Você está na página 1de 1

Texto 5 Immanuel Kant

O homem, nico ser capaz de dizer ou pensar eu penso.


O homem distingue-se dos animais pela faculdade de pensar (pelo entendimento). Mas esta faculdade de pensar implica a faculdade de se pensar como sujeito pensante (como pessoa). Para pensar necessrio pensar eu penso.

O facto de que o homem pode ter uma representao do seu eu eleva-o infinitamente acima dos demais seres que vivem sobre a terra. Graas a isto, o homem uma pessoa, e por virtude da unidade da conscincia, por entre todas as transformaes que podem afet-lo, uma e a mesma pessoa, isto , um ser totalmente distinto, pela sua categoria e dignidade, das coisas, como so os animais irracionais, os quais ns podemos dispor a capricho. assim, mesmo quando ele no capaz todavia de expressar o eu, porque, no obstante, o pensa; como tm que pensar, de facto, em todas as lnguas, quando falam na primeira pessoa, embora no expressem este eu por meio de uma palavra especial. A faculdade que entra aqui em jogo (que , a saber, a de pensar) o entendimento. notvel, contudo, que uma criana que j sabe falar bastante bem e que apenas comea bastante depois (aproximadamente um ano mais tarde) a dizer eu, fale de si durante tanto tempo na terceira pessoa (Carlos quer comer, andar, etc.), e que parea ter sido iluminado quando comea a expressar-se dizendo eu: pois desde desse dia j nunca mais volta a falar daquela outra maneira. Antes ele tinha apenas um sentimento de si mesmo, agora pensa-se a si mesmo. Immanuel Kant, Antropologia de um ponto de vista pragmtico