Você está na página 1de 4

ENCONTRADAS AS DEZ TRIBOS PERDIDAS

Por Asher Intrater


O reino de Israel atingiu seu auge na época de Davi e Salomão, aproximadamente 1000
anos antes do tempo de Yeshua. Durante o reino do filho de Salomão, Roboão, as dez
tribos do norte de Israel se separaram de Judá e Benjamim. Desse modo, o reino foi
dividido em tribos do norte em Israel e tribos do sul em Judá.
Esta divisão tornou-se o objeto da esperança messiânica de serem reunificadas pelo
futuro Messias (Ezequiel 37:12). Há também um sentido simbólico de que as tribos do
norte representem a igreja internacional, enquanto as tribos de Judá representem o povo
judeu e a nação de Israel. Todavia, esses dois pontos de vista são proféticos e
simbólicos, não históricos ou genealógicos.
As tribos de Israel ao norte foram levadas ao exílio pelos assírios no século oitavo AC, e
as tribos de Judá ao sul foram levados ao exílio durante o século sexto. A Bíblia registra
que, após o exílio, Judá voltou para a terra de Israel durante o século quinto AC.
Uma vez que não há uma descrição maior da restauração das tribos do norte, muita
especulação e curiosidade têm surgido no decorrer dos anos com relação à pergunta:
“Onde estão as dez tribos perdidas?”
Uma tendência interessante, contudo perigosa, é que muitos grupos de seitas cristãs
alegam ser descendentes das dez tribos do norte. Isso abrange desde grupos do Japão
aos nativos americanos. Existem alguns elementos no Mormonismo e nas Testemunhas
de Jeová que fazem reivindicação semelhante. Isso já chegou a afetar até mesmo partes
do movimento Sionista Cristão.
A verdade é que não existem dez tribos perdidas. Na ocasião da divisão do reino e dos
exílios, uma determinada porcentagem de cada uma das tribos do norte desceu e fixou
residência na área de Judá. Depois desse tempo, o nome Judá ou Judeus referia-se não
apenas à tribo específica de Judá, mas também à tribo de Benjamim, os Levitas e o
remanescente de todas as tribos do norte.
Não existem dez tribos perdidas. Todas as tribos de Israel estão incluídas no que hoje
chamamos o povo judeu. Existem sete evidências bíblicas básicas que provam essa
posição.

O RESTO DE ISRAEL EM JUDÁ (II CRÔNICAS)

O livro de II Crônicas registra diversas vezes que os membros das tribos do norte
imigraram para Judá depois da divisão do reino. Isso ocorreu logo depois do momento
da divisão.
II Crônicas 10:16-17 diz: “Então, Israel se foi às suas tendas. QUANTO AOS FILHOS
DE ISRAEL, PORÉM, QUE HABITAVAM NAS CIDADES DE JUDÁ, sobre eles
reinou Roboão.”
Não poderia ser explicado mais claramente que existiam membros das tribos israelenses
vivendo no território de Judá. II Crônicas 11:3 declara que Roboão era o rei não apenas
de Judá, mas de TODO o Israel em Judá e Benjamim. II Crônicas 11:16-17 afirma que
os membros de TODAS as tribos de Israel que eram leais a D-us desceram a Jerusalém
e fortaleceram o reino de Judá.
II Crônicas 15:9 nos conta que durante o reavivamento do Rei Asa existiam “muitos de
Israel” que vieram para Judá. II Crônicas 24:5 fala dos membros reunidos de todas as
tribos de Israel. II Crônicas 30:21 e 25 fala dos filhos das tribos israelenses que vieram
para Judá durante o tempo do Rei Ezequias. II Crônicas 31:6 fala novamente dos filhos
de Israel que habitavam nas cidades de Judá.
II Crônicas 30:10 faia dos membros das tribos de Efraim, Manassés, Zehulom e Aser
vindo para Jerusalém. II Crônicas 30:18 também menciona a tribo de Isacar. II Crônicas
34:6 acrescenta a isso membros de uma lista dc tribos de Simeão e Naftali. II Crônicas
34:9 afirma claramente que existiam membros de ‘TODO O RESTO DE ISRAEL”, que
estavam vivendo em Jerusalém depois do período de exílio assírio. II Crônicas 35:3
menciona novamente que existiam membros de “todo o Israel” que faziam parte de
Judá.

EXÍLIO RESTAURADO (ESDRAS E NEEMIAS)

Depois do exílio babilônico, a nação de Israel foi restaurada sob a liderança de Esdras e
Neemias. Nesses livros encontram-se vastos registros. O fato de que existiam
cuidadosos registros genealógicos prova que não apenas eram os israelitas do norte
parte da restauração, mas também que mantinham registros de suas famílias e sabiam a
que tribo pertenciam.
Esdras 2:2 começa com os registros do “numero dos homens do povo de ISRAEL”.
Esse mesmo capítulo 2 de Esdras declara que o povo tinha registros genealógicos
específicos não apenas com relação à qual das tribos do norte eles pertenciam, mas
também a que família pertenciam: “provar que as suas famílias e a sua linhagem eram
de Israel.”
Aqueles que possuíam registros, mas não estavam perfeitamente documentados, eram
desqualificados e tinham de esperar por uma verificação sobrenatural por Urim e
Tumim (se eles aparecessem). Isso prova o quanto meticulosos e bem documentados
eram os registros de famílias em sua maioria (Esdras 2:62-63). Esdras 2:70 fala
novamente de “todo” Israel que habitava em Judá depois da restauração de Esdras e
Neemias.
Esdras 6:16 e 21 fala especificamente dos “filhos de Israel que tinham voltado do
exílio”. Esdras 7:7, 9:1, 10:1 e 10:25 fala do problema que os israelitas tiveram com os
casamentos com povos de outras terras.
Neemias 7:7-73 repete a genealogia das tribos israelitas que foi registrada em Esdras 2.
Neemias 9:2, 11:3 e 11:20 fala do “restante de Israel em todas as cidades de Judá”.
Neemias 13:3 fala de separação dos gentios, de forma a não haver confusão nos
registros genealógicos de Israel.

