Acupuntura, yoga, psicoterapia.

Apresentação do artigo “O Yoga Psicodélico” de Sri Brahmarishi Narad Paulo Pedro P. R. Costa – costapppr@gmail.com

A propósito do artigo de Gabriel Stux “Acupuntura de chakra” traduzido e publicado por mim no blog Acupuntura Ciência e Profissão (http://etnomedicina.blogspot.com.br/), cabe essa complementação e explicação acerca de sua proposição de meditação sobre o fluxo dos chakras, que ao meu ver acrescenta outras possibilidades de entendimento e intervenção terapêutica. A principal questão a esclarecer é que a meditação sobre os chakras na sessão de acupuntura, com ou sem a estimulação por agulhas, se trata de uma ação complementar à acupuntura. Muitas outras ações podem ser associadas tais como musicoterapia, diálogos com o paciente, que podem variar de um aconselhamento, à utilização de uma das técnicas de terapia da fala (talking cure) ou mesmo uma simples conversa informal, que sabemos que em consultório, nunca é tão informal assim pois sempre sofre influência do padrão de relação médico paciente estabelecido, como nos mostrou o Dr. Sigmund Freud (1856-1939) com o desenvolvimento da Psicanálise. A título de complementação apresentaremos em seguir neste blog uma tradução, realizada por Ligia J. Caiuby publicado no Brasil (Bailly; Gumard, 1972), de um texto que foi publicado originalmente como um conjunto de folhas mimeografadas, distribuído gratuitamente, sem copyright algum no final dos anos 1960 na Califórnia (Erowid vault)

1

e no jornal "underground" San Francisco Oracle, em março de 1967 (Bailly; Gumard, 1972). Esse texto “Yoga psicodélico” se enquadra na controvertida proposição de psicoterapia originada em Harvard pelos psicólogos Timothy Leary (1920 - 1996), Ralph Metzner Ph.D. (1936) e Richard Alpert; (1931) bacharel em artes e doutor em psicologia, que, em 1966, publicaram “The Psychedelic Experience: A Manual Based on the Tibetan Book of the Dead” (A experiência pisicodélica, um manual baseado no livro tibetano dos mortos) que também toma como referência as técnicas de meditação e o conhecimento oriental. Psicoterapia psicodélica refere-se à prática terapêutica envolvendo o uso de substancias psicoativas específicas conhecidas como "psicodélicas", "alucinógenos" ou "enteógenos". Tal designação é construída funcionalmente, a partir de propriedades específicas e contexto de uso do grupo drogas classificadas farmacologicamente como psicodislépticos, particularmente com ação serotoninérgica, tais como: LSD, psilocibina e DMT. O uso do termo psicodélico (do grego: ψυχή - psiké / alma e delos δήλος – revelação/manifestação) enfatiza a possibilidade que essas substancias proporcionam para facilitar a exploração da psique, o que é fundamental para a maioria dos métodos de psicoterapia. Cabe aqui o esclarecimento que tais procedimentos não foram legalmente instituídos pelos órgãos de regulação e controle profissional do Brasil, e que a maioria das substancias empregadas com esse fim também são de uso restrito ou proibido no país, e que também ainda não se formou um consenso quanto à forma do método terapêutico ou linha teórica de atuação, apesar de já existirem diversas pesquisas apresentado resultados terapêuticos com emprego de cada uma dessas substancias. Diversos protocolos de pesquisa vêm sendo desenvolvidos a exemplo Psicoterapia com LSD o “LSD – assisted psychotherapy” do Multidisciplinary Association for Psychedelic Studies (MAPS) ou o “Psilocybin Cancer Project” do Departamento de Psiquiatria e Ciências do Comportamento da Johns Hopkins School of Medicine, em pessoas sofrendo de ansiedade associado à estágio avançados de doenças terminais e ainda as proposições de intervenção que vem sendo desenvolvidas em centros para tratamento e recuperação de drogadição a exemplo do Centro Takiwasi no Peru. Observe-se também que se no atual paradigma científico considera-se legitimo pesquisar a natureza do chakras descrevendo a “sensibilidade espontânea ao estímulo” ou a “resistência elétrica” das regiões anatômicas de sua interferência ou contato com o corpo físico, assim com se faz com os pontos de acupuntura. É igualmente legítimo, nos termos das produções da comunidade científica do paradigma vigente, uma análise feita da percepção de tais estruturas descritas na tradição védica, com alterações da percepção e consciência do observador. Analisando-se posteriormente os relatos verbais, do que pode ser designado em termos psicológicos como unidades de sensação (conteúdo objetivo da experiência imediata) e afetos (sentimentos subjetivos). Apesar de não distinguir as distintas substancias psicodélicas entre si - um procedimento inaceitável em nossos dias, face ao nível de entendimento que já possuímos das suas características bioquímicas e tipo receptores ou locais de ação no Sistema Nervoso Central. O autor, nos alerta quanto ao uso destes psicotrópicos sem 2

