Você está na página 1de 17

Chippendale (1705 D.C - 1779 D.C)

Estilo de mobiliário criado por Thomas Chippendale que em seus desenhos incorporou muito períodos, seu estilo pode ser dividido em 3 seções a primeira pode ser definida como de influência francesa sendo denominada de rococó inglês este mobiliário apresentará pé do tipo cabriole a segunda de influência gótica, e a terceira de influência chinesa.

Portanto Thomas Chippendale usa um senso de “adaptabilidade de projetar” assim criava móveis para que os homens do ofício fizessem de acordo com o seu gosto de proporção e de adaptabilidade, isto porque culturalmente o homem inglês vem sempre atrás de problemas práticos, este estilo sucedeu o período Queen Anne aonde o móvel chega a ser reconhecido como era de ouro do mobiliário inglês, porém no início do período georgiano o mobiliário passa por uma fase de opressão as cadeiras se tornam pesadas e disformes, faltando à graça e o espírito dos originais franceses. Apesar de o período ser dominado por nomes de grandes árbitros da moda como Adam, Chippendale e Sheraton, havia centenas de negócios pequenos produzindo trabalhos regionais soberbos.

Neste Período ocorre a primeira revolução industrial e a expansão do comércio alcançando novas fronteiras, entretanto a precariedade da indústria nascente resultou em produtos mal acabados e que tentavam imitar os produtos artesanais, As influências dos designers franceses e italianos no mobiliário inglês ocorreram por volta de duas vezes em um século.

Em 1828 ocorreu uma revolução na forma básica e estrutura de cadeiras, com o lançamento da primeira patente de fios em espiral.

A partir de então as cadeiras precisavam ter enxertos para estufá-la em assentos

muito mais fundos e ao mesmo tempo, mais pesados e com efeitos menos deselegantes. De certa forma o estilo pode ser definido de forma geral como de cadeiras altas com braços ligeiramente curvadas para cima, pernas torneadas e assentos forrados com seda

e brocado.

As influências francesas nos Estados Unidos podem ser definidas como pernas cabriole mais desenvolvidas do que no estilo Queen Anne, enquanto que a influencia chinesa pode ser facilmente reconhecida pelo pé sendo composto de uma bola e garra de dragão, já a influência gótica pode ser observada como um frontão em pergaminho quebrado no topo das peças altas.

A influência gótica de Chippendale foi baseada nos experimentos de Horace Walpole

cuja maior expressão foi a vila em Strawberry Hill, classificada por muitos como excêntrica. Chippendale adaptou a forma do tracejado das janelas das igrejas para os encostos das cadeiras e para as vitrines dos armários. O motivo da ponteira do arco aparece no entalhe, mas parece que Chippendale ligeiramente falhou em recapturar o

vigor e a liberdade do antigo estilo gótico.

As influências chinesas não foram só adotadas por Chippendale, elas também foram divididas por William Chambers que desenhou o Sommerset House, The Albany, e o Pagode em Kew Gardens, assim como várias outras construções. O interesse por mobiliário chinês despertou no início do séc. XVIII, é uma vertente agradável, os entalhes das vitrines dos armários e gabinetes chineses, o trabalho de treliça esculpido nas pernas das mesas e cadeiras, definem essa vertente, porém os modelos mais extravagantes desenhados por chippendale ficaram unicamente no papel.

A vertente francesa é a mais conhecida por possuir as linhas graciosas referentes ao

mobiliário das primeiras décadas do século XVIII, além dessa característica Chippendale trouxe a força e a elegância do mobiliário Queen Anne com tênues toques da moda francesa. Suas cadeiras foram reconhecidas como milagres da carpintaria onde sua simetria e proporções proclamaram seu trabalho como digno de um mestre, o modelo

de cadeira mais conhecido foi a Ribbon Back Chairs particularmente um de seus triunfos, trabalhada toda em mogno o seu design tinha uma leveza e liberdade que acentuava a beleza das linhas possuídas por essas cadeiras.

Chippendale foi um grande expoente do Século XVIII seu design fundou uma escola de gosto, o seu livro The Gentleman and Cabinet Maker”s Director e foi publicado 1754 chegou a ganhar três edições a segunda foi publicada em 1759 e a terceira em 1762.

Em consideração do seu trabalho e influência, seu mobiliário pode ser reconhecido como de um profissional que amava ornamentos, mas nunca deixou esse amor esquecer o propósito funcional de seus modelos.

como de um profissional que amava ornamentos, mas nunca deixou esse amor esquecer o propósito funcional
como de um profissional que amava ornamentos, mas nunca deixou esse amor esquecer o propósito funcional

Queen Anne (1700 D.C - 1755 D.C)

O estilo Queen Anne é mais simples e delicado em comparação aos estilos da mesma

época e populares na Europa que eram mais ornamentados. Por possuir esta característica foi mais expressivo na América do Norte chegando ao continente americano em 1720-1750. Sua grande expressão nos EUA o torna parte do estilo colonial

norte americano.

Este Estilo possui o nome de uma rainha inglesa Anne que reinou em 1702-1714 e é caracterizado pelas curves delicadas, pés cabriole sem travessas ou apoio para os pés, com pouca decoração sendo estas muito simples e em formato de concha, suas superfícies eram altamente polidas as formas dos pés podem variar de uma forma semelhante a uma almofada ou uma forma trífida (perna com três pés), as principais madeiras utilizadas eram imbuia, cerejeira, mogno bordo e carvalho.

Nesta época ocorre também uma revolução no modo de vida das pessoas e a mulher passa

a ter mais controle da sua vida social e com isso mais peças funcionais se tornaram

populares. Surgem então mesas de carteado, mesas para as senhoras escreverem suas anotações e mesas de chá. Nesta época a marchetaria morre abrindo espaço para o mobiliário torneado onde as curvas se tornam essenciais para o reconhecimento do estilo afinal à utilização deste padrão estético pode ser definida como uma ruptura

com o estilo antecessor denominada William & Mary.

Ao longo da história este estilo sempre foi revivido e sendo constantemente adaptado para o movimento artístico da época por ser um estilo gracioso e extremamente funcional.

Hepplewhite (1765 D.C - 1800 D.C)

Estilo desenvolvido pelo designer Hepplewhite com base no estilo de Adam, sendo composto por pernas retas e estreitas e bem distintas do estilo Chippendale; o encosto da cadeira era em formato de escudo, oval, camafeu, roda ou coração, sendo menos ornamentada e com entalhes mais delicados. A madeira utilizada para os entalhes e ornamentos era o pau-cetim. Basicamente Hepplewhite desenvolveu dois estilos muito distintos um que se tornou sua grande obra possuindo influencia francesa e do estilo Luis XVI onde suas cadeiras possuíam pernas retas ou formas que iam se tornando estreitas na base e pés terminando numa pá. O estilo de influencia chinesa não obteve grande reconhecimento suas obras sobre essa influencia foi muito criticada, porem este estilo não foi desenvolvido unicamente por ele afinal com sua morte o estilo teve prosseguimento devido a participação de sua viúva e dos outros artesões.

Os últimos nove anos do estilo foram continuados por sua viúva Alice que se denominou abaixo do designer assinando simplesmente A. Hepplewhite & Co. Seu trabalho foi de grande importância influenciando outro grande designer Shearer.

Seu trabalho surge em uma época confusa onde o indumentário passa por grandes modificações a partir de 1760 ocorrendo a difusão do padrão da vestimenta para o estilo Langtry um estilo simples comumente usado pela aristocracia pra cavalgar com isto o mobiliário passa por modificações de tamanho estes então tornam - se menores.

Sua grande obra publicada foi denominada “The Cabinet Maker and Upholsterer’s Guide,” publicada em 1788.

Sheraton (1780 D.C - 1820 D.C)

Thomas Sheraton nasceu em 1750 e foi um vendedor ambulante quando ele viajou para Londres. Seu estilo foi fortemente influenciado pelo estilo Luis XVI sendo depois influenciado pelos estilos Diretório e Império.

O móvel que fabricava era delicado de estrutura possuindo linhas retas e perpendiculares e curvas em segmento principalmente no espaldar, influencia do grego clássico, encosto de cadeira em formato de lira e ornamentos e entalhes mais grossos.

Sheraton também publicou um livro assim como Chippendale e Hepplewhite sua obra foi publicada com o titulo “The Cabinet-Maker and Upholsterer Drawing Book”, seus desenhos influenciaram a produção inglesa por um bom tempo. Sua ornamentação empregava a marchetaria e aplicações de porcelana.

Basicamente o estilo refletiu sua personalidade, ou seja, seu modo de vida egocêntrico com uma personalidade por muitas vezes classificada como desagradável às vezes até ciumento pelos trabalhos de outros artistas da época.

Notoriamente muitos críticos de arte o definem como gênio que alcança o sucesso, mas perde-se com a fama e dinheiro, chegando à falência, dentro de seu estilo inglês chique “baseado nos estilos franceses” nota-se o declínio principalmente na influência do estilo Império justamente por ser o estilo mais próximo de sua morte em 1806. Esta influência muito Fashion na França torna-se pesada nas mãos de Sheraton o mobiliário evolui de um estilo leve e gracioso para um estilo feio e desagradável.

O estilo Sheraton, portanto define a história da arte inglesa como sendo o último marco de beleza nos mobiliários no início do século XIX sendo somente resgatado para alguns novamente no estilo Vitoriano.