Você está na página 1de 2

PODER JUDICIRIO DO ESTADO DE PERNAMBUCO

TRIBUNAL DO JRI DA COMARCA DE PETROLINA


PROCESSO N. XXX-XX.2008.8.17.1130.
AUTOR: MINISTRIO PBLICO DO ESTADO DE PERNAMBUCO.
RU: F.C.B.
OFENDIDO: J.S.G.
DECISO
O Conselho de Sentena, nesta data, decidiu que o Ru F.C.B. no concorreu para
que fosse dado incio execuo de um crime de homicdio que no se consumou por
circunstncias alheias a sua vontade.
A pena mnima abstrata para a leso corporal grave (cf. fl. 38) de 1 (um) ano,
permitindo ao Ru a suspenso condicional do processo (art. 129, par. 1., I, do CP c/c
art. 492, par. 1., do CPP c/c art. 89 da Lei 9.099/1995).
Preclusa esta deciso, portanto, d-se vista dos autos ao Ministrio Pblico a fim
de que proponha, em 5 (cinco) dias, as condies para o sursis processual:
PENAL E PROCESSUAL PENAL. JRI HOMICDIO QUALIFICADO.
DESCLASSIFICAO PARA HOMICDIO CULPOSO OPERADA PELO
CONSELHO DE SENTENA. POSSIBILIDADE DE SUSPENSO
CONDICIONAL DO PROCESSO. OITIVA DO MINISTRIO PBLICO.
DECISO INTERLOCUTRIA. AUSNCIA DE SENTENA. APELAO
NO CONHECIDA. REMESSA DOS AUTOS PARA MANIFESTAO
MINISTERIAL.
1) Descabida a interposio de apelao contra deciso interlocutria
que oportuniza prazo ao Ministrio Pblico para formular ou no proposta
de suspenso condicional do processo, ante a desclassificao de
homicdio qualificado para homicdio culposo operada pelo Conselho de
Sentena.
2) Operada a desclassificao pelo Conselho de Sentena do crime de
homicdio qualificado para homicdio culposo, amoldando-se a nova
classificao jurdica do crime aos requisitos fixados pelo art. 89 da Lei n
9.099/96, deve o Juiz, antes de condenar, ensejar oportunidade ao
Ministrio Pblico para que se manifeste sobre a viabilidade ou no da
aplicao da benesse legal.
3) Apelao no conhecida, determinando-se a remessa dos autos ao
Juzo de primeiro grau para que o Ministrio Pblico se manifeste quanto
possibilidade de proposta de suspenso condicional do processo, tendo
como parmetro a desclassificao da conduta feita pelo Conselho de
Sentena, prosseguindo-se, aps, o processo em seus termos legais.
(Apelao Criminal n 1990 (9559), Cmara nica do TJAP, Rel. Mello
Castro. j. 02.05.2006, unnime, DOE 16.06.2006).

Ru em liberdade.
Publicada esta em plenrio, dou as partes por intimadas.

Petrolina, 26 de agosto de 2013.


_____________________________________________________
Rafael Cavalcanti Lemos
Juiz Presidente