Você está na página 1de 83

Workshop ANÁLISE GRÁFICA

CONCEPÇÃO DA FORMA ARQUITETÔNICA 2

Workshop ANÁLISE GRÁFICA CONCEPÇÃO DA FORMA ARQUITETÔNICA 2

Workshop ANÁLISE GRÁFICA

CONCEPÇÃO DA FORMA ARQUITETÔNICA 2

1. O que e o porque da análise gráfica

2. A Casa Gaspar segundo seu arquiteto, Alberto Campo Baeza

3. Conceitos de análise gráfica aplicados à Casa Gaspar

Workshop ANÁLISE GRÁFICA

CONCEPÇÃO DA FORMA ARQUITETÔNICA 2

1. O que e o porque da análise gráfica

an áli se <=> s í ntese

análise => divisão (do todo em partes)

síntese => recomposição (das partes num todo)

an áli se

(do grego ανάλυσις , "dissolução")

o processo de decomposição de uma substância ou tópico complexo em seus diversos elementos constituintes, a fim de se melhor compreendêlo.

constituintes, a fim de se melhor compreendê ‐ lo. Cathedral of Christ the Light Oakland ,

Cathedral of Christ the Light Oakland, California Skidmore, Owings & Merrill 1

s í ntese

do grego

σύνθεσις

sýn = reunião ação conjunta

thesis = proposição

=> Composição

conjunta thesis = proposição => Composição Cathedral of Christ the Light Oakland, California

Cathedral of Christ the Light Oakland, California Skidmore, Owings & Merrill

an áli se gráfi ca

Analisar pelo desenho:

isolar a parte analisada compreendendo sua função no todo

an áli se gráfi ca Analisar pelo desenho: isolar a parte analisada compreendendo sua função no

POR QUE ANÁLISE GRÁFICA?

1) COMO UM INSTRUMENTO DE PROJETO:

Compreensão da obra de referência Constru ção de esto q ue de solu ções

2) COMO UM RECURSO DE APRESENTAÇÃO DE PROJETOS:

Codificação gráfica comunicacional Exposição de conceitos, ideias, princípios

TEMA DO WORKSHOP:

Casa Gaspar

arquiteto Alberto Campo Baeza

Casa Gaspar

segundo texto de seu arquiteto Alberto Campo Baeza

http : //www. campo b aeza. com/

o texto pode ser decupado em 20 possíveis desenhos:

apenas os trechos 1 e 20 dizem respeito à idéia da casa, os demais são descritivos.

possíveis desenhos: apenas os trechos 1 e 20 dizem respeito à idéia da casa, os demais
A idéia inicial Hortus conclusus é um termo latino que significa , literalmente , jardim

A idéia inicial

Hortus conclusus é um termo latino que significa , literalmente, jardim fechado.

descrição

descrição

descrição

descrição

descrição

descrição

descrição

descrição

descrição

descrição

descrição

descrição

descrição

descrição

descrição

descrição

descrição

descrição

descrição

descrição

interpretação

interpretação

Análise gráfica da C asa Gaspar

CONCEITOS ENVOLVIDOS

1 CONTEXTO

2 MASSA E COMPOSIÇÃO DA FORMA

3 MATERIALIDADE

4 ESTRUTURA RESISTENTE

5 LUZ NATURAL e VENTILAÇÃO

6 ORGANIZAÇÃO FUNCIONAL: SETORIZAÇÃO / CIRCULAÇÃO E USO

7 SÍNTESE

CONTEXTO

Desenhos:

1) Mapa de figura/fundo com rota de aproximação ou visão de passarinho com rota de aproximação 2) Visão serial

Texto:

1) E m que tipo d e lugar se insere o prédi o ? 2) Como são topografia e a vegetação? 3) Como são as construções vizinhas (contexto edilício)? 4) Como se harmoniza ou contrasta com elas?

Rota de aproximação
Rota de aproximação

Rota de aproximação

Rota de aproximação
Rota de aproximação

Rota de aproximação

Rota de aproximação Visão serial
Rota de aproximação Visão serial

Visão serial

Rota de aproximação Visão serial

Rota de aproximação

Rota de aproximação Visão serial 4 1 3 2
Rota de aproximação Visão serial 4 1 3 2

Visão serial

4 1 3 2
4
1
3
2

Visão serial

Visão serial

Visão serial

Visão serial

Contexto edilício

Contexto edilício

Contexto edilício

Contexto edilício

CONCEITOS ENVOLVIDOS

MASSA E COMPOSIÇÃO DA FORMA

Desenhos:

1) Perspectiva da volumetria simplificada (sem aberturas ou detalhes de fachada, diferenciando elementos de massa principais e secundá rios)

2) Perspectiva explodida da composição da forma (adições, subtrações, hierarquia de elementos

Texto:

1) Como a massa se configura?

2) Como define/articula os espaços externos?

3) Quais suas qualidades formais? (leveza, peso, simplicidade, horizontalidade, verticalidade, etc )

A grade compositiva se b ase i a em m ód u l os d
A grade compositiva se b ase i a em m ód u l os d

A grade compositiva se

b asei a em m ód u l os d e proporção 3x4 que confi guram um q uadrado perfeito.

proporção 3x4 que confi guram um q uadrado perfeito. A grade compositiva gera a geomet ri

A grade compositiva gera a geomet ri a simples da planta.

A grade compos iti va acomoda uma malha material de 60 x 60 lajotas quadradas

A grade compositiva acomoda uma malha material de 60 x 60 lajotas quadradas de pedra branca d e 30 x 30 cm cada.

CONCEITOS ENVOLVIDOS

MATERIALIDADE Desenho:

1) Perspectiva explodida (ou indicações em p lantas, cortes e elevaçõ es)

Texto:

1) Que materiais compõem o edifício?

2) Como esses materiais se distribuem?

3) Que qualidades conferem ao edifício? (leveza, peso, luxo, frieza, etc )

CONCEITOS ENVOLVIDOS

ESTRUTURA

Desenho:

1) Perspectiva do “esqueleto” estrutural (ou indicações em plantas, cortes e elevações)

Texto:

1) Que tipo de estrutura sustenta o edifício? (metálica , concreto, madeira, alvenaria, mista)

2 ) É aparente ou revestid a ?

2) Como a estrutura se configura espacialmente?

3) Como a estrutura define os espaços internos?

CONCEITOS ENVOLVIDOS

LUZ NATURAL

e

VENTILAÇÃO

Desenho:

1) Cortes (incidências) e plantas

Texto:

1) Como a luz natural atinge o edifício? (Luz direta, rebatida ou difusa)

2) Como o edifício captura e controla a luz natural? (Luz direta, rebatida, difusa, zenital, filtrada)

3) Como o edifício captura e controla a ventilação natural? (ventilação cruzada?)

Solstício de verão 9:00 hs

Solstício de verão 9:00 hs

Solstício de verão 17:00 hs

Solstício de verão 17:00 hs

Equinócio de inverno 9:00 hs

Equinócio de inverno 9:00 hs

Equinócio de inverno 17:00 hs

Equinócio de inverno 17:00 hs

ORGANIZAÇ ÃO FUNCIONAL:

ESPAÇOS DE CIRCULAÇÃO / ESPAÇOS DE USO SETORIZAÇ ÃO

Desenho:

1) Plantas e cortes (linhas de circulação e espaços de uso; gradação de privacidade; setores íntimo, social e serviço diferenciados por cores)

Texto:

1) Por onde se entra e como se circula no interior do edifício? (acessos, eixos de circulação horizontal, caixas de escada, rampas)

2) Como a circulação define os espaços de uso?

3) Como o edifício organiza os três setores?

CONCEITOS ENVOLVIDOS

S Í NTESE

Desenho:

1) Corte, perspectiva ou diagrama ilustrativo do tex to

Texto:

1) Aponte e justifique em texto curto (tweet) a ideia arquitetônica que lhe parece mais forte no edifício?

segundo Baeza

segundo Baeza

Uma outra leitura: um percurso de volta ao simples • Através de uma sucessão de

Uma outra leitura: um percurso de volta ao simples

Através de uma sucessão de espaços, cada vez mais internos, a casa nos separa aos poucos do caos do mundo exterior para, ao final, nos remeter à contemplação do mundo natural controlado.

Interesses relacionados