Você está na página 1de 26
História adaptada por Isabel Aquino
História adaptada por
Isabel Aquino

Era uma vez um ventinho muito bonito,

Alegre e bem disposto.

Ela vivia a fazer traquinices pelo céu.

A sua mãe, D. Ventania, educava-o muito bem:

Meu filho, um ventinho bem educado Não pode andar por aí a faze disparates, tem que
Meu filho, um ventinho
bem educado
Não pode andar por aí
a faze disparates,
tem que se levantar
cedo para fazer as
suas obrigações.

As nuvens gostavam muito do ventinho porque ele levava-as a passear pelo céu.

As nuvens gostavam muito do ventinho porque ele levava-as a passear pelo céu. E o ventinho

E o ventinho levava

Ventinho, leva-nos

a dar uma volta por cima do mar

As nuvens gostavam muito do ventinho porque ele levava-as a passear pelo céu. E o ventinho

Mas mamã e brincar? Brincar também é

obrigação

de criança

Mas mamã e brincar? Brincar também é obrigação de criança Ventinho adorava voar pelo céu, com

Ventinho adorava voar pelo céu, com os seus amigos ventinhos e as divertidas nuvens.

Mas na hora de trabalhar, ventinho fazia tudo direitinho. Logo de manhã ajudava o pai, que era um vento mais forte, a levar os barcos

Dos pescadores para o mar.
Dos pescadores para o mar.

Era preciso cuidado com as velas dos barcos, eram muito rabugentas.

Ai cuidado, não empurrem com muita força!
Ai cuidado, não
empurrem com
muita força!
Ai ai, não me façam cocegas
Ai ai, não me façam
cocegas

O ventinho também tinha outras obrigações:

Assim que via a roupa na corda, corria para a secar e balançar de cá para lá.

E o catavento em cima da igreja? Era o ventinho que girava com ele, para mostrar a direção do Sr. vento

E o catavento em cima da igreja? Era o ventinho que girava com ele, para mostrar

Quando ventinho voltava para casa, gostava de espiar

pelas janelas da escola, para ver o que as crianças estavam a fazer. Naquele dia havia
pelas janelas da
escola, para ver o
que as crianças
estavam a fazer.
Naquele dia havia
uma grande
reunião para
combinarem uma
festa.

Ventinho, muito

curioso, entrou

pela janela, levantando a cortina e a professora Ester,

que era muito friorenta, reclamou logo:

FECHEM A JANELA

O Rodrigo correu a fechar a janela e o ventinho ficou preso. Como não encontrou nenhuma

saída sentou-se num armário à espera que alguém abrisse uma porta.

As crianças estavam muito contentes com a peça de teatro que estavam a ensaiar para

Representar no pátio da escola.

- Deus queira que não chova, pensava o ventinho… e assim que viu uma porta aberta foi embora voando para casa

O tempo foi passando mas o ventinho não esqueceu os meninos da escola e todos os dias

Quando voltava do seu trabalho ia espreitar os progressos que a festa ia fazendo,

Era muito engraçado ver os meninos a imitar bichos, cantando, cantarolando, dançando

Até que chegou o dia da festa. Todas as crianças estavam alegres e a professora Ester muito orgulhosa, porque os seus meninos não se tinham esquecido de nada

Mas o ventinho estava muito Preocupado. Alguma coisa lá no cantinho do céu não parecia muito certa.

Aquelas nuvens gordas e escuras,

não enganavam o ventinho…

-Ai, ai se o primo nordeste aparece agora vamos ter chuva pela certa!

As nuvens reclamavam:

-Ai que vento mais bruto!

Não precisa empurrar tanto! Mas o Noroeste assobiava e gritava:

As nuvens reclamavam: -Ai que vento mais bruto! Não precisa empurrar tanto! Mas o Noroeste assobiava
Vamos suas molengonas, estragar aquela festa lá em baixo
Vamos suas
molengonas,
estragar aquela
festa lá em baixo

Ventinho, quando viu aquilo não teve dúvidas.

Não faça isso! As crianças estão tão contentes com a festa
Não faça isso!
As crianças estão
tão contentes
com a festa

Correu ao encontro de Noroeste pedindo :

Ora Ventinho, para que quer defender os meninos? Eles nem sabem que você existe
Ora Ventinho, para
que quer defender
os meninos?
Eles nem sabem que
você existe

Então Ventinho teve uma ideia, saiu voando e foi buscar todos os ventinhos seus amigos Trouxe a brisa, a aragem, só não trouxe o remoinho que é um vento muito enrolado, coitado

Então Ventinho teve uma ideia, saiu voando e foi buscar todos os ventinhos seus amigos Trouxe

Todos juntos começaram a empurrar as nuvens para bem longe. E as nuvens que eram amigas do ventinho, faziam-se bem levezinhas para ajudar

E agora, já conhecem o Ventinho.

E agora, já conhecem o Ventinho. Quando virem a roupa balouçando no estendal, Os barcos com

Quando virem a roupa balouçando no estendal, Os barcos com a s velas enfunadas se afastando no mar

Quando espreitarem pela janela e as nuvens estiverem correndo pelo céu, já sabem quem as empurra e também já sabem que ele é nosso amigo e que faz muitas coisas boas

O nosso amigo Ventinho

Quando espreitarem pela janela e as nuvens estiverem correndo pelo céu, já sabem quem as empurra
Quando espreitarem pela janela e as nuvens estiverem correndo pelo céu, já sabem quem as empurra

FIM

Interesses relacionados