Você está na página 1de 178
j UM. { cock fii INSTITUTO SUPERIOR DE PSICOLOGIA APLICADA MESTRADO EM PSICOPATOLOGIA E PstconociIA CLLNICA Provessor Dovror Cantos Amanat Dras __ ORTENTADOR ISMOs De DEFES, 2 ae: * pISSERTAGEO DE JAIME CARVALHO COELHO LISBOA 1993 INDICE PAG. NOTA INTRODUTORIA......--..+-0000++ PCEEE ELECT Eee Ee eeeeoee Pee) HISTORIA, DEFINICAO E CONCEITO DO DESENHO INFANTIL.......-.-- 4 HISTORIA, DEFINICAO E CONCEITO DE DEFESA........--+++sse+00+ » 26 MECANISMOS DE DEFESA NOS DESENHOS........--.0+-+eeeeeer seers 34 A LEITURA DOS MOVIMENTOS PSfQUICOS na situagao de avaliagao psicolégica..........++-- peer aetere 148 BIBLIOGRAFIA. Pee Eee eee EEC eo Cee eee Perm 7S) Cova CNP RODUM SRE A © presente trabalho comega por situar o desenho —no capitulo Histo~ ria Definicg&o e Conceito do Desenho Infantil— no seu percurso his— térico. Refere e contextualiza,tanto quanto possivel, os seus gran— des marcos e as suas linhas de evolugdo, nomeadamente a sua aplica- go nos dominios do desenvolvimento da crianga e o seu uso como té— cnica projectiva. Neste particular aspecto procura-se fundamentar as suas caracteristicas projectivas numa psicologia dinamica que assume como quadro de referéncia principal a teoria psicanalitica. No capitulo seguinte, Historia, Definigao e Conceito de Defesa, o objectivo é tratar este conceito de modo semelhante ao desenho, seguindo a sua evolugdo e os contextos dos seus grandes momentos. Este capitulo serve de introdugao ao seguinte, para onde converge, a par com o primeiro. 0 capitulo Mecanismos de Defesa nos Desenhos, trata de cada meca- nismo procurando descrevé-los na sua evolugdo, nos seus aspectos