Você está na página 1de 5

Características da População Agrícola Portuguesa

Nos últimos anos temos assistido a uma diminuição da


população activa no sector agrícola, facto que se deve,
sobretudo:
• à diminuição do número de explorações;
• à crescente mecanização;
• à baixa produtividade e baixo rendimento;
• aos baixos salários.
Nota: A distribuição regional permite-nos verificar que é sobretudo nas regiões do norte e do
centro (Portugal Continental) que se situa a o maior peso da população agrícola.

Desta forma:
a mão-de-obra provém, sobretudo, do agregado familiar do
produtor.
O produtor agrícola contribui com a maior parte do volume
de trabalho.
A população activa no sector agrícola caracteriza-se por:
 estar igualmente repartida entre sexo masculino e feminino;
 ser cada vez mais envelhecida;
 ter baixo nível de instrução, maior percentagem ensino básico
ou nenhum;
 possuir baixa qualificação profissional.
Assim, estas características constituem um entrave ao desenvolvimento da
nossa agricultura pois:

→ Dificulta a receptividade à inovação (utilização de novas técnicas);


→ não permite a actualização de conhecimentos;
→ Dificulta a utilização de maquinaria moderna;
→ recorre apenas a conhecimentos práticos resultantes da sua experiência.
Todos estes factos levam a que agricultura portuguesa apresente:

 Fraca produtividade;
 Baixos rendimentos;
 Fraca competitividade face a outros países.

O que, naturalmente, vai contribuir para o abandono cada vez


mais acentuado da actividade agrícola em Portugal, debilitando
cada vez mais este sector.
Face à situação
descrita os agricultores são obrigados a recorrer à pluriactividade e pluri-rendimento.

Pluriactividade

Prós:
• Fixação e
manutenção das populações nas áreas rurais, dadas as
características
da agricultura portuguesa e a sua irregularidade produtiva.

Contras:
• Constitui um
condicionalismo à renovação e modernização do sector,
nomeadamente
por minorar o grau de qualificação dos activos.
A agricultura portuguesa: A dependência externa

O aumento da concorrência aos produtos nacionais por parte dos parceiros


europeus (mais baratos) resultou numa gradual diminuição da produção
nacional em contraponto a um aumento cada vez maior do consumo de
produtos agrícolas com origem nos países comunitário, principalmente
Espanha.

Implicações:

 Consumidores - diminuição do preço.


Produtores - quebra do escoamento.