Um pequeno guia sobre a produção editorial de uma capa de livro

CAPAS de LIVROS
Nesse guia você verá:
1. Capas e Mais .................................................... 1 2. Processo de Produção ........................ 3 3. Marketing e Divulgação .................... 7

Bem vindo(a)
Ao pequeno Guia de Capas de Livros, desenvolvido para que os autores entendam melhor os processos de produção de uma capa, impressão e marketing. Caso tenha alguma dúvida, me contate pelo e-mail marina.editorial@gmail.com e espero que curta as coloridas páginas deste guia!

1. Capas e Mais!
Uma boa capa de livro é o marketing mais
significativo para a história. Portanto, sua importância é imensa. Os leitores estão cada vez mais exigentes, e o mercado se expande com centenas de milhares de livros. 99% deles você não conhece, nem nunca conhecerá. Por quê? As histórias podem ter o mesmo nível do outro 1%, serem tão boas ou capazes de se tornar best-sellers, mas por que apenas 1% dos livros salta aos nossos olhos? Provavelmente são ótimas histórias, sim, mas existe algo a mais. Uma capa de livro de boa qualidade demonstra que o autor se preocupou com um trabalho profissional em sua obra. O motivo? SUA HISTÓRIA VALE TUDO ISSO. O próprio autor é o primeiro a valorizar a história que deseja vender. Ele, antes de todos os leitores, precisa investir em seu livro. Hoje em dia, novos autores (e mesmo alguns já consagrados) precisam provar que seu livro é tão bom quanto best-sellers e valem a compra. Depois de fidelizar o cliente com sua história, as próximas vendas serão muito mais fáceis!

Eu quero que seu livro seja um BEST-SELLER
Entendo que, após todo o trabalho de escrita e edição,

Por Marina Avila [ 1 ]

é comum que criemos algumas expectativas quanto à capa, uma das partes mais importantes do marketing do livro. O meu trabalho é fazer seu livro vender mais. Algumas vezes, esse processo não bate totalmente com as expectativas criadas. Portanto, enquanto monto algum modelo que lhe agrade, também projetarei um mais atrativo para os leitores e possa ajudar mais nas vendas. Sei que, nesse caso, o autor pode pensar que ela não se parece tanto com seu livro, não possui todos os elementos etc, mas é importante lembrar que a escolha não deve ser feita exclusivamente pensando nos próprios gostos, e sim em toda a perspectiva de negócios e mercado. Geralmente, o autor fica mais satisfeito em curto prazo tendo a capa exatamente como ele queria mas, se não é bem o que o leitor procura, em longo prazo essa escolha pode trazer vendas estagnadas. É comum se focarem em pequenos detalhes exatamente como pensaram, esquecendo-se do efeito total que a capa deve trazer. Pequenas mudanças como “texto maior, arabesco mais para a esquerda, imagem mais colorida” etc podem deixar a capa menos atrativa, pois o design quase sempre possui uma harmonia delicada. Ou, outras vezes, pode deixar a capa melhor! Não tenha receio de dizer o que busca, mas tente perceber se as mudanças melhoraram ou não a atratividade do projeto. Algumas vezes, a imagem ideal é um pouco diferente, mas será a melhor escolha e seus leitores concordarão com isso adquirindo seu livro. O propósito de uma capa é curto: atrair o leitor. Usarei, sim, tudo em minhas mãos para trazer as imagens e fontes mais próximas de sua história, mas com a precaução de que o leitor goste do que está vendo. Um caso conhecido é “Os Sete Selos”, de Luiza Salazar. A garota da história possuía cabelos curtos, mas a imagem perfeita apresentava cabelos mais compridos. A autora aceitou a capa – embora não fosse idêntica à sua personagem – e, em pouco tempo, todos os exemplares foram vendidos! É o que desejo para seu livro e buscarei os melhores meios de venda nos designs, seguindo o estilo de sua história e descrições de personagens.

Não se preocupe com direitos autorais
Todas as imagens e fontes são compradas em bancos que liberam o uso em até 250 mil cópias. Os valores já estão inclusos nos planos.

