Ar[QUÉ]tipo

Ele é quem sabe de si Ele é quem gosta do outro Ele quem cace a palavra De si somente o eu Dele quem nunca viu De dentro para fora AR-DEU Mas eis que a ronda Mas eis que há língua Mas eis saliva NOS ISMOS TODOS OS DIAS TODOS OS TEMPOS TODAS AS HORAS Ele é quem sabe de si Ele é quem culpa os outros Ele é quem mata a palavra Do sim somente eu Dele a imagem do gosto De fora para dentro AR-MEU

PEREIRA, Túlio Henrique. “Ar[qué]tipo”. In: Ovo da Ema. Revista de Poesia, Org. de Eliane Marques e Lúcia Bins Ely. Arte de Capa de Paulo Frydman. 1. Ed. Escola de Poesia – Aprés Coup Porto Alegre Psicanálise e Poesia, 2013. p. 17.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful