorarão 1 segundo.

A sua equação
resultante.

f = 1/T
frequências formam diferentes ângulos de refracção. Ondas

A Luz normalmente tem um espectro de frequências que somados juntos formam a onda Diferentes

electromagnéticas variam de acordo com o tamanho, de ondas de tamanhos de prédios a

Manuel Beleza

23

24 de Set.

TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICÃO
ondas gama pequenas menores que um núcleo de um átomo. A frequência é inversamente proporcional ao comprimento da onda, de acordo com a equação:

ϑ = f /λ

Onde

ϑ é a velocidade da onda,

f é a frequência e λ (lambda) representação do Comprimento de onda
Na passagem de um meio material para o outro, a velocidade da onda muda mas a frequência permanece constante. A interferência acontece quando duas ou mais ondas resultam em um novo padrão de ondas. Se os campos tiverem os componentes nas mesmas direcções, uma onda “coopera” com a outra, porém se estiverem em posições opostas há uma grande interferência.

Quanto maior a frequência de uma onda, maior é o seu período. Falso, porque frequências altas são curtas, e baixas são longas. A frequência da onda é proporcional à magnitude da energia.
Quanto menor a frequência de uma onda, menor é a sua velocidade de propagação; verdadeira

Referências bibliográficas
    Física por Prof. Alberto Ricardo Prass http://www.algosobre.com

 

http://www.miudossegurosna Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. http://www.educare.pt/educare/Actualidade.Noticia. http:// Wikipedia.org/wiki/onda.pt

Manuel Beleza

24

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->