Sobre o tempo
Por toda essa atenção, pesquisa e foco em trazer a melhor capa para seu livro, algumas vezes não consigo entregar uma capa ótima em tempo recorde, até porque cada projeto e cliente são únicos em suas necessidades. Se você possui deadline ou lançamento marcado, eu o seguirei, mas geralmente é melhor fazer o pedido da capa com um tempo de sobra. Algumas capas já ficaram prontas (e foram muito bem aceitas) em 2 dias. No entanto o processo é geralmente mais lento. Os bancos de imagens são imensos e procuro apenas as melhores fotos e ilustrações, além de testar vários modos de utilizá-las junto com as fontes e o título. Não precisa se apressar: faremos de seu livro o melhor produto que pudermos.

Fique à vontade para perguntar
Se está publicando sozinho, sem editora, fique à vontade para perguntar sobre o mercado editorial, ideias sobre sua sinopse e qualquer outra coisa que venha a lhe incomodar durante o processo. Posso ajudá-lo a guiar-se melhor evitando vários erros comuns, para melhorar as vendas de seu livro e levá-lo ao lugar certo: às mãos dos leitores.

A função de uma capa
Fonte: O Capista Blog A capa de um livro tem três funções básicas que, não por acaso, são as mesmas funções de qualquer embalagem de produto.

Por Marina Avila [ 2 ]

1) PROTEÇÃO Nos primórdios do livro, a capa tinha apenas esta função: proteger o frágil, caro e valioso conteúdo do livro. Sem palavras, sem imagens. 2) IDENTIDADE Com o tempo, a capa adquiriu mais um propósito: identificar o livro. Na capa é que encontramos as respostas para as seguintes perguntas: O que é isso? O que este objeto contém? Quem criou este conteúdo? Quem pagou pela produção deste produto? Outra função relacionada à identidade que a capa de um livro passou a ter é dar a publicação uma aparência específica, distinta — uma identidade. O objetivo é diferenciar um livro de outros similares — torná-lo único. Este é o conceito de identidade visual. 3) APELO COMERCIAL A capa de um livro é o primeiro contato do consumidor com a obra e é função dela atrair sua atenção e instigá-lo a adquirir (vulgo “comprar”) o produto chamado “livro”. Se repararem estas três funções acima são as mesmas de uma embalagem de computador, de pizza ou de qualquer outro produto comercial. Mas existe uma diferença que faz da capa de um livro uma embalagem especial: “A capa de um livro é uma das poucas embalagens que é parte do produto. Não é descartável e, em condições normais, permanece conectada ao produto até o seu derradeiro fim.”

Na capa é sempre importante passar a ideia principal do livro para o leitor. A imagem/ilustração, título e nome do autor devem se complementar para cr iar harmonia . É sempre interessante procurar referências de quais são as tendências praticadas pelas editoras. Samara Maima parafraseandolivros.com.br

gem, pelos detalhes, pelo título bem colocado. Arriscamse em gastar seus dólares em algo que acreditam ser de qualidade. E é nesse ponto que você se torna conhecido, que tem a oportunidade de ser lido e demonstrar o valor da sua obra. Depois, se esse primeiro leitor postar uma resenha sobre seu livro em um blog, outras pessoas se interessarão. Gostarão da capa e da sinopse e também podem dar uma oportunidade a sua obra. É como algo que se move sozinho. Após conseguir e conquistar os primeiros leitores, o marketing será feito sem muito esforço. É como o momentum, uma força forte de vendas movendo-se por si.

2. Processo de Produção
Como funciona a produção da capa:
1. Após adquirir um dos planos, o que mais se adapte à capa que precisa, o autor ou editora preenche um formulário que é enviado logo em seguida, onde informará todos os detalhes da obra, incluindo suas próprias pretensões e ideias sobre o design e outras capas que considere interessantes. 2. É feita uma pesquisa de mercado das obras já publicadas, de forma a manter uma capa atual e atraente para o público-alvo. 3. Logo em seguida, é feita uma pesquisa por fotos e fontes de qualidade que melhor representem a história, personagens e cenários, montando um modelo inicial. 4. O modelo é enviado ao autor/editora e, se aprovado, as imagens são compradas e o resto do trabalho de manipulação é finalizado no Photoshop. É possível, inclusive, escolher entre várias fontes para o título.
Imagem: Susana Fernandez

Viral!
Para que um livro se torne conhecido pela sua qualidade de escrita, é necessário que se torne viral: uma pessoa leu e conta para a outra, que conta para outra, e conta para outra. De 1 leitor você pode fazer 10, 100, 1000. Porém, como conseguir estes “primeiros leitores” que indicarão à outras pessoas? É aí que entra a capa do livro. Muitas pessoas compram, ainda hoje, livros pela capa. Interessam-se pelo persona-

Por Marina Avila [ 3 ]

5. Após a gráfica informar a medida da lombada, são feitos os ajustes finais e é fechado o PDF pronto para impressão. Existe um acompanhamento inclusive nesse ponto. Caso haja qualquer problema de cor com o arquivo, serão feitas as modificações para ficar com a melhor impressão possível. 6. Você pode ficar com os arquivos em Photoshop se quiser, a arte será sua. 7. Revisões de texto são gratuitas. Você pode fazê-las gratuitamente por até 3 meses.  

EXPECTATIVAS: Algumas vezes, o autor ou editora já possuem uma ideia do que a capa precisa (ou não querem nos modelos). Alguns exemplos: a) Gostaria que a capa ficasse com um tom sobrenatural, usando principalmente azul e verde. b) Prefiro que não haja nenhum elemento forte além do personagem, como cenário. Algo mais clean. c) Gosto de fontes bem ornamentadas e quero que o título pareça um logotipo. d) Odeio fontes ornamentadas! Meu livro é mais sério, portanto pode testar com algumas fontes simples. REFERÊNCIAS: Capas já publicadas que você goste e sejam de um gênero parecido com seu livro, imagens, cores etc. Pode adicionar tudo que achar relevante. MAIS OBSERVAÇÕES: Adicione o que achar que faltou dizer nos outros dados.

Partes do Briefing
Algumas partes do briefing são mais difíceis de serem preenchidas. Entenda aqui o que são e como podem ser enviadas de forma a facilitar o processo de produção. INFORMAÇÕES TÉCNICAS: Formato: Geralmente 16x23cm para livros com mais de 300 páginas ou 14x21 para menores. Para e-book costumo utilizar o formato 16x23 para que possa ser impresso mais tarde. Informações adicionais: Será feito com verniz localizado? Hot stamp? Cor dourada? Tudo isso modifica algumas partes da estrutura da capa. DESCRIÇÕES: Descrições completas de: Personagens: incluindo cor de cabelos, olhos, detalhes especiais, roupas que mais usam, importância na história, algum animal de estimação. Cenários: Onde se passa a história do livro? Brasil, Londres, uma cidadezinha no interior da Ucrânia, um outro planeta formado de areia, um quarto de hotel, uma floresta mágica?; Período: Atual, medieval, segunda guerra, 1800? Objetos e símbolos: Algum objeto ou símbolo importante, como caixas, livros, chaves etc. Cenas importantes: Qualquer cena de importância, como uma transformação, um beijo, uma viagem etc. Não se preocupe em esconder spoilers, preciso saber dos detalhes que podem acontecer na trama para, talvez até sutilmente, representá-los na capa. GÊNERO: Qual o gênero do livro? Tente ser específico e até mesmo distinguir seu livro rapidamente em algumas palavras, como “distopia fantástica futurista” ou “romance hot em um triângulo amoroso”. PÚBLICO-ALVO: Quem é o leitor do livro, sexo, faixa etária,? Qualquer informação que ajude o designer a saber para quem o livro será vendido. Infelizmente não existe “qualquer leitor”, pois todo livro possui um público-alvo mais específico, embora qualquer pessoa mesmo fora deste público possa se interessar.

Deve-se usar um subtítulo/frase?
Sempre é legal usar frases para dar uma ideia melhor sobre sua história, caso o título não seja muito específico. Subtítulos devem ser usados em séries ou livros com vários volumes, mas evite para livros de apenas um volume. Procure frases impactantes e rápidas, que expliquem o tema de sua história e deixem um mistério. Pense, faça várias frases para escolher. Faça 3, 5, 15! Uma boa frase na capa pode sim ser um ótimo auxílio no marketing, mas apenas se inteligente e instigante.

Orelhas e Sinopse
As orelhas do livro geralmente são usadas para uma minibiografia do autor e um trecho marcante da história. Evite spoilers, é claro, mas busque um texto que deixe o leitor com um gostinho de quero mais. Na biografia, diga quais livros já lançou, algum hobby, se já recebeu algum prêmio de literatura etc. Uma boa biografia tem até 600 caracteres. Na sinopse, teste algumas frases de efeito para o leitor morder sua isca. Mistério, paixão, terror, fantasia? Demonstre todo o potencial de seu livro. Em todos os casos, escreva 2 ou 3 sinopses e 2 ou 3 trechos para escolher na hora.

A LOMBADA do livro (como enviar?)
A lombada do livro (parte que fica exposta na estante) é uma dobra que fecha perfeitamente as páginas do livro, colando-as umas nas outras. É importante que a lombada seja calculada pela própria gráfica porque,

Por Marina Avila [ 4 ]

mesmo com cálculos muito aproximados de números de páginas, qualquer diferença milimétrica pode deixar a capa inteira deslocada. Quando a diagramação de seu livro estiver finalizada, pergunte à gráfica qual será a lombada e me repasse, assim o arquivo é enviado sem qualquer erro para a impressão.

visto, sim, mas o leitor torcerá o nariz ao avistá-lo. Se não é possível criar uma capa bonita e chamativa ao mesmo tempo, prefira a bonita. Agradabilidade é a palavra inventada do dia.

Elementos
Devo confessar: Sou uma pessoa de muitos elementos. Adoro arabescos, texturas e detalhes. Porém, é preciso escolher com cuidado. Elementos demais causam confusão no visual da capa e podem mais atrapalhar do que ajudar. É importante que um ou dois elementos, no máximo, sejam chamativos. O resto precisa ficar em segundo plano. O ideal na verdade é nunca deixar a capa confusa.

Impressão e acabamentos
Acabamento Fosco ou Brilhante?
Existem dois tipos básicos de verniz para capas de livros. O Fosco e o Brilhante. São como papéis transparentes bem fininhos colados logo em cima do papel da capa. Ajudam a proteger e ressaltar o produto. O Fosco é mais natural, mais suave e deixa o livro com um aspecto mais profissional. Por outro lado, as cores ficam mais apagadas. O preto se torna um cinza-escuro e todas as outras cores perdem a saturação. É mais válido para capas que já tenham um bom contraste de cores e luz. No caso de capas brancas com acabamento fosco, é possível que fiquem manchadas com o tempo. O Brilhante deixa as cores muito vivas e o livro fica mais chamativo. Protege mais o papel contra manchas, principalmente capas claras. Alguns acabamentos brilhantes, principalmente os que não tiveram bastante tempo para colar, podem sair com o tempo na área das dobras. Outros acabamentos incluem papéis cintilantes colados em cima da capa, trazendo um brilho diferente ao projeto. Geralmente, também, escurecem as cores.

O que é ser chamativo?
Algumas pessoas chamam de “pop”, “gritar na prateleira” entre outros. Depois de algum tempo, consegui entender o que era a capa chamativa. Uma capa chamativa geralmente possui contraste: ou contraste de luz e sombra (elementos claros vs. elementos escuros) ou com contraste de cor (azul vs. laranja). Muitas capas podem ser bonitas e não classificadas como chamativas. Existem também capas feias e chamativas. Mas nenhuma das duas tenderá a vender bem (principalmente a última). É possível que algumas editoras tenham aberto mão da beleza do design apenas para que a capa gritasse na estante. Seria só criar uma capa vermelha com a letra em amarelo, certo? Mas deixe-me explicar direito porque isso não funciona. Existem muitas diferenças de vermelho, de amarelo, de azul etc. Não se pode simplesmente escolher uma combinação qualquer de cores apenas por elas serem diferentes e contrastarem umas com a outras. Por exemplo: verde com roxo é contrastante, mas como saber se vão ficar bem juntas? Ou, se vão, quais exatamente são os tons de verde e roxo que combinam? Os leitores incrivelmente preferem capas que não sejam tão gritantes assim, mas tenham um equilíbrio de luz e cor natural. Em design, elementos forçados são sempre má ideia. Se a imagem é toda delicada e não cabe uma letra imensa com o título do livro só para que ele seja visto a 10m de distância (rs), não é legal usar. Caso contrário, o livro será

Cores de impressão
Todos os materiais gráficos, inclusive capas de livros, são impressas pelo sistema CMYK, que em inglês significa Cyan, Magenta, Yellow and Black. Ciano, Magenta, Amarelo e Preto. As outras cores como vermelho, verde e roxo são criadas a partir da combinação de duas ou mais cores do sistema CMYK. Sendo esse sistema limitado, algumas cores muito fortes não são impressas, como o verde-limão ou o rosa-pink. Eles ficam menos saturados e um pouco mais escuros.

Ciano

Magenta

Amarelo

Preto

Por Marina Avila [ 5 ]

Acabamentos especiais
Acabamentos especiais são os queridinhos do momento. Em geral, deixam o livro mais caro, mas o aspecto também é mais profissional.

