P. 1
Acidente Ofídico

Acidente Ofídico

|Views: 613|Likes:
Publicado poreikasiha

More info:

Published by: eikasiha on Oct 15, 2009
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

12/14/2012

pdf

text

original

Cynthia Chaves R1 Infectologia

Acidente Ofídico
 Importância médica  Alta freqüência e gravidade  Identificação  Notificação  Brasil: Bothrops, Crotalus, Lachesis e

Micrurus  Maioria dos acidentes é por Bothrops (90%)

Acidente Ofídico
Tipo Serpente

Acidentes por serpentes notificados no período de 2001 a 2006 no Brasil (Fonte: SINAN)
2001 2002 2003 2004 2005 2006 40.597 12.851 1.531 111 392 394 49.053 16.309 1.945 121 496 623 54.292 18.307 1.979 133 588 707

TOTAL

Ign/Branco Bothrops Crotalus Micrurus Lachesis Não peçonhent a TOTAL

65.288 73.928 50.711 333.869 18.811 19.477 14.177 99.932 1.909 128 674 652 1.882 149 736 785 1.436 125 567 614 10.682 767 3.453 3.775

55.876

68.547

76.006

87.462 96.957 67.630 452.478

Acidente Ofídico
Acidentes por serpentes notificados no período de 2001 a 2006 no Pará (Fonte: SINAN)

Tipo Serpente

2001

2002 1.374 2.539 58 9 201 13

2003 1.747 3.206 90 5 239 16

2004 1.906 3.203 61 8 261 14

2005 2.205 3.523 54 7 271 21

2006 1.643 2.851 35 8 176 14

TOTAL 10.195 17.270 345 46 1392 88

Ign/Branco 1.320 Bothrops Crotalus Micrurus Lachesis Não peçonhent a TOTAL 1.948 47 9 244 10

3.578

4.194

5.303

5.453

6.081

4.727

29.336

Acidente Ofídico

Classificação segundo dentição: 1) Áglifas: apresentam todos os dentes semelhantes, não são peçonhentas. Exemplos: jibóia, suruci, boipeva.

Acidente Ofídico
2) Opistóglifas: possuem presa providas de sulco por onde o veneno escorre. Localização posterior das presas, o que torna difícil a inoculação do veneno, não são consideradas peçonhentas. Exemplos: cobra verde, falsas corais, muçurana.

Acidente Ofídico
3) Proteróglifas: possuem presas situadas anteriormente, providas de sulco profundo por onde passa o veneno. Peçonhentas. Exemplo: coral verdadeira.

Acidente Ofídico
4) Solenóglifas: possuem presas móveis anteriormente, capazes de inocular grande parte de sua peçonha. Exemplos: jararaca, cascavel e surucucu.

Acidente Ofídico

Acidente Ofídico
• Gêneros: 1) Bothrops: +/- 30 espécies distribuídas pelo

Brasil, habitando,preferencialmente, ambientes de matas úmidas e áreas cultivadas. Representam mais de 90% dos acidentes por cobras peçonhentas. Hábitos noturnos ou crepusculares. Nomes populares: jararaca, jararacuçu, urutu, cotiara, caiçara, surucucurana.

Acidente Ofídico
 1)

2)

3)

Ações do veneno: Proteolítica: decorre de provável ação de complexos enzimáticos (proteases, hialuronidases, fosfolipases) e liberação de mediadores da resposta inflamatória e hemorraginas que lesam o endotélio vascular e os tecidos provocando dor, rubor, calor, edemas, flictenas e necrose no local de inoculação. Coagulante: ativa o fator X e protrombina  cascata de coagulação  trombos/microtrombos  incoagulabilidade sanguínea. TC elevado. Hemorrágica: associação de lesão endotelial por hemorraginas com plaquetopenia e distúrbios de coagulação.

Acidente Ofídico
 Manifestações clínicas:  Locais: dor e edema, de intensidade variável

e, em geral, instalação precoce e progressivo. Equimoses e sangramentos são freqüentes. Linfadenopatia e bolhas podem aparecer na evolução, com ou sem necrose.  Sistêmicas: hemorragias (gengivorragias, epistaxes, hematêmese e hematúria), náuseas, vômitos, sudorese, hipotensão arterial, oligúria ou choque.

Acidente Ofídico
 Complicações: - Síndrome compartimental (edema, compressão do -

feixe vásculo-nervoso, isquemia) Abscesso (10 a 20%) – Germes patogênicos da boca do animal: bacilos G- , anaeróbios e cocos G+ Necrose – ação proteolítica/ uso de torniquetes Choque- multifatorial (liberação de substâncias vasoativas, hemorragias, seqüestro de líquido) IRA – multifatorial (veneno, microtrombos, desidratação)

Acidente Ofídico
 Exames complementares:  TC: elevado  Hemograma: leucocitose com

neutrofilia e desvio à esquerda; plaquetopenia  VHS elevado  Eletrólitos, uréia e creatinina  ELISA

Acidentes Ofídicos
 Tratamento:  Específico: soro antibotrópico (SAB); na

ausência pode-se usar o SABC ou SABL. - Evitar reações administrar 30 min antes: Prometazina 0,5mg/kg (25mg IM) Cimetidina 10mg/kg (300mg EV) Hidrocortisona 10mg/kg (1g EV)

Fonte: Manual da Funasa

Acidente Ofídico
 Inespecífico: - Manter membro elevado - Analgésicos - Hidratação (diurese 40-50ml/h) - Antibioticoterapia (Morganella morganii, E.

coli, Providentia sp e Streptococo do grupo D – MF recomenda uso de Cloranfenicol ou Clindamicina + Aminoglicosídeo) - Profilaxia para tétano Sanford: S. epidermidis, Pseudomonas, Enterobactérias e Clostridium  Ceftriaxona

Acidente Ofídico
 Complicações: - Fasciotomia - Drenagem abscesso - Desbridamento   Prognóstico: geralmente é bom. A

letalidade nos casos tratados é baixa (0,3%). Podem ocorrer seqüelas

Acidente Ofídico
2) Lachesis: distribuída pelas grandes florestas tropicais do Brasil. É a maior das serpentes peçonhentas. Espécie: L. muta. Nomes populares: surucucu, pico de jaca, surucucutinga.

Acidente Ofídico
 1) 2) 3) 4)

Ações do veneno: Proteolítica (proteases) Coagulante (veneno: atividade trombina) Hemorrágica (hemorraginas) Neurológica (sinais vagais)

Acidente Ofídico
 Manifestações clínicas:

 Locais: ≈ botrópico.  Sistêmicas: hipotensão arterial, tonturas, escurecimento da visão, bradicardia, cólicas abdominais e diarréia (síndrome vagal).  Complicações: ≈ botrópico.

Acidentes Ofídicos
 Tratamento:

- A maioria dos acidentes ditos laquéticos, na verdade, são botrópicos (Elisa).  Específico: soro antilaquético (SAL) ou SABL. Na ausência dos 2 pode-se usar o SAB, porém não há neutralização eficaz da ação coagulante do veneno laquético.  Inespecífico e das complicações: ≈ botrópico

Fonte: Manual da Funasa

Acidente Ofídico
3) Crotalus: responsável por 8-10% dos acidentes no Brasil. Maior letalidade devido a freqüência com que evolui para IRA. Encontrada em áreas secas e arenosas. Nomes populares: cascavel, boicininga, maracá.

Acidente Ofídico
 Ações do veneno: 1) Neurotóxica: devido a crotoxina, que atua

na pré-sinapse da junção mioneural, impedindo a liberação de Ach, levando a paralisias motoras. 2) Miotóxica: rabdomiólise com liberação de mioglobina e posterior mioglobinúria. Se a diurese não for suficiente para eliminar a mioglobina, haverá depósitos nos túbulos renais, podendo ocorrer oligúria e IRA. 3) Coagulante: manifestações hemorrágicas discretas, quando ocorrem.

Acidente Ofídico
 Manifestações clínicas:  Locais: pouco importante. Pode ocorrer parestesia,

edema discreto ou eritema.  Sist.: mialgias, prostração, sudorese, náuseas, vômitos, sonolência/inquietação, secura na boca, urina escura.

Acidente Ofídico
Fácies miastênica (facies neurotóxica de Rosenfeld): ptose palpebral uni ou bilateral, flacidez da musculatura da face, alteração do diâmetro pupilar, oftalmoplegia, visão turva e/ou diplopia. Pode ocorrer paralisia venopalatina, com dificuldade à deglutição, diminuição do reflexo do vômito, alterações do paladar e olfato.
 Complicações: - Parestesias locais por semanas - IRA devido necrose tubular aguda

Acidente Ofídico
 Exames complementares:  Elevados: CK, DHL, AST e ALT (miólise)  Uréia, creatinina e ácido úrico elevados  Hipocalcemia; hipercalemia  TC elevado  Urina: discreta proteinúria; mioglobinúria

Acidentes Ofídicos
 Tratamento:  Específico: soro anticrotálico (SAC), na falta

pode-se usar o SABC.

Fonte: Manual da

Acidentes Ofídicos
 Inespecífico: - Hidratação vigorosa e precoce - Se oligúria: manitol 20% 100ml EV em bolus

(adulto) ou 5ml/kg(cça). Se persistir: furosemida 2 amp (adulto) e 1mg/kg (cça). - Manter pH urina > 6,5: fazer bicarbonato EV.
 Prognóstico: bom em acidentes leves e mod.

e nos pacientes atendidos até 6h após picada. Nos graves depende da IRA (diálise eficiente e em tempo hábil).

Acidente Ofídico
4) Micrurus: raramente causa acidentes em humanos (0,4%). Nomes populares: coral, coral verdadeira.

Acidente Ofídico
 Ações do veneno: neurotóxica - Pré-sináptica: M. corallinus. Atuam na junção

mioneural impedindo a liberação de Ach e a propagação do potencial de ação. Não é antagonizada por anticolinesterásicos. - Pós-sináptica: presente em todas do gênero micrurus. Essa fração possui baixo peso molecular, com difusão rápida aos tecidos provocando sintomatologia precoce. Compete com Ach pelos receptores da junção mioneural pós-sináptica provocando paralisia muscular. O uso de anticolinesterásicos pode reverter.

Acidente Ofídico
 Manifestações clínicas:  Locais: discreta dor, parestesias. 

Sistêmicas: vômitos, fraqueza muscular progressiva, fácies miastênica. Evoluindo para dificuldade para manter posição ereta, mialgia, dificuldade para deglutir. Paralisia flácida da musculatura respiratória que compromete a ventilação, podendo haver evolução para IRpA e apnéia.

Acidente Ofídico
 Tratamento:  Específico: soro antielapídico (SAE)

Fonte: Manual da

Acidente Ofídico
Inespecífico: - Manter vias aéreas pérvias - Garantir ventilação  Complicações: - Neostigmina (1ml/0,5mg):

* Teste: 0,5mg EV (melhora em 10min) * Manutenção: 0,05 – 0,1mg/kg EV 4/4h → Atropina (1ml/0,25mg): 2 amp. antes

Acidente Ofídico

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->