orientação e descreve com precisão as estruturas e fenômenos que podem ser denominado chakras, sob efeito das faculdades, segundo ele, mais espirituais e mais poderosas do homem que são a consciência e a atenção. O artigo em questão, como veremos, vai mais além do paradigma materialista ao propor os campos e registros akáshicos como possibilidade de atuação das substancias psicodélicas e integração das vivências experimentadas com o comportamento na vida cotidiana, consolidando o processo terapêutico. Nessa perspectiva a medicina oriental assim como outros sistemas etnomédicos (xamânicos) não se limitam a cura do corpo físico, ou resolução de uma patologia tal como nós ocidentais compreendemos o processo saúde – doença, ampliando a pretensão da intervenção à transformações de personalidade, ampliação da consciência e conquistas, quem sabe, da imortalidade. Assim sendo bem vindos ao texto: de Sri Brahmarishi Narad:

O YOGA PSICODÉLICO As drogas psicodélicas aumentam a sensibilidade de impalpáveis forças espirituais e psíquicas, e estas aceleram o fluxo de impressões que vêm das mais profundas camadas da consciência; só estas considerações bastam para provocar a seguinte pergunta: como controlar e compreender as forças desencadeadas por estas drogas?

3

É evidente que, se nada as orientar, elas farão mais mal do que bem. A prática das técnicas de meditação do Yoga tradicional durante uma experiência psicodélica oferece a possibilidade de se encontrar a solução deste problema. Além do mais, a filosofia do Yoga ensina que as faculdades mais espirituais e mais poderosas do homem são a consciência e a atenção. A característica fundamental do livre arbítrio humano é sua escolha de "objetos" aos quais se prenderá sua atenção devendo esta ter sempre um pólo de atração, mas um pólo que temos liberdade de determinar. Todas as práticas do Yoga dão testemunho da experiência direta da essência dessa atenção e visam à sua descoberta. O yoguin procura descobrir .este princípio pelo qual todas as coisas são conhecidas. Para ter sucesso nestas buscas, é necessário observar aquele que observa ~ quer dizer. fazer a atenção concentrar-se sobre si mesma. A princípio isto pode parecer muito abstrato e muito difícil de ser aplicado Mas existem métodos, submetidos à ação do tempo, que permitem atingir essa consciência pura. A prática repetida de tais métodos não pode deixar de dar resultados. Durante uma sessão psicodélica. é preciso que não nos esqueçamos, em momento algum, de que todas as percepções, pensamentos e até alucinações com os quais fazemos a experiência sejam inteiramente criados por nosso espírito e nossa consciência e de que, para serem percebidos, devem passar por nossos próprios aparelhos de percepção. Essas percepções representam a distribuição de nossas próprias energias psíquicas. Qualquer pensamento ou sentimento sobre os quais queremos fixar nossa atenção exigem energia. Seja qual for o objeto, a atenção produz, ao concentrar-se, um fluxo de energia mental e emocional sob a forma de harmônicas inferiores. Esses pensamentos e emoções sobre os quais se fixou a atenção adquirirão assim a energia que os manterá. Agora é fácil ver que, para sermos senhores de uma experiência psicodélica, é essencial controlar o fluxo da atenção. É preciso começar por suprimir tudo o que puder distraí-Ia e, em seguida, orientá-Ia corretamente, praticando as técnicas de meditação do Raja Yoga. Vamos agora descrever algumas destas técnicas, cada qual podendo ser utilizada sob a influência do LSD, da maconha, da mescalina, do DMT, do haxixe, da psilocibina e de todas as outras drogas que alargam o campo da consciência. Antes de ir mais longe, qual é a primeira regra a ser lembrada em caso de paranóia ou de uma sensação aterradora tida enquanto estivermos sob a ação de uma droga psicodélica? É preciso ter em mente que, em nossa consciência, passa ao mesmo tempo tudo aquilo sobre que estamos prestes a fazer a experiência - todos os nossos pensamentos e todas as nossas emoções. Em seguida, concentre sua atenção indivisa nessa consciência que percebe tudo o que acontece a você. Este procedimento libera a

4

atenção dos pensamentos astrais e mentais, e faz a consciência voltar às suas primeiras origens. Essas perniciosas formas de pensamento dissipam-se. São reabsorvidas pela energia vibratória homogênea da camada particular de energia psíquica que as havia produzido em primeiro lugar. A consciência que se observa brilha com urna luz intensa, que permite que se dissipem rapidamente as formas perniciosas de pensamento, pois as muito poderosas harmônicas inferiores, libertadas pela pura consciência, anulam suas vibrações discordantes. Se, em dado momento da meditação, a atenção vaguear, será preciso imediatamente voltar à concentração no processo de meditação. Deve-se recomeçar todas as vezes que for necessário, até que a atenção acabe por fixar-se sobre o tipo de meditação que se pratica. Aqueles que têm pouca experiência de meditação tendem a lutar contra a desatenção: esse esforço torna-se, em si,urna forma de desatenção. A atenção só pode fixar-se numa única coisa de cada vez. É, portanto, preciso simplesmente reconduzi-la ao objeto da meditação. Outro meio de evitar as distrações é interromper provisoriamente a respiração e não inalar, nem expirar. Já que a respiração está intimamente ligada a todos os processos biológicos do corpo, a percepção da parada da respiração fixará a atenção, pelo instinto de sobrevivência que se criou durante milhões de anos de evolução ~ e assim a vagabundagem da atenção cessará. A partir desse momento, é fácil recomeçar a respirar normalmente e concentrar-se de novo no gênero de meditação praticado. Dirija sua atenção indivisa unicamente para o centro do cérebro onde se situa a glândula pineal. Disponha-se a ouvir com atenção os sons que se produzirão. Dentro de um momento, você ouvirá sons de alturas e timbres diferentes. A princípio, provavelmente. ouvirá apenas o silvo surdo do movimento fortuito das moléculas no ouvido, mas, pouca a pouco.. os sons se farão mais nítidos e se assemelharão às notas prolongadas de um órgão. O som é percebido pelo cérebro e pelos corpos sutis, sem passar pelos órgãos físicos dos ouvidos. É o ruído das vibrações das correntes vitais da consciência, ao circularem através do corpo físico e dos corpos sutis. A partir do momento em que isto se der, basta simplesmente que você os observe com atenção indivisa, como se olhasse atentamente um filme, no cinema. Depois, de quando em quando, dirija sua atenção indivisa para o menor ponto que você puder ver no centro de seu campo visual e esforce-se por transpor esse ponto. Quando o conseguir, a luz jorrará desse ponto, acompanhada de um novo surto de energia psíquica, e você será levado a uma Freqüência vibratória (ou nível de força psíquica) mais elevada. À força de praticar esta forma de meditação, você se sentirá mergulhado num fulgurante espaço de luz e se tornará o centro de irradiação dessa energia psíquica.

5

Um yogue experiente, concentrando sua meditação no Sahasrara chakra ou Lotus de Mil Pétalas, que se acha no alto da cabeça, pode liberar uma radiação de luz e energia psíquica ainda mais poderosa. ~ possível que seja necessário um trabalho intenso para que o chakra entre em atividade, e o principiante obterá resultados mais rápidos olhando pelo Ajna chakra, ou centro psíquico do terceiro olho. Uma vez posta em ação, a roda do Sahasrara torna-se o chakra mais elevado; ele é chamado o limiar do infinito e o Brahmarandra, ou abertura do Brahma; é o mais poderoso e o mais espiritual de todos os centros psíquicos que possam ser despertados no homem, com a única exceção, talvez, do chakra do coração, ao qual certos yogues dão igual importância. Quando o Sahasrara chakra está em pleno movimento, num mestre yogue ou num santo, o fogo místico do Kundalini cósmico desce em direção a ele e vem unir-se a seu próprio fogo. Kundalini que se ergue, e as radiações da Luz Clara do espírito estendem-se por quilômetros ao redor. MEDITAÇÃO SOBRE O CENTRO PSÍQUICO DO, CORAÇÃO Para praticar este gênero de meditação são necessárias as seguintes condições: você deve sentar-se num lugar tranqüilo e fixar sua atenção indivisa num ponto minúsculo ou "nó", que se acha no lado direito do coração e de onde irradia a força vital. Sinta a energia que ele encerra. Imagine uma língua de fogo que tenha as cores do arco íris e que jorraria desse ponto, que é puro e transparente como o cristal. As cores múltiplas da chama não passam de diferentes frequências vibratórias das harmônicas inferiores liberadas pela essência cristalina infinitamente rápida do próprio Atman. Lembre-se de que esse centro psíquico no coração é o Santo dos Santos, a morada da Divindade, a centelha divina no homem. O poder do amor que junta tudo no UM irradia desse centro. A chama psíquica do coração desprende a força vital que mantém vivo o corpo físico e cada um dos corpos sutis. É transportada no corpo físico pelo sangue. No corpo etéreo, ela circula pelos nós ou canais de energia sutil. No corpo astral, emite ondas de energia de cor maravilhosa, que correspondem às pulsações do coração. Essas ondas atingem os limites do corpo astral e voltam ao centro do coração, para daí de novo partirem. No corpo mental, uma luz dourada irradia do centro do coração que. para a alma budista evoluída, é o brilho da Luz Clara da iluminação e do amor. A meditação sobre o centro psíquico do coração desenvolve esta parte de nosso ser que é o amor e reforça e purifica as emoções. A faculdade de clarividência ou de sensação intuitiva torna-se, ela também, muito desenvolvida. Essa faculdade permitenos sentir a energia psíquica sobre os níveis sutis, sem passar pelo sentido do tato físico. A sensação intuitiva torna os corpos sutis capazes de sentirem as formas vibratórias no espaço, independentemente do corpo físico.