Hotstamp
O hotstamp, diferente do pantone, é um carimbo moldado especialmente para o formato que você irá imprimir. Geralmente as cores são dourado, prateado ou outras cintilantes e coloridas. É o preferido dos leitores e, embora caro, não é inacessível. É necessário um arquivo extra a ser enviado para a gráfica e alguma experiência do profissional.

Verniz Localizado
De todos os acabamentos especiais, o mais barato é o verniz localizado (UV). É fácil para seu profissional fazer e só requer um arquivo extra. Ele cria um verniz brilhante na área desejada, geralmente título. Deve ser usado juntamente com o acabamento fosco.

Pantone (cores especiais)
O pantone é uma cor especial. Como já foi explicado, existem 4 cores de impressão: C – ciano, M – magenta, Y – amarelo e K – preto. Capas criadas no sistema de 4 cores podem sofrer com a falta de algumas cores, principalmente as super-saturadas, tipo o vermelho, o verde -limão (aquele que arde), o violeta e o pink. O pantone é, portanto, uma cor extra, criada especialmente para essa falta. Existem laranjas gritantes, marrons luxuosos, amarelos brilhantes e outras centenas de cores. O pantone costuma ser muito caro e só é viável em grandes tiragens, pois geralmente é comprado um pacote da tinta especialmente para seu livro. É necessário um (ou mais) arquivos extras e muita experiência do profissional.

Relevo
O mesmo vale para o relevo, embora seja mais caro que o verniz. O relevo é uma deformação controlada do papel nas áreas desejadas. Podem ser criadas texturas ou apenas elevar a área do título, por exemplo. É caro porque precisa de uma placa em cima da qual o papel será “amassado” para criar a deformação do relevo.

Por Marina Avila [ 6 ]

Impressão offset e digital
Wikipedia Existem dois grandes sistemas de impressão para livros. Dependendo do número de exemplares que deseja imprimir, saiba qual o melhor sistema para não se assustar com os orçamentos!

Formatos de Livros
Os livros, impressos ou digitais, possuem formatos. Por exemplo, um quadrado de 10x10cm é diferente de um retângulo de 10x20cm, certo? O preço da impressão desses dois formatos também é diferente. A s folhas nos quais os livros são impressos são retangulares e bem grandes, em formatos como 119x84cm. Nessas folhas, são impressas várias páginas dos livros. Existe, portanto, um formato “ideal” para que haja o mínimo desperdício de papel. Os principais formatos, que ocupam todo o espaço da folha sem sobrar ou faltar são: 14x21 cm e 16x23 cm. São os dois tamanhos mais usados em livros do mundo inteiro. Os pockets são versões menores de uma proporção parecida. Mas como eu decido? Veja no Word a quantidade de páginas de seu livro. Se ela ultrapassa 300, use o maior formato, 16x23cm. Se for menor que isso, use o 14x21cm.

Offset – grandes tiragens, preço unitário baixo, alta
qualidade. É um dos sistemas mais utilizados pelas gráficas, devido à alta qualidade e ao baixo custo que oferece, principalmente para grandes quantidades. Os processos de impressão exigem a confecção de fotolitos e as subseqüentes chapas de impressão (matrizes). O sistema offset permite o uso de várias cores, retículas uniformes ou variáveis, de modo que as cópias obtidas podem ser de alta qualidade. A s máquinas offset podem ser planas ou rotativas, sendo que as rotativas servem para grandes tiragens e as planas para médias e baixas tiragens. O preço unitário dos livros fica muito menor conforme o número de exemplares pedidos aumenta. Por exemplo, se o preço unitário de 1000 exemplares é R$ 10, em 5000 ele cai para R$ 5.

3. Marketing
Dicas para divulgar seu livro
Por Jana Lauxen em homoliteratus.com Se atualmente publicar ficou mais fácil, agora o autor enfrenta um novo desafio: divulgar o livro que conseguiu publicar. Tarefa nada simples, tendo em vista a concorrência. Pois, se ficou mais fácil para você publicar, ficou mais fácil para todo o resto da humanidade publicar também. E como se destacar no meio desta multidão de novos escritores? Existem maneiras simples e certeiras de divulgar o seu livro, e você mesmo pode fazer, no conforto de seu lar e sem a ajuda de intermediários. E o melhor: sem precisar investir todas as suas economias. Porém, é importante que se atente para o fato de que este é um trabalho com resultado para médio e longo prazo. Até mesmo por que, ninguém nunca disse que seria fácil e rápido. Mas são alternativas viáveis, possíveis e acessíveis. É só querer. 1) Primeiro, escreva um release de pré-lançamento de seu livro. Release é um texto jornalístico distribuído para a imprensa, com informações sobre a obra, o autor e o lançamento. Qualquer dúvida sobre como escrever um release, é só dar um Google. 2) E por falar em Google, pesquise e liste os veículos de comunicação de sua cidade e região. E quando digo ‘e

Digital – pequenas tiragens, preço unitário alto, média
qualidade. Dispensa o uso de fotolitos e é feita em copiadoras coloridas (para pequenas tiragens até 200 cópias), plotters (para impressão de grandes formatos), impressoras de provas digitais e também as chamadas de impressoras digitais que imprimem grandes tiragens sem fotolitos.

Capas para ebooks
A produção de capas para ebooks é muito parecida com a de livros impressos. Devem também atrair o leitor e sintetizar o feeling da história, além de estar em uma alta resolução. A diferença é que ebooks não possuem contracapa, lombada ou orelhas. Apenas a capa da frente. Como muitos tablets não tem tela colorida, é importante verificar como a imagem ficará em preto e branco.

Por Marina Avila [ 7 ]

região’, quero dizer pelo menos dez cidades vizinhas. Inclua nesta lista jornais, revistas, rádios, emissoras de TV, sites e etc. Para realizar esta pesquisa, digite Nome da Cidade + Jornal; Nome da Cidade + Revista; Nome da Cidade + Rádio, e faça sua lista. 3) Envie para todos estes veículos listados seu release, juntamente com o convite virtual de lançamento e a capa da obra (ambos em arquivo JPG ou PNG e em média resolução, para facilitar). 4) Escolha três ou quatro amigos que escrevam bem, e peça para eles resenharem sua obra. É importante que estes amigos realmente saibam escrever, e escrevam com qualidade, clareza e, se não for pedir demais, com criatividade também. Como você deve desconfiar, é muito mais difícil conseguir a publicação de um texto ruim e cheio de erros, do que de um texto claro, objetivo, bem escrito e interessante. 5) Com as resenhas prontas, envie-as para sites voltados para literatura e cultura, que existem aos montes na internet. Envie juntamente a capa de seu livro, em arquivo JPG ou PNG. Mas atenção: não adianta enviar este material para sites de qualidade duvidosa, layout desorganizado, repleto de erros de português e com poucos leitores. Procure por sites que, já em sua apresentação, demonstrem credibilidade e uma postura profissional clara. 6) Existem muitos sites bacanas que recebem livros para resenha e sorteio. Você, enquanto autor, pode fazer uma parceria com estes sites, e encaminhar para eles dois ou três exemplares de seu livro. O editor lê a obra e a resenha, e ainda sorteia seu livro entre seus leitores.

8) Mantenha um blog, até para que seus possíveis leitores possam conhecer seu trabalho e sua maneira de escrever, despertando, assim, o interesse pelo seu livro. 9) Não se esqueça de que escritores não escrevem apenas para outros escritores. Cuidado para não desperdiçar seu tempo e energia participando de grupos e páginas onde só existem escritores que, assim como você, estão atrás de leitores e de divulgação. É importante que você busque seu público leitor no lugar onde ele realmente está. 10) Por isso o trabalho de campo do escritor também é muito importante. Costumo dizer que, muitas vezes, o autor mantém-se tão focado em encontrar o seu espaço na ‘literatura nacional’, que esquece que seu espaço na ‘literatura local’ está bem ali, dando sopa, ao alcance de suas mãos. 11) Você pode procurar uma escola de sua cidade, e se oferecer para dar uma oficina aos alunos. Pode ser uma palestra também, de modo que consiga envolver os alunos e o seu livro. Lógico que, nesta ocasião, você vai falar sobre a sua obra, mas cuidado para não falar somente sobre si mesmo e tornar a oficina um porre para a gurizada. 12) Você pode também buscar uma parceria com a escola, para que seja feito um trabalho sobre seu livro, com alguma atividade envolvendo o autor em sala de aula. Assim, você vende exemplares e conquista leitores que costumam ser bastante fiéis – as crianças e os adolescentes. 13) Escreva um novo release, divulgando não somente seu nome e seu livro, mas o seu projeto em escolas também, e novamente envie este material para os veículos que você listou lá no início, quando ocorreu o lançamento de sua obra. 14) Tire da cabeça que irá receber para realizar este trabalho em sala de aula. Lembre-se que você é um novo autor, e está buscando leitores, divulgação e venda para seus livros – remuneração, só mais pra frente. 15) Estas atividades, entre outras, podem ser realizadas em diferentes escolas, inclusive de outras cidades, que não a sua. Logo, as possibilidades são infinitas. 16) Se puder, mantenha uma coluna em um site voltado para literatura, ou em algum jornal ou revista de sua cidade e região. A maioria dos veículos está sempre em busca de produtores de conteúdo para seus canais de comunicação, e possivelmente aceitarão você como colaborador. Isso trará credibilidade para sua produção literária, além de divulgar seus escritos entre um público maior, impossível de mensurar.