O TESTEMUNHO DE ANA (LUCAS 2)

Em Lucas 2:36 a profetisa Ana é relacionada como proveniente da tribo de Aser, uma
das tribos mais ao norte e menos povoada de Israel. Em outras palavras, temos uma
declaração clara no Novo Testamento de que as pessoas que eram consideradas judias
no tempo de Yeshua incluíam pessoas das dez tribos do norte de Israel, e que elas
possuíam documentação genealógica com respeito a quais tribos pertenciam.
Como poderia a tribo de Aser, por exemplo, estar perdida” 700 anos antes de Yeshua, se
Ana conhecia sua descendência de Aser durante a época do Novo Testamento?

YESHUA E OS APÓSTOLOS
(EVANGELHOS E ATOS)

Yeshua ministrou por toda a terra de Israel. Levou em conta o povo judeu desse lugar.
Em todos os seus discursos, pressupõe-se que Ele estava falando a todos os
descendentes de Israel. Yeshua nunca mencionou a possibilidade de haver algum outro
grupo ou alguma tribo perdida de Israel circulando em alguma parte.
Na pregação aos judeus do primeiro século, Yeshua disse que Ele foi chamado para
“procurar as ovelhas perdidas da casa de Israel.” (Mateus 10:6).
Da mesma forma, os apóstolos se dirigiram às multidões de judeus no primeiro século,
presumindo que eram todos descendentes de Israel. Em Atos 2:22 Pedro se volta para os
“judeus” que viviam em Jerusalém e se refere a eles como “varões israelitas”. Pedro
conclui seu sermão dirigindo-se à multidão como “toda a casa de Israel” (Atos 2:36).
Em outras palavras, aos olhos de Pedro, o povo judeu no primeiro século incluía todas
as tribos de Israel. Pedro manteve essa forma de abordar as pessoas, como “toda a casa
de Israel”, em seus outros discursos (Atos 3:12, 4:8,4:10,4:27,5:21,5:31,5:35, 10:36).
Paulo também se dirigiu aos judeus do primeiro século como “varões israelitas”.
Continuou a se referir aos judeus como israelitas em todas suas mensagens (Atos 13:23-
24, Atos 21:28, Atos 28:20).
Os doze discípulos eram vistos como futuros líderes para “se assentarem nas doze
tronos para julgar as doze tribos de Israel.” (Mateus 19:28).

AS DOZE TRIBOS DE TIAGO

A carta de Tiago é endereçada às “doze tribos que se encontram na Dispersão” Tiago


1:1.
Ele não está se referindo a algumas tribos perdidas, mas ao público de judeus dispersos
que acreditavam em Yeshua no primeiro século. O mesmo argumento é verdadeiro,
conforme observamos a carta aos Hebreus. o grupo aqui chamado “Hebreus” não era
alguma tribo de japoneses ou nativos americanos, pelo contrário, tratava-se do povo
judeu do primeiro século.

O REMANESCENTE DE ISRAEL (ROMANOS 9-11)

Este argumento possui importância específica quando observamos as promessas de


restauração do remanescente de Israel, referido no livro de Romanos, Capítulo 9 a 11.
Aqui Paulo expressa sua oração para que os filhos de Israel sejam salvos (Romanos
9:14, 10:1-4). Esse remanescente a ser restaurado é o remanescente bíblico de Israel que
cumpre as profecias. Eles são as mesmas pessoas que rejeitaram Yeshua no primeiro
século. Não foi alguma tribo perdida que O rejeitou, porém os judeus que viviam em
Israel naquela ocasião. Paulo declara que D-us não rejeitou o povo de Israel (Romanos
11:1). Há um remanescente de Israel pela graça (Romanos 11:5). “O que Israel não
conseguiu, a eleição o alcançou.” (Romanos 11:7). A transgressão de Israel significou a
salvação das nações dos gentios (Romanos 11:11). Seu restabelecimento será a
ressurreição dentre os mortos (Romanos 11:12, 15).
O texto inteiro de Romanos 9-11 apenas faz sentido se estiver falando a respeito do
povo que conhecemos hoje como o povo judeu. Se alguém pensar que está se referindo
aos Mórmons, ou Testemunhas de Jeová, ou aos Sionistas Cristãos, ou a algum outro
grupo de povo nativo, o significado todo da passagem estará perdido. Esse ponto de
vista irá destruir as promessas de D-us para Israel, o propósito do evangelismo em
Israel, e o significado da reconciliação entre Israel e a igreja no final dos tempos.

VISÃO DOS CULTOS

Não é uma coincidência que tantos cultos chegaram à conclusão de que eles sejam de
uma das dez tribos “perdidas” de Israel. Esse ponto de vista está confundindo seus
membros e está incorreto de acordo com as Escrituras. Essa teologia é perigosa e
enganosa à medida que tentamos compreender as profecias da restauração de Israel, que
levam à segunda vinda do Messias Yeshua.

www.tikkunministries.org