6

A CONCENTRAÇÃO SOBRE A RESPIRAÇÃO Este gênero de meditação exige apenas a observação do processo de respiração, sem tentar modificá-lo . Você deve simplesmente observar seu sopro, como entra e como sai. Deve, durante esta meditação, ficar sentado, de costas bem eretas, assim como durante todas as outras meditações. Assuma a postura do Lótus, se puder mantê-Ia confortavelmente, ou então sente-se de pernas cruzadas; ou ainda assuma a posição siddhasana, na qual uma das pernas fica sobre a barriga da perna e o tornozelo da outra perna. Algumas pessoas acham que ficar sentadas sobre os calcanhares, com os joelhos unidos na frente, é uma posição confortável para meditar. A observação do processo de respiração acalmará o espírito e harmonizará os ritmos interiores do corpo. Quando nos concentramos unicamente na respiração, nenhuma distração mental ou emocional se torna possível: dá-se um estado de quietude interior, favorável às revelações psíquicas que se produzirão. À medida que a meditação se desenrola, não somente você aspira o ar, mas cada poro, cada átomo de seu corpo absorverá também a luz vital do prana ou sutil energia eletromagnética. O ritmo da respiração está inseparavelmente ligado aos processos metabólicos das células do corpo, uma vez que, para viver, cada célula precisa do oxigênio absorvido pelos pulmões e transportado pelo sangue até os tecidos corporais. Quando respiramos, absorvemos, com o oxigênio, uma substância ainda mais sutil, que se chama prana. Este prana ou força vital é necessário para manter vivo o corpo etérico; este último deve impregnar e estimular a vida celular do corpo físico. A função do coração é enviar através do corpo o sangue que absorveu o oxigênio e o prana e depois trazer aos pulmões o gás carbônico que será expirado. A saúde do sistema nervoso e do sistema glandular depende desse abastecimento de oxigênio e prana. São eles os instrumentos do homem, que preparam tanto para receber as forças espirituais que lhe vêm das mais altas dimensões como para pôr seu corpo em harmonia com elas. A meditação sobre a respiração permite harmonizar o espírito e as emoções com os ritmos do metabolismo fisiológico que evoluiu durante milhões de anos. O homem e seu corpo fazem parte do mecanismo dessa vasta máquina musical que é o universo. Você obterá resultados semelhantes e igualmente poderosos se observar o ritmo das batidas do coração, ao mesmo tempo meditando sobre o centro psíquico do coração. Por meio do ritmo das batidas do coração, assim como pela respiração, podemos nos pôr em harmonia com os ritmos internos das células do corpo e também com fluxo rítmico, no corpo, da energia espiritual do prana. Quando as funções do homem se harmonizam perfeitamente entre si, em todos os níveis ~ físico, etérico, astral, mental e espiritual ~ e quando se harmonizam com os

7

ritmos do cosmo, ele pode atingir a iluminação, pois se torna o instrumento perfeito da força infinita do Atman único e sempre presente. A concentração mental sobre a respiração é também muito útil para acalmar o corpo, as emoções e ,o espírito, antes de iniciar uma das outras meditações aqui descritas. MEDITAÇÃO SOBRE OS CHAKRAS É possível pôr os chakras em atividade dirigindo a concentração mental para os diversos pontos do corpo onde eles estão localizados. A corrente de energia vital que passa entre os níveis superiores de energia e os corpos sutis será aumentada, e uma maior força de energia física será liberada. O corpo possui sete chakras principais, que ligam o corpo físico aos corpos sutis. Os chakras, ou centros nervosos psíquicos, são turbilhões de energia, cujo funcionamento permite a absorção e a irradiação da energia vital. No corpo físico, eles se ligam às glândulas e aos centros nervosos principais. No corpo etérico, aparecem como rodas com pétalas de flor, que a energia turbilhonante cria por um efeito de estroboscopia. Uma espécie de haste oca liga estas flores etéricas do chakra às glândulas e redes nervosas às quais pertencem. N o corpo astral, os chakras se assemelham a turbilhões de energia, como redemoinhos que se produzem numa torrente de água, ou num vaso sanitário que se esvazia. No corpo mental. são linhas convergentes de luz. O Muladhara chakra se encontra no períneo, na base da coluna vertebral. É a morada do fogo Kundalini. Quando este fogo desperta, nos estágios avançados do yoga, ele sobe pelo centro da coluna vertebral para ativar o chakra mais importante, o Sahasrara, que está situado na região cortical do cérebro. Vem, em seguida, o centro psíquico do sacro ou Swadhisthana chakra. Está localizado nas glândulas supra-renais e sua função é absorver a força vital do prana no ar. O prana que está na atmosfera provém das radiações. solares. Os textos nem sempre estão de acordo sobre qual dos dois centros nervosos psíquicos" - o Muladhara chakra e o Swadhisthana chakra – liga-se mais diretamente às funções sexuais. O chakra seguinte é o Manipura ou centro psíquico do plexo solar; está ligado às funções digestivas e à intensidade dos sentimentos, das sensações e dos desejos astrais. O Anahata chakra ou centro psíquico do coração está ligado às origens da energia espiritual e às emoções superiores do amor, do altruísmo e da benevolência. O Vishuddha chakra ou centro psíquico da garganta liga-se às glândulas tiróides e diz respeito à fala. Faz parte da Mantra Yoga e governa a criação artística. Este centro é acionado salmodiando-se e cantando.

