Você está na página 1de 3

1

CAUSA DE PEDIR
• Natureza: elemento da demanda;

• Consubstancia requisito da inicial (art. 282, III);

• São os fatos e fundamentos jurídicos do pedido;

• Fatos jurisdicizados (silogismo) dos quais o autor


pretende extrair a conseqüência jurídica colimada;

• TEORIA DA INDIVIDUAÇÃO (INDIVIDUALIZAÇÃO): basta a


indicação dos fundamentos jurídicos do pedido, i.é.,
a declaração da natureza do direito pleiteado –
fundamento jurídico geral (causa de pedir remota).
Ex: desobediência à cláusula contratual (direito
obrigacional); inobservância a deveres do
casamento; ato ilícito gerador da obrigação de
indenizar. Os fatos constitutivos do direito (fato
gerador material) têm importância secundária.

• TEORIA DA (CON)SUBSTANCIAÇÃO: além da indicação dos


fundamentos jurídicos do pedido (causa de pedir
remota) exige-se a exposição dos fatos materiais
geradores do direito do autor, que delimitarão a
demanda objetivamente, ñ podendo ser modificados
posteriormente. Exs: direito obrigacional fundado
em contrato de compra e venda (C.P.R.) vencido e
não-pago (C.P.P. – inadimplência); relação jurídica
matrimonial (C.P.R.) violada por descumprimento
de dever de co-habitação/fidelidade, etc. (C.P.P.);
ato ilícito culposo, causador de prejuízos (C.P.R.)
consistente na conduta de desobediência de
sinalização/excesso de velocidade, etc. (C.P.P.).
2

• INTERESSE NA CLASSIFICAÇÃO: limites objetivos da coisa


julgada (efeito preclusivo) – art. 474: adoção da
teoria da substanciação. Ex (Ovídio): obrigação
do inquilino em construir muro para evitar
invasão de águas pluviais e reparação da rede
elétrica em três meses – violação –
conseqüência: despejo. Limitação objetiva da
demanda.

• NORMA LEGAL E QUALIFICAÇÃO JURÍDICA:


o juiz é quem dá
(da mihi factum, dabo tibi ius; iura novit curia).
Qualificação jurídica decorrente do
enquadramento legal – ex: conduta descrita c/
negligência que consubstancia imprudência;
indenização fundada em responsabilidade
subjetiva/objetiva; etc.

PEDIDO

• É o objeto que o autor reclama na petição inicial;

• Baliza e delimita a sentença (adstrição) = art. 460;

• Pedidos “implícitos”: excluem-se aqueles que


decorrem ipso iure da procedência do pedido (efeito
anexo da sentença) – arts. 290 (prestações
periódicas vencidas no curso da ação); 293 (juros
legais) e 20 (verbas sucumbenciais)
3

MEDIATO – bem da vida pretendido.


PEDIDO
IMEDIATO – tipo de providência
jurisdicional reclamada.

• PEDIDO INDETERMINADO: O pedido mediato deve ser certo


e determinado (art. 286). Inadmissível o “pedido
genérico”. Exceções (exemplos): a) petição de
herança; b) lucros cessantes; c) ação de prestação
de contas.

• PEDIDO ALTERNATIVO: art. 288. Obrigação alternativa.

• CUMULAÇÃO OBJETIVA DE PEDIDOS: art. 292. Não exige


conexão; todavia, exige-se: a) mesmo réu; b)
compatibilidade (que ñ se excluem mutuamente); c)
competência; d) compatibilidade procedimental
(salvo se optar pelo ordinário – p.ú.). Um pedido
não prejudica o outro; são autônomos.

• CUMULAÇÃO SUCESSIVA EVENTUAL: o segundo pedido somente


será apreciado na hipótese de acolhimento do
primeiro (relação de prejudicialidade). Ex:
reivindicatória cumulada c/ perdas e danos;
inconstitucionalidade de tributo c/c restituição.

• CUMULAÇÃO ALTERNATIVA DE PEDIDOS: art. 289. ≠ do pedido


alternativo (aqui, há um só “pedido”). Neste caso, o
autor pede “x”, e, alternativamente, “Y”, apenas p/
hipótese de “x” não ser concedido. O segundo
pedido (subsidiário) só será apreciado se denegado
o primeiro. Ex: complementação da área na venda
ad mensuram, ou, subsidiariamente, o abatimento
proporcional do preço; a entrega da coisa, ou,
subsidiariamente, perdas e danos.

Você também pode gostar