7) Utilize-se das redes sociais para divulgação. Poste fotos do lançamento, a capa do livro, trechos da obra, o convite de lançamento, os links onde sair seus releases e resenhas. O Facebook, hoje, possui um poder de divulgação inacreditável, que pode, deve e precisa ser aproveitado por você!

Por Marina Avila [ 8 ]

17) Caso possa, considero muito válido investir na produção de um book trailer (isto é: um trailer de divulgação, tal e qual acontece no cinema. Só que, ao invés de buscar despertar o interesse do público para um filme, o faz para seu livro). No entanto, peça ao responsável pelo vídeo que o produza com, no máximo dos máximos, um minuto de duração, para que não se torne cansativo e maçante. Já vi books trailers com mais de cinco minutos! Isso é uma vida, em se tratando de YouTube. O resultado é que o número de acessos se restringirá drasticamente. O investimento em um book trailer pode variar entre R$100 e R$300. Estas são algumas dicas que poderão colaborar, e muito, para a divulgação de seu livro. Porém, todas elas caem por terra caso o seu livro não tenha qualidade. Se o seu livro não tiver um bom enredo; se não estiver bem revisado ou se não possuir um conteúdo relevante, nem que você invista todo o dinheiro de sua família obterá resultados concretos. Mas, caso contrário, pode confiar. Pois, além de toda a divulgação que realizará enquanto autor, tendo um bom livro em mãos você poderá contar também com o popular e indefectível boca a boca – a melhor publicidade que já inventaram, desde que o mundo é mundo.

Esses são típicos exemplos de comunicação vazia. Ou pior: improdutiva. Precisamos nos lembrar de que o nosso nome é a nossa marca e devemos zelar por ele. Os leitores acompanham as nossas comunicações e passar segurança e precisão são atitudes profissionais. E essas ajudam na percepção de valor da marca.

Vivemos na Era do Imediato, então prudência quanto aos prazos
Mesmo com a certeza sobre o lançamento do livro, não adianta “apresentá-lo” ao mundo de forma muito adiantada. As pessoas têm memória curta e também trocam o foco da atenção muito rápido. E se não tiver algum link para uma sinopse, teaser, prévenda etc. a comunicação fica inócua. Então, o que pode ser feito é: algumas doses muito sutis dias antes do período de divulgação oficial. Dê um gostinho que apenas instigue o paladar. Deixe as pessoas com vontade, com a ideia de: eu preciso desse livro para ser feliz. Parece exagero, mas é o que os publicitários fazem nas campanhas. E o livro também é um produto – ressalto essa ideia, pois muitos autores o veem como algo sobre um pedestal, envolto em uma aura dourada.

Qual é o momento certo para divulgar uma obra?
Por Eduardo Kasse Em tempos de turbilhões de informações, timing é tudo. Que hoje os escritores precisam ser mais proativos e interagir melhor com o público e com formadores de opinião, seja pessoalmente ou via redes sociais, todos já sabemos. Esse assunto, inclusive, já foi discutido à exaustão. Agora uma dúvida que sempre surge: qual é o momento certo para divulgar um novo livro? Bem, não há receita de bolo para isso – aliás, as fórmulas para o mercado atual estão cada vez mais imprecisas –, o que temos são algumas dicas e boas práticas de marketing e de postura.

Chegou o momento. Diversifique!
Pré-venda estabelecida, livro na gráfica, comunicações oficiais começando a serem disparadas para as mídias, chegou o momento de pisar no acelerador. Mas isso não quer dizer gritar COMPRE, COMPRE, COMPRE em todos os nossos canais e com uma insistência irritante. Hoje as pessoas estão mais exigentes, experientes e experimentadas, assim é preciso dar antes de pedir algo em troca.