8

O Ajna chakra está situado na fronte, bem acima das sobrancelhas e no eixo que as separa. Liqa-se às glândulas pituitárias e às partes sub-corticais do cérebro. O Ajna chakra concerne às faculdades superiores do espírito: a clarividência, o raciocínio científico, o pensamento filosófico e a vontade. Quando este chakra é desenvolvido, desperta a capacidade de visualizar e de dominar as Forças mentais e astrais supra físicas. O Sahasrara chakra ou Lótus de Mil Pétalas liga-se à glândula pineal e à parte cortical do cérebro; está situado no alto da cabeça e concerne às ondas sonoras e à faculdade de audição clarividente. É o mais espiritual de todos os chakras. Quando este chakra é muito desenvolvido, a iluminação e a união com o Espírito Divino podem ocorrer. As harmônicas inferiores criadas pela concentração única sobre um desses chakras o farão entrar em atividade; o fluxo de energia no interior será aumentado e será possível atingir pelo espírito os níveis supra físicos de energia. A meditação sobre os três primeiros chakras - isto é, sobre o Muladhara chakra, o chakra do sacro e o chakra do plexo solar - deve ser evitada. Estas formas de meditação podem despertar emoções inferiores e paixões sexuais. Podem fazer com que surjam influências astrais indesejáveis e causar um desequilíbrio psicológico. É melhor meditar sobre o centro do coração, o Ajna chakra, e sobre o Sahasrara chakra, porque estes se acham mais diretamente ligados à eclosão da consciência supra-mundial, Quando postos em ação, eles desenvolverão automaticamente os chakras inferiores, alterando o equilíbrio glandular do corpo e fazendo circular novas forças vitais de prana nos canais de energia psíquica do corpo etérico. Além do mais, reforçarão e purificarão os corpos astrais e mentais. Os hormônios segregados pela glândula pituitária regulam as outras glândulas do corpo -- o ritmo, a tireóide, as glândulas supra-renais e sexuais, entre outras. Quando a glândula pituitária estiver plenamente ativada pelo desenvolvimento do Ajna chakra, todas as outras gandulas adquirirão um equilíbrio químico; a freqüência vibratória dos chakras inferiores poderão assim desenvolver-se corretamente. No Yoga adiantado ou Kundalini Yoga Faz-se a concentração indivisa sobre o Muladhara chakra, na base da coluna vertebral. de modo a despertar o fogo Kundalini. As radiações ascendentes do fogo Kundalini passam pelo centro da coluna vertebral e põem em ação o Sahasrara chakra, no alto da cabeça. Se, entretanto, o fogo Kundalini for despertado prematuramente e em seguida for mal dirigido. o resultado poderá ser extremamente grave para o sistema nervoso e para o corpo etérico. Quando não são corretamente dirigidas para o alto, as radiações voltamse para baixo e causam perversões e desejos sexuais anormais. Isto explica por que motivo o Kundalini Yoga não deveria ser praticado senão depois de terem sido feitos grandes progressos em Yoga, quando os corpos sutis tiverem sido suficientemente purificados e a alma tiver disciplinado bem a personalidade.

9

A TÉCNICA DO KRIYA A prática deste gênero de meditação exige, em primeiro lugar, a concentração mental sobre a base da coluna vertebral. Em seguida. enquanto você aspirar lentamente o ar (sentindo-o passar contra a parede da garganta), faça o ponto de concentração subir pouco a pouco pelo eixo da medula espinhal e atravessar o cérebro até o centro psíquico do terceiro olho. Retenha-o neste ponto durante alguns segundos. Depois, expirando lentamente, faça este ponto de concentração descer' de novo ao longo da coluna vertebral, até o Muladhara chakra, e concentre aí a sua atenção durante os poucos segundos em que seus pulmões estiverem vazios. Aspirando de novo, docemente, o ar passando contra a parte de trás da garganta, faça o ponto de. concentração subir lentamente através da coluna vertebral e repita este processo. Recomece o exercício doze ou quatorze vezes, depois termine meditando sobre o Sahasrara chakra ou o Ajna chakra. A técnica do Kria é muito boa para estimular as raízes dos chakras, que se encontram ao longo da coluna vertebral, e para melhorar a circulação de energia no sistema nervoso e nos canais de energia do corpo etérico. Esta técnica facilitará também a: percepção direta dessas Forças, Os chakras são estimulados com o exercício, e o fluxo de energia escoa entre eles mais facilmente. MEDITAÇÃO SOBRE O PRINCÍPIO DO "SER" Neste gênero de meditação, a consciência deve concentrar-se sobre si mesma. Se for dirigida corretamente e com sucesso, será a mais elevada e a mais poderosa das meditações. Enquanto você meditar sobre o chakra do coração ou sobre o Sahasrara chakra no alto da cabeça, dirija a atenção para a própria atenção. Se estiver distraído por quaisquer pensamentos ou percepções, é preciso que se concentre imediatamente nesta autoconsciência que está prestes a perceber ou a pensar. Você deve considerar da mesma forma as ondas luminosas e sonoras que aparecerão. As ondas sonoras e luminosas nada mais são que as harmônicas inferiores da consciência pura sobre a qual você medita. Quanto mais a atenção fixar-se sobre si mesma, mais as ondas luminosas e sonoras, as sensações elétricas no corpo das Forças magnéticas, as sensações de ausência de peso, etc., se manifestarão automaticamente. Mas, se você consentir em deixar-se distrair por uma dessas sensações, ficará cingido às limitações da coisa que retiver sua atenção; a concentração sobre a pura consciência será interrompida; todas as harmônicas inferiores, sub-produtos da concentração sobre a consciência pura, desaparecerão, assim como, provavelmente, também as mesmas manifestações psíquicas que o tinham distraído a princípio.

10

Procure antes de mais nada o reino da consciência pura e todas as outras manifestações psíquicas lhe serão também permitidas. A atenção pode fixar-se sobre si mesma, seja onde for, no espaço, pois a pura consciência, semelhante a Deus, é um princípio onipresente. Inicialmente, será mais fácil praticar este gênero de meditação a partir de um dos chakras, de preferência o chakra do coração ou o chakra da cabeça (Sahasrara chakra). Podemos também nos servir do centro psíquico do terceiro olho ou o Ajna chakra, situado na fronte, com resultados satisfatórios, mas é preferível nos servirmos do Sahasrara chakra, se formos capazes de ativá-Ia, Quanto maior progresso você fizer neste gênero de meditação, mais sua consciência terá a sensação de ser uma extensão fulgurante de Luz Clara que se espalha em todas as direções no infinito. A própria pura consciência é cristalina e incolor, mas produz a Luz Clara que contém simultaneamente todas as cores ~ estas cores são as freqüências vibratórias das harmônicas inferiores provocadas pela pura consciência. A concentração da atenção sobre a própria atenção provoca um estado especial no chakra sobre o qual se medita, em que sua estrutura vibratória é equilibrada, harmoniosa e geometricamente sobre todos os níveis ou freqüências vibratórias. Certos "nós comuns" se formam no interior da estrutura do chakra, As diferentes freqüências vibratórias e as ondas de comprimento variável têm sua origem e seu fim nos mesmos "nós comuns". Isto é possível porque os comprimentos de onda e as frequências das diferentes vibrações são correlativas, como as notas de uma gama musical. As vibrações cuja distribuição espacial ou freqüência não estiverem de acordo com as outras serão automaticamente eliminadas, pois entravam seu funcionamento. Podemos transcender nossas próprias dimensões e partir desses "nós comuns", onde começam e acabam os ciclos de várias ondas curtas e longas. Poder-se-ia assim fazer a experiência das frequências vibratórias psíquicas superiores e aproximar o Atman que se move a uma velocidade infinita. A transferência de energia de uma oitava a outra (ou de um nível a outro) produz-se nesses "nós comuns"; assim, um fluxo de energia das dimensões superiores é transmitido às dimensões inferiores e, inversamente, as redes de vibrações que se manifestam nas dimensões inferiores podem passar às dimensões superiores. A alma pode agora controlar a estrutura da personalidade e torna-Ia apta a exprimir a vida espiritual nos negócios dos homens. Este gênero de meditação ajuda a desenvolver a concentração sobre um ponto único. O MANTRA YOGA E A MEDITAÇÃO COMBINADOS Diferentes chakras podem ser postos em ação durante as salmo dias do OM ou de outros mantras, A salmodia sobre timbres de alturas diferentes faz vibrar certos tecidos celulares do corpo; os centros nervosos e glandulares serão estimulados, e os chakras a eles ligados serão ativados.

11

Fazendo tentativas, você descobrirá quais os timbres que farão vibrar tais partes do corpo e tais chakras, Poderá em seguida salmodiar e ao mesmo tempo meditar sobre o chakra que quer pôr em ação. As ondas sonoras criam redes de vibrações na atmosfera etérica, astral e mental. Você poderá eventualmente aprender a vê-Ias. A disposição destas redes, que têm as cores do arco-íris, é muito complexa e muito bela. As vezes, os fios luminosos das redes traçam diagramas geométricos e mandalas. A música terá efeito semelhante. Escute a música durante uma sessão psicodélica, observando simultaneamente a luz interna pelo Ajna chakra ou centro psíquico do terceiro olho, Observe depois a disposição das cores, que muda e se desenvolve ao mesmo tempo que a música. A música clássica e os ragas indianos são particularmente adaptáveis a esta experiência. OS TESTEMUNHOS AKÁSHICOS A MEMÓRIA E A REMINISCÊNCIA DAS ENCARNAÇÕES PRECEDENTES Algumas técnicas do Yoga permitem à pessoa sondar profundamente a memória e mesmo lembrar-se de suas encarnações anteriores. Tome como ponto de partida, em primeiro lugar, uma lembrança nítida em você, um traço físico ou psicológico que terá, na sua opinião, importantes elos kármicos com o passado. Todos os pensamentos, atitudes, percepções sensoriais e todas as lembranças são registradas no corpo mental sob a forma de marcas akáshicas, espécie de fotografias na energia psíquica do corpo mental. Com o poder de sua consciência pura, você pode visualizar e dirigir a atenção para qualquer desses pensamentos ou marcas - akáshicas. Quando a atenção for dirigida voluntariamente, a energia produzida pela concentração passa do plano mental superior da consciência pura para uma de suas harmônicas inferiores. O processo é o seguinte: cada vez que a atenção estiver fixada unicamente sobre a consciência pura, ela provocará vibrações de harmônicas inferiores; estas avivam a marca akáshica que, por sua vez, produz ondas vibratórias no tom correspondente, acompanhadas das harmônicas e das frequências relativas deste. Criar-se-á um nível de frequências vibratórias que abalará outras marcas akáshicas aparentadas com a primeira, localizadas em outras partes do corpo mental. Uma vez que estas marcas akáshicas são avivadas, as vibrações que nelas foram provoca das põem-nas em relevo, a atenção pode localizá-las. Dirija, em seguida, a atenção da consciência pura para essas lembranças ou marcas memoriais aparentadas. A consciência pura se reforçará e despertará ainda outras marcas memoriais. pelo mesmo processo que acabamos de descrever. Podemos tornar a traçar os elos kármicos deste modo, até que apareçam detalhes sobre as encarnações anteriores. A música, que se associa facilmente a certas lembranças, pode também ser muito útil neste processo de reminiscência, Escute, portanto, a música proveniente de diferentes

12

países e de diferentes épocas, para tentar fazer com que as reminiscências apareçam. Às vezes certas posturas do corpo ajudarão também a fazer com que elas surjam. Durante uma sessão, o autor deste artigo teve oportunidade de lembrar-se de uma de suas encarnações, uma encarnação egípcia. Estava sentado sobre os calcanhares na posição da esfinge. Se forem dois a fazer a experiência durante uma sessão, tentem olhar bem nos olhos um do outro. Pouco a pouco, o corpo etérico tomará a forma das encarnações precedentes e, assim, as particularidades kármicas sob o corpo físico dos dois se revelarão. A pessoa pode chegar a um mesmo resultado olhando-se bem nos olhos diante de um espelho. As reminiscências akáshicas armazenadas no corpo mental e sobre os registros superiores da alma são como uma biblioteca. Todas as informações que buscamos aí se acham, mas, para tornarmos a encontrar determinado livro entre os milhares que aí estão guardados, temos necessidade de um instrumento; é preciso que haja um fichário. As marcas memoriais são apenas um registro do corpo mental para outro. São também do corpo mental para a alma, com a ajuda das refrações das harmônicas inferiores e superiores, e são transmitidas do corpo mental para o cérebro físico, com a ajuda das refrações do corpo astral e do corpo etérico. Em cada encarnação, um novo corpo mental é criado, a partir da semente permanente formada pela marca vibratória depositada por uma harmônica superior. Esta marca provém de todos os corpos mentais anteriores criados por todas as encarnações anteriores. Está situada nos registros superiores de energia psíquica da alma. No princípio de cada nova encarnação, a alma transfunde energia vital nesta semente ou germe; em seguida, esta energia se refrata sobre uma harmônica inferior, no nível mental que serve de base ao corpo mental que acompanha a encarnação prestes a produzir-se. A alma encerra também sementes ou germes do corpo etérico, do corpo físico e do corpo astral. que servirão de base para a criação destes corpos, segundo o mesmo processo. Já que, habitualmente, os acontecimentos que se deram durante as encarnações anteriores não são registrados no corpo mental da encarnação atual, é necessário atrair para o corpo mental atual as harmônicas inferiores criadas pelas marcas akáshicas registradas na alma. A própria alma julgará se você está pronto para receber tais conhecimentos e se a sua evolução espiritual melhorará com isto. Para que a alma revele à personalidade atual seus conhecimentos das encarnações anteriores, é necessário que já tenha havido certa eclosão espiritual e que as motivações que a orientam sejam puras. Você deve dirigir a concentração para uma marca memorial particular no corpo mental, seguindo o mesmo processo que descrevemos; as refrações das harmônicas superiores que esta marca provoca farão entrar em atividade outras marcas akáshicas

13

situadas na alma. Estas últimas se refletirão no corpo mental e aí imprimirão marcas correspondentes às reminiscências da alma. Serão depois refratadas no corpo astral e no corpo etérico, e finalmente atingirão o cérebro. Sabemos que as drogas psicodélicas estimulam a transmissão de uma energia psíquica considerável entre os níveis superiores e os níveis inferiores. Todos os pensamentos e todas as emoções provocadas durante uma sessão psicodélica serão fortemente imprimidos no espírito, e uma considerável energia psíquica se incorporará à sua estrutura vibratória. Esses pensamentos e emoções condicionarão inconscientemente o comportamento na vida cotidiana. E, pois, extremamente importante que as marcas adquiridas durante uma sessão psicodélica tenham um valor positivo. Esse valor positivo pode ser assegurado pela disciplina da atenção. Tais considerações levam-me a alguns últimos conselhos: nunca permita que a atenção divague. Mantenha-a fixa num pensamento ou num processo de meditação, até seu final. Não perca a cabeça, se tiver visões aterradoras ou alucinações. O medo só servirá para aumentar a concentração sobre essas visões, e o próprio poder de sua atenção as tornará ainda mais intensas. Fique impassível e dirija sua atenção indivisa para esta autoconsciência que está prestes a ter alucinações. Lembre-se constantemente de que sua própria faculdade de atenção é uma centelha da Divindade e de que, empregada corretamente, ela controlará todos os poderes inferiores. Alguns pesquisadores são de opinião que as drogas psicodélicas estimulam a secreção das glândulas pituitária e pineal. Segundo os adeptos do Yoga e os ocultistas, estas mesmas glândulas ligam-se aos Sahasrara e Ajna chakras, ou Lótus de Mil Pétalas e centro psíquico do terceiro olho. Conforme já vimos, a estimulação destas glândulas aumenta o fluxo de energia que passa entre o corpo etérico e o corpo físico. As drogas psicodélicas intensificam a pressão sobre as células do corpo que devem acelerar sua atividade para poderem libertar-se dessa pressão. A atividade aumentada destas células aumenta por sua vez as freqüências vibratórias e assim as põe em harmonia com as freqüências vibratórias superiores dos níveis supra-físicos de energia. xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx O Yoga Psicodélico - Sri Brahmarishi Narad in: Bailly, J. C.; Gumard, J. P. (org.) Mandala a experiência alucinógena. RJ, Civilização Brasileira, 1972 p.323-343 Psychedelic Yoga. The Application of Yoga Meditation Techniques to the Use of Psychedelic Sacraments - by Sri Brahmarishi Narad Jun 1967 San Francisco a Oracle º 8 , pg 11, junho de 1967.

14

disponível também em: The vaults of Erowid - Yoga https://www.erowid.org/spirit/yoga/yoga_info1.shtml The Deoxyribonucleic Hyperdimension Psychedelic Yoga -The Application of Yoga Meditation Techniques to the Use of Psychedelic Sacraments http://deoxy.org/psychedelicyoga.htm xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx Referências Kuhn, Thomas. Estrutura das revoluções científicas. São Paulo: Perspectiva, 1978 LSD – assisted psychotherapy” http://www.maps.org/research/lsd/swisslsd/LDA1010707.pdf Multidisciplinary Association for Psychedelic Studies (MAPS) Psilocybin Cancer Project Department of Psychiatry and Behavioral Sciences at Johns Hopkins Medicine – http://www.bpru.org/cancer-studies/ Centro de Rehabilitación de Adicciones y de Investigación de Medicinas Tradicionales TAKIWASI – http://www.takiwasi.com/ Imagens: Luke Brown, Namaste https://www.erowid.org/culture/art/artist/brown_luke Peter Weltevrede, Seven Chakras https://commons.wikimedia.org/wiki/Category:Chakras_(Subtle_bodies) Ver também Costa, Paulo Pedro P. R. Acupuntura – Chakra - Mapas visuais sobre acupuntura, chakras e regiões correspondente da pele e sistema nervoso aos dermátomos. Sep 25, 2011 http://pt.scribd.com/doc/66278569/Acupuntura-Chakra xxxxxxxxxxxxxxxxx Introdução e formatação do texto: Costa, Paulo Pedro P. R. em março 2014 http://etnomedicina.blogspot.com.br/2014/03/acupuntura-yoga-psicoterapia.html

15

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful