Eptiva - Época de Atividade

Época de Atividade, Prévio Ânimo. Vencendo o feitiço do ócio na aposentadoria “Tua Palavra é Luz no meu caminho.”

Por não ser um instante e sim o estado, abordamos a Aposentadoria num arquétipo de trajetória de normalidade. Tão próprias aos girassóis ao encalçar o sol. Eptiva aflora a possibilidade de um rumo semelhante, bastando, para isto, seguir a luz.

José Marconi

Alvo EditoraVida Cristã Natal-RN

01

José Marconi
By Alvo Editora Cristã Direção Geral - - Jesus - Capa

Teixeira, José Eptiva época de atividade / José M. Teixeira, Natal: Alvo Editora, 2008 - 15X21 64 p. ISBN1.Comportamento Terceira idade - 2. Aposentadoria - 3. Orientação - 4 Sexualidade 5.Socioeconômica – 6 aspectos religiosos - 7 relações interpessoais 8 - casamento

Categoria comportamento e família Autorizado citações breves, com indicação da fonte. Todos os direitos reservados e amparados pela Lei 5.988/73 e Lei 9.610

Printed In Brasil / Impresso No Brasil 1ª edição 2008
Alvo Vida Cristã Natal-RN

Salmo 119.l05 “Lâmpada para os meus pés é a tua palavra e, Luz para os meus caminhos”

02

Eptiva - Época de Atividade

Agradecimentos

Minha gratidão ao meu Senhor e Mestre Jesus Cristo. Dedico este livro à minha querida família, em especial a Leila, minha amada esposa; Irá, minha adorada mãe; e aos meus filhos, os três anjos que o Senhor me deu. Meus cumprimentos a amigos de trabalho que, distintamente, em tempo oportuno, me ajudaram a seguir em frente: Edson Renovato, Antônio Carlos, Arlindo, João Maria, Roberto e Claudionor Andrade, Marta, Erinaldo e Roldão. A Graziela revisora e redatora, queridos parceiros neste trabalho, aos quais atribuo a boa qualidade editorial e o ordenamento das ideias. A todos os colegas Pastores, à família cristã Wesleyana e a todos que, direta ou indiretamente, contribuíram para que esta obra viesse a público.

01

José Marconi
.

ORELHA

Vo c ê p a s s o u a v i d a imaginando o dia (A) dia da sua aposentadoria. Numa festinha de despedida com os colegas do trabalho, entregaria o crachá, pronto para a nova fase, com direito a uma apaziguada no seu cotidiano. Dando uma última olhadinha na calçada da empresa, e o que você vê? Os seus pés no chão da realidade. A vida continua e cheia de coisas para fazer. É comum um recémaposentado se indagar: E agora... o que fazer? Muitas obras foram escritas e com maestria. Mas, esta, especialmente, leva no seu âmago o fruto de convivências, histórias vividas, que facilmente você vai se identificar e, se, por coincidência, você se deparar com uma situação já vivenciada, não foi mero acaso, é que me lembrei de você A aposentadoria deve ser vista como conquista, justa e almejada, decorrente de uma vida de labor. Num mundo de continuas mudanças, Muito você já aprendeu na escola da vida. cooperando com isto, Eptiva se propõe trazer informações, estudos atuais, realidades, assim como do ponto de vista medicinal, educacional, financeiro e psicossocial. Falando da importância da educação e da informação no processo de amadurecimento humano. O aposentado aprendendo e se preparando para ter uma vida prazerosa.

02

Introdução
Você passou a vida imaginando o dia (A) dia da sua aposentadoria. Numa festinha de despedida com os colegas do trabalho, entregaria o crachá, pronto para a nova fase da vida, com direito a um descanso no seu cotidiano. Dando uma última olhadinha na calçada da empresa, e o que você vê? Os seus pés no chão da realidade. A vida continua e cheia de coisas para fazer. É comum um recém-aposentado se indagar: “E agora... o que fazer?” É fundamental manter-se ocupado, e creia: o que fazer, é o que não vai lhe faltar. Para começar, como se diz em Natal, “Xô aperreio e arriba nostalgia”. Partilharemos pensamentos e sugestões de atividades, para fazer desta, a época de ouro. Como uma boa conversa é sempre precedida de uma apresentação, dou a honra de me apresentar. Meu nome é José Marconi. Sou casado com Leila Carla, minha companheira fiel, com quem compartilho o dom precioso da vida. Antes de prosseguir, posso fazer uma pausa e dizer obrigado? Passar estes momentos com você é um grande privilégio, e eu gostaria que você soubesse o quanto sou grato pela oportunidade. Quero parabenizá-lo por ter adquirido este livro, pois isso demonstra que você é uma pessoa previdente ou prestes a ser. E se este é o caso, sinta-se devidamente alistado no exército dos renovadores, juntos em um ideal de dias melhores. Tenho uma boa notícia para você. A exemplo do maestro João Carlos Martins que começou de novo na aposentadoria. As coisas têm início exatamente no momento em que resolvemos começar.

Sumário
Introdução Capítulo 1 – Aspectos Legais Requisitos para a Aposentadoria até 15/12/98 Cálculo da renda Aposentadoria por tempo de contribuição Capítulo 2 – Ouros da conquista O tempo e o vento passam Proposta Velhas inovações Consciência atualizada Capítulo 3 – Pequeno Glossário Eptiva Capítulo 4 – Tempo bem empregado Quanto ao ócio Capítulo 5 – Roda o mundo roda gigante Capítulo 6 – Pé no chão Capítulo 7 – Estabilização e comedimento: firmação Duas maneiras de encarar Capítulo 8 – Oscilação cambiário Esquematizar para alcançar Capítulo 09 – Check list do cotidiano Dignidade do aposentado Capítulo 10 – É preciso saber viver Cuidando da saúde Capítulo 11 – Conhecimento é ouro

Vendendo conhecimento Motivo de orgulho Capítulo 12 – Compartilhando conquistas casais Capítulo 13 – Significação da existência Meu prazo de validade O que você vai ser Capítulo 14 – Elaborando a inclusão familiar Capítulo 15 - Atinados Capítulo 16 – Eterna busca Fonte da juventude Capítulo 17 – Provocando uma nova realidade Veredas não são caminhos Sábias decisões Cada cabeça um universo Capítulo 18 – Entendendo-me como bom Capítulo 19 - Pra não dizer que não falei das flores Capítulo 20 – O que será do amanhã? Dois dedinhos de calma Capítulo 21 – Organizando 8.640 segundos por dia Meu fichário em dia: dicas de organização Meu norte Capítulo 22 – Menopausa climatério Sintomas Capítulo 23 – A andropausa A andropausa e a reposição hormonal masculina Reposição hormonal

Capítulo 24 – Campo de força Reequilibrando Capítulo 25 – Meu vício é você Álcool e longevidade A fé e a longevidade Relação entre religiosidade e longevidade Fumo e longevidade Preservação da voz Redescoberta dos prazeres do paladar. E do olfato. Recuperação do fôlego. Como parar de fumar? Capítulo 26 – O sono Sono e longevidade. O que é e para que serve o sono? Capítulo 27 – As cinco fases do sono Modulando Capítulo 28 – Participação do aposentado Na Política Na Economia familiar Capítulo 29 – Fazer valer a pena Capítulo 30 – Hoje: presente de Deus Parece que foi ontem I Retrospectiva de trivialidade. Capítulo 31 – Cinco Sentidos Parece que foi ontem II Hora e modo para todas as coisas? Capítulo 32 – Glossário de achaque Importante Doenças recorrentes no idoso Capítulo 33 – Biodiversidade medicina natural

Medicina Natural Capítulo 34 – “Estes teus cabelos brancos bonitos” Capítulo 35 – Meu pente de memória Entre a memória e uma vaga lembrança Capítulo 36 – O idoso e o velho Hora e modo para todas as coisas? Capítulo 37 – Retendo o que é bom Dicas Capítulo 38 - Refazenda Isso vem desde CAPÍTULO 39 – Eu, meu maior aliado Universo conspira... a favor Capítulo 40 – Hino a Natal Bairrista apaixonado Capítulo 41 – Aforisma - matutando frases do tempo Capítulo 42 – Cântico da Velhice Capítulo 43 – Refrigério da alma Lazer: a diferença. Um remédio para o corpo e para a alma Capítulo 44 – Sorrir Foi rindo que chegamos aqui Capítulo 45 – Na alegria, na tristeza na... Casamento Case-se Finanças familiares Tipos de Aposentado Midas

Capítulo 46 – Jubilação com júbilo Dedicado à aposentadoria ministerial sacerdotal Capítulo 47 – Lar da gente Capítulo 48 – Fé O estado de espírito da velhice Capítulo 49 – Nova chance a cada amanhecer Capítulo 50 – Tempo é luxo Como esperei este momento Final Bibliografias e sites consultados

Eptiva - Época de Atividade

Capítulo 01
Aspectos Legais

Como tudo nesta vida existe? Passos, vamos aos primeiros. Conhecendo para requerer: o conceito de previdência surge na Alemanha, no século XIX. Nos EUA, em meados de 1935. No Brasil, lá pelo ano de 1923, passava por um momento de efervescência social, e já se pensava no porvir. E algumas categorias trabalhistas, como ferroviários, industriários e marítimos começaram a fundar institutos classistas, etc., até que em 1967, visando uniformizar procedimentos, há uma fusão dos institutos existentes e, consequentemente, surgia a necessidade da consolidação das leis e normas que regiam cada um, distintamente. Nesta consolidação, a seguridade, que é um termo de origem espanhola, toma características de uma poupança compulsória, custeada pela participação dos empregadores e dos empregados. A aposentadoria é um benefício do nosso Regime Geral da Previdência Social. Eis que, juntamente com outros benefícios, integrava a Lei Eloy Chaves, que instituiu e normatizou o seguro social brasileiro. Existem, também, as previdências privadas abertas, disponíveis pelos seus agentes bancários, etc., a quem desejar, e as fechadas que são previdência de complementação, empresas mistas de estatais e grandes organizações e, finalmente, os regimes próprios que são os federais, municipais e estaduais. Com exceção das previdências privadas que têm regras próprias, de um modo geral, a legislação das demais é muito similar. Então, nos ateremos ao Regime Geral. Parece-me que só a Língua Portuguesa tem um termo específico para o benefício por afastamento de atividade remunerada. Como veremos mais à frente, o termo aposentadoria expressa a ideia primária de “permanecer nos aposentos”. Em outros países, o termo em uso é pensão. Esse benefício programado (aposentadoria), é uma conquista do povo brasileiro. E a principal característica é a contributividade que, juntamente com outras fontes, como a lotérica

01

José Marconi
federal, construtoras, etc. custeiam os benefícios. Os princípios da previdência social são seletivos e há necessidade de que o indivíduo se enquadre nas leis e normas, para poder usufruir. Atualmente, para fazer jus à aposentadoria, o requisito de especial relevância e que determina a qualificação do indivíduo como segurado, é o referente a tempo de contribuição. Pois, exporei aqui alguns tópicos do RGPS-Regime Geral de Previdência Social. Claro que existem as previdências estaduais, municipais e as do funcionalismo público. Estas têm legislação própria. Antigamente, havia o estímulo à permanência no mercado de trabalho através do abono de permanência de 20% ou 30%, ou acréscimos por ano de serviço, além dos 35 anos. A Constituição Federal de 1988, que estabelece novas regras, equiparando direitos e ampliando os benefícios sociais, foi regulamentada pela publicação das Leis nº 8.212/91 e nº 8.213/91, atualmente regulamentada pelo Decreto nº 3.048/99, que estabelece as condições e requisitos para fruição do benefício de aposentadoria. Para incidência da norma previdenciária, é importante a comprovação do exercício de atividade remunerada ou, ainda, do recolhimento de contribuições, inclusive do contribuinte individual da Previdência Social brasileira. A extinta aposentadoria por tempo de serviço, foi modificada com a Reforma nº 20/98, estabelecendo a aposentadoria por tempo de contribuição. Os segurados inscritos no Regime Geral da Previdência Social, até 16/12/1998, data da publicação da Emenda Constitucional nº 20, terão direito à aposentadoria por tempo de contribuição nas seguintes situações: - aposentadoria por tempo de contribuição com renda mensal proporcional, desde que cumpridos os seguintes requisitos, cumulativamente: 53 anos de idade para o homem e 48 anos para mulher; tempo de contribuição: 30 anos, se homem, e 25 anos, se mulher; - um período adicional de contribuição equivalente a 40% do tempo que, em 16/12/1998, faltava para atingir o tempo de contribuição; - os segurados inscritos no RGPS, a partir de 17/12/1998, inclusive os oriundos de outro regime de Previdência Social, que tenham cumprido a carência exigida, terão direito à aposentadoria por tempo de contribuição, desde que comprovem: a) 35 anos de contribuição, se homem; b) 30 anos de contribuição, se mulher.

02

Eptiva - Época de Atividade
Requisitos para a Aposentadoria até 15/12/98
- a partir de 25 anos de serviço, para a mulher; - a partir de 30 anos de serviço, para o homem, sem idade mínima; - a proporcional acaba em 16/12/98 para os novos trabalhadores; - aos que já estavam no sistema, é exigido o pedágio de 40% sobre o tempo restante para a proporcional, mais idade mínima de 48 ou 53 anos à mulher e ao homem, respectivamente.

Cálculo da renda
Dec. 3.048/99 Art. 39 - A renda mensal do benefício de prestação continuada será calculada aplicando-se sobre o salário de benefício os seguintes percentuais: - aposentadoria por invalidez - cem por cento do salário de benefício; - aposentadoria por idade - setenta por cento do salário de benefício, mais um por cento deste por grupo de doze contribuições mensais, até o máximo de trinta por cento.

Aposentadoria por tempo de contribuição
- para a mulher - 100% (cem por cento) do salário de benefício, aos 30 anos de contribuição; - para o homem - 100% (cem por cento) do salário de benefício, aos 35 anos de contribuição; - cem por cento do salário de benefício, para o professor aos 30, e para a professora aos 25 anos de contribuição e de efetivo exercício em função de magistério na educação infantil, no ensino fundamental ou no ensino médio; - aposentadoria especial - cem por cento do salário de benefício; e, A PARTIR DA LEI 9.876/99 IMPLEMENTA-SE O FATOR PREVIDENCIÁRIO PARA CÁLCULO DO SALÁRIO DE BENEFÍCIO. O período básico de cálculo passa a ser desde julho de 1994, desconsiderando-se os vinte por cento menores salários de contribuição no período. § 7º - O fator previdenciário será calculado considerando-se a idade, a expectativa de sobrevida e o tempo de contribuição do segurado ao se aposentar, segundo a fórmula constante do Anexo desta Lei. § 8º - Para efeito do disposto no § 7º, a expectativa de sobrevida

01

José Marconi
do segurado na idade da aposentadoria será obtida a partir da tábua completa de mortalidade construída pela Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística-IBGE, considerando-se a média nacional única para ambos os sexos.

02

Eptiva - Época de Atividade

Capítulo 2
Ouros da conquista Superada esta etapa - diga-se de passagem, que etapa! - ao
começar a escrever este livro, me veio a imagem daquela foto onde um grupo de soldados pari passu (ombro a ombro), após ferrenha batalha, adentram o terreno conquistado. E para registro da aquisição fincam o símbolo máximo do seu país: a sua bandeira, declarando aos que a avistam, que ali ouve uma conquista. A própria Palavra de Deus diz: “Ergue para ti, Marcos”. A aposentadoria deve ser vista como conquista, justa e almejada, decorrente de uma vida de labor. Quero deixar aqui um conselho de quem trabalha com Zaquen e aposentadoria há mais de 26 anos: para você amigo leitor, acompanhe regularmente se a empresa, prefeitura, organização, etc. em que você trabalha, recolhem aos cofres públicos da União, as contribuições previdenciárias. É muito corriqueiro alguém querer dar entrada no seu aposento e sair no desalento, pois só na data da entrada do requerimento do beneficio descobre que a empresa pouco ou nada contribuiu, e que por anos não houve recolhimento. E o que é pior: tal empresa não está mais no mercado. E hoje, com a inversão do ônus da prova, cabe ao segurado que pleiteia a aposentadoria, dar conta destas contribuições, para só então fazer jus à sua aposentadoria. Se já foi militar, agilize certidão do tempo serviço. Havendo trabalhado em atividades periculosas, insalubres ou penosas, antecipadamente requeira das referidas empresas os formulários SB 40, Dirbem 8030 e o PPP, acompanhados dos laudos pertinentes ao período em que trabalhou, descrevendo ali suas funções, etc. Se estudou em colégio agrícola até 1960, esse tempo é reconhecido como “tempo de serviço” por via judicial. Organize toda documentação antecipadamente, documentos pessoais e cópias de todos os documentos, incluindo aí a Carteira de Trabalho e Previdência Social-CTPS. Se recolher como autônomo ou contribuinte individual, colecione e tenha em mãos todos os seus carnês com as guias, principalmente se você for empregado doméstico, pois elas devem sempre acompanhar o recolhimento das contribuições. Isso é de fundamental importância. Se houver perda de carteira profissional, providencie 2ª via e as anotações dos contratos, homologados pela Delegacia do Trabalho. Mas, fique tranquilo, porque sempre é possível comprovar qualquer atividade trabalhada, por via

01

José Marconi
judicial. Procure informar-se com um colega que já se aposentou para te dar um parecer de como funciona. Antes de dar entrada no requerimento da tua aposentadoria, faça uma contagem de tempo no próprio Instituto Nacional de Seguridade Social-INSS ou no site da Previdência Social. Se tiver tempo para averbar, leve na oportunidade da contagem do tempo. Documentos prontos, tudo certinho, então, marque pelo telefone, com o INSS, seu requerimento. Importante nessa hora: você deve estar com seus documentos à mão, inclusive o cartão do Programa de Integração Social-PIS. Depois, você ora a Deus e tudo vai dar certo.

O tempo e o vento passam
Vivemos no gerúndio: correndo, fazendo, andando, trabalhando. Porque quem sabe faz a hora, não espera acontecer. Seria pretensão minha dizer que esta é uma obra científica. Arriscaria dizer que, embora tenha ela surgido, fruto de extensas pesquisas, não se propõe a ser um aferidor de resultados. Eptiva se propõe trazer informações, estudos atuais, realidades, assim como do ponto de vista da medicina, educacional, financeiro e psicossocial. Hoje, há um consenso sobre a permanente educação, mas, já no século XVII, o predecessor pedagogo João Amós Comênio preconizava: “Os indivíduos deviam ser preparados para a aposentadoria ou velhice, assim estariam preparados para problemas sociais, advindos no outono da vida”. Em seu pensamento, Comênio visualizava que somente pela educação do homem para o processo de envelhecimento poderia, de fato, minimizar os problemas sociais produzidos pelo despreparo da família e da sociedade para enfrentar o amadurecimento humano. Se a velhice fazia parte da vida humana, esta deveria também ser uma escola. Os indivíduos teriam que aprender com ela e se preparar para nela entrar. Ninguém envelhece da noite para o dia. Como estas mudanças acontecem de forma contínua, é necessário adaptar-se a elas durante toda a vida. Esmerei-me para que estes momentos de leitura não fossem enfadonhos, e sim prazerosos para você, amigo leitor, como o foi para mim, que vivenciei algumas dessas experiências. Foi muitíssimo divertido escrever este

02

Eptiva - Época de Atividade
livro, compartilhar coisas que deram um novo sentido à minha vida. Como diria a Drª. Ana Friedman: “Temos missões”. E creio que uma das minhas missões é transmitir e compartilhar momentos, experiências, aprendizados e informações.

Proposta
Compartilharemos sugestões com momentos de reflexão e lazer. Como em uma boa conversa, falando da naturalidade do cotidiano, do inusitado, da fé, da vida. Creio na onisciência de Deus e que Ele, em bondade para comigo, me permitiu enxergar novas verdades que ao longo da minha vida passaram desapercebidas. E agora, tais verdades fluem em tua direção no formato de palavras agradáveis, de advertência, de alegria. O título EPTIVA vem da junção de épico como um marco temporal e ativo, adjetivo reportando à continuidade da atividade. Épico, pois, entendo que todas as fases da vida são transições breves e logo se transformam em novas fases com seu nome próprio. Nada se deve aceitar como definitivo, porque o melhor dos hábitos é o de saber quando se deve mudar de hábito. A proposta pretende que esta fase da maturidade da vida, só vai se rematar com o cerrar dos olhos. Claro, não acredito que tudo termina aqui. Tem uma ilustração de um casal de gêmeos dentro de uma barriga antes do nascimento: eles têm prenúncios. Escutam vozes, veem uma difusa luz, sentem afagos, mas não têm certeza do que os esperam lá fora e, embora tenham todo o conforto e segurança dentro do útero da mãe, é lá fora que a vida começa. Assim, creio eu que, também, nossa jornada não termina aqui. E se infância, adolescência e idade adulta passaram, os outros 50% da nossa vida se dará na fase da maturidade. Pretendemos, então, levar você, querido leitor, a meditar e congratular-se com a vida. Sabe aquele slogan “Falem de mim nem que seja mal”? Muitos testemunhos foram dados à nossa pesquisa, a respeito de os aposentados se sentirem esquecidos e eles se ressentem disto. Pois, amigo aposentando e aposentado, lembrei de você. E muito tempo foi dedicado, simplesmente por lembrar de você. Portanto, atividade! Parar, Jamais. Nunca abra mão de seus ideais, mesmo que pareça tarde para realizá-los. Sempre há mais um tempinho para fazer o que se tem vontade. Pois, nada é gerado sem movimento. Até uma semente

01

José Marconi
plantada tem o seu movimento próprio. Algo que ainda me lembro do antigo ginasial, lá na década de 70, na aula de Física, o professor, categoricamente, afirmava que a inércia era impossível, pelo menos em relação a outras coisas. Assim, levanta menino(a)! Vamos passear, conversar, lembrarmos das coisas, darmos gargalhadas. Aprendermos, por que não, novos conceitos e procurar nos familiarizar com o tema aposentadoria e maturidade?

Velhas inovações
Muitas obras foram escritas e com maestria. Mas, esta, especialmente, leva no seu âmago o fruto de convivências, histórias que facilmente você vai se identificar e, se, por coincidência, você se deparar com uma situação já vivenciada, não foi mero acaso, é que me lembrei de você. E como diria aquele apresentador lá da madrugada: “Vem comigo”. Sabemos da importância da informática. Neste livro está também o resultado de muitas pesquisas na internet e este é mais um motivo que me levou a escrevê-lo. Sabe, não é comum se levar um computador em viagem. Pelo menos, não é confortável, sem falar de que se for um notebook, aí tem o problema de segurança. Livro sim. Livro se lê no banheiro, na rede, no estacionamento, no engarrafamento. O livro é o bom companheiro. Livro se dá de presente. O próprio Deus, quando quis se revelar e expressar suas verdades, editou um livro. Um livro para todos que se importa com o próprio futuro e desejam uma boa qualidade de vida, mantendo o poder aquisitivo na aposentadoria. Aprenderemos que planejada, essa época pode ser responsável pelos melhores anos da vida de uma pessoa. Importantes informações disponíveis neste livro possuem apenas caráter educativo. A aposentadoria é um marco na vida. Que significado este termo terá sobre nossa vida, depende da maneira como vamos construí-la. Se partirmos do princípio que até que nos prove o contrário, a aposentadoria é um momento de realizações e desenvolvimento pessoal, adentramos nas portas das infinitas possibilidades. Terminei minha primeira graduação aos 41 anos de idade e de lá para cá nunca mais parei. Velhos preconceitos estão fora de moda. Portanto, saiba que hoje existem inúmeras universidades da terceira idade. Universidades Livres da Terceira Idade. Lá, se encontram muitos benefícios, como o convívio com outras pessoas da

02

Eptiva - Época de Atividade
mesma idade, contato com assuntos atuais e interessantes. A universidade livre da terceira idade busca resgatar no Zaquen a procura por novos caminhos para se manter social e intelectualmente ativo, mostrando que ele, o idoso, é capaz de aprender sempre e de se adaptar a um mundo em permanente transformação. Constitui-se num local de "aprendizagem permanente, de resgate da memória, de convivência de quem já caminhou, caminha e caminhará, sempre com muito a contribuir". Invista em cultura. As chances de uma pessoa alcançar a longevidade foram 36% maiores naquelas que cultivavam o hábito de realizar programas culturais, como visitar galerias de arte, assistir a peças de teatro e frequentar concertos musicais. Em segundo lugar, manter-se atualizado e bem informado é estar ativo e participante dentro do mundo em que vivemos, seja nossa família, amigos, ex-colegas, conhecidos em geral. É estar a par da vida em seus aspectos políticos, sociais, intelectuais, morais.

Consciência atualizada
É importante o idoso se contemporaneizar para não viver no passado, assim aproveita a experiência adquirida e o conhecimento do presente, ficando com uma visão melhor do futuro. O Zaquen atualizado é uma pessoa participante na família e na sociedade, torna-se mais agradável ao convívio social, ficando mais alegre e feliz. Mantenha a mente ativa. A doença de Alzheimer tem maior incidência entre as pessoas com baixo nível de instrução e atividade mental. Estudo relaciona a leitura, os jogos de cartas, de tabuleiro e as palavras cruzadas, com a redução do risco de demência em pessoas com mais de 75 anos. Uma pessoa atualizada tem a saúde melhor pelo maior funcionamento do cérebro, podendo usufruir do avanço tecnológico, tendo, assim, qualidade de vida. Atenção: universidades regulares oferecem condições especiais para o aluno da terceira idade. Anote aí na tua agenda: Importante! fazer matrícula segunda-feira.

01

José Marconi

Capítulo 3
Pequeno glossário

Aposentadoria - s.f. pousada. Aposentação; direito de hospedagem. Em 1982, a ONU, tomando por base a média de idade da aposentadoria estabelecida na maioria dos países, propôs o limite cronológico para início da chamada terceira idade. Tal proposta induz à associação corrente entre velhice e aposentadoria. O vocábulo aposentadoria, remete, etimologicamente, à noção de recolhimento ao interior da habitação, dos aposentos. Geralmente, ocorre uma dupla aposentadoria: a primeira, por tempo de contribuição; a segunda, imposta pela idade. Há, portanto, um espaço que se dá entre a aposentadoria formal e o afastamento futuro do trabalho. Aposentadoria não é diploma de velhice, não somos novos velhos. Você sabe, na ciência isso tem nome: progéria. Seria um defeito genético causando o envelhecimento das células, precocemente, atraindo doenças crônicas da velhice, entre elas a depressão, às vezes tida como o mal do século. A depressão seria a disfunção bioquímica do organismo, muitas vezes reduzida por padrões mentais negativos. Nós nos cuidamos, nos organizamos, nos preparamos, nos municiamos de um bornal de vontade, para que a aposentadoria venha de fato a contribuir para as realizações que no auge do nosso vigor idealizamos. O que antes era imposto pela falta de tempo, privando-nos de condições ideais, agora, com a aposentadoria, estes ideais são dignos de considerar sua efetivação, chegando muito próximo do que chamamos objetivos. A aposentadoria traz aspectos negativos. Diminui os contatos sociais, etc., mas tem também muitos aspectos positivos: temos maior tempo livre, podemos exercitar novas habilidades, continuamos produtivos e, por fim, o sentimento do dever cumprido. Em 2000, a população centenária no país, era de 24.576 pessoas. Atenção! Eu falei centenária. E poderá chegar a 45,4 mil pessoas, agora em 2010. Qualidade de vida na velhice, teoria “life-span”. “Span” corresponde à duração entre dois limites como o nome do livro EPTIVA, que é a junção de dois nomes. Épico, como algo temporã, e Ativa que representa a contínua atividade. “Life-span” significa toda a duração da vida, do nascimento até a morte.