E como fazemos isso com o nosso produto?
Oferecendo conteúdos diversificados e relevantes. Trechos do livro, posts falando sobre o processo criativo, algumas experiências que podem ser compartilhadas sobre as pesquisas, vídeos, enfim, invente! Afinal você é ou não é um profissional criativo? ;) Envolva as pessoas, interaja com elas, torne-as parceiras e motive-as a disseminar os conteúdos e você terá ótimos agentes de mobilização. E como eu sempre digo, fará bons amigos de jornada.

Não fale se não tem certeza
A ansiedade é grande. A vontade de compartilhar com os amigos e o mundo também, entretanto se você deseja credibilidade não adianta atirar para todos os lados. Conheço autores que postam coisas do tipo: “No dia 10 sai o meu novo livro, O Abacate Assassino de Freiras. Não percam.” “Adiamos o lançamento do O Abacate Assassino de Freiras para o dia 20”. “Puta merda, O Abacate A ssassino de Freiras ficou só para o próximo ano. Que saco!”

Cuidando da imagem
Apesar desse assunto não ter significante relação com capas de livros, é importante lembrar que nenhum livro vende muito se o autor não se relaciona bem com seus leitores.

Por Marina Avila [ 9 ]

Não importa beleza, jeito ou riqueza. Os autores às vezes são como objetos de desejo do leitor. O leitor deseja ser o autor. Possuir a inteligência ou influência e popularidade do ídolo. Lembre-se de ser desejável nesse sentido. Vá a eventos, mesmo que seja tímido, e crie um estilo próprio condizente com seus textos. Como se fosse parte de suas histórias. Leitores adoram autógrafos de ídolos populares e diferentes! Assim como a imagem do livro é mantida pela capa, a imagem do autor é mantida por suas atitudes – na vida real e digital. Quando for divulgar a capa ou outras informações sobre seu livro, evite postar no mural dos seus amigos ou marca -los nas publicações. Além de aumentar a quantidade de curtidas em uma única imagem postada em seu próprio mural, as pessoas preferem ter liberdade ao curtir ou comentar postagens. O desespero por atenção parece, em alguns casos, diminuir a qualidade do livro, como se ele precisasse de favores para conseguir ser divulgado. E o SEU livro é melhor que isso! Caso receba alguma crítica negativa, segure os nervos! Muitos de seus leitores continuarão fieis após reclamar sobre uma ou outra coisa. Seja gentil sempre, mesmo quando não estiverem sendo gentis com você. Se eles nunca mais quiserem ler seus livros porque você matou um personagem que eles gostavam, tudo bem. Só não perca outros leitores (ou amigos) por acabar sendo desrespeitoso com esse. Isso vale para postagens em blogs, Facebook, Twitter, e-mails ou pessoalmente. A sua imagem é tão importante quanto seu nome. Faça com que seus leitores só tenham boas coisas a dizer sobre você!

O positivo retorno dos leitores me leva sempre a alcançar melhores capas, a trabalhar com mais autores, mais editoras, e ajudá-los a se erguer ainda mais com a ferramenta que vendo: o design ;)

Hora de trabalhar no livro!
Agradeço muito a leitura deste pequeno Guia e espero que tenha gostado! Quando já estiver vendendo seu livro, se quiser, me envie um feedback para dizer se os leitores curtiram a capa, se acharam que o estilo condiz com a história etc. Caso tenha algo a acrescentar ou qualquer dica, estou online sempre! É só falar comigo pelo marina.editorial@gmail.com Bom dia/tarde/noite!

http://marina.fantasya.com.br

Sobre mim
Meu nome é Marina Avila, me formei em Produção Editorial pela Anhanguera/FAENAC e comecei a trabalhar exclusivamente com capas de livros aos 18 anos. Percebi que havia encontrado o que minha alma gosta de fazer. As cores, as formas, tudo é muito importante para mim! Consegui ótimas oportunidades de trabalhar com livros de autores famosos, como Carrie Ryan, Elizabeth Scott, Simone Elkeles, Rachel Caine, Cherie Priest, Julie Kagawa, Lauren DeStefano, Jim Butcher, Ilkka Auer, Carrie Jones e Katy Evans, então busquei me especializar em fazer capas de livros parecerem best-sellers (e assim poderem se tornar!). Também tive excelentes experiências com novos autores, conseguindo ajudar nas vendas de livros que, até então, eram totalmente desconhecidos.

Por Marina Avila [ 10 ]

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful