Você está na página 1de 28

Edifício Solar XXI:

António Joyce

Departamento de Energias Renováveis

INETI - Instituto Nacional de Engenharia, Tecnologia e Inovação, IP


Estrada do Paço do Lumiar, 1649 - 038 Lisboa, PORTUGAL
Antonio.Joyce@ineti.pt

1
Introdução

“Edifício Solar XXI”


Novo edifício do Departamento de Energias Renováveis do INETI.

Eficiência Energética
Integração de Renováveis
Edifício Laboratório

Apoio do Programa

2
Introdução

•Exemplo para promotores, projectistas e construtores de


edifícios, de que é possível construir edifícios menos
consumidores de energia sem sobrecustos significativos.
•Realçar o papel da Energia Solar nos edifícios (Térmica,
Fotovoltaico)
•Diminuir custos de exploração energética para o cidadão e
para as empresas
•Diminuir as emissões de CO2 no sector dos edifícios

3
Introdução

Principais características

• Redução das necessidades energéticas para aquecimento,


arrefecimento e iluminação.
• Integração na fachada de painéis fotovoltaicos para produção
de energia eléctrica.
• Integração de colectores solares térmicos para aquecimento do
edifício.
• Utilização de um sistema de arrefecimento através de tubos
enterrados no solo.

4
Projecto
Área construída 1600 m2 2 pisos + cave

5
Construção

Estrutura em betão em
alvenaria de tijolo com
isolamento pelo exterior
(6cm nas paredes e 10
cm na cobertura)

6
Isolamento Cobertura

Cobertura invertida,
com 5 cm poliestireno
expandido + placas de
betão com 5 cm de
poliestireno extruido)

7
Isolamento paredes

Paredes exteriores
com 5 cm poliestireno
expandido.

SISTEMA DRYVIT

8
Iluminação natural

9
Ventilação Cruzada

10
Ventilação Cruzada

11
Sistemas Activos

Colectores solares
térmicos

Painéis
fotovoltaicos

12
Colectores Solares Térmicos

8 Colectores Solares
Térmicos CPC na cobertura
apoiam o aquecimento do
edifício.

13
Colector Solar de ar

Colector solar de ar nas costas dos módulos Fotovoltaicos

PV

Inverno Meia estação Verão

14
Colector Solar de ar

15
Tubos enterrados no solo

16
Tubos enterrados no solo

Condutas tipo "Spiro” ø 300 mm


no interior da courete

i=2,5%

Condutas em PVC ø 300 mm

i=2,5%

Manilhas de cimento ø 300mm

FOSSO DE ADMISSÃO DE AR

17
Tubos enterrados no solo

18
Tubos enterrados no solo

19
Tubos enterrados no solo

20
Monitorização Térmica
Edifício Solar XXI
Temperaturas - 17 a 31 de Janeiro de 2006

30

25

0.05
20 0.07
1.02
Temperatura [ºC]

1.06
1.07
15
2.03
2.06
2.07
10 Hall
Exterior

Fem de semana Fim de semana


0
1 12 23 34 45 56 67 78 89 100 111 122 133 144 155 166 177 188 199 210 221 232 243 254 265 276 287 298 309 320 331 342
Horas

21
Monitorização Térmica

Edifício Solar XXI


Temperaturas - 1 a 10 de Abril de 2006

30

25

0.05
20 0.07
1.02
Temperatura [ºC]

1.06
1.07
15
2.03
2.06
2.07
10 Hall
Exterior

Fim de semana
0
1 9 17 25 33 41 49 57 65 73 81 89 97 105 113 121 129 137 145 153 161 169 177 185 193 201 209 217 225 233
Horas

22
Sistemas Fotovoltaicos

Na fachada Sul:
12 kWp
96 m2
Silício Policristalino
Ligado à rede

No parque de estacionamento:
6 kWp
95 m2 , 15 º inclinação
Silício Amorfo
Ligado à rede

23
Sistemas Fotovoltaicos

Produção dos sistemas PV

24
Sistemas Fotovoltaicos

Produção vs Consumo

25
Sistemas Fotovoltaicos

A media anual do consumo diário do Edifício Solar XXI foi de 70.8 kWh/dia.

Produção PV diária média dos sistemas:

Fachada 29.7 kWh/dia (903 kWh/kWp ano)


Parque de estacionamento 22.4 kWh/dia (1363 kWh/kWp ano)
Total 52.1 kWh/dia

Os sistemas Fotovoltaicos produziram em média 73.6% da energia


consumida.

26
Conclusões

Níveis de conforto assinaláveis


mesmo sem dispositivos de ar
condicionado.

É possível construir edifícios


energéticamente eficientes e
com integração de renováveis a
custos compativeis com os
custos do mercado.
(neste caso o custo foi inferior
a 1000 €/m2 )

27
Com o Apoio:

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DA INOVAÇÃO

UNIÃO EUROPEIA FEDER

28