P. 1
capacidade produtiva

capacidade produtiva

|Views: 14.697|Likes:
Publicado porelbaargolo

More info:

Published by: elbaargolo on Sep 29, 2009
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/28/2013

pdf

text

original

A Capacidade Produtiva é o valor máximo que define as sáidas do processo produtivo por unidade de tempo.

Para as pequenas empresas, esse tempo geralmente é o dia. Logo, a capacidade de produção de uma empresa seria as peças que ela consegue produzir por dia, utilizando os recursos disponíveis (máquinas, homens, terceiros, etc). A Capacidade Produtiva de uma empresa pode variar significativamente, dependendo da forma como ela trabalha. Se trabalhar, contra estoque, consegue um maior aproveitamento dessa capacidade, pois ajusta seus postos de trabalho a uma determinada programação de produção e nesse período, normalmente não a altera e desta forma, consegue uma produtividade maior. Neste caso, tem condições de estimar uma previsão de vendas por tipo de produtos, modelos, etc e alocar seus recursos produtivos baseados nessa previsão, conseguindo estabelecer, de forma mais exata, as necessidades de matéria-prima, mão-de-obra e equipamentos para um determinado período. Se trabalhar contra os pedidos, há um aproveitamento menor de sua capacidade, pois frequentemente está ajustando a mesma aos pedidos recebidos. O mais comum nas pequenas empresas é que elas trabalhem contra os pedidos, pois a maior parte delas, não possui recursos para manter um estoque regulador de produtos acabados e também de matéria-prima e insumos. Em ambos os casos, a Capacidade Produtiva pode ainda estar limitada pelos gargalos que são postos de serviços que já trabalham em sua capacidade máxima, sendo ela menor que a dos demais postos de trabalho. Quando a empresa possui recursos para aumentar muito bem a capacidade deste posto de trabalho, ele deixa de ser o gargalo, mas geralmente, a pequena empresa não possui recursos para tal. Neste caso, temos sugerido um recurso, que não onera a empresa e ainda pode conseguir um aumento de até 15% da capacidade produtiva. É o que chamamos de “revezamento de pessoas”. A máquina ou o equipamento que é o gargalo para a empresa pode trabalhar as 8,75h diárias, sem interrupção. Basta para tanto, treinar mais um operador para trabalhar nesse “gargalo”. Esse outro operador pode e deve trabalhar, preferencialmente, em outro posto de trabalho, que tenha uma certa “folga em sua capacidade produtiva”, e no horário de almoço, faz-se o “revezamento”, pois cada operador almoça em horários diferentes. Dessa forma, consegue-se, sem custo adicional, um acréscimo na capacidade produtiva. Quando a empresa já trabalha 24h ininterruptas, podem-se efetuar os “revezamentos” nos finais de semana. O planejamento da capacidade produtiva deve ser feito, observando-se as previsões de demanda. Isso se faz necessário, pois o nível de utilização da capacidade efetiva de

produção irá refletir nos custos unitários e, portanto, nos níveis de produtividade do sistema. O número de unidades produzidas pelo número de recursos utilizados representa também uma forma importante de medir a performance do sistema produtivo.

As organizações em geral têm buscado melhorar os seus processos e a consultoria é uma das ferramentas que contribui para o alcance desse objetivo. Ela é composta de uma série de etapas, podendo ser sistematizada através de um método que oriente à sua execução. Esse artigo apresenta o desenvolvimento de um método de consultoria em administração da produção de bens. Baseando-se em uma fundamentação teórica, foi elaborado um método de consultoria em administração da produção de bens. Este método foi dividido em fases e etapas, que foram detalhadas e explicadas minuciosamente para que se pudesse facilitar sua compreensão e aplicação.Conclui-se que um método de consultoria em administração da produção de bens é útil para o norteamento de um trabalho de consultoria, pois apresenta o passo a passo de como executá-lo. Além disso, ele ainda pode ser utilizado como um check-list auxiliando na identificação de oportunidades de melhoria em uma organização.

Capacidade produtiva A capacidade de produção da empresa constitui o potencial produtivo de que ele dispõe (slack,1996). Ela, represente o volume ideal de produção de produtos/ serviços que a empresa pode realizar. O volume ideal de produção representa um nível adequado de atividades que permita o máximo de lucratividade e o mínimo de custos, de produção, de produção, de mão-de-obra, de manutenção etc. A capacidade de produção da empresa depende,por sua vez, de quatro subfatores: a) capacidade instalada; b) mão-de-obra disponível; c) matéria-prima disponível. Sabendo-se que o processo de produção de uma pia é de forma artesanal, fica difícil definir qual a capacidade produtiva da marmoraria, pois existe uma infinidade de produtos que são produzidas naquela empresa, entretanto pode-se determinar a capacidade de produção durante um dia de trabalho para um produto como a pia. A carga horária de trabalho diária é de 8h, tendo o tempo padrão de um produto pode-se se chegar a um valor de produção através do seguinte cálculo: Capacidade Produtiva = Carga Horária Diária de Trabalho Tempo Padrão de um Produto da operação Considerando-se a carga horária de trabalho de 540 horas no valor de 44,4 minutos, obtem-se: Capacidade Produtiva = 540/44,4 = 12 pias/dia. Análise da Capacidade Produtiva

Muitas empresas têm sérios problemas relacionados à capacidade produtiva, alternando períodos de excesso e falta de capacidade. Sendo assim, torna-se muito difícil investir em novos equipamentos, por desconhecer sua real capacidade produtiva. As técnicas de Simulação de Processos são bastante flexíveis, permitindo a modelagem e estudo de sistemas variados, como o fluxo de papéis em um escritório, atendimento de clientes em uma agência bancária, o cronograma de manutenção de aeronaves, produção de aço em siderúrgicas e sistemas avançados de manufatura. A aplicação tradicional da Simulação de Processos estuda os efeitos de uma alteração no sistema já existente e conhecido. Aplica-se na verificação de planos de melhoria do processo, estudo de compra de novas máquinas (análise de capacidade), alterações de layout, alteração no número de funcionários, etc. Um modelo de simulação é criado sobre o sistema de manufatura e ajustado até corresponder em detalhes ao sistema real. São aplicadas as alterações desejadas e seus efeitos, observados. No caso específico da análise de capacidade, verifica-se o status do sistema, por meio da elaboração de cenários e testes, identificando a existência de problemas de capacidade em seus recursos críticos.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->