Você está na página 1de 2

Ps Graduao Sade Mental Psicofarmacologia Tutora: Denise Marcon Aluna: Jessica Toneloto Mendes Turma: 2013 - B

1- Quais as diferenas entre os preos dos psicotrpicos nas duas farmcias?

As diferenas esto no modo como os medicamentos so feitos, na farmcia de manipulao o preo do psicotrpico no controlado, cada farmcia pratica um preo de acordo com seus custos operacionais, impostos, gastos com assessorias tcnicas e comerciais, n de frmulas/dia, poltica de lucros, s vezes a reduo do preo pode indicar comprometimento da qualidade. Enquanto que na farmcia convencional o valor do medicamento j controlado pelos laboratrios de fabricao que repassam por um preo e a farmcia revende por outro mais elevado. Segundo Amaral (2011) na maioria das vezes o custo dos manipulados de 30% a 40% menor do que os medicamentos de farmcias convencionais, at mesmo os genricos. Essa grande diferena de preo em relao aos medicamentos industrializados porque os manipulados so fabricados somente por prescrio, na quantidade certa para o cliente seguir cada tratamento, no existindo sobras e desperdcios - consequentemente, a pessoa paga somente o que usa.

2- Quais as diferenas quanto ao armazenamento dos psicotrpicos nas duas farmcias?

Quanto ao armazenamento, em ambos os estabelecimentos, o princpio o mesmo, necessita ter acesso restrito, somente pessoas com competncia para assegurar a estocagem ordenada das diversas categorias de matrias primas e embalagens. Entretanto, na farmcia de manipulados, os produtos (matrias-primas, materiais de embalagem e produtos manipulados) precisam ser armazenados sob condies apropriadas de modo a preservar a identidade, integridade, qualidade e segurana dos mesmos.

Fontes:

AMARAL, T. O segredo dos remdios manipulados. Disponvel em: http://www.odiario.com/saude/noticia/447462/o-segredo-dos-remedios-manipulados/ Publicado: 17 de julho de 2011.

SOARES, A. C. Montando uma farmcia de manipulao. Disponvel em: http://www.webartigos.com/artigos/montando-uma-farmacia-de-manipulacao/32337/ Publicado: 08 de fevereiro de 2010.