02

01

Eptiva - Época de Atividade
Eptiva
Eptiva pretende tratar da preparação para o tão sonhado dia da aposentadoria. Afinal, tudo começou há muitos anos. Você saiu de manhã, cheio de uma expectativa. Se você recorda, foi aquele amigo ou aquela amiga, que falou haver uma vaga, lá no Centro, ou aquele parente que conversando com teus pais, sentiu o teu desejo de trabalhar, e resolveu dar uma forcinha. Alguns começaram na economia familiar. Trabalhando em algum comércio da família, outro, menor aprendiz, é estagiário, coisa da modernidade. Nós somos do tempo de exame de admissão. O fato é que um dia começamos a trabalhar e passando trinta dias, chega alguém que anuncia e entrega o contracheque, holerite ou o nome que deram à época. Hoje, para os mais desalentados, atestado de pobreza. Mas, para nós representava algo muito especial, era o certificado de valorização pessoal. E a farda? Lembra com que orgulho a você vestiu pela primeira vez? Pois é, fichado na carteira. Digno de entrar num Magazine J. Resende e fazer sua primeira compra a crédito. No cadastro perguntavam onde você trabalhava e, orgulhoso, você apresentava a recém-recebida e assinada CTPS. Tá brincando! Isso não é para qualquer um, não. Agora, inserido como um ser social produtivo homo faber. A mocinha ia lá e conferia o contrato, salário, etc. Você possuía o status necessário, o crédito para comprar. Afinal, você tinha um emprego. Na volta para casa, já nem se importava com os freios de arrumação dos ônibus lotados que, por muitas vezes, tinha que se pegar dependurado na porta. Só um pezinho dentro. Pois bem, e o mais importante naquela época e na época atual, não é só o fato que com carteira assinada, você consegue comprar. Mas, que, com a carteira assinada. você conta tempo de serviço. E conta tempo de serviço para quê? Aposentadoria. Penso, então, que além do fato de trazer dignidade, segurança, condição social, o tempo de trabalho e o recolhimento propiciam, de fato, esta volta aos aposentos, para junto da família.

José Marconi

Capítulo 4
Tempo bem empregado

O trabalho, o estudo, as preparações tomaram nosso tempo e tempo longe de nossa família, nossa casa, nossos aposentos, a área de conforto, que é o que faremos de acordo com a explicação deste nome, em vista à áurea condição da aposentadoria. Buscaremos novas atividades, que agora por não haver obrigatoriedade, será mais prazeroso, imprimiremos menos esforços, pois, quem sabe como fazer, gasta menos energia e força. As grandes empresas ou os grandes empresários não se destacam apenas por venderem ou trabalharem com determinado produto ou serviço. Eles aprenderam, foram qualificados e, independentes de venderem pasta de dente ou ações de urânio enriquecido, vão continuar sendo promissores. O que os faz destacar-se dos demais? É que eles têm a experiência, a qualificação, credibilidade e conhecem os caminhos. Você e eu também temos, dedicamos uma vida em aprendizados e cursos. Gastaram uma fortuna conosco, treinando e instruindo a gente. Bem verdade que por estarmos sempre ocupados, alguns destes treinamentos, na época, achávamos um dinheiro e um tempo perdidos, mas não foram. Hoje, inclusive, esses cursos são contados como titularidade e podem fazer toda diferença num desempate de um concurso. Fomos instruídos e agora aplicaremos toda essa gama de conhecimentos, que acumulamos à medida que obtemos riquezas com o nosso trabalho, para empresas, indústrias, fazendas, comércios e repartições, num patrimônio maior. Agora, você vai trabalhar para alguém deveras merecedor, importante e maravilhoso: você. Quanto ao ócio Quanto ao ócio, o dicionário Aurélio fala: “S.m. Refere-se a descanso do trabalho, folga, repouso, tempo que se passa desocupado, quietação, falta de trabalho, desocupação, inação. Feitiço, referimo-nos do adjetivo, magia; encanto falso, artificial, postiço. Um

02

Eptiva - Época de Atividade
falso encantamento que ilude com a desocupação e a inação”. Assim, se define uma aposentadoria inativa. Significa, além de aposentado, paralítico, inerte ou paralisado. A aposentadoria não é correria em busca da "inatividade”. Longe de mim e de você, tal comportamento. Domenico de Masi, diz em seu livro: “Aquele que é mestre na arte de viver, faz pouca distinção entre o seu trabalho e o seu tempo livre, entre a sua mente e o seu corpo, entre a sua educação e a sua recreação, entre o seu amor e a sua religião”. Distingue uma coisa da outra com dificuldade. Almeja, simplesmente, a excelência em qualquer coisa que faça. A filosofia diz: “Pensar requer ócio”. Mas, é fato que o ocupado também pensa e pensa fazendo. Desde os primórdios, trabalho braçal e intelectual é dividido, ficando a atribuição do trabalho pesado aos menos privilegiados. Aos privilegiados, o trabalho intelectual, o ocupar-se com as artes, as ciências, o governo, o lazer. Na Grécia Antiga, a sociedade era dividida entre cidadãos, não-cidadãos e escravos. Os não-cidadãos e escravos eram considerados inferiores, cabendo-lhes tarefas braçais, tidas como indignas para os cidadãos. Como herança na tradição grega, os romanos denominaram ócio (otiu) as ocupações com o trabalho intelectual, em oposição ao negócio (nec-otiu, negação do otiu), destinado a atender às necessidades de subsistência da sociedade. A dedicação ao ócio era, nessas sociedades, a atividade própria do ser humano. Sabiamente, a natureza, em sua seleção, descartou quase que em sua totalidade, tal atividade paralisante. “O capitalista vela a relação de negócio, habituado a trabalhar; os burgueses valorizam o trabalho braçal, a técnica. O trabalhador vende sua força de trabalho, e institui-se a moral do trabalho produtivo e do tempo útil. É preciso dedicar-se a um trabalho que se transforme em mercadoria e traga lucros. O trabalho intelectual, anteriormente valorizado, passa a ser indigno; o ócio, antes necessário, passa a ser motivo de exclusão social”.

01

José Marconi

Capítulo 5
Roda o mundo roda gigante

Vivemos uma rotina em que o seu dia só termina quando você conseguir preencher todos os relatórios e planilhas, quando atender vinte pacientes, trinta fichas, dez processos, visitar trinta clientes ou conseguir fechar dez contratos, quando tiver limpado todo o corredor. A rotina nos cega, obrigando a cumprir prazos sem nos respeitarmos, atingir metas e de forma menos gentil, mais apressada e mais automatizada. E isto sobre uma pressão de cobrança, digna de quem tem um adivinhão no bolso. Não bastasse, depois de um cansativo dia, chegamos em casa e... “Como foi seu dia?”. Pergunta a(o) esposa(o) amada(o). “Fez o quê?”. E temos que caprichar na resposta, para evitar que nos vejam como indolente, porque dessa resposta dependem muitas outras ações se é que você me entende. Alguns aposentados que passaram a vida trabalhando, sofrendo cotidianamente com um trabalho “torturante”, logo após os primeiros dias de aposentadoria, começam a sentir a sensação de inutilidade, de peso social e vergonha por sua “ociosidade”, ainda que estejam repletos de atividades e de lazer. A pessoa pode encontrar em outras atividades o mesmo prazer que encontrava no trabalho. O ócio é necessário? Já ouvimos a frase “parar para pensar”. O verbo parar aponta para um tempo de reflexão, não uma condição definitiva. Penso ser melhor incluir, no cotidiano, atividades que reúnam o descanso, o lazer, o trabalho e a aprendizagem. Aprenda a relaxar. Calma. Aprenda a sentir prazer. Tem gente que faz uma viagem e quando está no destino, não consegue curtir, relaxar, simplesmente porque está preocupado com a volta, o trânsito, aquele desnível. E o propósito de descansar ficou capenga. A mente não descansou absolutamente nada. É como “Só vou ficar mais calmo(a) quando chegar em casa e estiver tudo bem”. Mas, nós nos ocupamos antes do tempo com algo que não faz nenhum sentido. Leia um livro, escreva uma carta, assista aos filmes, vá até aonde foi tua infância e senta à sombra das árvores da tua infância. Visite as praças da tua juventude. Aproveita. Reveja amigos, lembra? Amigos são para toda a vida, eles estão lá. Lembro-me de um

02

Eptiva - Época de Atividade
período em Manaus, onde um amigo que trabalhava na borracharia, dividia uma quentinha todos os dias comigo. Vinte e cinco anos depois, voltei lá, e meu coração ia cheio de gratidão para dar um grande abraço e dizer “obrigado, amigo! Este eu guardei do lado esquerdo do peito”. Procure ocupar a mente com coisas prazerosas. Como você se sentia em seu trabalho? E em sua casa? Com suas atividades? Com você mesmo? Se a resposta não lhe agrada, quais são as possibilidades de modificar isso a partir de hoje? Lembre-se: você é um capital de conhecimento, de experiência e de sabedoria. Você é um ser previdente, prudente, precavido. Você é o dono absoluto do teu desejar. Neste período de recente aposentadoria e pré-aposentadoria, é importante buscar o equilíbrio físico e emocional. Se for patente a sensação de que nossa obrigação foi cumprida, temos também a probabilidade de muitas oportunidades e realizações a nos esperar, inclusive dando continuidade à mesma profissão, desde que lhe traga acréscimo na qualidade de vida. Cada estação da vida Tem o seu perfume, o seu encanto E a sua luz que faz a vida brilhar. É que a alma não enruga. Liduina Fernandes

01

José Marconi

Capítulo 6
Pé no chão

Existem inverdades divulgadas que, com o passar do tempo, pela repetição, terminam tomando feições de verdades, mas, não o são. Não delegue nada ao acaso. Existem empórios de segredos de todo porte. Aposentadoria por si só não dá suficiência financeira, salvo raríssimos casos. É necessário ter certa reserva que resguarde toda esta longa etapa da tua vida. Mais na frente, trataremos disto num capítulo especial. Considere terminar este capítulo deste livro na fila do banco e abrindo uma caderneta de poupança. Claro que se tivéssemos esta consciência antes, a teríamos aberto há, pelo menos, trinta anos. Lembre-se: é de bom alvitre que tenhamos reservas para pelo menos vinte e cinco anos. Lembra que viver do salário sempre foi um aperto? Mudaria agora? Depende de você. Bem, tem também a questão das contribuições sociais e da Fazenda Pública. Ou Leão. Lembre-se: se não contribuímos mais para a Previdência, também diminuíram os redutores de IR. E aquelas deduções importantes deixam, dia a dia, de existir: filho maior, etc. Não abra mão de um bom contador para fazer tua declaração de IR. Pode evitar alguns inconvenientes. Achamos que nossos gastos vão diminuir com a aposentadoria. Se uns diminuem, alguns novos começam a aparecer. Não querendo ser pessimista, mas, inclusive, pensando na preservação da saúde. Não importa se levamos trinta anos metendo o pau no governo, grande vilão da nossa situação financeira. Então, teremos mais tempo de observar o cotidiano financeiro presencialmente. Isto, às vezes, é um problema. Antes, era a mulher quem controlava quase a totalidade dos gastos. Vou te dizer uma coisa: “Time que tá ganhando não se mexe”. O emocional e o financeiro dão uma mistura perigosamente explosiva. A Bíblia já nos adverte que, o apego ao dinheiro é a raiz de muitos males. Problemas financeiros estão entre as maiores causas de divórcio e crises conjugais. E te digo mais: todos os esforços devem ser empregados para reerguer a relação. Pois bem, ainda falando de finanças, tem que se considerar a satisfação pessoal, até por conta de

02

Eptiva - Época de Atividade
aliviar o estresse. Mas, a vida continua e oportunidades surgem do nada. Não podemos sair por aí esbanjando, pois podemos ser surpreendidos por uma oportunidade única, que poderia multiplicar nosso patrimônio e a disponibilidade financeira pode ser essencial em circunstâncias de aquisição. Domínio próprio. Final de mês e você acreditava ser o do início de sua poupança. O ordenado só entrará na conta corrente no dia útil do mês seguinte, não foi suficiente para pagar as despesas. Como aqueles gastos tão pequeninos causariam esse rombo? Então, você decide: “Neste mês, eu entro no cheque especial e financio uma parte da dívida do cartão de crédito. No próximo mês, sano essas dívidas e começo minha poupança!”. Você acaba de entrar num círculo vicioso. Como metodista, persigo um procedimento para construir minha independência financeira. Uma estratégia em que fazemos o diagnóstico de nossa situação e, a partir dele, traçamos um plano para garantir nossa aposentadoria, e de garantir o bom uso da renda e que pague nossas despesas sem precisarmos mexer em outra fonte geradora. É unanimidade entre os especialistas. Um dos maiores erros que as pessoas cometem é a falta de planejamento. Não planejamos nossa carreira, nosso futuro e muito menos nossa vida financeira. Você sabia que a aposentadoria pode vir a ser a fase mais próspera de sua vida? Não podemos nos permitir risco de ter que depender de nossos filhos para alimentar nossa velhice. Se acontecer, que seja, no mínimo, espontânea. Qualquer um é capaz de enriquecer sem depender da sorte. O conhecimento financeiro está muito mais ligado às decisões do dia a dia das pessoas. Por isso, é importante conhecer bem este assunto, garantir o seu futuro sem ter que depender do governo. Tempo, você já tem. Tempo para fazer planos, informar-se e investir em conhecimento e assim tomar decisões inteligentes. Aprendendo a avaliar as coisas de forma mais efetiva. Comece a estudar as alternativas de investimento. O importante após o planejamento, é colocar seu plano em prática. Cultivemos, pois, o bom hábito financeiro. Sabe aquela coisa, burguesia e proletariado??? Ainda lembra??? Pois, bem. Sair por aí comprando coisas supérfluas pode proporcionar prazer. Mas, agir é intentar contra nosso próprio patrimônio. Temos que viver o dia de hoje como um presente. Amanhã será um novo dia. Faça sempre as contas com cuidado.

01

José Marconi

Capítulo 7
Estabilização e comedimento: firmação
A aposentadoria requer equilíbrio físico e emocional, para não gerar sentimento de perda da identidade social. Valorize, portanto, o sentido da vida, após a aposentadoria. Adquira a prática de fazer do hoje, o condutor de um amanhã melhor. Nesta fase, querido leitor, devemos identificar novas formas de ser produtivos e criativos em todo o tempo motivado. A ênfase é demonstrar a importância como pessoa em todas as etapas de sua existência, desenvolver projetos de vida, resgatando as suas potencialidades de ser humano, de forma a encontrar o seu próprio caminho para ser feliz. Tendo a compreensão de que nós contribuímos de forma significativa no processo de formação de nossa cidade, este reconhecimento de sua importância, visa a melhoria na qualidade de vida neste período de aposentação. Vida digna e ordenada com o físico, psíquico e social, a serviço do seu bem-estar. O trabalho norteia e é integrante da nossa identidade, ocupando um papel de status na sociedade. Há uma convenção de que o respeito e a admiração estão vinculados ao trabalho, um regulador da vida, já que se organiza o horário, relacionamentos familiares e sociais em função deste. A aposentadoria, de certa forma, é uma ruptura com o papel profissional formal. Deve-se, então, fazer a preparação para a aposentadoria, para refletir alternativas de enfrentamento de questões que, ocasionalmente, ocorrerem nessa fase. E para que não se perca de vista o sentido do direito conquistado, devemos estar preparados, pois tal fator vai definir este período como um fardo pesado ou uma nova etapa a ser vivida em toda sua plenitude. Desapegar-se da sala do prédio, dos colegas, dos afetos e desafetos, fazer um balanço pessoal e filtrar, levando na bagagem apenas o que foi aprendido durante estes longos anos, para ajudar a buscar novas realizações. Aceitar a perda do vínculo com a atividade na empresa, que ocupou boa parte do seu tempo atual e status que algumas funções às vezes dão, dificultam este rompimento, mas deve estar muito claro o que é razão de trabalhar e o que é razão de viver. Lembro o caso de um funcionário antigo que tinha sido chefe durante muito tempo na repartição, e chegou à época da aposentadoria, aposentou, festejou, mas, ao terceiro dia... eis ele ali, com suas intervenções que, a princípio, eram toleradas em nome das boas relações, mas, com a repetição das intervenções, criou-se um ambiente de desaprovação, que resultou num procedimento comum na equipe. Até que ele entendesse que

era bem-vindo ali, mas, não era mais função dele opinar ou mandar em assunto relativo ao expediente, demorou meses para compreender e envolver-se em outra atividade.

Duas maneiras de encarar
Existem duas maneiras de encarar a aposentadoria: como crise e como liberdade. Crise, quando a recusa em aceitar a condição de apo-sentado. Liberdade, podendo dar assistência aos familiares ou buscar o prazer pelo lazer, sentindo-se livre, fazendo projetos para o futuro na busca de realização do que não teve oportunidade de fazê-lo anteriormente. A primeira entende que, depois de anos de trabalho, a aposentadoria seria uma recompensa em forma de descanso e remuneração (como as férias do trabalho), ficando a expectativa de uma volta ao ambiente de trabalho. Na segunda, existe a necessidade de criar novas estratégias, para o novo papel a ser assumido, e isto deve ser vivido com muita paz na alma. Segundo o dicionário Aurélio, a paz seria a ausência de conflitos, sinônimo de serenidade que, por sua vez, é por ele definido como tranquilidade de espírito. Acredito que em curto espaço de tempo, as organizações, inclusive a que eu trabalho, tomem consciência de sua responsabilidade e deveres junto ao empregado, viabilizando ou providenciando, o bem-estar daqueles que enfrentam a transição para a aposentadoria, a começar da nominação inativos. Afinal, não somos “velas apagadas”. Talvez, por isso, alguns colegas receiem se aposentar, só o fazendo com o famoso pé na... Por desconhecer, muitos não aceitam o término da atividade de produção legal.

José Marconi

Capítulo 8
Oscilação cambiário

É interessante observar aquela agitação nos pregões da bolsa de valores, e quando ouço oscilação lembro-me logo daquele painel anunciando mudanças. E vêm as ações para coibir ou incentivar estas mudanças. Chegamos aqui, mas, consideremos: sofremos mudanças e muitas sócioeconômicas, amorosas e fisiológicas me deram conta de que ultimamente, as pessoas se reportam a mim como senhor, nem percebi, mas mudei. Passamos por fases, etapas de crescimento, desenvolvimento, reprodução para perpetuação da espécie, e agora se aporta a velhice. Você pode achar que não é contigo, mas, logo será perceptível e mensurável, porque o processo de envelhecimento começa bem antes da chamada terceira idade. Se você tem mais de 25 anos, já está perdendo, a cada década de sua vida, 2% de suas células cerebrais. Lembra-se de “No Limite”? Ele foi o primeiro reality show a ser exibido pela televisão brasileira, em 23 de julho de 2000, em que os participantes passavam por testes de resistência, provas de convivência. É assim que grande parte da sociedade vive: respeitando as devidas proporções. Até os menos favorecidos também vivem esta realidade. A lei do consumismo, massificada pelos veículos de comunicação, nos faz acreditar no conceito do ter e não ser. Inverte a compreensão e fixa a ideia de que quem tem, é. Lembro-me que até bem pouco tempo, sonhos de consumo eram simplórios. Que esforço que fizemos, pagando centenas de reais após uma longa fila de espera, para conseguirmos nosso telefone. E o celular, então? Sabe, aquela engenhoca, era uma delicatessen. Pense numa coisinha refinada. Aquilo servia de arma em todos os sentidos, parecia aquele instrumento de choque. Mas, era a modernidade e dava certo status colocar em cima da mesa no restaurante. Tá rindo, né? Fez lembrar de algo? Pois é. Novidades demoravam a aparecer. E agora, você tem certeza que seu aparelho de celular é o último modelo lançado? Os valores mudaram e o tempo dos acontecimentos também.

02

Eptiva - Época de Atividade
Esquematizar para alcançar
Fico imaginando o amado leitor conjeturando: “Mas, meus pais nunca planejaram aposentadoria”. E é fato. Mas, é fato também que para eles aposentadoria era uma curta etapa do final da vida. Provavelmente, você vai viver mais que seus pais. E teu padrão de vida deve ser crescente em relação ao deles. Pois é. A nossa geração consome mais. No quesito acumulação, nossos pais tinham menos em que gastar. Certamente, o novo aposentado gastará mais nos dias atuais, incluindo aí o jardim de infância do neto tal, o inglês de outro, o cursinho da outro e, finalmente... aquela conversa particular que o(a) amado(a) filho(a) agendou urgente, que termina com um passeio do teu cartão de crédito ou do teu cartão da poupança, até a emergência do tão amado filho. “Ah!, e certamente, o vovô não vai se negar de ficar com os netinhos, enquanto a gente resolve isso...”. Lembrou, não é? Vê como existem motivações para que você dedique um pouco de tempo para organizar, planejando o futuro. Já dizia um pensador cristão: “O evangelho apaga o passado, restaura o presente e prepara para o futuro”. Se diante de Deus somos todos iguais, a aposentadoria tem esta propriedade, nos coloca em pé de igualdade, não difere os status profissionais. Aquele chefe prepotente até o mais tímido funcionário, se equivalem socialmente, enquanto o conceito aposentado. Se o trabalho no período chamado vida ativa se confundia com a própria vida, agora é como conduziremos nossa vida que vai distinguir entre o que sentou no louro da glória de outrora, do que desbravou fronteiras, estabelecendo e erguendo para si, marcos. Não almejamos aposentadoria apenas para nos livrar das pressões hierárquicas. Almejamos nos aposentar porque acreditamos ter competência para fazer deste período o melhor para criar e buscar novos caminhos, caminhos de paz. Empreendedorismo maduro, criando e dando liberdade às suas ideias, criando novos relacionamentos, compondo novos grupos de interesses afins, identificando-se nos interesses comuns nos seus afetos e emoções. Na instituição em que trabalho existe forças-tarefas, grupos são organizados com finalidade de obtenção de um resultado e, terminado esse, o sentimento resultante é o de dever cumprido. Mas, quando esse grupo se reúne em ocasiões especiais para comemorar, brincar, cantar, escutar o outro, o resultado é de satisfação, motivação. Você já ouviu falar do sermão da montanha. As pessoas seguiram ao Mestre Jesus e escutaram seus ensinos. Mas, dispersas em seus pensamentos, a hora avançou. Era chegada a tarde, não a

01

José Marconi
noite, a tarde. E alimentada do conhecimento era hora de se alimentar do nutricional. A multidão poderia gritar: “Joga aí o pão de qualquer jeito e a gente pega aqui”. Mas, Jesus disse: “Organizem-se em grupos”. Daí, veio o milagre: a multiplicação. E saciadas foram suas necessidades. Não isolados, não na solidão, não excluídos. Em grupos. Há bem perto de você pessoas que, como nós, conquistaram o sublime direito de usufruir tão gratificante estágio da vida. Há pesquisas que mostram que apenas 58% das pessoas com idade para aposentadoria gozam deste direito. Que pessoa privilegiada que é você.

02

Eptiva - Época de Atividade

Capítulo 9
Check list do cotidiano

Estamos na era das megafusões. Não se familiarizou com o nome? Então, que tal “é cobra engolindo cobra”. Ah, lembrou né? Pois é, duros tempos. Rui Barbosa já prenunciava: “De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto”. Assim, amado leitor, confie desconfiando. Checar sempre. Dói falar isto, pois, esta não é a maneira que minha sábia mãe Lady Irá, me educou, mas, no mundo globalizado, a aferição deve ser contumaz, habitual, permanente, não ocasional, nem intermitente, como diz a “lei do gebenim”. Também tem um princípio bíblico: Salmo 40.2: “...pôs os meus pés sobre uma rocha, firmou os meus passos”. Solidez. Vê bem onde você está confiando seu rico dinheirinho, seja em que área da vida: comercial ou financeira. São preferíveis instituições sólidas e consolidadas. Se a Bíblia nos adverte: “Resisti ao diabo e ele fugirá de vós”, resista às propostas muito vantajosas. Pense assim: “De onde saiu este samaritano, que de repente resolveu ser o seu gênio da lâmpada, declarando-se fazedor dos teus desejos”? Acredite: o único princípio deste dadivoso e magnânimo, é garantir a felicidade dele próprio. Confira o cheque sempre. Infelizmente, atualmente, jazem sobre a pedra fria os valores éticos. Não se constranja de conferir sempre. Os vivaldinos não se cansam de inovar e estão sempre criando novas astúcias. Portanto, confira sempre. Pois, no nosso dia a dia é isso que se faz com a gente, que por natureza somos honestos, quando vamos passar um cheque na lanchonete, no mercado, no cartão, no telemarketing do celular... até o flanelinha confere. E não nós? Nós temos dignidade.

Dignidade do aposentado

01

José Marconi
A dignidade se baseia no reconhecimento da pessoa como ser digno de respeito. É uma necessidade emocional que todos nós temos, de reconhecimento e notoriedade pública, de se ter feito bem as coisas em relação a autoridades, amigos, círculo familiar, social, entre outros. Penso que o fruto do trabalho de produção ou serviço é gerar resultado, e resultados positivos. E para isso não é necessariamente obrigatório você ter um patrão. Existem pessoas que não são reféns patronais, pois têm um perfil profissional multifacetado. Parece que tudo que se propõe a fazer, dá certo e prospera. Um bom exemplo é a escritora e financista Rosângela Ferreira, que sempre olha para as ocasiões profissionais como desafios superáveis, oportunidades para crescimento, colocando paixão em tudo o que faz, conciliando trabalho com suas atribuições cristãs e familiares. Resultado: uma profissional promissora e feliz. Certamente, na época da sua aposentadoria ela há de nos brindar com mais uma conquista profissional, um exemplo de construção de dignidade. A aposentadoria é como se trocássemos de companhia e de diretoria: o diretor agora é você e o presidente soberano é Deus. Ficamos entendidos assim? Baseado na credibilidade da presidência e na competência da diretoria (você), entenda que essa é uma das parcerias mais promissoras da atualidade, digna de aclamação. E, quando o presidente da tua companhia (Deus) diz: Dt. 30,19-20 “...Ponho diante de vós a vida e a morte, a bênção e a maldição. Escolhe a vida para viveres, tu e a tua descendência, amando o SENHOR, teu Deus, escutando a sua voz e apegando-te a Ele, porque Ele é a tua vida e prolongará os teus dias para habitares na terra, que o SENHOR jurou que havia de dar a teus pais, Abraão, Isaac e Jacob”. É o estampido do tiro de largada para a corrida do sucesso. Qual seria o segredo do sucesso? Não há segredos. Somente o trabalho duro e planejado dará resultados. Pois, tão logo surge um segredo, é compartilhado e todos conhecem prontamente. O segredo do sucesso está no conhecimento, tem a ver com a maneira de lidar com o fracasso. Quem lida bem vai à frente. Quem tem medo, fica parado. O segredo do sucesso está em conduzir a vida de acordo com o plano e projeto que Deus tem para cada um de nós. Sucesso não é fama, não é dinheiro. Sucesso é vida aprovada por Deus. Cada um de nós foi destinado a cumprir um projeto de Deus. Ninguém poderá fazer aquilo que só compete a nós fazermos. Somos como um navio cujo leme poderá ser guiado por Deus, pelas circunstâncias, pelo mundo ou

02

Eptiva - Época de Atividade
por nosso bel-prazer. Quando Deus não está no leme, encalhamos. Se Deus está no leme, seguimos na direção certa, sempre seguros e com a garantia de chegar ao destino almejado, mesmo enfrentando as tormentas e tempestades que, porventura, virão. Temos que ter motivação. Motivação vem de motivos que estão ligados simplesmente ao que você quer da vida, e seus motivos são pessoais, intransferíveis e estão dentro da sua cabeça (e do coração também), é algo pessoal, vêm de dentro. É querer ser feliz, enxergar o mundo com outros olhos, conquistar resultados, superar obstáculos, ser persistente, acreditar nos seus sonhos e muito mais. Deus+Talento+Motivação+Persistência+Sorte = Sucesso. Cultive amigos. Dimensione seus problemas e não se deixe abater por eles. Tenha fé, energia e acredite em seu imenso potencial. Agradeça a Deus pela oportunidade de acordar e viver mais um dia. Fale de coisas boas: saúde, sonhos, realizações. Vida não é só trabalho.

01

José Marconi

Capítulo 10
É preciso saber viver

A atividade sexual traz sensações de prazer e bem-estar, combate o stress, aumenta a autoestima e ainda queima calorias. As pessoas sexualmente ativas são mais saudáveis. O sexo é um dos quatro pilares da qualidade de vida, ao lado do prazer no trabalho, da harmonia familiar e do lazer. Tenha, portanto, outras atividades paralelas, como esportes e leitura, por exemplo. Viva a emoção, não se lamente. Ajude-se e também cultive o bom humor. Ocupe seu tempo crescendo e desenvolva sua habilidade e seu talento. Aprenda com seus erros e amplie seus conhecimentos. Perdoe sempre. Tenha garra e determinação. Mude, opine, ame o que faz. O sucesso parece ser em grande parte uma questão de PERSISTIR, enquanto outros desistiriam. Transforme seus momentos difíceis em oportunidades. Seja criativo, busque alternativa e apresente soluções e não problemas. Veja o lado positivo das coisas, seja otimista. Estudos apontam: ter uma atitude positiva pode diminuir em até 55% o risco de morte prematura. Seja otimista, acredite em você e vá em frente, como diz o Diante do Trono: “Aos olhos do Pai você é uma obra-prima, e cada detalhe é um toque de amor”. Não é por estar dirigindo esta palavra a você, mas poderíamos dizer em curtas palavras: você é o rei da cocada preta. Vencedores sempre vão em frente. Por mais que tentemos, não podemos mudar as pessoas, mas podemos e devemos quando necessário se fizer, mudar a nós mesmos. Não inveje. Admire! Seja um entusiasta do sucesso alheio como seria do seu próprio. Finalmente, ria das coisas em sua volta, de seus problemas, de seus erros, ria da vida. É sério! Ria, ria sempre. Começamos a ser felizes quando somos capazes de rir de nós mesmos. Adotemos, pois, estas ações e atitudes que concretamente sobrepujam os naturais temores e inseguranças. Não poderia deixar de citar aqui uma peculiaridade de uma pessoa feliz. Leila acorda sorrindo logo de manhã. Isso é meio caminho andado para um bom dia para ela e para mim.

02

Eptiva - Época de Atividade
Cuidando da saúde
Dentre os muitos cuidados, os com a saúde estão em primeiro lugar. Sabe, quando se compra um carro tem a 1ª, 2ª e 3ª revisões. Sabe por quê? São ações preventivas visando antecipar-se a possíveis danos. Consideremos, até carro novo tem que ser amaciado e segundo o manual todo excesso deve ser evitado. Não seria este um bom conselho para nós? Na instituição em que trabalho existem exames médicos periódicos, de acordo com a faixa etária. As organizações não querem perder o funcionário e com ele, todo o investimento feito nele. Então, na atual fase da vida, façamos visitas periódicas ao médico. Quem guarda doença é museu de patologia. Daí a medicina investir tanto na profilaxia. E ao mesmo tempo dispõe de indicações terapêuticas que aumentam e prolongam o bem-estar do aposentado. Resguarde-se de situações de risco. Aprendi isso quando subi no mais alto galho de uma goiabeira e lá em cima lembrei: e se me der uma crise de labirintite agora? Mais que tudo, devemos ser – fazer – ter. "Tenho ainda tanta coisa para fazer, tantos sonhos futuros de vida, que não me sobra tempo para morrer”. (Vivedor de 80 anos)

01

José Marconi

Capítulo 11
Conhecimento é ouro
Vendendo conhecimento
Existe tanta designação para se referir aos idosos. Como chamar essas pessoas? São expressões, eufemismo. O termo terceira idade foi cunhado na França, na década de 60, quando aquele país começou a fazer investimentos no lazer das pessoas acima de 45 anos, porque achavam que se as pessoas ficassem ativas, satisfeitas, envelheceriam melhor e mais saudáveis. O certo é que este é um tempo especial, pela vontade permissiva de Deus para com o Zaquen, restituindo-lhe, com largas colheitas, os frutos das sementes plantadas em tempo próprio. Zaquen, no hebraico, significa experiente, digno de respeito e venerável. Assim, cada vez que eu me refiro ao termo idoso, uso Zaquen, Pv. 16.31, Lv 19.32 e Provérbios 16.31: “Coroa de honra são as cãs, a qual se obtém no caminho da justiça”. Oséias 46.4: “Até a vossa velhice eu sou o mesmo, e ainda até as cãs”. [... Provérbios 16.31] “A velhice é uma coroa de dignidade que se encontra no caminho da justiça”. Levítico 19.32: “Levanta-te diante dos que têm a cabeça cheia de cãs e honram a pessoa do velho”. Respeita os cabelos brancos... A palavra aconselha a não viver ruminando vidas surreais, sonhos e passado de glórias. Oséias 46.4: “Também para Zaquen, Deus tem promessa de felicidade”. Js. 14.6; 10-13: “Forças de Deus para desfrutar das bênçãos do Senhor”. Em sua capacidade de relembrar o passado em detalhes, faz com que os velhos cumpram um importante papel social. O Zaquen é o depositário da experiência humana. Os mais velhos são os melhores arquivos vivos da história e suas lembranças no período da transformação física devido ao envelhecimento. Calma! Não se ofenda! É que não estamos ficando mais novos. Por mais que te falem isso no elevador, uma coisa é certa: você está mais bonito(a), conquistando qualidade de vida: equilíbrio, integração e sucesso. O que é viver com qualidade de vida? É ter saúde, sucesso, sentir-se realizado, viver com prosperidade, viver em harmonia com os outros ou conseguir tudo aquilo que se deseja, ou ainda acumular bens, experiências e conhecimentos, e por aí vai. Entenda que a qualidade de

02

Eptiva - Época de Atividade
sua vida começa em você mesmo; ela é uma porta que abre pelo lado de dentro, e só você tem a chave! O conhecimento molecular das alterações que ocorrem com o avanço da idade, é de fundamental importância para se compreender o processo de envelhecimento e, através deste conhecimento, aumentar a expectativa de vida. Este conhecimento pode nos ser dado através da ciência que estuda o envelhecimento: gerontologia, gero = velho, logia = estudo. Não existem genes que determinem quando envelhecemos, mas, podemos determinar uma qualidade de vida que favoreça dias tranquilos para essas mudanças. Em 1903, o sociólogo de nome Michel Elie Metchnicoff, biólogo russo, escrevia sobre Gerontologia - condições de prolongamento da vida. No Brasil, só nos anos 50, 60, passamos a pesquisar, por tratar-se de um campo que abrange uma variedade multidisciplinar: Geriatria, Psicologia do Envelhecimento, Sociologia do Envelhecimento, Biologia, enfermagem e uma variedade de outros profissionais, tais como professores de educação física, fisioterapeutas, enfermeiros, terapeutas ocupacionais, médicos, psicólogos. Alicerçadas na psicologia, às ciências sociais e à biologia, a geriatria diz respeito a um tratamento clínico da velhice. Gerontologia é o estudo do envelhecimento. Alguns países não estão promovendo a reposição da população. Para tentar reverter o quadro, vários desses países criaram políticas para incentivar a natalidade. Na Europa que, poeticamente, é chamada de Velho Mundo, há uma preocupação governamental quanto ao Zaquen. Se perguntarmos ao idoso o que seria qualidade de vida, sem titubear, ele responde como quem dá os votos de feliz ano novo. Paz, saúde e felicidade. A paz é subjetiva, a saúde não. É fácil perceber porque tememos a perda da autonomia. Gostamos de decidir, dar o rumo das coisas e principalmente da nossa própria vida. Desejamos, e muito, a todo custo ter saúde. O cuidado com o organismo ocorre através da manutenção da forma física e da medicina preventiva. A aceitação das transformações físicas como de um processo natural é inevitável e hábitos sedentários aceleram o envelhecimento. Talvez, a paz enfatizada tenha muito a ver com o bemestar no seio da sua família, já tendo adquirido o conforto de um salário garantido, pela bendita aposentadoria.

Motivo de Orgulho
Você e eu, nossa geração, puxa o índice de expectativa de vida

01

José Marconi
para cima no Brasil. Falamos que nossa geração é que mudaria o mundo. E cabe a nós exigir e fazer garantir as mudanças para nossos pais. Nas décadas de 60 e 70 tínhamos esta máxima e isto é verídico. Estivemos ocupados demais, ganhando a vida, para tomar conhecimento do que a lei civil do nosso país nos garante. Agora, na aposentadoria, tomamos consciência da nossa importância. Passamos por fases. A aposentadoria, como descrita no início, só se dá por invalidez ou quando acumulamos tempo e idade suficiente para tal, e este tempo não correu apenas para o feliz propósito de tão sonhada aposentadoria, todas as outras áreas da nossa vida também sofreram ação do tempo: a cidade, a casa, os familiares e finalmente nós. Talvez, na época da tua aposentadoria, você tenha que cuidar de parentes. E isto, contrariando o senso comum, pode ter aspectos positivos, um crescimento pessoal transpondo barreiras do sofrimento, revendo a vida e superando experiências negativas em relação a esta pessoa. Tenho no meu coração, o grande exemplo de dois colegas. Tita (Claudionor), administrador de empresa, e João, que souberam com maestria expressar o seu amor no cuidado de alguém muito próximo e especial. Uma boa alternativa é procurar um grupo de apoio e repartir ali experiência de convivência. Compartilhamento de dores, enfim, situações trabalhadas com diversos grupos de apoio, Zaquen, dependentes, religiosos, etc. Aprendemos que o conhecimento e o compartilhamento ajudam, em muito, a história de amor, de acreditar uns nos outros. Tem um exemplo na Arca de Noé: os animais entraram em paz, lado a lado, e a família de Noé também. Deus está sempre nos propiciando oportunidades. Se orarmos pedindo paciência, Deus nos dará paciência? Ou oportunidades de sermos pacientes? Se pedirmos coragem, Ele nos dá coragem ou oportunidades, como deu a Davi de ser corajoso? Se alguém pede união na família, Deus une a família com amor e alegria ou dá a eles a oportunidade de se unirem? Pense um pouco. Deus tem dado oportunidades a você como resposta ao que você tem pedido. Você vai se surpreender com o que é capaz. Outra dica: estas lojas que vendem material de artesanato têm cursos muito legais.

02

Eptiva - Época de Atividade

Capítulo 12
Compartilhando conquistas casais
Aposentar juntos, compartilhando esta conquista. Comunhão de bens é isto. Compartilhar as conquistas, como assim faz os grandes reis. E a aposentadoria é um bem conquistado. Quando se é casado, é um ato de generosidade planejar conjuntamente e com calma a data da aposentadoria, de forma que o casal possa aproveitar essa época da vida juntos. Muita gente da minha idade ainda acha que a esposa, por não ter uma atividade funcional no mercado de trabalho, não contempla ou não faz parte dessa aposentadoria. Mas, amigo, a esposa é coherdeira, ativa participante do suporte familiar, em todas as árduas e grandiosas tarefas domiciliares e em tempo integral. Com direito a quando você chegar do trabalho, ela, tomada de banho, cheirosinha, em vez de reclamar do martírio do dia, te recebe. E, consideremos: ninguém te recebe tão bem como tua esposa. Talvez, por ela poupar o marido e não compartilhar com ele as dificuldades, e não são poucas, que enfrenta durante a longa jornada diária, tenha ficado o ledo engano de que não. Mas, a esposa, que sempre viveu do e para o lar, com grande galardão merece compartilhar do melhor da tua aposentadoria. E se ela é uma profissional do mercado de trabalho, de pouco adianta você ter todo o tempo do mundo, e o seu cônjuge ainda está trabalhando integralmente. Exatamente por isso, o planejamento conjunto é tão importante, pois o ideal seria que os dois se aposentem juntos, fornecendo apoio um ao outro nessa nova etapa da vida ou os dois concordarem em trabalhar juntos em uma empresa familiar. O administrador Claudionor Andrade fez graduação em administração na idade adulta e, junto com sua esposa Fátima, projetou uma empresa que é tocada pela família. De acordo com a Bíblia, suportar é dar suporte. É isso que quando se caminha ao lado, o caminhante oferece ao outro, suporte para terem êxito ao destino. Muitos são os caminhos, mas descubra “seu caminho”. Uma boa dica é: João 14.6. Não tem errada, é destino garantido.

01

Capítulo 13
Significação da existência
Meu prazo de validade
Segundo a Bíblia, o homem encontra um sentido para sua existência e, reanimando o ânimo desanimado. Meu velho amigo, adquira a prática de fazer do hoje o condutor de um amanhã melhor. Se hoje foi bom, posso fazer o meu amanhã melhor. Assuma essa condição e não se envergonhe da chegada da velhice. Você já viu algum rico famoso velho??? No máximo, experiente. E quando morre é que é anunciada a idade, e somos complacentes. Automaticamente a gente já tasca: não tem quem diga que ele tem esta idade. Mas, como falávamos, Zaquen é algo digno de respeito nessa nova condição. Estruturas estão sendo desenvolvidas para garantir gente como eu e você. E no meio de tanta gente eu encontrei você. “Mas, com você eu fico muito mais bonito Mais esperto. Mas, com você dá certo Por isso, não vá embora Por isso, não me deixe nunca mais”. Marisa Monte “Quem por esta vida, passou em branca nuvem. E em plácido repouso adormeceu. Quem não sentiu o frio da desgraça. Quem passou pela vida e não sofreu. Foi espectro de homem, Não foi homem. Só passou pela vida, Não a viveu”

Francisco Octaviano. O que você vai ser
O que você vai ser quando se aposentar? Ou o que você vai fazer quando tiver 80 anos. Pergunta esquisita, não? Mas, não seria estranho para você perguntar a uma criança o que ela irá ser quando crescer. Somos hoje a resposta desta pergunta. Crescemos, mas não paramos por aí. Da mesma forma que se a pergunta à criança, e a força a se questionar sobre seu futuro,

sabendo que a infância é um momento de transição para um estágio de evolução referente a crescimento físico e social, há um certo melindre em se tocar neste assunto. Parece depreciativo. Questionar o outro sobre sua aposentadoria, e isto deveria ser pensado pelo menos dois anos antes da aposentadoria. Como se diz na sua cidade, não é politicamente correto. Pois, pode passar a impressão de descarte, mas superada esta barreira, a pessoa questionada já expressa o seu sonho de viajar. Seria o merecido prêmio por ter cumprido suas atribuições. Agora, diria ela, sombra e água fresca. E chegado este momento, o aposentado é tomado por uma euforia. Vem um sentimento de liberdade. Quebraram-se os grilhões dos rígidos horários e cada obrigação vai ser reavaliada. Passado esse primeiro momento, pode acontecer um vazio. Sentese falta de ter para onde ir todos os dias. Já vivenciamos isso quando ficamos desempregados. Aquela sensação que faz com que desarrumemos e arrumemos todas as nossas pastas de documentos e papéis velhos. Diplomas a uma fome diferente, fome do cotidiano, o seu fator de identidade ainda está relacionado com a empresa, quando a empresa agora é a tua família, e esta família tem um custo que para manter o padrão de vida o aposentado se vê obrigado a voltar ao mercado de trabalho. Os mais precavidos podem voltar ao mercado por opção de vida, não por imposição de necessidade, tarefa cumprida. É mérito descansar. Recobrar os desgastes da vida produtiva. Uma situação de tranquilidade e desfrute. Passada a euforia do primeiro momento, pode surgir desapontamentos e um vazio. O aposentado sente falta de ter aonde ir todos os dias, e ainda tem a dificuldade financeira. E a sua identidade não está mais relacionada a nenhuma empresa. Vê-se sozinho. Por estas e outras, muitas vezes o aposentado se vê obrigado a continuar trabalhando após se aposentar. Isto pode e é uma coisa saudável. Inclusive, alguns trabalhadores recém-aposentados mantêm o vínculo com a empresa, em função do plano de saúde patronal e isto na verdade representa uma economia de até 70% de um plano de saúde individual. Por estas e outras razões, como para manter o padrão de vida para se adequar à realidade, percebem que não estavam preparados financeira e psicologicamente para viver bem sem trabalhar. É preciso pensar na aposentadoria muito tempo antes dela chegar. O cotidiano acaba tomando todas as horas e a preocupação com a aposentadoria termina se deixando para o futuro.

José Marconi

Capítulo 14
Elaborando a inclusão familiar
Em uma das nossas viagens a serviço, passei um período em Brasília com alguns amigos e entre eles, Roberto Andrade, mestre xadrezista. Desde aquele tempo já conversávamos sobre o porvir e ele sabiamente falava: “Temos que pensar no amanhã. Investir em imóveis é um investimento seguro, para mim e para minha família”. Penso que ele fará da época da aposentadoria um tempo almejado para dedicar-se ao xadrez internacional. Pelo menos, é isso que ele planeja com a família. Por ser um marco, e pela indiscutível importância, essa etapa da vida exige preparação, inclusive da família, ensejando novos hábitos, vez que a época da aposentadoria, salvo nas questões de saúde, coincide com a maturidade ou envelhecimento. É de bom termo uma reestruturação de atividades e valores. Para esse período, a família e amigos são importantes. Pois, se retoma os bons relacionamentos, desfruta novamente das amizades. Reaproximação entre casais e filhos. Uma vida pessoal que, muitas vezes, foi relegada a segundo plano, deixada para trás. Certamente, nesse momento, a aposentadoria requer uma reflexão e a retomada dos vínculos familiares e afetivos. Tempo de ajuste. Não existe, aposentadoria bem sucedida, sem organização. Aqueles que galgam os patamares do sucesso, primam pela organização. Algumas pessoas acham que esta preparação é comprar uma espreguiçadeira, apelidada de cadeira do papai, e demarcar um cantinho no terraço onde pretende passar a tarde. Lembremos que chegamos a um estágio de sabedoria de vida pouco comum em outras fases da vida. Aprendemos nos plantões, como profissional de enfermagem no hospital Fuhgel (Fundação Hospitalar Walfredo Gurgel), após as duplas jornadas sempre sobrecarregadas de extrema responsabilidade. Realização? Naquela época era um bom dia de descanso. O primeiro passo para a preparação da aposentadoria é definir qual é o seu desejo para essa fase da vida. A hora chegou. E pensar não só em termos abstratos, mas em termos práticos. Onde você pretende viver? Será que vale a pena continuar morando no mesmo lugar? E se mudar? Qual é o custo de vida neste novo local? Qual é o patrimônio que você terá após pendurar as chuteiras? Quais são as fontes de renda com que poderá contar? Quais serão as despesas?

Eptiva - Época de Atividade
Você quer se dedicar a algo que hoje é apenas um hobby? Você continuará a ter algum dependente? Enfim, as possibilidades são tão vastas quanto a vida pode ser. E cada pessoa tem, ou pelo menos, deveria ter sua resposta. Depois é necessário planejar financeiramente a aposentadoria. É preciso saber quanto você receberá da sua Previdência, se esses recursos serão suficientes para a vida que você deseja levar, mantendo o padrão. Essa é uma questão que diz respeito somente aos indivíduos e suas famílias e que requer decisões que ninguém vai tomar por você. Com o planejamento e o conhecimento de sua situação financeira, os sonhos de uma vida tranquila e sem grandes preocupações podem se tornar mais próximos, como diz o ditado: “Apressa-te lentamente”. O ideal é não deixar nada indefinidamente para o amanhã. Temos de reabilitar experiências. Quando trabalhei na reabilitação profissional, diga-se de passagem, com excelentes profissionais, como a doutora Neta e outras, e a máxima repetida com convicção pelas terapeutas era: “Vamos reabilitar”. A primeira impressão era de que pouco progresso poderia esperar, mas com instrução, dedicação e empenho das partes envolvidas, reabilitava-se o reabilitando. E víamos resultados surpreendentemente felizes de pessoas que permitiram-se uma nova chance e acreditaram nas propostas apresentadas. Assim, dentro das nossas necessidades, vamos nos reabilitar. É inverdade que aposentados têm diminuição da capacidade de desempenho na vida profissional. Estamos vivos, ativos e produtivos. Abaixo, para reflexão, grandes nomes e a idade em que foram reconhecidos Pintores e escultores: Ticiano, 99; Michelangelo, 89; Frans Hals, 86; Goya, 82; Hans Thoma, 85; Liebermann, 88; Degas, 83; Donatello, 80; Tintoretto, 76; Rodin, 77; Renoir, 78; Monet, 86; James Enror, 89 e Menzel, 90. Poetas e escritores: Goethe, 83; Shaw, 94; Maeterlinck, 87; Tolstoi, 82; Voltaire, 84; Victor Hugo, 83; Ricarda Huch, 83; Gerhart Hauptmann, 84. Entre os vivos: Claudel, 85; Thomas Mann, Hesse, Schöder, Döblin, Carossa, Dörtfler, acima dos 75 anos; Emil Strauss, 87. Entre os músicos: Verdi, 88; Richard Strauss, 85; Pfitzner, 80; Heinrich Schütz, 87; Handel 74; Brucker, 72; Palestrina, 71; Wagner, 70; Georg Schumann, 81.

José Marconi

Capítulo 15
Atinados

“Ensina-nos a contar os nossos dias, para que alcancemos coração sábio.” - Salmo 90:12. Aprenda a curtir seus Anos Dourados “Idoso é quem tem o privilégio de viver uma longa vida... velho é quem perdeu a jovialidade. A idade causa a degenerescência das células... a velhice causa a degenerescência do espírito. Você é Idoso, quando sonha... você é velho quando apenas dorme. Você é Idoso, quando ainda aprende... você é velho quando já nem ensina. Você é Idoso, quando se exercita... você é velho quando somente descansa. Você é Idoso, quando tem planos... você é velho quando só tem saudades. Para o Idoso, a vida se renova a cada dia que começa... para o velho a vida se acaba a cada noite que termina. Para o Idoso, o dia de hoje é o primeiro do resto de sua vida... para os velhos todos os dias parecem o último de uma longa jornada. Para o Idoso, o calendário está repleto de amanhãs... para o velho o calendário só tem ontem. Que você, quando Idoso, viva uma vida longa, mas que nunca fique velho”.

Jorge R. Nascimento

Eptiva - Época de Atividade

Capítulo 16
Eterna busca
Fonte da juventude
O sonho do homem é não envelhecer. Não parece sensato remar contra a maré. É inevitável que se envelheça. Mais importante do que manter uma aparência sempre jovem, é saber aceitar a velhice com alegria e felicidade. Tônia Carreiro diz: “Envelhecer é chato, mas a outra opção é morrer”. Mas, se persiste... No sonho do homem de não envelhecer os ventos que sopram sobre o assunto da fonte da juventude é, segundo a lenda, águas capazes de rejuvenescer a pessoa que bebê-las. Teria sido descoberta pelos árabes há tempos, depois, roubada pelos bárbaros que, amaldiçoados pelo líder da aldeia, o barco em que eles partiram, afundou, e a fonte da juventude junto com eles. Alguns acreditam que a fonte, por não ser natural e de águas muito puras, flutua pelo oceano, até que um dia vai bater em alguma margem. Outros acreditam que a fonte se encontra no Ártico, e segundo a lenda seus poderes beneficiariam a pessoa que se banhar nua, em noites de lua cheia, nas águas mornas da parte do Ártico mais próximo do Pólo Norte, sendo abençoada com a imortalidade. A mitologia diz que Júpiter, o deus, transformou a ninfa Juventa em uma fonte, cuja água devolvia a mocidade, donde surgiu a palavra juventude. Mas, Júpiter escondeu a fonte, e ninguém sabia onde ela ficava. Até hoje ninguém conseguiu parar o envelhecimento. Entretanto, com cuidado se pode envelhecer bem mais vagarosamente, aproveitando mais a vida. Isso não ocorre por acaso. Tem mais a ver como as pessoas vivem do que com predisposição genética. Observando certos princípios de vida, conhecendo bem o funcionamento de uma máquina, você poderá melhorar o seu rendimento e a sua durabilidade. E a sua máquina mais importante é o seu próprio corpo. Alguns cientistas defendem que a ciência deve colocar todos os instrumentos possíveis a serviço do objetivo de estender a vida e retardar o envelhecimento, mesmo que o ser humano não tenha sido planejado para isso. A medicina do século XX identificou e eliminou as causas das doenças infecciosas, o que, junto com uma série de mudanças no estilo de vida, como trabalhos menos pesados, ajudou a aumentar a média de vida da população. A CIÊNCIA já disponibiliza métodos de reposição hormonal. Informemo-nos quanto à utilização de tal prática, que

01

José Marconi
só deverá ser implementada mediante recomendação médica.

02

Eptiva - Época de Atividade

Capítulo 17
Provocando uma nova realidade
Não celebramos a finitude. Podemos preencher a vida com valores, fugindo do conforto do sedentarismo. Existência deve ser luz. Construindo novos caminhos emocionais, é possível fazer de outro modo. Reinventar. Reserve-se do apego a histórias garantidas. Permitase buscar apoio religioso. O resultado pode não ser tão imediatamente visível, como de um exercício físico. cuidando sempre do corpo, da mente e da alma. A forma de como percebemos o mundo, influencia o comportamento do seu ser. Em que realidade eu me encontro e que realidade eu provoco, prevê um provérbio alemão: “Onde há uma vontade, há um caminho”. Relatividade com o universo paralelo. Não tenho base científica e nem pretendo teorizar a suposta existência de outro universo paralelo com outro você, mas, existe, com certeza, uma realidade possível e usufruível para você. Podemos mudar, trasladar, trocar nossa realidade, motivados pela fé, que é o combustível da crença. Acreditamos que Deus escreveu e dispôs uma vida diferente e melhor. Não desperdicemos. Temos livre arbítrio, lembra? Que caminho tomar? Existe, portanto, mais que um caminho a seguir. Caminhos diferentes que levam aos lugares diferentes. E o seu percurso é composto de (paisagens) caminhos distintos, realidades distintas. Um caminho cujo destino é macabro, não será margeado por flores. Uma estrada restaurada, pavimentada, com uma boa sinalização dos perigos e demarcando quão perto está o caminhante do destino, dá a impressão de que o final será feliz. Diz a Bíblia que há caminhos que aos olhos humanos parecem bons, mas o final deles é a morte. Temos caminhos que durante o seu percurso nos faz suar, pois são quentes. Nossa visão é embaçada pela poeira, pela fumaça embaçante, resultado das queimadas que margeiam o caminho e que somadas aos solavancos, faz penoso o trafegar, ora obstáculos, ora depressões. Aqui ou acolá é que se pega um trecho mais tranquilo. Queridos, uma vez que já definimos o alvo, já sabendo aonde queremos chegar, vamos fazer por onde este percurso seja o mais confortável, seguro e tranquilo possível.

Veredas não são caminhos

01

José Marconi
Em nossa vida enveredamos por caminhos que não foram nossas escolhas; outros não foram a mais acertada das opções; outras vezes não tínhamos sequer a opção da escolha. Mas, a palavra de Deus diz: “Conhecereis a verdade e ela te libertará”. Agora, considere isto: não precisamos mais fazer nada compulsoriamente. Eu sei o que você está pensando: “Bem que eu quero dar um novo rumo, mas... tem...”. E lá vem aquele cacho de desculpas, e ainda argumenta: “Você não entende é que tal situação é de minha inteira responsabilidade, tudo só vem para minhas costas”. E outras máximas. Convenhamos, lembra do tal grito do Ipiranga? Cadê o imperador do teu rio. É afônico? Não grita? Não tá bem assessorado pelo José de Bonifácio? Não escutas o clamor? É hora de libertação? Uma Unidade da Federação leva este emblema: “Libertas que serás também”. Acho que isto é comigo e com você. Precisamos romper com o paradigma do tal de “ em função de”. Falamos: “Sempre levantei mais cedo em função de”. E vai levar filhos para escola, comprar o pão cedinho, para não pegar o ônibus cheio, não me atrasar, deixar fulano(a) em tal lugar. O sol já vai alto. Mas, a correria continua. Na hora do almoço, lá vem: “Tenho que correr para pegar”. E não faltam obrigações. O sol se vai e com ele não vão nossas tarefas. E haja referências. “Gostaria até de ir ao cinema, mas tenho que ficar para...”. Bem, imagina aí a tua realidade, desde ter que aguar a grama, lavar as gaiolas das aves e dar a ração dos estimados animais, até ajudar na monografia do neto. Sempre nossas decisões foram pautadas, norteadas em função “de”. Não trato aqui de sermos egoístas ou irresponsáveis, mas de tomarmos caminhos e decisões de itinerários certos, sabendo aonde queremos chegar, procurar fazer uma coisinha, que por conta de todas as impostas ocupações nos privou de vivenciar em sua totalidade. Gozar a vida.

Sábias decisões
Sugiro, humildemente, que tuas decisões doravante sejam tomadas em função de alguém muito especial: você. Imagina aquela estrutura que representa o sistema solar. É aquele que a gente estudou lá no ginásio, lembra? O astro-rei no meio, e aqueles corpos celestes circulando num movimento de translação, cada um deixando o seu próprio rastro. Rodando em seu próprio eixo. E infinitamente não mudam a sua trajetória, eles não, mas nós sim. Até os trens que andam sobre trilhos, trocam-nos às vezes. Tá certo que dá trabalho, já deve

02

Eptiva - Época de Atividade
haver um outro trilho estabelecido, todo um esquema, chaves devem ser ligadas. Mas, que ele toma um novo rumo, isto lá, ele toma. É fato. Uma vez empreendidas estas ações, lá se vai o trem para novo destino. A mudança não o debilitou, está como sempre, forte e vigoroso, afinal foi apenas uma mudança, e nesta nova caminhada, ele continua puxando todos aqueles vagões que ordenadamente não desacoplam. E, após a mudança, se descobre que este é um caminho mais suave, sem tanta ladeira, e tudo bem, porque literalmente ele ainda tem muita lenha para queimar. Certamente continuará vencendo longas distâncias, com seus apitos que prenunciam a sua presença. Em qualquer jornada, trajetória que se pretenda concluir é fundamental conhecer a verdade. Os mapas. A bússola ou o GPS. De posse destas preciosas e fundamentais informações, temos segurança para traçar e escolher qual o melhor caminho a seguir, para onde vamos. O certo é que não tem pressa, chega de pressa, se é para apressar, que seja lentamente; relaxa, é uma viagem, aproveita a paisagem. Usufrua do conforto oferecido, você pagou por ele, não somos como aqueles obstinados, que no afã de ganhar dinheiro correm dia e noite, e nunca, repito, nunca param, quando não estão trabalhando exaustivamente para enriquecer, estão ocupando sua mente de como fazê-lo. Não, o objetivo é o suficiente. Mas, e minha descendência? Repito o suficiente, que seja para você ou que seja para ele, o desgaste exacerbado pelo dinheiro vai cobrar da tua saúde um preço que o dinheiro não pode pagar. Então, não temos pressa, como na música “Ando devagar porque já tive pressa e levo o meu sorriso porque já corri demais”.

Cada cabeça um universo
Você consegue se imaginar na janela de um trem, lá no pantanal, ouvindo o tocador de viola dedilhar um solo, enquanto você vislumbra calmamente o pôr do sol? Pode imaginar a calma das aves recolhendo-se aos seus ninhos grandes e pequenos, tranquilos. Percebe nelas a certeza de um dia conquistado, pois a noite aponta para um novo amanhecer. Não temos pressa, nossa alma é tranquila, temos algo melhor: sabedoria conquistada a duras penas pelo tempo. EPTIVA. Vamos mudando. As circunstâncias exigem isso, priorizando alguém importante: você. E daí se você resolver viver da pesca ou bordando, ou se vai fazer mestrado, ou se vai terminar o ensino

01

José Marconi
médio ou fundamental? Ou se vai conhecer Machu Picchu (cidade milenar da América do Sul) ou simplesmente resolveu aprender a andar de bicicleta ou de jet ski? E se resolveu abrir um negócio só para você ou com alguém, ou uma empresa familiar e se resolveu que há um artista em você? E vai pintar esculpir, fazer marcenaria. Expresse suas emoções. Aqueles que manifestam suas emoções por meio de alguma atividade artística são mais saudáveis do que as pessoas que não o fazem. Que tal, depois de vencer a preguiça, resolver ser um atleta sênior? E se você resolveu se ver livre dos remédios? Certamente vai conseguir isso implantando novos hábitos saudáveis. E se resolveu caminhar, nadar, escalar? E se resolveu botar a família num ônibus ou num barco e resolveu fazer um documentário no mundo. Afinal, não é só o nosso presidente que pode ir à Antártida. E se resolveu acreditar que receberemos aquela questão judicial e corremos atrás do prejuízo, e se resolver ser marido de aluguel para fazer pequenos serviços para senhoras que moram sós? O universo conspira a favor e como saber se estamos no caminho certo ou no melhor caminho? É hora de repensar e se necessário dar uma guinada por isso ou pelos sinais da estrada, percebe? Por que será que veículos, sejam náuticos, terrestres ou aéreos, têm um leme para mudar a direção? Nós também temos, e o nome do nosso leme é livre arbítrio. Já pensou em uma montadora de veículos não colocando direção nos carros? Seria cruel, não? Você só vai poder andar por aqui! E ponto final! Há de se convir que se Deus coloca um dispositivo que dá possibilidade de mudança de rumo, é que, no mínimo, Ele tem a expectativa de que, cônscios desta dádiva, mudemos. Pois, mais que uma opção, tem o poder de reconsiderar e mudar a rota. Quando você vem numa marginal muito maltratada e mais à frente tem aquela ligação opcional, você anda lado a lado com a via expressa e já vê os benefícios dos que por ela passam e vê também mais à frente a ligação, que é a transição entre as duas estradas. Vê que entre o caminho aonde vens e o outro logo ali, você está desejando chegar àquele trechinho de transição, mas não é muito confortável. Mas, superados estes solavancos, estaremos na principal e sabe o que mais? Vai nos encorajar a largar o velho caminho marginal e esburacado que estávamos acostumados a trasladar e sabemos: a verdade é bem ali. Plenitude. Esse é o caminho certo. Livre, sem interrupções, garantia de chegada tranquila ao destino. Superamos todos os receios pelo bem maior. Pois, o caminho é longo e decidimos que o conforto e a segurança são fundamentais. E, embora algumas opiniões dos que estão conosco, divirjam desta visão, não é mais do que a

02

Eptiva - Época de Atividade
opinião deles e muitas vezes estas opiniões vêm recheadas de 'achismos', cobertos com uma grossa camada de egoísmo. Não, não e não. Solta o freio. Em Deus as decisões são acertadas. Segura na mão de Jesus e ore, faça uma prece, peça ajuda para que você seja forte, lúcido neste novo rumo, pois até o nome sedentarismo é feio. Parece que perdemos algo na nossa boca. O Kleber Lucas diz em uma música: “Eu vou seguir com fé, com meu Deus eu vou para a rocha mais alta que eu, eu sei pra onde vou, como águia eu vou pras alturas, sou filho de Deus”. Ele ensina que só porque o céu escureceu nas alturas, o céu não deixou de brilhar, mas que esperanças têm? A certeza de um Deus amoroso vai iluminar o hoje, o amanhã e o ontem.

01

José Marconi

Capítulo 18
Entendendo-me como bom

Chegamos aqui, não chegamos? Que percebamos ou não, foi, no mínimo, com a vontade permissiva do Senhor que chegamos. Vontade d'Ele. Você é um conquistador, você fez a diferença e esta se deu porque você é bom. Deus, em tudo o que faz é bom e sendo tu a coroa da criação do Senhor, imagina aí quão bom você é. As pessoas boas fazem coisas boas. Por falar nisso, pessoa boa, faz-me um favor? Seja feliz. És ativo. E não há um tempo melhor do que este para aplicarmos a palavra do Senhor: “Eis que faço nova todas as coisas”. Celebre, pois, a aposentadoria como continuidade, não como finitude com sedentarismo, pois há uma fartura de oportunidades. Saia da mesmice conservadora: “Eu só caminho na academia”. Caminhe na vida com a vida, dê um descanso a seu carro. Ele tá cheio de você. Pelo menos, de vez em quando, largue o controle remoto, levante-se e fuja da vida sem sentido. Seja completamente preenchido de valores. Construa novos caminhos emocionais. Pois, apesar de que história que não muda, ser história garantida não tem a garantia de ser a melhor história. Se uma vida não está completamente prazerosa, saiba que é possível fazer de outro modo: busque apoio religioso; só os tolos não sabem pedir ajuda. Claro, tem que ter humildade, mas pedir é uma arte. Passou um terço da vida e você ainda não aprendeu a fazê-lo. Comece a perceber o mundo num prisma de possibilidades. Se permita influenciar por padrões de qualidade de vida, interesses. Se nada neste mundo é genérico, cada qual sabe o que funciona para ele. Você sabe o que é melhor para você. Aceite isto. Crie o seu próprio padrão de qualidade. Trace e persiga metas de curto, médio e longo prazos e sempre flexíveis. Nada de fechar a mente e ficar dando “murro em ponta de faca”, pois as circunstâncias de vida mudam a todo instante. Sempre que puder estabeleça prioridades. Adote comportamentos que tragam benefícios para você e para todas as pessoas que estão em sua volta. Aprenda a ouvir. Compreenda o outro antes de

02

Eptiva - Época de Atividade
ser compreendido. Invista nas relações pessoais. Agregue as pessoas. E que no topo da pirâmide do teu planejamento esteja a atitude de ser feliz. Apesar de não conhecer, como me fascina a psicologia. Em nossos treinamentos nas praias de São Miguel, São José, Muriú etc., dr. Epitácio, psicólogo e pedagogo, em suas dinâmicas, sempre nos levando a refletir sobre a capacidade e crescimento, dizendo: “Seja pró-ativo. Faça mais do que esperam de você”. Coisas que só nos fizeram bem. Mas, uma coisa sempre me intrigava: era uma dinâmica de conceitos. Falar mal e falar bem da gente e do próximo, exaltar as virtudes do próximo, aí era festa, chovia elogios que vinham sonorizados pelas gargalhadas de Chiquinho. E quando era para falar das nossas virtudes, ponderações... reticências, tínhamos de ser cautelosos, para não parecer presunçoso - me parece que somos cruéis conosco. Você não é de somenos importância. Lembrei agora de uma música de Moacir Franco que é a tua cara.

Paz do Meu Amor Você é isso, uma beleza imensa. Toda recompensa de um amor sem fim. Você é isso, uma nuvem calma no céu de minh'alma. É ternura em mim. Você é isso, estrela matutina, luz que descortina um mundo encantador. Você é isso, parto de ternura, lágrima que é pura, paz do meu amor! Paz do meu amor... Luiz Vieira

01

José Marconi

Capítulo 19
Pra não dizer que não falei das flores

Tem coisas que verdadeiramente muitas pessoas queriam dizer a você, amado leitor, e elas não tiveram oportunidade, talvez por timidez, talvez não se sentissem capacitadas ou porque os outros achariam piegas. Mas, como estou tendo esta oportunidade, eu digo: você é um poço de virtude. Além de talentosa e cheia de qualidades, é uma pessoa realizada e realizadora, é decidida e responsável, uma pessoa amorosa e como todo bom brasileiro não desistes nunca, e te prepare, porque é isto que você vai responder doravante quando for indagado algo, ao teu respeito: “Meu amigo, não se escandalize, não mais sou um vitorioso, graças a Deus”. Ridículo? Ora, ridícula é a pessoa que não acreditar que você é uma joia preciosíssima. Você é bênção na vida de muita gente.

02

Eptiva - Época de Atividade

Capítulo 20
O que será do amanhã?
Conhecemos a música que diz “o meu destino será como Deus quiser”. E de fato existe a vontade de Deus e a vontade permissiva de Deus, que é bem diferente. Pois, o Senhor, pela lei do livre arbítrio, termina permitindo que desenhemos o nosso futuro. Este futuro tende a ser muito bom, se fizermos um planejamento tendo como base os nossos ideais de conquistas. Qual seria o teu futuro ideal? Agora, com os pés bem no chão, dentro da tua realidade, o que realmente pode ser conquistado? Tenhamos criatividade, podemos acrescentar alguma coisa aquela jingle: “Muito dinheiro no bolso, saúde pra dá e vender”. Isto é bom, mas temos novos objetivos, e também nem tudo que projetamos na nossa vida está ao nosso alcance. Temos uma realidade e o nosso projeto começa a partir desta. Criamos expectativas que serão superadas de acordo com a tua motivação. Eu não quero ter tal coisa porque o vizinho dos quatro lados tem. Eu vou conseguir pelo meu esforço porque sei o que é bom para mim. Isto diferencia as pessoas que dão a devida importância ao planejamento, neste período de transitoriedade, onde o préaposentado já diminui o seu ritmo, começando a priorizar mais a convivência familiar e dos amigos. Falar nisso, pelo amor de Deus, você fez amigos, não? Se não, dê um sorriso para as pessoas que são mais próximas a você. São amigos em potencial, nada de amigos de barzinho. Estes não contam. Só em propaganda de cerveja. Porque lá ninguém racha conta. Bem, supondo que temos muitos amigos e uma linda família, se não mais na frente vamos falar sobre isto, planejemos para chegar a esta etapa da vida: “Aposentadoria com boa saúde e uma relativa tranquilidade financeira”. Não podemos perder o foco, atividade em prol da felicidade. Se tivermos sempre um bom planejamento, multiplicada será a chance de ter uma aposentadoria satisfeita, cujo dia a dia seja prazeroso. Podíamos questionar, pois há muitos fatores que podem concorrer e mesmo com planejamento não dá certo. Pois bem, a Bíblia diz: “Todas as coisas cooperam para o bem daqueles que estão em Cristo Jesus”. Assim, fica tranquilinho. Vai dar tudo certo.

01

José Marconi
Dois dedinhos de calma para prosear
Aperreado: é assim que se chama "estresse" no Nordeste, e como nativo de tão leniente região, aprendi que é importante que se mantenham ações antiestresse. Ter bom humor e viver em contato com a natureza ajuda a espantar o fantasma do estresse. Fazer trabalhos voluntários. Dedicar-se sem egoísmo. Já pensou em ser um voluntário do TRE nas eleições? Além de patriotismo, você não mais será pescado na fila. Procurar dar sua colaboração para a sociedade. Ajudar ao próximo é sempre gratificante e torna os dias mais leves. O estresse bloqueia o crescimento dos neurônios e o primeiro conselho é este: nunca, em hipótese nenhuma, se preocupe demasiadamente com coisas pequenas. Segundo: à exceção, do que é próprio de Deus, todas as coisas são pequenas. Segundo a ciência, estresse seria o estado em que o organismo fica quando submetido por longo período de tensão. Numa situação enervante, o corpo sofre reações químicas, que, em excesso, prejudicam o organismo, tornando-se irritável, depressivo, com falta ou excesso de sono, provocando envelhecimento precoce, erupções, alergias, podendo favorecer o aparecimento de enfermidades, o que leva o indivíduo ao estresse. É uma sucessão de fatores EXTERNOS E INTERNOS no meio em que vivemos. Como enfrentamento às dificuldades, suas limitações, baixa resistência à frustração, ameaças e ansiedades constantes, baixa autoestima, o tráfego intenso, desemprego e a violência urbana que geram estresse permanente. A pessoa estressada apresenta-se tensa, cansada e irritada. Mas, se você já começou a franzir a testa, adquira um animal de estimação. O conselho foi seguido por operadores da bolsa de valores de Nova York. Foi tão eficaz no combate ao estresse que metade deles suspendeu o uso de medicamentos contra a hipertensão. Quem tem um bichinho em casa vai ao médico com menor frequência. Se aperreie não! Agora você é um ilustre aposentado. Estresse? Isto não te pertence mais! Importante: diagnosticar o estresse, só os médicos, psicólogos e terapeutas. Uma dica: a orientação profissional ensina o indivíduo a se conhecer e viver melhor, fazendo com que ele se relacione melhor com a vida, pois falta de qualidade de vida é falta de tempo para si próprio. “Os homens perdem a saúde tentando ganhar dinheiro, para depois gastar todo seu dinheiro tentando recuperar a saúde. Vivem suas vidas como se não houvesse morte e morrem sem terem realmente vivido”. Dalai Lama

02

José Marconi

Capítulo 21
Organizando 8.640 segundos por dia

Meu fichário em dia: dicas de organização
Goste da vida, valorize-a. Não se desgaste em uma só tarefa, diversifique. Faça aquilo que lhe dá prazer; procure ser criativo, descobrir suas potencialidades; busque o equilíbrio em tudo; reserve tempo pra si mesmo; divirta-se. Procure fazer pequenas pausas nas suas atividades, relaxe; converse ou desabafe; tenha alguma atividade física, faça introspecção; agende-se; cuide da autoestima; substitua os pensamentos negativos por positivos, mude a forma de pensar; procure ter um descanso adequado à noite. Nada é mais fascinante para o ser humano do que outro ser humano. Crescemos inspirados nos exemplos dos nossos pais e de outras pessoas que estão em nossa volta. Aprendemos com a experiência do outro. Diz a sabedoria popular que a vida é um aprendizado constante: "Aprendemos até a hora da morte!”. Em 1968, nas Olimpíadas do México, o tanzaniano John Stephen Akwari chegou à linha de chegada uma hora e meia após o último maratonista. Com a perna enfaixada e sangrando, com dor, mas foi até o fim. E o que o motivou? Perguntaram. Respondeu: "Meu país não me mandou atravessar 14.000 quilômetros de distância para competir apenas na largada. Meu país me mandou aqui para completar a prova". Este atleta não ganhou a prova, mas foi aplaudido como um verdadeiro campeão. Semelhante às Olimpíadas de 1984, quando Gabrielle Andersen-Scheiss arrastou-se cambaleando por 7 minutos, pelos 400 metros finais, prostrada. A multidão incentivava. Foi dramático, com dores e movida apenas pelo desejo de chegar. Foi o 37º lugar mais aplaudido da história. Uma senhora fez uma longa viagem para falar com um sábio. Disse: “Mestre, este meu filho tem diabetes. Por favor, peça a ele que pare de comer açúcar”. O mestre respondeu: “Volte daqui a duas semanas”. Passados dias, a senhora voltou com o garoto e o mestre

02

Eptiva - Época de Atividade
solicitou ao menino para parar de comer açúcar. A mulher, intrigada perguntou: “Por que o senhor não lhe disse isso 15 dias atrás?”. Ele respondeu: “Como eu poderia pedir algo a ele se eu mesmo não o fazia”. Tendemos a ouvir ou seguir aqueles que, prioritariamente, nos conquista ou nos mostram com ações, com seu exemplo, os caminhos mais corretos, os perigos a serem evitados ou o erro que estamos cometendo ou prestes a cometer. Nada é mais forte do que o exemplo influenciando o nosso dia a dia. Pequenos gestos, comportamentos e maneiras de lidar com novas realidades, levam aos demais a nossa imagem, que compram a ideia. Assim, passamos uma vida aconselhando os outros. Mas, o ditado diz: “Chegou a nossa vez, chegou a nossa hora”. Reunamos forças e vamos em frente. Pois, agora, é questão de apenas mais algumas passadas, o coração bate forte, a perna dolorida está pesada, mais umas passadas e ultrapassamos a linha de chegada. Força, amigo(a), você está fazendo história, porque só chega até aqui quem tem muita força de vontade, porque não foram dados ouvidos às vozes negativas de que não se iria conseguir. Podemos relembrar os percalços que enfrentamos para chegar aqui. Imagens do percurso realizado, tantas dificuldades superadas, foram exigidos, tivemos que ter perseverança e disciplina, e grande parte desta conquista deve-se ao mérito dos nossos esforços. Regozije-se com isso, você é um(a) cidadão(ã) repleto de valores, plenamente capacitado para os novos desafios, sempre motivado a alcançar um propósito.

Meu Norte
Podemos perceber que mesmo aleatoriamente nós quase que planejamos nossa aposentadoria, pois acredite caro leitor, muitos ficaram pelo caminho e estou falando da tua realidade pessoal, de pessoas do teu convívio, não conseguiram. Mas você, hein? Não sei se usou uma fórmula mágica; mas o fato é que chegou, doravante, respeitando as formas distintas da vida de cada um. Mas, é aconselhável termos um norte para cada área de nossa vida: família, espiritual, finanças, carreira, saúde, lazer e social, e adequá-los a este novo momento, planejando cada área, não nos dá garantia de pleno êxito, mas nossa chance de dar tudo certo, aumentará e será muita. Da tua vida, você é personagem e o ator principal, o planejamento é teu e

01

José Marconi
compete a você executá-lo. E você pode estar pensando: “Mas, sempre dei ordens, sempre tinha alguém para fazer isto para mim”. É verdade. Só que os tempos mudaram e o que é melhor para acompanhar os novos tempos, teremos que mudar também. Fico imaginando alguém pré-aposentado, meditando: ”Quando eu me aposentar vou comprar o meu carro para passear.” Bem, aí está um desejo saudável, só que estabelecida a prioridade, avaliaremos o que é imprescindível e o que é irrelevante, por exemplo. “Desejo este bem, mas farreando como estou, bebendo o mundo ou achando que aposentadoria é sinônimo de farra, fazendo isto, vou conseguir o que desejo”? Aí está a virtude do planejamento. Ele nos dá condição de avaliar o que nos dá prazer e o que é pseudofelicidade. Tem gente, e eu conheço alguns, que não sabe viver sem o trabalho, nunca mudou seus interesses, há uma simbiose e o cidadão parece perder sua própria identidade. Você não é sua empresa, o teu sobrenome não é LTDA. Se desprenda dos egos e da vaidade adquirida durante tua vida laborativa. Muitos poucos planejam e menos ainda são os que dão vida aos seus planos. Gosto muito de falar com um bem-sucedido e sábio médico, dr. Marcelo Montorill. E ele me conta que quando acadêmico fazia planos para quinze, vinte anos à frente. Passando o tempo e, conforme a idade vai aumentando, estes anos planejados devem ir diminuindo para oito anos, cinco e assim por diante, porque segundo ele, planejar é importante, mas é primordial dar vida a estes planejamentos. Executar pela excelência de qualidade de vida que leva, conciliando trabalho com as demais áreas de sua vida é digno de quem transmite este ensino. Observamos exemplos de pessoas que sabem enfrentar questões pessoais. O trabalho dá-nos suporte para a vida, mas não é a vida e nem deve ser usado como esconderijo ou área de conforto. Já ouvi muitas vezes colegas, no final do expediente, perguntar: “E você fulano, ainda vai demorar? Pode desligar as máquinas?” E o outro responde: “Vou ficar mais um tempo aqui, pois vou fazer o que em casa? Escutar a mulher e os problemas dos filhos? Preferível é estar aqui”. Já pensou alguém colocar a família em um plano subalterno? Pois, lá fora há vida. Na família, principalmente. Use toda essa dedicação para ultrapassar limites, seja perseverante, permita que sua família veja uma mudança positiva a teu respeito. A Bíblia diz que os conquistadores vivem em inteireza de fé, entende que só vence quem participa por completo. Vitórias ocasionais são fábulas. Sabe aquelas historinhas da criança que atirava a estrela do mar de volta às águas, e do colibri que, com seu biquinho tão 02 pequeno, levava água para apagar o incêndio da floresta? E outros ensinos semelhantes nos aconselham: “faça a sua parte, e há um Deus

Eptiva - Época de Atividade

Capítulo 22
Menopausa climatério

Na igreja tinha uma palestra que era ministrada pela Drª Celimar, e era sucesso na comunidade, sobre a menopausa, onde ela falava sobre o momento que ocorre o último ciclo menstrual da vida da mulher e o climatério, a fase em que os hormônios progressivamente deixam de ser fabricados. Seria a transição entre as fases reprodutiva e não reprodutiva da vida da mulher. A menostasia dá-se durante o climatério, que ocorre naturalmente ao longo da vida das mulheres. O processo tem início quando os ciclos menstruais se tornam irregulares, até cessarem completamente. Nesse período, ocorrem alterações, a menopausa ocorre entre os 45 e os 55 anos de idade, em média aos 50 anos.

Sintomas
Calor, depressão e irritabilidade, diminuição das mamas, suores intensos, suores noturnos podem aparecer a qualquer hora e, muitas vezes, são tão desagradáveis que chegam a interferir nas atividades do dia a dia. Alterações do humor, sintomas emocionais, tais como ansiedade, depressão, fadiga, melindre, perda de memória e insônia devido às alterações hormonais, as tonturas e palpitações. Menor lubrificação vaginal causa dor e desconforto durante as relações sexuais, os ossos ficam mais porosos e frágeis, aumento do risco de fraturas, aumenta as gorduras que circulam no sangue, os sintomas podem ser tratados sob a orientação médica, com a terapia de reposição hormonal, através de medicação oral, parenteral e injetável. Cabe ao médico indicar a melhor forma de tratamento. É mito que o tratamento de reposição hormonal faz crescer pelos, engorda e causa câncer. Como venho falando em todo o livro: beba bastante água, principalmente após exercícios físicos.

01

José Marconi

Capítulo 23
A andropausa
A andropausa e a reposição hormonal masculina
Muito já se conhece e se comenta sobre a menopausa e os processos característicos dessa fase na mulher. Porém, no que se refere aos homens, que costumam ser mais negligentes em relação à saúde, à exceção dos metrossexuais, pouco se comenta sobre a sua “menopausa”, denominada “andropausa”. O correto não seria nem “menopausa masculina”, nem “andropausa”, mas sim "deficiência androgênica progressiva do envelhecimento masculino", em inglês é Padam (partial androgen deficiency of the ageing male) é quando acontece a diminuição progressiva das taxas de testosterona no homem. É comum ocorrer aumentos na proporção de gordura corporal, diminuição da massa muscular, tendência à anemia e osteoporose, diminuição do desejo sexual e outras coisas pertinentes. A testosterona é o hormônio masculino mais importante antes e logo após o nascimento no indivíduo do sexo masculino, produzido nos testículos e estimulado por hormônios da glândula hipófise, o hormônio masculino desempenha importante papel durante a puberdade. Durante a vida do homem, a testosterona colabora com a manutenção da massa muscular, do tecido ósseo e acredita-se que influencie, ainda, para a boa saúde e bom humor.

Reposição hormonal
Desde que o homem começou a perceber que envelhecia, iniciou-se a procura incansável pela fonte da juventude. Talvez o mais próximo que você pode chegar da sua fonte da juventude é o hormônio de crescimento humano. A reposição deste hormônio tem sido usado no combate à velhice. Com isso, a reposição hormonal (até pouco tempo, exclusividade das mulheres), passou a se tornar cada vez mais comum entre os homens. O tratamento costuma ser realizado de quatro formas: via intramuscular, por adesivos e gel, via oral (cápsulas ou comprimidos) e

02

Eptiva - Época de Atividade
via subcutânea. Se comparado com as mulheres, o número de homens que recorrem à reposição hormonal ainda é muito pequeno. Porém, da mesma forma como ocorre com as mulheres, o tratamento para os homens deve depender de uma avaliação e acompanhamento médicos, levando-se em conta seus prós e contras, para que os benefícios sejam otimizados.

01

José Marconi

Capítulo 24
Campo de força

Estamos em um tempo que os olhos do mundo convergem para o oriente e de lá vem a lenda que, escondido nas íngremes montanhas do Himalaia, encontra-se um segredo que pouparia ao famoso espanhol Leon, anos de procura infrutífera. Lá, as gerações de monges tibetanos passaram adiante uma série dos exercícios que teriam propriedades rejuvenescedoras. Conhecidos como os ritos tibetanos do rejuvenescimento, os benefícios para os praticantes incluíram aumento de energia, perda do peso, memória melhor, o crescimento novo do cabelo, redução da dor, melhor digestão e a sensação de simplesmente se sentir mais jovem. Como? Veremos a seguir.

Reequilibrando
Sobre o freio de mão do tempo, existe um conto que é muito difundido na internet a respeito de um inglês, apelidado de coronel Bradford. Ele teria descoberto os segredos para retardar o envelhecimento, em um mosteiro do Tibet: teria saído velho quando foi para esse mosteiro, e retornado um jovem. Ele explica que a fonte da juventude está dentro de cada um de nós e pode ser colocada em funcionamento excelente, através de cinco tipos de exercícios. O corpo humano possuiria sete centros principais de energia, correspondentes às sete glândulas endócrinas. Os sete centros de energia do corpo poderiam ser chamados de vórtices. Os hindus os chamam de chacras. Tratar-se-ia de poderosos campos elétricos girantes. Cada um desses sete vórtices centrar-se-ia em uma das sete glândulas do sistema endócrino e estimularia sua respectiva produção de hormônio. São esses hormônios que regulariam todas as funções corporais, incluindo o processo de envelhecimento. O primeiro vórtice, o mais

02

Eptiva - Época de Atividade
baixo, tem seu centro nas glândulas reprodutoras. O segundo centrase no pâncreas, na região abdominal. O terceiro tem como centro a glândula suprarrenal, na região do plexo solar. O quarto vórtice centrase na glândula timo, na região do coração. O quinto, na tireóide, no pescoço. O sexto tem como centro a glândula pineal, situada na parte posterior da base do cérebro. E o sétimo vórtice tem seu centro na glândula pituitária, que fica na parte anterior da base do cérebro. Segundo os monges, num corpo humano saudável, todos esses sete vórtices giram a uma grande velocidade, permitindo que a energia vital, também chamada de "prana" ou energia "etérica", flua de baixo para cima por intermédio do sistema endócrino. Mas, se um ou mais desses centros começa a diminuir a velocidade de rotação, o fluxo da energia vital fica inibido ou bloqueado e disso resultaria o envelhecimento ou a doença. Num indivíduo jovem, esses vórtices estendem-se para fora do corpo, mas nos velhos, fracos e doentes, eles mal conseguem atingir a superfície do corpo. O modo mais rápido de se recuperar a saúde, vitalidade e juventude, é fazer esses centros de energia voltarem a girar normalmente. Existem cinco exercícios simples para tal finalidade. Qualquer um deles, sozinho, já é bom, mas os melhores resultados são alcançados quando se praticam todos eles. Esses exercícios não são para serem entendidos como ginástica. No início o autor recomenda iniciar cada rito com repetições de apenas três vezes e ir aumentando diariamente; o máximo de repetições seriam 21 vezes por dia, podendo serem feitas pela manhã ou à noite, o que for mais conveniente. Tal prática promete melhorar a aparência, recuperação da memória, além de proporcionar o alívio para males crônicos (sinusite, artrite, má digestão). Esse exercício tem influência na coluna vertebral: AÇÃO 1 - Tudo o que você tem a fazer é ficar em pé, ereto, com os braços estendidos para os lados, na horizontal. Em seguida, gire de um lado a outro até ficar um pouco tonto. Lembre-se! É importante começar a girar partindo da esquerda para a direita. AÇÃO 2 - estimula ainda mais os sete vórtices. Ele também é muito simples. A pessoa fica deitada de costas, no chão, sobre um tapete ou qualquer outro forro macio. Uma vez deitada de costas, estenda os braços ao longo do corpo e vire as palmas das mãos para o chão, mantendo os dedos fechados. Então, erga a cabeça do chão, encostando o queixo no peito. Ao mesmo tempo, vá levantando as pernas, com os joelhos retos, até ficarem na vertical. Se possível, deixe as pernas descerem para trás, ficando sobre a cabeça, mas não dobre os joelhos. Depois,

01

José Marconi
vagarosamente, abaixe a cabeça e pernas, mantendo os joelhos firmes, até voltar à posição inicial. Deixe os músculos relaxarem e depois repita. Ao repetir, vá estabelecendo um ritmo mais lento em respiração. AÇÃO 3 - Incline a cabeça para frente, até o queixo tocar o peito. Depois, atire a cabeça para trás, o máximo possível e, ao mesmo tempo, incline-se para trás, o máximo possível, arqueando o corpo. Nesse movimento, você se escorará nas mãos que se apoiam nas coxas. Feito isso, volte à posição original e comece de novo a Ação. Como na Ação 2, você deve estabelecer uma respiração ritmada. Inspire profundamente quando arquear a espinha e exale ao voltar à posição ereta. A respiração profunda é extremamente benéfica, por isso encha os pulmões, o máximo que conseguir. AÇÃO 4 - Primeiro sente-se com as pernas estendidas para frente, deixando uma distância de uns quarenta centímetros entre os pés. Mantendo o corpo ereto, coloque as palmas das mãos no chão, voltadas para frente, ao lado das nádegas. Depois, incline a cabeça, fazendo o queixo tocar o peito. Em seguida, incline a cabeça para trás o máximo possível. Ao mesmo tempo, erga o corpo de modo que os joelhos dobrem enquanto os braços permanecem retos. O tronco e as coxas deverão ficar retos, horizontalmente em relação ao chão; os braços e as pernas estarão em posição perpendicular ao chão. Então, tente em posição inicial e descanse antes de repetir o exercício. Uma vez mais, a respiração é importante. Inspire profundamente ao elevar o corpo, segure a respiração durante a tensão dos músculos e exale completamente quando voltar à posição inicial. Continue respirando no mesmo ritmo no intervalo das repetições. AÇÃO 5 - Deite-se de bruços no chão. Em seguida, erga o corpo, apoiando-se nas palmas das mãos e dedos dos pés, que deverão ficar flexionados. Durante toda a Ação, mantenha uma distância de cerca de 50 centímetros entre os pés e entre as mãos. Mantendo pernas e braços retos, arqueie a espinha e leve a cabeça para trás, o máximo possível. Depois, dobrando-se nos quadris, erga o corpo até ele ficar como um "V" invertido. Ao mesmo tempo, encoste o queixo no peito. Volte à posição inicial e repita. O ritmo talvez pareça difícil, mas após uma semana de prática, você vai considerá-lo um dos mais simples. Quando estiver executando com destreza, tencione os músculos por um instante, tanto no ponto mais alto como no mais baixo. E, ao abaixar o corpo, procure encostá-lo de leve no chão. Siga o mesmo padrão de respirações profundas e lentas que nós usamos na outra Ação. Inspire ao erguer o corpo e exale quando o abaixar.

02

Eptiva - Época de Atividade

Capítulo 25
Meu vício é você

Não se trata aqui de falso moralismo, mas um alerta dos malefícios de algumas condutas tidas como sociais.

Álcool e longevidade
Há pessoas que não têm ressaca. Elas não bebem. Um japonês de 111 anos, recém-nomeado como o homem mais velho do mundo pelo Guinness, afirmou que deve sua longevidade a uma vida sem álcool. "Não bebo [álcool]. Esta é a maior razão para minha boa saúde". Influências externas, a longo prazo, irão influenciar na sua velhice e na forma como irá envelhecer. Reflexos de sua alimentação, do seu sono, do ar que respira, do ambiente em que vive e da sonoridade. O envelhecimento pode ser resultante de todas as tensões que o corpo humano sofre durante a existência. O homem também envelhece em função de outros fatores: biológicos, traumáticos, infecciosos, metabólicos, afecções nervosas, endócrinos e intoxicações por produtos químicos, encontrados na nossa vida diária. O consumo de álcool, produto baseado no etanol, tem efeitos variados no corpo. Entre indivíduos mais velhos há uma diminuição da tolerância ao álcool, devido a um aumento da sensibilidade do sistema nervoso central ao efeito depressor do mesmo. O alcoolismo demonstra um envelhecimento mental em todas as idades cronológicas. O consumo do álcool também está associado com a hipertensão e um crescimento de acidentes cérebro-vasculares. O acúmulo de tudo o que o indivíduo viveu, a forma como ele organizou sua qualidade de vida, os níveis de estresse a que se acha submetido, a maneira como ele dorme, sua alimentação associada a uma falta de regularidade de práticas de atividades físicas e de lazer são fatores que irão influenciar como esse indivíduo chegará à sua velhice e a maneira como ele poderá saber viver essa nova fase de vida. Pois, chegou a nossa vez e, na verdade, eu continuava com o

01

José Marconi
mesmo pensamento.

A fé e a longevidade
A igreja, em suas múltiplas funções, pode levar o homem através de Cristo até o Deus. Também incentiva e intermedia o aprendizado de artes, música, poesia e estudo. E incentiva mesmo, pois é muito comum no meio da igreja, ver adultos maduros, reconsiderando e recomeçando os estudos. Da alfabetização até a universidade. Como a Unate, voltada para a terceira idade. Se bem que você vai se surpreender quando entrar em qualquer faculdade pública ou privada. Em sala de aula é altíssima a participação de acadêmicos da terceira idade. Aconteceu comigo. Voltei a estudar e não parei mais. Estou sempre buscando um novo curso. E tá me fazendo um bem tremendo. Estou cada vez mais ávido. E posso lhes assegurar que não sou só eu. As universidades sabem que hoje o Brasil tem 17 milhões de brasileiros numa faixa de idade madura.

Relação entre religiosidade e longevidade
As relações sociais que se criam nas igrejas podem afetar positivamente na longevidade de um indivíduo que busca ajuda nos companheiros de cultos. Pesquisas anteriores sugeriram que um maior envolvimento com a religião está associado com uma maior saúde física e mental. Este envolvimento estaria relacionado às atividades como cantar, interagir com outros membros da religião, ouvir os sermões, etc., o hábito de cultivar amizades ou relações sociais com companheiros de culto.

Fumo e longevidade
“Quem vê cara não vê coração", diz o ditado popular, totalmente verdadeiro no caso do cigarro. A maioria dos fumantes não imagina que as consequências do fumo sobre o aparelho circulatório são devastadoras. Ao dar uma tragada, há um imediato aumento dos batimentos cardíacos, elevação da pressão arterial e constrição dos vasos, o que obriga o coração a exercer maior esforço para bombear o

02

Eptiva - Época de Atividade
sangue. Com o tempo, eleva-se a probabilidade de desenvolvimento de doenças coronarianas, como angina, infarto, derrame, espasmo, arritmia cardíaca e morte súbita. Não é demais lembrar que quase todas as pessoas com até 35 anos, que sofrem infarto, são fumantes. “A quantidade de cigarros consumidos e os anos que a pessoa levou fumando vão determinar a frequência e a extensão desses males; o risco de desenvolvimento de uma doença cardiovascular em fumantes é igual para homens ou mulheres”. Quando se para de fumar, o risco de infarto decresce rapidamente nos primeiros cinco anos, caindo 50% logo no primeiro ano. Para quem consumia menos de 20 cigarros diários, a chance de infarto se iguala a de não-fumantes no final de 10 anos. Porém, para os fumantes de mais de 20 cigarros por dia, serão necessários 15 anos de abandono do vício para ter as mesmas chances de uma pessoa que nunca fumou.

Preservação da voz
Abandonar o cigarro é um grande passo para evitar doenças relacionadas ao tabagismo, tais como câncer (da boca, da faringe, da laringe, do esôfago, do pâncreas, do estômago, do rim e da bexiga), derrame cerebral (acidente vascular), úlcera péptica e osteoporose. De um modo geral, pode-se afirmar que o cigarro diminui a expectativa de vida. Mais saúde para os filhos. Filhos de pais fumantes têm a mesma chance de desenvolvimento das doenças relacionadas ao tabaco. Em gestantes, as substâncias tóxicas do cigarro passam do pulmão para o sangue, daí para a placenta, lesando-a, e vão parar no feto e para o bebê, que recebe menos oxigênio, com a possibilidade de nascer com peso inferior ao normal. Pele bonita e viçosa por mais tempo. Se você sonha com isso, é bom abandonar já o cigarro. A oxigenação dos tecidos é prejudicada pela nicotina, um dos muitos venenos presentes no cigarro (são mais de 4 mil substâncias tóxicas, entre as quais, quarenta cancerígenas). Como consequência, é acelerada a destruição do colágeno, fibra que dá sustentação à pele e o resultado é a flacidez e a formação precoce de rugas. Além disso, o cigarro rouba a vitamina C do organismo, ajudando na formação dos radicais livres, moléculas de oxigênio que "enferrujam" as células e, entre outros males, são responsáveis pelo envelhecimento do corpo.

01

José Marconi
Redescoberta dos prazeres do paladar e do olfato
Um cigarro antes do jantar, um outro enquanto espera a sobremesa e mais um após o cafezinho. Será que você notou como estava saboroso aquele assado ou sentiu o delicioso aroma de frutas daquela torta? O fumo e a alta temperatura da fumaça alteram o funcionamento das papilas gustativas e o mecanismo do olfato, diminuindo a capacidade de distinguir cheiros e sabores. Saiba que 48 horas após o abandono do cigarro já dá para sentir mais prazer à mesa. Inclusive, o cigarro tem função inibidor de apetite.

Recuperação do fôlego
Com apenas 8 horas sem fumar, a quantidade de monóxido e dióxido de carbono presentes na corrente sanguínea cai a níveis normais e o volume de oxigênio sobe proporcionalmente. Resultado: em cerca de 50 horas, um ex-fumante já terá mais facilidade para caminhar e em três meses poderá subir dois lances de escada sem ficar ofegante. A fumaça do cigarro leva para o interior do pulmão substâncias altamente tóxicas como butano, benzeno, metropeno (inseticida), amônia, polônio 210 (lixo nuclear) e acetona. São mais de 4 mil substâncias, 40 das quais comprovadamente cancerígenas. os fumantes têm pulmão mais vulnerável a infecções e, portanto, estão sujeitos a mais resfriados, gripes, bronquites, pneumonias e até tuberculose. Taí um passatempo que tem aposentado a pessoa precocemente.

Como parar de fumar?
Você sabe da estória do domador? Bem, pense em um grande animal, um desses grandões e de preferência mamífero como nós. Bem podia ser uma baleia, mas vamos pensar em um na terra, paquiderme ruminante; que tal um elefante, dez toneladas. Grande não? Parece que sim, pois é, no mínimo, 100 vezes o tamanho do homem. E chega este indivíduo 100 vezes menor e diz a este animal enorme senta, deita, anda, fica, sobe, desce e se for necessário, ele, o pequeno homem, vai usar outros artifícios, mecanismos, ferramentas, seja lá o que for necessário, mas no final que o elefante vai obedecer, isso, vai, por bem ou por mal, e em última instância, o homem o mata.

02

Eptiva - Época de Atividade
Pois bem, o homem mostrou aí sua soberania sobre alguém infinitamente maior, mais forte e segundo pesquisa, um animal de grande memória, portanto um bom cérebro. Agora vem aí um trocinho pequeno, mal cheiroso, mil vezes menor que o valente homem, que se for preciso mata até elefante, leão e deixa-se dominar por um produto tão pequenininho. Afinal, o grande aqui é você. Vai lá, mostra pra ele. Hei!! O que é que você pensa que está fazendo? Deixa o elefante quieto. É para matar o cigarro. Aí, tá certo. Até o momento, não foi descoberta uma receita miraculosa para vencer a dependência do cigarro. Entretanto, os médicos costumam dizer uma frase que soa como mágica: "Se milhares de pessoas conseguiram parar de fumar, você também é capaz!". O importante é tentar. Quantos anos ganham quem adota hábitos saudáveis. Quem já não se viu diante daquela situação, que pode ser agradável ou muito constrangedora, quando alguém pergunta a sua idade e, diante da resposta, usa a frase enigmática: "Não parece!". O "não parece" é uma demonstração empírica de que cada idade tem contornos mais ou menos definidos. Tanto a aparência quanto a qualidade do organismo podem sofrer alterações de muitos anos em razão de condutas determinadas, de forma que não faz sentido, apenas, o que indicam os documentos de uma pessoa. Entra em cena, com uma força enorme, o tipo de vida que leva essa pessoa. O organismo não está preparado para sofrer mudanças radicais nessa viagem etária. Alguns anos a mais ou alguns anos a menos, são razoáveis e perfeitamente explicáveis. “Estar jovem é ter um organismo saudável, é ter um bom recheio. A boa aparência faz com que as pessoas rejuvenesçam biologicamente. A falta de exercícios é prejudicial. O envelhecimento pode ser muito melhor para quem cuida de si próprio”.

01

José Marconi

Capítulo 26
O sono

Sono e longevidade
Uma atitude de busca na promoção da saúde é dormir bem. As pessoas que não dormem o suficiente sentem falta de energia para as tarefas diárias, ficam deprimidas ou irritadiças, queixam-se de dificuldade de concentração, apresentam maior frequência de doenças infecciosas e envelhecem mais rapidamente. Dormir no horário, além de ser um hábito mais saudável, pode influenciar no aumento da longevidade. Uma má notícia para aqueles que viajam constantemente para outros países e mesmo aqueles que não possuem uma noite de sono regrada. Mudanças frequentes de fuso horário ou o trabalho em turnos irregulares podem afetar a saúde humana.

O que é e para que serve o sono?
Passamos, basicamente, cerca de um terço de nossa vida dormindo. Muito, em relação ao tempo em que passamos acordados e, muita gente ainda reclama que dorme pouco, não dormiu bem, passou a noite em claro, etc. Dormir é essencial, não apenas para ficar acordado no dia seguinte, mas para manter-se saudável, melhorar a qualidade de vida. O processo do sono é regido por um relógio biológico ajustado num ciclo de 24 horas. Os ponteiros desse mecanismo são moldados geneticamente e sua sincronia depende de fatores externos, como iluminação, ruídos, odores, hábitos, tipo de colchões, vida social, entre outros. A melatonina, hormônio produzido no cérebro pela glândula pineal, começa a ser secretado assim que o sol se põe como um aviso para o organismo se preparar para dormir. Quando o processo tem início, a temperatura cai de 1 a 2ºC e a pressão arterial também sofre uma leve queda. Daí, ao primeiro cochilo é um piscar de olhos. Através

02

Eptiva - Época de Atividade
de pesquisa, em 1953, descobriu-se a existência de uma fase de sono profundo, justamente quando sonhamos. Hoje, já se sabe que o sono divide-se em cinco fases, repetidas em ciclos, durante a noite. Nosso desempenho físico e mental está diretamente ligado a uma boa noite de sono. O efeito de uma madrugada em claro é semelhante ao de uma leve embriaguez: a coordenação motora é prejudicada e a capacidade de raciocínio fica comprometida. Sem o merecido descanso recomendado, o organismo deixa de cumprir uma série de tarefas importantíssimas. Durante o sono profundo, as proteínas são sintetizadas em grande escala. Isso tem o objetivo de manter ou expandir as redes de neurônios ligadas à memória e ao aprendizado. Nesse processo, o cérebro comanda a produção e a liberação de hormônios, como a melatonina e o próprio hormônio do crescimento. Este garante ao indivíduo longevidade com maior jovialidade. Também regula os níveis de outras substâncias responsáveis pela regeneração de células e cicatrização da pele.

01

José Marconi

Capítulo 27
As cinco fases do sono

02

Conhecendo as cinco fases do sono: 1ª fase - é a do adormecimento. Essa fase pode durar até 15 minutos e ocupa de 5% a 8% da noite de sono. É uma zona intermediária entre estar acordado e dormindo: a tensão muscular diminui, a respiração fica suave e os pensamentos do mundo desperto flutuam pela mente. 2ª fase - de um sono mais leve. A temperatura corporal e os ritmos cardíaco e respiratório diminuem ainda mais. Essa fase ocupa de 45% a 55% do tempo total do sono, durando cerca de 20 minutos. Nessa fase, a pessoa cruza definitivamente o limite entre estar acordada e dormindo, já não responde a um estímulo. 3ª fase - o corpo começa a entrar no sono profundo. As ondas cerebrais tornam-se grandes e lentas. É uma fase rápida. Dura cerca de dez minutos por ciclo, o que corresponde a uma média de 5% do tempo na cama. 4ª fase - é a do sono profundo, onde o corpo se recupera do cansaço diário. Essa fase é fundamental para a liberação de hormônios ligados ao crescimento e para recuperação de células e órgãos. Dura cerca de 60 minutos, não mais que 20% da noite. A pessoa fica totalmente inconsciente. 5ª fase e última - o sono REM (Rapid Eye Movement) - a atividade cerebral está a pleno vapor e desencadeia o processo de formação dos sonhos. Os músculos ficam paralisados, as frequências cardíaca e respiratória voltam a aumentar e a pressão arterial sobe. É o momento em que o cérebro faz uma espécie de faxina geral na memória. Fixa as informações importantes captadas durante o dia e descarta os dados inúteis. Durante o REM, os músculos longos do tronco, os braços e as pernas estão paralisados, mas os dedos das mãos e dos pés podem contrair-se, o fluxo sanguíneo em direção ao cérebro aumenta e a respiração fica mais rápida e entrecortada. REM é a fase dos sonhos vividos. Se a pessoa for acordada aqui, provavelmente recordará fragmentos de suas fantasias. Depois de 10 minutos de REM volta-se a descer às fases de sono quieto. Nas primeiras horas da noite predomina o REM. Pela manhã, percorre-se de quatro a cinco vezes o circuito do sono completo. A falta de sono crônica pode ter um impacto negativo nas funções metabólicas e endócrinas. Portanto, durma bem. Ou como diria Isaque (10 anos),

Eptiva - Época de Atividade
filho do Pr. Djair e Edna, um casal amigo: “Uma boa noite com Jesus”.

Modulando
Dentro do padrão de excelência de qualidade de vida, por mim preconizado, tenho eu, um item, que pra mim é de significativa importância: é a moderação. Cuidado para não fazer como algumas pessoas que quando escutam: “Beba com moderação”, saem procurando um companheiro de pinga com este nome, não é isto. É natural que com o passar dos anos, problemas, e alguns de saúde, venham ao aposentado. O nosso comportamento cotidiano deve ser de forma que não venha contribuir adicionalmente para situações de risco. Nosso viver, ao contrário, deve atenuar toda probabilidade de ser acometido por acidentes e doenças. Um vizinho nosso, Sr. Isaías, oficial reformado, é um exemplo dessas pessoas ativas e produtivas, buscando sempre ser útil para ele, para sua família e para os seus vizinhos e amigos, mas sempre moderadamente. Vez por outra em suas visitas frequentes aos amigos, sempre indaga: “E aí, tá tudo bem, está precisando de algo”. E então, serviço é o que não falta. Tem um oficial reformado da Aeronáutica, Toscano, na verdade são dois Toscanos, ambos ativos, desde que foram para a reserva sempre buscando servir e disponibilizando suas capacidades e habilidades adquiridas ao longo de sua carreira militar, inclusive, voltando a estudar. Não é uma felicidade? Assim, sempre dosando e adequando a seu próprio ritmo os desafios que surgem, se interagem com crianças, jovens e adultos, construindo a cada dia uma aposentadoria digna de ser vivida, sendo adepto do amor voluntário, como ensina o capítulo 13 de Coríntios, fazer o outro feliz, e faça isto naturalmente. Mas, existem leis próprias a respeito e saiba que, como para cada ação tem uma reação, entendo que o bem empregado é investimento que, espontaneamente, virá até você em retribuição. MEU VELHO AMIGO Eis que ressurge noutro o velho amigo. Nunca perdido, sempre reencontrado. É bom sentá-lo novamente ao lado Com os olhos que contêm o olhar antigo Sempre comigo um pouco atribulado E como sempre singular comigo.... (Vinícius de Moraes)

01

Eptiva - Época de Atividade

Capítulo 28
Participação do aposentado
Na Política
É comum se encontrar, na imprensa brasileira, comentários e análises que afirmam que os adolescentes podem vir a decidir as eleições. Já tá chegando a eleição de novo. Entretanto, pouco se fala da população com mais de 60 anos, que já soma mais de 14,5 milhões de eleitores, número 260% maior que o de adolescentes. Apenas na faixa entre 60 e 69 anos, nos grupos de Zaquen, que é obrigado a votar, existem mais de 8 milhões de eleitores, o dobro dos adolescentes votantes. A julgar pelas promessas de campanha ou os programas partidários, os idosos parecem interessar pouco aos candidatos, apesar do crescimento da sua participação na economia do país. Os Zaquen, por sua vez, ainda não se conscientizaram da força política que têm nas mãos.

Na economia familiar
Zaquen participa, sim, da renda familiar. O vinho é visto dessa forma: quanto mais velho, melhor. Mas, em se tratando de seres humanos Zaquen, a metáfora do vinho não tem sentido pleno, já que, erroneamente, a população idosa é tratada como se fosse um peso social. Ainda em relação à metáfora, o que prevalece, no caso dos Zaquen, é o sentido de que, quanto mais velhos, mais dispendiosos serão para a sociedade e para o Estado. Da mesma forma que, quanto mais velha uma garrafa de vinho, maior o seu preço. O Zaquen participa com 53% no orçamento da família, provando a força de seu trabalho e impulsionando o país. Os Zaquen são produtivos, sim. Nas zonas rurais, homens e mulheres, mantidos pela agricultura, trabalham a vida toda. E vi isto de muito perto. Aprendi conversando de onde vem o feijão que está no meu prato. Nas atividades informais também. É grande o número de famílias chefiadas por pessoas acima de 50 anos. O Zaquen é um fator de equilíbrio social e não uma carga. A maior parte dos produtos vendidos para Zaquen está mais associada à incapacidade de locomoção e à condição física limitada, do que ao crescimento desse grupo etário no mercado consumidor, com exceção dos fármacos e o dos seguros de vida. A maior parte dos produtos direcionados à terceira idade, ainda é associada a alguma deficiência.

01

Eptiva - Época de Atividade

Capítulo 29
Fazer valer a pena

“Começar de novo.... Vai valer a pena!”
Começar de novo e contar comigo, vai valer a pena ter amanhecido. A ter me rebelado, ter me debatido, ter me machucado. Ter sobrevivido, ter virado a mesa, ter me conhecido, ter virado o barco Ter me socorrido. Começar de novo e só contar comigo Vai valer a pena, ter amanhecido. Começar de novo. Simone E por falar em música, a música integra, remete-nos a um passado saudoso e por vezes prazeroso. Mexe com nossas emoções e sentimentos, nos ajuda nos relacionamentos, sociabiliza, diverte e faz sorrir. Com a aposentadoria, temos a oportunidade de aflorar os dons musicais enrustidos, podemos arriscar e nos candidatar a sermos coralistas de um coral público, do Sesc, da igreja, da rua, enfim, vai ser uma conquista. Solta esta voz, enche o peito e dá aí um dó maior. Você ainda há de encantar muita gente. Nas muitas lutas do dia a dia, nas árduas jornadas, fomos potencializados ou desbastados? Ainda nos lembramos do que somos feitos ou nos acomodamos no que achamos que a vida fez com a gente? Começar de novo. Entre o final e o início de uma experiência na vida, de uma relação de trabalho, afetiva, enfim. É quase inevitável que a gente não pronuncie a frase acima, pois até mesmo em pensamento, ela sugere isto: a repetição de tudo o que se fez. Começar de novo significa a oportunidade de fazer algo a mais, de realizar sonhos, de fazer a diferença. Renovar, aperfeiçoar em cima da segurança de quem já trilhou aqueles caminhos, estimulado pelas realizações pessoais e profissionais, familiares, servindo-se dos erros, da observância de valores.

01

José Marconi
Traçamos novos objetivos, revendo conceitos e atitudes, afinal estamos começando de novo, meu privilegiado aposentado. Você já observou? Vai melhorando a condição financeira e a gente vai criando ilhas dentro de nossa casa, é só ter uma folguinha, e o que a gente compra? Um TV para o quarto do casal, outro pra filha. Mais um para a secretária lá atrás. Um computador só do pai e outro nos quartos onde as crianças se trancam. É uma beleza, ninguém incomoda ninguém. Pudera, mal se veem. Melhor é ser uma família que ter frações dela. Nada a compartilhar. O abençoado trabalha embarcado nessas empresas petrolíferas, passa dias enclausurado ou confinado, como se chama, e quando chega em casa, vai direto para onde? Para o quarto! Quer privacidade, pois lá é sua ilha particular com frigobar e mais. Se este for seu caso, acho que tá na hora de espalhar faixas de livre acesso para os maiores e melhores presentes: tua família. Fazemos parte da geração de revolucionários. Contemple quanta coisa você já mudou para melhor na sua vida e na vida de pessoas próximas e outras que você pouco conhecia. Atenção! Lembrese de anotar seus sucessos e contribuições significativas. Faça uso desta máxima: “Eu sou parte das soluções do mundo”. Os conselhos do dr. Farias, no ensino do bolso furado, seria discernir aquilo que vem em nossa direção. Situações, alegrias, problemas, e devemos saber distinguir se guardaremos ou colocaremos em um bolso furado, dandolhes o destino propício. No bolso de entrada, dê preferência a mensagens otimistas, acalentadoras, promissoras e de bem com a vida. Já no que se refere ao bolso furado, coloca ali todos os pessimismos e desalentos, procure reservar uma parte nobre de seus dias para ser um catalisador dos princípios éticos, morais e cristãos, purificando os atos cotidianos, remindo seu tempo com princípios de incentivo, esperança, afeto, consolo, amor ao próximo, alto astral e amizade, humanismo e fraternidade. Viva um dia de cada vez, contanto que o viva plenamente. “A vida só pode ser compreendida olhando-se para trás, Mas só pode ser vivida, olhando-se para frente”. Autor desconhecido

Poesia

02

Eptiva - Época de Atividade
Não precisa chorar arrependido pelas besteiras consumidas nem parvamente acreditar que por decreto de esperança, a partir de janeiro, as coisas mudem e seja tudo claridade, recompensa, justiça entre os homens e as nações, liberdade com cheiro e gosto de pão matinal, direitos respeitados, começando pelo direito augusto de viver.... Eu sei que não é fácil, mas tente, experimente, consciente. Carlos Drummond de Andrade

“Andando o tempo os homens se olham nos espelhos e não se veem”. Autor desconhecido

“As rugas do Zaquen são bonitas Porque foram sulcadas pelo sorriso; As rugas do velho são feias Porque foram vincadas pela amargura”.
Jorge R.Nascimento

01

José Marconi

Capítulo 30
Hoje: presente de Deus

Parece que foi ontem I
Eu daria tudo que tivesse.... Pra voltar aos tempos de criança (música) O nosso calendário tem amanhã, mas estamos aqui. Portanto, teve ontem e como foi bom. E eu ainda não me acostumei. Estamos vivos. Isso é um milagre! Nós viajávamos em carros sem cintos de segurança ou airbag. Não tivemos nenhuma tampa à prova de crianças em vidros de remédios, portas ou armários, e andávamos de bicicleta alugada e sem capacete, sem contar que pedíamos carona. Pegava morcego e nossa prancha na praia de Areia Preta era de compensado, aglomerado ou isopor. Bebíamos água direto da mangueira e nos riachos, e não da garrafa, ou em copos descartáveis. Nós gastávamos horas construindo nossos carrinhos de rolimã para descer ladeira abaixo, lá na Praça da Santa Cruz da Bica e aí descobríamos que tínhamos esquecido dos freios, depois de colidir com algumas árvores, então, aprendíamos a resolver o problema, espremendo nossa própria chinela. Saíamos de casa pela manhã e brincávamos o dia inteiro. Haja pé de manga, azeitona, goiaba e o que é pior, comíamos estas frutas quentinhas, do jeito como estavam. Só voltávamos quando se acendiam as luzes da rua. Ninguém podia nos localizar. Não havia telefone celular. Nós quebramos ossos e dentes, e não havia nenhuma lei para punir os culpados. Eram acidentes. Ninguém para culpar e processar, só a nós mesmos. Nós tivemos brigas e esmurramos uns aos outros e aprendemos a superar isto. A amizade continuava a mesma... Ou melhor, robustecíamos. Nós comiámos doces e bebíamos refrigerantes, mas não éramos obesos. Estávamos sempre ao ar livre, correndo e brincando. Compartilhamos garrafas de refrigerantes, ninguém pegou herpes e ninguém morreu por causa disso. Não tivemos playstations, nintendo, videogames, canais a cabo, filmes em vídeo, surround sound, celular,

02

Eptiva - Época de Atividade
computadores ou internet. Tínhamos o rádio, felizmente. Aos domingos, as matinês com aqueles filmes preto e branco, no Cine REX. Nós tivemos amigos. Nós saíamos e os encontrávamos. Íamos de bicicleta ou caminhávamos até a casa deles e batíamos à porta. Imagine tal coisa! Sem pedir permissão aos pais... Por nós mesmos! Lá fora, no mundo cruel! Sem nenhum responsável! Como fizemos isso? Nós corremos, brincamos e inventamos jogos com varas e bolas improvisadas, apanhamos do chão e comemos frutas caídas e, embora nos tenham dito o que aconteceria, nunca passamos mal ou tivemos dor de barriga para sempre, ou uma contaminação fatal. Nos jogos da escola, nem todo mundo fazia parte do time. Os que não fizeram, tiveram que aprender a lidar com a frustração... Alguns estudantes não eram tão inteligentes quanto os outros. Eles repetiam o ano. Que horror! Não inventavam testes extras nem aprovação automática. Éramos responsáveis por nossas ações e arcávamos com as consequências. Não havia ninguém que pudesse resolver por nós. Tivemos a sorte de crescer como crianças. E sabe do que mais? Nós tivemos amigos, passávamos blondor com parafina no cabelo, nos cortamos fazendo carrinhos de lata de óleo e estes cortes era um segredo de estado. Ninguém, incluindo aí os pais, podia ver. Cicatriz dava status. Éramos como práticos ortodônticos, pois arrancávamos nossos próprios dentes de leite. Fizemos exame de admissão e nossas provas tinham cheiro de álcool. No intervalo brincávamos de estátua, queimada, esconde-esconde, amarelinha e tica. Pulava elástico e tomávamos banho de bica, na chuva. Quando voltávamos do colégio para casa, o conga ficava com um cheiro. Fazíamos nossos próprios adereços, pulseiras, brincos, colares. Engolimos chiclete, se levávamos uma pancada, o remédio era cerveja preta. Para escrever um texto era numa Olivetti pesadíssima. E em nenhum de nós se desenvolveu doença por esforço repetitivo. Ô vidinha mais ou menos de bom rapaz. Dá uma conferida nas coisas do tempo de Meu Pé de Laranja Lima.

Retrospectiva de trivialidade
Você lembra do walkman AM/FM amarelo à prova d'água. Assistiu Tom e Jerry, que tinha aquela mulher que só aparecia as pernas dela com meias de listras vermelhas e amarelas. Viu a Formiga

01

José Marconi
Atômica, Zorro e Tonto e o Túnel do Tempo, Jeannie é um Gênio, Sítio do Pica-Pau Amarelo, Bozo e Vovó Mafalda, o Papai Papudo. Armação Ilimitada, Chacrinha, o Bolinha, o Ted Boy Marino e Alf, o Eteimoso, Rin-Tin-Tin, Jerry Lewis e do Trinity, o Homem de 6 Milhões de Dólares e a Mulher Biônica, a Ilha da Fantasia, Terra de Gigantes, Casal Vinte, de Perdidos no Espaço e o Doutor Smith. Viagem ao Fundo do Mar, Daniel Boone, John Travolta. Estudou OSPB no colégio. Teve relógio e calculadora da Casio, brincou de forte apache, pega-varetas, micopreto, banco imobiliário, 4 jogos (dama, xadrez, ludo e gamão), soldadinhos de plástico. Da Guerra das Malvinas. E da propaganda “Este ano, quero paz no meu coração.. Marcas do que se foi, sonhos que vamos ter. Como todo dia nasce novo a cada amanhecer”; e a caneta de 10 cores com cheiro? E o Almanaque do Escoteiro Mirim? Lembra da contaminação por radiação (césio-137) em Goiânia, BR-364 e da Transamazônica? Você escutava discos de vinil? O telefone da sua casa era de discar para alguém, batendo no descanso do fone, ao invés de girar o disco. Seu pai também abriu para você uma caderneta de poupança na Apern. E cofrinho para juntar moedinhas. Correu na Candelária atrás do Papamóvel na primeira visita de um Papa a Natal? O Sujismundo, o Cometa Halley, seu primeiro beijo, seu(ua) primeiro(a) namorado(a)? ... “Este é um País que vai pra frente, lá rá lá rá...”, “... Eu te amo meu Brasil, eu te amo...”, o grupo Pholhas? Dançou lambada do Beto Barbosa e o Rock'n'Rio I, a Meia Soquete. Tempos bons, não?

Idosa é a pessoa que tem muita idade; Velha é a pessoa que perdeu a jovialidade. A idade causa a degenerescência das células; A velhice causa a degenerescência do espírito. Por isso, nem todo Zaquen é velho. E há velho que ainda nem chegou a ser Zaquen. Há coisas que são “idosas” (antigas) e há coisas que são velhas.

Rubens C. Cano)

02

Capítulo 31
Cinco sentidos

Parece que foi ontem II
O relógio biológico e os cinco sentidos. A senilidade dos sentidos. Relação entre idade e redução de funções vitais. Alterações entre 30 e 75 anos: perda de 30% do peso muscular, diminuição de 25% das fibras nervosas, diminuição de 50% dos nefrons (unidades funcionais dos rins), percepção gustativa cai 75%, bombeamento cardíaco reduz 50% após os 40 anos, mais de 90% usam óculos, redução de 15% da condução de impulsos nervosos, sistema imune e hormonal menos efetivo, diminuição de 50% da função pulmonar. Ufa! O tempo é uma máquina automatizada que se sujeita apenas ao seu criador, quando necessário se fez. Deus não só parou o tempo, como voltou em dez graus o relógio de Acáz. Assim, o tempo corre ininterruptamente, e ele deixa no seu rastro consequências. Pesquisadores buscam meios de refrear os efeitos da máquina do tempo e o impacto sobre o nosso organismo e até sobre os nossos sentidos. Estudos e pesquisas são realizadas, nos ajudando a prevenir ou mesmo recuperar alterações físicas, perceptivas, relacionadas à idade. Sentidos da visão, audição, olfato, paladar. Sua redução, que representa de-clínio laboral e, consequentemente, impacto sócio-econômico. Nas minhas pesquisas, lá nas salinas de Macau/RN, aprendi a respeito da luminosidade excessiva. Os efeitos na visão pelos raios UV (ultravioleta) do sol, essa fonte a claridade excessiva, é fator de complicações como catarata e outras degenerações macular. Uns bons óculos de grau e também óculos de lentes escuras para proteção da claridade conjuntamente com terapias, corrigem e previnem esta disfunção. Quanto à audição, vem à lembrança o tempo de criança, nossa mãe falando: “Já lavou atrás da orelha?”. Como o adágio: “Hoje, a volta é por dentro”, literalmente o cuidado é mais interno. Sabe, vem aquele zunido, é o sim que não tem fim - siiiiiiiiiiimmmmmmmmmm - é a labirintite e, às vezes, a perda gradual de audição. Melhor cuidar, senão ficamos como o velhinho da TV: “Hein?”. O olfato e o paladar são naturais seletores de prazeres, como o

Eptiva - Época de Atividade

da alimentação, e isto concorrem às vezes para a falta de apetite e o desestímulo para comer, principalmente quem tem alguma restrição alimentar. Com o passar do tempo, perdemos massa muscular. Por vezes, pequenas alterações neurológicas e a diabetes reduzem gradualmente a sensibilidade do tato, comprometendo alguns hábitos diários. Busquemos preservar os sentidos. A ciência aconselha ingestão calórica qualificada e complementos vitamínicos, reposição hormonal e antioxidante. Presume-se que estes conceitos, junto a outras ações, esportes etc., concorrem para um desaceleramento do envelhecimento. O que estamos pensando é que com a aposentadoria, estamos disponíveis para novos procedimentos. Implementar estratégias de mecanismo de prevenção do envelhecimento. Veja o exemplo de pessoas centenárias que optaram por qualidade de vida. Gozar a vida de e em plenitude, preservando-se da nocividade, do exagero. Hábito saudável não tem contraindicação e também não apresenta efeitos colaterais, garantindo a preservação dos sentidos e promovendo um envelhecimento saudável. A boa nutrição e a atividade física têm sido os carros-chefes desta busca pelo aposentado com saúde a este propósito não pule o café da manhã. Os centenários não dispensam a primeira refeição do dia. Abuse. Dez colheres de molho de tomate ingeridas semanalmente podem reduzir pela metade o risco de ocorrência de onze tipos de câncer. O tomate é rico em licopeno, um antioxidante encontrado nos vegetais vermelhos e ideal para a pessoa da idade adulta, madura, até ao Zaquen. O envelhecimento compromete o corpo e suas funções são reduzidas gradativamente. A maneira como se vai chegar à velhice depende do uso que se faz do corpo agora. Devemos lembrar que o corpo humano é uma máquina construída para o movimento. Com uma grande diferença em relação às demais, desenhadas com a mesma finalidade: enquanto as outras se desgastam, o organismo humano se aprimora com o movimento. Nossa filosofia não se dá bem com o conforto da acomodação, então MEXASE.

Hora e modo para todas as coisas?

01

José Marconi
Importante: Evite a prática de exercícios entre as 11 da manhã e 1 da tarde. É quando a produção de adrenalina atinge seu pico. O sangue fica mais grosso do que o normal, a pressão arterial sobe e o batimento cardíaco se eleva. Durante essas duas horas, é maior a probabilidade de uma placa de gordura se romper em um vaso, o que pode provocar derrame cerebral ou infarto no coração. Evite alterações constantes de peso, faça uma pesquisa do tipo altura versus peso. Veja o que seria o peso ideal para você. Claro que nem tudo que é normalidade para os outros é o ideal para você, mas controle seu peso. Não se projeta vou perder dez quilos. O propósito mais indicado seria: “Vou me manter em tantos quilos”, pois se projetamos que vamos perder tantos quilos, seis, por exemplo, quando atingimos cinco, relaxamos. Lembrar que não nos relacionamos muito bem com perdas. Não fomos convencionados para isto. Então, penso que inconscientemente o cérebro equaliza: “Tenho que recuperar estes cinco para poder, aí sim, perder os seis” e aí vai dificilmente chegando a um contento. A situação ideal seria: “O peso ideal para mim é tal, e é meta minha me manter neste peso e correr atrás”. Vai por mim, creio que melhor é desafiar teu cérebro do que confrontá-lo. Vai por mim, funciona a Bíblia. Salomão, o rei sábio, falou que existe tempo para fazer todas as coisas. Creio que as refeições estão contidas em “todas as coisas”. A ciência já comprovou que devemos ter horário para nos alimentar. As refeições devem ser momentos prazerosos, onde a família se reúne. Entendemos que o melhor local para fazer isto é na mesa, na frente da televisão, a gente se reúne para assistir. Assim, local e hora adequada, aquele negócio que falava “eu almoço lá pras...”, acabou. Estabelecemos novo lema de vida saudável.

Eptiva - Época de Atividade

Capítulo 32
Glossário de achaque

Importante
Sabe-se que o envelhecimento é um processo biológico que pode ser controlado. Um estilo de vida saudável é uma das chaves da longevidade.

Doenças recorrentes no idoso
Anemia: a anemia nutricional ocorre principalmente por falta de ferro, ácido fólico e vitamina B12. Câncer: doença degenerativa que debilita o organismo como um todo, podendo levar à morte. Desnutrição: doença relacionada com a baixa ingestão de alimentos ou de certos nutrientes. Diabetes mellitus: pode ocorrer pela deficiência de produção de insulina (tipo I), ou pela dificuldade da insulina em atravessar a barreira celular devido à obesidade (tipo II). Dislipidemias: caracteriza-se pelo teor elevado de triglicérides ou colesterol no sangue, contribuindo para o aumento do risco de doenças cardiovasculares. Hipertensão arterial: caracteriza-se pelo aumento da pressão arterial, com níveis diastólito acima e de 90 mmHg e/ou cistólito acima de 140 mmHg. Obesidade: doença relacionada com o excesso de alimentos; excesso de peso; excesso de tecido adiposo. Osteoporose: é uma doença caracterizada pela perda da densidade óssea até o ponto de risco de fratura, pois o esqueleto, mais frágil e quebradiço, encontra-se incapaz de suportar cargas comuns.

01

José Marconi

Capítulo 33
Biodiversidade medicina natural

Medicina Natural. Em seu artigo: « Envelheça com saude» A nutricionista, Erly Catarina de Moura. trata de vitaminas. A vitamina B12 participa na síntese de células novas, auxilia na manutenção das células nervosas. Fonte: carne, pescado, leite, queijo, ovo. A deficiência leva à anemia. O ácido fólico participa na síntese de ácidos nucleicos (DNA). Fonte: ervilha seca, feijão, espinafre, beterraba, brócolis, alface, couve-flor. Tanto a deficiência como o excesso podem causar anemia, diarreia. O ferro classifica-se em heme (origem animal) e não-heme (origem veg»tal). Fontes de ferro: fígado (1mg), carnes vermelhas e peixe. A deficiência causa anemia, com fadiga, fraqueza, descoramento, respiração difícil. O excesso causa náusea, vômito, diarreia, taquicardia, tontura, confusão. A vitamina A é importante para o crescimento e desenvolvimento, saúde da pele, do osso, da visão e do sistema imunológico. Fontes: fígado, abóbora, batatadoce, cenoura, espinafre, manga, mamão, brócolis, melancia, alface. A deficiência causa alteração no formato dos ossos, cessação do crescimento ósseo, dores nas juntas, cegueira noturna. O excesso: descalcificação, dores nas juntas, dor de cabeça. A vitamina C tem função antioxidante, participa na síntese de colágeno (importante para a cicatrização), no metabolismo dos aminoácidos. Fontes: acerola, mamão, laranja, caju, limão, morango, manga, melancia, tomate, aspargos, brócolis, couve-flor. A deficiência leva à depressão do sistema imunológico, inflamação das gengivas, degeneração muscular. O excesso causa náusea, aumento do movimento intestinal, diarreia, dor de cabeça, fadiga, insônia. Os carboidratos são compostos orgânicos à base de carbono, hidrogênio e oxigênio. São conhecidos como nutrientes energéticos. Dividem-se em simples (açúcares) e complexos (amidos). Exemplos de alimentos de fonte de carboidratos complexos: cereais (arroz, trigo, milho, aveia, etc.) e derivados, feculentos (batata, inhame, etc.). Os açúcares, mel, melado fornecem carboidratos simples. Os laticínios são ricos em proteínas e cálcio. Exemplos: leite,

02

Eptiva - Época de Atividade
queijo, iogurte, coalhada. Cálcio é importante na construção dos ossos e dentes, manutenção dos ossos, contração muscular, manutenção das membranas das células, coagulação do sangue, absorção da vitamina B2, ativação de enzimas. Fontes: leite e derivados (iogurte e queijo), sardinha, salmão, mandioca, salsinha, brócolis, feijão. A deficiência causa raquitismo nas crianças, osteoporose e maior risco de fraturas nos adultos. O excesso: tontura, letargia. A vitamina D é importante para a saúde dos ossos. Fonte: leite integral, gema de ovo, fígado. Necessita da luz solar para ativar os precursores ao nível da pele. A deficiência causa problemas na cacificação dos ossos, desmineralização, dores. O excesso leva à perda de apetite, dor de cabeça, fraqueza, fadiga, irritabilidade, apatia. As proteínas são compostos orgânicos, que fornecem aminoácidos para o organismo. Podem ser de origem animal (laticínios, carnes e ovos) e vegetal (leguminosas e oleaginosas). As fibras são carboidratos não digeríveis pelo organismo humano, importantes para o funcionamento intestinal, controle dos níveis séricos de colesterol e glicose. Os energéticos são alimentos ricos em calorias. Os mais importantes são os cereais (arroz, trigo, milho, aveia), os feculentos (batata, inhame, mandioca). As hortaliças dividem-se em verduras e legumes. São ricas em vitaminas, minerais e fibras. As verduras são as hortaliças na forma de folhas. Exemplos: alface, agrião, almeirão, acelga, escarola, mostarda, rúcula. Os legumes fazem parte das hortaliças. Exemplos: tomate, beterraba, cenoura, rabanete, chuchu, abobrinha, abóbora. As frutas são ricas em vitaminas, minerais e fibras. Os leguminosos são alimentos ricos em proteínas e energia. São as vagens secas. Exemplos: feijões, ervilha seca, lentilha, grão-de-bico, soja. Oleaginosos - são alimentos ricos em proteínas e calorias pelo alto teor de lipídios. Exemplos: amendoim, castanhas, nozes, coco. Carnes - são alimentos ricos em proteínas e ferro. São provenientes de animais mamíferos (boi, porco, carneiro, cabrito etc.), aves (frango, peru etc.), pescados (peixes, frutos do mar) e seus derivados. Ovos - são ricos em proteínas, vitamina B12, B2, ácido fólico e vitamina A. Os mais utilizados são os de galinha e codorna. Cafeína - a cafeína é uma substância alcalóide, conhecida como xantina, que provoca algumas reações específicas no organismo humano. O café é a principal fonte de cafeína, como também chás e

01

José Marconi
bebidas aromatizadas com cola. Como vimos acima, existem treze vitaminas essenciais, com uma ou mais funções específicas no organismo. A ausência de uma delas pode desencadear um quadro de deficiência, visto que uma não substitui a outra. Os antibióticos, os anti-inflamatórios e determinados medicamentos quando usados por longo tempo, podem modificar a flora intestinal e inibir a síntese de vitaminas do grupo B. Todas as formas de estresse, físicas, químicas, orgânicas ou psicológicas, aumentam as necessidades de Zn, vitaminas B5, B6 e C e de aminoácidos como ácido glutâmico, glutaminas e arginina. A vitamina C ajuda a prevenir a degeneração macular. Consulte sempre o seu médico.

02

Eptiva - Época de Atividade

Capítulo 34
“Estes teus cabelos brancos bonitos”
Os sinais de sabedoria presentes na vida do Zaquen: experiência acumulada, conhecimentos, prudência, temor ao Senhor, compreensão. Ec. 25 3-6: “Se não acumulaste na juventude, como queres encontrar tua velhice? Como é belo para os cabelos brancos saber julgar e para os anciões conhecer o conselho! Como é bela a sabedoria dos anciões e nas pessoas honradas, a reflexão e o conselho! A coroa dos anciões é uma rica experiência; a sua glória, o temor do Senhor”. Os Zaquen carregam consigo a experiência de vida, a sabedoria acumulada, a memória de fatos maravilhosos que Deus operou na vida de seu povo. Sl. 44: “Nossos pais nos contaram, ó Deus, a obra que realizaste em seus dias, nos dias de outrora, com a tua mão”. Ser Zaquen é ser maduro curtido na vida. Em Israel, os Zaquen eram os mantenedores da fé do povo e considerados os transmissores da Aliança. A eles se devia respeitar. Sl. 92,13-16: “Aquele que for justo durante a sua vida crescerá sempre como a palmeira e o cedro do Líbano. Mesmo na velhice dará fruto, será cheio de seiva e verdejante”. No evangelho de Lucas, fala que os idosos justos poderão até mesmo conceber e dar à luz, assim como foi o caso de Zacarias e Isabel. Os evangelhos relatam a presença de Zaquen no templo, louvando e em contínua oração. Simeão e Ana viram Jesus e se maravilharam com a presença do Messias. Ana, a idosa de 84 anos, falava a todos que esperavam o Messias, sobre Jesus. Simeão louva a Deus pelo menino e declara que pode agora morrer em paz, pois seus olhos haviam contemplado a salvação. O Zaquen sábio era honrado e admirado por todos em Israel. Deus mesmo lhe concedia vigor e vitalidade para anunciar que o Senhor é reto e justo. O velho Abraão, por sua vida digna, morreu feliz e em paz. Morrer para o Zaquen, que durante toda a vida foi justo, segundo a Bíblia, não é um martírio, mas uma recompensa. Vale a pena ser Zaquen, segundo a Bíblia, quando durante a vida a sabedoria foi cultivada. Se a velhice é louvada na Bíblia como sinal de sabedoria, ela também não deixou de constatar que “velhice honrada não consiste em ter vida longa. Nem é merecida pelos números de anos”. Os cabelos brancos do homem valem pela sua sabedoria. E a

01

José Marconi
velhice pela sua vida sem manchas. É alegria de viver para si e para os outros. VIVA. Depois de acometido de doença, e com a idade avançada, o eterno guerrilheiro cubano Fidel declarou: “O poder, o trabalho, a sensação de insubstituível, é efêmero”. Perdeu o encanto, passou a prioridade. Passou a não mais ser o poder, mas sim garantir a vida, POIS ESSA sempre foi e sempre será o bem mais precioso. Mesmo que a causa seja nobre, e de suma importância, ainda assim, relutamos quando o que está em jogo é a vida. Trabalhei na minha juventude na área de saúde, em um prontosocorro de grande porte, e ali se vê muitas coisas, boas e outras nem tanto, mas nunca vi ninguém fazer nas suas últimas declarações: “Eu podia ter trabalhado um pouco mais”. A frase costumeiramente dita nesta circunstância é: “Eu podia ter vivido um pouco mais, rido mais, amado mais”. Salomão foi pelo Senhor premiado com sabedoria, mas esta sabedoria só foi plena na época da sua aposentadoria, quando se voltou para a vida e percebeu que tudo o mais é vaidade.

02

Eptiva - Época de Atividade

Capítulo 35
Meu pente de memória

Entre a memória e uma vaga lembrança
O garçom esquecido O homem chega ao médico: - Doutor! Eu ando tão esquecido que sou capaz de tomar banho e sair do banheiro só com a roupa de cima. Medico – E quando começou isto? – Isto o quê? Para se ter uma boa cabeça na velhice é necessário exercitar o cérebro do mesmo modo que cuidamos do resto do corpo. Cérebro Ativo. Uma mente sã na velhice depende de hábitos saudáveis desde a juventude. Ao se aposentar, não somos mais requisitados a utilizar a memória recente, ou memória de trabalho, que se reporta a fatos do cotidiano. Isento da correria do dia a dia e de realização de muitas tarefas, praticamente o cérebro descarta esta função, dando prioridade a outro tipo de memória, a remota, remetendo a lembranças do passado mais distante. (Salmo 92.14). Como a palmeira que não cessa de crescer e floresce sempre, no tempo certo, na minha velhice quero ser forte e cheio de vida. O cérebro do salmista, assim como o de todos os Zaquen que permanecem jovens, está sempre funcionando a serviço da curiosidade; o último projeto é sempre encarado como se fosse o mais importante. o cérebro adora novidade. Estimule-o. Jogue xadrez, Sudoku, damas. E se você não sabe, ai esta uma boa hora para aprender.

01

José Marconi

Capítulo 36
O idoso e o velho

Você é Zaquen quando pergunta se vale a pena; você é velho quando, sem pensar, responde que não. Você é Zaquen quando está pronto a correr riscos; você é velho quando procura correr dos riscos. Você é Zaquen quando sonha; você é velho quando apenas dorme. Você é Zaquen quando ainda aprende; você é velho quando já nem ensina. Você é Zaquen quando pratica esportes ou, de alguma outra forma, se exercita; você é velho quando apenas descansa. Você é Zaquen quando ainda sente AMOR; você é velho quando só sente ciúmes e possessividade. Você é Zaquen quando o dia de hoje é o primeiro do resto de sua vida; você é velho quando todos os dias parecem o último da longa jornada. Você é Zaquen quando seu calendário tem amanhãs; você é velho quando seu calendário só tem ontem. O Zaquen é aquela pessoa que tem tido a felicidade de viver uma longa vida produtiva, de ter adquirido uma grande experiência. É uma ponte entre o passado e o presente, como o jovem é uma ponte entre o presente e o futuro e é no presente que os dois se encontram. O velho é aquele que tem carregado o peso dos anos; que em vez de transmitir experiência às gerações vindouras, transmite pessimismo e desilusão. Para ele, não existe ponte entre o passado e o presente, existe um fosso que o separa do presente pelo apego ao passado. O Zaquen se renova a cada dia que começa; o velho se acaba a cada noite que termina. Pois, enquanto o Zaquen tem seus olhos postos no horizonte de onde o sol desponta e a esperança se ilumina, o velho tem sua miopia voltada para os tempos que passaram. O Zaquen tem planos. O velho tem saudades. O Zaquen curte o que lhe resta de vida, o velho sofre, o que o aproxima da morte. O Zaquen se moderniza, dialoga com a juventude, procura compreender os novos tempos; o velho se emperra no seu tempo, se fecha em sua ostra e recusa a modernidade. O Zaquen leva uma vida ativa, plena de projetos e prenhe de esperanças. Para ele, o tempo passa rápido, mas a velhice nunca chega. O velho cochila no vazio de sua vidinha e suas horas se arrastam destituídas de sentido. As rugas do Zaquen são bonitas porque foram

02

José Marconi
marcadas pelo sorriso; as rugas do velho são feias porque foram vincadas pela amargura. Em suma, Zaquen e velho são duas pessoas que até podem ter a mesma idade no cartório, mas têm idades bem diferentes no coração. “Sou Zaquen (tenho quase 70 anos), mas espero que nunca fique velho”. Jorge José de Jesus Ricardo

foto da internet

02 02

Eptiva - Época de Atividade

Capítulo 37
Retendo o que é bom

Em todos os treinamentos e palestras que participei, algo que foi sempre muito recomendado, é que devemos tomar pelo menos dois litros d'água ao dia. Moramos num país tropical, sofremos a influência deste sol de país tropical e bonito por natureza. Assim, muito líquido para manter-se hidratado. Procuro tirar ensinamento de tudo e, desde novo, dos muitos carros velhos que possuí, sempre vinha o mesmo conselho: óleo e água. E se ficar parado, provavelmente, vai ter problema. Por falar em carro, os que funcionam bem com álcool são novos, os velhos continuam dando problemas. Álcool e qualidade de vida não combinam. Alguns médicos, em palestras que assisti, afirmaram que álcool não é remédio, esse papo de um “calicizinho”, é pretexto. Vi uma reportagem que falava dos encanamentos de esgotos nos restaurantes e também dos esgotos nos arredores, que em virtude das gorduras que eram desprezadas no esgoto, estavam entupindo tudo. Imagine o que faz essa mesma gordura que ingerimos. Em nosso sistema circulatório, veias e artérias vão acumulando placas. Todo cuidado, pois aquele tempo de festinhas, que comíamos tudo e ainda se levava um pouco no bolso, passou, agora cuidamos de nós. Portanto, moderação no sal, nos açúcares e carnes; e capricha no azeite de oliva. Não ficar muito tempo sem comer. Nem sair de casa sem café da manhã razoável. Ter uma alimentação adequada. Alimentação saudável. Fast-food é a comida mais nociva para organismos que estão se tornando frágeis. Valorize frutas, legumes e verduras. Diminua o consumo de carne vermelha, gorduras e doces. Coma menos. Há uma expectativa de vida cerca de 30% maior, além de aparentar ser mais jovem do que os congêneres da mesma idade.

Dicas
Devemos comer, no mínimo, cinco porções de frutas e vegetais

01

José Marconi
por dia. Uma alimentação balanceada e rica em vitaminas, fibras e minerais pode reduzir em até 40% o risco de câncer. Se o médico não proibir, curta o chocolate. Em pequenas quantidades, ele pode ser benéfico à saúde. A quantidade de flavonóides encontrada em 50 gramas de chocolate é equivalente a de seis maçãs, duas taças de vinho ou sete cebolas. Os flavonóides têm sido apontados como importantes armas no combate aos radicais livres. Dê preferência aos pescados (eu disse pescados), peixes de água profunda, como salmão, sardinha e anchova são ricos em ômega. Esse poderoso antioxidante pode reduzir em até 81% o risco de morte súbita no homem. Acostume-se a beber mais água. Deixe um litro sobre a mesa de trabalho e outro dentro do carro. Inclua pelo menos três frutas na alimentação diária. Elas garantem quantidades mínimas de vitaminas, fibras e minerais, que ajudam a prevenir diversos tipos de câncer. Não saia de casa sem se alimentar. Se sua refeição for apenas um cafezinho, pelo menos acrescente um pouco de leite. O adágio diz “Coma pela manhã como um rei, ao meio-dia como um plebeu e à noite, como um mendigo”. O jantar deve ser a refeição mais leve do dia. Se você tem mais fome à noite, faça um esforço e coma menos nesse horário. O corpo se acostumará e você terá mais apetite de manhã. Coma uma pequena porção de algum alimento rico em carboidrato trinta minutos antes das atividades físicas. Isso vai melhorar seu rendimento. Escutamos com frequência reclamações quanto ao cansaço, e fico a imaginar “Deve existir uma razão para haver tanto complemento vitamínico nas farmácias”. Comemos por vezes muito, mas é fato que comemos mal, gerando deficiências nutricionais. O excesso na alimentação, no máximo vai nos levar ao sobrepeso ou obesidade. Assim, dê preferência a carboidratos. Poderíamos começar a considerar a reposição de cálcio e de vitaminas e prevenir, quem sabe, a osteoporose. É tempo de mudança! Tome isto como um desafio. Ingira mais líquido e fibras. Nosso organismo não necessita mais de tantas calorias ao dia, e lembre-se: temos um inimigo natural e conhecido, o sedentarismo, que por si só, aumenta o risco de doença coronariana em, pelo menos, uma vez e meia. Exercícios diários, moderados, ajudam a aumentar o tempo de vida em até seis anos. Portanto, mexa-se.

02

Eptiva - Época de Atividade

Capítulo 38
Refazenda

A lei da fazenda diz que precisamos: 1 - preparar a terra; 2 cuidar da planta; 3 - colher o fruto. Não é possível ter conhecimento (colher resultados) sem passar pelas etapas anteriores. Portanto, não adianta querer ter maturidade emocional, quando desenvolvemos apenas conhecimento técnico. Percebe-se isso muito claramente no culto à juventude. Vemos executivos muito novos, cheios de títulos, de viagens, mas com a sua inteligência emocional (maturidade) praticamente a nível zero. Por outro lado, a maioria dos aposentáveis ou aposentados, vê o dia de se aposentar como um dia de libertação da escravatura, sonha, imagina e faz festa quando chega esse dia. Com o passar do tempo, ele começa a perceber que agora tem muito tempo e muito pouco o que fazer. Muitos começam a fazer visitas diárias às suas empresas, por outro lado sentem o constrangimento dos ex-colegas atarefados e que não têm tempo para recebê-los, começam a se sentir frustrado e a não voltar à sua empresa. Muitos começam a jogar, beber, passar o dia no clube, sindicato da sua categoria, revendo velhos colegas também aposentados, relembrando fatos do passado. Mas, uma minoria, que vai de 5 a 10%, pensou no futuro e encarou a aposentadoria não como o final de ciclo, mas como o início de um novo processo. Nada terminou e tudo apenas começou. Agora tem tempo e pode aproveitar o seu tempo para fazer aquilo que gosta e, na maioria das vezes, ainda ganhar dinheiro. Essa é a nova visão, a visão de quem sabe fazer a diferença e de quem não pretende, como diria o Raul: “Com a boca escancarada cheia de dentes esperando a morte chegar.” Sábia madureza.

Isso vem desde...
Já vai bem longe este tempo, bem sei. Tão longe que até penso que eu sonhei

01

José Marconi
Que lindo quando a gente ouvia distante O som daquele triste berrante E um boiadeiro a gritar, êia! E eu ficava ali na beira da estrada Vendo caminhar a boiada até o último boi passar Vando A internet proporciona cultura e entretenimento aos Zaquen. Na nossa profissão, passamos 20 a 25 anos ou mais, na frente de um computador. Presumo que por mais modesta que seja a nossa avaliação, podemos definir que este é um instrumento que temos intimidade, somos contemporâneos do que hoje é chamado era digital e na informática temos uma ferramenta de pesquisa excepcional. A internet, querendo ou não, já somos infoincluídos. O primeiro PC a gente nunca esquece. Isto mudou o mundo, inclusive o nosso. Lembra quando, sentados no happy hour, após o expediente, especulávamos: “Vai chegar um dia em que a gente vai tirar uma foto com o próprio celular e mandar para a pessoa com quem estamos conversando” ou “um dia duas pessoas conversarão, vendo-se instantaneamente em frente dos seus computadores”. Assim, desenvolvemos ao longo da nossa vida profissional, habilidades que agora, chegada à aposentadoria, pode virar uma poderosa ferramenta. Você não é só qualificado, você é um especialista, que sabe todos os macetes. Ninguém conhece os atalhos como você. O teu domínio te permite não cansar, e sendo o contrário verdadeiro, agora é chegado o tempo de aprender. Portanto arrisque, inove, crie. Você é capaz, antes éramos requisitados para uma clientela específica e resumidos. Agora nossos clientes é o mundo. NET neles. Faça uma poesia, componha uma canção “Cante uma canção bonita falando da vida em ré maior” (Oswaldo Montenegro). Concorde ou discorde dos blogs da vida associe-se, filie-se, entre em uma comunidade, numa sala de batepapo, se descubra, relacione-se, faça descobertas, pesquise, bote a mente para trabalhar, maravilhe-se agora. Você tem tempo para você. E não é só trabalho. A computação e a internet proporcionam cultura e muito entretenimento. Há cursos virtuais, compras, jogos, salas de debate, bate-papo nos chats, bibliotecas virtuais e até namoro. Para a gerontóloga Cecília Raso, as pessoas da terceira idade costumam ter medo do novo e do desconhecido e muitas vezes

02

Eptiva - Época de Atividade
precisam do incentivo da família para começar. “O espírito não envelhece. As pessoas acham que só os jovens têm projetos de vida. A informática estimula a sociabilização. Não substitui a presença humana, mas é um paliativo para a solidão”. O uso da internet pode ajudar a superar depressão, a solidão e o desamparo.

01

José Marconi

Capítulo 39
Eu, meu maior aliado
Universo conspira... a favor
Pense positivo, não seja tão severamente crítico, tenha fé. Nada de medo. Viver plenamente uma vez por ano e, alguns destes não, eu enfio minha viola no saco e vou para a paradisíaca Tabatinga. São as férias, uma espécie de aperitivo da aposentadoria que, por falar nisso, aposentadoria não são férias perpétuas, até o lazer em demasia cansa. Mas, chegam as férias, na saída da cidade até o almejado destino, tem a transição, a preparação. Planejamos, arrumamos tudo, e lá vai a família “jetson” e damos de cara, logo, com o trânsito dos não feriantes, indo em direção de suas atividades, e passamos o período de fechadas, xingamentos e suportamos tudo com uma serenidade superior. Afinal, o nosso destino é mais prazeroso. Talvez aqui, represente o período de atividade contínua. Vencemos percalços, as acomodações e fizemos a viagem. Pela janela, começamos a contemplar as novas paisagens. São transitórias, passam rapidamente. Embora lindo, creia que representa os curtos intervalos que nos dispomos ao doce lazer. O cheiro no ar prenuncia o clima: estamos chegando ao destino. Até o nosso organismo reage positivamente. E numa emocionante reação, inspiramos profundamente. Subindo a serra e lá no fundo surge as imagens, alvo de nossa viagem. Agora já não tem pressa, não é finitude, mas temos tempo. E temos motivação para estar ali, nos deleitamos. O relógio perde, em parte, a sua funcionalidade. Mas, o metabolismo não. A fome avisa pequenas responsabilidades. Mas, nossa alma não tem pressa. Nossa fome é outra, queremos bem-estar, e bem estamos. Podemos usufruir o pôr do sol, aquele mesmo que no trânsito encandeava e incomodava. Agora, é uma poesia, dá até para imaginar o Bolero de Ravel lá no fundo. Lá nas nuvens parece haver anjos a nos observar, perplexos, com a nossa entusiástica assistência. Parece que estamos sorvendo aquilo tudo. Agora temos tempo de viver isto tudo prazerosamente. Temos tempo para viver. Avaliar nossa vida, como gastamos nosso tempo. Elegermos prioridades que esperamos realizar em nossa vida. Sejamos específicos sobre nossos objetivos. Organizemos nossa vida, ela é

02

Eptiva - Época de Atividade
prioridade. Nossos anos da aposentadoria são demasiado importantes para se desperdiçar. O perfeccionismo toma muito tempo. O bastante é ser simplesmente suficiente.

01

José Marconi

Capítulo 40
Hino a Natal

Pedro Mendes escreveu um hino a Natal. Linda Baby
...E esse sol está muito perto daqui, Venha e veja tanto quanto pode se curtir Linda terra para a mãe gentil Belo cai o sol sobre esse rio E esse rio também está perto daqui Venha e veja tanto quanto é o nosso Potengi ...Venha pois não dá prá dizer tudo no papel Curte-se aqui ao natural A natureza espalha o nosso chão Estou cantando a terra que é o meu viver E acontece que eu estou cansado de dizer Que aqui não tem avenida São João Nem o mesmo padrão que se tem por aí Coisas que não tem em todo o canto não se deve exigir Isso é Natal, ninguém se dá muito mal Como dizem pessoas quase sem se sentir Linda baby, baby linda, volte sempre aqui.

Bairrista apaixonado Assim, darei algumas dicas de entretenimento sobre o Rio Grande do Norte: é a terra noiva do sol que aquece com carinho a pele de quem deleitar-se neste paraíso. Lembra? Rio Grande do Norte. Tem

02

Eptiva - Época de Atividade
Passeio ao rio com direito a um lindo e dourado pôr do sol no rio Potengi, onde, na infância, brincávamos despreocupadamente. Litoral com dunas ou falésias e de praias de areias brancas. Aqui, o verão dura o ano inteiro e sobre o refrigério de uma brisa constante. É onde se respira o ar mais puro das Américas e é onde se encontra o segundo maior parque florestal urbano do país. Tem praias de mar calmo, está entre as mais belas praias do litoral brasileiro, 410 km de costa. Praias para todos os gostos e tribos. Natal é uma cidade linda, fácil de se localizar. Lugares sensacionais para visitar: você pode alugar um carro ou contratar um bugueiro. Natal tem Parque das Dunas, o segundo maior parque urbano do país. Nele há duas trilhas e pista para caminhadas. Tem o Parque de Natal, uma obra de Oscar Niemayer, um eptivo nato. Praia do Meio, Via Costeira, Ponta Negra e Redinha completam o circuito das praias urbanas de Natal. Na Redinha no tradicional Mercado da Redinha, você encontra a ginga com tapioca. Em Jenipabu, passeio de bugre e os seus dromedários. Mergulho em apneia em Maracajaú, um complexo de piscinas naturais. Muriú tem piscinas naturais. Nas lagoas de Pitangui e de Jacumã têm aerobunda (tirolesa) e esquibunda (descida em pequena prancha). Você pode visitar o Forte dos Reis Magos, que deu origem à cidade de Natal, em 25 de dezembro de 1599 e é uma das sete maravilhas do Brasil. Em Pirangi do Norte, está o maior cajueiro do mundo, registrado no livro do Guiness, como a árvore que cobre a uma área de 8.400 metros quadrados, maior que um campo de futebol. Lindas piscinas naturais em Pirangi do Sul. Na Praia de Ponta Negra, tem vários atrativos, restaurantes e danceterias. Tabatinga: quer guardar na mente uma linda imagem para usar a posteriori? Vá a Tabatinga, com vista no mirante dos golfinhos. Coisa certa. Camurupim (lagoa de Arituba), lagoa do Carcará. Assistiu Lagoa Azul? Foi filmado no estrangeiro, porque eles não conheciam este pedaço do céu. É lindo. Tibau do Sul e Pipa. Lá em Pium tem o Bar do Chico que é sensacional. Um rio divide literalmente as mesas. Um restaurante inserido meio a floresta tropical. É muito relaxante, tem banho de cascata e de rio. Outras opções como o Albatroz, localizado na Praça Cívica. Lembra dos tempos áureos? Pois é. Lá, toca de tudo. Existem boates, bar e danceteria que ficam localizados no subsolo de um albergue. Apesar da visão aguçada, no quesito desbravadores, melhor contar com um guia de turismo e ele passará boas dicas. A Ladeira do Sol e o Centro de Turismo de Natal.

01

José Marconi
Acari, sua beleza natural reúne imensas serras e grandes reservatórios de água. O Açude Gargalheiras. Escalar a Serra do Bico da Arara é um desafio a mais. Suas grutas abrigam milhões de andorinhões, vindos da África. Estive lá. É inesquecível! É inacreditável o ruído das asas dos pássaros. Só vendo para crer. Galinhos: praia localizada no litoral Norte do Estado, a 166 km da capital. O acesso é feito de barco, com salinas naturais formando verdadeiras pirâmides; lugar de belas praias. Jacumã: a 49 km da capital, a "menina dos olhos" é uma exótica e romântica cachoeirinha, com águas límpidas, rasas e bem relaxantes. Martins, comparada a Campos do Jordão, localiza-se numa região serrana, a 362 km de Natal, de clima excelente, ar puro e agradável. Tem a Gruta da Trincheira, Casa de Pedra, Pedra Rajada, Pedra do Sapo, os Mirantes e as Trilhas. Um bom lugar para passar lua de mel. Portalegre: conhecida Tromba do Elefante, a 366 km de Natal, fica no alto de uma serra e lá o visitante encontra as atrações naturais em estado bruto. Pode ser que de repente você venha a encontrar o cantor Fagner lá nas redondezas de São Miguel. Praia do Marco: localizada a 112 km de Natal, no município de Pedra Grande, é assim chamada devido a um marco trazido e ali fixado pelos portugueses, em 1501. Tem uma belíssima paisagem formada de grutas e barcos pesqueiros "descansando" sobre as ondas do mar, considerado pela maioria dos historiadores, o mais antigo das Américas. Touros: a 87 quilômetros de distância da capital, tem o Farol do Calcanhar, o maior da América Latina, e o monumento desenhado por Oscar Niemeyer, chamado o Marco Zero da BR-101.

02

Eptiva - Época de Atividade

Capítulo 41
Aforisma - matutando frases do tempo

“Para sempre é muito tempo. O tempo não para! Só a saudade é que faz as coisas pararem no tempo...” (Mário Quintana) “O tempo é um ponto de vista. Velho é quem é um dia, mais velho que a gente..”. (Mário Quintana) “Muitas vezes não temos tempo para dedicar aos amigos, mas para os inimigos temos todo o tempo do mundo.” (Leon Uris) “Haja hoje para tanto ontem.” (Paulo Leminski) “Levei vinte anos para fazer sucesso da noite para o dia.” (Eddie Cantor) “O tempo é a substância de que sou feito.” (Jorge Luís Borges) “O homem que sofre antes do necessário, sofre mais que o necessário.” (Sêneca). “Com o tempo, não vamos ficando sozinhos apenas pelos que se foram: vamos ficando sozinhos uns dos outros.” (Mário Quintana). “Quem mata o tempo injuria a eternidade.” (Henry David Thoreau) “Não se pode planejar o futuro pelo passado.” (Edmund Burke) “Tudo que é bom dura o tempo necessário para ser inesquecível.” “O maior erro é a pressa antes do tempo e a lentidão ante a oportunidade.” “Nada está sempre errado. Até um relógio parado está certo duas vezes por dia.” “O futuro é o passado desejado.” “O tempo no céu demora uma eternidade para passar.” “Amanhã é o hoje em relação a ontem.” (Revistas Seleções) “Os dias talvez sejam iguais para um relógio, mas não para um homem.” (Marcel Proust). “Há ladrões que não nos castigam, mas que nos roubam o mais

01

José Marconi
precioso: o tempo.” (Napoleão Bonaparte) “O tempo é a substância de que sou feito.” (Jorge Luís Borges) “Existe um tempo certo para cada coisa, momento oportuno para cada propósito debaixo do sol: tempo de nascer, tempo de morrer; tempo de plantar, tempo de colher.” (Eclesiastes 3:1-2) “Uma das grandes desvantagens de termos pressa é o tempo que nos faz perder.” (Chesterton) “Preste atenção ao que está fazendo, o ontem já lhe fugiu das mãos, o amanhã ainda não chegou.” (Hector Berlioz) “O tempo é um ótimo professor. Pena que mata seus alunos.” (Hector Berlioz) “Tudo tem o seu tempo: não podes produzir uma criança num mês, por engravidares nove mulheres.” (S. Handel) Nunca penso no futuro, ele chega rápido demais.” (Albert Einstein) “Os anos ensinam muitas coisas que os dias desconhecem.” (Mário da Silva Brito) “Quanto mais velhos ficamos, menos vergonha nós temos de ter vergonha.” (Mário da Silva Brito) “Não somos nós que perdemos tempo. É o tempo que nos perde.” (Mário da Silva Brito) “Só posso fazer uma coisa de cada vez, mas posso evitar fazer muitas coisas ao mesmo tempo.” (Ashleigh Brilliant)

02

Eptiva - Época de Atividade

Capítulo 42
Cântico da Velhice

Cântico da Velhice
Felizes aqueles que envelhecem, pois estão vivos. Eles guardam em si todas as noites que tiveram, Guardam as recordações, a incerteza, a sabedoria. E as muitas experiências do pecado e da virtude. Felizes os que envelhecem, pois eles estão ávidos, Não são mais esporádicos os seus sentimentos, E bem mais ponderadas as suas esperas, sim, Agora é muito mais visível a sua plenitude. Os velhos são completos, pois têm em si a criança, Têm o adolescente em si, o jovem, o interlúdio, Em si têm os processos, as passagens, a tardança, Do tempo têm o segredo, da eternidade o conteúdo. Felizes os que envelhecem sem urgência, rindo, Dançando, girando, tecendo, amando com ciúme Como a sensação daqueles sonhos em que voamos. Com filhos ou sem filhos, a envelhecer procriando. Nada foi perdido, nem desfeito, em sua cronometria, Todo o seu ímpeto transformou-se em premência E o seu corpo e as suas rugas, em geografia. Felizes os que envelhecem, eles são o pico lindo Das montanhas, e o derradeiro queixume De todas aquelas mil inexperiências vividas. Têm cem olhos que sabem discernir as hidras, E os cabelos feitos da alva prata mais pura. Leves e significantes se abrem seus sorrisos. Felizes são, a ciência agora é mais apreciada. Conhecem claramente a fatalidade das estradas E vão, vão, pois sabem que a vida se resume

01

José Marconi
Àquela água lassa que corre sob a clepsidra. Todos temos de viver para uma posteridade, Não importam nossos desejos, nossas vãs mentiras. Felizes os que envelhecem altivos, como os poetas Descritos pelos poemas não-românticos e boêmios Versos em que a vida é feita apenas de brevidades. Felizes são os velhos seduzidos e os que seduzem, Desvendam labirintos, quimeras e traduzem linhas Sem medo de errar, de morrer, ou do óbvio, Cantados pelo cântico dos cânticos. Estão vivos, Vivos, vivos, vivos, vivos, vivos! Felizes aqueles que para sempre vivem. Ana Miranda

O Homem Velho
O homem velho deixa a vida e morte para trás Cabeça a prumo segue rumo e nunca, nunca mais. O grande espelho que é o mundo ousaria refletir os seus sinais O homem velho é o rei dos animais A solidão agora é sólida, uma pedra ao sol. A linha do destino nas mãos a mão apagou Ele já tem a alma saturada de poesia, soul e rock'n'roll As coisas migram e ele serve de farol ... Eu vejo o homem velho rindo numa curva do caminho de Hebron E ao seu olhar tudo que é cor muda de tom Os filhos, filmes, livros, ditos como um vendaval Espalham-no além da ilusão do seu ser pessoal Mas ele dói e brilha único, indivíduo, maravilha sem igual Já tem coragem de saber que é imortal. Caetano Veloso

02

José Marconi

Capítulo 43
Refrigério da alma

Lazer: a diferença. Um remédio para o corpo e para a alma
Dos aspectos que fazem a vida, o lazer é um dos responsáveis pela socialização, pela autoestima e pela saúde física e psicológica das pessoas. Na aposentadoria, com a interrupção de compromissos, principalmente o profissional, as pessoas podem, com diversas atividades, preencher o tempo ocioso de forma criativa e visando o bemestar. E o segmento que abarca a terceira idade cresce muito. A cada dia surgem novas entidades e, entre elas, o Sesc é um velho conhecido. Lá, existem oficinas de artesanato, literatura, biblioteca, vídeos, cinema, educação, recreação para o desenvolvimento físico e atividades ligadas à saúde, que reincluem o aposentado e estes se redescobrem motivados. Quando jovens, costumavam almoçar no Sesc. Filas, sol quente e bandejão eram tudo que sabíamos do Sesc. As necessidades mudaram, comecei a frequentar as piscinas de hidroginástica e, de repente, no meio da congregação, descobri que o Sesc é mais que bandejão. Além das atividades tradicionalmente consolidadas (como as caminhadas, a hidroginástica e a natação), a cada dia, surgem novas modalidades de recreação e esporte voltadas para a terceira idade. Uma delas é a prática de caminhada, há trilha de Martins, de Apodi, Serras da Arara e das Andorinhas, as quais surgiram inicialmente para atingir o público jovem, e que hoje, porém, já possuem adeptos de todas as idades. Mas, mesmo que alguns Zaquen não se interessem por atividades físicas, nem tudo está perdido. Outras formas de lazer, como bons programas de televisão, jogos de cartas, de memória ou damas, bingos, bailes, peças de teatro, filmes e apresentações musicais ou de dança podem ser o caminho para a integração com outras pessoas e a troca do mau humor pelo riso. O que não dá é para ficar o tempo todo parado, senão “enferruja”. Esporte; “encosta, mas não encarca”. Na terceira idade, o contato com atividades físicas começa por

02

Eptiva - Época de Atividade
indicação médica. Seria o alívio das “dores”. São reais os benefícios psicológicos, de autoestima e de melhoria do relacionamento social, aspectos muito importantes para pessoas da terceira idade, em meio às mudanças advindas desta fase da vida. Ocorre que as pessoas chegam à terceira idade com diversas degenerescências e patologias, resultantes do sedentarismo, o que as leva a procurar exercícios físicos. A atividade física é um momento destinado ao bem-estar físico e psicológico, tanto para homens como para mulheres, inclusive no período em que ocorre a menopausa, aumentando a disposição no dia a dia e a possibilidade de executar atividades da vida diária, que antes tinham dificuldades. Existem exercícios específicos para melhorar a musculatura do abdômen, do assoalho pélvico, promovendo diminuição dos casos de incontinência urinária nas mulheres e em homens que fizeram prostatectomia. O esporte sociabiliza e entrosa também pessoas de níveis de escolarização diferentes. É importante o acompanhamento médico. E de profissionais de educação física, para que os esforços não sejam exagerados e não causem lesões.

“Um pouco de vida, Uma cantiga, Algumas palavras Ou um silêncio profundo Onde eu possa repousar meus temores E reencontrar meus sentidos... amores.”

01

José Marconi

Capítulo 44
Sorrir

Foi rindo que chegamos aqui
O riso espontâneo promove a dilatação dos vasos e melhora o fluxo sanguíneo. Reduz os níveis de adrenalina e cortisol no sangue e aumentam a liberação de endorfinas, hormônios ligados às sensações de bem-estar e prazer. Ainda emagrece. Numas boas risadas queimase, em média, 50 calorias. Já se perguntou por que as pessoas dizem de como chegamos a esta idade mais bonitona? Sabe, o mais importante é que chegamos mesmo, aprendendo a sorrir na vida e sentindo que podemos fazer com que cheguemos à velhice melhor do que chegamos à idade adulta, madura. Rindo é uma boa maneira, portanto. “Os conselhos da velhice aclaram sem esquentar, como o sol de inverno”. Vauvenargues (1715-1747) “Velhice é quando um dia as moças começam a nos tratar com respeito e os rapazes sem respeito nenhum”. Mário Quintana (1906) “Torna-te velho cedo, se quiseres ser velho por muito tempo”. Cícero (106-43 a.C.) “Deus entregou aos velhos um grande benefício em lugar da memória: a prudência obtida pelo uso das coisas e um juízo mais agudo e eficaz”. Juan Luis Vives (1492-1540) “A velhice só começa quando se perde o interesse”. Jean Rostand (1894-1977) “Todo mundo quer viver muito tempo, mas ninguém quer ficar velho”. Jonathan Swift (1667-1745) “Os velhos sabem e querem, mas não podem; os moços podem e querem, mas não sabem”. Marquês de Maricá (1773-1448) “Houve tempo em que eu considerava um homem de cinquenta anos velho. Foi preciso chegar a ela para verificar quão jovem realmente somos nesta idade!”. Eno Teodoro Wanke (1929-)

02

Eptiva - Época de Atividade
“Ah, voltar a ter setenta anos!” – atribuído a Oliver Wendell Holmes Jr. (1841-1935), que teria dito estas palavras, com 90 anos, ao ver passar uma linda jovem. “Na mocidade aprendemos, na velhice compreendemos”. Marie Von Ebner-Eschenbach (1830-1916) "Pois veem-se chamas nos olhos dos moços, mas no olho do ancião vê-se a luz”. Victor Hugo (1802-1885) “O moço que não chorou é um selvagem, e o velho que não quer rir é um tolo”. George Santayana (1863-1952)

01

José Marconi

Capítulo 45
Na alegria, na tristeza na...
Casamento
Os casais geralmente não conversam sobre aposentadoria. Eles falam sobre seus filhos, sobre viagens e a troca do carro. Mas, quando o assunto é o próprio futuro, aí, não tem conversa. E de fato este é um assunto tão sério quanto os rumos do casamento. Nada mais natural que planejar esses dias em conjunto. Poder avaliar e planejar um futuro que está 30 ou 20 anos à frente. Avaliar o estilo de vida que se quer depois de aposentado. Qual a cidade para morar? Muitas viagens? Ficar com os netos? E o plano de saúde? Ao longo da acumulação dos recursos para a aposentadoria, fazer os ajustes caminhando. Mas, o fato é que, mesmo com mudanças inevitáveis ao longo do caminho, a construção desse patrimônio destinado à aposentadoria é importante, para não desembarcar no futuro completamente perdido. O custo de saúde, sempre muito alto depois dos 60 anos. Meditar se realmente o casal vai parar de trabalhar, ou qual dos dois vai parar de trabalhar ou ainda se vai iniciar uma nova carreira ou um negócio próprio. As opções são inúmeras, mas precisam ser avaliadas em conjunto. Juntar dinheiro, sem planejamento, pode se revelar um erro tão grave quanto o de não guardar dinheiro algum. Isso, porque é o planejamento que vai determinar o lugar onde vai morar, para ter em conta o custo de vida da cidade como dica: procure morar perto de um parque. A expectativa de vida dos Zaquen que moram próximo a áreas verdes, é maior do que os daqueles que vivem cercados de arranha-céus. Aposentadoria é mais do que guardar dinheiro, é planejamento e não há uma receita única. Aposentadoria tem que ser feita sob medida para você.

Case-se
As pessoas que se mantêm em longas e bem-sucedidas uniões têm uma expectativa de vida maior em comparação aos que terminam

02

Eptiva - Época de Atividade
a vida só O casamento faz de duas pessoas em uma só. Difícil é determinar qual será. Casamento é um relacionamento a dois, no qual uma das pessoas está sempre certa e a outra seria o marido. O casamento é a relação entre homem e mulher na qual a independência é igual, a dependência é mútua e a obrigação recíproca.

Finanças familiares
O dinheiro, ou o mau uso dele, é uma das principais causas de brigas conjugais. E, pasmem. Não é só a escassez monetária que gera problemas. Divergências entre maridos e esposas pela destinação ao dinheiro podem ser piores do que o vermelho que surge na contacorrente. Isto é suficiente para encrespar duas pessoas apaixonadas. Um casal com um bom planejamento não está livre de acidentes de percurso, mas com certeza está mais preparado para enfrentá-los, se existem padrões financeiros diferentes sob o mesmo teto. Exemplo: o homem ganha mais do que a mulher. Ou o inverso. As responsabilidades devem ser equivalentes, para que uma das partes não sacrifique uma parcela maior de seu salário para pagar as despesas. O casal deve juntar seus ganhos em uma única conta. Devemos ser contra a ideia de separar as finanças. Conta separada é como se vivessem sempre preparados para uma separação. É melhor para o casal dividir sempre que possível os gastos e negociar como cada um deve usar o salário em seu consumo pessoal. Por falar em gastos, tem uma coisa que acontece com frequência. Como no casamento, se não for bem planejado, já entramos contraindo muitas dívidas, na aposentadoria costumam acontecer algo semelhante, recebemos a carta de concessão, chegamos à casa e vamos viajar. Não se perguntam. Temos reserva para isto? A resposta é: “Que tolice amor, tem cartão de crédito e vai”... Passagem para Fernando de Noronha, pois, só se vive uma vez. Empolgado, o casal tasca: “O melhor chalé, pois praticamente é uma segunda lua de mel. A gente merece né, mô”. E mô prontamente concorda, e haja passeio de buggy em Natal e ciranda no Maranhão. A dona da agência de viagem tem o telefone pessoal de vocês. Viraram íntimos. Claro, estou brincando. Isto é bom, é aconselhável, mas também deve ser planejável.

01

José Marconi
Tipos de Aposentado
Poupador - aquele que economiza de olho lá na frente. Pensa na segurança da família. É ruim só pensar no futuro, esquecendo-se do presente. Gastador - gasta tudo que tem, só vivendo o agora. A preocupação só aparece quando a conta fica no vermelho Descontrolado - em vez de saldo positivo, para essas pessoas é comum receber um extrato bancário que acuse dívidas pendentes. Não observa atentamente seus ganhos e ultrapassa-os com as despesas. Desligado - não atenta para os ganhos, mas, ao contrário do descontrolado, sua renda é maior do que suas necessidades básicas. Financista - cada centavo é anotado em alguma planilha, que categoriza e controla tudo ao seu redor. É fundamental ter uma administração saudável do dinheiro na vida a dois. O casal não deve separar o lado financeiro e, sim, unir esforços. É preciso saber dosar o dinheiro, para que não convivam sob o mesmo teto duas pessoas com o poder de compra frustrado. Amor e dinheiro, um não se completa sem o outro.

Midas
Da mesma forma que tem Midas, tem o seu anagrama Sadim. Midas, na mitologia grega, em retribuição de um favor, teria recebido o dom de transformar em ouro tudo o que tocasse. Daí surgiu a expressão “toque de Midas”, uma referência a pessoas que transformam em sucesso tudo aquilo com o que se envolvem. Assim como existe o Midas, há a sua antítese, o Sadim. Tanto Midas quanto Sadim possuem suas inseguranças, temores e fraquezas, mas a diferença entre eles é que, enquanto as pessoas com o toque de Midas têm a coragem de lidar com seus medos e fraquezas, as Sadim preferem camuflar ou ignorar seus fantasmas interiores, disfarçando sua insegurança sob um manto. Transformando em fracasso tudo o que tocam: para o Midas no seu toque as coisas reluzem. Entre o mito e a palavra de Deus, melhor as verdades de Deus, que diz “sê tu uma bênção. E tudo que tocares bênção será”.

02

Eptiva - Época de Atividade

Capítulo 46
Jubilação com júbilo

Dedicado à aposentadoria ministerial sacerdotal
Alguns pastores se aposentam cheios de graça, e outros encaram essa transição sem tanta graça assim. Alguns ministros animadamente se aproximam da jubilação com planos bem elaborados, enquanto outros veem a aposentadoria como o curso que os remove do mundo real. O que faz a diferença? Parece que tanto atitude como aptidão são ingredientes vitais para se chegar à jubilação com sentimento de quem recebe uma bênção. A atitude apropriada não vê a vida como terminada quando chega à jubilação e a preparação correta sobre como fazer um preparo para a jubilação. Alguns jubilados abrem as suas almas e partilham sua sabedoria. Com o avanço da idade, as bênçãos também são abundantes, especialmente para aqueles que esperam recebê-las. Alguns pastores jubilados priorizam a realização de algum sonho longamente acariciado: escrever livros e artigos, por exemplo, ou a sua própria história, aprender informática, ouvir rádio ou pescar. Outros denotam sua alegria por não estarem presos aos rigores de um programa super estressante, podendo aceitar ou recusar algum convite sem o sentimento de culpa. Suas escolhas foram alargadas, não restringidas. Oportunidades para ajudar outros, de muitas maneiras que o ministério de tempo integral impedia, tais como longas visitas aos amigos e novos membros, conversação descontraída, crescente alegria no companheirismo com as respectivas esposas, redescoberta do prazer no casamento, e até melhor relacionamento sexual. Maior intimidade com filhos e netos, desfrutar de algum hobby, praticar esportes, jardinagem, brincadeiras e encontros sociais. A oportunidade de viajar, bem como a liberdade de escolher permanecer em casa quando se sentem cansados. Educação contínua em uma variedade de áreas - espiritual, intelectual, manual e emocional - eternos aprendizes, com mais tempo para crescimento pessoal. Em vez de vestir o pijama e sentar-se na cadeira de balanço, sem nada para fazer, os jubilados ativam seu ânimo para envolver-se em iniciativas, desenvolvendo um novo e mais profundo relacionamento com amigos e

01

José Marconi
crescimento na apreciação das bênçãos divinas em sua vida. Não preferir esperar a aposentadoria para poder adquirir a sua casa própria. Permita a seus filhos terem em você e na sua esposa os pais que Deus lhe tem dado: amorosos, compassivos, amigos e sempre presentes. Pare de dirigir o automóvel quando os filhos começam a sugerir que já chegou o tempo de deixá-los tomar a direção. Aprenda novamente a brincar e a gostar verdadeiramente de música, viagens, fazer amizades e pequenos trabalhos, reconhecer-se no papel de liderado. “Deixe o pastor pastorear e o administrador administrar”, sem influências paralelas, sem dividir a lealdade da congregação. Renuncie o controle de sua liderança e ofereça apoio cooperativo ao pastor e a todos os projetos que ele tem para a vida da igreja. Encoraje e afirme os obreiros jovens, reconhecendo que eles quererão, às vezes, fazer diferente do que você pensa. Em vez de procurar encontrar falta, regozije-se no sucesso do seu substituto e abstenha-se de dar conselhos sem que tenha sido solicitado. Lembre-se, um conselho vale cada centavo que custa. Aceite tarefas interinas, evite tomar o púlpito onde você já foi pastor, ou tornar-se um conduto de informação para os membros que estão acostumados à sua assistência pastoral. Considere cuidadosamente o conselho de sua família, seus colegas e amigos de longa data. Procure chegar ao final da vida com um sentimento de gratidão pelas bênçãos de Deus e reconheça que sua jubilação é tanto uma recompensa pelo fiel serviço, como um prenúncio da grande recompensa que Jesus está preparando para Seus servos bons e fiéis.

02

Eptiva - Época de Atividade

Capítulo 47
Lar da gente

A primeira providência de Deus, após a criação, foi constituir a família. O primeiro milagre de Jesus foi na constituição da família. Toda a família deve ter a consciência da época da aposentadoria e prepararse para tal. Senão, pode sofrer muito por isso. É necessário refletir em tempo oportuno sobre esta etapa do ciclo da vida, fazendo inclusive um planejamento financeiro. A primeira coisa que vem à cabeça é: “Eu nunca fiz nem lista de supermercado, devo começar agora?”. Pois é. Mas, se toda a vida não levamos em conta fazer lista de compras, etc., perdemos tempo e dinheiro, não fomos objetivamente às prateleiras do que realmente estávamos precisando e começamos a passear corredor por corredor, aproveitando e colocando isto aqui, na maioria das vezes, coisas que nem precisamos e nem é prática em nossa casa, mas vamos. E o final é que, terminamos comprando muito mais com muito menos eficiência, mais tempo, mais dinheiro, menos resultados. Planejamento é isto: poupa-nos desgastes físicos, emocionais e financeiros. Assim, também, no caso da aposentadoria. A família tem que estar preparada para receber o aposentado, sua nova rotina e o seu novo padrão financeiro. Podem desejar continuar com alguma atividade produtiva, ou podem decidir apenas descansar, viajar, desfrutar mais do convívio familiar. Investir seu tempo livre em atividades de cunho social, dedicando sua experiência e suas aptidões a projetos comunitários. Carreiras têm princípio, meio e fim. Se aceitar este fato com mais tranquilidade durante a vida produtiva, há uma rotina equilibrada, pessoal, familiar e social. Após o término da carreira formal, também o será as nossas aspirações por um padrão de vida na aposentadoria, semelhante, ou melhor, ao da vida de trabalho. Devemos nos prevenir contra qualquer falta de motivação decorrente da aposentadoria, perspectivas de frustração também devem ser consideradas, tanto para quem está se aposentando como para sua família. Um barzinho não deverá preencher a

01

José Marconi
contento a vida de quem se aposenta de seu emprego formal. Há um mundo lá fora, esperando ajuda tua e de tua família. O trabalho voluntário dignifica. Cem anos é uma idade que muitas pessoas conseguirão alcançar nos próximos 20 anos, em muitas partes do mundo, inclusive no Brasil. Uma pessoa que se aposenta aos 60 ou 65 anos, tem uma expectativa de viver ainda 30 anos ou mais. Isto representa um terço do tempo de sua vida. E o que fazer dele, além de estar aposentado. “Não se trata mais de 'atividades' como jardinagem, danças de salão ou ginástica. Mas, sim, da atividade profissional, produtiva, mesmo”. Permanecer no mercado de trabalho, reformular a vida de maneira a poder continuar produzindo. O aumento da expectativa de vida criou a necessidade de se pensar em perspectivas para um processo de envelhecimento saudável. A principal visão da preparação de aposentadoria é estabelecer um processo informativo e participativo sobre o futuro. E o futuro você deve sempre planejar, desde o início da sua vida profissional. O brasileiro costuma ser muito imediatista, o que não é bom. O indivíduo precisa aprender a refletir em como deseja viver os seus próximos anos. Até mesmo ficar um tempo sem fazer nada, deve ser uma opção, e não uma consequência do não saber o que fazer com o tempo livre. O planejamento envolve vários sentidos e deve começar cedo, não deve acontecer quando o indivíduo já está prestes a se aposentar, pois isto poderá representar um risco sério para o seu bem-estar na aposentadoria. E se organizar sob forma familiar de associações e/ou cooperativas, propiciando uma visão mais otimista de futuro. É preciso planejar e se organizar para garantir bem-estar a este período, cada vez mais extenso, que se viverá na aposentadoria.

02

Eptiva - Época de Atividade

Capítulo 48

O estado de espírito da velhice
Espiritual. Em minha opinião é preciso que o Zaquen procure conhecer o lado espiritual da vida. Espiritualidade A busca por uma força maior faz parte da busca humana pelo sentido da existência. Vive mais e melhor quem tem o costume de orar, quem tem uma religião ou vive uma vida orientada pelo sentimento de que Deus está no controle da vida. A certeza de nunca estar só. Exercite a espiritualidade com o senso perspicaz de que a negligência na disciplina espiritual poderá levar a um enfraquecimento crescente. Aposentadoria não significa ter alcançado a santificação, mas que você continua a jornada na obra de Deus em sua existência. Fé = as coisas que se esperam. Esperança? Qual era a nossa esperança? E a maior? Dizíamos “tenho esperança de que meu papagaio fale”, “que o exame de saúde não dê nada errado, que vou passar e ser aprovado em tal concurso, que vou ser chamado, que ele ou ela volte. “Fulano se conserte”, ou “fulano, deixe de beber”, “vamos superar a crise”, “vou ver meus filhos criados e meus netos crescerem” e por final, mas não menos importante, que “vou me aposentar e ainda por cima cheio de esperança”. Não somos motivados por impressões, paradigmas e estigmas, de uma parte da sociedade impressionável e por vezes mal orientada, tomam como verdadeiras e as decreta revestidas de uma roupagem que se faz parecer com a verdade; e haja máximas, casamento no sétimo ano entra em crise, depois dos quarenta tem a crise da meia idade. Enfim, todas estas coisas resultantes de uma experiência de vida mal-sucedida e bem divulgada, mas saibam que é uma experiência aplicável tão somente à vida deles, não à nossa. Sim, mas na vida de artista tal é assim. E daí? Nem artistas somos. Essas mentiras, de tanto ser divulgadas repetidamente, acabam tendo aparência de verdade, mas lembre-se: não é a verdade. Temos esperança, sim.

01

José Marconi

Capítulo 49
Nova chance a cada amanhecer
Há um hino de J. Neto, Cristão, que diz: “Dê-me uma nova chance”. Entendo que chances são dadas, desejadas e, acima de tudo, não devem ser desperdiçadas. A sabedoria popular diz que a oportunidade é um homem que tem um topete na frente e é completamente calvo atrás, ele vem de frente para você e esta é a hora de agarrá-lo, pois, uma vez que passa, é impossível pegar. A vida nos dá oportunidade de sermos diferentes e reparar erros, equívocos. Temos falado muito em aumento da expectativa de vida, com qualidade. Junto à longevidade vem um fator real. Na última década os divórcios saíram de um patamar de 7% para 12%, mais pessoas se separando. Não faço aqui apologia ao divórcio, longe de mim e de você, estou mais para, casados para sempre. Mas, são um fato, as pessoas estão se separando mais. E como resultado desta separação, muitos estão começando uma nova família depois dos cinquenta, e é justo e digno que retomemos a nossa vida. Mas, isto exige um redobrado cuidado com a saúde, e este cuidado mantido regularmente. Uma maioria considerável destes novos relacionamentos se dá com parceiras mais novas, até já virou banalidade a diferença de idade entre casais. Homens e mulheres, tendo oportunidade, procuram um companheiro mais jovem que, por sua vez, traz consigo o desejo de constituir sua própria família, aí deseja filhos e tudo que tem direito. Então, relaxar é normal e perfeitamente possível. A primeira pessoa que tem que se aceitar é você. Lembra-se, expectativa de vida? Então, os argumentos de não isso, não aquilo. Como diria Dinarte, isto não tem cabimento, não cabe a negação. Tem-se um novo amor, uma nova família, mais uma vez frisamos, não é apologia ao divórcio, mas sendo este o caso, é o fato consumado. Se isto é uma realidade em tua vida, considere-a. Ter filhos depois desta idade? Bem, é hipotética a afirmação de que pais jovens vão passar mais tempo com seus filhos, mas nem sempre é isto que os índices mostram. Argumentos como: “É porque eu me preocupo com o futuro”. Lembre-se: há um presente que deve ser vivido e aproveitado e este presente tem futuro sim e deve ser intensamente vivido, sem desperdício de tempo, espremendo até a última gota de felicidade, arrancando da pedra o teu diamante. Estamos aqui, somos estáveis, não nos submetemos aos ditames de um mercado competitivo, sabe por quê?

02

Eptiva - Época de Atividade

Ou estamos ou vamos nos aposentar. Pode dar aquele sorrisinho, e como é bom dizer isto: vou me aposentar! E, pasmem: pela vontade de Deus, em plena funcionalidade. É mole? Esse negócio de sentar na praça, jogando dama e dando milho aos pombos, já era, a era agora é de atividade.

Enfrentando o novo pelas velhas garantias
Há uma capelinha ao pé da serra à espera de reza, reza do terço, reza comprida de não acabar. Tem na ponta a cruz. Levam vidro d´água pra molhar o cruzeiro, meninos. Carece de chover! Seca a mata. A plantação. Carro de boi cantando, rangindo na malemolência, preguiça de boi de carro, não há que ter pressa.

01

José Marconi

Capítulo 50
Tempo é luxo

Como esperei este momento
O tempo é sucessivo porque, tendo saído do eterno, quer voltar ao eterno. Quer dizer, a ideia de futuro corresponde a nosso desejo de voltar ao princípio. Deus criou o mundo. E todo o mundo, todo o universo das criaturas, quer voltar a este manancial eterno que é intemporal, não anterior nem posterior ao tempo, mas que está fora do tempo. (Jorge Luís Borges) Foi exibido na TV, “Tempo, gestor da vida,” dono da vida. Para nós, que por hábito saciamos nas fontes da palavra de Deus, é consenso que kairos refere-se a tempo de Deus. Aliás, não ter tempo para Deus é perda de tempo. Se o conceito luxo está intimamente relacionado a coisas raras, presumo, então, que tempo é um luxo do século XXI. Vejo, então, que o Senhor tem provido uma vida luxuosa para você. Tempo remido. Tempo conciliado com Deus. Pois, as expectativas de ANOS aumentaram. Em 1928, 64 anos. Este era o limite máximo para os seres humanos, estabelecido por Louis Dublin. Em 1990, elevou-se a idade máxima para 85 anos. E a partir daí, todas as tentativas de estabelecer limites de idade máxima, do ser humano, falhou. Pois, de 1940 para cá, a longevidade vem crescendo linearmente. Em função do saneamento básico, certo controle de doenças infecciosas, vacinas e antibióticos e ainda assim estamos longe do limite do crescimento da expectativa de vida. Deus tem nos acrescentado tempo. Lembrando que: Tempo vazio espaço, para o ócio; mente vazia, oficina de contrário. Iniciamos esta conversa falando de época, tempo, etc. E terminaremos falando do bom uso dele. Quando mais jovem, fui muito impetuoso, mas, com o passar dos dias, fui amadurecendo e aprendi a usar uma ferramenta imensuravelmente poderosa: a gentileza, que faz parte da conduta

02

Eptiva - Época de Atividade
cristã. Recebi austera educação na família, mas a gentileza é mais que educação, aflora do agir naturalmente. Em Cristo, tive meu caráter modificado. Não é mais de relevância meritória, em busca de aclamação. Mas, me dou por satisfeito, por fazer o bem, dando minha contribuição à humanidade. Aprendi a agir com o coração e de valorizar aquilo que realmente nos preenche, que realmente nos faz sentirmos felizes e plenos. Uma escolha pessoal, fazer a minha parte e contribuir, sim, para um mundo melhor. Não podemos confundir, ser gentil com ser bobo e fazer o que todos querem que a gente faça. Aprendemos que temos de corresponder às expectativas de quem amamos, desde pequeninos; daí, quando crescemos, não sabe dizer 'não', quando na verdade ela é apenas uma resposta, tão cabível quanto o 'sim', desde que seja dito com sinceridade e respeito. Passei a tratar as pessoas com o devido respeito, não me constranjo mais em exaltar a qualidade daqueles que me acercam, de falar coisas agradáveis e positivas. As pessoas foram vendo sinceridade em meus atos cordiais e, acima de tudo, que não havia interesses escusos. Aprendi que é bom ser agradável, como lá em Gênesis “E viu o Senhor que isto era bom”. E uma coisa boa puxa outra coisa boa, e a cada coisa boa criada, uma nova coisa boa acontecia. Traduzindo: portas foram se abrindo. Alicerces sendo edificados, rumos foram mudados. Foram-me apresentados novos horizontes, fui transpondo o que parecia intransponível, relações foram restauradas. Novas amizades edificadas, minhas relações melhoraram em meu ambiente de trabalho, no estudo, na igreja, tudo isto sendo gentil. E isto não se aprende em universidades, é uma habilidade desenvolvida na primícia do segundo mandamento, amor ao próximo, como a mim mesmo. E entender que este próximo pode ser, no lar, na família, no trânsito, no trabalho, eis meu próximo. Antes eu falava como um tagarela. Aprendi a ouvir. Hoje, as pessoas param para me escutar. Era conhecido como extremamente irrequieto. Era meu perfil. Desenvolvi a virtude da paciência e hoje, inquietos compartilham comigo suas ansiedades. Tinha uma opinião a respeito de tudo. Aprendi a colocar meu coração na situação do outro. O nome disto Jesus chamou misericórdia. Pessoas hoje me fazem favores em grande generosidade. Com tantos equívocos que cometi na vida, senti a necessidade de pedir perdão. Com isto, aprendi a perdoar. Das mudanças advindas na minha vida, restabeleceu-me a esperança. Não escutava mais o negativismo. E em cada situação ou

01

José Marconi
circunstância, aplico a gentileza. A Bíblia diz que a palavra dura suscita a ira, mas a doce aplaca os ânimos. Somos gentis quando respeitamos as pessoas e sua natureza divergente, compreendendo as diferenças, sendo gentil e entendendo o seu semelhante, dando-lhes o devido valor. A saber, que o filho de Deus morreu por ele. Deus é Senhor do tempo e se o tempo é gestor da vida, ele está em boas mãos. Está nas mãos de Deus. Que nestes novos tempos, Deus o cumule de bênçãos.

As mãos da Mãe
As mãos. Mãos calejadas E enrugadas Mãos precocemente envelhecidas E endurecidas As mãos sofridas da mulher Cansadas de sofrer! As mãos da mãe. Mãos lindas plantando rosas de amor Mãos lindas plantando um mundo melhor!

02

Eptiva - Época de Atividade

Final

Não existe fórmula nem modelo pronto para definir um plano de vida. Cada um tem que fazer o seu. Relatei aqui coisas e vivências, experiências e bons conselhos que têm guiado minhas ações e me conduzido são e salvo pela doce vida. Inúmeras consultas foram feitas, em livros, revistas e sites da web. Tomei todo o cuidado para localizar os detentores dos direitos autorais e quando necessário se fez, obtive permissão para a reprodução de parte da ideia ou dos textos. Se por esquecimento ou devido à complexidade que é escrever um livro, se eu não dei o devido crédito a alguém, favor entrar em contato com a editora, para que sejam feitas as devidas correções nas próximas edições. Que você, quando Zaquen, viva uma vida longa, mas que nunca fique velho. Declinamos toda e qualquer responsabilidade legal advinda da utilização das informações deste livro, o qual tem por objetivo a informação, divulgação e educação acerca de temas diversos, e cujos artigos expressam tão somente o ponto de vista do seu respectivo autor e tais informações não deverão, de forma alguma, serem utilizadas como substituto para o diagnóstico médico ou tratamento de qualquer doença sem antes consultar um médico.

01

José Marconi
Bibliografia e sites consultados:
Gustavo Cerbasi http://www.techway.com.br/techway/revista_Zãquem/saude/saude_erl y.htm#faixa da normalidade#faixa da normalidade http://www.portaldoenvelhecimento.net/equipe/giulio.htm RODRIGUES, Milena, AYABE, Noelle Harumi, LUNARDELLI, Maria Cristina Frollini et al. A preparação para a aposentadoria: o papel do psicólogo frente a essa questão. Rev. bras. orientac. prof, jun. 2005, vol.6, no.1, p.53-62. ISSN 1679-3390. Formato Documento Eletrônico (ISO) RODRIGUES, Milena, AYABE, Noelle Harumi, LUNARDELLI, Maria Cristina Frollini et al. A preparação para a aposentadoria: o papel do psicólogo frente a essa questão. Rev. bras. orientac. prof. [online]. jun. 2005, vol.6, no.1 [citado 28 Janeiro 2008], p.53-62. Disponível na World Wide Web: <http://pepsic.bvspsi.org.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S167933902005000100006&lng=pt&nrm=iso>. ISSN 1679-3390.

www.pucrs.br/mj/poema-idoso-3.php http://sorayavn.multiply.com/journal/item/171/171 http://www.gerontologia.org/portal/information/showInformation.php? idinfo=779 http://www.portaldoenvelhecimento.net/acervo/opiniao/opiniao4.htm http://www.revistamaioridade.com.br/materias/artigos/desk_artigo_vel hoouidoso.htm http://www.minutodesabedoria.com.br/conteudo/midias/mensagens_do _minuto_373.asp
(Jorge R.Nascimento) Extraído do Livro "Aprenda a Curtir Seus Anos Dourados http://www.aec-sp.org.br/downloads/aec/cf-idoso-velho.pdf http://vsites.unb.br/sintfub/envelheca_com_saude.htm

http://www.businesseducationsite.com/ylang/pt/articlems/retirement/te n-ways-to-effectively-manage-your-time-in-retirement.html Rodrigo Mattos dos Santos

02

Eptiva - Época de Atividade
Biomédico e Divulgador Científico http://pt.wikipedia.org/wiki/Fonte_da_juventude" www.ABRAS.COM.BR Escritora Mariúza Pelloso Lima, Gerontologia Educacional - Uma Pedagogia Específica para o Zaquen, Uma Nova Concepção de Velhice, publicado pela editora LTR Milena Rodrigues; Noelle Harumi Ayabe; Maria Cristina Frollini Lunardelli1; Luiz Carlos Canêo Universidade Estadual Paulista, Bauru Obtido em "http://pt.wikipedia.org/wiki/Fonte_da_Juventude http://www.businesseducationsite.com/ylang/pt/ Frei Jacir de Freitas Faria, OFM - escritor, sacerdote e professor de Exegese Bíblica (retirado do Jornal Opinião) nshttp://g1.globo.com/Notícias/0,,FLC0-5597-2512632,00.html DR. ALEX DAVID TITINGER VAN OORDT Dr. Luiz Freitag João Amós Comênio e o conceito de velhice no século XVII: http://www.ssrevista.uel.br/c_v1n2_velhice.htm A importância da atualização em assuntos políticos e sociais http://www.abcdocorposalutar.com.br/artigo.php?codArt=522 O que é inclusão digital. http://cidec.futuro.usp.br/pesquisa/inclusaodigital/respostas_abertas. html http://www.conselhos.sp.gov.br/ceZãquemsp/apresentacao.html Frank Schirrmacher: “A Revolução dos Zaquens: o que muda no mundo com o aumento da população mais velha” Comciência, entrevistas sobre envelhecimento: http://www.comciencia.br/entrevistas/envelhecimento/neri.htm http://www.metodista.br/terceiraidade/a-universidade-livre-daterceira-idade-a-sensibilizacao-do-ser-humano-acima-de-50-anospara-a-volta-as-atividades Fundamentos da Educação Gerontológica

01

José Marconi
http://www.ssrevista.uel.br/c_v1n2_velhice.htm Universidade Aberta da Terceira Idade da Universidade do Estado do Rio de Janeiro http://www.unati.uerj.br ABC do Corpo Salutar http://www.abcdocorposalutar.com.br Instituto Vivendo http://www.vivendo.org.br/histor.htm Conselho Estadual do idoso http://www.conselhos.sp.gov.br/idoso/censo_08.htm SescSP http://www.sescsp,org.br/sesc/Conferencias/subindex.cfm?Referenci a=2911&ParamE... http://www.metodista.br/terceiraidade/a-universidade-livre-daterceira-idade-a-sensibilizacao-do-ser-humano-acima-de-50-anospara-a-volta-as-atividades http://tudobem.uol.com.br/contato.php http://www.portaldoenvelhecimento.net/equipe/giulio.htm Carvalho e Serafim (1995) Em estudos sobre as representações sociais da aposentadoria Graeff (2 Zanelli; Silva, 1996002) Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Os Sete Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes - Wikipédia Como Administrar o Estresse Rosemari Johan - CRT 24804 Terapeuta Holística Condomínio Alvorada Caxias do Sul - RS Os Sete Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes livro de autoajuda do escritor Stephen R. Covey. "A Fonte da Juventude", escrito pelo norte-americano Peter Kelder e publicado, no Brasil, pela Editora Best Seller. Jorge José de Jesus Ricardo* O autor é de Balneário Camboriú/SC e este artigo foi o vencedor do 1º Concurso Literário para Terceira Idade; publicado no livro Poesias, Contos, Crônicas. Florianópolis: Editora da UDESC,

02

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful