Você está na página 1de 6

Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A

Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb

DEZ 1993 NBR 5598


Eletroduto rígido de aço-carbono com
revestimento protetor, com rosca
ABNT-Associação
Brasileira de NBR 6414
Normas Técnicas

Sede:
Rio de Janeiro
Av. Treze de Maio, 13 - 28º andar
CEP 20003-900 - Caixa Postal 1680
Rio de Janeiro - RJ
Tel.: PABX (021) 210 -3122
Telex: (021) 34333 ABNT - BR
EndereçoTelegráfico:
NORMATÉCNICA Especificação

Origem: Projeto EB-342/1992

CE-01:202.09 - Comissão de Estudo de Produtos Tubulares de Aço


NBR 5598 - Carbon steel rigid conduit with protective coating with NBR 6414
thread - Specification
Descriptor: Carbon steel conduit
Esta Norma substitui a NBR 5598/1987
Copyright © 1990,
ABNT–Associação Brasileira Válida a partir de 31.01.1994
de Normas Técnicas
Printed in Brazil/
Impresso no Brasil Palavras-chave: Eletroduto. Aço-carbono 6 páginas
Todos os direitos reservados

SUMÁRIO
1 Objetivo de achatamento - Método de ensaio
2 Documentos complementares
3 Definições
4 Condições gerais de dobramento - Método de ensaio
5 Condições específicas
6 Inspeção
7 Aceitação e rejeição
Padronização
1 Objetivo

1.1 Esta Norma fixa as condições exigíveis para enco-

ensaio
tubo com ou sem costura e utilizados para proteção de
condutores elétricos.

1.2 Esta Norma se aplica a eletrodutos aptos para rece-


berem rosca NBR 6414 e serem curvados. destrutivo - Método de ensaio

1.3 Esta Norma também fixa as condições exigíveis para


luvas próprias para eletrodutos, curvas e niples.

2 Documentos complementares saio

Na aplicação desta Norma é necessário consultar:

NBR 5578 - Produtos tubulares de aço - Termino- râncias - Padronização


logia
3 Definições
NBR 5579 - Defeitos de superfície, internos de forma
e dimensões em produtos tubulares de aço - Ter-
minologia dos na NBR 5578 e NBR 5579.
Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A
2 Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb NBR 5598/1993

4 Condições gerais 4.3.2 Extremidades

4.1 Designação
ao eixo longitudinal do eletroduto, sem apresentar rebarbas
Os eletrodutos segundo esta Norma são designados pe- e com cantos internos levemente chanfrados.
lo diâmetro nominal.
4.3.3 Rosca
4.2 Dimensões e tolerâncias
4.3.3.1

Tabela 1. revestimento protetor.

4.2.1 Comprimento 4.3.3.2

Os eletrodutos devem ser fornecidos com (3000 ± 20)mm


de comprimento, sem considerar a luva. deve atacar a capa protetora dos condutores nem dificultar
a condutividade elétrica.
4.2.2 Espessura de parede
4.3.3.3
designações das roscas é dada na Tabela 2.
Na espessura da parede especificada, admitem-se
variações para menos que não excedam 12,5%, ficando
4.4 Acessórios
em aberto as variações para mais.
4.4.1 Luvas
4.2.3 Diâmetro externo
4.4.1.1
São admitidas as seguintes variações:
ser feito quando da ocasião de seu uso.
a) ± 1% do diâmetro externo para os eletrodutos de
diâmetros nominais superiores a 25; 4.4.1.2

b) ± 0,40 mm do diâmetro externo para os eletrodutos


de diâmetros nominais inferiores ou iguais a 25.

4.3 Condições de acabamento na encomenda.

4.4.1.3

e uma retilineidade que não afete a utilização. a)

4.3.1 Superfície interna

Os eletrodutos devem apresentar superfície interna sem

dos condutores elétricos.

Tabela 1 - Dimensões dos eletrodutos

Diâmetro nominal Diâmetro externo Espessura de parede


(DN) (mm) (mm)

10 17,2 2,00
15 21,3 2,25
20 26,9 2,25
25 33,7 2,65
32 42,4 3,00
40 48,3 3,00
50 60,3 3,35
65 76,1 3,35
80 88,9 3,75
90 101,6 4,25
100 114,3 4,25
125 139,7 5,00
150 165,1 5,30
Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A
NBR 5598/1993 Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb 3

b) todos os filetes de rosca, quando a luva for aper- f)


tada com chave sobre rosca-padrão do eletrodu-
to, devem ser cobertos de modo a propiciar que os duplo-cônica;
eletrodutos fiquem unidos topo a topo;
g)
opcional.
c) ambas as extremidades internas devem apresen-
tar-se chanfradas. O chanfro deve ter conicidade 4.4.2 Curvas e niples
equivalente à rosca amortecida, ou seja, 18°;
4.4.2.1
d) as dimensões devem ser as indicadas na Tabela 3,
podendo ser fabricadas em aço, ferro maleável ou
equivalente; identificar os requisitos para eletrodutos rígidos de aço. As
dimensões das curvas de 90°, com variação de ± 3°, devem
ser as indicadas na Tabela 4, cujas tolerâncias para diâmetro
e) a posição do plano de calibração (PC) deve ser
conforme as Figuras 1 e 2;
eletrodutos.

Tabela 2 - Equivalência entre diâmetro nominal e designação da rosca

Designação 1/8 1/4 3/8 1/2 3/4 1 1 1/4 1 1/2 2 2 1/2 3 4 5 6


da rosca

Diâmetro 6 8 10 15 20 25 32 40 50 65 80 100 125 150


nominal
(DN)

Tabela 3 - Dimensões das luvas

Diâmetro Diâmetro externo Comprimento útil Comprimento


nominal mínimo - (De) mínimo da rosca(A) mínimo(C)
(DN) (mm) (mm) (mm)

10 20 8,8 20
15 24 11,4 25
20 30 12,7 28
25 37 14,5 34
32 46 16,8 38
40 52 16,8 38
50 64 21,1 44
65 80 23,2 48
80 92 26,3 53
90 107 27,9 63
100 121 32,3 72
125 147 36,6 80
150 174 36,6 80
Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A
4 Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb NBR 5598/1993

Figura 1 - Luvas de rosca cilíndrica

Figura 2 - Luvas de rosca duplo-cônica

Tabela 4 - Dimensões das curvas

Raio da curvatura Comprimento das Comprimento mínimo


Diâmetro do eixo das curvas curvas da parte reta em cada
nominal extremidade da curva
(DN) Mínimo Máximo Mínimo Máximo (mm)
(mm) (mm) (mm) (mm)

10 90 94 124 132 34
15 102 107 140 150 38
20 114 120 152 163 38
25 146 153 194 208 48
32 184 193 235 252 51
40 210 220 261 279 51
50 241 253 292 312 51
65 267 280 343 363 76
80 330 340 409 429 79
90 381 392 463 483 82
100 406 418 492 512 86
125 609 627 957 985 92
150 762 785 1197 1233 95
Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A
NBR 5598/1993 Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb 5

4.4.2.2 As roscas das curvas e niples devem ser cônicas, e 5.2.2 Resistência ao achatamento
suas dimensões devem estar de acordo com a NBR 6414.

4.4.2.3 As roscas das curvas e niples devem ser protegi-


das contra a corrosão conforme o estabelecido em 4.3.3.2.
estabelecido em 6.5.2.
4.5 Modo de fazer a encomenda

Da encomenda devem constar: 5.3 Revestimento protetor

a) eletroduto rígido com ou sem costura; As superfícies interna e externa do eletroduto devem estar

b) número desta Norma;

c) diâmetro nominal ou diâmetro externo (mm); São aceitáveis irregularidades ocasionais devido ao fluxo
não-uniforme do revestimento protetor.
d) quantidade (massa ou número de eletroduto ou
comprimento em metro);
5.3.1 Revestimento de zinco1
e) tipo de revestimento protetor (zinco ou tinta);
5.3.1.1
f) tipo de luva (com rosca cônica ou cilíndrica);

g) requisitos suplementares. 5.3.1.2


2
4.6 Marcação

interna e externa.
gível e indelével, as seguintes marcações:
5.3.2 Revestimento com tinta
a) eletroduto rígido com ou sem costura;
5.3.2.1
b) nome ou símbolo do produtor;

c) número desta Norma; 5.3.2.2


d) diâmetro nominal;

e) “made in Brazil” (em caso de exportação). 5.4 Rosca

4.7 Proteção das extremidades


devem estar de acordo com a NBR 6414.
As extremidades roscadas devem receber proteção me-
cânica anticorrosiva. 6 Inspeção
5 Condições específicas
6.1 Condições de inspeção
5.1 Requisitos de fabricação

5.1.1
todas as facilidades necessárias e suficientes à verificação
métodos convencionais.

5.1.2
ve ser contínua, não se admitindo solda transversal. inspetor credenciado.
5.2 Requisitos de propriedades tecnológicas
6.2 Inspeção visual
5.2.1 Resistência ao dobramento

ser feita uma inspeção visual para verificar se eles estão de


devem apresentar trincas em qualquer zona do re-
vestimento, quando submetidos ao ensaio de dobramen-
to estabelecido em 6.5.1. prévio entre comprador e produtor.

1
No controle do processo, recomenda-se o uso de instrumentos de verificação da espessura do revestimento por processo não-
destrutivo, conforme a NBR 7399.
Licença de uso exclusivo para Petrobrás S/A
6 Cópia impressa pelo Sistema Target CENWeb NBR 5598/1993

6.3 Amostragem 6.5.2 Achatamento

6.3.1 Os lotes para amostragem são formados por, apro-


ximadamente e no máximo, 500 unidades. com distância final entre as placas de acordo com a Tabela
5.
6.3.2 As amostras para os ensaios de dobramento, 6.5.3 Revestimento protetor de pintura
achatamento e revestimento protetor devem ser tomadas,
aleatoriamente, de cada lote ou fração.
uma temperatura de (50 ± 3)°C, durante 1 h.
6.3.3 Para ensaio do revestimento protetor, as amostras
devem ser retiradas a uma distância de 200 mm das 6.5.4 Revestimento protetor de zinco
extremidades.
6.5.4.1
6.4 Corpo-de-prova realizada conforme a NBR 7397.

6.5.4.2
O corpo-de-prova para os ensaios do revestimento protetor conforme a NBR 7399.
consiste em um anel com comprimento aproximado de
100 mm. Para os demais ensaios, os corpos-de-prova 6.5.4.3
devem ser preparados conforme o estabelecido nos
métodos de ensaio. de 1 min.

6.5 Ensaios 6.6 Reensaios

Para tubos com costura, os ensaios de dobramento e

uma posição tal que o plano que passa pela solda forme
um ângulo de 90° com o plano de esforço de dobramento em relação ao que foi mencionado no ensaio.
ou achatamento.
7 Aceitação e rejeição
6.5.1 Dobramento 7.1 O material é aceito quando atender a todos os requisitos

O dobramento deve ser realizado conforme a NBR 6338 e pode ser rejeitado a critério do comprador.
dobrando-se o corpo-de-prova em 90° sobre um mandril
de raio equivalente a oito e seis vezes o diâmetro externo 7.2
do corpo-de-prova para eletrodutos galvanizados e
eletrodutos pintados, respectivamente. cumprirem com os requisitos estabelecidos.

Tabela 5 - Limite do ensaio de achatamento

Diâmetro nominal Distância entre as placas


(DN)

65 0,75 D
80 e 90 0,70 D
100 e 125 0,65 D
150 0,60 D

Nota: D = diâmetro externo do tubo.