Você está na página 1de 2

Poemas de Vincius de Moraes Cerca de 234 poemas de vincius de moraes Soneto do amigo Enfim, depois de tanto erro passado

Tantas retaliaes, tanto perigo Eis que ressurge noutro o velho amigo Nunca perdido, sempre reencontrado. bom sent-lo novamente ao lado Com olhos que contm o olhar antigo Sempre comigo um pouco atribulado E como sempre singular comigo. Um bicho igual a mim, simples e humano Sabendo se mover e comover E a disfarar com o meu prprio engano. O amigo: um ser que a vida no explica Que s se vai ao ver outro nascer E o espelho de minha alma multiplica... Vinicius de MoraesAdicionar minha coleoNa coleo de 1778 Mais InformaoPela luz dos olhos teus Quando a luz dos olhos meus E a luz dos olhos teus Resolvem se encontrar Ai que bom que isso meu Deus Que frio que me d o encontro desse olhar Mas se a luz dos olhos teus Resiste aos olhos meus s p'ra me provocar Meu amor, juro por Deus me sinto incendiar Meu amor, juro por Deus Que a luz dos olhos meus j no pode esperar Quero a luz dos olhos meus Na luz dos olhos teus sem mais lar-lar Pela luz dos olhos teus Eu acho meu amor que s se pode achar Que a luz dos olhos meus precisa se casar. Vinicius de MoraesAdicionar minha coleoNa coleo de 999 Mais InformaoSoneto de separao De repente do riso fez-se o pranto Silencioso e branco como a bruma E das bocas unidas fez-se a espuma E das mos espalmadas fez-se o espanto. De repente da calma fez-se o vento Que dos olhos desfez a ltima chama E da paixo fez-se o pressentimento E do momento imvel fez-se o drama. De repente, no mais que de repente Fez-se de triste o que se fez amante E de sozinho o que se fez contente. Fez-se do amigo prximo o distante Fez-se da vida uma aventura errante

De repente, no mais que de repente. Vinicius de Moraes